Turismo na Antártida: restrições à vista

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

clipper-adventurer

Das notícias de viagem do fim de semana, a que me pareceu mais auspiciosa foi a decisão dos países signatários do Tratado da Antártida de restringir o turismo de massa no continente gelado.

Por iniciativa dos Estados Unidos -- marcando a postura ecologicamente responsável da gestão Obama -- os navios com mais de 500 passageiros não serão mais bem-vindos no Pólo Sul. E não será permitido a permanência de mais de 100 turistas em terra de cada vez.

Nos últimos 15 anos a Antártida viu aumentar em 5 vezes o fluxo de turistas -- elevando na mesma proporção os riscos de danos ambientais.

Este blogueiro apóia totalmente o estabelecimento de limite máximo de visitantes em lugares que precisam ser preservados. Se vale para um rio em Bonito, para a ilha principal de Fernando de Noronha e para a Antártida, deveria valer também para... a praia do Espelho ou a dos Carneiros, por exemplo. #prontofalei

Você pode ler a notícia completa n'O Globo clicando aqui.

Ou, se quiser ver como está jogando fora à toa seus tremas e acentos, pode ler no Diário de Notícias português: Adoptadas restrições ao turismo na Antárctida.

Foto: Adventure Life

14 comentários

Atenção: perguntas que já estejam respondidas no texto e comentários ofensivos ou em maiúsculas serão deletados.

Cancelar
Carmen
CarmenPermalinkResponder

Penso que essa é uma postura inteligente além de ecologicamente reponsável!!! Bem!!!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Estou totalmente de acordo! Acho que tem que haver responsabilidade no turismo, sim, e a limitação do número de visitantes/dia é a mais sensata, na minha opinião. (Sobre os tremas e acentos, é por essas e outras que estou fazendo desobediência civil - ignoro solenemente que houve um acordo ortográfico... wink )

Murilo
MuriloPermalinkResponder

Pela sobrevivência do próprio turismo, é fundamental o turismo consciente. Parabens

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Sem qualquer duvida, o turismo ecologico precisa de um manejo, e de medidas como esta.

E uma regiao frágil, embora lindissima, eu ja fui e recomendo.

Mariana "de Toledo"

Eu poderia comentar a notícia, mas vou comentar mesmo o uso do "auspiciosa" na primeira linha. Amei! Are baba! hahaha

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Clap clap clap , e que assim seja para tudo e para todos -sempre!

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu apóio 100%, pois é a viagem que mais queria poder fazer e ainda não foi possível por causa dos preços.
Que fique 3x mais cara, pelo menos espero no dia que eu chegar lá ainda poder encontrar pinguins, baleias, focas, neve sem sacola de mercado, garrafas pet, cadeiras de plástico e barracas.

Andrea Donadio

Caros, preciso de uma informação que não tem a ver com o post...para alugar carro e dirigir na Itália é preciso da carteira internacional de motorista ? Li numa revista que se for por menos de 3 meses não é necessário mas como a revista é antiga fquei na dúvida. Quem puder me responder, agradeço !
Abs,
Andréa

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

É exatamente isso. Sua carteira brasileira vale por pelo prazo da sua estada de de turista. A vantagem de se fazer a carteira internacional é evitar problemas com a polícia que não tem obrigação nenhuma de conhecer o Português, e por sinal só vale acompanhada da original brasileira. Sugiro que você a faça.

Andrea Donadio

Obrigada ao Andre e ao Riq ! Vou fazer então a carteira internacional.
Bjs Andrea

Andre Lot
Andre LotPermalinkResponder

Rick, o problema que eu vejo com Bonito é que o turismo ficou cartelizado em torno de agências mal organizadas que tem o monopólio de levarem os turistas até lá e obrigam-nos a alugar seus próprios equipamentos e torcem o nariz se você diz que vai chegar no local de carro e não com a van modorrenta deles. Se apenas vendessem entradas em número limitado seria uma coisa, mas utilizam isso para evitar a concorrência, e nem foco no preço mas no serviço. Não gostaria de ver o direito de ir, visitar e ficar em uma praia restrito por um ecochato do Ibama ou algo do gênero. Se você restringir o acesso aos carros particulares, proibindo vans, ônibus e escunas atracadas, 80% do problema já fica resolvido.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Já tinha lido essa notícia em algum lugar...e acho a iniciativa ótima! Daqui há alguns anos vou começar a guardar dinheiro pra ir pra lá...