Trancoso: revisitando os clássicos

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Freqüento Trancoso desde o comecinho dos anos 90. Não sou muito enturmado, porque sempre passei pouco tempo e nunca vim no auge da muvuca, no réveillon. Mesmo assim, me sinto um pouco veterano.

E para relembrar Trancoso a.D. (antes da Daslu) não existe nada melhor do que eu fiz agora: me hospedar no Capim Santo, que fica no final de uma vielinha que sai do Quadrado.

 capim-entrada140.jpg capim-piscina1402.jpg capim-piscina141.jpg

O Capim conserva a essência da Trancoso hippie, devidamente atualizada com os confortos da Trancoso chic. Mas sem se descaracterizar: o lugar não tem um pingo de afetação. Tipo assim -- quem já usava Havaianas nas antigas não tem culpa de elas terem entrado na moda...

 capim-quarto210.jpg capim-quarto211.jpg

capim-quarto142.jpg  capim-quarto141.jpg capim-quarto140.jpg

Dessa vez me apigreidaram para a suíte master, que tem um quarto enorme e um banheiro que é mais agradável que muita sala de estar por aí. Na baixa temporada, custa razoabilíssimos 250 reais. (Os quartos standard, de tijolinhos branquinhos, saem 160.) O café da manhã tem tanta coisa, que justifica o buffet: parece um café colonial. Não consegui experimentar tudo em dois dias (e olha que eu tentei).

 capim-cafe193h.jpg capim-cafe193v.jpg

Desde o fim do verão o Capim  (e outros pousadeiros) comemoram a vitória na Justiça contra os bares barulhentos das proximidades do Quadrado. O Pára-Raio foi fechado e já foi posto à venda. A perspectiva é de noites tranqüilas até na alta temporada.

    capim-jantar400.jpg

Apesar de ter sido o berço da jovem chef-revelação Morena Leite (hoje no Capim Santo de São Paulo), o restaurante mantém os pratos clássicos no cardápio. Eu aproveitei para repetir o primeiro prato que comi há 15 anos, um peixe com molho de iogurte que continua ótimo. Como há 15 anos, a moça que me tirou o pedido me perguntou se eu queria arroz branco ou integral. Mas dessa vez não senti nenhum olhar de desaprovação quando escolhi branco.

smile

Acabei ficando uma noite a mais do que o planejado em Trancoso, e então resolvi atravessar o Quadrado e me hospedar no outro clássico da vila, o Hotel da Praça, onde eu costumava dormir no século passado. Depois de algumas temporadas como Pousada do Quadrado -- quando foi totalmente repaginado por Sig Bergamin -- o lugar trocou de arrendatários, que resolveram voltar com o nome tradicional.

 hoteldapraca140.jpg hoteldapraca141.jpg hoteldapraca142.jpg

A decoração foi refeita por Mucki Skowronski, uma das donas da deslumbrante pousada Fazenda da Lagoa, em Una. O restaurante, que, já na época da Pousada do Quadrado, recebia chefs de São Paulo no verão, foi rebatizado como Japaiano e entregue aos cuidados de Felipe Bronze, criativíssimo chef carioca, que elaborou um cardápio misturando Ásia com Bahia.

hoteldapraca145.jpg hoteldapraca144.jpg  hoteldapraca143.jpg  

Ficou tudo muito lindo. Mas gostei menos do que eu gostaria de ter gostado. Acho que a fase Sig tinha mais a ver com a pousada: a mistura de estampas do Taiti com objetos da Oficina de Agosto tinha produzido um visual tão fotogênico quanto despojado. Senti a nova ambientação, no geral, um pouco mais afetada do que o hotel comporta. Os quartos continuam pequenos (não tem como ser diferente) e com detalhes que não fazem jus ao preço (190 reais o quarto standard na baixa), como o chuveiro elétrico.

hoteldapraca193h.jpg hoteldapraca193v.jpg

Talvez se eu não tivesse ouvido dez minutos de briga em voz alta entre o cozinheiro e o garçom no início do meu jantar eu teria relevado o fato do meu sashimi de salmão com melaço de coco e capim-santo ter vindo com lâminas ainda congeladas. (Mas a caipiroska de banana, maracujá e canela estava sensaiconal.) De manhã também demoraram bem uns cinco minutos para tirar o rádio da AM popular de Eunápolis que emprestava cor local ao meu café.

Enfim, na comparação entre os clássicos, o Capim Santo reforçou a minha percepção de ser um lugar que amadureceu com sabedoria, sem perder a personalidade; já o Hotel da Praça me pareceu uma daquelas pessoas que vão ficando mais bonitas ao longo dos anos, só que à custa de muita plástica.

76 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

nana
nanaPermalink

Desaconselho o "el gordo" do quadrado. O magrinho que faz as vezes de anfitrião do hotelzinho metido que já foi até capa de revista é péssimo.O lugar tem uma gastronomia que deixa a desejar o atendimento é pior do que qualquer pizzaria de esquina e você tem a impressão de que todo o tempo estão te vigiando.Uma pena porque a vista é o único que presta!

Camila
CamilaPermalink

Mesmo 5 anos depois de escrito esse texto, posso concordar com o que foi dito do Capim Santo. É realmente maravilhoso e o custo-benefício compensa bastante. Tudo de muito bom gosto.
Na parte das comidas vou discordar um pouco: comi maravilhosamente bem no Hotel da Praça (peixe assado na folha de bananeira com farofa de Neston e melaço de gengibre; o outro prato da mesa tb estava perfeito).

CarlaZ
CarlaZPermalink

Voltei de Trancoso e adorei! Mais ainda do que imaginava. Pra quem quer sossego ir no feriado de Corpus Christi é o ideal. Junho é a época de baixa deles, inclusive alguns restaurantes e pousadas fecham.
Tentei ficar no Capim Santo já que eram muitas as recomendações, mas quando mandei e-mail eles responderam falando que estariam fechados para férias. A surpresa foi chegar lá e estar aberta! Decepção total! Pra não perder a viagem comi no restaurante, o peixe com iogurte estava ótimo mas o serviço péssimo! Péssimo. Sabe quando em volta todas as mesas reclamam? As meninas da mesa ao lado foram pro bar pra pegar as bebidas...
Como não tinha Capim Santo acabei escolhendo pelos critérios preço e 1o lugar no Tripadvisor (na época) de pousadas a Quarto Crescente e a minha estadia lá foi ótima! Adorei.
Náo é no quadrado, nem do lado, mas uma andadinha de 5-10 minutos, totalmente sem problemas.
Fui muito bem recebida pelos filhos dos donos da pousada, que acolheram como se estivesse em casa, sempre muito simpáticos e prestativos. Café da manhã delícia e com tapioca, como deve ser, e lá tbm tem um café da tarde, com variedade de bolos, pão de queijo, brigadeiro...e com preço ótimo.
A melhor refeição que fiz foi na Silvana. Moqueca deliciosa. E no final da tarde, clima ótimo! Ainda estava tendo um casamento na igrejinha e vi todos os convidados chegando!

Anita
AnitaPermalink

Olá! Estou planejando uma viagem a Trancoso e Praia do Espelho em novembro com meu marido. Li os posts sobre esses lugares mas gostaria de saber se há alguma indicação mais atualizada de pousadas. Gostaria de um lugar charmoso para aproveitarmos a temporada de namoro sem a filhota! A Capim Santo está bem indicada aqui. Ainda continua? Existem outras nessa faixa de preço ou um pouquinho acima? Agradeço a ajuda!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Anita! A Capim Santo continua bem recomendada. No Quadrado, mais caras, também há a Jacaré Casas do Brasil, a El Gordo e a Uxuá. Perto do quadrado, a Etnia, que também tem uma ala à beira-mar, na praia do Rio Verde, a 5 minutos de carro. A Estrela d'Água, na praia dos Nativos, é um relais-château. Na Praia do Espelho pense na Bendito Seja e na Fazenda Calá.

Anita
AnitaPermalink

Olá Bóia, obrigada pela ajuda! A pousada Enseada do Espelho é bem localizada? O padrão é muito diferente das que você indicou? Agradeço novamente!

Rafael Albuquerque
Rafael AlbuquerquePermalink

Olá usuários e moderador, sou taxista em Porto Seguro e gostaria de deixar meu contato neste espaço para quem for precisar de taxi. Atendo toda a região com preço especial aos visitantes de “viajenaviagem.com”.
Meu nome é Rafael – mail r.t.cwb@hotmail.com cel – 73-88441346
Obrigado!

Paula
PaulaPermalink

Olá, vamos a Trancoso no feriado de Corpus Christi e gostaríamos de sugestões de restaurantes. Procurei nos posts, mas não encontrei informações recentes.
Obrigada

Viaje na Viagem
Viaje na ViagemPermalink

Ainda tem dúvidas?

Clique e leia nosso post mais atualizado sobre este destino:

Guia de Praias: Sul da Bahia