8 coisas que você não deve esperar a próxima viagem para providenciar

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Certificado internacional de vacinação

Tomar vacina contra febre amarela

Outro dia uma alma aflita me procurou no Twitter porque tinham informado na Gol que era necessário certificado de vacinação contra febre amarela para viajar a Barbados. Eu respondi que não sabia disso, e que ninguém, em nenhuma das seis ilhas que visitei nesse giro pelo Caribe (incluindo Barbados), procurou pelo certificado no meu passaporte (eu tenho, válido até 2013).

Logo em seguida a coisa se esclareceu -- o certificado seria necessário para quem saísse da Região Norte. Mas essas coisas são obscuras, mesmo. De vez em quando aparece gente que fala da necessidade de vacina contra febre amarela para ir à Colômbia. Quando fui à Venezuela, em 2003 (fazer a foto da Bóia, haha), precisei da vacina -- mas não que a Venezuela exigisse. Voltei via Manaus, e a vacina seria necessária para voltar ao Brasil. Ou pelo menos foi assim que me explicaram.

Por essas e por outras é que eu sempre digo: pessoal, bora tomar a maldita vacina antes que seja necessário. É só passar num posto da Anvisa. É preciso se cadastrar no site da Anvisa (obrigado, Adolfo!); no cadastro você saberá quais postos estão aptos a aplicar a vacina.

A vacina só começa a valer 10 dias depois de tomada -- mas depois continua válida por 10 anos. É melhor tomar agora, que você não precisa, do que cair nesse papo-aranha, em que muitas vezes a gente topa com um funcionário mais realista que o rei, que descobre pêlo em ovo e outros lugares-comuns ainda piores.

A exemplo da vacina da febre amarela, há várias providências que você não deveria esperar pintar uma viagem para tomar:

Ter um passaporte com mais de 6 meses de validade

Alguns países só permitem a entrada de visitantes com passaporte válidos por pelo menos 6 meses depois da chegada. Não é o caso, por exemplo, dos Estados Unidos, que deixam você entrar mas limitam a permanência à validade do passaporte. Mas quem diz que todo atendente de check-in sabe disso? Em alguns aeroportos a moça não vai deixar você embarcar. E a fila do check-in não é o momento mais adequado para discutir legislação. Então não deixe o seu passaporte ficar próximo de vencer. Agende a renovação o quanto antes -- até porque ultimamente a coisa anda enrolada.

A propósito: ter um passaporte

Muita gente aproveita o fato de poder viajar para os países do Cone Sul com carteira de identidade para não fazer passaporte. Na minha opinião, é um erro. Quanto mais carimbos você tiver no seu passaporte, mais tranqüilo é passar pela fronteira de países com imigração encrenqueira. E a tal da carteira de identidade sempre corre o risco de ser recusada por atendentes de check-in ou funcionários de aduana que não achem que você é a mesma pessoa daquela foto de onze anos atrás. Passaporte já!

Visto americano

Não espere aparecer a oportunidade de viajar para os Estados Unidos para solicitar seu visto. Na última hora é um deus-nos-acuda -- o Brasil inteiro está querendo visitar a Flórida. À diferença do que muita gente pensa, não é necessário ter viagem marcada para pedir ou renovar o seu visto americano. Se você não mora numa cidade com consulado americano, fazer antes de precisar faz ainda mais sentido: você aproveita um feriado local ou pede uma segunda ou sexta de folga e faz uma viagenzinha a São Paulo, Rio, Brasília ou Recife para fazer o visto. Às vésperas de viajar, além de difícil de agendar, o procedimento acaba encarecendo a viagem aos Estados Unidos. Antes de precisar tirar o visto, dá para contabilizar o gasto como uma viagem de lazer. Agende já!

Mala boa

A gente só se dá conta de que está precisando de uma mala decente na hora de viajar. Mas aí costuma ser tarde demais. Aproveite a entressafra entre viagens e invista naquela mala bacana de quatro rodinhas (minha recomendação: compre o tamanho médio, de 65 cm de altura com a mala na vertical). Mala boa custa caro, e é bom você fazer esse crediariozinho meses antes de viajar.

Adaptador universal de tomada/cadeado TSA

Dois itens indispensáveis, e que na última hora são complicados de conseguir. Da próxima vez que você fizer compras online, procure esses dois itens e inclua na sua cesta. Poucas coisas são mais chatas do que chegar num lugar e ter que ir atrás de adaptador (pela lei de Murphy, a recepção do seu hotel sempre vai ter acabado de emprestar o último dos adaptadores do estoque).

Pay Pal

Para alugar apartamento ou fazer reservas com fornecedores alternativos, um PayPal (sistema internacional de pagamento entre contas de cartão de crédito) é fundamental. Demora algum tempinho, porém, até que a sua conta seja verificada e validada. Por isso, não espere precisar para abrir uma. Leia como fazer isso neste post aqui.

Esqueci alguma coisa? O que você recomenda que não se espere até a véspera da viagem para providenciar?

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


476 comentários

AR
ARPermalinkResponder

Tomei a vacina num posto de saúde, sem burocracia alguma e de graça. No aeroporto de Guarulhos, passei na Anvisa que me deu o certificado internacional na hora (semelhante ao da foto acima). Sem crise! Só reclamaram do número do lote estar incompleto.
Ah! A vacina não dói.

Paulo Torres
Paulo TorresPermalinkResponder

Sobre adaptadores de tomada: adaptadores "universais" não incluem o padrão sul-africano de tomada. Mas em qualquer supermercado por lá compra-se um adaptador adequado, por algo entre 10 e 50 rands (entre 3 e 15 reais, aproximadamente).

Natalie
NataliePermalinkResponder

Esse post é um tesouro. Mais mastigadinho do que isso, só se você viajar no nosso lugar razz E esses detalhes são realmente muito importantes de serem resolvidos com calma mesmo.

Quando tomei a vacina da febre amarela, precisei ir até o posto da Anvisa em Viracopos para conseguir fazer a carteirinha internacional de vacinação. Mas foi tudo bem tranquilo.

Ermesto, o pato

+ 1 na lista: carteira de motorista em dia, e internacional, se pretender alugar carro.

Natalie
NataliePermalinkResponder

Bem lembrado, Ernesto. Sofri para conseguir a carteira internacional aqui em Valinhos porque o pessoal do Detran não estavam acostumados a emitir esse tipo de documento. Cidade pequena tem dessas coisas...

Marcus Castro
Marcus CastroPermalinkResponder

Pra quem é mineiro, uma moleza a carteira internacional: você emite a guia de pagamento pela internet, paga pela internet, e eles enviam para seu endereço a permissão internacional com a mesma validade da sua carteira.

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Emite onde?? Envia pra onde?? (Eu quero!!)

Marcus Castro
Marcus CastroPermalinkResponder

Entre no site do detran mineiro e clique no Permissão Internacional para Dirigir. Eles vão enviar para o seu endereço cadastrado (se a sua carteira for de MG), mas se você tiver se mudado dá pra fazer a alteração pelo site mesmo. Paguei 97 reais por tudo.

Eneida
EneidaPermalinkResponder

Obrigada! Vou já providenciar a minha.

Ricardo Freire

Boa. Preciso seguir essa.

Cristiana
CristianaPermalinkResponder

Gente, mas a carteira internacional de motorista não é exigida no país de destino. Salvo engano, só a Coréia do Sul exigia esse documento específico para alugues de veículos. A CNH, na validade, é o suficiente.

Alguma informação diversa?

Abraços,

Ricardo Freire

De veeez em quando aparece alguém para dizer que numa locadora da França ou da Alemanha estão pedindo.

Mesmo que as locadoras não peçam, a PID (permissão internacional de dirigir) é bastante útil caso você precise se entender com a polícia. Eu ainda não tenho a minha, mas vou fazer.

Lena
LenaPermalinkResponder

Oi Riq! Chato fazer pergunta repetida, mas é que realmente não pensei em fazer a tal da carta internacional antes. Embarco 6a pra França. Chequei algumas locadoras e vi que algumas pedem a carta internacional, outras não. Quem vai providenciar o aluguel são minhas amigas de lá, portanto eu seria a terceira motorista. O valor que mencionam aí em cima, R$95, é diferente do valor do Detran de SP, R$180. E não vi no site do Detran a possibilidade de receber a guia para pagamento pelo correio. Alguém tem informação de SP?

Ricardo Freire

O post específico disso é este aqui:
http://www.viajenaviagem.com/2010/09/habilitacao-internacional-precisar-nao-precisa-mas-e-bom-ter/

Não voltei para ver lá agora, mas acho que precisa ir ao vivo e a cores.
Mesmo com a pid na mão, é preciso viajar com a habilitação nacional.
Repito: ainda não vi ninguém deixar de alugar carro por falta de pid...

Adriana Pessoa

Voltando à polêmica das complicações pós-vacina, já que contei aqui sobre uma meningite que tive após tomar a vacina de febre amarela. Os riscos são baixos de uma reação, mas eles existem. E aconteceu comigo. Discordo totalmente da Rafaela. Levei o maior "pito" da médica por tomar vacina sem necessidade. Não estava indo viajar para uma área de risco, nada disso. Sou esposa, filha e irmã de médicos, e assim como eles, TODOS os médicos neurologistas com quem conversei na época,e que me atenderam concordam que essa vacina deve ser tomada somente em caso de necessidade, um surto da doença ou viagem para onde é necessário.

Ricardo Freire

Adriana, é melhor ter uma reação sem ter uma viagem à vista do que ter uma reação na véspera da viagem.

Qualquer pessoa que pretenda ir nos próximos 10 anos a Peru, Bolívia, África do Sul, Panamá, Colômbia, norte e centro-oeste do Brasil ou Sudeste Asiático vai precisar da vacina.

Sem falar que ano retrasado houve surtos no Sul e no Sudeste.

Lot
LotPermalinkResponder

Pois então, meu médico infectologista sempre foi da opinião que é melhor tomar mesmo sem viajar, até porque no interior de SP, pertinho de Brotas, macacos contaminados com a doença foram encontrados.

Sei que não existe vacina/remédio etc. 100% seguro, mas eu prefiro o risco da vacina. Como informação trivial, o mosquito que transmite febre amarela entre humanos é o mesmo da dengue (aedes aegypti) e não o outro que transmite a malária.

Se na sua região tem dengue, vc corre risco.

ana carolina
ana carolinaPermalinkResponder

"pretenda ir" = ou passar em conexão. A exigência é mesmo para quem não vai sair do aeroporto - tive que tomar para ir a Cuba porque tinha conexão no Panamá.

Cinthia Rangel

Adriana,
Tb sou filha de médico neurologista e tenho irmã e cunhado médicos, sendo esse último neurocirurgião. A orientação deles é exatamente o contrário da sua: é melhor prevenir e tomar a vacina a não tomá-la.
Eu, em todo caso, tomei, já que houve surto aqui no RS em 2008.
Ab,
Cinthia.

Vinícius
ViníciusPermalinkResponder

Exatamente LOT, quase toda a população do DF foi vacinada na crise de 2000 e depois na crise de 2008, que teve o tal caso dos macacos em SP, PR, RS, etc...
Minha esposa é enfermeira, e trabalhou muito anos na rede pública. Depois de ver esse debate perguntei a ela sobre os efeitos colaterais, ela disse que é muito mais raro um efeito colateral grave do que o risco de não tomar a vacina.

Mas, opinião é opinião, veja vocês, que eu que acabei de fazer 40 anos e fui ao posto implorar pela vacina da H1N1 (o limite era 39), enquanto colegas na faixa dos 30 estavam com medo de tomar a vacina em razão de possíveis efeitos colaterais...

Eu sempre fico com o risco de tomar...é mais seguro...

Veja só esse relato, já citado por um colega por aqui:
http://www.drauziovarella.com.br/ExibirConteudo/471/febre-amarela

Lembrando da crise de 2008:
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2008/01/13/febre_amarela_morte_de_macaco_de_outros_animais_interdita_zoologico_no_parana-327998744.asp

http://www.infectologia.org.br/default.asp?site_Acao=&paginaId=134&mNoti_Acao=mostraNoticia&noticiaId=3293

Abraços
Vinícius

Adriana Pessoa

Foi exatamente neste episódio do ano 2.000 que me vacinei, assim como meu filho, com 2 anos na época. Ele não teve absolutamente nada, talvez tenha sido um problema com o lote, foi essa a explicação da Secretaria de Saúde.
Prá terminar: vacinarei outra vez, se for preciso, mas com no mínimo, uns 20/30 dias de antecedência de uma viagem (ou mais, já que tem duração de 10 anos).
Abçs.

Cláudia
CláudiaPermalinkResponder

Gente, desculpaê mas vou ser sincera.
Eu acho uma absurdo isso de tomar vacina sem necessidade, sem ter uma viagem (ou praticamente) marcada. Brasileiro adora tomar remedio sem receita, adora se entupir de vacinas sem necessidade, adora fazer cirurgia sem necessidade. Vide as taxas de cesáreas do Brasil que são de 85-90% na rede privada, uma vergonha. Enquanto na Holanda por exemplo 85-90% é a taxa de parto normal. Obstetra brasileiro em congresso internacional é alvo de chacota e com motivo.

Vacina é coisa séria, vc corre riscos tanto ao decidir não tomar como ao decidir tomar.
Além dos possiveis efeitos colaterais, (que sim, são raros estatisticamente, mas quando acontece com a gente a taxa passa de 0,001% pra 100%), exitem varias substancias nocivas e prejudiciais usadas na fabricação. Aluminio, mercurio e outros são usados em taxas cancerigenas.

Eu não tomei a vacina contra H1N1. Li, pesquisei, me informei sobre a composição e decici não tomar. Conclui que o risco/beneficio não se justificava. Alguém aqui já leu uma bula de uma vacina qualquer antes de injetá-la no seu corpo? Não sou contra vacinas, antes que alguém ache isso, pois sei que muitas são importantes. Decisão informada é o que defendo.

Enfim, prefiro tomar vacinas somente em caso de real necessidade. Prefiro correr o risco (mínimo, ja que é facil e rapido tomar a vacina) de perder/adiar uma viagem por não conseguir tomar a vacina a tempo, do que correr o risco de perder/prejudicar a saúde tomando uma vacina quando eu nem tenho previsão de viajar pra um lugar que obriga tomar a bendita.

Não quero impor ninguém a pensar como eu, coloco aqui apenas minha opinião.
Não fiquem com raiva de mim tá! Amo esse site. Não viajo sem antes viajar nesse site.
Beijinhos!

maria do Socorro

Olá a todos
Entrei por acaso nesse site e fui lendo as opiniões ...confesso, nós brasileiros temos mesmo hábitos que muitas vezes nos fazem tomar decisões precipitadas sem necessidade.Concordo PLENAMENTE COM SEU COMETARIO CLAUDIA, FAÇO DAs SUAs AS MINHAS PALAVRAS.
gRANDE ABRAÇO
Maria

Liliane
LilianePermalinkResponder

Realmente é importante tomar essa vacina... Uma amiga minha precisou apresentar esse certificado numa viagem a Europa! Por isso, mesmo "sem necessidade" antes de ir, tomamos a vacina para evitar imprevistos!

renata
renataPermalinkResponder

A unica vez que me pediram o certificado de vacinação de febre amarela foi na Tailandia.

Uma coisa importante é imprimir e guardar TODOS os comprovantes de reserva em hotéis e a bendita passagem de volta.

Por via das dúvidas sempre mando uma cópia para o meu email, inclusive do meu passaporte. Assim na hipótese de extravio é fácil encontrar uma cópia.

Por uma desventura, acabei perdendo o passaporte na Australia.
Sorte que tinha uma cópia no email. Bastou imprimir e ir ao consulado do Brasil para emitir autorizaçaõ de saída.

Mas, na hora da imigração o oficial não localizava a minha entrada no país e achou que eu era ilegal.
Nessa hora lembrei do email e puxei o numero do passaporte.

Tá vendo, nao é só no Brasil que isso acontece.

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Fui olhar meu Certificado Internacional de Vacinação só porque me lembrei que ele não era amarelo como esse da foto e descobri que está vencido desde o ano passado.
Fiz o cadastro no site da Anvisa como o Adolfo recomendou, mas acho que nem era preciso. Aqui tem os endereços dos postos que vacinam e emitem o Certificado Internacional: http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/imuni/posto_fainter.htm
Vou aproveitar uma viagenzinha que farei na 5ª feira a partir de Guarulhos e tomar minha vacina.
Ô sorte!

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Carmem,
Sim, você tem razão, o preenchimento do cadastro no site da ANVISA não é obrigatório. Eu mencionei isso em um comentário anterior. Escrevi para a ANVISA para confirmar - apesar de no site estar claro - e eles responderam que preencher o cadastro agiliza o atendimento e é recomendável, mas não obrigatório.
Boa viagem!

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Semana passada fui ao posto da ANVISA em Cumbica. Lá NÃO há vacinação. A orientação é para ir a um posto de saúde (eles têm uma lista lá)tomar a vacina e voltar lá com o comprovante de vacinação para a emissão do Certificado Internacional.
Tô fazendo isso: hoje tomei a vacina no Instituto Pasteur (rapidíssimo!) e no final de semana vou aproveitar minha ida a Cumbica para, finalmente, pegar meu certificado.

Filipe
FilipePermalinkResponder

Valeu, Jurema!

rita dudziak
rita dudziakPermalinkResponder

Achei as dicas ótimas!

Adicionaria apenas não esquecer de solicitar cartões de crédito internacionais se for sua primeira viagem. Os cartões que usamos aqui não funcionam no exterior, você precisa pedir às operadoras de cartões que emitam cartões internacionais para você e isso pode levar alguns dias. Algumas empresas facilitam o processo deixando o cartão em uma loja no aeroporto - é preciso conferir. Tenha mais de um, pois em alguns lugares algumas operadoras não são aceitas.

Quatro dias antes de viajar, é bom pedir para a operadora que libere o valor dos gastos durante sua viagem, senão você acaba "pagando o mico" no exterior ao ouvir de algum atendente em uma loja ou no hotel que seu limite estourou.

Vale lembrar também que é bom anotar o número dos seus cartões em algum lugar, para o caso de precisar cancelá-los por perda ou furto.

paulab
paulabPermalinkResponder

galera, a maioria de vcs deve ter recebido o email, de qq jeito hoje começou o programa de milhas reduzida da smiles. acabei de emitir sp-salvador com 8mil milhas em setembro...ta cheio de passagem, pra Buenos Aires tem por 12 mil ida e volta. Para viajar ate 30 de setembro

Marcelo Sales
Marcelo SalesPermalinkResponder

Complementando o post sobre a vacina da febre amarela: Em João Pessoa, quem precisar se vacinar deve se dirigir até a Funasa (próximo ao Hospital Laureano), que funciona de segunda a sexta durante o expediente comercia. Leve documento de identidade e carteira de vacinação. O certificado internacional só vai ser emitido ou no porto de cabedelo (que funciona durante a semana), ou no aeroporto de bayeux pela ANVISA. Um outro detalhe é que ele não é igual a este do post lá em cima. Agora o certificado é impresso em um papel com marca dágua e seus dados ficam todos em um site do MS. Caso o Ricardo ache interessante, posso fotografar o certificado e colocar a imagem para todos. Este post me salvou de (suponho eu) problemas futuros. Assim como o do cadeado TSA e etc, e etc....
Obrigado Ricardo e leitores!

Ricardo Freire

Obrigado!

Juliana Brito
Juliana BritoPermalinkResponder

Olá Ricardo,

Como sempre, tava pesquisando na internet sobre a obrigatoriedade de vacina para febre amarela e caiu no seu site... perfeito!!!
Vou para Punta Cana com conexão em Caracas, e estou na dúvida se é para tomar essa vacina ou não.
Me informei na CVC e eles disseram que só fosse pelo Panamá, mas quero confirmar mesmo... não quero problemas!
Será que vc poderia me confirmar se precisa ou não?
Muito obrigada!!!!

Juliana

Ricardo Freire

Não é conexão em Caracas, é escala. Não conta.

Fernnada Furlan

Ricardo,

Você sabe me dizer se preciso da vacina da febre amarela para entrar em Punta Cana ? Meu voo faz conexão em Lima no Peru.

Obrigada

Ricardo Freire

Teoricamente sim, por causa da escala. Não sei se estão sendo pentelhos com isso na chegada. É bom fazer essa vacina para desencanar disso por 10 anos.

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Alguém sabe que providências tomar para quem vai viajar para áreas com ocorrência de Malária? Vacina eu sei que não existe. Alguma medicação para tomar antes, durante ou depois?

Ermesto, o pato

Pesse

1- Tomar vitamina B12 1 semana antes da viagem que dizem diminuir os ataques de mosquito.
2- Usar sempre mangas compridas, meias, etc....
3- Usar repelentes.
4- Tomar piluas de quimino, se voce for para a Africa, vendidas como Malaria pilss, em qualqauer farmácia.

Já fui 4 vezes para a Afirca, e por sorte não peguei malária.
Não deixe de fazer sua vacina contra febra amarela, também.

Boa viagem.

Amélia
AméliaPermalinkResponder

O nome do medicamento é quinino, proveniente da China officinalis, casca de arvore natural da América do Sul.
Se quiser uma imunização homeopática (sim, é possível!!!!). mande-me um email que eu lhe explico melhor.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Amélia, essa informação sobre imunização homeopática me interessa bastante... Entra em contato comigo? Meu email é carla ponto portilho arroba gmail ponto com. Obrigada!

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Carla, por favor me inclua nesse e-mail ou me encaminhe, ok?

Carla
CarlaPermalinkResponder

Claro! wink

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Gente, me desculpem, mas não acessei este post por um tempo e não vi o recado de vcs.Já entro em contato logo

Carla
CarlaPermalinkResponder

PêEsse, aqui no Rio há um setor da UFRJ especializado em Medicina do Viajante, o CIVES ( http://www.cives.ufrj.br ). Nós fizemos uma consulta e, no caso específico da malária, o que aprendemos foi o seguinte:

- as vitaminas do complexo B só seriam eficazes para repelir os mosquitos no caso da ingestão em altíssimas quantidades, ou seja, na prática, não funciona;
- os repelentes comuns têm pouca duração, e precisam ser reaplicados a cada 40 minutos, ou seja, o processo torna-se um tanto quanto inviável; há repelentes de alta eficácia, como o Exposis, que dura até 10 horas por aplicação. (É difícil de encontrar - eu comprei pela Internet, no site da Rozenlândia Baby: http://www.rozenlandiababy.com.br )
- existe um mapeamento das áreas de incidência de malária - o ideal seria consultar um especialista, levando o seu roteiro detalhado, inclusive com os meios de transporte utilizados, para saber se as áreas que você vai visitar são de alta, média ou baixa incidência. A medicação escolhida para a profilaxia varia de acordo com isso, porque já existe resistência a alguns medicamentos. No nosso caso, vamos visitar apenas áreas de baixo e médio risco, sempre viajando de avião, o que diminui a exposição à doença. A médica que nos atendeu indicou a quimioprofilaxia com mefloquina, que é fácil de seguir (1 pílula por semana) e apresenta poucos efeitos colaterais. (Outras substâncias têm mais efeitos colaterais, como irritações estomacais e intolerância ao sol, por exemplo.)

Além da malária, é importante se prevenir contra outras doenças. A própria dengue é super comum na Ásia. A vacina contra febre amarela é exigida por vários países - não porque lá exista a febre amarela, mas sim para que nós não viremos agentes de contaminação. A exigência é para proteger a eles, não a nós!

Para se proteger, é preciso saber quais são as doenças endêmicas nos lugares que você vai visitar. Nós fizemos uma agenda de vacinação de fazer inveja a muita criancinha por aí: gripe H1N1, gripe comum, tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), dupla (tétano e difteria), hepatite A e B, febre tifóide e pré-exposição à raiva. Isso não significa que todo mundo que vai à Ásia tenha que fazer o mesmo - no nosso caso, o tempo de viagem é longo, quase 3 meses, o que aumenta o risco de qualquer contaminação, e preferimos nos cercar de toda a cautela possível. wink

Luciana Bordallo Misura

Eu tomei uma pilula chamada Malarone vendida aqui nos EUA. Tem que comecar a tomar um pouco antes de chegar a area de risco e continuar tomando uns dias depois que voce vai embora. Tanto eu quanto meu marido tomamos e nao tivemos problemas com efeitos colaterais.

Mirella
MirellaPermalinkResponder

Oi PeEsse,
Quando fui para o Sudeste Asiatico no começo do ano estava com o mesmo dilema... pesquisei alguns sites e coloquei tudo aqui: http://mikix.com/?p=1093 ... um artigo exclusivo sobre a Malaria eu gostei desse: http://www.travelfish.org/feature/95

Eunice
EunicePermalinkResponder

Pêsse, dê uma olhada neste link: http://www.cdc.gov/malaria/travelers/index.html. Acho prudente consultar um infectologista para avaliar o risco real de malária em seu destino ( p.ex. Belém e interior do Pará não têm o mesmo risco; o exemplo vale para as outras áreas endemicas ). A depender do grau de risco, será definido se vc precisará ou não usar drogas, que sempre devem ser prescritas por médicos. As especies de plasmódio e suas suscetibilidades a medicamentos têm variação geográfica.

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

PêEsse,
Reforçando o que a Eunice disse, é prudente consultar um infectologista antes de viajar. Se você morar perto do Rio, a Carla Portilho me deu a dica do CIVES - Centro de Informações em Saúde para Viajantes http://www.cives.ufrj.br/ que agenda consultas médicas (presenciais).
A quimioprofilaxia (uso de drogas antimaláricas em doses baixas) pode ser feita com diversos medicamentos, associados ou não. Todos causam algum efeito adverso e a prescrição está diretamente relacionada - como a Eunice já mencionou - ao local que você vai visitar (qual a malária predominante?) e quanto tempo você permanecerá.
O Ministério da Saúde lançou, em 2008, o "Guia para profissionais de saúde sobre a prevenção da malária em viajantes". Mesmo que você não seja da área, vale dar uma olhada http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_prevencao_malaria_viajantes.pdf
É importante lembrar que o uso de drogas antimaláricas e só UMA das medidas de prevenção.
Boa viagem!

Dri Miller
Dri MillerPermalinkResponder

Na minha viagem pra Tanzania eu tomei complexo B por duas semanas antes da viagem (recomendação de medico Brasileiro, menos apavorados com "doenças tropicais") mas tambem tomei Malarone que é o remedio profilexo que receitam aqui na Inglaterra - só vende com receita medica e é bem carinho, mas o Malarone é considerado o melhor pois não tem contra indicações nem efeito colateral (as outras formula dao efeitos terriveis).
Mas o problema das areas de risco de malaria é que vc pode previnir, mas se for picado por mosquito infectado, já era. Então oque conta mesmo é usar repelente com Deet potente (minimo de 50% na formula) e usar calça comprida e manga comprida o tempo todo (principalmente no nas cer e por do sol).

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Quando eu fui para o Camboja, li muita coisa, especialmente nos guias mais especializados da região. E eu achei esse texto aqui: http://www.travelfish.org/feature/95 do Travelfish (um site especializado em Ásia, indicado pelo Riq e pela Sylvia) um dos mais racionais.
No final das contas, resolvemos NÃO tomar nenhum remédio "preventivamente", por achar que não resolve nada, e caprichar na cautela para evitar picadas, com roupas de pernas compridas e reaplicação de repelente mais habitual. Nada aconteceu, e olha que viajamos com uma grávida (cujo médico só nos recomendou as precauções que tomamos). Lógico que a gente não resolveu acampar no meio do mato (não faço isso nem aqui, quanto mais lá), mas tomando as cautelas comuns e ficando em lugares civilizados à noite dá pra curtir uma ótima viagem. Afinal de contas, o povo de lá MORA lá e vive normalmente...

Carla
CarlaPermalinkResponder

Dani, no fim das contas vamos fazer mais ou menos o mesmo que vocês... Li o artigo, e fiquei bem (mal) impressionada com os efeitos colaterais dos anti-maláricos - não sabia que a coisa poderia ficar tão grave assim...

Estamos tomando todas as precauções para evitar picadas de insetos - e eu provavelmente venho fazendo isso direitinho há anos, porque moro no RJ e nunca tive dengue... wink

A idéia é não descuidar nem um pouco, sem se deixar levar pelo fato de que as pessoas que moram lá vivem isso no dia-a-dia - afinal, as defesas que desenvolvemos são diferentes de acordo com o lugar onde moramos... (E outro dia eu vi uma reportagem na TV bem assustadora sobre a malária no norte do Brasil, tipo pessoas que têm 10 ou mais episódios de malária por ano, e acham normalissimo... Tou fora, né? shock )

Tania Janin
Tania JaninPermalinkResponder

Amélia,

Essa informação sobre imunização contra a malária tb me interessa.

Meu filho trabalha em Porto Velho e lá a malária é um problema sério.

Os comprimidos de quinino são usados. Como ele veio pro Rio pro Natal a empresa que ele trabalha entregou os comprimidos pra ele para caso ele tenha algum sintoma, durante a estadia por aqui. Felizmente em 2 anos ele nunca teve nenhum sintoma.Mas a possibilidade de imunização é fantástica.

Meu email é tania ponto janin arroba gmail ponto com

Abraços

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Tania entrarei em contato com vc para mais informações!Um abraço.

Cinara
CinaraPermalinkResponder

Dá uma olhada.

Anne Sales
Anne SalesPermalinkResponder

Pessoas,
mudando o foco, entrei no site da embaixada americana para tentar antecipar um visto sem, no entanto, ter uma data marcada para a viagem, muito menos endereço de ontem vou ficar. Entretanto, o site reputa essas informações como obrigatórias... Como faço?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Anne! A única informação dessas que o formulário pede é o de onde você vai ficar. Eles recomendam que você preencha com o nome do hotel em que gostaria de se hospedar na cidade que planeja visitar.

Anne Sales
Anne SalesPermalinkResponder

Muito obrigada pela dica, Riq!

Stéfano Fiúza

Qual marca de mala boa vcs recomendam???
Boa pra mim é a com melhor custo x benefício.
Vale a pena comprar aonde na Europa? (Nos EUA não vou tão cedo)

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, Stéfano! As melhores são da Samsonite.

Carlos Henrique Loyo

Oi Stéfano, em Lisboa (shopping Vasco da Gama) eu comprei uma mala de mão da Samsonite ótima, e minha esposa comprou uma mala normal (para despachar, porém grande e levíssima) que até hoje não encontramos em lugar nenhum. Minha esposa tava querendo uma de mão igual a minha e não encontra mais, e os preços foram ótimos.

Silvia
SilviaPermalinkResponder

Olá, Stéfano!
Eu sou voto vencido aqui, pois não consigo gostar da Samsonite! rsrs Eu gosto mesmo é das malas da Kipling, cuja qualidade é muito boa (nunca me deixaram na mão), tem zíper largo e fácil de fechar, além das cores serem bárbaras e ng ter igual (já aconteceu de a minha mala ter ido parar em outra esteira e eu ter visto de longe). O único problema é que eles ainda nao tem mala com 4 rodinhas. Como eu não fico andando muito tempo com a mala isso ainda não se tornou um grave problema para mim.
Eu costumo comprá-las em outlets nos EUA, mas já comprei no Brasil e valeu o investimento (comprei há 5 anos e nunca tive dor de cabeça).
abs

Stéfano Fiúza

Oi Bóia
Dessa marca eu já ouvi falar =)
Vale comprar na Europa (ao invés de comprar no Brasil)?
To pensando em chegar lá com minha mala velha, deixar lá de herança e vir com a nova!

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

A diferença de preço não é tão grande, não. E você ainda vai perder meio período correndo atrás da bendita mala, achando lojas, comparando preços, pensando que dá pra achar mais barato em outra... pense nisso e boa viagem wink

Stéfano Fiúza

É verdade, André! Bom ponto =)

Nelma
NelmaPermalinkResponder

Stefano
Mala é sempre um problema. Minhas malas são Samsonite, mas o problema é sempre o mesmo: a manipulação pelas cias aéreas e seus associados. As malas são jogadas, atiradas, ficam na chuva, engatam, etc, etc. é um problema.
Já aprendi algumas coisas na hora de comprar uma mala. O minimo de bolsas externas, enfeites, etc, coisas que possam engatar e rasgar. Rodinhas embutidas, inclusive com a armação por dentro e não por fora da mala. Menos coisa para quebrar.
E finalmente, torcer para que cheguem inteiras!!
Quanto à compra, o André tem razão, compre aqui mesmo, com calma para poder escolher bem. Se voce fosse para os Estados Unidos, valia a pena comprar lá, são bem baratas nos outlets.

lisa
lisaPermalinkResponder

Minhas malas são Samsonite, mas para a última viagem compramos uma Delsev X´Pert Lite, é mais leve que a Samsonite e gostamos muito. Por via das dúvidas, sempre usamos o Protect Bag (desde que numa viagem ao México recebemos as malas molhadas com um liquido colorido que penetrou no interior da mala, sujando as roupas)

lisa
lisaPermalinkResponder

corrigindo: a mala é Delsey e não delsev..rsrs

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Oi gente!
Estou programando uma viagem para Cartagena, Colombia, para outubro deste ano. Como a grana não é muita, pretendo ficar no albergue El Viajero (alguem conhece?!), e acho q assim é mais facil interagir com o povo! Vai ser minha primeira viagem pra fora, entao queria algumas dicas de, por exemplo, preços por lá (um amigo me disse que talvez encontre mais coisas com valores em dolar do que em peso), por onde ir, onde não ir... rsrs, enfim... Li alguns posts do pessoal acima e me esclareceu quanto a algumas coisas, mas se mais alguem ai ja esteve por la ou tem alguma outra dica legal pra me dar, valeu mesmo!
Bjos

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniela!
Leia mais nestes posts:
http://www.viajenaviagem.com/category/cartagena

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Pessoal,

Estou indo no sábado agora para L.A. com conexão no Panamá pela Copa Air e fiquei sabendo que é necessário o bendito comprovante de vacinação contra febre amarela por conta da conexão neste país. Vi que é necessário antecedência de 10 dias antes da viagem, porém não tenho mais esse tempo. Vale a pena tomar a vacina mesmo assim? Será que a ANVISA emite a carteirinha sem este prazo? Me ajudem por favor.
Abraços.

Renata
RenataPermalinkResponder

Ola pessoal,
Estarei indo pela segunda vez para Punta CAna em Julho, desta vez pretendo ir ate ilha de Saona, alguem ja esteve la? Sabe de valores? Valeu a pena?
Um abraço

Natalia
NataliaPermalinkResponder

Ricardo,

me ajuda por favor!!!

Vou para Punta Cana. Saio do RJ e faço escala em SP e Caracas. Tomei a vacina contra febre amarela 8 dias antes do embarque. To medo de ter problemas!!
Procurei em vários locais e para Punta Cana não é obrigatório, mas li em alguns lugares que na Venezula é obrigatório, mas outros, não!
O que tá valendo afinal?
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Natalia! Você não vai precisar sair do avião em Caracas. Ninguém vai pedir a sua vacina.

Leia também:
http://www.viajenaviagem.com/2011/03/caribe-lima-panama-caracas-bogota-pediram-vacina-para-voce/

Natalia
NataliaPermalinkResponder

Mtooo obrigada!!!!!! Ufaa!!!!!!rsrs

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Gostaria de saber se preciso tomar vacina contra malaria para ir a Nigeria ou qualquer pais na Africa.....teria que tomar outras vacinas tambem? obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcia! Esse é um assunto sério, sobre o qual você não deveria se informar em sites leigos... como este grin

Procure a Anvisa http://portal.anvisa.gov.br , de preferência pessoalmente, e entre em contato com as embaixadas/consulados dos países que você vai visitar.

Provavelmente você terá que tirar vistos, e para os vistos serão exigidos alguns certificados de vacinação.

Livia
LiviaPermalinkResponder

comprei cadeados tsa e balancinhas de bagagem pelo ebay, baratinho... mas demora a chegar e hj em dia quase ninguém quer entregar no Brasil. Quem estiver com tempo, é bom investir.
http://shop.ebay.com/i.html?_from=R40&_trksid=m570.l1313&_nkw=tsa+locks&_sacat=See-All-Categories
http://shop.ebay.com/i.html?_nkw=luggage+weight+scale&_sacat=0&_odkw=luggage+weight&_osacat=0&_trksid=p3286.c0.m270.l1313

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Meu visto americano venceu há pouco tempo, mas é B1/B2, que um programa permite renovar sem agendamento de entrevista por mais alguns meses.

Porém, nesse meio tempo emiti passaporte alemão. Pergunto: uma vez que este me dispensa do visto, há alguma vantagem/necessidade em obtê-lo novamente?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Claudio! Ao entrar nos Estados Unidos com um passaporte de uma segunda nacionalidade, prepare-se para enfrentar um set extra de perguntas. Se você tiver um consulado americano na sua cidade, vale a pena renovar o visto.

Andrea Bisaggio

Claudio
Não entendi. Vc renova sem entrevista, mas só por mais alguns meses ou vc tem mais alguns meses para renovar sem entrevista?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andrea! O que o Claudio deve querer dizer é que, mesmo estando vencido, o visto pode ser renovado sem necessidade de reiniciar todo o processo.

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Obrigado!

marcelo eduardo ferrarini

vou pra punta cana e meu voo fara conexão no panamá.
preciso tomar a vacina de febre amarela ?
grato !

Eduarda
EduardaPermalinkResponder

Precisa sim, Marcelo.

Volta ao mundo – cuidados com a saúde « Idas e Vindas

[...] Um ponto que nos preocupava bastante era a prevenção da malária, já que não existe uma vacina e a quimioprofilaxia é uma questão controversa, como se pode ver neste  post do Travelfish. Aprendemos muito não apenas na consulta, mas também nessa discussão no VnV, que começa neste comentário aqui. [...]

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Cai no seu blog pois estava procurando info para viajar a Barbados, eu vou tomar a vacina de febre amarela mas nao vai ter como pegar o certificado internacional de vacinação, uma vez que justamente a partir de hoje o posto do aeroporto de congonhas não funciona mais aos sabados. E so abre na semana das 8h as 17h, sacanagem, de Guarulhos tambem. Xiii sera que vai dar problema??? Bm, vou levar minha carteirinha com a vacina tomada, fazer o que.

Flavia Monalisa

Oláaa Ricardo.
Eu moro no interior de MT, já tomei minha vacina p Febre amarela, contudo aqui nao emite o certificado internacional. Sairei do aeroporto de Brasilia. Lá é possível tirar na hora o certificado?
Para Aruba e Curaçao é exigido algum tipo de vacina?
Grata!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flavia! Aqui quem responde é A Bóia.

Não se exigem essas vacinas nem em Aruba nem em Curaçao.

viagensetc
viagensetcPermalinkResponder

No aeroporto de Bsb ha um posto da Anvisa. Basta trazer seu cartao com o registro da vacina da febre amarela para receber o internacional, porem, informe-se acerca dos horarios de atendimento. Salvo engano, nao atendem aos finais de semana. Para agilizar, faca seu cadastro no sitio da Anvisa. Boa viagem!

Bruna Brito
Bruna BritoPermalinkResponder

ohh God... vergonhoso eu vir aqui e perguntar isso, depois da receitinha do bolo do post...
Mas gente, eu embarco para Punta cana dia 14 de dezembro e não tomei a vacina, estão exigindo pra lá?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, Bruna! A questão não é exatamente Punta Cana, mas o país da sua conexão. Alguns (teoricamente) exigem, embora a fiscalização não pegue todo mundo:
http://www.viajenaviagem.com/2011/03/caribe-lima-panama-caracas-bogota-pediram-vacina-para-voce/

Ainda dá tempo de você tomar a vacina smile

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruna! Não estão exigindo. Mas é bom fazer a vacina e não ter mais essa preocupação nos próximos dez anos.

Leia:
http://www.viajenaviagem.com/2011/03/caribe-lima-panama-caracas-bogota-pediram-vacina-para-voce/

Gilclésio Máximo

Pessoal, estou com uma dúvida de marinheiro de primeira viajem. Irei para Punta cana e escolhi uma escala de 12 horas no Panamá (ida) pensando nas compras, pois na volta eu não teria esta opção.
Nesse intervalo, eu sou obrigado a sair com minhas bagagens, ou elas ficam armazenadas pela companhia aérea (que é a mesma)? Se elas ficarem armazenadas eu posso despachar mais bagagens?
Desde já agradeço pela atenção!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gilclésio! Você deverá sair do Brasil já com o cartão de embarque Panamá-Punta Cana na mão. Informe-se junto à cia. aérea se você poderá despachar mais bagagens no Panamá; o mais provável é que você só possa embarcar com as compras na mão.

Gilclésio Máximo

Muito obrigado!

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Eu sei que várias pessoas já perguntaram sobre isso, mas minha situação é um pouco diferente. Pretendo viajar para Tailândia ainda essa semana, por menos de 30 dias, mas não fiz a vacina contra febre amarela. Estou morando na Eslovênia desde julho/2011 e vou ficar até janeiro/2012. Gostaria de saber se mesmo estando aqui na Europa preciso da vacina e do comprovante. Se sim, eu teria que esperar 10 dias para viajar? Já fui na embaixada tailandesa daqui, já perguntei a médicos infectologistas e até liguei pro aeroporto de Bangkok, mas ninguém sabe dizer com certeza :/ Se vocês souberem de alguma coisa, me respondam o mais rápido possível, por favor. Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriela! O que manda nesses casos é o passaporte. Mas leve provas de que você está morando na Eslovênia, ou pelo menos que esteve apenas aí nos últimos meses. E se puder tome a vacina.

Desculpe, mas só podemos usar o senso comum. Se nem a embaixada da Tailândia tem a informação precisa...

Mari
MariPermalinkResponder

Pessoal, bom dia
Estou com uma dúvida cruel... Estou indo para Paris, Roma e Londres em Janeiro/12. A minha pergunta é: é exigido que eu tome vacina de febre amarela e/ou de Sarampo para esses lugares?
Eu não quero tomar pois estou tentando engravidar, mas estou com essa dúvida cruel da vacina. Alguns lugares falam que sim, outros que não.... Me ajudem, please!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mari! Não são exigidas vacinas para lá. Para saber os documentos pedidos pela imigração, veja: http://www.viajenaviagem.com/2010/11/ja-entrou-na-europa-por-madri-como-foi-a-imigracao/

Eliete
ElietePermalinkResponder

Pessoal, bom dia

A ANVVISA está recomendando a vacina contra Sarampo/Rubeola:

http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/7e68ab80496efde58120f54ed75891ae/pdf2.pdf?MOD=AJPERES

James
JamesPermalinkResponder

Para que lugares da Ásia, precisa tomar vacina da febre amarela??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, James! Para a maioria. Há o link da Anvisa no texto. Faça a vacina e desencane disso por 10 anos.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar