Como viajar melhor durante a gravidez (deixe suas dicas!)

  • 0
Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Ecografia

A Cacá planejava uma viagem à Europa quando... descobriu que vai ser mamãe! Junto com a boa notícia veio uma preocupação – mesmo com o aval do médico, será que o corpo agüenta o ritmo de uma viagem dessas?

A Sut-Mie Guibert, do blog Viajando com Pimpolhos, indica o segundo trimestre de gestação como a melhor época para viajar, e tem dicas práticas para um maior conforto da mãe durante os vôos. Além disso, comenta sobre a idéia de Babymoon: uma oportunidade para os pais se curtirem antes da chegada do neném.

A Adriana está esperando o primeiro filho e tem relatado no blog Dri Everywhere suas impressões sobre viagens e gravidez. Uma sugestão importante que ela dá é não esquecer de levar uma farmacinha com tudo o que se possa precisar, uma vez que os remédios permitidos à mãe nesse período são restritos. Ela sempre leva contatos de médicos do seu local de destino que falem inglês, para qualquer eventualidade.

A Luisa, do Arquivo de Viagens, fez um excelente comparativo entre viagens de avião, carro, barco e trem durante a gestação. Entre outras dicas, recomenda escolher destinos onde se tenha facilidade de comunicação, e divide com os leitores a orientação de sua médica: melhor evitar lugares muito frios, muito quentes ou muito altos, que podem causar mal-estar.

Você viajou durante a gravidez? Quais cuidados indica às futuras mamães que estão de malas prontas? Que roteiros sugeriria como grávida-friendly? Tem dicas para a viagem da Cacá à Europa?

Aos comentários!

Leia também:

34 comentários

Marcos Vinicius

Nós viajamos a Cancun no segundo trimestre (4 meses e meio) de gestação da Roberta e foi ótimo.
Claro que "cada caso é um caso" mas é inegável que o segundo trimestre é o mais tranquilo, pois a mulher normalmente não tem mais enjôos e a barriga ainda não pesa o suficiente para atrapalhar as atividades normais. Dá para aguentar uma viagem mais longa sem problemas.
É claro também que evitamos algumas coisas na viagem, como mergulhos e passeios aos parques de aventura de Cancun (como Xcaret e etcs). Precaução e canja de galinha nunca é demais, já dizia minha avó.
Uma recomendação importante: faça um seguro de viagem que contemple gravidez. A maioria deles não cobre atendimentos relacionados a gestação, ou seja, são inúteis. Isso inclui o seguro do seu cartão de crédito, que só cobre coisas básicas e pré-definidas.
Eu fiz nosso seguro na Coris e paguei um extra de US$45,00 para incluir a gestação. Não precisamos usar o seguro então não sei dizer se é bom ou ruim, mas no momento da contratação achei muito bons os valores de cobertura e os benefícios.

Sut-Mie | Viajando com Pimpolhos

Eu vim correndo, mas aí vi que o nosso post já está linkado (merci). Na primeira gravidez, fui para Porto de Galinhas (aos 4 meses) e Bariloche (aos 6 meses, só não esquiei, claro). Na segunda, Porto de Galinhas de novo (4 meses) e França (6 meses). O principal é a gravidez estar correndo bem, sem nenhum problema, e como a mulher está se sentindo. wink

Tatiane R Lima

Olá Sut-Mie, estou indo para peru, chile e argentina..cruzando a cordilheira em dois momentos principais...estou indo de carro... Gostaria de saber se a altitude afetou vc de alguma forma por estar grávida... eu estou com 4,5 meses e ainda tenho dúvida de como vou reagir...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tatiane! Você consegue falar com a Sut-Mie no blog dela, o http://www.viajandocompimpolhos.com .

Chris
ChrisPermalinkResponder

Em abril do ano passado já com passagem comprada para Borgonha na França me descobri grávida do terceiro filho. Com uma menina de 3 anos, um menino de 8 meses, nenhum histórico de problemas nas duas primeiras gravidezes e o aval da médica, lá fomos eu e meu marido para uma viagem de 12 dias entre Paris, Dijon, Côte-de-Nuits, Puligh Montrachet e Beaune. A região é conhecida como a área gourmet da França, fui disposta a experimentar de escargots a novos temperos. Tudo foi bem até me encontrar com um singelo Coq au vin muito temperado e gostoso diga-se de passagem. Me marido não teve nada mas eu comecei a passar mal ali mesmo no banheiro da vinícola. Perdi 2 dias da viagem com fortes diarréias, vômitos e cólicas. Perdi 2 jantares 3 estrelas michelin e por um tris não retornei ao Brasil antes da hora. Também fiquei muito apreensiva pelo bêbe apesar de toda experiência.Apesar de ter seguro médico ir ao hospital sempre é complicado no exterior, graças a Deus melhorei logo. Fiz um regime chá e torradas o resto da viagem que correu bem. Apesar do susto a viagem foi excelente. Chegando ao Brasil fiz um ultrassom e hoje a pequena tem 10 meses. Portanto minha dica é cuidado com o que vai comer durante uma viagem grávida, o estômago fica muito sensível.

Dri Miller
Dri MillerPermalinkResponder

Bem, como conto em meus "relatos" já linkados no post, tenho viajado praticamente todas as semanas, desde que descobri que estava gravida.
Por sorte estou tendo uma gravidez super tranqüila, saudável e confortável fisicamente, então as dezenas de viagens feitas nos ultimo 5 meses nao foram nada diferentes doque nossas viagens "civis" anteriores.
Porém como o seguro morreu de velho, claro que atividadesde risco foram cortadas (mas fiz caminhada nas dunas do deserto da Namíbia sem problemas), nao saio de casa sem os contatos do seguro saúde e médicos que fazem atendimento em Inglês e tenho sido mais precavida a mesa.
E agora éramos na fase de preparativos finais para nossa Babymoon no final de setembro! (que deve marcar o fim das viagens - de avião pelo menos - até que a terceira passageira esteja nos acompanhando!

alex serpa
alex serpaPermalinkResponder

Eu viajei com minha esposa para a Europa quando ela estava com 4 meses e meio. Resolvemos não ir aos EUA fazer compras, mas sim fazer uma última lua de mel. Foi maravilhoso. Fomos para Amsterdam, Bruxelas, Londres e Madrid, durante a primavera. A viagem não tem o mesmo ritmo, não dá para ficar na rua direto, andando muito. Por isso, todo dia voltávamos à tarde ao hotel para descansar um pouco. Andamos de trem, avião, metrô, ônibus, à pé...Parávamos para comer de 3 em 3 horas, pois minha esposa não podia ficar muito tempo sem comer, senão enjoava. Uma grande vantagem foi o clima frio (até Madrid, a temperatura média era de 8 graus, em maio, bastante frio), pois nos permitia ficar mais tempo andando, sem cansar muito. Quando chegamos em Madrid, a temperatura subiu para 26 graus, tornando o dia a dia muito difícil, por isso antecipamos em 5 dias a volta (ainda íamos para Barcelona). Assim, se puder dar uma dica, diria para procurar um lugar mais fresco na Europa, pois vai ser mais fácil. Os maridos também precisam estar em boa forma, pois carregar malas e bolsas passa a ser a responsabilidade principal e exclusiva. Outra coisa, vale a pena comprar roupinhas para o futuro herdeiro, pois lá é mais barato. Carrinho não vale, mas roupas são excelentes.

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

Já fiz uma RTW na companhia de uma grávida (incluindo o Camboja) e já viajei, grávida, pro Canadá, pros EUA, Rio Grande do Sul e Tiradentes. Concordo que o segundo trimestre é o melhor, já passada a primeira fase (mais perigosa e propensa a enjôos) e ainda bem longe do parto. Seguro-saúde é fundamental, como ressaltou o Marcos Vinícius. Além disso, eu acho que viajar para lugares mais pasteurizados deixa todo mundo mais tranqüilo (tenho uma amiga que se descobriu grávida na Índia e não curtiu nada da viagem, o tempo todo preocupada com a comida e com doenças). Também não dá pra encarar atividades "arriscadas", como esportes radicais e montanhas russas. A farmacinha é indispensável (apesar da gente não poder tomar quase nada, mesmo), e não esqueça as vitaminas - que nunca se sabe, nas férias, se estamos comendo tudo direitinho que devíamos (e nem seriam férias se estivéssemos). A minha médica recomendou usar aquelas meias de pressão nos vôos longos (não suportei a meia-calça inteiriça, fiquei cozida; mas a até o joelho realmente ajuda a não inchar tanto) e não esquecer de andar bastante, fazer exercícios com os pés, e beber muita água. Ficar perto do banheiro (ou pelo menos na poltrona do corredor) no avião não é má idéia. Não esqueça de confirmar com o médico, mas leve algum remédio para enjôo (pra mim, Dramin rules). Como a gente fica sempre com fominha, e não é bom ficar muito tempo sem comer, levar uns lanchinhos é ótimo - eu caprichava nos saquinhos cheios de frutas secas, nozes e amendoins. Sapatos confortáveis são essenciais (não esqueça de levar uma rasteira ou chinelos para os dias quentes, em que os pés incham). Tire muitas fotos com o barrigão (pode estufar a barriga, não tem problema) pra mostrar pro pimpolho depois - são as melhores fotos de gravidez possíveis.

Gravidez correndo bem, é uma delícia viajar. E não esqueça de comprar umas camisinhas turísticas dos lugares pro bebê "viajado" saracotear depois fora da barriga wink

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Estávamos com uma viajem programada pra os EUA (NYC/MIA) com 3 meses de gravidez. Mas deu no ultrassom que minha esposa está com a implantação da placenta cobrindo o OCI.
Será que o médico vai liberar?

Clara Azzoni
Clara AzzoniPermalinkResponder

Pelo que vi aqui está tendo um baby boom entre as blogueiras. Eu sempre fiquei curiosa sobre como essas meninas viajavam tanto e não paravam para procriar smile Agora estou sabendo que a hora delas também chegou, se bem que ainda faltam muitas...

Como a maioria aqui, sou viciada em viajar. Estou grávida e em dezembro meu filho estará com 2 meses e meio. Estou pensando em fazer uma viagem de carro de uns 15 dias pela Patagônia chilena e argentina nessa época, aproveitando umas férias. Ninguém está recomendando, dizendo que o menino ainda não vai ter tomado todas as vacinas e que vai alterar muito a rotina dele. Eu acho que dá. O maridão disse que se eu topar ele também encara e ele acha que por ser de carro e por ser América do Sul tudo fica menos difícil. Depois do sétimo mês de gravidez (estou no oitavo) não viajei mais e já estou m-o-r-r-e-n-d-o de saudades. Alguém tem alguma opinião a dar sobre viajar com criança BEM pequena? Bóia, não seria legal ter um post só sobre isso, para complementar os posts de viagens com crianças?

Cintia F
Cintia FPermalinkResponder

Clara,
tenho uma filha que completou 1 ano em agosto e já viajou de avião mais de vinte vezes... Por isso, acho que tenho alguma experiência no assunto!
Não faria, jamais, uma viagem como essa que você quer fazer. Pode ser que dê tudo certo e que você volte com muitas histórias para contar, mas um bebê, principalmente com menos de 3 meses, ainda tem a imunidade muito baixa. Em um dia pode estar tudo bem e, no outro, a saúde estar muito debilitada. Acho muito arriscado fazer esse tipo de viagem com um bebezinho ainda tão pequeno. Se acontecer alguma coisa, você não vai se perdoar nunca...
Quanto às viagens durante a gravidez, eu fiz algumas, antes de completar 28 semanas, e foram todas ótimas.
Fui para Paris, no inverno, com 8 semanas de gestação e, tirando os enjôos, tudo correu muito bem! Também fui para Miami, com 5 meses, e a viagem foi maravilhosa! Zero incômodos... Fiz algumas viagens nacionais e todas foram ótimas. Mas com 28 semanas eu sosseguei totalmente. Meu conselhos são respeitar o seu corpo e o seu médico (cada gravidez é única, o que se aplica a uma, não se aplica à outra) e sentar no corredor quando a barriga já estiver mais pesada, porque esticar as pernas faz toda a diferença...

JUJu
JUJuPermalinkResponder

Eu não faria de maneira alguma. Sou mãe, já viajei muito com crianças, mas levar um bebê para a Patagônia me parece um tanto absurdo! Se você "precisa" mesmo viajar, espere até pelo menos seis meses, procure algum lugar com estrutura e que você respeite as necessidades dele,e não que ele tenha que seguir as suas vontades! Agora, você não pode pensar mais só em você e nos seus "vícios"!

Carolina Oliveira

Apesar desse comentário ser antigo, ainda me arrepia como as pessoas se intrometem na vida dos outros! Aqui é para relatar como foi a Baby Moon , dicas etc... E não para comentar de maneira maldosa a vida dos outros. Q absurdo!

Vinícius (mais do que uma viagem)

O meu primeiro filho (Fernando) já está com quase 10 meses, mas durante a gestação minha esposa e eu fizemos diversas viagens. Fomos para Florianópolis (2 meses de gestação), Ouro Preto (4 meses), Foz do Iguaçu (5 meses) e Itália, Suiça e Portugal (6 e 7 meses). Além disso fomos 3 vezes para a minha cidade natal (São José do Rio Preto). Todas as viagens foram bem tranquilas. É óbvio que o ritmo das viagens foi mais tranquilo do que o usual. Estivemos na Itália em Setembro e num calor de mais de 30 graus, portanto saíamos do hotel antes das 7 e retornávamos antes das 14 horas. Depois, saíamos para jantar, tudo em umritmo bem tranquilo.

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Fomos no quinto mês de gravidez por 20 dias para Miami e Orlando. Além de meia especial para o voo, o que cuidamos foi dela estar sempre com água por perto e não se cansar demais... tendo sempre onde parar para relaxar.

Ao final, foi uma das viagens mais 'light' que fizemos, tudo tranquilaço, e ótimo prá montar o enxoval da filhota - que aliás, chegou agora cedo de Londres de sua primeira viagem, com 5 meses de nascida...

Luciana Bordallo Misura

Bom, eu viajei grávida muuuuitas vezes, nas duas gravidezes, até 34 semanas, que foi até quando o médico autorizou. Inclusive fiz uma viagem de 15 dias pra Europa no primeiro trimestre, que está aqui: http://luciana.misura.org/2011/04/27/indice-da-viagem-para-a-europa/

Quase todas as viagens que fiz ano passado eu estava grávida, inclusive a ConVNVenção em NY quando conheci o Riq e os outros trips, estava com 15 semanas, Punta Cana já com um barrigão de 20 e tantas http://luciana.misura.org/2011/06/07/punta-cana-resumo-de-viagem/ Flórida, San Diego já no último final de semana que eu podia viajar com 34 semanas: http://luciana.misura.org/tag/san-diego-em-3-dias/ entre outras smile

Se a grávida está se sentindo bem, não é uma gravidez de risco, é só pegar leve e não forçar a barra. Por exemplo, eu não encarei subir a escadaria até o topo do Arco do Triunfo nem ao topo da torre da Notre Dame grávida. E claro, viajei com ótimos seguro-saúde e tinha os telefones todos dos médicos a mão. O importante é ter bom-senso e praticar o slow travel. Viagem maratona definitivamente não é para grávidas. E já pode se acostumar pra viajar com criança depois, porque o ritmo vai mudar mesmo.

Cintia
CintiaPermalinkResponder

Ótimo post. Acho que isso é importante para a maioria das pessoas que amam viajar, mas estão na idade de pensar no herdeiro. Eu já adiei o meu primeiro filho por alguns anos justamente para poder viajar e conhecer alguns lugares que tanto quero, mas acho que não vou poder continuar pois mais tempo, pois a idade chega e juntamente com ela a maior preocupação: como e quando poderei viajar novamente!!! Por isso Riq: monte alguma coisa para nos ajudar!!! Viajar grávida, viajar com pimpolhos, viajar com nenéns, etc...

Érica França

Não tive coragem de ir aos Estados Unidos grávida, pois já não me sinto bem no avião em voos longos mesmo sem a gravidez. Preferi não arriscar. Mas fui ao Sul no segundo trimestre e foi tudo tranquilo. A única coisa é que ainda estava enjoando um pouco e enfrentando cansaço, então reduzi os "lerês" e as loooongas caminhadas, das quais sou adepta. De resto, tudo normal.

Agora vou começar a encarar as viagens com a bebê fora da barriga, o que ainda me assusta. Mas as dicas dos blogs citados são demais. Beijos.

Cacá
CacáPermalinkResponder

Olá, a todos!! Queria agradecer muitíssimo as dicas e sugestões, ajudaram bastante e me deixaram mais tranquila com relação à viagem! Felizmente, minha gravidez está sendo ótima, estou com 9 semanas e só sinto enjoos ocasionais, muuuuito leves... Minhas férias estão marcadas para a 2ª quinzena de outubro, quando devo estar com 15/16 semanas.
Nossos planos não são muito ambiciosos, pensamos em conhecer Portugal, alugando um carro para ir de Lisboa até o norte do país, com uma esticada até Santiago de Compostela. Meu médico liberou, disse que os riscos que eu corro são os que qualquer pessoa correria, e que não há nenhuma contraindicação quanto à viagem de avião. Recomendou uma meia elástica e disse que provavelmente eu devo engordar com a comida de lá, rs.
Agora preciso correr para organizar o roteiro. Nem passagens comprei ainda, pois estava muito insegura!
Espero que dê tudo certo, e que em breve eu possa voltar aqui pra compartilhar minhas próprias experiências de viagem grávida!
Abraços a todos os trips!

edvania dos santos

estou com 7 meses e duas semanas de gravidez . quero viajar pra al maceio de onibus tem algum risco? mas ate agora estar td bem com mingo e com beber

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Edvania! Melhor do que perguntar para nós é perguntar para o seu médico wink

laura lady Teixeira

Estou com 10 semanas de gravide, e quero fazer uma viagem de 7horas
Eu gostaria de saber se é seguro? ???

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Laura Lady! Você está ainda no começo da gravidez, mas de todo modo converse com o seu médico smile Não podemos nos responsabilizar. Veja os relatos de mamães experientes acima.

Grazi
GraziPermalinkResponder

Acabamos de chegar da nossa viagem de lua de mel,
estou de 21 semanas,
fomos para Santiago e depois Buenos Aires.
Consultei 3 dias antes da viagem e peguei os atestados caso alguma companhia aérea pedisse.
Fomos de TAM pedi o banco preferencial para gestante, meu marido teve que pagar 30 dólares para ir ao meu lado.
Os acentos são os primeiros depois da classe executiva, mas vale muito a pena, pois possibilita esticar as pernas.
Na volta de Gol a experiencia foi ainda melhor, meu marido não pagou nada para ir ao meu lado e o espaço era bem maior que o da TAM e como não havia a executiva estávamos ao ladinho do banheiro, o que facilitou muito, pois de BsAs a São Paulo tive que ir duas vezes.
Adorei as preferencias nas filas da alfandega e embarque que estavam sempre enormes.
Durante a viagem toda só passei mal quando subimos as cordilheiras, puderá 3000m de altitude e de curvas. E quando exagerei na comida do Astrid y Gastón.
O vôo Santiago/Buenos Aires foi feito de Austral, como era curto e ainda tinha uma conexão onde pernoitamos em Mendoza, não solicitei o acento especial. Me arrependo de não ter procurado um voo direto. Não vale a pena pernoitar só uma noite em Mendoza.
No mais foi tudo tranquilo.
Considerações finais:
- Viaje só depois dos 3 meses de gestação.
- Entre TAM e Gol, escolha a Gol. Maior espaço, melhor atendimento e acompanhante não paga a poltrona preferencial.
- Tome bastante água.
- Mecha bastante com os pés durante o vôos, estique as pernas.
- Veja dicas de restaurantes antes de ir, não coma em lugar duvidoso.
- Conte para todos que está grávida, ganhamos até presente durante a viagem.
- Aproveite para pegar as dicas com os pais que viajam com crianças. Para as próximas viagens.
- Use e abuse das filas preferencias.
- Se o destino for o Santiago, pense 2x antes de subir as cordilheiras.
- Coma lentilha e outras leguminosas para substituir a falta absurda que o feijão faz.
- Não esqueça de pedir o acento preferencial no check in.
- Use roupas confortáveis e calçados abertos.

Boa Viagem.

Grazi
GraziPermalinkResponder

Ah,
e faça um bom seguro viagem.
Graças a Deus não precisei, mas me senti segura a viagem toda.

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Qual seguro de viagem para gestantes vocês recomendam?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mariana! Mais acima, o Marco Vinicius indicou a Cori:
http://www.viajenaviagem.com/2012/09/viajando-durante-gravidez/comment-page-1/#comment-232501

O importante é que você contrate esse seguro por telefone ou com um agente. Assim você fica sabendo a exata extensão do seguro. Se você contratar um standard pela internet provavelmente não estará bem coberta, devido às situações específicas.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Li sobre o worldnomads, uma empresa australiana. Alguém ja usou?
Mandei um email para eles perguntando sobre cobertura para gestantes, vamos ver se respondem...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Como já comentamos acima, o maior problema da WorldNomads é o fato de ela só atender em inglês (tanto na emergência quanto depois, nos pedidos de reembolso). Fora isso, os clientes são só elogios. Mas não sabemos sobre cobertura para gestantes.

Marcela
MarcelaPermalinkResponder

Fiz diversas viagens pelo Brasil quando estava grávida, porém a mais longa e a última foi para a Itália, por 15 dias, já com 6 meses de gestação. Fomos no verão e o calor eh de fato insuportável. O importante é vc sempre conversar com o seu médico antes, explicar para onde vai, o que pretende fazer e ele te dará as diretrizes. Ainda, viaje bem confortável e respeite os limites do seu corpo. Se não der para ver tudo na velocidade que está acostumada, paciência! Viajar eh uma delicia, mas a prioridade, nesse momento, é outra. Ah, e claro, meias Kendall em voos longos (ninguém merece kkkkkk) e caminhe um pouco a cada 2 ou 3 horas, pois a circulação da gestante é um pouco complicada. Faça um seguro viagem, pois vai que.... E seja feliz!! Tudo da certo!

Kelly Cristina

Estou angustiada, com 9 semanas tive cólica e um pouco de sangramento e estou com uma viagem marcada para a 13º semanas e estou de 11 semanas e me sinto ótima. Uma viagem perto de carro 3 horas; acho que não havera problema não sinto mais enjoo e estou bem.

fatima Regina chaves

Estou com 8 semanas e 6 dias eu posso viajar de carro de Blumenau para Lages e tomar banho em piscinas não causa aborto a viagem e nem a piscina

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fátima! É o seu médico, que sabe exatamente as condições da sua gestação, quem pode dar ou não o aval para que você faça a viagem.

Isabela Bastos

Oi Mariana! Eu estou aqui estreando como grávida e blogando sobre viagens.
Fui recentemente para a Chapada dos Veadeiros, e consegui provar que o destino não é só para os fitness smile

Fiz trilhas bem tranquilas e fui seguindo meu ritmo.

http://www.thelifeofisa.com.br/2015/12/gravida-na-chapada-dos-veadeiros-sim.html

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar