Ora, carambolas

Minha crônica no Guia do Estadão de hoje.

carambola450.jpg

Outro dia, no café da manhã, comi a carambola mais gostosa de que tenho lembrança.

Para falar a verdade, acho que não tinha lembrança de nenhuma outra carambola que pudesse chamar – educadamente, claro – de gostosa. Para mim, carambola sempre foi uma fruta decorativa. Fatiadinha, enfeitava drinques exóticos à base de saquê. Inteira, transformava o meu café da manhã em cenário de comercial de margarina – antes de voltar, invicta, para a cozinha.

Acontece que aquela carambola estava de um amarelo tão queimado, mas tão queimado, que parecia me dizer: vem ni mim que eu tô docinha. E não é que estava mesmo? Naquele momento eu me dei conta do crime que se comete contra as carambolas. Ninguém deixa a carambola amadurecer o bastante! Só as carambolas verdinhas e bonitas são valorizadas pela sociedade. Nega-se à carambola os direitos que ninguém pensaria em negar, digamos, ao maracujá.

Bastou provar uma suficientemente madura para eu entender que, a exemplo da melancia, a carambola é um suco que se come. No caso, com embalagem e tudo. Percebi também que não sabia comer carambola direito. Todas as vezes que tentei traçar uma carambola meio verde, fui roendo as abas, uma a uma. Tsk, tsk, tsk.O certo é encarar a carambola de frente, abocanhando as cinco pontas de uma vez. É incrível mastigar algo de design tão complexo fabricado pela natureza.

É uma injustiçada, a carambola. De onde veio? Como se chamará em português de Portugal? A exemplo de Paulo Coelho, ela soa bem melhor em inglês: starfruit. Fruta-estrela. Não se sabe sequer onde é plantada. Carambolas não são como os morangos – naturais, como se sabe, de Atibaia – nem como os figos, que fazem questão de vir de Valinhos. Não existe nenhuma Festa da Carambola – e conseqüentemente, nenhuma Rainha da Carambola. É triste: eu devo ser o primeiro brasileiro a festejar a carambola.

carambola451.jpg

O que leva alguém a plantar carambola? “Fizemos uma pesquisa de mercado e detectamos a existência de um nicho promissor de drinques à base de saquê que precisam ser decorados”. Nunca li sobre alguém que tivesse enriquecido com monocultura de carambola. Que eu saiba, as geadas da Flórida nunca ajudam a elevar a cotação da carambola na bolsa de commodities.

Não importa. Meu lema agora é: viva e deixe a carambola viver! Mas quando ela estiver bem amarelinha, encare a fruta de frente, e abocanhe as cinco pontas da estrela de uma vez.

31 comentários para “Ora, carambolas”

  1. Eu não sou muito fã da carambola ao natural, não, mesmo já tendo provado as bem maduras… Em compensação, não conheço doce mais lindo do que uma bela compota de carambolas – é o máximo, aquele doce de estrelas… ;-)

  2. Em BSB tem bastante, ma não conheço plantio comercial. É coisa de quintal mesmo. É uma árvore bonita e quando está carregada, você quase não destingue o fruto das folhas, fica tudo verde, muito lindo.

  3. Carambola é minha segunda fruta predileta, logo depois do cajá. Como E.S. é praticamente nordeste, cresci tendo essas frutas à vontade por toda parte. E realmente tem que esperar a carambola ficar amarela para experimentar seu sabor mais gostoso. Aqui em São Paulo é difícil achá-la desse jeito – geralmente está verde, e a fruta nunca amadurece tão bem quanto no pé quando trazemos para casa… Mas um jeito bom de comer carambola é como salada: cortada em fatias, com um pouco de vinagre e sal. Além de gostoso, fica lindo, pois vira um prato cheio de estrelas!

  4. Tem razão, Malena. Essas aí da foto, por exemplo, nunca vão amadurecer do jeitinho que eu comi aquelas de duas semanas atrás (e não fotografei). Enrolei em jornal e tudo, e elas já estão ficando feias sem ficar amarelas de verdade…. hmpf.

  5. Eu gosto do nome em português, acho que soa legal.

    Carambolas são como modelos anoréxicas, um design arrojado, super decorativas, mas totalmente sem sabor.

  6. Jorge, ótima definição :) .

  7. Riq, também gosto muito de carambolas, que encontramos facilmente aqui, mas gostaia de lembrar que são tóxicas para pessoas que têm disfunção renal ( neurotóxicas ), podendo levar à morte. veja o link: http://www.zoonews.com.br/noticias2/noticia.php?idnoticia=51851

  8. Onde eu cresci, tinha alguns pés de carambola onde a gente sempre subia – criança é uma sapequice, só… carambola me traz essas recordações maravilhosas de infância.

    Eu amo carambola. É minha fruta predileta. Mas – azar dos azares – não posso comer que passo mal, uma certa alergia a algo q ela tem. Então quando eu fico com muuuuuuuita vontade, eu me preparo pra passar mal antes de comer, já deixo remédios e afins por perto. Como a dita cuja, e depois passo mal feliz da vida… :D

    SIm, eu sou pirada. :D :D :D :D

  9. Uma vez comprei um pote de compota de carambola em Portugal.O nome é mesmo carambola embora esteja escrito que na Europa é também conhecido por “fruto de mel de maçã’! Ah! E o produto era made in Malásia. Completando: a marca é Buzzy’s Tropica.

  10. No meu quintal em Manaus tem um pé de carambola, mas eu nao gosto. Também tem pé de ata, saputi, jambo, abil, goiaba, além de pupunheiro, mamoeiro e uma bananeira. Um verdadeiro pomar ;)

  11. Belo texto em prol das carambolas que eu também gosto muito pois na minha infância comia carambolas doces as pencas na casa da minha vó em Santos. E hoje, dá pra fazer umas belas caipiroskas com elas com direito a belos enfeites delas mesmos (tentem colocar algum anis estrelado pra dar um toque especial).

  12. Hugo, desculpe a demora mas só vi o teu comentário hoje. Eu realmente tomei uma canseira danada da TAM mas também eu queria as passagens pros Estados Unidos na alta temporada ( em janeiro/2008). Não consegui e vou tentar pra Santiago em abril/2008.

  13. Carambolas não me apetecem muito, mas são frutas visualmente interessantes.
    Agora, Lucia, isso é que é paixão…a minha árvore favorita de infância era uma sirigüeleira que tem lá na fazenda. Comíamos até passar mal…e ainda era ótima para brincar de casinha :-D
    Dani, adoro abil, parece fruta de leite condensado. No meu sítio também temos jambo, araçá, cará (quando é época só dá doce de cará, suco de cará e outras coisas lá em casa), cabeludinha…

  14. Olha só que engraçado… e eu que sempre adorei carambolas! Mas confesso que sempre comi mesmo as amarelinhas, já quase douradas, que são bem docinhas ;)

  15. Eduardo, a troca de passagens da TAM realmente é estranha. Se você entra no site vê passagens disponíveis, mas quando chega na loja ele dizem que as passagens desse ou daquele horário/dia já se esgotaram, não tendo disponibilidade nem mesmo para venda. Muito estranho.

    Mas porque você não aproveita para ir para os EUA em março/abril. É o que eu e minha esposa estamos fazendo, pois o clima é ameno, os preços melhores, você gasta menos pontos e se tiver que comprar alguma passagem vai ver que está com preços bem convidativos.

  16. De pleno acordo com a sua oportuna meditação sobre a carambola e o baixo reconhecimento que tem esta fruta pela sociedade. Conte comigo nesta cruzada muito mais importante que o movimento Cansei e outras babaquices. Carambolas já!!!

  17. Salvem as Carambolas!

  18. Hugo, pelo menos por enquanto, é impossível sair pra viajar neste período pois além de já ter uma viagem marcada pra janeiro, tenho também outra engatilhada pra julho e aí, certamente os meus sócios me veriam de uma maneira estranha se eu ¨arriscasse¨ sair no período que você indicou. Daí a idéia de aproveitar o feriado (21/04) e ficar uns cinco dias em Santiago. Com um pouco de sorte dá pra ver uma agitação maior nas vinícolas e comer bons frutos do mar, o que, cá prá nós, não é nenhum castigo. E tem mais, a minha filha vai trabalhar na Disney e embarca agora, no final de novembro e aí, por obrigação familiar ( e que bela obrigação), eu e minha esposa iremos visitá-la em dezembro e ficaremos uma semana por lá. De qualquer maneira, obrigado pela informação.

  19. Minha avó usava as carambolas para enfeitar a fruteira, literalmente. Na minha cidade, não vejo uma carambola há anos. Cois’ de loco!

  20. Eu devia ter desconfiado. Bem amarelas, suculentas e cheirosas, não resisti e comprei logo meia dúzia porque achava que não poderia me eximir deste prazer. Seu texto como sempre vendedor com uma pitada de fantasia, descreveu muito bem o sabor das carambolas. Me seduziu.
    Sucumbi ao prazer de todo consumidor em frente ao objeto de desejo vendido aos montes por aí. Fui fisgada pela lembrança do prazer com que descreveu sua mordida, melhor dizer, abocanhada da fruta que parece desprezada até pelos que a cultivam. Com seu formato tão sedutor não tive dúvida em morder como havia recomendado e qual não foi a minha surpresa: detestei.
    Não é a primeira vez que você faz isto comigo, por isto a desconfiança. A primeira vez foi com o caju. Ah! o caju amigo, este só é bom mesmo bem batido e com muito açúcar em forma de suco ou para os mais chegados numa caipirinha. Só você pra gostar de uma fruta que dá a nítida sensação de estar com pelos nos dentes, e que nem uma dúzia de gilletes imaginárias conseguiriam acabar com todos eles.
    Gosto é gosto e não se discute, mas vale a pena lembrar que a carambola está e deve ficar muito bem onde está no seu nicho de consumo: enfeitar drinques e saladas e em cenário de comerciais de margarina.
    Já sei, já sei, você gosta das frutas que não tem muito prestígio, e imagino que daqui a algumas semanas, você vai recomendar uma outra fruta, talvez o tamarindo.
    Fiquei esperta, agora eu desconfio e passo batido pelo caju e pela carambola e vou logo pegando manga, jabuticaba ou pêssego, estas sim são deliciosas, ou você não acha?!

  21. Se algum prefeito, ou secretário de turismo, de alguma cidadezinha perdida por esse Brasil que tem mais de meia dúzia de pés de carambola dá de cara com esse texto, vai baixar decreto intitulando a tal cidadezinha de Capital da Carambola, com direito a Festa, Rainha e Princesas!

    A primeira vez que comi uma carambola achei estranho uma fruta com um formato assim, mas gostei :) Ano passado fomos comer um fondue na casa de uns amigos e não é que tinha carambola pra rodada do de chocolate? . Não tava bem docinha, então dava aquele contraste com o chocolate. Hmmmmmm

  22. Gosto não… mas nunca comi! :D
    Acho linda, a única vez que quase comi ela era de cera! :D
    Entendo tudo de fruta, né?
    Riq, falando nelas, fui em um restaurante em Cuiabá e me lembrei de você na hora. Tinha um pé de caju lotado! Até fotografei! :)

  23. Engraçado Riq, eu só descobri a carambola no último verao. Minha sobrinha estava comendo com tanta vontade que resolvi experimentar, e adorei!
    Acho que carambola é uma daquelas frutas que os pais nao davam pra gente qdo eramos pequenos (ao menos em SP) e agora toda criança come, entao vira normal.

  24. Adorei a comparação com o Paulo Coelho… :D :D

  25. Querido Riq, quando li sua crônica tive a certeza que você estava falando da minha carambola… uma carambola que até tive medo de comprar de tão amarela que estava. Cheguei a questionar com a minha mãe se ela estaria boa pois a cor chegava perto de um amarelo avermelhado…
    Pois foi a carambola mais deliciosa que já experimentei na minha vida… nenhuma outra será igual àquela.
    Agora se vou a feira, fico horrorizada com aquelas carambolas amarelas esverdeadas…como pode alguém querer comê-las daquele jeito??
    Obrigada por me trazer de volta uma lembrança tão sublime!

  26. Adoro carambola doce e madura. A minha dica culinaria e come-las fatiadas com salada de rucula. Fica incrivel.

  27. [...] To falando do blog do Ricardo Freire, que é um publicitário turista. Tudo isso pra você dar uma passadinha no blog dele pra ler a crônica dessa semana que fala sobre….. A Carambola. [...]

  28. Cresci em Recife e carambola é uma frutra comum no nordeste. Costumava comer no pé, desde as mais esverdedas as amarelonas…aqui em sampa nunca tive coragem de comprar, sempre me parecem meio murchas…ADVERTENCIA: Não coma se tiver algum tipo de doença renal, a carambola tem uma toxina que da trabalho pro rin filtrar.

  29. Adorei a crônica da carambola,embora não goste da fruta in natura e olha que tenho uma caramboleira no quintal de casa, que plantei em homenagem ao meu pai que adorava essa fruta. A vizinhança chega a tocar a campainha pra perguntar que fruta é aquela e eu acabo dando pra levarem pra casa de tanta que tem…..gosto muito de fazer doce com ela, com sagu é muito gostosa…quando o pé estiver carregado delas te enviarei uma foto….

  30. Muito boa a sua crônica. Coincidentemente, no dia seguinte, fui a BH e encontrei, no Restaurante Xapuri, uma compota de carambola. Apesar do regime, comprei um vidro e espero degustá-lo em breve. Caso se interesse já esta convidado.Ab.

  31. ei Ricardo!

    pois aqui em casa eu tenho um pé de carambola tão docinhas…

    olha aqui uma foto

    http://www.flickr.com/photos/luciana_pordeus/503517429/

ATENÇÃO:
Desculpe, mas esta caixa está inativa e seu comentário não aparecerá. Estamos aprontando um novo Viaje na Viagem. No novo site a caixa de comentários voltará a funcionar. Obrigado pela compreensão!