Santiago: roteiro completo dia a dia (e como seguir viagem pelo Chile)

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

El Golf, Santiago

Bienvenido, bienvenida. A 4 horas de vôo de São Paulo e 4h40 do Rio, Santiago está longe demais para passar um fim de semana. Três dias... bom, já dá para considerar. O mínimo ideal, no entanto, são quatro noites, porque pelo menos dois passeios importantes (Viña del Mar + Valparaíso e, no inverno, o dia na montanha) requerem que se passe o dia fora da cidade.

Se essa é a sua primeira vez, saiba que dificilmente será a última. O Chile é lindo e cativante -- e tão cheio de atrações, que não dá para visitar tudo de uma vez só. A cada volta você vai precisar dar ao menos uma passadinha por Santiago, e com isso pode fazer algum programa que não tenha conseguido entrar na agenda da viagem de estréia.

Se preferir, clique para ir direto ao tópico desejado:

  • Chegando: moeda e trânsfer

Moeda

pesos chilenos

Não vale a pena comprar peso chileno no Brasil. Por mais baratinho que pareça, a cotação não será vantajosa.

Se vai ficar só em Santiago, pode levar reais. Mas troque o mínimo no aeroporto: a cotação não é boa (dá para pagar o táxi ou a van com cartão de crédito, veja a seguir). Deixe para fazer câmbio em dia de semana, no horário de expediente bancário. No fim de semana e fora do horário dos bancos a cotação sempre baixa. Na temporada de inverno (grande fluxo de brasileiros em Santiago), a cotação cai, e provavelmente será mais negócio levar dólar. Nas férias de verão, quando há chilenos viajando para o Brasil, a cotação do real em Santiago costuma ficar mais vantajosa. Confira cotações atualizadas no site da Cambios Santiago (a cotação que vale é a da coluna de "compra").

Se vai para o Atacama, Lagos Andinos ou Patagônia e quer levar dinheiro vivo, leve dólares. O real não terá boa cotação fora de Santiago. (Até o dólar perde um pouquinho de valor; se não fosse pelo risco de desvalorização do real, daria até para recomendar usar cartão de crédito direto, fora de Santiago.)

Leia mais:

Transporte do aeroporto

Ao desembarcar, você vai passar pelos guichês dos táxis oficiais. Há duas opções: o táxi comum, que vai pelo taxímetro, e o táxi especial, que é tabelado. A corrida do especial, tabelada, vai custar entre 20.000 e 25.000 pesos (108 a 135 reais, ao câmbio de agosto/2017) e você pode pagar no cartão de crédito. Os táxis estão disponíveis 24 horas.

No mesmo balcão dos táxis você encontrará o serviço de trânsfer compartilhado em van. Custa 8.000 pesos por pessoa (43 reais ao câmbio de agosto/2017).

A maneira econômica de sair do aeroporto é com os ônibus da Tur-Bus ou da Centropuerto. A passagem custa 1.700 pesos (9 reais ao câmbio de agosto/2017) e leva ao centro de Santiago, com parada na estação Pajaritos do metrô (linha 1). Os ônibus da TurBus continuam até o Terminal Alameda (a principal rodoviária, na estação Universidad de Santiago do metrô) e os da Centropuerto, até a estação Los Héroes do metrô (Centro de Santiago). Ambas estações também fazem parte da linha 1 do metrô. Os ônibus da Centropuerto saem de 10 em 10 minutos entre 6h e 23h30; entre a meia-noite e as 6 da manhã há um ônibus a cada hora cheia. Os ônibus da TurBus saem a cada 10 minutos entre 5h e 1h. Se continuar a viagem de metrô, você vai gastar entre 610 e 740 pesos mais (3,20 a 4 reais, ao câmbio de agosto/2017). Você também pode chamar um Uber.

Voltar | Menu

  • Onde se hospedar em Santiago

Se você ainda não decidiu onde ficar, recomendo que escolha um hotel num desses três pontos:

  • Próximo às estações Universidad Católica ou Baquedano do metrô (para estar próximo aos barrios Lastarria e Bellavista, focos de vida noturna),
  • Em Providencia (um bairro bem localizado e com bastante comércio)
  • em El Golf (os "Jardins/Leblon" de Santiago)

Hotéis próximos à vida noturna charmosa de Lastarria e Bellavista

Um dos hotéis mais reservados pelos leitores do Viaje na Viagem, o Mito Casa Hotel fica num edificiozinho déco a uma quadra da estação Baquedano. Entre a estaçao e o barrio Lastarria, considere o econômico Principado Express e os hotéis-boutique Luciano K, Su Merced e Lastarria. No miolinho do bairro, confira os novíssimos (e chiquérrimos) The Singular e Las Cumbres com os flats do Lastarria 43-61. Já no centro da cidade, mas com acesso fácil ao barrio Lastarria, vale considerar o custo x benefícios do apart Ameristar Apart Hotel (use sempre a saída da calle Merced), do antigão Montecarlo e do correto Sommerlier Express (mas vou avisando: tem uma -- discreta -- boate de strip-tease a duas casas).

Hotéis em Providencia

Providencia é um bairro extenso, com uso misto -- residencial, comercial e empresarial. Desde a instalação do shopping Costanera Center, a localização mais interessante da região é o entorno da estação Tobalaba: você fica perto do shopping, com acesso a duas linhas de metrô (incluindo a que leva a vinícolas), e a uma corrida curta de EasyTaxi ou Uber aos restaurantes badalados de El Golf e da Nueva Costanera. O hotelão clássico desse ponto é o NH Collection (antigo Radisson), em frente ao shopping. Na outra calçada, o Doubletree by Hilton Santiago Vitacura faz o mesmo gênero, com instalações mais novas. Mais basiquinho, o RQ Bosque Tobalaba fica em frente à estação; ali perto, o Atton El Bosque é um confortável hotel business, e o La Sebastiana tem studios e apartamentos com cozinha equipada. Na parte mais tradicional do bairro, o Ibis Providencia, é o mais bem localizado da cidade; fãs de hotéis-butique devem comparar o Hotel Orly, de ares parisienses, os pequeninos Meridiano Sur Petit Hotel e Casa de Todos B&B Boutique, e o sofisticado Le Rêve, todos nas proximidades de alguma das estações de metrô do bairro.

Hotéis em El Golf

El Golf é coração da Santiago mais afluente. Se estiver podendo, cacife o W Santiago, o mais interessante entre os hotéis de luxo da cidade. Para um luxo mais clássico, pense no Ritz-Carlton. E para se hospedar junto aos bacanas sem ir à falência, reserve o Holiday Inn Express El Golf

Leia mais sobre hotéis em Santiago:

Voltar | Menu

  • Roteiro de passeios em Santiago

Neste post você encontrará sugestões de passeios de dia inteiro e de meio dia para compor o seu roteiro personalizado. Caso você queira um roteiro prontinho para 4 dias (1 dia no centro, 1 dia para vinícola, 1 dia para montanha e 1 dia para Valparaíso e Viña del Mar), clique aqui.

De modo geral, evite subir à montanha em fins de semana e feriados, porque muitos santiaguinos têm a mesma idéia e os lugares não comportam tanta gente assim. (Viña del Mar só fica cheia demais no alto verão.)

Continue lendo para ver também as combinações de Santiago com outros destinos chilenos, nesta ou nas próximas viagens.

  • Um dia turistando no Centro

Plaza de Armas, Santiago

Os pontos fundamentais da capital podem ser matados num único dia, se você sair cedo e com disposição.

Eu começaria visitando La Chascona, uma das três casas-museu do poeta Pablo Neruda. Abre de 3ª a domingo das 10h às 18h; fecha 2ª e atende por ordem de chegada (por isso é melhor começar o passeio por aqui). A entrada custa 7.000 pesos (2017). Na seqüência, subiria ao Cerro San Cristóbal, se onde se tem a vista mais bonita para a parte moderna de Santiago (com as montanhas ao fundo). O funicular funciona de 3ª a domingo, no verão, das 10h às 19h45; 2ª das 13h às 19h45 e no inverno, das 10h às 18h45; 2ª das 13h às 18h45; custa 2.000 pesos ida e volta. Metrô: Baquedano, linha 1-vermelha ou 5-verde.

De lá continuaria ao centro antigo; passaria no incontornável Mercado Central, senão para almoçar, pelo menos para testemunhar o inacreditável assédio dos garçons (a minha tática: entrar no primeiro restaurantinho que não vier te caçar no corredor). Os frutos do mar são excepcionais; mas não espere pagar barato pela centolla (caranguejo chileno gigante). Abre de segunda a domingo. Metrô: Puente Cal y Canto, linha 2-amarela.

Do Mercado dá para ir a pé até o coração da cidade velha, a Plaza de Armas, onde está a Catedral Metropolitana e o Museu Histórico Nacional (o museu abre de 3ª a domingo das 10h às 17h30; entrada gratuita). A continuação natural do passeio é o museu mais imperdível da cidade, o Museu de Arte Pré-Colombiana (abre de 3ª a domingo das 10h às 18h; fecha 2ª. A entrada custa 4.500 pesos, ou menos de 7 dólares). Ainda a pé, continue até o Palacio de la Moneda, sede da presidência chilena, que foi bombardeado em 1973 pelas forças golpistas de Pinochet. Para mim o grande apelo da praça está na estátua ao presidente deposto Salvador Allende, bem ali, ao lado do palácio em que se suicidou. Mas para os guias o tchans do lugar é a troca da guarda, que ocorre dia sim, dia não, às 10h da manhã -- ou seja, impossível para os passageiros desse meu tour.

Vamos sair do Centro pelo lado mais bonito, caminhando até o Cerro Santa Lucía, um parque de onde se tem uma visão complementar da cidade (mas não tão alta quanto a do San Cristóbal).

Aproveite que você está ao lado do bairro Forestal/Bellas Artes, visite o Museu Nacional de Belas Artes (aberto de 3ª a domingo das 10h às 18h45; entrada gratuita) e/ou o Centro Cultural Gabriela Mistral (salas de exposição abertas 2ª das 16h às 21h e 3ª a domingo das 11h às 21h; entrada normalmente gratuita). Depois, passe em revista a calle Lastarria para escolher um restaurante para jantar em alguma noite da sua estada. De 5ª a sábado há uma feirinha de antigüidades das 10h às 20h.

  • Um dia na neve

Parada na neve

Santiago é cercada pelos Andes, e subir à montanha é o programa mais desejado pelo visitante brasileiro. Apesar de ser oferecido o ano inteiro pelas agências de turismo receptivo, só recomendo fazer o passeio no inverno, com neve de fato. Sem neve, as quarenta curvas da estrada vão constituir um sacrifício que não será compensado pela paisagem.

Quando encontrar neve?
  • De julho a fim de setembro: neve garantida, com as estações funcionando.
  • Maio: pode até nevar, mas as estações ainda não estarão nem pensando em iniciar a temporada.
  • Junho: a neve é provável, mas não garantida. Havendo neve suficiente, as estações iniciam a temporada lá pela terceira semana.
  • Outubro: a neve não é garantida. Havendo neve suficiente, as estações podem continuar a temporada na primeira semana.
  • Janeiro, fevereiro, março, abril, novembro, dezembro: a não ser que São Pedro resolva aprontar, não há neve para tocar.

Existem quatro estações de esqui nos arredores de Santiago. Chega-se a elas pelo mesmo caminho, saindo da cidade pela parte mais nova (Las Condes). As três estações mais tradicionais ficam a pouco mais de uma hora montanha acima: são El Colorado, Farellones (tecnicamente parte de El Colorado) e La Parva. Pouco menos de meia hora adiante fica Valle Nevado.

A estação mais desejada pelos brasileiros é Valle Nevado, por ser a mais alta, a mais moderna e a mais glamurosa. Até 2012 eu recomendava Valle Nevado apenas para quem já esquiava. Mas em 2013, com a inauguração de um teleférico de cabine fechada aberto a não-esquiadores, a visita passa a valer a pena também para quem só quer contemplar a paisagem e entrar em contato com a neve. O teleférico leva ao restaurante Bajo Zero, localizado a 3.200 de altitude, onde é possível almoçar durante a temporada de esqui. O ticket do teleférico custa 49.000 pesos para maiores de 12 anos, 37.000 pesos de 5 a 11 anos e 17.500 até 4 anos. Os preços são da temporada 2017.

Caso a sua intenção seja simplesmente se divertir na neve, pense em Farellones, uma estação bastante mais modesta, mas que tem um snowpark com tubing (tobogã de bóias), esquibunda e tirolesa, além de um teleférico com acesso liberado que liga as partes alta e baixa do parque. É possível também fazer aulas de iniciação ao ski e ao snowboard. O ingresso custa 20.000 pesos (2017) e dá direito a todas as atividades ilimitadas (com exceção das aulas.)

Uma dica importante: vá durante a semana. No fim de semana todas as estações ficam cheíssimas -- o que é natural, dada a pequena distância da capital.

Como chegar à montanha?

Não é recomendável alugar carro para subir a montanha na temporada. A estrada tem muitas curvas e no inverno há gelo na pista; é obrigatório colocar correntes nas rodas.

Você tem duas opções: pegar um dos vários tours oferecidos pelas agências de Santiago, ou pegar as vans que, durante a temporada, saem toda manhã do shoppingzinho Omnium Mall, na av. Apoquindo, 4.900 (a três quadras da estação Escuela Militar do metrô). O transporte a Valle Nevado pela SkiTotal sai 18.000 pesos ida e volta (97 reais, ao câmbio de agosto/2017). O transporte a Farellones pelas vans do complexo El Colorado sai 12.000 pesos ida e volta (65 reais ao câmbio de agosto/2017). Veja os detalhes: para Valle Nevado, aqui; para Farellones, aqui.

  • Um dia entre Valparaíso e Viña del Mar

Valparaíso

A 140 km do centro de Santiago (120 km do aeroporto), estas duas cidades geminadas não poderiam ser mais diferentes entre si. Valparaíso é o porto pitoresco e boêmio; Viña del Mar, o balneário clássico.

Valparaíso está para Santiago assim como o bairro de La Boca está para Buenos Aires -- a diferença é que continua um lugar descolado; pense no Cerro Alegre como uma Santa Teresa/Olinda chilena. Já Viña del Mar é como um Guarujá dos bons tempos, ou uma Punta del Este menos badalada e mais família.As duas cidades são perfeitamente combináveis num bate-volta desde Santiago.

Comece por Valparaíso. Chegando pela rodoviária, pegue um táxi (negocie a corrida: deve custar 5.000 pesos) para visitar La Sebastiana, a casa-museu de Pablo Neruda na cidade (aberta de 3ª a domingo das 10h10 às 18h de março a dezembro e das 10h30 às 18h50 nos meses de janeiro e fevereiro; entrada a 7.000 pesos - preço de 2017). De lá, pegue outro táxi (mais 5.000 pesos) para o Cerro Alegre, onde você vai admirar a linda coleção de casas de fachada de zinco tombadas pela Unesco. Almoce num dos restaurantes da calle Almirante Montt e não deixe de visitar o Museu de Belas Artes, que funciona no recém-restaurado Palacio Baburizza. Desça de funicular até o Plano e siga caminhando até a Plaza Sotomayor. Ali, da estação Puerto, sai o metrô de superfície Merval para Viña del Mar.

Salte na estação Viña del Mar, que é vizinha à Quinta Vergara, o parque onde está o Palacio Vergara. O palácio, assim como todos os outros palacetes-museus de Viña, está interditado para visitas desde o terremoto de 2010, mas você pode apreciar o parque e sua fachada. Dali, pode ir caminhando ao Relógio de Flores e seguir pelo calçadão ao longo da bela costeira que leva ao Cassino, que pode ser visitado. Na hora de voltar, pegue o ônibus no Terminal de Buses de Viña del Mar; não precisa voltar a Valparaíso.

Vale a pena ir a Viña del Mar inverno? Eu não iria ao Chile para pegar praia; o mar é muito gelado e há praias mais bonitas por aqui. Vai-se a Valparaíso pelo cenário dos cerros e pela noite, e a Viña pelo urbanismo. No verão ambos lugares estarão mais movimentados, mas se você tiver um dia sobrando no inverno também vale a pena.

Como chegar a Valparaíso e Viña del Mar

Ônibus da TurBus saem a cada 15 minutos do Terminal Alameda (em frente à estação Universidad de Santiago do metrô, linha 1-vermelha) para Valparaíso e Viña. A ida e volta custa entre 4.000 e 6.000 pesos, dependendo do horário e da antecedência de compra. A viagem leva 1h30.

Os 10 quilômetros entre os centros de Valparaíso e Viña podem ser percorridos pelo Merval, o metrô de superfície que vai pela orla e funciona até as 22h.

Também dá para fazer o circuito de carro alugado, claro.

Quem não quer enfrentar nenhum perrengue logístico vai gostar de pegar um tour organizado: por US$ 45 você faz o passeio a Valparaíso e Viña del Mar no mesmo dia.

  • Meio dia visitando uma vinícola

Não é preciso ir longe para visitar vinícolas. Três delas estão nos arredores da cidade e podem ser visitadas em passeios de uma manhã ou uma tarde.

  • A Concha y Toro oferece visitas guiadas todos os dias, exceto feriados, das 10h às 17h. O tour standard custa 14.000 pesos (2017) e tem diversas saídas guiadas em português; é recomendável reservar. Para ir por conta própria, vá de metrô (linha 4-azul) até a estação Las Mercedes; lá tome o ônibus MB 72 ou um táxi (10 minutos). Estando de carro, siga estas instruções. Conte em levar 1h30 de transporte público ou 1h de carro desde o centro de Santiago.
  • Na Cousiño Macul há visitas guiadas de 2ª a 6ª às 11h, 12h, 15h e 16h; sábados às 11h e 12h; não abre em domingos nem feriados. Custa 14.000 pesos por pessoa o tour simples (45 minutos com degustação de 3 vinhos) e 24.000 pesos o tour premium (90 minutos com degutação de 5 vinhos superiores); preços de 2017. Faça sua reserva no site. Para ir por conta própria, vá de metrô (linha 4 - azul) até a estação Quilín; de lá tome um táxi. Conte em levar uma hora no transporte público.
  • Um pouco mais afastada, a Undurraga tem tours de 2ª a 6ª às 10h15, 12h, 14h e 15h30; sábado, domingo e feriado às 10h15, 12h e 15h30. O tour básico custa 11.000 pesos (2017). Faça sua reserva pelo email visit@undurraga.cl. Para chegar por conta própria, pegue a Autopista del Sol (CH 78) com direção a Santo Antonio; a Undurraga fica entre Peñaflor e Talagante, numa estradinha paralela à autopista.

Leia mais sobre vinícolas:

Para passeios de um dia ao Vale de Casablanca, clique aqui. Para combinar Santiago com o Vale de Colchagua, clique aqui.

  • Aonde ir à noite

As duas zonas boêmias mais interessantes de Santiago ficam próximas ao centro: os barrios Lastarria e Bellavista.

A que eu curto mais é o barrio Lastarria, em torno da rua José Victorino Lastarria. Restaurantes e bares por ali são bastante charmosos. Metrô: Universidad Católica, linha 1-vermelha, ou Bellas Artes, linha 4-verde.

Ali perto tem uma região ainda mais muvucada, o barrio Bellavista, cujo eixo é o Patio Bellavista, uma espécie de shopping ao ar livre que no lugar de lojas tem bares e restaurantes. Suas duas ruas laterais são pontilhadas de lugarzinhos: na Pio Nono ficam os bares da estudantada duranga (tipo: mesas de plástico na calçada), e na Constitución ficam os restaurantes mais metidos. A noite GLS também tem um foco em Bellavista, em torno da rua Bombero Núñez. Metrô: Baquedano, linha 1-vermelha ou linha 4-verde.

Ainda na categoria agito, não dá pra não citar a Avenida Suecia, em Providencia, um discotecódromo que ferve nas noites de sexta e sábado. Metrô: Los Leones, linha 1-vermelha.

A região gastronomicamente mais chique é a avenida Nueva Costanera, em Vitacura. É por lá -- e também na região da avenida Isidora Goyenechea, em El Golf -- que os restaurantes que querem entrar na moda procuram se instalar.

  • Um dia no Vale de Casablanca

No caminho entre Santiago (80 km) e o litoral (40 km), o Vale de Casablanca, onde se produzem renomados vinhos brancos, é o passeio de dia inteiro a vinícolas mais oferecido pelas agências de receptivo. Minha recomendação: não faça um passeio combinado Casablanca + Valparaíso + Viña -- eu fiz e me arrependi, não há tempo suficiente para ver Valparaíso e Viña. Se quiser combinar uma vinícola do Vale de Casablanca com alguma outra atração, compre o tour Casablanca + Isla Negra, a mais bonita das casas de Pablo Neruda.

No seu hotel você encontrará outras opções. É um passeio ainda melhor de fazer se você estiver baseado em Valparaíso, que é mais pertinho.

  • Um dia em Isla Negra

Fazer o circuito das casas-museu de Pablo Neruda parece ser um dos esportes nacionais chilenos. A terceira -- e, na opinião de muita gente, a mais encantadora -- das casas do poeta fica à beira-mar em El Quisco, e se chama Isla Negra. Está a 120 km de Santiago e 60 km de Valparaíso. (aberta de 3ª a domingo das 10h às 18h de março a dezembro e das 10h às 20h nos meses de janeiro e fevereiro). A entrada custa 7.000 pesos (2017).

Também é possível ir de ônibus, desde Valparaíso ou Santiago (veja aqui).

Caso você vá a Isla Negra de carro, não deixe nenhuma bagagem no veículo (nem mesmo escondida): há quadrilhas especilizadas em arrombar carros de turistas.

  • Um dia em Cajón del Maipo

Nem só de estações de esqui vivem as montanhas ao redor de Santiago. Um dos lugares mais valorizados pelos santiaguinos -- mas ainda pouco explorado pelas grandes agências de passeios -- é o Cajón del Maipo, a uma hora e meia da capital. Os cartões postais são o cânion El Morado e a represa Embalse el Yeso. A região oferece muitas águas termais, como os banhos de Colina, Morales e El Plomo.
Para passar o dia, vá de carro, procurando Embalse el Yeso. Ou encaixe-se em passeios como este.

É possível também ir por conta própria, alugando um carro ou de transporte público. No inverno, porém, restrinja-se ao que as agências oferecerem -- o trecho final dos passeios é off-road, e no inverno neva.

  • Um dia em Portillo

Portillo Chile

A 3 horas de viagem, no alto da Cordilheira dos Andes, quase na fronteira com a Argentina, Portillo é uma estação de esqui mais tranqüila e reservada do que as dos arredores de Santiago. É um passeio cansativo mas muito bonito, porque percorre o incrível Caracol -- a série de curvas em cotovelo do final da subida. A parte chata, porém, é ter que voltar pelo mesmo caminho, e no mesmo dia.

As mesmas operadoras de trânsfer que levam às estações próximas à capital também sobem a Portillo (consulte a seção mais acima e clique nos links). Os trânsfers costumam ser oferecidos às quartas e sábados.

Caso você queira ver o Caracol mas não pretenda esquiar, a barbada é pegar um ônibus a Mendoza. O caminho é o mesmo (mas evidentemente não dá para parar em Portillo).

  • Santiago + outros destinos no Chile

  • Um fim de semana em Valparaíso

valparaiso-noite

Se você curte a noite e a cena gastronômica de lugares mais boêmios e alternativos, considere programar seu fim de semana em Valparaíso. Se de dia o lugar tem um jeitão de Santa Teresa ou Olinda com arquitetura Caminito, à noite a vibe é mais de Vila Madalena.

Para curtir, a dica é reservar uma sexta e/ou um sábado por lá. Eu fiquei um sábado fora de temporada e gostei muito. Tente se hospedar num dos hoteizinhos dos cerros Alegre ou Concepción, ou da plaza Sottomayor.

Dá para pegar um tour combinado ao Valle de Casablanca + Valparaíso e levar sua mala para Valparaíso. Tanto Valparaíso como Viña del Mar também servem de base para um bate-volta a Isla Negra.

Caso você alugue carro, um alerta: carros de turistas são visados por quadrilhas especializadas em arrombamentos. Não deixe nenhuma bagagem no carro, nem em Valparaíso nem em Isla Negra, mesmo que não esteja visível.

Voltar | Menu

  • Santiago + Atacama

Salar do Atacama

Calama, porta de entrada ao Deserto do Atacama, fica a duas horas de vôo. (Nem pense em ir de qualquer outro jeito.) De lá dá mais uma hora até San Pedro, a capital turística da região, de onde saem todos os passeios.

Permanência mínima no Atacama: 5 noites, para poder fazer quatro passeios (o primeiro dia é perdido no traslado e agendando os passeios dos dias seguintes).

Permanência ideal: 6 noites, para não ter que fazer nenhuma escolha-de-sofia no quesito passeios.

Voltar | Menu

  • Santiago + Mendoza

Degustação na Pulenta Estate

Trata-se de uma combinação que faz total sentido logístico, já que Mendoza está muito mais próxima de Santiago (6 horas de ônibus) do que de Buenos Aires (1h20 de avião ou 12 horas de ônibus). Além de ser geograficamente correta, a dobradinha é matadora também no quesito cenário, já que o percurso, atravessando os Andes, é totalmente panorâmico. Vá de ônibus e relaxe (veja este post). Volte por Buenos Aires, para não precisar retornar pelo mesmo caminho.

Permanência mínima em Mendoza: duas noites se você só quer fazer degustações, quatro se também estiver mais interessado nos passeios de ecoturismo e turismo-aventura.

Voltar | Menu

  • Santiago + Vale de Colchagua

A cerca de 200 km de Santiago, a região vinícola do Vale do Colchagua pode ser visitada em tours de agências, nas saídas do Tren del Vino ou indo de trem comum a Santa Cruz e continuando de táxi às vinícolas (também dá para ir de trem comum a San Fernando e combinar o táxi lá). De carro só vale a pena se o motorista não beber. O ideal mesmo é programar um ou dois pernoites na região.

Permanência recomendada no Vale de Colchagua: duas noites.

chile carro
Vinhedos, florestas, lagos e vulcões

Voltar | Menu

  • Santiago + Chillán

Chillán

Não são poucos os que consideram Chillán o cenário mais bonito para esquiar -- porque as pistas estão encravadas num bosque. As termas propriamente ditas oferecem um grande complemento às atividades da neve. No verão, o lugar vira um destino de serra. De carro são 450 km desde Santiago. Também dá para ir de trem (são 5 horas de viagem pela TrenCentral, saindo da estação Alameda em Santiago). Caso você vá do Brasil direto para lá, dá para considerar também o avião: siga a Concepción (1 hora de vôo) + 2h30 de trânsfer pela estrada.

Permanência mínima em Chillán: pelo menos 3 dias. Menos do que isso, só se você estiver a caminho de outros destinos do Sul.

Voltar | Menu

  • Santiago + Pucón

A 800 km de Santiago, Pucón é a estação de esqui chilena mais indicada para quem quer encontrar um ambiente de vilarejo alpino (é tipo assim uma micro-Bariloche). Como bônus há as vistas para o vulcão Villarica (que só aparece nos dias muito claros). O jeito mais fácil de chegar é de avião: voa-se a Temuco (1h20), a 100 km de Pucón. De ônibus, são 11 horas desde as rodoviárias centrais de Santiago, com a TurBus. É um ponto interessante para atravessar a fronteira e seguir viagem pela Argentina: ônibus da Andesmar levam a San Martín de los Andes em 4 horas.

Permanência mínima em Pucón: 4 dias (aproveite para ir ao Osorno e a Puerto Varas, que estão pertinho).

Voltar | Menu

  • Santiago + Huilo-Huilo

Montaña Mágica, Huilo Huilo

A 900 km de Santiago, Huilo-Huilo revela um Chile diferente do que temos na cabeça: é a sua chance curtir uma floresta temperada (com neve, no inverno -- tubing, caminhadas, além de esqui e snowboard para principiantes e intermediários). Os hotéis são curiosos, como o Montaña Mágica Lodge. Para chegar é preciso voar a Temuco ou Valdívia e seguir de trânsfer (4 horas desde Valdívia, 5 horas desde Temuco).

Permanência mínima em Huilo-Huilo: 4 dias (para fazer valer o deslocamento).

Voltar | Menu

  • Santiago + Lagos Andinos (Puerto Montt e Puerto Varas)

Puerto Varas

A região de Puerto Montt-Puerto Varas é sinônimo de "Lagos Andinos" no Brasil. De avião vai-se de Santiago a Puerto Montt em 1h40 (de ônibus, com a TurBus, são 14 horas do centro de Santiago até Puerto Varas). O melhor lugar para se hospedar é Puerto Varas, que está numa aprazível localização à beira do lago Llanquehue, com vista (nos dias claros) para o vulcão Osorno. A viagem fica logisticamente mais interessante atravessando os lagos a Bariloche.

Permanência mínima em Puerto Varas: 3 dias se você atravessar a Bariloche, 4 dias se ficar só no lado chileno.

Osorno visto de Puerto Varas
Puerto Varas, Frutillar, Osorno, pingüins

Voltar | Menu

  • Santiago + Punta Arenas e Torres del Paine

Torres del Paine

De Santiago a Punta Arenas, são 4h30 de viagem. De lá a Puerto Natales, porta de entrada para o parque nacional de Torres del Paine, são mais 3 horas por via rodoviária. De Puerto Natales pode-se atravessar a El Calafate, na Argentina (onde fica o glaciar Perito Moreno, a Foz do Iguaçu das geleiras) numa viagem de 5 horas de ônibus. Outra viagem que fica melhor quando você volta pela Argentina.

Permanência mínima em Punta Arenas e Puerto Natales: fique uma ou duas noites em Punta Arenas e três em Puerto Natales ou num hotel dentro do parque de Torres del Paine.

Voltar | Menu

  • Santiago + Ilha de Páscoa

Ilha de Páscoa

O mais místico dos destinos sul-americanos fica no meio do Pacífico, a 3.500 km do continente. De Santiago até Rapa Nui são 5 horas e meia de vôo -- a distância explica por que é tão caro. Se você tem planos de um dia ir à Polinésia Francesa, pode incluir uma parada na Ilha de Páscoa a caminho do Taiti.

Permanência mínima na Ilha de Páscoa: você vai precisar de quatro pernoites (três dias inteiros) para fazer todos os passeios e também compensar a longa viagem.

Voltar | Menu

2103 comentários

Luiz Jr. (Blog Boa Viagem)

ERRESNGA!! Arrebentou hein! Parabéns não tem pra mais ninguém sobre esse tema! wink

Nathalia
NathaliaPermalinkResponder

Ah, Chile! Que saudade! Estive em Santiago, Viña, Valparaíso e Isla Negra em julho. Todo o roteiro baseado nos posts preciosos do Viaje na Viagem.
Esse ano volto para ir ao Atacama e aproveitar um pouco mais de Santiago.

Sobre a ida à Concha y Toro: desci na estação Las Mercedes, mas poderia descer também na Plaza de Puente Alto, disse o taxista. O táxi dali à vinícola não leva 5 minutos.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Meu caro Ricardo, obrigado pelo presente. Poucos dias antes de embarcar para Santiago, voce vem com esse guia. Segui varias, mas varias das suas indicações e, posso afirmar, foram perfeitas para minha estréia em Chile. Indo para Vina Del Mar encontrei com uns 15 brasileiros, que também viajavam por conta própria seguindo "indicações da internet". Fiz questão de saber qual site consultaram. Mais da metade lembravam do viaje na viagem. O matraqueando (que também me ajudou muito) foi citado. Enfim, valeu pela prestação de serviço!!! Queria contribuir com um detalhe: para ir a Valparaíso e Viña del Mar eh preciso descer na estação universidade de Santiago, e nao Universidade do Chile (que eh outra bem mais próxima). Nela que encontramos o terminal de onibus. Outro detalhe, a ida e volta esta custando hoje exatamente 8.400 pesos. uma pechincha pelo beneficio de conhecer Valpo. Grande abraço!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Marcelo! Já está corrigido!

Celso
CelsoPermalinkResponder

uma amiga que mora no chile me ensinou um jeito fácil de converter a moeda, quando fui foi ótimo, ande três casas decimais da direita para a esquerda, "cortando 3 zeros", enfim, daí multiplique por 2 que já é o preço em dólares.... fiz assim e não fiquei confuso em santiago um minuto com a moeda! ADORO a cidade! mais pacata que buenos aires, povo simpático e preços ótimos para tudo!

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Estou programando uma viagem para o Chile e a Argentina em agosto e esse post foi perfeito!! Só tenho a agradecer!

Destemperadinhos

Nossa, post para favoritar! Até pq o Chile merece muitas viagens.
No Vale de Casablanca, segue nossa experiência cinematográfica na Matetic (ótima tb com crianças) .. . http://www.destemperados.com.br/destemperadinhos/2011/11/vinicolas-no-chile-da-para-levar-criancas/
As sugestões de onde comer estão show de bola. O Liguria da Luis Thayer é o mais lindo de todos. Não deixem de experimentar o queijo de cabra e o Barros Luco. O Mestizo ao meio dia é ótimo com crianças pois está cercado pelo Parque Bicentenário. Na minha opinião, o melhor pisco de Santiago é o de lá ... http://www.destemperados.com.br/destemperadinhos/2011/10/mestizo-e-parque-bicentenario-da-serie-lugares-que-amamos/
O sorvete da Bravíssimo (tem no Parque Arauco) é tuuuudo. E o sabor Tres Leches é dos Deuses.
Experimentei muita coisa típica, como o pastel de Choclo e as machas a la parmesana do Galindo e o muuyyy típico "terremoto" do El Hoyo . Essas experiências estão aqui no blog do Café Viagem ... http://www.cafeviagem.com/santiago-do-chile-2011-voltei-parte-1/

Abraços grandes
Alexandra do
@destemperadinho
@CAFEVIAGEM

Kênia
KêniaPermalinkResponder

Ricardo Freire, vc não imagina como me deu um presentão hoje!
Viajo para Santiago no próximo dia 5. Entrei aqui hoje justamente para captar umas dicas suas, e me deparei com um post perfeitinho para mim!! rsrs... Vou anotar tudo!
Obrigada pela "consultoria"... ;o)

Joao
JoaoPermalinkResponder

Post em otima hora, um presentao pra mim tambem, vou pra la dia 14/03 e so terei 3 dias e meio na cidade.

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Esta série está maravilhosa!!! O Chile arrasou !!!!

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Nooossa! Este post tá demais! Guardarei com todo o carinho nos favoritos.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Hum, minha wish list só aumenta graças a seus posts....

Maria Inês Vargas

SHOW !!!!
Vou juntar este roteiro com o da Cinthia do "Chile para crianças", e parto para Santiago !!!
Valeu e forte abraço !!!

Patricia Batista Figueiredo

Olha, Riq, era exatamente desse post que eu estava precisando smile

Denise
DenisePermalinkResponder

Esse post está explicando mais que perfeitamente o Chile.
Te dá todas as possibilidades de escolha e combinações de cidades.
Deveria se chamar "Chile para todos os gostos".
Parabéns! Será muito útil pra mim.

Vladimir
VladimirPermalinkResponder

Vocês são DEMAAAAAIS!!!

Essa é a viagem programada para 2013, no inverno!!!

Em meus planos quero ficar entre 10 e 12 dias, entre, Santiago, Neve, Vinho e Litoral e vocês colocaram isso e mais alguma coisa aqui!!!

Obrigado de coração mais uma vez,
Vladimir.

Rosangela
RosangelaPermalinkResponder

Que post é esse???? Simplesmente perfeito! Parabéns!

Tiago
TiagoPermalinkResponder

Esses posts com roteiros dia-a-dia das capitais sul-americanas estão imperdíveis! Perfeito!
Imagino o trabalho que não deu compilar tudo isso!!

Juliana Afonso

O roteiro está ÓTIMO Riq! Fui pra Santiago em dezembro e adorei a cidade! Ela é linda e os chilenos são muito receptivos! Adorei!!

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá Ricardo,
no próximo sábado estarei chegando em Santiago; obrigada pelas dicas novamente.Uma dúvida, entra a Concha Y Toro, Cousino e Undurragua qual seria a mais interessante?Penso em ir também na Santa Rita e pretendo ir na Fiesta de La Vendima em Santa Cruz; o que acha??
Abraço.

Paula
PaulaPermalinkResponder

Sensacional!
E que sonho seria esse mesmo tipo de post para Lima, Peru.
Um dia, aparece aqui, nao é Ricardo?
smile

Lívia Mochileira

Post perfeitoooo! Vou pra Santiago na semana santa (dia 3 de abril). Como é o clima por lá essa época??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, Lívia! As temperaturas no outono são mais amenas. Detalhes sobre o clima em Santiago estão na seção "Quando ir" da página-guia da cidade: http://www.viajenaviagem.com/americas/santiago-ricardo-freire/

petter
petterPermalinkResponder

Como sempre, um show de sugestões!
Santiago é um lugar onde tive inúmeras experiências boas... me aventurei gastronomicamente em tudo o que pude... congrio, locos mayo, "pulpo", "gambas", mote con huesillos, sorvetes deliciosos, pisco, comida molecular, chirimoya, cervejas, vinhos... procurei a poesia de Neruda em La Chascona e Isla Negra e contei com simpatia do povo chileno todos os dias! Muy rico!
É tanta coisa pra contar... vou deixar aqui o link das minhas andanças por lá, ok? http://euvou.blog.com/tag/santiago/
Abraço

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Rapaz... porque não tinha isto há uns 6 anos? hehe
Fui prá Santiago duas vezes,e sempre me mantive na região do centro - os Cerros, Plaza de Armas, Mercado. Mas somente isto já foi o suficiente para adorar a cidade.
Aliás, como a ultima visita foi em 2008, estou achando que está na hora de voltar smile

Só tem um perigo aí, que é o bate-volta Valparaíso e Viña del Mar.. o perigo é adorar Valpo. Na primeira vez que fui, tinha planejado ir nas duas de uma vez só, mas me empolguei tanto em Valpo que quando vi, não dava mais tempo de ir até Viña - que acabei connhecendo só no dia seguinte, mas aí realmente foi rapidinho.
Subi em uns 3 ascensores, me perdi num ônibus no centro(tinha ocorrido um incêndio na época, que fechou algumas ruas..), fiz passeio de barco no porto, adorei o Museu Naval do Paseo 21 de Mayo..enfim: Valpo vale 1 dia todo só prá ela.
Enquanto Santiago, realmente menos de 3 dias inteiros só dá para ter uma ideia - ainda que se ficar somente na região central, 1 dia e meio já 'mata'.

Prá próxima, vou direto copiar os roteiros daqui smile

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Excelente post! Bem,cheguei ontem de Santiago e seguem alguns comentários:
-Visita ás vinícolas próximas:Cousino Macul e Concha y Toro - achei a visita à Concha y Toro bem mais interessante, no entanto é mais longe da cidade e mais cara.

-Passear na Alonso de Cordova é realmente o máximo, a rua é muito chuique e incrívelmente,com as rebajas, alguns itens tem preços convidativos.

-Para quem está acostumado com Buenos Aires sentirá a diferença no bolso, para Santiago espere preços como o do RJ ou SP.

Fabiane
FabianePermalinkResponder

Adorei o post! Muito completo!
Voltei de Santiago no dia 21/02/12. Peguei muitas informações no seu site e esse post, com tudo resumido, vai ficar para a próxima viagem!

Tenho algumas contribuições a fazer:

- A Gol tem um vôo direto de Porto Alegre a Santiago. Voltei nesse vôo que teve 2h30 de duração. Muito bom.
- O atendimento do check in no aeroporto do Chile, pela Gol, foi incrivelmente lento. A fila simplesmente não andava, decidimos cronometrar o tempo de atendimento por pessoa e chegamos a média de 8 minutos.
- Sobre a ida para Concha y Toro, fizemos um caminho na ida, que foi indicado por outro blog - descemos na estação La Cisterna, da linha amarela do metrô e pegamos o ônibus 978 Rio Clarillo. Demorou um tempão, passou pela periferia, mas nos deixou na porta da vinícola. Na volta, pegamos um ônibus, que custou 550 pesos, na esquina da Concha e descemos na estação Plaza de Puente Alto, que é muito perto. Então a dica é descer nessa última estação e pegar um ônibus ou um táxi, que deve sair bem barato, pelo percurso ser bem curto.
- Em relação ao metrô, é tudo de bom. Muito eficiente. Nunca ficamos mais de dois minutos esperando na estação. A única reclamação, é que poderia funcionar até mais tarde.
- Sobre segurança, achei a cidade bem tranquila. Fizemos quase tudo de metrô. Claro que sempre tomamos um mínimo de cuidados e ficamos atentos à nossa volta. Mas eu não acontecer nada.
- Achei os preços caros. Ou, no mínimo, iguais aos do Brasil.
- Alugamos um carro por um dia,para irmos a Valpo e Viña.
- Não gostei de Valparaíso. Achei feio e sem graça. Talvez porque fomos de manhã. Mas não achei nada demais. Essa foi a minha impressão.
- Já Viña del Mar, achei um charme! Muito legal o lugar! Valeu a viagem.
Gostei muito da viagem! Vou programar uma segunda vez no frio, para aproveitar as estações de esqui.
Abraços!

Gisele Kuntze
Gisele KuntzePermalinkResponder

Fantastico este post ! Estive apenas uma vez no Chile , em Santiago e Pucon ! adorei e posso dizer que foi uma das melhores viagens que já fiz ! Depois deste post nao vejo a hora de voltar , pelo jeito inúmeras vezes !

Carol Guelber
Carol GuelberPermalinkResponder

Parabéns pelo post, completíssimo! Adorei o Chile e, principalmente a Cordilheira dos Andes. Os relatos no www.viciosdeviagem.blogspot.com.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Pra quem gosta de lerê urbano (como diz o comandante), e fazer as coisas com calma, dá pra ficar uma semana em Santiago fácil. Tem MUITA coisa legal pra ver. Ficamos cinco noites, só na cidade, e achei pouco.
Ah, e Valparaíso é sensacional. Ficamos TRÊS noites, sendo que um dia foi para o bate-e-volta em Viña. Foi excelente.

Smara g silva
Smara g silvaPermalinkResponder

Post maravilhoso. Tive a impressao de ter visto o Riq no aeroporto de Santiago no dia 21/01/12 na volta das ferias com a minha famila...Sera??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Smara! O Comandante passou o réveillon em Alagoas e voltou a São Paulo antes do dia 15 smile

Camila Torres
Camila TorresPermalinkResponder

Uai, mas o título deste post tá errado ! Devia ser guia do Chile ! smile Completíssimo !

PATRICIA SIMOES

Caro Ricardo, tudo bem?. Não deve se lembrar de mim, mas nos conhecemos nas férias no Toque. Estava com a minha família (casal + 3 crianças + babá, risos). Cá estou, já programando as férias de Julho. Infelizmente devido as férias escolares viajo somente em Julho e Dezembro.
E procurando CHILE, encontro este post PERFEITO. Mas tenho uma pergunta?
Estava pensando em fazer algo diferente. Quero muito conhecer Santiago e as Vinícolas, será que vale a pena ir a Santiago, ficar lá 7 dias e depois voar para Buenos Aires e ir para Las Leñas? Fiquei muito desanimada com os comentários do TripAdvisor para Valle Nevado. Ou será que pego o SkyWeek do Valle, depois de 1 semana em Santiago e boa. Em fim..
Envie também um grande abraço ao Nick.
Patricia

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Patricia! Aqui quem responde é A Bóia, assistente do Ricardo Freire para perguntas.

Para vinícolas + esqui, você pode pensar direto em ir a Mendoza, que está a 400 km de Las Leñas.

Outras opções para esqui no Chile que você pode considerar são Portillo, Chillán e Pucón (todas estão no post). Ficam mais longe de Santiago e por isso não atraem a muvuca de santiaguinos. Pense em Valle Nevado como uma praia, só que de neve.

Se quiser fazer Santiago-Las Leñas, o melhor é voar ou ir de ônibus a Mendoza, e de lá seguir para Las Leñas.

Chames
ChamesPermalinkResponder

Olá Pessoal,

Meu esposo e eu fomos neste carnaval de 2012 para Santiago e Viña Del Mar. Ficamos muito encantados com a receptividade dos chilenos, ele são muito simpáticos e fazem de tudo para nos ajudar tornando a nossa viagem a mais agradável possível. É uma cidade segura que conta com um bom policiamento. Para conhecermos a cidade de Santiago contamos com a ajuda da agência de turismo chilena Epicentro Sur (info@epicentrosur.cl) foi a que tinha o melhor preço e qualidade tudo foi planejado pelo Alejandro Molina que selecionou os melhores passeios. Fizemos um City tour com o guia Alejandro Pinto. Excelente !Muito simpático, brincalhão e profundo conhecedor da história do Chile. Em Vina Del Mar contamos com a preciosa ajuda do guia Gerardo (vicenexpress@gmail.com) que nos levou para conhecer as cidades de Val Paraíso e Viña Del Mar. Nós o recomendamos!

João
JoãoPermalinkResponder

Boa noite,
vou passar o feriado de 1/05 em Santiago.
Alguém saberia me dizer se a cidade toda fecha, ou se comércio, museus e restaurantes ficam abertos?
Agradeço.
João.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, João! Na terça-feira as lojas certamente fecharão. Não temos informação sobre as lojas de shopping, talvez abram, talvez não.

Tente visitar os museus no domingo. Na segunda todos fecham, e na terça-feira é provável que sim; quando chegar perto, entre nos sites dos museus que quer visitar e provavelmente a informação do horário em 1o. de maio aparecerá.

Em feriado sempre é bom reservar o restaurante para não sair à toa.

Veja o que fazer quando um feriado cai no meio da sua viagem: http://www.viajenaviagem.com/2011/09/feriado-em-viagem-calma-nao-e-o-fim-do-mundo/

João
JoãoPermalinkResponder

Obrigado, Bóia!
Abraço.

Mari Vidigal - Idéias na mala

FICOU SENSACIONAL!!! Parabéns

Luxcoelho
LuxcoelhoPermalinkResponder

Olá Riq e Bóia,
Passei 3 ótimos dias em Santiago, graças à este incrível guia.
Impressões:
- Cidade limpa, de largas avenidas, muitos parques e jardins bem cidados(regados o tempo todo)
- Povo amistoso e acostumado com turistas
- Muitas coisas fecham no sábado - (Alonso de Cordova era fantasma). Como li que domingo a cidade toda fica parada, fiz o bate e volta à Valparaíso(vale muito a pena, visual pitoresco e com galerias e restaurantes charmosos) / Viña achei meio sem graça(lembra mesmo o Guarujá de antigamente).
- Era época do Festival de Viña - eles adoram - é meio brega, mas melhor que Michel Teló
- Tive 1 experiência com um taxista safado(seu taxímetro era adulterado - mesmo com o preço de "parabrisa" igual aos demais). Dica: sempre pergunte antes quanto sai a corrida!
- Restaurante: recomendo muito o Baragó (é uma experiência gastronômica, apesar de cara valeu a pena)
- Hotel: Mito Casa - em Providência, próx. Estação Baquedano(junto ao prédio da Telefonica). Tipo pousada chique. Ótimo quarto, localização, café e pessoal atencioso - recomendo pelo custo beneficio!
Os contras são leves:
- quis cobrar o late check out de +2h, sendo que não chegaria ninguém.
- esquema sem frigobar, nem ar, nem elevador,
- tem um piso de madeira barulhento(nhéc nhéc...rs)

Bóia, só um detalhe: na item "Como chegar a Valparaíso e Viña" - a estação do Terminal é a Universidad de Santiago não?(no post diz que é a do Chile)

Palio 2012
Palio 2012PermalinkResponder

Ola Ricardo... Muito bom seu roteiro viu? Vai me ajudar muito. Estava aqui procurando algumas coisas pra ir pro Chile e cai no seu site. Pois pretendo ir agora em Abril com minha esposa já que vamos estar de férias. Sério, foi o melhor material que encontrei até agora, parabéns e obrigado!!

PATRICIA SIMOES

Olá Boia, a idéia é vinícolas + sky, porem conhecendo Santiago.
Obrigado pelas dicas.
Ahh, sorry, não sabia que era você a "respondedora oficial" risos, e me dirige ao Ricardo.

Alessandra Bacalow

Olá Ricardo,
Estou amando todas as suas dicas! Eu e mau marido estamos pretendendo passar uns sete dias em Santiago em julho. Será que é um bom momento para conhecer Valparaiso e Viña também? Queremos conhecer boas vinícolas e a gastronomia da região. Só estou com medo de 'congelar', rs

Abraço e obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alessandra! Aqui quem responde é a Bóia.

Valparaíso é interessante em qualquer época. Já Viña hiberna no inverno.

Escolha seus passeios da lista. Estará frio, realmente.

Dinorah
DinorahPermalinkResponder

Olá Ricardo
Tenho visitado bastante seus posts pq vou ao Chile com meu filho em julho.
Estou com dúvidas qto ao aluguel de roupas e equipamentos, já tenho o transfer reservado, mas gostaria de saber qdo consigo saber as tarifas.
Como funcionam as estações do Chile? Existem lugares que podemos nos vestir e deixar nossas coisas para passar o dia?
Eu já fui a Barilocha, mas lá saíamos do hotel já vestidos.

Muito obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dinorah! Aqui quem responde é A Bóia. Conforme está bastante explicado no texto, as operadoras de trânsfer ou trabalham com aluguel de roupas ou fazem uma parada para lugar roupas. Se os preços estivessem disponíveis online a gente teria posto. Se essa informação é decisiva para você fazer ou não o passeio, comunique-se diretamente com as operadoras de trânsfer. As roupas são vestidas por cima das roupas que você está usando, não entendo a pergunta de onde deixar as roupas. Leve uma mochila para colocar os sapatos que vai trocar pelas botas impermeáveis.

Kleber
KleberPermalinkResponder

Dinorah,
Estive no Velle Nevado o ano passado, em setembro, na última semana de funcionamento da estação. Lá você compra uma ficha, tipo de orelhão antiga, e guarda as suas roupas em um armário de acaddemia. Aí é que está o problema, com esta ficha só dá para abrir e fechar o armário uma vez. Você tem que abrir, guardar tudo, fechar. E só abrir de novo para pegar as coisas para ir embora. Acho que custava uns 5000 pesos chilenos. Muita gente, como eu, acabaou não prestando atenção neste procedimento e tem que comprar mais fichas depois.
Espero ter ajudado,
Abraço,
Kleber

Dinorah
DinorahPermalinkResponder

Valeu pelas dicas Bóia e Kleber...vou ficar de olho nas tarifas!

Mara
MaraPermalinkResponder

Olá a todos!Adorei Santiago e já estou com saudades!!Segui algumas dicas daqui e tudo correu super bem.

Sionar
SionarPermalinkResponder

Olá,
Voltamos de Santiago, do feriadão de carnaval, e quero aqui registrar o meu obrigado pelas valiosas dicas:
Seguimos algumas opções do roteiro dia a dia, incluímos alguns ítens adequando ao fato de viajarmos com criança..o que nos leva a ir mais devagar, mas maravilhoso, descobrimos o MIM Museu Interativo Mirador.. que vale um cantinho no seu blog. Para quem viaja em família é uma ótima pedida!
Vina e Valpo foi pouquíssimo um dia só.. queria passar um fim de semana por la´..!
O Hotel NH indicado num de seus Posts foi ótima escolha, podíamos ir a pé de vez em quando ao Pátio bela Vista, e em relação sua posição ao metro, foi excelente!!
Estarei por aqui mais vezes!
Abraços!

Jorge
JorgePermalinkResponder

Olá a todos,
Estivemos em Santiago em fevereiro de 2011 e a dica para aqueles que irão se hospedar no Holiday inn Las Condes (excelente custo benefício) é utilizar os serviços do Sr. Arturo, dono de um sedan novo e muito confortável que presta serviços a empresa de taxi que atende ao Hotel. A qualidade dos serviços oferecidos por ele(altamente personalizados), aliada ao preço justo, fez com que, o que era para ser apenas um city tour, evoluísse para mais dois passeios: às três estações de esqui e a Valparaso/Vinã Del Mar.

Rosana Passos
Rosana PassosPermalinkResponder

Putz! Nunca vi um roteiro tão completo! Parabéns, Ricardo, você brilhou de novo!

Fazer Facebook

Que roteiro perfeito! Vou mostrar isso aos meus pais. Eles estão indo agora nesse mês numa jornada de carro rumo ao chile e outros países da America Latina. Eu gostaria de poder ir junto com eles e levar minha esposa, mais infelizmente os compromissos me prendem muito no momento... Talvez nas férias!

Obrigado por esse roteiro, o velho vai ficar faceiro.

Janaina
JanainaPermalinkResponder

Ola!
Parabens pelo post, adorei.
Havia me programado para uma visita ao Chile em agosto, ja que nao conheco e aproveitar para apresentar a neve ao meu filho de 3 anos que sonha conhece-la, porem, por motivos profissionais, so poderei viajar alguns dias agora em abril. E possivel ver neve nessa epoca em algum local, mesmo que seja a neve eterna? Ele conseguira toca-la?
Muito obrigada, beijos
Janaina

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Janaina! Não conte em conseguir tocar neve em abril, só se houver alguma nevasca extemporânea. Essa informação está bastante clara no texto.

Janaina
JanainaPermalinkResponder

Mas a tal neve eterna entao eh lenda? Voces nao mencionam isso no texto, portanto nao estah claro.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Janaina! Em algum momento a neve do entorno de Santiago desaparece completamente.

Vinícius
ViníciusPermalinkResponder

Execelente post!!!

Eu e minha esposa passaremos 3,5 dias em Santiago em Maio e me graças a essas dicas já me decidi:

- 1 dia vinícola (provavelmente Concha y toro)
- 1 dia estação Farallones
- 1,5 dia andar pelo centro e bairros

Dúvidas:

- vamos pegar temperaturas nas casa de quantos graus? (vamos no meio do mês de maio)

- as agências de viagens fazem preços diferentes caso você não queira ir até o Valle Nevado? ou é o mesmo preço, você escolhe em que estação quer descer?

- sei que em maio provavelmente não estará caindo neve, mas na estação Farellones pelo menos veremos neve no chão?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vinicius! Na página de links de Santiago tem link para "temperatura e chuvas mês a mês"
http://www.viajenaviagem.com/americas/santiago-ricardo-freire/santiago-links-e-posts

Os passeios das agências têm programação fixa, você pode consultar o itinerário.

Querendo apenas trânsfer, você escolhe onde parar. Em maio é provável que ainda não estejam funcionando, releia o texto, está bastante explicado.

Renato
RenatoPermalinkResponder

olá A Bóia, vou por milhas para santiago no dia 01/05 e volto em 08/05. Gostaria de fixar base em santiago e outro lugar bacana acessível por carro ou ônibus (fiz isso em cancun por indicação de vcs e foi muito legal a dobradinha cancun-playa del carmem). Onde você me indicaria? Na sua opinião, onde não posso deixar de ir nesses dias? Abraços a todos e muito Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Renato! A gente não consegue ser mais detalhista do que já foi neste post. Há várias soluções, escolha a que a lhe apetecer mais.

Léia
LéiaPermalinkResponder

Ricardo, parabéns! é tudo isto mesmo. Eu já fui no Chile duas vezes e curti várias coisas que você citou, E é exatamente como você descreveu. Ainda tem muita coisa que ainda não conheço e vou aproveitar suas dicas quando eu for em agosto.

Tenho uma dica gostosa: No bairro Providência tem uma casa de chá francesa espetacular chamada LE FLAUBERT http://www.leflaubert.cl/, na Rua Orrego Luco, 125. A casa oferece
Chás verde, negro, perfumado e especial. Eu recomendo pedir um menú completo chamado de Salammbó. Nele contém suco da estação, o chá escolhido (vem numa jarra grande), mini sanduiche, pedaço de torta doce toda especial, torradas, manteiga, geléia e mais alguma coisa que não estou lembrando. Custa 6 mil pesos. Achei bem barato pela quantidade de coisas que vem. Você sai de lá empanturrado. Pra quem é amante de chá, lá vai ter uma infinidade de chá a granel pra comprar, cada um mais cheiroso que outro. O atendimento é bom. Se você pedir, o garçom até trás o chá pra você sentir o cheiro antes de ser feito. A toalha de papel que é colocado sobre a mesa contém informações sobre as utilidades do chá.

Sil
SilPermalinkResponder

Ao excelente post eu só acrescentaria, em Santiago, uma visita ao Museo le la Memoria e de los Derechos Humanos. De resto, deu muita vontade de voltar a visitar o Chile.

Izabella
IzabellaPermalinkResponder

Post muito bom mesmo!
Estive no Chile no final de outubro do ano passado e reuni algumas dicas no meu blog: https://deviagemsa.wordpress.com/
Beijos

David
DavidPermalinkResponder

@migos de @viajenaviagem queremos compartir com vocês a programação dos meloheres shows no Santiago do Chile para aproveitar ainda mais sua viagem. Parabéns pelo post, ótima qualidade.
Confiram os shows
http://likechile.com/blog/santiago/programacao-dos-melhores-shows-em-abril-no-chile/
Abs,
David
www.likechile.com/blog
O blog de um chileno que adora mostrar seu país para os brasileiros.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar