Banheiros compartilhados: modo de usar

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

The Jane - banheiro compartilhado

Entre as vantagens de já se ter feito uma ou duas viagens de mochila nas costas está não se tremer todo ao ouvir a expressão “banheiro compartilhado”. Temido por muitos, é uma solução bastante boa para os orçamentos mais apertados, em que o valor da hospedagem pode ser decisivo entre sair de férias e ficar em casa (como já dito pelo Riq por aqui). Também vem bastante a calhar quando dá vontade de esticar em alguns dias aquele roteiro tão bacana, ou quando a localização do hotel faz toda a diferença na experiência da viagem (bem como nas tarifas dos demais hotéis, com suítes completas e preços nas alturas). Por fim, para quem está acostumado a albergues, hotéis com banheiro compartilhado são um senhor upgrade!

Em junho de 2010 estive no The Jane, hotel econômico-com-um-tchans de Nova York, bem localizadíssimo no encantador West Village. Reservando com antecedência, dá para conseguir um quarto single por 99 dólares, em qualquer período do ano. O quarto não é maior do que um armário (o hotel descreve como “aconchegante”...), mas tem ar-condicionado, wi-fi grátis, televisão de tela plana e dock para iPod. Quem precisa de mais do que isso com uma Manhattan toda do lado de fora?

Passemos então ao que interessa: o banheiro. No The Jane, há um banheiro coletivo por andar. Todos são mistos, com cabines de vaso sanitário separadas das cabines de chuveiro. Em dez dias de hospedagem, mesmo com o hotel lotado, encontrei sempre ambos muito limpos, e não precisei esperar para tomar banho nenhuma vez. As cabines dos chuveiros são espaçosas, têm porta com tranca e até dispensadores de sabonete e xampu, os dois de qualidade boa. O hotel fornece roupão e chinelinhos para quem quiser ir cumprir um pouco mais à vontade os seus rituais de higiene.

O único inconveniente de compartilhar banheiro nesta ocasião foi encontrar um gringo de toalha amarrada na cintura, feliz da vida secando os seus pormenores com um secador de cabelo. Mas, se isso não tivesse acontecido, eu não teria uma passagem cômica para ilustrar o post mrgreen e talvez não lembraria de mencionar que existem secadores de cabelo nos banheiros!

Com um número razoável de albergues em meu currículo de viajante independente, desenvolvi o que poderia chamar de um...

 

PEQUENO GUIA PARA SOBREVIVÊNCIA A BANHEIROS COMPARTILHADOS:

- Banho, só de chinelo. O chuveiro pode ser limpinho, mas será sempre menos do que o da sua casa.

- Sabonete líquido é melhor de levar do que em barra – se cair no chão, não tem problema. Compre daquelas embalagens pequenas, para viagem. O mesmo vale para xampu e condicionador.

- Vá para o chuveiro usando short ou qualquer roupa prática de tirar e colocar. Calças, para tirar ou vestir dentro da cabine, arrastam no piso molhado. Roupas justas não “sobem” direito quando não se está completamente seco.

- Pendure as roupas no gancho na ordem que irá vesti-las de volta, para diminuir o risco de algo acabar caindo – e molhando.

- Nécessaires que têm um cabide embutido são ótimas para essas ocasiões e podem guardar escova de dente, barbeador, pente e o que mais se precise.

- Descobrir a hora da faxina do banheiro é uma ótima estratégia para conseguir tomar um banho com o box tinindo!

- Os horários de pico são a hora em que todos os hóspedes estão acordando, e quando estão se arrumando para sair à noite. Levantar um bocadinho antes e sair à noite um pouquinho depois pode significar mais privacidade e menos fila.

- Protetores descartáveis de assento sanitário são uma boa compra e servem para usar em outros banheiros ao longo da viagem.

- Os banheiros na recepção dos hotéis ou albergues costumam ser pouco usados pelos hóspedes. Aproveite (e não conte pra ninguém)!

Antes de terminar, um adendo: o banheiro esteve sempre limpo, mas encontrei bed bugs na minha cama no The Jane. Parece que este é um problema crônico em Nova York. Eu voltaria a compartilhar o banheiro de lá, mas me hospedar... eu já não sei. O staff não soube contornar muito bem o assunto. De qualquer maneira, meu segundo quarto ficava em outro andar, e neste outro andar o banheiro continuava irrepreensível.

Leia também:

Nova York: um passeio por Chelsea, Meatpacking e West Village

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire
Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email

40 comentários

Atenção: perguntas que já estejam respondidas no texto e comentários ofensivos ou em maiúsculas serão deletados.

Cancelar
Claudio Motta
Claudio MottaPermalinkResponder

Excelente as dicas! Esse realmente é um assunto que pode atrapalhar um pouco no aproveitamento de viagem. Fiquei no Sultan Hostel em Istambul e a manutenção era péssima e quase de chorar na hora do banho. Já o Czech Inn em Praga tem um dos melhores banheiros de hotel em que já estive, inclusive alguns muito bem estrelados...

Abraços.

val
valPermalinkResponder

ótimas dicas, que espero não usar jamé! hahaha

RosaBsb
RosaBsbPermalinkResponder

ótimas dicas, que espero não usar jamé! hahaha 2.
Já tive a minha experiência em Budapeste no Homeplus Hostel, que eu passei a chamat de Homeless e a passagem não teve nada de cômica, alguns anos de terapia talvez me livre do trauma...

val
valPermalinkResponder

ai Rosa, que horror! nada que um bom hotel não resolva, não é? wink

gabebritto
gabebrittoPermalinkResponder

"Pormenores". Sacaneou o gringo!

gabebritto
gabebrittoPermalinkResponder

Faltou um sorrisinho no final do comentário. =)

Camila Camargo

Excelente idéia para um post. Sou do time que "viaja barato para viajar sempre" e adorei suas dicas!

Camila
CamilaPermalinkResponder

Não recomendo!

Maria
MariaPermalinkResponder

Eu acho que o assunto bed bugs merece um post especial, pois é uma praga em NY, mesmo em locais luxuosos.

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Adorei o post. Já precisei compartilhar algumas vezes (até ano passado, por conta do Hotéis.com que não honrou minha reserva em Veneza). A dica do sabonete líquido é fundamental - nunca pensei nisso - já postei aqui que entabulei uma conversa com um gringo que estava no chuveiro ao lado e que insistia que o sabonete em barra era meu, em Amsterdam. Constrangedor (ainda bem que não vi os pormenores dele haha). Indico também quem usa óculos, deixá-lo na necessaire - perdi um carregando um bando de coisa em San Francisco.

Juliano Pacheco

Pessoal,

Em NY, recomendo o Hotel 41, o qual atende com quartor compartilhados, porém é uma Suí. Só aceita reserva pelo site, encontrei no hostelworld.com e paguei U$ 65,00 a diária em Abril/2012.

O hostel é muito bom, quarto super limpo, com TV LCD, Suíte, Serviço de quarto, café da manhã...

É o melhor, este Hotel 41, fica na Street 41, entre a 8 e 7 Av. Ou seja, está dentro na Times Square e Broadway....

mariana ribeiros

riq, explique melhor a historia dos bed bugs? o que voce fez? aparentemente isso esta pegando nos EUA por conta dos visitantes estrangeiros e Nova Iorque que nao via percevejo em decadas esta tendo surto do bichinho...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! O post é da sua xará Mariana Amaral, não é do Ricardo Freire não grin

Alguns hotéis de Nova York sofrem com o aparecimento de focos de percevejos, mas logo tratam de debelar.

Frank (Dois Mapas)

Pessoalmente, não recomendo.

Já fiz isso quando viajava em albergues e tinha 20 anos. Mas já passou.

Para mim, o principal incômodo, mais que a privacidade em si, é a limpeza de um chuveiro "anteriormente usado"

Renata
RenataPermalinkResponder

"Viajar barato para viajar sempre" tb é meu lema! O que me faz tremer não é o "compartilhado", mas sim a palavrinha "misto"!

Marcio Antonio

Sei lá, eu já me hospedei em local com banheiro compartilhado, mas hoje não faço mais isso, não. Pelo menos não por livre escolha. A última vez foi em Roma, em 2006. Depois disso, no ano passado, fiz um curso em Cambridge, fiquei hospedado nas instalações da universidade e era banheiro compartilhado. Mas aí eu estava ganhando bolsa, com tudo pago, e a cavalo dado não se olham os dentes. E como era julho, os estudantes estavam de férias e tinha pouca gente no andar onde eu fiquei, então não tive problemas. Mas, se puder escolher, não me incomodo em pagar um pouco mais pelo conforto.

Michele
MichelePermalinkResponder

Não sou muito fã deste tipo de solução porém sou muito fã das pequenas tarifas que esses hotéis/albergues oferecem. Recentemente usei os serviços do Formule 1 em uma viagem em que fiz pela Provence-Languedoc. Como me desloquei bastante minha tática foi de ficar no Formule 1 sempre que precisasse apenas pernoitar em um lugar, assim, o alternei com outros hotéis e foi tranquilo encarrar. A primeiro dia é sempre mais chato mas depois vc pega o jeito, ajusta as expectativas e tudo fica mais tranquilo.Conto um pouco aqui: http://planejandoaviagem.wordpress.com/2011/10/14/hoteis-economicos-na-provence-e-languedoc-roussillon/

Carla
CarlaPermalinkResponder

Hoje em dia, podendo evitar, eu evito compartilhar o banheiro. Mas acho que isso é um luxo que vem com a idade (falei igual a uma velha... lol ), com a segurança profissional/financeira que conquistamos ao longo do tempo.

Quando comecei a viajar, ficava em albergues direto, e o banheiro compartilhado era mais a regra do que a exceção. Mas, nos EUA ao menos, os albergues sempre tinham banheiros femininos e masculinos separados!

Um detalhe que vale pesquisar também é que, às vezes, alguns hotéis oferecem banheiros que são compartilhados apenas por 2 ou 3 quartos, e não por todo um andar. Se o hotel não estiver lotado, o hóspede pode até dar a sorte de ser o único a usar aquele banheiro!

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Otimas dicas

Ja fiquei em alguns lugares com banheiro compartilhado. Uns com limpeza impecavel (Alemanha, Suica, Escocia) outros que deram medo (Moscou e uma vez em Barcelona).

Concordo que os mistos devem ser horriveis para as mulheres, nao por ver o gringo se secando, mas pelo fato de nós homens sermos mesmo menos cuidadosos.

Mesmo preferindo banheiro privado, o local mais memoravel que ja fiquei tinha banheiro compartilhado. Foi em um Ryokan em Kyoto, com direito a sentar no banquinho e tudo, mas no Japao, o padrao de higiene é provavalmente o mais elevado que já vi.

Gisele
GiselePermalinkResponder

Não me importo de usar banheiro compartilhado, mas essa história de misto tem tudo pra não dar certo. Não sei se sobreviveria para contar a história depois de ver o gringo secando os pormenores... eca! hahahaha

Abraço, adorei o post!

RosaBsb
RosaBsbPermalinkResponder

O Homeless foi o barato que me custou mais caro na vida...
E os banheiros são mistos.

Mariana P
Mariana PPermalinkResponder

Muito bom! Gostei do post, variando um pouco o foco dos leitores. Sou do time de viajar como se pode. No ano passado, fiquei uma semana num 5 estrelas e também me hospedei em albergue. Morei em Buenos Aires 2 meses em um albergue, com banheiro compartilhado. E todo mundo cuidava de deixar sempre tudo limpinho. A dica de Descobrir a hora da faxina do banheiro é ótima! Fiz isso logo na segunda semana e era sempre a primeira a estrear o banheiro limpinho.

Lívia Mochileira

Amei o texto, super bem-humorado e amei as dicas!! A da hora da faxina é a melhor!

"Entre as vantagens de já se ter feito uma ou duas viagens de mochila nas costas está não se tremer todo ao ouvir a expressão 'banheiro compartilhado'." hahahahahhahaha Mto bom!! Eu mochilo muito por aí, mas normalmente procuro hostels com banheiros nos quartos. Mas se for compartilhado, não tremo na base. A gente acaba acostumando.

silvia
silviaPermalinkResponder

Já estive no The Pod em Nova York com banheiro privativo, quarto minusculo mas com banheiro dentro. OK. Numa das ultimas vezes que estive lá, fiquei num quarto com banheiro compartilhado. O quarto ficava numa posição ( 90 graus ) de onde se via quem estava esperando elevador e ficava de quina para um dos banheiros do andar. Numa manha, acordo sempre bem cedo, abro a porta para ir a esse banheiro bem perto. Há varios pelo andar , ( cerca de 6, e vc pode ver a disponibilidade de cada um por um visor no quarto). Vejo que havia um homem esperando o elevador e eu queria ir de camisola mesmo pois era muito perto e estava com preguiça de me trocar ( era uma corridinha apenas ) Lá os banheiros são mistos ,mas individuais, e portanto vc tranca a porta após entrar e ele é só seu.
Pois bem, fiquei esperando o homem descer pelo elevador e deixei a porta encostada para observar este fato pelo olho magico. Penso que ele tinha me visto abrir a porta de camisola e observado que tinha deixado a porta encostada e o quarto estava no escuro para não acordar minha irma. Qual não foi minha surpresa quando ele deixa o elevador e entra no banheiro pretendido e deixa a porta aberta.Achando que eu tinha entendido o codigo, espera um tempo.... eu não vou, lógico ....Nessa altura achei que ele tinha ido ao banheiro de porta aberta e que ja ia embora. Vejo em seguida ele saindo do banheiro e se dirigindo ao meu quarto, e empurra a porta para entrar . Mas eu estava bem atras da porta e bati a porta com toda força de susto, fazendo um super barulho acordando minha irma e todo o andar. Ele sumiu....Falamos na recepção do ocorrido e eles nos informaram que a pessoa descrita e pela posição do quarto dele, outra ala etc, ja tinha ido embora. Iriamos nos mudar de andar na noite seguinte se ele ainda estivesse por lá .Conclusão: Cuidado ao se locomover pelos corredores sem roupa adequada.Os banheiros são limpissimos, limpos varias vezes ao dia, constatei entrando e saindo do hotel varias vezes ao dia.

val
valPermalinkResponder

que meda!

Bia
BiaPermalinkResponder

QUE HORROR!
é um dos motivos que me faz tremer de medo de banheiro compartilhado. mais ainda os mistos! neste caso que eram individuais tavez eu me sentisse mais segura mas lendo isso... BANHEIRO COMPARTILHADO jamais

Camila Torres - Colecionando Ímãs

Nossa, que medo que tenho dos bed bugs... Mais ainda que dos banheiros compartilhados !

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Sempre dou preferência a quarto com banheiro privativo... Quem não?
Mas há ocasiões em que não dá. Então encaro o compartilhado.
Amei as dicas, em especial a do sabonete líquido e a do banheiro da recepção.
A de pendurar as roupas na ordem em que vão ser usadas também é muito útil e eu já pratico quando necessário.

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Esses bed bugs novaiorquinos morrem com Baygon? Pergunto isso porque irei para NY em novembro e ficarei num apartamento alugado...
Mas, sério...Se aparecer algum desses bichos, devo ligar para a Airbnb e reclamar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Naila! Você terá o contato do seu anfitrião, pode falar com ele o que quiser.

Carlos
CarlosPermalinkResponder

Sabendo ter paciência e procurar bem, a gente encontra bons hoteis sem ter que ficar em um com banheiro compartilhado.

Em New York, fico em New Jersey !

Pago menos, tenho banheiro individual e vou de BUS até o Port Authority, pertinho de Times Square. São 15 minutos de viagem.

Em Setembro vou pagar US$115 (plus tax) num bom hotel em NJ.

Patricia Ribeiro

Tenho medo de albergues, meu orçamento de viagem sempre inclui um hotel com o mesmo conforto que eu teria em casa. Não consigo imaginar usar banheiro compartilhado,misto entao nem pensa! Gosto de tomar banho em paz. Acho muito legal quem consegue lidar com isso numa boa, infelizmente não consigo...

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Nunca tive oportunidade de usar um destes em viagem, mas adorei as dicas que são úteis em várias outras ocasiões.
A dica do banheiro da recepção é clássica! E é útil também no caso de você não ter um late check-out à disposição e precisar passar no hotel apenas para pegar as suas malas que ficaram guardadas enquanto você dava uma volta pela cidade.

Celina
CelinaPermalinkResponder

Minha experiência com banheiros compartilhados foi em Estocolmo num excelente alberque com localização melhor ainda, além de ter cozinha e copa, que facilita muito fazer e tomar seu café da manhã. Mas confesso que só fiz a reserva porque éramos três e ficamos com um quarto só para nós. Quarto compartilhado eu ainda não tive coragem.
O banheiro era limpíssimo, moderno e não pegamos uma fila sequer. Os gringos do meu andar, principalmente as senhoras (sim, pessoas de mais idade frequentam albergues)circulavam tranquilamente em seus roupões.As dicas devem ser seguidas à risca. Uma bolsinha de nylon ou um saco impermeável para levar tudo junto para o banheiro também é um ítem indispensável.Agora que um banheiro no quarto mesmo minúsculo é uma delícia, isso ninguém duvida.

Vladimir
VladimirPermalinkResponder

Olá!!!

Cheguei ontem de minha FANTÁSTICA VIAGEM PELA EUROPA.

Fiz o seguinte esquema!!! Comecei em hotéis baratos com banheiros compartilhados em PARIS e MUNIQUE e não tenho do que reclamar!!! Banheiros sempre limpos e sem espera! 50euros e 45euros/dia para o casal, respectivamente... Localizações ÓTIMAS!!! A única dificuldade é carregar as malas nas escadas. Depois, fomos melhorando e fomos para B&B, em FLORENÇA (apartamento MUITO BOM e COMPLETO) e SORRENTO (Quarto confortável e pequeno com banheiro, mas, com bastante escada). Finalizamos com um 3 estrelas em ROMA, que, acreditem, foi o que nos deu mais dor de cabeça... Chuveiro ruim e quebrado, geladeira ruim/fraca, cama velha e empenada e atendimento PÉSSIMO, "MUITO PÉSSIMO"!!! De todos, o único que minha mulher disse que não volta é o de ROMA... Ela tinha um pé atrás (eu também) com banheiro compartilhado, mas, essa preocupação acabou!!! smile

A Economia de ficar num banheiro compartilhado na Europa valeu muito a pena. Pois: 1º- Só entrávamos no hotel para baixar as fotos e vídeos para o computador, ler os e-mails e dormir ou tomar um banho no fim de tarde para sair de novo; 2º- Ficamos muito bem localizados em PARIS e MUNIQUE, por um preço bem abaixo do que vejo o pessoal falar e; 3º- Sobrou mais dinheiro para compras, passeios e alimentação.

Abraços,
Vladimir.

Maria Inês
Maria InêsPermalinkResponder

Oi, minha filha está estudando em Douai, norte da França, e morando em um alojamento em que somente os vasos sanitários são compartilhados com "meninos e meninas". Em que tipo de comercio na França ela consegue comprar estes Protetores descartáveis de assento sanitário???
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Inês! O termo em francês é couvre-siège WC.

Esta é uma das marcas:
http://toly.fr/

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

nossa, ODEIO compartilhar o banheiro pq sou MUITO fresca com isso... Quarto eu não ligo, mas banheiro é o meu ponto fraco... Mesmo na casa de amigos ou parentes, eu só vou ao banheiro com chinelo, já é hábito pra mim de qq jeito. A história do sabonete líquido eu nunca tinha pensando, mas é uma boa mesmo, e a ordem das roupas, essencial, pq se uma roupa minha cai no chão molhado no banheiro, eu não consigo usar não rs. Acho que esse trauma todo com banheiro é culpa dos mil acampamentos que já fui monitora nas férias desde a adolescência rs.

Renata
RenataPermalinkResponder

Também já tive essa experiência no ano passado, tive que ficar em local com banheiro compartilhado, misto, em Copenhague, Dinamarca - não havia opção! Primeiro dia: esqueci a toalha (lógico que descobri debaixo do chuveiro), ainda bem tinha ido com roupão; segundo dia: encontro uma criatura somente de toalha (de rosto) enrolada na cintura; precisei de muita cerveja todo dia pra encarar a situação e sempre esperava tarde da noite pra tomar banho. E da-lhe lencinho umedecido, álcool 70 pra limpar o vaso, e vista grossa para os cabelos e pentelhos que via espalhados pelo chuveiro, pia, vaso...mas os quartos eram limpos, a cama ótima, will-fi funcionando superbem, a localização era ótima. E Copenhague muito linda. Certamente foi uma viagem inesquecível...

sara
saraPermalinkResponder

eu ainda não consigo dividir quarto e banheiro. .ainda mais porque viajo sozinha na maioria das vezes.. não me sinto muito segura. Acho que se planejando bem e com antecedência, dá pra pagar um preço razoável em nome de tranquilidade e conforto. Em Paris por ex paguei 70 euros num simples, porém otimo hotel bem localizado (entre o 11ème e o 3ème, mais perto desse ultimo) e com banheiro no quarto... em Portugal, 50 euros.. prefiro esperar um pouco mais e viajar tranquila do que ficar desconfortavel durante toda uma viagem. Mas se um dia tiver coragem, encararia tudo menos o quarto/banheiro misto.. isso não dá pra encarar não.. ainda mais levando em conta alguns relatos que vi aqui.