Miniguia de praias | Alagoas: Maceió + praias do norte e do sul

Maceió

| Pajuçara e Ponta Verde, Maceió |

A costa de Alagoas é um espanto. Seus 230 km de praias formam o trecho mais consistentemente bonito e aproveitável do litoral brasileiro, graças à proteção de recifes que tornam as águas calmas em inúmeros pontos. A cor do mar também impressiona: um azul-esverdeado que dura o ano inteiro nos trechos protegidos (no inverno, porém, espere encontrar uma faixa turva na zona de rebentação de praias com ondas).

.
–> ESTRATÉGIA & ROTEIROS

O maior erro no planejamento de viagens a Alagoas é achar que dá pra traçar o estado inteiro em bate-voltas a partir de Maceió. Nananinanão. Montando base em Maceió você consegue visitar com facilidade as praias ao norte até Barra de Santo Antônio (Carro Quebrado) e ao sul até Barra de São Miguel e Gunga. Incursões mais para o sul (Coruripe, Foz do São Francisco) também são possíveis, mas em dias bastante puxados, acordando cedo. (Eu acho que o passeio fica mais redondo se você pernoitar na bonita cidade histórica de Penedo, à beira do Velho Chico.)

O litoral norte do estado (Rota Ecológica e Maragogi) só é curtido como se deve com pernoites por lá. Muita gente faz o bate-volta de Maceió a Maragogi — o que resulta em chatíssimas 5 horas de estrada (somando a ida e a volta) e nem sempre coincide com o melhor momento de visitar as piscinas naturais (Galés); além disso, não sobra tempo para descobrir e aproveitar as gostosíssimas praias ao norte da vila (Burgalhau, Ponta de Mangue).

Já a Rota Ecológica (São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras, Japaratinga) só entrega o que tem de melhor — o sossego — para quem se dispõe a desacelerar e passar pelo menos quatro ou cinco dias numa pousada pé na areia (desnecessário dizer que quanto mais tempo, melhor). Na corrida, só para dizer que foi, não vale a pena: existem praias tão bonitas quanto essas nos arredores de Maceió, que dão muito menos trabalho para passar o dia (e têm melhor serviço de bordo para quem está só passando, sem estar hospedado).



.

Para combinar o litoral de Alagoas com o de Pernambuco, separe no mínimo duas semanas. Um roteiro interessante é chegar por Maceió (3 noites), subir a Maragogi (130 km, 2 noites), de lá a Recife (130 km, 2 noites), então Porto de Galinhas (60 km, 2 noites), daí Carneiros (50 km, 2 noites), de finalmente à Rota Ecológica (70 km, 4 noites), voando de volta de Maceió (100 km). Com 20 dias, aumente a permanência em Maceió, Recife e Rota Ecológica.

Role a página para ler mais sobre Maceió e arredores e o litoral sul. Para ler sobre Rota Ecológica e Maragogi, clique neste post.

MACEIÓ URBANA

Ponta Verde

[Lanchas na Ponta Verde]

É a sua praia: se você procura uma capital com praias bonitas; se está de carro e quer ir a praias próximas diferentes a cada dia

Não é a sua praia: se você quer a melhor praia da região na porta do seu hotel

–> Vai por mim: Maceió urbana

Nenhuma capital nordestina tem uma orla tão bela quanto a de Maceió. Da Pajuçara até a Jatiúca, o mar ora azul-bebê, ora verde-claro deixa boquiabertos todos os que sofrem da Síndrome de Cancún (complexo de inferioridade nacional relacionado à tonalidade marinha).

A cidade tem um centro histórico pequeno, no bairro portuário de Jaraguá, que foi revitalizado na virada do milênio mas não emplacou; restam apenas uma ou outra danceteria e a choperia Orákulo. O (decadente) Centro de Maceió fica colado a Jaraguá na direção sul; por ali você vai querer visitar o museu Théo Brandão e experimentar a carne de sol do Picuí (que oferece transporte de/para hotéis).

Pajuçara

[Praia da Pajuçara]

A orla urbana começa imediatamente ao norte de Jaraguá. O primeiro trecho é a Pajuçara, o coração da Maceió turística: os hotéis se enfileiram na orla, com vista para as jangadas estacionadas na areia (se não estão ali, é porque a maré está baixa e foram levar passageiros para as piscinas naturais logo adiante). Dá para ir a pé ao Pavilhão de Artesanato (funciona até tarde todas as noites) e à sorveteria Bali, com boa variedade de sabores regionais. Para almoçar, recomendo o bom quilo da Sueca Comedoria. Para jantar, é melhor pegar um táxi até os bons restaurantes da Ponta Verde e da Jatiúca. Quanto à praia, faz o gênero mais popular, com quiosques com música brega em alto volume. O passeio de jangada às piscinas naturais continua bastante procurado, mas saiba que as piscinas naturais da Pajuçara já há muito tempo não apresentam mais aquela transparência toda.

Ponta Verde

[Ponta Verde, lado Pajuçara]

Ponta VerdeLopana

[Ponta Verde | Lopana]

Continuando para o norte, no meio da enseada a praia ganha o nome de Ponta Verde. De fato, se trata de uma peninsulazinha, com um farol bem na ponta. O lado de baixo da Ponta Verde, na continuação da Pajuçara, é o ponto em que a cidade resolve finalmente ficar tão bonita quanto a orla. Ali, em frente aos prédios onde mora o dinheiro antigo de Maceió, o calçadão é mais ajardinado – e a vista para a curva da Pajuçara, mais encantadora. Não por coincidência, é também por ali que se encontram as melhores barracas de praia da orla urbana: a Lopana e a Kanoa; sempre que você não quiser pegar carro para ir à praia, tome sol por aqui. (Na época das chuvas, entre maio e agosto, consulte a balneabilidade no site do IMA.) A Lopana tem um catamarã que leva a piscinas naturais em Ponta Verde — onde o barato não está em ver peixinhos, mas em tomar um banho gostoso em alto mar. As duas barracas também funcionam muito bem no happy hour. Atravessando a avenida, aproveite a cafeteria Nakaffa, a hamburgueria Don Burger e os japas Takê e Nirá Express. O restaurante mais sofisticado deste trecho é o Le Corbu, na quadra de trás da praia.

Ponta Verde, lado de cimaPonta Verde, lado de cima

[Ponta Verde, lado Jatiúca]

O lado de cima da Ponta Verde não é tão elegante, mas é prático para o turista. Por ali há vários hotéis, a praia é boa (mas pode secar bastante na maré baixa) e há quiosques no calçadão. Há dois restaurantes tamanho-família no pedaço, a churrascaria Spettus e a cantina Famiglia Giuliano, que têm reabertura prometida para o verão.

Wanchako

[Ceviches no Wanchako]

Emendada à Ponta Verde, a praia da Jatiúca não é interessante para banho: há trechos dominados por sargaços, e a praia vai ficando menos calma à medida que se vai para o norte. Em compensação, este é o bairro gastronômico por excelência da cidade. O restaurante top de Maceió fica no pedaço, o peruano Wanchako (rua São Francisco) — assim como a boa churrascaria Grato (rua Pio IX), o baiano Akuaba (Almirante Álvaro Calheiros esquina Ferroviário Manoel Gonçalves Filho) e o regional-típico Bodega do Sertão (Av. Júlio Marques Luz), que funciona como buffet. A maior concentração de restaurantes está na Dr. Antônio Gomes de Barros (que os maceioenses ainda chamam pelo nome antigo, Amélia Rosa); por ali você encontra o italiano Maria Antonietta, a pizzaria Armazém Guimarães, a cervejaria Alagoana e, na transversal José Pontes de Magalhães (nos fundos do hotel Maceió Atlantic), a cantina e pizzaria Massarella e o Boteco Praia. Na parte de trás da Jatiúca, no bairro de Stella Maris, funciona um dos bares-restaurantes eternamente mais concorridos da cidade, o mineirinho Divina Gula.

O último trecho urbano à beira-mar em Maceió é dividido pelas praias Lagoa da Anta e Cruz das Almas. O mar aqui é bravo, e entrar n’água é recomendável apenas para surfistas. Você vai precisar de carro ou táxi para sair para comer.

–> Onde ficar: Maceió urbana

Radisson MaceióRadisson Maceió

[Radisson Maceió]

Na turística Pajuçara os hotéis ocupam terrenos menores, por isso não espere piscinas grandes. Por ali destacam-se dois dos melhores hotéis da cidade, ambos com perfil executivo: o Radisson e o Mercure. O melhor custo x benefício é do Brisa Mar, que ainda está estalando de novinho. Praticamente todos os outros fazem a linha econômica (e nessa categoria eu tendo a preferir o Ibis). Uma alternativa esperta é o prédio de flats Neo.

No lado de baixo da Ponta Verde não há hotéis na avenida; eles ficam nas quadras internas. A novidade do pedaço é o Holiday Inn Express. A região tem dois hotéis da rede Ritz — o moderninho Ritz Coralli e o bem-localizado Ritz Plazamar. A opção econômica é o Coqueiros Express.

No lado de cima da Ponta Verde os hotéis mais bem posicionados para curtir também o lado de baixo são o relativamente novo Tropicalis, o tradicional Ritz Praia e o supereconômico Gogó da Ema. Na quadra de trás da praia o San Marino é conveniente para famílias, porque tem só suítes. Fazendo questão de vista para o mar, fique entre o Hotel Ponta Verde e o Maceió Mar.

Na Jatiúca se encontram o resort Jatiúca, o semi-resort Atlantic Suites, o superconfortável Brisa Tower e o econômico Marinas Maceió.

Ritz Lagoa da Anta

[Ritz Lagoa da Anta]

Na Lagoa da Anta/Cruz das Almas estão o hotel mais completo de Maceió, o resort urbano Ritz Lagoa da Anta, o recém-inaugurado Ritz Suites e o econômico Reymar Express.

–> Como chegar

Maceió é servida por vôos diretos de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte, Recife, Aracaju e Campinas. Por terra, evite a BR 101 em território alagoano, pois ainda não foi duplicada e está ruinzinha em vários trechos. São 280 km desde Aracaju (venha por Neópolis, atravessando de balsa a Penedo e seguindo pela costeira AL 101 Sul) e 250 km desde Recife (saia pela PE 060, via Suape e Ipojuca, entrando em Alagoas por Maragogi).

MACEIÓ NORTE (Guaxuma, Garça Torta, Pratagy, Ipioca)

Ipioca

[Ipioca, no trecho do Hibiscus]

É a sua praia: se você quer hospedagem pé na areia, sem muvuca, pertinho de Maceió

Não é a sua praia: se você quer curtir ao máximo a Maceió urbana

–> Vai por mim: Maceió norte

O litoral norte de Maceió esconde praias belíssimas e esparsamente povoadas. A mais próxima é a Guaxuma, a  8 km da saída da cidade; é ocupada por casas de veraneio e tem bares de praia. Uma das mais discretas é Garça Torta, a 10 km de Maceió; entre na rua lateral do restaurante Lua Cheia e procure o bar de praia Milk Beach Bar. A mais procurada é a Praia da Sereia, a 13 km, onde se forma uma piscinona natural na maré baixa; infelizmente a ocupação é meio farofenta. (Sua continuação, Pratagy, é deserta.) Minha preferida é o canto norte de Ipioca, a 24 km de Maceió; aproveite a estrutura do bar Hibiscus (fique esperto depois de passar pelo hotel d’Anatureza). Mais adiante, já fora dos limites de Maceió, a 27 km, Paripueira não tem uma praia urbana muito bonita, mas oferece as melhores piscinas naturais para quem está na região de Maceió (muito melhor do que perder o dia e talvez a viagem indo a Maragogi). Tabuba, a 33 km, é uma boa opção para quem quer praia bacana e barracas rústicas. Finalmente, Carro Quebrado, em Barra de Santo Antônio (50 km) é uma praia-fetiche por ter falésias que se desmancham em areia colorida (e turvam a água na beira); chega-se lá de bugue contratado na praia da Croa, onde o assédio dos bugueiros e vendedores de passeio é desagradável de tão intenso.

Garça Torta

[Garça Torta]

Qualquer dia nessas praias pode (deve) ser incrementado por um almoço no Vila Chamusca ou no Oca, nos Altos de Ipioca, ou no Restaurante do Zezé, em Riacho Doce. Quem estiver hospedado na região deve considerar também, para jantar, o francês Lua Cheia, em Garça Torta, e a pizzaria Santorégano, em Riacho Doce.

–> Onde ficar: Maceió norte

Salinas Maceió

[Salinas Maceió]

A melhor localização é a do hotel Danatureza, que está naquele trecho bonitaço de Ipioca recomendado acima. Ainda em Ipioca, mas num trecho menos calminho, está o Salinas de Maceió, que é o mais novo da região e funciona num esquema quase-tudo-incluído. Na praia de Pratagy, o Village Pratagy, um resort BBB, funciona como sede de praia para anexos mais charmosos, como a pousada Casa Caiada e os condomínios Villas do Pratagy e Havengrid Villas.

–> Como chegar: Maceió norte

Saia de Maceió pela Jatiúca ou por Cruz das Almas, e você dará na AL 101 Norte, que leva a todas essas praias.

MACEIÓ SUL (Praia do Francês, Barra de São Miguel, Gunga, Foz do São Francisco)

Barra de São Miguel

[Barra de São Miguel]

É a sua praia: se você quer praias boas de tomar banho e com bastante estrutura

Não é a sua praia: se você é alérgico a multidão

–> Vai por mim: Maceió sul

As praias mais procuradas de Maceió estão fora da cidade, na direção sul.

Prainha

[Almoço na Prainha]

A única fora do radar dos turistas é a Prainha, uma praia de água salobra, na foz de um riozinho, com acesso exclusivo pelo mar — e por isso point de quem tem lancha e iate e vem aproveitar os frutos do mar bem-feitíssimos pelos quiosques do pedaço.

Praia do Francês

[Praia do Francês]

A Copacabana maceioense é a Praia do Francês, a 20 km, já no município de Marechal Deodoro. Em vez de prédios ou calçadão, a causa da lotação permanente na temporada é o mar calminho da maré baixa (quando uma piscina é represada pelo longo recife) e a profusão de barracas (muitas com dois andares!) ao longo do trecho de mar protegido. O canto direito da praia é de mar aberto e não tem barracas; pode-se alugar quadriciclos para rodar por ali.

Barra de São Miguel

[Barra de São Miguel]

A 30 km de Maceió, a Barra de São Miguel é uma praia de contrastes: boa parte do PIB alagoano tem casa de praia pé na areia, mas as barracas, posicionadas nos (poucos) acessos à praia, são breguinhas. A praia, no entanto, é mais gostosa do estado para tomar banho, graças à sua extensa barreira de recifes. E no verão de 2012 finalmente ganhou um bar de praia bacana, o Praêro (chegue cedo para pegar lugar).

Gunga

Praia do GungaGunga

[Praia do Gunga]

Do outro lado da barra do rio fica a praia mais desejada pelos forasteiros: a Praia do Gunga. São duas praias em uma: há um trecho de mar aberto, que ostenta um coqueiral a perder de vista, e uma parte calminha, na foz da lagoa do Roteiro. Não gosto de como a praia é ocupada (acho que as barracas poderiam ser muito mais elegantes — vide Lopana, Hibiscus e Praêro), mas é uma implicância particular minha. O acesso é por lancha (saindo da Barra de São Miguel) ou pela porteira da fazenda, na AL 101 Sul.

Passeios que podem (devem!) ser combinados com uma incursão às praias do sul: um rolê por Marechal Deodoro, linda cidade histórica com acesso oposto à entrada para o Francês, e um almoço num dos restaurantes à beira do Canal da Massagüeira, como o Bar do Pato (na saída, compre doces caseiros na feirinha). Ao chegar a Maceió, desvie até o Pontal da Barra, que é point de rendeiras.

A 60 km de Maceió, as Dunas de Marapé são um point receptivo de turistas. Para chegar é preciso atravessar um rio, num barco controlado pela operadora do passeio. No local são oferecidos outros passeios e atividades, cobrados à parte. Ainda não fui.

Pontal do Coruripe

[Coruripe]

A 85 km de Maceió, o Pontal de Coruripe é um vilarejo de pescadores que conserva ares rústicos; nem a exploração imobiliária nem o turismo de massa chegaram até lá.

Peba

[Peba]

25 km adiante, o Pontal  do Peba é a última praia antes das dunas e da Foz do São Francisco. Tem uma faixa larga de areia dura, e por isso é point de praticantes de windcar.

Foz do São Francisco

[Foz do São Francisco]

Já à beira do São Francisco, o vilarejo de Piaçabuçu, a 110 km de Maceió, é o ponto de partida para os passeios de barco à Foz do São Francisco. A Farol da Foz organiza passeios com traslado de Maceió; você também pode aparecer cedo na cidade e tentar se encaixar numa saída ou fretar um barquinho na associação de barqueiros, no porto.

Penedo

[Penedo]

30 km para o interior (140 km de Maceió), a linda cidade histórica de Penedo é a melhor pedida para dormir à beira do São Francisco. Não deixe de comer no restaurante instalado nas muradas do Forte da Rocheira. De Penedo sai a balsa para Neópolis, em Sergipe — a melhor rota para quem está combinando os dois estados.

–> Onde ficar: Maceió sul

A Praia do Francês tem muitas pousadas, mas confesso que nunca visitei nenhuma. No carnaval de 2012 o lugar ganhou seu primeiro hotelão: o Hotel Ponta Verde Praia do Francês; entre ele e a praia só há barracas.

Kenoa

[Kenoa]

Na Barra de São Miguel, se estiver podendo fique no luxuoso (e belíssimo) Kenoa; num esquema mais família, fique na ala nova do Village Barra. Longe da praia, do outro lado da estrada, o condomínio Iloa tem um resort administrado pela rede Mabu. Nos altos do Gunga há um hotel de bangalôs: o Gugaporanga.

Em Coruripe a melhor pousada é a Paradise. No Peba, fique na Chez Julie. Em Penedo, o Hotel São Francisco estraga a paisagem, mas oferece a melhor vista. A Pousada Colonial é bastante básica.

–> Como chegar: Maceió sul

Saia de Maceió pelo sul, passando pelo bairro portuário de Jaraguá e pela praia da Avenida; você naturalmente cairá na AL 101 Sul. A estrada está duplicada até a Barra de São Miguel. Depois disso, continua em pista simples até o Peba, passando então a acompanhar o São Francisco para o interior.

Leia também:

Maceió, praia por praia (incluindo hotéis e restaurantes)

Miniguia de praias | Alagoas: Rota Ecológica e Maragogi

Miniguia de praias | Sergipe

Miniguia de praias: Salvador e litoral norte baiano

Miniguia de praias: Morro de São Paulo, Boipeba, Barra Grande, Itacaré e região

Miniguia de praias: Arraial d’Ajuda, Trancoso, Caraíva, Corumbau e região

Miniguia: Chapada Diamantina

Praiômetro: chuvas em 42 destinos do Brasil e do Caribe

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


32 comentários para “Miniguia de praias | Alagoas: Maceió + praias do norte e do sul”

  1. Oh Captain, my captain…só acrescentaria nessa lista deliciosa de opções comestíveis, a Bendita massa! Massas artesanais deliciosas, muito bem feitas e em quantidades generosas. Fica logo após a Massarela, bem na esquina. ;)
    Adorei esse miniguia de Maceió, estou sempre por lá, considero minha segunda casa.

  2. Riq, como sempre, sua percepção dos lugares é incrível! Como maceioense, digo, você escreve como se fosse um também!

    Posso acrescentar ao seu guia um restaurante self service novo e bacana, na orla da Ponta Verde, próximo à região do Lopana (mas, não fica na beira da praia, fica antes do canteiro). Chama-se Anama, e é do grupo Maikai. Self-service delícia e bem diferenciado, fora que tem o visu maravilhoso desse nosso mar de cor azul e verde!

    Parabéns pelo trabalho!

  3. Prezado Ricardo Freire,
    Seus posts sobre nossas praias são simplesmente magistrais,tudo nos minimos detalhes,perfeito. No quesito almoço, no canal da massagüeira, acrescento o restaurante “Parada Obrigatória”,onde se come o melhor polvo a vinagrete da cidade.É um restaurante muito freqüentado por locais e o acesso, pode ser feito também de barco, pelos canais. Nossa gastronomia é muito rica e deixo a dica.Parabéns.

  4. Perfeito, eu acho que não gostei de Maragogi justamente por conta dessas horas para ir e voltar de Maceió.

  5. Outro post excelente! :)
    Aproveito e deixo a dica do link abaixo de um Portal bastante conhecido daqui do Estado e que sempre posta as novidades sobre o Turismo e Gastronomia de Maceió e Alagoas. Vale a pena consultar e ver o que tem de novo (ou velho) e bom na cidade.

    http://blog.tnh1.ne10.uol.com.br/nidelins/

  6. A rede Ritz já foi sinônimo de conforto, pelo menos em Maceió. Fiquei hospedada no Ritz praia em setembro e me decepcionei com a simplicidade do quarto e o péssimo café da manhã, a ponto de todos os dias eu pagar pelo café extra no Hotel Tropicalis(em frente) e no Gogó da Ema(ao lado). O mesmo ocorreu ano passado quando me hospedei no Ritz Plaza. A rede deixou de investir em melhorias.

  7. Bom dia!

    Como sempre excelente o post!! Me apaixonei por este blog ano passado nas buscas por informação para lua de mel em Punta Cana – e claro ficamos no BBPD, melhor impossível! – e desde então leio com frequencia e não programo uma viagem sem antes dar uma espiadinha por aqui!!!rsrs..

    E desta vez você adivinhou nosso roteiro para as próximas férias em fevereiro/2014…combinar Alagoas e Pernambuco, mas focando mais no litoral alagoano!!

    Minha dúvida fica por conta das hospedagens… a ideia é chegar por Maceió e voltar por Recife (fazendo o mesmo com o carro alugado) vamos por volta do dia 12/02 e voltaremos na semana que antecede o carnaval, altíssima temporada… será que conseguimos hospedagem fácil ao longo do caminho, para poucas pernoites ou é melhor sair de casa já com tudo programado e reservado?? Fico insegura em ambos os casos, medo de não conseguir um lugar bom (confortável, não precisa de luxo) para ficar em alguma cidade de parada e ao mesmo tempo de sair de casa com tudo extremamente programado sem liberdade para ficar de repente um dia a mais ou a menos em determinado lugar… Qual a sugestão de vocês???

    Abraços!

    1. Olá, Natália! É bastante aconselhável sair de casa com reservas feitas. Pesquisando sobre os destinos antes de viajar, você monta um roteiro com pouca margem de erro. Perder tempo de passeio rodando atrás de hotel é uma furada :)

      1. Foi o que imaginei!rs… Melhor fechar logo esse roteiro e nos organizar então!! Obrigada Bóia!!! :) )

  8. Bóia,

    Do ponto de vista logístico, para quem quer fazer o roteiro de duas semanas sugerido pelo comandante e não quer passar por Recife, o melhor roteiro é:

    Maceió (3 noites) – Porto de Galinhas (2 noites) – Maragogi (3 noites, passando o dia de chegada em Carneiros) e Rota Ecológica (5 noites), voltando por Maceió

    ou

    Maceió (3 noites) – Maragogi (2 noites) – Porto de Galinhas (3 noites, passando o dia de chegada em Carneiros) e Rota Ecológica (5 noites), voltando por Maceió?

    Outra dúvida: se entendi bem, Maragogi não tem nenhum movimento no centrinho à noite; ou seja, estando de carro, é melhor escolher meia pensão e ficar hospedado em pousadas mais afastadas. Já Porto de Galinhas tem um movimento interessante à noite, o que favorece escolher uma pousada no centrinho para não ter que usar o carro. É isso mesmo?

    Desde já, obrigado pela ajuda!

    1. Olá, Thiago! O seu raciocínio é correto. O segundo roteiro é mais redondo (o trecho Maceió-Porto de Galinhas é mais cansativo do que Porto de Galinhas-Rota).

      1. Bóia,
        muito obrigado pelo retorno!

        Que pousada vocês recomendam no centrinho de Porto de Galinhas?

        1. Olá, Thiago! O Ricardo Freire gosta da Luar das Marés.

          1. Bóia,
            obrigado!

            Consultei a Luar das Marés, mas ela já está lotada no período que eu preciso. Alguma outra boa indicação?

            1. Olá, Thiago! Tente a Marahu.

  9. Olá Bóia!

    Aproveitando o gancho do Thiago… o esquema de meia pensão é realmente melhor em Maragogi (estaremos de carro e também ficaremos apenas 2 dias)? Alguma dica para hospedagem??

    Obrigada!!

  10. [...] Maceió hospedar a seleção de Gana. [...]

  11. Achei muito legal a maneira que colocou as informações… encontrei aqui exatamente o que procurava para programar nossa viagem de 7 dias para “Maceió” (pois nós queremos colocar o pé na estrada e conhecer o máximo possível do estado neste período).

    Se alguém tiver um roteiro para 7 dias e puder compartilhar eu agradeço… ;)

    Att.
    Niara

  12. as praias de Maceió e Alagoas são uma das mais lindas do Brasil e as aguas são clarinhas, isso é tão raro de se ver…

  13. Estarei em Maceió final de abril e início de maio e gostaria de saber se compensa alugar carro para ficar apenas 4 dias para quem quer descansar e se o acesso para Barra de São Miguel é fácil de carro para quem não é do local.

    1. Olá, Fabiana!

      Como está escrito no texto, o acesso é por estrada asfaltada duplicada. Alugue um carro se você for zanzar entre praias. Se for ficar em Maceió, não alugue.

  14. Olá! adorei o site e as super dicas!
    Estou indo de férias para Maceió do dia 06/04 a 13/04.
    Estamos pretendendo fazer o passeio sul até Penedo, com 1 pernoite por lá. Mas fiquei com uma dúvida em relação ao litoral norte.. esse passeio de 50km até Carro-Quebrado pode ser aproveitado em 1 dia?
    Obrigada!

    1. Olá, Leticia! O Ricardo Freire não acha a mínima graça em Carro Quebrado: você paga uma nota para ver um monte de carro na praia e falésias como no Ceará. As outras praias dos arrredores de Maceió são muito mais bonitas e mais… alagoanas.

  15. Boa tarde, estou indo para barra de São Miguel,no hotel Iloa, com a família , temos crianças , como vamos ficar apenas 5 dias ,queria a recomendação de pelo menos um excelente passeio para fazer ,que compense e não seja cansativo para as crianças , iremos na próxima semana…gostaria mto de ouvir o conselho de quem entende ,como vc ,e não está interessado em vender , como em agências…obrigada

    1. Olá, Rosana! A praia do Gunga está bastante próxima. As piscinas naturais mais próximas são em Paripueira.

      Veja:
      http://www.viajenaviagem.com/2014/02/comparacao-maragogi-paripueira/

  16. Ótimo, esse atenção para Alagoas, espero que o autor vai voltar para conhecer melhor as praias de Coruripe! praia do Batel em Barreiras é considerado uma das maias belas do Brasil! (guia Dominicus).Esse parte do litoral-sul de Alagoas ainda é pouca descoberta, embora tem umas praias lindas e ainda pouca frequentadas.
    Sejam bem vindos!

  17. Olá,estou indo de férias e gostaria de conhecer Maceió, Maragogi e Porto de Galinhas… O que acha desse roteiro?
    Maceió (3 noites),Maragogi (2 noites),Porto de Galinhas (3 noites)
    Obrigada.

    1. Olá, Maiara! Está bacana :) É uma parte do roteiro que o Ricardo Freire sugere no post acima.

  18. Olá, Ricardo!
    Gosto muito das suas informações, como também das músicas que acompanham seu programa.
    Vou para Maragogi, com meu marido, na terceira semana de maio. Já fechei pacote com o Hotel praia Dourada, mas estou em dúvida se fiz a melhor escolha depois que vi o salinas. O que você me sugere?
    Abraço carinhoso.

    1. Olá, Sueli! Aqui quem responde é A Bóia! O Praia Dourada é um hotel mais simples, mas fica em uma boa praia. O Ricardo Freire comenta sobre ele e sobre o Salinas aqui: http://www.viajenaviagem.com/2013/10/guia-praias-alagoas-maragogi-rota-ecologica-sao-miguel-milagres-porto-pedras-japaratinga/

  19. Bóia boa noite

    vou para Maceió em julho com meus filhos de 12 e 7 anos.
    Será uma viagem especialmente pensando nas crianças e presente de aniversário para a caçulaque completara 8 anos dia 18/7.
    Estou em dúvida entre os hotéis: Village Pratagy, Jatiuca , Ritz Lagoa Anta e Mabu Illoa.
    Qual você recomenda?

    fico no aguardo e agradeço.

    Abraços

ATENÇÃO:
Desculpe, mas esta caixa está inativa e seu comentário não aparecerá. Estamos aprontando um novo Viaje na Viagem. No novo site a caixa de comentários voltará a funcionar. Obrigado pela compreensão!