Miami: um roteiro com 50 dicas selecionadas

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

South Beach, Miami

Lugar de ótimas compras, praias e  baladas, Miami se mantém firme e forte como um dos destinos de viagem favoritos dos brasileiros. Selecionamos 50 dicas de leitores para descomplicar a escolha da hospedagem, do aluguel de carro e dos passeios. E, claro, incluímos sugestões para comprar bem, barato e bastante. Aproveite as sugestões dos nossos especialistas, monte o seu roteiro e boa viagem!

--> ROTEIRO

Gabriel
Passei 7 dias em Orlando e depois dois dias em Miami, sem compras, só para relaxar e curtir a cidade. Em Orlando a taxa é mais barata, sendo mais vantagem para itens de maior valor. Relato completo aqui.

Amaro
Utilizei da seguinte estratégia: para não encarar as 4 horas de carro entre Miami e Orlando direto do aeroporto, almocei em Miami e segui no início da tarde para dormir em West Palm Beach. Deu super certo, lá tem um centrinho com lojas e restaurantes que dão um footing bem legal. No outro dia saí bem cedinho para o Legoland em Winter Haven com as energias renovadas, tendo cortado os primeiros 100 km. Em tempo: essas 4 horas para Orlando podem se estender um pouco mais com os eventuais engarrafamentos. Peguei um por causa de um acidente que esticou a viagem em meia hora pelo menos. Relato completo aqui.

Cintia
Ficamos alguns dias em Miami com compras, passeios, restaurantes e um cruzeiro pelo Caribe que incluiu Key West, cidade que estava louca para conhecer, mas sem fazer bate-volta e nem ficar hospedada. Somente depois de bem descansados é que pegamos o carro novamente, para ir de Miami a Orlando. A diferença nos valores das passagens para chegar por Miami e fazer o retorno por Orlando foi mínima e valeu muito a pena. Relato completo aqui.

Tatiana
Aproveitamos para fazer um cruzeiro da Norwegian Cruise Line que saía na sexta à tarde e voltava na segunda de manhã, e o roteiro eram ilhas das Bahamas. Simplesmente lindo! No sábado ele parava em Nassau durante o dia. No domingo a parada era em Great Stirrup Cay, uma ilha privativa onde só param os navios da NCL. Lá você tem alguns passeios pagos disponíveis, mas também tem de graça várias estruturas oferecidas pelo navio como cadeiras de praia, almoço, etc. O desembarque é na segunda cedo. O custo total em 2011 ficou em 280 dólares por pessoa. Relatos completos aqui e aqui.

Flavia
Passei o Réveillon de 2009/2010 em South Beach e adorei! Estava hospedada com a família em Coral Gables e fomos de carro até Miami Beach em torno de 21h30. Não havia trânsito. É bem difícil parar o carro, mas nada comparado ao caos nas praias brasileiras. Optamos por pagar 20 dólares e deixar no estacionamento fechado de um hotel na Collins. Jantamos num restaurante na Collins e fomos para a Ocean Drive, que encontrava-se fechada para carros. Os bares desta rua prolongaram suas áreas de mesas na calçada, ocupando-a por inteiro, e os pedestres utilizavam-se da rua para transitar. Cada bar tinha sua programação musical, ceia e etc. Como estávamos com criança, optamos por assistir apenas a queima de fogos, circular um pouquinho pela orla, tomar uns drinks e ir embora. Não sei dizer se estas festas valem a pena ou não, mas se estivesse sem criança, teria ido para conhecer. Os fogos são bem bonitos e como fui sem esperar quase nada, fiquei surpresa. Tudo muito organizado e seguro, cheio, mas sem muvuca. Lembrando: não é permitido beber na praia ou no calçadão, portanto nem pense em levar garrafa de champanhe para estourar à meia-noite. Pelo menos no trecho da praia que estávamos (perto da 10th Street) também não era permitido ir na areia por causa dos fogos, então nada de pular 7 ondas por ali também. Apesar destas diferenças, gostamos muito. Relato completo aqui.

Leia mais: De Orlando a Miami de carro

Leia mais: Orlando: um roteiro com 60 dicas selecionadas

Wynwood Arts District, Miami

--> ATRAÇÕES

Gleice
Uma dica que tenho é lugar uma bike e fazer um passeio por toda a extensão da praia, e depois dar uma passadinha na Lincoln Road para se refrescar com um belo sorvete. Relato completo aqui.

Erika
Adorei alugar bicicletas em Miami! Há varios pontos de retirada e devolução de bikes espalhadas por South Beach, e você pode explorar vários locais turísticos de bike. Para usar o sistema basta ter um cartão de crédito. O sistema de aluguel de bikes é o DecoBike. Relato completo aqui.

Marilia
No Wynwood Arts District, o segundo sábado do mês é a pedida: todas as galerias abrem, tem shows no meio da rua, food trucks gourmet estacionam em terrenos por ali, todos os bares ficam cheios, é uma beleza! Fui de dia para ver com calma os painéis e voltei à noite pra festa. Relato completo aqui.

Ana Paula
Muita gente fica espantada quando digo que fui a Miami basicamente para curtir a praia. As pessoas costumam associar a cidade às compras e não sabem o que estão perdendo. Achei a temperatura da água muito agradável. Relatos completos aqui e aqui.

Felipe
Um bom passeio é ir em Haulover Park, em North Miami Beach! Pros adeptos ou curiosos, lá tem uma praia (Haulover Beach) que tem um trecho da faixa de areia que é para a prática de naturismo. Acho muito legal essa praia, cujo nudismo não é obrigatório (apesar de a maioria ficar sem roupa) e é muito bem organizada. Tudo isso cravado em plena Miami. Vejo poucos brasileiros por lá! Relato completo aqui.

Leia mais: Miami além das compras (com mapa e vídeo!)

Hampton Inn, Miami

--> ONDE FICAR

--> Hotéis

Fabiana
Escolha a localização de acordo com as suas prioridades e se estará de carro. Ficar perto do aeroporto é mais barato, e você tem mais fácil acesso tanto a Miami Downtown quanto a Miami Beach. Em Downtown há boas promoções de hotéis executivos nos finais de semana. South Beach é mais caro, mas é bom para passear, andar a pé, e melhor se ficar hospedado perto da Lincoln Road. Mid Beach e North Beach têm preços mais econômicos que South Beach. Aqui estará mais longe dos outlets mas perto de boas compras no Aventura Mall, nas lojas da Lincoln, Collins etc. A hospedagem em Fort Lauderdale facilita tanto o embarque/desembarque de cruzeiros quanto o acesso ao Sawgrass. Relato completo aqui.

Guido
Eu fiquei no SpringHill Suites by Marriott Miami Airport South, o estacionamento é grátis, e bem próximo do aeroporto. Instalações muito boas. Como o propósito era um hotel próximo do MIA, foi um excelente achado! Relato completo aqui.

Anelise
Eu fiquei no Best Western Premier Miami International Airport, estacionamento grátis. Perto do aeroporto, hotel novo, recomendo. Escolhi pela proximidade ao aeroporto, mas acho uma boa pra tudo, a distância de South Beach é recompensada pelo preço, e estando de carro é tranqüilo. Relato completo aqui.

Cris
Fiquei hospedada no hotel Sofitel Miami. O estacionamento é gratuito e, apesar de não ser muito grande, não tive dificuldades para conseguir vaga. Além de ser próximo do aeroporto e oferecer mimos da L’Occitane. Relato completo aqui.

Roberta
Ficamos no Hyatt Place, na região do aeroporto, que eles chamam de Doral Area. Achei o hotel muito bom, o quarto bastante espaçoso, o colchão é excelente, assim como os travesseiros. Tem algo raro em Miami – café da manhã e estacionamento incluídos! O café da manhã é bastante razoável pra nós brasileiros que não curtimos muito aquele bacon and eggs já de manhã cedo. Tem de tudo: leite, café, descafeinado, vários tipos de suco, bagel, cream cheese, geléias, manteiga, 3 tipos de cereal, pão integral e branco, e algumas frutas. Pra quem quer se concentrar mais em compras e em descansar, e não badalar em South Beach, vale muito a pena a localização, pois não é longe do Sawgrass e do Aventura Mall. Relato completo aqui.

Wilson
Dividimos nossa viagem em duas partes: lazer em Miami Beach no hotel National (sem café da manhã, e US$ 35 a diária do estacionamento) e para compras ficamos 3 dias no Hampton Inn Miami/Dadeland, excelente custo/benefício: Incluído: estacionamento, café da manhã decente, transporte para os principais shoppings. Relato completo aqui.

Erika
Fiquei hospedada no Hilton Bentley em South Beach. O hotel é excelente, em frente à praia e ao lado do Nikki Beach. A praia é ótima para fazer caminhadas e descansar. Relato completo aqui.

Kely
Fiquei no South Beach Plaza Villas. O hotel é bem simples, tem um café da manhã básico, com cereal, iogurte, café suco, bagel, muffin e fruta. O quarto tinha 2 camas de casal king, uma no quarto e outra no quarto/sala, e um sofá-cama. A cozinha era completa, comprávamos comida no mercado para comer lá. O hotel fica na Collins Ave. com a 14th st, numa ótima localização e vai abrir uma Walgreens na frente. O valet custou US$ 25 por dia. Cheguei e minhas encomendas já estavam no hotel, que não cobrou para guardá-las, mas cobra se forem encomendas volumosas. O atendimento foi muito bom. Relato completo aqui.

Bruno
Fiquei no Grand Beach Hotel, em North Miami Beach: um hotelzão com praia quase privativa, com quartos excelentes, serviços e estrutura idem. Relato completo aqui.

Marcelo
Uma opção excelente para quem viaja com a família ou em grupos de até 6 pessoas: Eloquence On The Bay, em North Bay Village/North Miami Beach. Novo, espaçoso, com cozinha completa, máquina de lavar, etc. e com vagas de estacionamento cobertas sem custo adicional. Me hospedei lá com minha esposa e mais 3 amigos. Utilizamos 2 carros e ambos ficaram no estacionamento do hotel sem custo algum. Relato completo aqui.

Maria Célia
Consegui pelo Priceline um hotel em que nem nos meus sonhos mais loucos imaginei que poderia me hospedar. O nome dele é Mondrian, fica na West Avenue. A localização é boa, não a melhor, mas é boa. Com disposição, dá pra ir a pé à Lincon Road, à praia e outras coisas da região. O hotel é deslumbrante, extremamente confortável e o serviço é de primeira. O único porém é que quase nada está incluso no preço da diária, mas essa parece ser a prática em Miami. Café da manhã e estacionamento, por exemplo, são impraticáveis (US$ 37 por noite de estacionamento!), mas há ruas próximas em que o estacionamento é liberado, só não é tão fácil achar lugar. Para o café da manhã, há um Starbucks do outro lado da rua e algumas outras opções um pouco mais próximo do centrinho e da praia. O hotel não fica do lado da praia e sim da baía, mas os hóspedes podem utilizar o serviço de praia do Delano. Poder utilizar, porém, não significa que é de graça: US$ 20 por item, por pessoa, são cobrados direto da sua conta do hotel. Ficar hospedado no Mondrian é caro, mas é um luxo. Relato completo aqui.

Douglas
Fiquei no Albion e recomendo sempre para quem vai a Miami. Hotel bem localizado, dá para fazer muita coisa a pé, quarto bom, piscina legal, só não recomendo o café do hotel... caro e poucas variedades (recomendo ir na La Provence, quase na esquina da Collins, muito bom o café lá). Relato completo aqui.

Thiago
Fiquei no Sagamore agora em maio e recomendo. Vizinho ao Delano, é pé na areia, serviço ótimo. Muitas obras de arte por todo o hotel, ambiente bastante agradável, sofisticado, sem exageros. Durante a minha estadia, o público era tranqüilo, casais jovens, alguns poucos com filhos pequenos, nada de muito hóspede baladeiro e barulhento. Piscina bem legal também. Bons quartos, amplos, mobília nova, estilo contemporâneo, alguns com mini-cozinha. Serviço de praia também muito bom, com garçons ágeis (fiz um pacote chamado Sagamore plan que incluiu café da manha, cadeira e sombreiro na praia mais internet por US$ 18 por dia, por pessoa). O café da manhã é variado: pães, frios, ovos, bacon, salmão defumado, waffle, sucos naturais, cereais... Tem manobrista e estacionamento (custou US$ 37/dia, o que não é um absurdo pra South Beach). Concierge resolutivo. Relato completo aqui.

Carla
O Fontainebleau é um mega hotel com preço um pouco salgado pois tem uma proposta mais luxuosa. Pé na areia, com uma piscina sensacional e um restaurante na beira da praia muito agradável. A boate de lá é famosa pelas baladas. O hotel é mais afastado do agito e é para quem está de carro. Relato completo aqui.

Denise
Fiquei no SoBeYou em South Beach e gostei bastante. É um Bed and Breakfast cotadíssimo no Tripadvisor. Relato completo aqui.

Kah
Fiquei no Kent Hotel, em South Beach, na Collins Avenue. Em termos de localização, é ótimo: fica bem perto da praia, logo atrás da Ocean Drive, bem na altura de um ponto de aluguel de bicicletas – o DecoBike - que eu recomendo bastante. Dali dá pra ir caminhando até a Lincoln Road, tomar um café num daqueles restaurantes hiper charmosos. O próprio hotel tem um restaurante que é bom, na média dos demais restaurantes da região, tanto em preço quanto em qualidade. Não tem estacionamento, o que achei ruim, pois a maioria dos hóspedes aluga carro. Ao lado, havia um estacionamento pago com diária que achei alta: 30 dólares. Serviço e atendimento achei razoáveis, não há muitos luxos. Enfim, um hotel pra quem “só vai para dormir”. Em termos de custo x benefício, acho válido. Relato completo aqui.

Leia mais: 70 hotéis em Miami comentados pelos leitores (com mapas!)

--> Apartamentos

Flavia
Já aluguei apartamento em Miami em 3 ocasiões diferentes. A primeira vez em julho de 2011, pelo VRBO, um studio dentro do Hilton Bentley em South Beach, com meu marido e filho de 8 anos, na época. A unidade exata que fiquei foi vendida para o próprio Hilton, mas você pode encontrar outras no VRBO. Se encontrar, vale muito a pena ficar lá, pé na areia. A segunda vez aluguei um apartamento de 2 dormitórios na Ocean Drive, próxima da 12th, de frente para a praia. Muito bom e espaçoso. Fomos em 5 amigas em novembro de 2011, achei pelo HomeAway. E a terceira vez foi em janeiro de 2013, aluguei um de 1 quarto, enorme, em Sunny Isle, dentro do DoubleTree, pé na areia, tambem pelo HomeAway. Fui com meu marido e meu filho. Relato completo aqui.

Renata
Estive em Miami em maio de 2013. Aluguei um apartamento através do site FeelMiami e não me arrependi. Era para 4 pessoas, em Miami Beach. Muito bom. Recomendo a todos. No site tem um telefone do Brasil, mas o atendimento é feito em inglês. Relatos completos aqui e aqui.

Lorena
Uma boa opção para quem fica mais de 5 dias em Miami é alugar uma apartamento. Aluguei um na Meridian Ave., com estacionamento, e foi ótimo porque é bem caro e difícil estacionar em South Beach. Outra vantagem é facilitar café da manhã e lanchinhos. Aluguei pelo Vacation Home Rentals, que tem vários apartamentos. O que eu aluguei era o ID 26067. Relato completo aqui.

Carro alugado, Miami

--> DE CARRO OU SEM CARRO?

--> Sem carro

Ana Paula
Fiquei em South Beach e não aluguei carro. Usei ônibus um dia para ir ao Centro e em outro dia chuvoso para ir ao Aventura Mall. Valeu super a pena. Baratinho e eficiente. Usei táxi para ir/voltar do aeroporto e para conhecer o chiquérrimo shopping Bal Harbour. Relato completo aqui.

Alex
Minha carteira de motorista estava vencida, o que causou uma série de transtornos. Miami não é uma cidade para se ficar sem carro! Principalmente se você leva uma criança (no meu caso, minha filha de 1 ano). Os taxistas se recusam a levar a criança se você não tiver uma cadeirinha, o que dificulta tudo. Quase não conseguimos pegar um táxi no aeroporto. Nosso foco eram as compras, e ficamos no Residence Inn Aventura Mall. Por sorte o shopping já ficava ao lado, acessível a pé mesmo (coisa rara, pois se sair do quarteirão já não dá mais para seguir andando). Meu maior problema era conseguir um táxi para ir para o Sawgrass. Encontrei o site Miami Para Vips. É de uma brasileira, Helena Scaff, que mora por lá e faz tours privados pela cidade. Liguei para ela e marquei de nos levar ao Sawgrass. Ela nos buscou pontualmente no hotel, num carrão lindo e super confortável, com uma cadeirinha de bebê! Ela foi tão legal que ainda nos emprestou a cadeirinha (acabamos não usando, mas valeu a intenção). Dois dias depois, ela e o marido nos levaram para o aeroporto. O serviço foi excelente, por um preço justo (é um pouco mais caro que um táxi, mas vale a pena). Para quem não dirige, ou tem algum problema para alugar carro, é uma ótima dica, recomendo e vale a pena! Relato completo aqui.

Ana
Fiquei em um motel perto do aeroporto. Fui de ônibus até Miami Beach (3 ônibus), com um passe de transporte Easy Card: custa 7 dólares e você anda o quanto quiser o dia todo. Relato completo aqui.

Fabricio
Estive em Miami e não falo nada de inglês. Não tive problemas para fazer compras. O deslocamento também não achei complicado. Fiquei 6 dias, sendo que destes foram 3 dias de carro e 3 de ônibus. Os 3 de carro é imprescindível o uso de um GPS. Os 3 dias de bus foi um pouco mais complicado, mas não me impossibilitou de nada. Relato completo aqui.

--> De carro

Baran
Quando fizer a reserva do automóvel, compare o preço obtido pela internet com o preço que a locadora faz por telefone, aqui mesmo do Brasil. Comparei os preços da Hertz, Avis e Budget e nos três casos pelo telefone eu consegui tarifas bem mais baratas, além de poder falar em português com o atendente e tirar todas as minhas dúvidas. Recomendo fechar a reserva com todos os seguros e proteções que você achar necessários. No check-in eles vão tentar te empurrar todos os seguros “indispensáveis” no Estado da Flórida. Fuja disso. O vendedor faz isso não porque ele está preocupado com você, mas porque ganha comissão sobre o que te vende. Feche a reserva também com o modelo de carro que você acha que será mais adequado para você. Na hora do check-in eles tentam te empurrar um upgrade para uma categoria acima por um valor módico por dia. Fique à vontade para aceitar, mas eu recusei e o sistema me deu um upgrade para uma SUV gratuitamente (se tivesse ido na onda do vendedor teria gasto US$ 180). Acho que eles tentam empurrar o upgrade quando sabem que acabaram os carros da categoria que você reservou. No mais, alugar carro com GPS é bobagem, compra-se um aparelho por menos de US$ 100 hoje em dia. Relato completo aqui.

Alex
Levei um bom mapa para dirigir do aeroporto até o hotel – e, apesar do medo, correu tudo bem. Comprei um GPS pela Amazon uns dias antes de sair de casa. Lá chegando, o GPS me aguardava tranqüilamente na recepção! Relato completo aqui.

Rodrigo
Utilizei o TomTom no iPhone durante toda estada na Flórida. Havia a opção do áudio em português brasileiro. Só recomendo comprar um suporte para fixar o telefone no pára-brisa, e um adaptador veicular, pois a bateria é consumida muito rapidamente e nem todos os carros têm porta USB para carregar. Relato completo aqui.

André
No aeroporto de Miami há um prédio só de locadoras de carro. Siga as placas indicando Rental Car Center (RCC). Tem um VLT (metrô de superfície) que te leva até lá em 2 minutos. Todas as locadoras estão nesse prédio: é onde ficam as lojas e também a garagem. Após passar pelo guichê, mostrar sua reserva impressa e passar o cartão de crédito, eles te dão a autorização para pegar seu carro. Os carros ficam estacionados por categoria, lado a lado e destrancados. A chave já fica no contato e é só pegar e sair, não precisa falar com ninguém se você não quiser. Abra carro por carro, ligue o contato e veja o que está menos rodado. No meu caso, pego sempre carros novos, com 2-5 mil milhas rodadas, sendo que tem carro com 30-40 mil milhas ao lado (é muita diferença, vale a pena olhar um por um). Nunca saia de cara com o carro. Se ambiente com o veículo. Olhe todos os comandos, regule bancos e espelhos, ligue tudo e desligue (farol, seta, pisca-alerta, limpador de pára-brisa, etc.). Se tiver dúvidas, chame um funcionário e pergunte. Os carros costumam ser automáticos. Atenção com limites de velocidade, pois há radares em algumas cidades plantados pra todo lado. Em Bal Harbour, por exemplo, é aos montes. Nas estradas interestaduais não há radar fixo, apenas patrulheiros com radares móveis, encostados em algum local discreto. No caminho do aeroporto para a volta, pare num posto e encha o tanque. Sai bem mais barato que pagar a gasolina do locador. Relato completo aqui.

Joe's King Crab, Miami

--> RESTAURANTES

Ana Paula
Um dos meus lugares favoritos foi a animada Española Way, com destaque para o restaurante italiano Hosteria RomanaRelato completo aqui.

Leo
Na Lincoln Road tem uma filial do 5 Napkin, que tem o melhor hambúrguer que já comi. Peça com batata doce frita. Relato completo aqui.

Thiago
Jantei numa cantina chamada Fratelli La Bufala: fantástica! Só pra sentir o clima, a mussarela vem da Itália, três vezes por semana. Recomendo ainda o café Van Dyke na Lincoln Road e o restaurante do hotel Sagamore também é bem legal. Relato completo aqui.

Hugo
O que faço nas viagens para os EUA é escolher antes os restaurantes com base no Guia Michelin. Olho principalmente os estrelados e os bib gourmand (são aqueles com bom custo-benefício). E como 95% dos restaurantes tem site, vou lá e confiro os preços, assim não tenho nenhuma surpresa na hora de pagar. Já almocei em restaurantes 2 estrelas pagando 21 dólares por pessoa (entrada, prato principal e sobremesa). O mesmo restaurante na hora do jantar tem pratos principais em torno de 35/40 dólares. Relato completo aqui.

Eduardo
A grande dica pra não pegar fila no Joe’s Stone Crab é ir ao takeaway que é do lado dele. Você escolhe o que quer e come ali mesmo, sentado confortavelmente e sem as aparentes frescurites e filas do restaurante. Relato completo aqui.

Anna Carolina
Estive em Miami no início do ano e me hospedei no tradicional hotel Fontainebleau em South Beach. Ali tem o Hakkasan, uma filial deste renomado restaurante londrino que além de belíssimo, é super transado e tem um menu tão bom quanto o Mr. Chow. Relato completo aqui.

Roberta
Eu adoro os family restaurants americanos e sempre bato ponto nos meus favoritos: Red Lobster, Olive Garden, Cheesecake Factory, etc. Fui ao Versailles, de comida cubana, muito recomendado, e foi o máximo – comida cubana deliciosa, de qualidade e super barata, e o melhor mojito que já tomei! Também fomos ao Michael's Genuine Food and Drink, no Design District, que na verdade fica em Downtown: lugar bacana, bonito, e ótima comida moderninha a preços razoáveis. Eles também têm vários tipos de cerveja, de alguns países.  Relato completo aqui.

Leia mais: Comer: 5 clássicos em Miami

Loja BrandsMart, Miami

--> COMPRAS

Rodrigo
Sabe onde é melhor comprar eletrônicos e câmeras? Na Amazon (requer alguma malícia já que algumas vezes te mostra um produto que está disponível por um preço menor dentro do mesmo site). Você estuda o que você quer em casa, compra com calma e manda entregar no hotel. Tem a vantagem de não pagar taxas locais. Serve também para o parente chato que quer que você traga alguma coisa. O trabalho vai ser só carregar. Na pior das hipóteses você faz uma busca nos sites das lojas sobre os produtos que te interessam, verifica a disponibilidade na loja mais próxima do seu hotel (a maioria permite isso), chega e compra o que precisa e põe um ponto final nessa busca que consome um tempo precioso da viagem. Relato completo aqui.

Elaine
Quanto a eletrônicos, não perca tempo: Miami tem Best Buy. Use o store pick-up (compre na internet e busque em até 7 dias seu produto na loja escolhida). Caso não apareça pra buscar a compra é cancelada automaticamente, pois a compra só é valida após você passar seu cartão de crédito na loja e assinar! Relato completo aqui.

Leticia
Minha experiência combinando Miami com Orlando é que é melhor deixar as compras para Orlando, pois os outlets são próximos e de fácil acesso, ao contrário de Miami. Relato completo aqui.

Anna
Já tive amigos roubados em Miami e Orlando, então fica a dica pros dois lugares: olho nas compras! O ideal é sair do outlet (ou da Best Buy) e ir deixar as compras no hotel antes de sair pela cidade pra jantar ou algo assim. Relato completo aqui.

Ana
Fui para Orlando e Miami. Minhas compras já tinham sido feitas no Premium Outlet em Orlando, mas se eu soubesse, teria deixado para fazer todas as compras em Miami. Achei coisas muito mais em conta. o Dolphin Mall tem muitas lojas que não me eram familiares, mas com roupas lindíssimas e muito, muito baratas. Tem Ross no Dolphin também, e dá para fazer ótimas compras garimpando por lá. Gostei muito mais de Miami do que de Orlando, porque em Orlando não se vê gente nas ruas, e Miami tem mais vida, e além do mais achei bem melhor de comprar. Relato completo aqui.

Daniel
O Dolphin Mall é meio que uma miniatura do Sawgrass. Tem a vantagem de ser perto do aeroporto. O Sawgrass fica a 1 hora de Miami mais ou menos. E é gigante, gigante mesmo. Os preços são bem parecidos, mas o Sawgrass tem mais cupons de desconto no site deles. Relato completo aqui.

Malu
O Dadeland Mall é muito fácil de ir, inclusive com monorail. Ao redor desse shopping tem várias lojas âncora como a Target, Best Buy, CVS, Toy”R”Us e bem no meio tem uma Macy’s especial com milhares de ofertas. Acho que é melhor que o Dolphin e não tão luxuoso como o Aventura. Eu gostei muito. Relato completo aqui.

Roberta
Target: amo, adoro, passo horas nele. Pra comprar roupa de cama, de super qualidade, é muito barato. Roupa e brinquedos pra crianças, também: é inacreditável a variedade e preço. Pijamas lindos e modernos pra mulher, artigos pra cozinha, enfim – tudo o que você puder imaginar. Há uns 4 ou 5 Target na cidade, mas os mais completos são o de Downtown e de Hilleah. Na JC Penney tem coisas lindas e baratérrimas, especialmente para os homens. Acho a Macy's a melhor loja para as mulheres; se você procura bolsas, este é o lugar. Tanto na Macy's quanto na Bloomingdale's é só apresentar seu passaporte no ato do pagamento que você recebe um desconto de 10% (é o desconto para estrangeiros que eles dão). Relato completo aqui.

Leia mais: Compras, onde é melhor? Nova York, Miami ou Orlando?

Leia mais: Enxoval de bebê nos EUA: 90 produtos indicados pelo Hugo

South Beach

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email

98 comentários

Atenção: perguntas que já estejam respondidas no texto e comentários ofensivos ou em maiúsculas serão deletados.

Cancelar
Rene Moraes dos Santos Bruno

Miami / Bahamas / Orlando

Nossa viagem foi programada quase toda através do Viajenaviagem. Foram 6 meses não lendo os tópicos principais, mas principalmente os comentários, pois cada comentário tinha alguma novidade e colocávamos em nosso roteiro. Então vou descrever um pouco da nossa viagem para ajudar os próximos. Pois é muito útil e ganha um tempo enorme, chegar aos lugares já tendo uma programação prévia e isso vai te dar muitas vantagens em conhecer diversos lugares.

A viagem foi programada em 19 dias ( 3 dias em Miami, 5 dias de Cruzeiro , 11 dias em Orlando) Sendo 4 adultos( 53,52,31 e 30 anos) e uma criança (8 anos) em Miami e no Cruzeiro e mais um adulto ( 27 anos) chegou para acompanhar a nossa viagem em Orlando.

Vamos lá. 3 dias Miami.

Ficamos hospedado no hotel Holliday Inn, na Downtown de Miami, uns 3 min do Porto de Miami, pois iriamos fazer o cruzeiro, mas isso não foi tanta vantagem rs.

Alugamos um carro para os 3 dias em Miami, só que o mesmo precisava ser devolvido no aeroporto (20 min do hotel) e com um translado da própria locadora iriamos para o porto. Dica compre um GPS ou leve o seu. O GPS é absurdamente caro, tudo bem que agora as locadoras oferecem um GPS que é um Galaxy S5. Então é um celular. Ele oferece além do GPS, WIFI gratis para 5 aparelhos e 60 min de ligação para qualquer lugar, inclusive Brasil. Mas são 23 dolares por dia. No final o GPS, mais as taxas e seguro saem mais caros que a locação do carro. Cuidado com o seguro, fizemos pela decolar e já estava incluso, porém eles querem dar um upgrade e acaba ficando bem mais caro, para algo que você já tinha pago o seguro básico, que está bom.

No primeiro dia fomos conhecer Hollywood Beach , uma praia bem legal. Depois fomos comer na Espanhola Way. Já tínhamos lido comentários que haviam ótimos restaurantes nessa rua, e é verdade. Comemos em um restaurante Mexicano logo na entrada da rua e a comida estava ótima. Meus pais que não gostavam lamberam os beiços nas quesadilhas. Depois fomos fazer algumas compras, a localização do hotel facilitava demais, pois tínhamos shoppings, outlets, best buy bem próximos; Deixamos o Outlet para Orlando.
No Segundo dia fomos para Key West, sempre li que um bate e volta era loucura, mas loucura seria não conhecer esse paraíso. Foi sensacional viajar pela estrada sobre o mar, com paisagens espetaculares. Chegando a Key West procuramos algumas praias que já tinha lido aqui, mas nenhuma oferecia estrutura. Mas tiramos lindas fotos. Então fomos para o Centro, ali sim novamente comemos muito bem. E é bem legal andar pelo centro, tem varias lojas, pubs, sorveterias e dá para aproveitar bem.
No ultimo dia teríamos apenas o período da manha, pois as 17h embarcaríamos no Cruzeiro, então fomos as compras, queria ver alguns brinquedos e já tinha visto relatos sobre a loja Toy"r"us. E realmente é bem barata a loja comparada aos preços de bonecas aqui no Brasil. Quando falo bem barato compramos algumas bonecas para minha filha por 15 dolares, aqui custaria uns 120 reais. (Monster High....)
As 13 horas fomos entregar o carro no Aeroporto e voltamos par ao porto de Miami, foi bem tranquilo.

Cruzeiro - Norwegian SKY (5 dias)

Eu tinha lido bastante sobre qual cruzeiro fazer e vou ser sincero, fiquei bem confuso quanto aos relatos dos dois principais (Norwegian x Royalcaribbean).
Ficamos com o Norweigian e foi uma otima escolha.
Gostei muito do quarto, pegamos apenas com janela e era bem parecido com um do MSC que já tinha feito, porem a cama não era como beliche e sim em frente a cama de casal.

O cafe da Manha, Almoço eram muito bons, mas sempre ao estilo cozinha internacional, acho que é padrão rs. Muito bacon, ovo.... No Jantar já percebi uma vantagem, na MSC eu tinha horário marcado e isso não acontecia no norwegian, eu poderia jantar dentro do horário estipulado quando eu quisesse. E o jantar era muito bom. alias comer é o que você mais vai fazer em qualquer cruzeiro, tem restaurantes abertos toda hora.
Nossa primeira parada foi em Grand Bahamas, não compramos nenhum pacote do navio, eu acho extremamente caros e como nos relatos a maioria se virava com os nativos, resolvi fazer a mesma coisa. Em Grand Bahamas os nativos orientaram a ficarmos na praia de LUCAYA, pois queria ir para Blue Lagoon, como estavamos com uma criança eles disseram que a estrutura de Lucaya era melhor. E foi verdade, uma praia linda e com estrutura (cadeiras, guarda sol, restaurante e passeios de barcos e jet ski). Lembrando que tudo é pago rs. (3,4 dolares cada cadeira, guarda sol....) O jet paguei 70 dolares 2 pessoas para 30 min. E valeu muito a pena. Ah nessa praia tem WIFI gratis no restaurante. Voce paga 3 dolares por pessoas para entrar nessa praia e usufruir dessas estruturas.
O Motorista cobrou 4 dolares por pessoa para levarmos a praia.

No proximo dia fomos a Nassau, mais uma vez por conta propria e com outros brasileiros que conhecemos. Achei o clima bem estranho, muita gente oferecendo diversos pacotes, entao combinamos com um local de nos levar ao Atlantis. Um hotel muito Grande e com diversas atrações. Acabamos nao fazendo nenhuma pois achamos um pouco cara conhecer o Aquario do hotel que dizem ser imenso, e nem o parque aquatico(uma média de 120 dolares por pessoa) . Então perguntamos sobre a praia do hotel e fomos a pé por 10 min,pois só poderia acessar pelo hotel quem estava hospedado ou comprado algum pacote.A praia do hotel é linda. Muitos peixes que ficam nadando juntos, arraias pulando. A estrutura era bem ruim da praia. A volta já pegamos um transporte da praia para o navio, novamente 4 dolares por pessoa.

O Ultimo dia de Passeios foi em Great Stirrup Cay, uma praia da Norwegian. Que eu tinha lido que a da Royal era melhor, então deve ser espetacular, pois essa do Norwegian era linda, com uma estrutura sensacional, restaurantes inclusos , toda alimentação já inclusa, apenas as bebidas não eram inclusas. As cadeiras de praia não eram pagas também. Foi uma das praias mais lindas que conhecemos.
Voltando para Miami, novamente alugamos um carro, para viajar para Orlando. E a dica é alugar uma minivan, cabe tudo dentro dela e são bem bonitas, economicas e caberá 5 pessoas e as malas tranquilamente.

11 dias Orlando.

1º dia - Ficamos hospedados na propria Disney- All Star Movies, ouvi varios relatos desse hotel, mas a Disney é sensacional e você nunca será tão bem tratado. Nem na casa dos seus pais rs. É um local construido para te fazer sentir a melhor pessoa do mundo. Achei o hotel muito bem cuidado e como fomos em no fim de setembro, pegamos fora de temporada o que ajuda muito. Já que está bem menos movimentado que em outras épocas. A unica coisa é que em 11 dias pegamos chuva quase todos os dias, o dia começa nublado, depois faz um calos de mais de 32 graus e as 16h pontualmente todos os dias chove. Mas nada que uma capa do Mickey não resolva. Alias umas 19h para de chover.
Nesse dia fomos ao Outlet Vineland. Já que não conseguiriamos ir em nenhum parque e teriamos pela frente 9 dias e 9 parques. O Outlet é muito bom, mas achei o de Las Vegas que conheci bem melhor. Tantos em descontos quanto em preços das lojas.* O ponto fraco do hotel é que a FoodMarket , o restaurante do hotel fica aberto até as 23h e se você está na disney ou você come no hotel ou passa fome. A dica é passar no WallMart é encher o quarto de comida, até para levar aos parques. Não fizemos isso então gastavamos eu , minha mulher e minha filha 30 dolares de café da manha + 50 de almoço nos parques.

Não vou me apronfundar nos parques, pois os relatos ajudam demais. Só vou fazer alguns comentários. Se você quer comida saudavel vai passar fome nos parques então compre no mercado e leve ou coma hamburguer e pizzas rs.

Não compare os parques disney com os da universal. Disney é outro mundo. rs

Fomos ao Aquatica, um parque de agua bem legal. acho que foi uma boa escolha, mas pelo padrão disney deveria ter que pego um parque aquatico deles.

Busch Gardens, foi sensacional, compramos o fast pass que ajuda muito, mesmo em baixa temporada tem filas de 40min a 1h e o fast pass você irá ficar 5 min. Ele custa 39 dolares, mas vale a espera e voce consegue ir em todas as montanhas.

Hospedagem Orlando.

Depois de 5 dias na disney, saimos do hotel par aoutro hotel mais proximo a Universal Studios. Pegamos o Hotel Quality Inn Universal Studios, que foi o ponto fraco da viagem. Pior hotel que já conheci, quando chegamos já achamos as pessoas que frenquentavam estranhas, a recepcionista foi bem grossa, pois queriamos deixar as malas e passear, pois o check inn era as 15h e chegamos as 12h no hotel. Quando voltamos mais tarde, os 3 quartos reservados estavam com as portas arrombadas e pessoas estranhas nos corredores ficavam nos olhando passar com as malas e compras. Achamos melhor sairmos do hotel, pois não passou segurança nenhuma. Só depois fui ver as avaliações dele no Trip Advisor( comentarios assustadores).

A melhor escolha, coneseguimos atraves de um conhecido uma casa, em um condominio fechado em KISSIMIEE. Uma casa segura, sobrado, 3 quartos, piscina, wifi, tv a cabo e toda mobiliada. Pelo mesmo preço das diarias do hotel. Só que para 6 pessoas e podiamos deixar as nossas coisas pois estavam seguras. Então pensem nessa opção, não irão se arrepender, alias nada como tomar um cafe em casa tranquilo, e ir passear sem preocupações.

Bom espero ter contribuido um pouco e agradecer ao viajenaviagem as dicas que nos ajudam demais.Fizemos tudo que estava programado, é cansativo mas foi uma viagem sensacional. 19 dias muito especiais.

Magali
MagaliPermalinkResponder

Ótimo roteiro de Miami se você só tem 48 horas na cidade.
Confira no link: http://magaliviajante.com/2014/05/03/48-horas-em-miami-12-dicas-para-aproveitar-muito-a-cidade/