Iguaçu: o lado brasileiro

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Em frente ao Hotel das Cataratas, antes do parque abrir para o público

Organizado, prático, limpinho, o parque brasileiro do Iguaçu é um programa de ecoturismo de nível de dificuldade zero. É tão perto do aeroporto (dez minutinhos de carro) e tão fácil de visitar, que se você não quisesse fazer mais nada em Foz daria até para fazer um bate-volta de avião. (Mas claro que você vai querer ver mais coisas em Foz. No mínimo, o lado argentino, que vai ganhar post próprio nos próximos dias.)

Na cheia: água por todas as fendas, e uma nuvem de spray na Garganta

Na cheia: água por todas as fendas, e uma nuvem de spray na Garganta

Na seca, esses saltos às vezes ficam, ahn, desligados

Na seca, esses saltos às vezes ficam, ahn, desligados

A entrada para brasileiros custa R$ 15. Você deixa o carro (ou desembarca do ônibus de turismo) no estacionamento do centro de visitantes e pega o ônibus interno do parque, que custa R$ 6,15 extras e tem dois andares (o de baixo, refrigerado; o de cima, aberto).

As quedas parecem organizadas em andares

As quedas parecem organizadas em andares

Os ônibus passam freqüentemente e param nos pontos principais -- incluindo o Macuco Safári.

Para fazer o circuito panorâmico principal, você desce em frente ao Hotel das Cataratas e já está na cara do gol.

Tchibum!

Tchibum!

A partir dali, a trilha funciona como um camarote: você vê os saltos o tempo todo. De vez em quando aparece um mirante ainda melhor localizado para bater fotos sem cabeças à sua frente.

Lá por janeiro as águas devem estar branquinhas

Em janeiro as águas já devem estar branquinhas

Se você não fizer paradas muito longas para fotos ou para simplesmente ficar de boca aberta, a trilha-camarote leva menos de meia hora.

Sempre lembrando que estamos na selva

Sempre lembrando que estamos na selva

Ao fim dela você pode descer até a passarela fincada no rio, que vai até o pé (a uma distância segura) da Garganta do Diabo. Em época de cheia, porém (como agora), você vai ver pouco e se molhar muito.

It's raining spray

It's raining spray

A vista de quem não desce

A vista de quem não desce

A vista de quem sobe de elevador ao mirantão

A vista de quem sobe de elevador ao mirantão

Enfim, é um percurso tão fácil e rápido que você pode fazer carregando suas compras do Paraguai. Ou de bolsa dourada e salto alto, como esta aí de baixo (não consegui fotografar o salto, desculpaê).

Tava de salto alto, juro

Tava de salto alto, juro

Dos passeios complementares, o único realmente popular é o Macuco (o famoso passeio de barco até a base de cataratas secundárias). Mas há outros passeios guiados funcionando dentro do parque -- como a Trilha do Poço Preto (que termina com um passeio de caiaque numa parte segura e calminha do rio Iguaçu), a Trilha das Bananeiras (também com caiaque no final) e o Cânion Iguaçu (onde há ratfing, tirolesa, arvorismo e rapel).

Mas a maioria combina a visita ao parque com duas atrações que se localizam rente à entrada: o Parque das Aves e o passeio de helicóptero. (Ainda na mesma estrada, mas um pouco antes, encontra-se um parque aquático.)

O assunto ainda não acabou, não. O lado argentino deve dar pelo menos dois posts...

Post publicado em dezembro de 2009.

Leia mais:

82 comentários

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

E quem não quiser fazer nenhuma , nenhuma caminhada , é só descer do onibus no elevador ( a última parada ) e ir direto pra passarela . Quando fomos, em março , estava tranquilo , e a gente não se molhou nadinha .
Com pouca água nas Cataratas , a trilha a partir do hotel , é uma sequencia de paisagens muito semelhantes , que só acrescenta alguma coisa nos mirantes .

Ricardo Freire

I beg to disagree, chérie eekops:

Sobretudo agora na cheia. Mas faria na seca, também.

O caminho é deslumbrante. Repetitivo, claro, mas uma estada em Foz significa necessariamente uma overdose de água. (Eu não parava de cantar na cabeça -- Duchas Corona/um banho de alegria/num mundo de água quente. O pior é que ninguém no meu grupinho era vivo nessa época para saber do que eu estava falando!)

Eu acho o caminho tão tão tão facinho de fazer que só desaconselharia pra quem tem problemas de locomoção. (Neste caso, o panorama em frente ao hotel e na parada final do ônibus bastam, mesmo.)

Carla
CarlaPermalinkResponder

Eu concordo. Já fiz a "trilha" na cheia e na seca, e achei super lindo das duas vezes. E é realmente um caminho muito fácil e agradável, um passeio mesmo...

(Acredito piamente no salto alto que não apareceu na foto... O quê mais ela poderia estar usando para combinar com a bolsa dourada?!? grin )

Ah, e uma boa notícia: http://ecoviagem.uol.com.br/noticias/turismo/turismo-internacional/brasileiros-poderao-usar-cnh-para-entrar-na-argentina-11042.asp

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Geenti , o comentario foi para avisar os que possuem restrições motoras, não deixarem de ir .
Nem sei pq dão o nome de trilha , é uma calçada asfaltada ,mega fácil,e curta . Combina até com sandália dourada !

Ricardo Freire

Entendi! mrgreen

Arthur | Agora Vai

Mas é só para Foz do Iguaçu, Carla... sad Pena que não liberou geral.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Mas acredito que acabem liberando, Arthur... De qualquer forma, só de liberar em Foz já se quebra um galho, porque é chato à beça ter que lembrar de levar a identidade oficial ou o passaporte, né? wink

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Lindas fotos, até senti a agua geladinha ....Dá vontade de ir correndo ...

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Realmente tá muito bonito! E Foz é aqui perto de onde moro e mesmo assim faz séculos que não volto lá...curioso como não valorizamos o que está próximo de nós...

Marcie
MarciePermalinkResponder

Corrijam-me se eu estiver errada - ou gagá: quando fui fazer esse passeio, há muitos e muitos anos, tinha muito mais água caindo. Ou pelo menos essa é a lembrança que eu tenho.

Ricardo Freire

A queda mais caudalosa, a Garganta do Diabo, está tapada por essa nuvem de spray das últimas fotos. Deve ser essa a sua lembrança.

As cataratas estão cheíssimas, com duas vezes e meia o volume normal de vazão.

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Eu tambem curti fazer o caminho todo, sim, e achei lindo. Mas isso tambem ja tem uns bons doze anos... eekops:

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Mari, a gente fez todo o caminho , e mesmo com menos água do que tinha da outra vez que estivemos em Foz , achamos inigualável !

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Isso é puro espectáculo. Mostra a natureza mais forte, salvagem e poderosa.
Impressiona o poder da água... isto é mais que águas de Março...

Malu
MaluPermalinkResponder

Preciso de uma ajudinha para orientar uma pessoa querida que quer saber qual a melhor maneira para fazer Lisboa ao Porto sem utilizar carro: trem, ônibus ou avião. Serão dois dias Lisboa, dois dias Porto, dois dias Lisboa. Qual o melhor custo-benefício? Procurei nos posts, nos blogs da Dri e da Mô e não encontrei essa informação.

Ricardo Freire

Eu iria de trem, Malu.

Para orçar no dia certo:
Trem: http://www.cp.pt
Ônibus: http://www.rede-expressos.pt

É sempre melhor fazer essas perguntas num post que tenha a ver com o assunto. Dessa maneira a resposta não se perde e pode ser aproveitada por outros leitores.

Todos os dias eu faço a ronda das perguntas feitas não importa em que post. Eu acesso isso na área de trabalho do blog. É muito raro alguma pergunta escapar.

Malu
MaluPermalinkResponder

Claro Riq, até parece que não sei mrgreen . Foi pura falta de atenção: várias janelas abertas pesquisando e acabei colocando a pergunta boiando em águas erradas. Brigadíssimo querido.

Ricardo Freire

OK, bjs!

Leandro BMacedo

A foto com o arco-íris está muito bonita. Quero ela para mim! Rs

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Lindas fotos! Que lugar deslumbrante!
E o salto alto na minha imaginação...é daqueles agulha, que começa a machucar depois de 1km ou menos...moça corajosa :mrgeen:

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Riq, uma ajuda!
Estou com uma semana de folga depois do ano novo, e essas suas fotos me animaram! Pergunta: eu sei que encontrarei as Cataratas cheias de água (ehhh!), mas o calorão de Foz não é desanimador em janeiro, não? Quantas noites você recomenda? E hotel - vale o das Cataratas, ou ficar no centrinho é melhor? Tem que alugar carro, ou dá pra resolver tudo com uma localização estratégica do hotel? Tem algum lugar recomendável da Argentina por perto (na V&T desse mês o povo da 4Rodas recomenda um antigo povoado jesuíta tombado pela Unesco) que valha a pena?
Muito obrigada, desde já - eu imagino que você vá fazer um apanhado geral da viagem, mas é que preciso reservar o vôo - as minhas lombrigas andam impacientes wink

Ricardo Freire

Dani, eu vou abordar todos esses pontos nos próximos posts, mas dou uma prévia pra você.

- Calor: sim, é quentíssimo, abafadíssimo, e tem mosquito. Mas ainda acho melhor ir no calor do que no frio (úmido). Pra mim, a melhor estratégia de ir no calor é justamente ir com tempo, pra não precisar fazer tudo num dia só, e poder se largar um pouco na piscina do hotel. Se a idéia for ficar um pouco no hotel e curtir um pouquinho de verão, vale a pena então ficar nos hotéis fora da cidade. Compare sempre com a tarifa do Hotel das Cataratas; você pode se surpreender.

- Com uma semana, eu faria o seguinte:

Passaria os três primeiros dias no lado brasileiro. Faria as cataratas, o helicóptero, o parque das aves, Itaipu -- e, se o hotel topasse guardar as eventuais compras, o Paraguai também. Carro? Conseguindo uma tarifa interessante, é bom pra não ficar completamente preso no hotel, e poder ir à cidade sempre que tiver vontade.

Atravessaria a fronteira no final do terceiro dia, de táxi, e pegaria um hotel no centrinho de Iguazú. (O melhor é o Panoramic http://panoramic-hoteliguazu.com/site/index.php?lang=por&seccion=habitaciones ; o segundo, o Saint-George http://www.hotelsaintgeorge.com/ ). A cidade é beeem pobrezinha, mas é divertida; tem muitos restaurantes e bares, e um exército de mochileiros, o que torna o ambiente mais "buena onda".

No dia seguinte iria de ônibus público (o El Práctico) ao lado argentino, e passaria o dia lá. Dormiria mais uma noite na cidade.

Na volta, faria o táxi parar no free shop argentino antes de passar no hotel para catar as compras paraguaias e depositar vocês no aeroporto. (Não sai caro, 90 pesos, 45 reais).

Posadas, onde estão as ruínas (que continuam no lado paraguaio, em Encarnación) está a 5 horas de ônibus de Puerto Iguazú. Dá pra comprar em http://www.plataforma10.com. Eu ficaria uns dois dias por lá.

Indo a Posadas, talvez a melhor estratégia seja chegar em Foz e ir direto ao lado argentino, daí continuar a Posadas e deixar os últimos três dias para o Brasil.

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Brigada, Riq!!
O maridinho adorou as dicas, e apaixonou com as suas fotos.
O Hotel das Cataratas está saindo por R$ 565,00 a diária depois do ano novo. Vale a pena? Qual hotel você recomendaria no centro?
Vou já marcar a minha passagem!
Beijo mrgreen

Ricardo Freire

Menos de 300 dólares por esse hotel é um bom preço -- se eles não tiverem mínimo de noites e não te fizer muita falta, um dia e uma noite lá valem por uma lua de mel...

Nâo tive tempo de ver os hotéis do centro. O PêEsse ficou no Mercure e deve comentar sobre ele.

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Riq, aproveitando pra deixar pra consultas depois: tem ótimas dicas de hotéis no seu próprio post: http://www.viajenaviagem.com/2007/09/foz-do-iguacu-pra-angelica/#comments
Brigada de novo! Quando eu tiver coisas mais definidas eu posto aqui, ok? eekops:

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Riq, consegui marcar as passagens - e o Hotel das Cataratas também (ai, ai meu cartão)!
Estou pensando em seguir direto para o lado argentino, ficar dois dias em Iguazu, e depois seguir para as missões jesuíticas, antes de voltar a Foz para o final apoteótico no Hotel das Cataratas.
Alguém sugere algo por perto? Temos três noites nesse meio pra fazer alguma coisa diferente. Pensamos em alugar um carro em Foz. Sugestões??
Brigadim!

Ricardo Freire

Mais diferente ainda? smile Acho que tá ótimo, tô morrendo de inveja dessa viagem...

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Brigada, brigada!
Eu só estou com medo de ficar muito mais-do-mesmo na parte das missões jesuíticas...
Mas acho que tem muuuuita coisa pra fazer em Foz/Igazu, então não vai ter problema! Vamos dia 01.01 e voltamos no domingo seguinte (que eu não dou um olho pra comemorar o reveillon, tânquiu verimate), então teremos tempo.
Riq, as cataratas à noite (pra quem fica no Hotel das Cataratas, que o parque fecha às 18:00 h no verão) são tão lindas quanto eu acho que são?

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Blé - acabei de ver o calendário lunar. Não vai dar pra ver "arco-íris de lua" como eu li em algum site - vou estar no Hotel das Cataratas já na lua mingüante... sad

Camilla
CamillaPermalinkResponder

Riq, uma dúvida curel, vale a pena ir pra Foz no carnaval?
tô louca pra ir e estava pensando se seria um bom escape da folia carnavalesca!! o maridão já topou...
agora só falta seu aval... huahuahau!
beijinhos

Ricardo Freire

Claro que é bom, ué.

O que é ruim no carnaval são lugares pequenos de praia, com estradas engarrafadas e restaurantes entupidos de gente e falta d'água. Foz tem estrutura e não tem cidades grandes próximas. é uma ótima idéia.

Camilla
CamillaPermalinkResponder

brigadinha, já vou resolver hoje mesmo!!

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Bom, eu estava em Foz desde uns dias antes do carnaval, e voltei de lá na segunda (ufa!). Que diferença! O que antes eu fazia em minutinhos, virou um pesadelo - a fila da imigração para a Argentina a partir do sábado ficou desanimadora, cheia de carros brasileiros, e só entrar no Duty Free Shop argentino demorou mais de meia hora. Eu saí correndo quando vi que a fila do caixa dava voltas e mais voltas (o que demorou um bom tempo, também). Na segunda-feira de carnaval, simplesmente NÃO HAVIA gasolina em Puerto Iguazu - com a invasão dos brasileiros, não foi sequer possível encher o tanque do carrinho alugado para devolvê-lo na Argentina (aliás, essa reclamação é constante entre os hermanos: os brasileiros invadem os únicos quatro postos de Puerto Iguazu, e os argentinos ficam vários dias sem gasolina, pois está havendo problemas de distribuição lá).
Resumindo: podendo evitar, vá fora de feriados, que todo brasileiro das redondezas aproveita o tempo livre pra ir visitar a Argentina e o Paraguai, inundando Foz de gente. Mas não tendo jeito, imagino que seja melhor que praia em carnaval, quando falta água e sobra gente...

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Dando retorno da minha viagem - que foi fantástica:
Pousamos em Foz e fomos direto pra Argentina, de táxi. Ficamos dois dias em Puerto Iguazu, uma cidade bem pequena, mas charmosinha (vou deixar meu comentários da parte argentina no post respectivo, pra ficar organizadinho, tá?)
Daí, alugamos um carro (o aluguel ficou mais barato na Argentina, fizemos reserva pela Hertz no Brasil, e o carro pode entrar no Brasil sem problemas, mas não no Paraguai) e seguimos viagem para Posadas, a capital da província argentina de Misiones. No caminho, choveu (já disse que eu atraio chuva?) e não pudemos visitar em San Ignácio, como planejado. Só almoçamos em um restaurante próximo às ruínas, que não parecia nada promissor (chama Carpa Azul, ou algo assim), mas que tinha um pacu na brasa surpreendentemente bom. Seguimos para Loreto e Sant'Ana. Parêntesis explicacional: as missões jesuíticas são cerca de trinta ruínas, na Argentina, Brasil e Paraguai, remanescentes do período de 1630 e poucos até a expulsão dos jesuítas. Começaram no Brasil, na região do Guairá (onde existiam as Sete Quedas), mas foram descendo pro sul pra fugir dos bandeirantes paulistas. Oito dessas ruínas foram tombadas pela UNESCO: no Brasil, só Santo Ângelo, no RS; na Argentina, San Ignácio Mini, Sant'Âna, Nuestra Señora de Loreto e outra mais distante; e três no Paraguai, sendo que Jesús e Trinidad são as mais fáceis de visitar. As missões reuniam os índios guaranis, sendo que sua estrutura física era composta de uma igreja, colégio ou oficinas de trabalho e cemitério, e das casas destinadas aos índios, tudo em torno de uma grande praça comum. Grande parte das antigas cidades - que chegaram a ter até 7000 habitantes, como Loreto - foi abandonada depois da expulsão dos jesuítas (outros religiosos tentaram continuar a experiência, mas não deu certo) ou destruída, principalmente pelos paraguaios, nas guerras pela posse dos territórios.
As missões na Argentina e no Paraguai têm um ingresso comum (por país), que permite a visita às outras missões em 15 ou 3 dias, respectivamente. Na Argentina, o ingresso comum custa 50 pesos, e no Paraguai, 25.000 guaranís (que dá a estonteante quantia de 5 dólares). É só comprar na primeira missão que visitar, e mostrar o ingresso nas demais.
Fecha parêntesis.
Loreto e Sant'Ana são ruínas, mesmo, dentro de uma quase floresta, mas têm guias ótimos, dispostos a passear com você mesmo com garoa. Foi bom conhecê-las primeiro, já que San Ignácio Mini já é mais reconstruída, e a ordem contrária deixaria a comparação injusta. Cuidado apenas com as placas: o que parece ser um outdoor de cada missão é mesmo a placa de entrada das estradinhas que levam às atrações. A estrada para Loreto é horrível, com asfalto cheio de buracos, mas curta.
Fomos dormir em Posadas, que já é uma cidade grande e até que bem bonitinha, na margem do rio Paraná. Ficamos no Hotel Posadas, bem central (não achei nenhum hotel interessante por lá, acabamos escolhendo pela localização mesmo). A costanera (beira-rio) deles é super arrumadinha, com calçadão e vários restaurantes. Recomendamos o Mama Chula, especializado em massas - fica ao lado de uma enorme FarmaCity, que tem de tudo.
No dia seguinte, expedição antropológica ao Paraguai. Você pode contratar um táxi em Posadas (cobram 250 pesos para ir a Trinidad, e 300 para incluir Jesús, para duas pessoas), ou ir com alguma excursão. Preferimos ir de ônibus, pra ver como é. É só pegar o ônibus internacional, escrito Encarnación, que passa no centro de Posadas. O colectivo é muuuuito lotado, mas tem ar condicionado. Pára na aduana argentina, e todo mundo desce pra fazer a imigração, em uma filinha. Você pode pegar o próximo ônibus, com um papelzinho que te dão quando da compra do bilhete, que custa 4 pesos por pessoa. Todo mundo sai da imigração argentina e pega o ônibus, que atravessa a ponte estensa sobre o Paraná. Do lado paraguaio, outra descida, pra fazer a entrada - nos disseram que é necessário fazer a imigração, porque senão, na volta, podem te multar por não ter o tal papelito. Até entre os argentinos da fronteira, o Paraguai tem uma reputação horrível. A fila é demoradinha, mas tranqüila. Toca subir no ônibus de novo, e seguir até a rodoviária.
Chegando na rodoviária, pedimos informação, e fizemos câmbio: o câmbio é um homem com uma bolsa de couro, sentado em uma cadeira na plataforma. Ele te fala o câmbio, faz as contas em uma calculadora pra não ter erro, você dá o dinheiro e ele abre a bolsa e tira de lá as notas de guarani. Trocamos 100 pesos (mais ou menos R$ 50,00) e deu e sobrou. Aí toca procurar o ônibus que vai pra Trinidad. Uma empresa só tinha pra 40 minutos depois, e aí saímos correndo pra pegar um outro ônibus, que já estava saindo. A vantagem é que TODO MUNDO no Paraguai é super simpático, e te explica tudo. Lá fomos nós de ônibus à missão Trinidad.
Uns 35 minutos depois, chegamos à entrada da missão. De novo, um outdoor anuncia a entrada (é só pedir no ônibus, que eles param direitinho). Daí, se caminha uns 500 metros pra entrada do parque. Trinidad é de LONGE, a MAIS LINDA DAS MISSÕES. A igreja ainda tem várias esculturas, algumas com as pinturas originais, e o complexo todo é enorme e bem preservado. Vale a pena toda a peregrinação de ônibus no Paraguai só pra vê-la. Linda, linda, linda.
De lá, volte pra estrada, atravesse, e caminhe uns 100 metros até um posto de gasolina. Lá, ficam uns táxis e uns ônibus lotação esperando chegar gente para ir a Jesús. A passagem custa 1.000 guaranís (cerca de 1 dólar) cada perna. São uns 12 km por uma estradinha simpática até a cidadezinha de Jesús, e o ônibus te deixa na missão, e te espera por meia hora. É tempo suficiente pra essa missão, cuja igreja não chegou a ser concluída, mas que fica num lugar lindo, no alto de um morro (a vista parece coisa digna da Toscana). Voltando à gasolinera, é só esperar no ponto até outro ônibus passar, com destino a Encarnación.
Sinceramente, achamos Ciudad del Este até que bonitinha depois de Encarnación. Esta cidade está de mudança, pois vão fazer uma represa no Paraná, e a parte velha está caindo aos pedaços, e a parte nova parece um monte de conjuntos do BNH (só vimos do ônibus). Compramos uma camisa do Paraguai pra coleção do marido, e voltamos à romaria do ônibus pra Argentina.
Contabilidade final: __ pesos, e muita história pra contar - muito mais antropológico que ir de táxi!
Voltando pra Foz, passamos em San Ignácio Mini, que é a mais visitada das missões, e a mais restaurada. O museu (com ar condicionado, eba!) é bem explicativo, e as ruínas já estão bem restauradas. Há tótens com explicações gravadas na frente de cada construção. Trinidad é beeeem mais bonita, mas San Ignácio é mais fácil de ir, e dá uma boa idéia da magnitude das missões jesuíticas.
A estrada pra Posadas é muito boa, apesar de pista simples não tem um buraco. A região é muito bonita também, e apesar de só vermos o rio Paraná já em Posadas, cruza vários arroyos. Chamam a atenção na estrada os vários altares, com bandeiras vermelhas. Segundo me explicaram, são locais de veneração dedicados a pessoas santas, como o Gaucho Jil (não sei como escreve).
Na volta, seguimos para Foz do Iguaçu.

Ricardo Freire

Que maravilha, Dani! Ouro puro! Vou te mandar um email pra te pedir uma fotinho e transformar isto em post...

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Dani,
Obrigada pelo depoimento! Uma beleza! O Riq vai transformar em post, mas eu já copiei e colei!
Valeu!

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

O nome certo é Gauchito Gil, e esse link tem uma foto do altar com bandeiras que falei: http://en.wikipedia.org/wiki/Gauchito_Gil

(desculpa o testamento, Riq!)

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Ah, corrigindo aí em cima, o preço total da empreitada paraguaia ficou em 4 pesos (ida a Encarnación) + 5 pesos (Encarnación-Trinidad) + 5000 guaranís (extensão a Jesus) de ida, o que dá a estonteante quantia de 18 pesos e dois dólares por pessoa...

Juliana Amorim

Riq, lembro de vc dizendo que não tinha ido a Itaipu. Eu fui e achei muito chato!!! Pra quem gosta de tecnologia, construções e coisa e tal é uma beleza. Mas eu não me enquadro nos itens anteriores e prefiro a emoção do Aventura nautica. Tudo bem , concordo que a construção é Fantastica mas não vale 1h 30 ( quase dormi no video)
Fiquei no Mercure , que não é mais Mercure. ( agora é só Hotel Internacional)
Achei os restaurantes do lado brasileiro caidinhos ,com exceção da super padaria 24h ao lado do antigo Mercure que além de ter WI FI gratuito ( no hotel era R$ 0.50 o minuto) a comidinha caseira baratinha arrebentava a boca do balão. O tal restaurante TRAPICHE indicado pelo $ RODAs é uma roubada, caimos no conto do Rodizio de frutos do mar e tivemos que comer MUITO arroz com peixe (porque não era Paella nem aqui nem n Paraguai)e pagando caro!!! Do lado argentino:
Aproveitamos o AQVA do lado argentino( obrigada pela dica RiQ) e fomos tb ao EL QUINCHO del Tío Querido para as parrillas( só atenção que ele fecha 14h30 e reabre as 19h)(http://www.eltioquerido.com/),encontramos uma loja de vinho bem bacana na Republica Argentina com preços bons.Preferi fazer os passeios para aproveitar o cambio favoravel e não me arrependi. Agora o lado argentino é bem sobe e desce, haja perna e disposição.
Usamos sempre o transporte publico ( de ambos os lados) sem problema algum.A única ressalva é que o ultimo bus sai de Puerto Iguazu para Foz antes das 20h. Fomos a Ciudad del este para ver qual era ( sem comentarios) e usamos para nossa segurança um taxi que nos esperou. o cara não queria nos levar nas lojas que levamos como referencias ( aquelas citadas aqui em um outro post sobre Ciudad Del Este) e para não nos aborrecermos fomos na Monalisa que era facil de encontrar.
E sobre a moça da foto de salto alto: EU VI UMA DE SALTO MAIS ALTO!! ( Desses sapatos de grife que tem sola colorida?!) ia tirar foto mas não deu tempo. Fiquei meio paralisada!! Ui ui

Agostinho Couto

Juliana, gostei do passeio em Itaipu (visita panorâmica), mas decidi pular o filme; acho que isso me favoreceu, não é?

Natália M Gastão

Cheguei de Foz na semana passada! Em primeiríssimo lugar, quero agradecer por todas as dicas! Foram imprescindíveis para o sucesso da viagem!
Troquei o Macuco Safari pelo Aventura Nautica, que literalmente dá um banho, a gente fica embaixo das quedas dos 3 Mosqueteiros e chega mto próximo à Garganta del Diablo, área que os brasileiros não chegam. Adorei o lado argentino!
No lado brasileiro, fiz o rapel de 55m de altura - INCRÍVEL!!! Fiz o rafting pelo Rio Iguaçu com os barquinhos do Macuco passando pela gente. O visual é fantástico e valeu mto à pena.
E já que o sobrevôo foi classificado por vc como imperdível, juntamos os últimos tostões e sobrevoamos! Realmente é imperdível!! Valeu cada centavo!
Agora, aproveitando o post da Juliana Amorim, experimentei o "Trapiche" indicado pelo Guia 4 rodas, preciso dizer que adorei, isso mesmo adorei o Surubi Grelhado ao molho de alcaparras. Não quis comer o rodízio, pois o próprio guia dava a dica de comer os peixes da região, então pedi a la carte, nunca comi um peixe tão farto. Recomendo, mas à la carte.
Além disso, tb fui a Itaipu, curti bastante, para a minha surpresa, já que sou mais fã das belezas naturais. Um dos vertedouros estavam abertos, magnífico.
Para fechar, fui num Templo Budista muito interessante, próximo a Itaipu, mas que precisamos do taxi, pq era meio escondido. Porém o lugar é grande, cheio de estátuas, surpreendente.
De resto, td em ordem! Valeu mesmo pela ajuda!

Natália M Gastão

Só para fechar, todos me perguntaram qual o melhor lado, na minha opinião, os dois se completam, é fundamental visitá-los! Cada um terá a sua impressão!

Alê
AlêPermalinkResponder

Olá Riq,

Estamos indo para Foz em 2 semanas e as dicas estão anotadíssimas. Li em algum lugar que, se vc escolher o lado certo do avião, pode até dispensar o passeio de helicópter (afinal para 1 casal + 2 crianças o preço é nas alturas). Alguém saberia me dizer se ficamos do lado direito ou esquerdo?
Obrigada,

Paula_A
Paula_APermalinkResponder

Olha, não dá pra dispensar o passeio do helicóptero achando que a vista do avião é a mesma coisa. Não é. Nem tem como ser.
Fiz o passeio de helicóptero e, meu, vale cada centavo. A minha dica pra dar uma "aliviada", caso queira fazer um esforço e ir, já que é mesmo imperdível, é comprar antes. Na hora saía R$ 180,00. Antes, saiu R$ 170,00 e pudemos parcelar em 3x. Sei lá, é umas.

André L.
André L.PermalinkResponder

Lado esquerdo. Mas atenção: se o avião inverter a aproximação e pousar pela outra cabeceira, vc passará meio longe... Do lado direito dá pra ver Itaipu, que é gigante.

Palpite meu: a vista do alto de Itaipu impressiona mais do que a das Cataratas.

Alê
AlêPermalinkResponder

Obrigada, vou reservar a ida do lado direito e volta do esquerdo. Valeu pela dica!

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

É isso mesmo, Alê. De todo jeito, se o avião inverter a aproximação, dá pra tentar dar uma espiada - e mesmo do lado errado, dá pra ver de longe o buracão...

Bruno Gobbato
Bruno GobbatoPermalinkResponder

Mais fácil ver Itaipú do que as Cataratas, isso porque todas as STAR (cartas de chegada) FOZ1 e FOZ2 bloqueiam o NDB de Itaipú. Para ver as Cataratas, será mais ao longe, e vai depender do vento, melhor pedir ao comissário que pergunte ao comandante se a aproximação será pela 14 ou 32 e verificar o melhor ângulo.

Sorte!

Ale
AlePermalinkResponder

Ola, Acabamos de voltar de uma viagem MARAVILHOSA de 3 dias para Foz. Confesso que a ideia inicial foi aproveitar uma promocao de pontos da TAM e " ticar" Foz da minha listinha ja que e' uma visita obrigatoria para brasileiros & gringos. Qual nao foi minha surpresa em descobrir que essa viagem ficara entre as minhas favoritas. Que espetaculo sensacional!!! Deixo aqui um breve resumo e nossas dicas. Fomos eu, meu marido e nossos dois filhos de 5 e 8 anos. Pegamos um voo bem cedo da TAM o que nos permitiu aproveitar a 6a feira. Optamos pelo hotel San Martin e, sem duvida, foi uma otima escolha. Eles nos buscaram no aeroporto (que fica a 5' do hotel). O hotel possui apartamentos conjugados com um banheiro que foi uma otima opcao para nossa familia. Pouco depois de chegar fomos ao Parque das Aves que fica a poucos metros do hotel. O Parque e' uma experiencia unica, afinal quem ja acariciou um tucano ou pegou uma arara? Alem dos milhares de exemplares de passaros conhecidos e nao. E para quem nunca viu jacare, tambem tem um pequeninho. Almocamos no proprio Parque das Aves, a lanchonete e' fraquinha, mas foi uma opcao barata e rapida. Voltamos para o hotel, brincamos um pouco no campo e combinamos com um motorista que nos levou a Itaipu (R$ 90,00). Infelizmente os passeios em Itaipu dificilmente podem ser combinados (os horarios nao batem) e como e' longe e caro para voltar ficamos sem coragem. Mas o passeio panoramico valeu a pena e os meninos tambem se divertiram. Na volta o nosso motorista nos levou ate a cidade onde jantamos e regressemos ao hotel. No dia seguinte, sabado, partimos para as Cataratas (lado brasileiro) como recomendados (fazer primeiro). Tambem fomos a pe do hotel. Chegamos no parque interessados no passeio da Trilha das Bananeiras, mas acabamos descobrindo que poderiamos fazer a da Trilha do Poco Preto. Eu, meu marido e meu filho mais velho fizemos a trilha de bicicleta (bem tranquilo e em algumas subidinhas era so empurrar), enquanto nosso filho mais novo foi logo atras no jipe. No caminho vimos macacos e passaros. A trilha tambem inclui um passeio de barco. Voltamos depois de 4 horas e almocamos no restaurante principal que apesar de nao ser grande coisa foi uma otima opcao em funcao do cansaco e fome. Ate ai ainda nao tinhamos visto as Cataratas e ja tinha valido a pena. Fizemos o caminho das Cataratas ao contrario, de baixo para cima, e acho que ter o primeiro impacto bem proximo foi bem bacana. As Cataratas sao lindas e tem muito mais agua do que se pode imaginar. Fizemos o caminho de volta " ao contrario" nos despedindo daquela maravilha. No terceiro dia fomos ate a Argentina com um motorista que ficou conosco o dia todos por (R$ 200,00). Ao contrario da maioria dos outros depoimentos achei o parque bem organizado. Como ja dito anteriormente, o lado Argentino realmente e' mais bonito que o nosso. Como disse um amigo, e' porque tem a vista do lado brasileiro smile. Seguimos de trem para a Garganta do Diabo. Mais uma vez a opcao foi do grande para o pequeno, chegar e depois se afastar. A Garganta do Diabo por si so ja justifica a viagem. Em seguida fizemos o Circuito Superior e almocamos em uma lanchonete. De la seguimos para o GRAN AVENTURA. O passeio de barco e' imperdivel. Apesar de frio, e eu odeio agua fria, foi uma das melhores experiencias. Nos divertimos muito. A unica duvida foi se deveriamos ter optado pela Aventura Náutica. Vale checar se o percurso de barco e' o mesmo pois se a unica diferenca foi o passeio de caminhao, sugiro escolher a Aventura Náutica que e' mais barata. Como ja estava tarde fizemos o Circuito Inferior rapidamente, mas o suficiente para uma despedida em grande estilo. As 6pm fomos jantar em uma churrascaria de Puerto Iguazu, ops, churrascaria nao, parillada. E para finalizar demos uma passada no Free Shop. Achamos o free shop completamente dispensavel, mas certamente a unica coisa dispensavel. Na 2a feira voltamos logo cedo direto para o trabalho, mas felizes e renovadps.

Renato Soares
Renato SoaresPermalinkResponder

Boa Tarde!

Pretendo ir a Foz no dia 03 de Novembro em uma viagem de 3 a 4 dias. Quero conhecer o lado Brasileiro e Argentino principalmente. Conhecer algum restaurante argentino e fazer umas compras.

Minha duvida é: Sou de Sao Paulo e estou na duvida se vou em um pacote tipo CVC, compro tudo a parte (Passagens, Hotel) ou vou de carro? Dicas serão de grande valia! Obrigado!

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalinkResponder

Renato Soares: de SP dá para ir a Foz das 3 maneiras (pacote ou por conta, de carro ou avião).

Eu (sou de Curitiba) iria de avião e lá seguiria as dicas que você encontra nos posts e nos comentários, escolhendo entre: alugar um carro, alugar um serviço de traslado para tudo (os taxistas se oferecem para passar o dia com vc) ou fazer tudo de ônibus. Fui em março, escolhi um hotel central (Bella Itália, reservado pelo hoteis.com) e fiz tudo de ônibus (Cataratas de ambos os lados, Mosteiro Budista, Paraguai - não fui a Itaipu, mas quando voltar já até sei como chegar de ônibus). No terminal central há um quiosque com informações turísticas que é precioso - passe por ele mesmo que não vá usar o transporte coletivo). Só para os traslados hotel-aeroporto não fiz de ônibus (mas é possível) - o hotel oferecia transfer na chegada e na volta o táxi saiu uns 35 reais.

No meu caso saiu muito barato reservar por conta o hotel, as passagens (achei uma promoção boa da Gol) e rodar a cidade de ônibus.

A CVC oferece pacotes baratos (a partir de 528 reais, 3 noites), mas eu, no seu caso, orçaria com a agência e tentaria cotar por conta (passagem + hotel).

Uma dica que me foi útil e repasso: comprar as entradas dos parques antes, em agência local, compensa. Usei a Loumar, que inclusive oferece pacotes a partir de SP (com aéreo) ou só terrestres. Só não fechei o hotel com a Loumar porque eles insistiam que não havia mais vagas no hotel ao mesmo tempo em que eu via diversas opções pelo hoteis.com (a agência trabalha com um número x de vagas).

Mayse
MaysePermalinkResponder

Oi! Será que alguém pode me dar umas dicas? Eu e mais 11 pessoas da minha família vamos passar o feriadão de Finados em Foz. Adorei este blog, e dele tirei muitas informações úteis. No nosso planejamento de viagem, falta agora saber onde jantar. Num dia, iremos ao jantar-show da Churrascaria Rafain. De típico, já é suficiente. Vi alguns bons comentários sobre a Pizzaria Vó Bertila. Vocês conhecem? Tem outras sugestões? Obrigada!

Ricardo Freire

Nossa sugestão é vocês jantarem uma noite em Puerto Iguazú mrgreen

Agostinho Couto

Acabei de voltar de Foz (cheguei ontem), junto com minha esposa. Achamos excelentes o Parque Nacional de Iguaçu e as Cataratas e o passeio panorâmico em Itaipu, sendo que em ambos os casos havia muito mais estrangeiros que brasileiros aproveitando os passeios. Nos dois casos, a estrutura é boa e há uma organização bem superior à grande maioria das atrações turísticas brasileiras que conheço (e visitei muitas...). O passeio do Macuco Safari é imperdível. Em Puerto Iguazu, almocei no El Quincho del Tio Querido, onde o Bife de Chorizo valeu a pena; o Free Shop é um pouco fraco, mas a área de perfumaria e bebidas tem preços convidativos. Ficamos hospedados no Continental Inn, como parte de um pacote (aéreo + hotel), que é quatro estrelas e fica perto do único shopping center de Foz; os quartos são amplos e confortáveis e o café da manhã, bem variado. Recomendo a ida a Foz, independente das compras no Paraguai, para conhecer essa maravilha que são as Cataratas do Iguaçu.

Iguazu in love » Buenos Aires, queridos.

[...] nas Cataratas, seguimos à risca o que o pessoal falou aqui. Acho que tem que ir mesmo ao lado brasileiro e argentino (nessa ordem). Um dia para cada parque. Nada de Itaipu, Paraguay e outras cositas [...]

Silvia Soares
Silvia SoaresPermalinkResponder

Apenas um alerta aos trips: nas trilhas,não basta não alimentar os quatis. É importante tb não se alimentar, nem carregar alimentos. Vi duas pessoas serem atacadas por esses animais, domingo passado, inclusive meu filho de 3 anos, que estava chupando um picolé (bem longe dos animais, por sinal). O animal surrupiou o picolé do meu filho e uma sacola de farmácia - onde havia chocolate - que estava com uma moça. Embora os arranhões tenham sido leves, os quatis podem transmitir raiva (100% letal) e será necessário tomar vacina (no caso do meu filho, 5 doses). Só depois vi que são recorrentes na internet relatos de ataques desta espécie, inclusive com decisões judiciais contra o parque.No posto de atendimento do parque, disseram-me que não era necessária a vacinação,mas tanto o pediatra do meu filho quanto os dos hospitais da Unimed e do SUS de Foz, recomendaram vacinação em 24H! Portanto,não carreguem alimentos no parque e não confiem no atendimento do posto de lá! No mais, o parque é MESMO uma das maravilhas do mundo!

monica barbosa

fui a foz neste feriado de 15 de novembro de 2011, é imperdivel!!! lindaviagem!! gostaria de indicar um casal que fez o meu transfer e me ajudou nos passeios, nos eramos 06 pessoas entre elas 04 idosos e foimaravilhoso!!! o nome deles são santina e arlindo e os telefones ARLINDO:
45 91339412 VIVO
45 99749636 TIM
45 88333700 CLARO
SANTINA:
45 91019412 VIVO
45 99258651 TIM
FIXOS:
45 35296198
45 30290302
vale muito a pena!! eles foram maravilhosos e eu adorei a minha viagem!!!!

João Olavo
João OlavoPermalinkResponder

O tempo passa, mas as pessoas continuam viajando pra Foz do Iguaçu! Eu irei nesse feriado de Corpus Christi.

Então aí vai a minha dúvida: dá para pagar o ingresso para o parque usando cartão de crédito?

E quanto ao parque argentino e ao passeio do Aventura Nautica? Dá pra pagar com cartão de crédito internacional? Se somente em dinheiro, aonde eu troco o Real pelo Peso? Casa de câmbio argentina ou brasileira?

A mesma dúvida para o passeio em Itaipu: dá pra pagar no cartão?

E, por fim, quanto a descontos: devo comprar os ingressos adiantados pela internet, ou pago tudo no guichê dos passeios? É o mesmo preço?

Agradeço desde já!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, João Olavo! O lado brasileiro aceita cartão; o argentino só aceita pesos. Você pode comprar os ingressos das atrações lá mesmo. Itaipu é com as agências. O câmbio você faz no centro de Puerto Iguazú ou em Foz.

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Para quem tem cartão Itau, do lado brasileiro tem desconto de 50%, ok?

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Itaipu aceita cartão, sim!

João Olavo
João OlavoPermalinkResponder

Ótimo! Minha esposa tem! Obrigado, Amélia. Assim que voltar, publico os custos que tive nos parques, ônibus, taxis, etc.

João Olavo
João OlavoPermalinkResponder

Seguem algumas informações referentes a minha própria pergunta, depois que fui nos locais nesse feriado:

Parque Nacional do Iguaçu (BRA): cartão de crédito ou Real
Cataratas del Iguazú (ARG): somente Peso (troque Real por Peso na rodoviária do centro de Puerto Iguazú). Mas dentro do parque, aceitam cartão para compras de comida ou lembranças.
Parque das Aves: somente dinheiro (Real ou Dólar)
Puerto Iguazú: o mercado da cidade aceita Real ou Peso (conversão 2 Pesos para 1 Real)
Itaipu: aceita cartão ou Real
Ciudad del Este: cartão, Real ou Dólar

Alex Balint
Alex BalintPermalinkResponder

o passeio das cataratas Brasil esta 24,90 pra Brasileiros e aceita cartao.
o almoco no Porto Canoas, dentro do Parque Brasileiro, esta 45 por pessoa.
Macuco 140 e e' imperdivel.
o passeio nas cataratas Argentina esta 90 pesos e so' aceita peso. o cambio voce pode fazer na aduana mesmo.

cuidado com os Quatis, nada de ficar comendo no parque.
curtam o visual !

Aline Santos
Aline SantosPermalinkResponder

ola Ricardo!
muito bom seu site! Parabéns! estarei viajando para Foz agora em Março, e minha pergunta é se vc acha se dá para fazer o passeio de barco (do lado brasileiro e argentino) com uma criança de 4 anos.... estarei viajando com o pequeno, mas gostaria de aproveitar tudo o que me fosse possível nessa situação.... grata

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! O passeio brasileiro é bem mais seguro e calminho do que o argentino.

Vanessa e Walter

Olá pessoal! Venho lendo os posts e comentários há uma semana, e hj, c/ meu roteiro quase pronto (Vamos no Dmg de carnaval 10/02 (um casal c/ carro alugado lá), e voltamos quinta p/o RJ,vôo 15h), tomei coragem p/ escrever e tirar umas dúvidas: 

Só teremos como "fazer as Cataratas" por 1 dia (isso será na Terça,feriado), sei que não recomendam, mas como tds falam que o lado BR é mais rápido e fácil, faremos ele primeiro (+Pq.das Aves) e depois o Argentino (e de lá passaremos no DutyFree p/ conhecer e jantar). Li em alguns lugares que leva 1h30 no lado Br + 1h30 que é a duração do Pq.das Aves...conseguiríamos sair 12h/13h p/ o lado ARG (lanche rápido no carro, optamos por investir no jantar, já que é uma unanimidade o desagrado de opções e preços de almoço e lanche lá: críticas sobre almoço (e tb lanche) no Porto Canoas e em outro restaurante de lá, tb lanchonete do Pq.das Aves e até mesmo restaurante do lado ARG!). Lá no Lado ARG é que temos muitas dúvidas: Li que os 3 percursos completos levam 5hs (Garg. do Diabo, Inferior e Superior)...

?...ALGUÉM SABE SE PROCEDE? Se sim, como não queremos ficar andando de 13h as 18h, escolheríamos apenas 2 dos 3 percursos, que seriam: Garganta+Inferior, sendo que, isso diminuiria o tempo gasto, então acrescentaríamos o passeio de barco (creio que seja no fim do percurso inferior)...

...Qual o melhor e qual a diferença do Grand Aventura p/o Náutico? Procurei e nao achei. Queremos mt fazê-lo! smile

Faremos um passeio bem turístico/Fotográfico(pois estamos estudando fotografia)/Romântico(mesmo só parando mt pouco nos hotéis, tivemos q reservar 2 diferentes, pq o Bella Italia lotou p/os 2 primeiros dias, ficaremos tb em um+simples(e foi o msm preço é mole?! o Village ou Vila Canoas,acho,tb tem ar,cofre e frigobar). Portanto nosso foco N são as compras. Infelizmente Ñ pudemos encaixar visita as ruinas, queria mt fotografar la,mas sao 200km, oq demandaria + 1 dia inteiro! Uma pena mt grande :'( Ficará p/ próximo retorno.

O restante da viagem inclui: Ida ao Zoo (pois, o primeiro hotel é mt perto,e tb ao Mercado Muffato JK: água,biscoitos,etc,e almoco na churrascaria do Gaucho, recomendada e custa apenas R$ 20,50, alguem conhece??? Talvez iremos tb a Ig.Matriz e Feirinha de Artesanato,o passeio ao Marco das 3 fronteiras foi descartado, devido a relatos recentes sobre más condições na estradinha de terra :-\ alg foi recentemente?); Dia de compras no PY , saindo de lá as 15h; Ida a Puerto Iguazu, feirinha após 16h e jantar no El tio (c/ show de tango as 20h) e de lá esticar num Cassino (vi que tem um próximo, mas ainda nao sei em qual iremos); Dia na Usina de Itaipu (escolhemos o Circuito Especial, uma pausa p/ lanchar e passar no Templo Budista, e depois retornamos p/ o passeio do Refúgio Bella Vista - o horário nunca bate certinho, entao vamos fazer hora fotografando o Templo, fechamos o dia c/ pôr-do-sol no Lago Itaipú e jantar Italiano no segundo Hotel,somente as quartas,no Bella Italia (recomendadíssimo! assim como, seu café da manha farto e variado c/ + de 100 itens).Para o dia da volta, quinta, vamos conhecer a Mesquita, e lanchar ou almocar se der por ali, dizem que tem uma rua árabe, nao sei bem se ali, que tem lojas, doces, lanchonetes e restaurantes árabes, tomara que encontremos!

Oq acham? Alguem sabe responder as duvidas? Obrigada pela ajuda!
(Parabéns pelo Blog Ricardo! É perfeito!)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vanessa e Walter! Agradecemos os elogios, mas vocês devem ter lido o site em leitura dinâmica -- na mesma velocidade máxima que vocês querem zunir por Foz do Iguaçu.

É im-pos-sí-vel fazer os dois lados do jeito que vocês estão pensando num dia só. Para o lado argentino vocês só terão tempo de fazer o circuito até a Garganta do Diabo. Uma hora tem 60 minutos dos dois lados da fronteira.

Um dia para cada lado (o dia brasileiro pode ser combinado com o Parque das Aves) é o mínimo dos mínimos.

Leia sobre o lado argentino:
http://www.viajenaviagem.com/2009/12/iguacu-el-lado-argentino/

(O Aventura Náutica é mais curto que o Gran Aventura.)

Vanessa e Walter

Hahahaha...Bahhh, Tenho q ler isso p/ o maridão!
Obrigada pelos esclarecimentos! Já tivemos q descartar as ruínas, vms ver oq faremos p/terminar esse bendito roteiro (já compramos "Itaipu",só esse dia q Ñ posso mexer)
Mas, e as infos. dos horários de duração do passeio lado Br, procede? (1h30+1h30=3hs) ASSIM vejo oq dá p/ encaixar nesse dia. Vamos no Aventura Náutica então, no dia ARG, pois,é+barato wink

Alguém aqui tb estará lá nesse Carnaval???

(Dica: No site do ITAÚ clt paga 1 ingresso c/ 50% de desconto nos passeios, não vendem p/o Refúgio, p/esse ligamos p/lá e reservamos no horário.)
(Dica 2: Clt Itaú Personalité aluga carro c/desconto de 20% no site da Hertz, que pode ir c/ele p/a ARG.)
(Dica 3: Clt Ipiranga/km de vantagens, tem desconto 10% em alguns hotéis de rede no Hoteis.com, a partir de 2 diárias.)
(Dica 4: Baixe o App do Hotéis.com e do Booking, nesse ultimo é mt comum ter "oferta smart" apenas no App, no site tem outro valor)

Muito Obrigada!

Aline Santos
Aline SantosPermalinkResponder

onde são essas ruínas? vale a pena a visita?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Ficam na fronteira de Paraguai e Argentina. A melhor base é Posadas. Requer de dois a três pernoites.

http://www.viajenaviagem.com/2010/02/pra-la-de-iguacu-missoes-paraguaias-e-argentinas-por-dani-s/

Meu site de viagem

Olá, Nossa! que dicas fantásticas e imagens maravilhosas!
Já fui para lá, em janeiro do ano passado é realmente espetacular!
Visite meu site! http://www.viajarecultura.com/foz-do-iguacu-pr

fatima
fatimaPermalinkResponder

Como são os passeios para cadeirante?
Estou de viagem em dezembro e meu filho mais velho e deficiente fisico e, estou peocupada em relação a acessibilidade. abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fatima! O lado brasileiro é bastante acessível. O lado argentino dá um pouco mais de trabalho, porque as passarelas são bem mais longas, mas é possível de visitar, sim.

Marcelle
MarcellePermalinkResponder

Pessoal,
Alguém á fez a tilha do Poço Preto, no lado brasileiro? Terei pelo menos 3 dias inteiros para ver p lado argentino + o lado brasileiro, quero decidir que passeios adicionais fazer. Vale a pena ps quase 130 reais q estao cobrando?
Abs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelle! Recomendamos dois dias para o lado argentino, há muitas trilhas interessantes para fazer por lá, inclusas no preço de entrada.

Valeria
ValeriaPermalinkResponder

Parabéns por tantas informações boas! Pretendo ir a Foz em agosto e sozinha. Vc acha que é um problema pra fazer os passeios, circular por lá? Abraços!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Valéria! Viajar é sempre bom. Viajar sozinho não é para todos, mas tem gente que adora. Se você não se incomodar, vá e se divirta!

Para dicas de como viajar sozinha, veja: http://www.viajenaviagem.com/seu-estilo/solo/

Mércia
MérciaPermalinkResponder

Olá boa noite,
Vou para Foz com 4 noites ficarei no Florença Iguaçu Hotel que fica na Rodovias das Cataratas Km 16.7, e gostaria de fazer todos os passeios com o transporte coletivo da cidade, será que tem como? , porque já vi que o Hotel fica distante do centro da cidade? Por favor me dei umas dicas Bjs e obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mércia! Pergunte no hotel qual é a parada mais próxima. Há ônibus que percorrem a Rodovia das Cataratas entre o Centro e o parque brasileiro.

Leia:
http://www.viajenaviagem.com/2014/03/foz-do-iguacu-dicas-transporte-onibus/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar