Um dia em Sintra (e por que vale a pena passar a noite também)

  • 0
Heloísa Dall'Antonia
por Heloísa Dall'Antonia

post47-sup2016

Sintra

A menos de 30 quilômetros de Lisboa, Sintra, chamada também de Monte da Lua, é um dos passeios de dia inteiro (ou de dois dias, para ver tuuudo mesmo) mais interessantes para quem está hospedado na capital portuguesa. Patrimônio Mundial da Unesco, a vila fica na encosta da serra que leva o seu nome e termina no Cabo da Roca, o ponto mais ocidental do continente europeu.

Só reservou um dia para o passeio? Sem problemas. O detalhe fundamental para ver ao menos os pontos mais importantes da vila é: chegar cedo ao destino.

Os trens para Sintra saem da estação ferroviária do Rossio, que fica num bonito prédio de 1886, acessível tanto pelo metrô Restauradores (linha azul) quanto pelo metrô Rossio (linha verde). Uma vez ali, basta seguir as indicações para embarcar no trem (comboio) da CP com destino a Sintra -- se você estiver com o Lisboa Card, é só passar na catraca; se não tiver, compre na hora o bilhete avulso por € 2,15 por trecho). São 40 minutos de viagem que deixam o turista na estação central da vila. Como Sintra é a última estação, sente e relaxe. A paisagem não é bacana como a que leva até Cascais, mas garanto que chegando ao destino você não vai se arrepender.

Vista de Sintra

Na vila, o ponto de onde saem os ônibus hop-on/hop-off da Scotturb está a pouco mais do que um quarteirão da estação. Embarcar neles será fundamental para que você possa se locomover guardando energia para gastar dentro dos palácios e outras atrações. O primeiro deles sai às 9h30 -- portanto, seja um turista comportado na véspera e programe-se para estar ali no horário e pegar já essa saída. O bilhete é comprado com o próprio motorista e custa € 5 na carreira 434 (Circuito da Pena) e € 2,50 na carreira 435 (Villa Express 4 Palácios). O bilhete vale para o dia inteiro, você desce e sobe nas paradas da mesma linha quando quiser.

Embarquei no 434 e, confortavelmente sentada junto dos outros 10 turistas que já estavam comigo no trem vindo de Lisboa, fomos entrando nas ruazinhas estreitas e rodeadas de verde do circuito. Muitas vezes, devo ser sincera, achei que o ônibus não ia conseguir fazer as curvas.

Linha 434: Circuito da Pena

Primeira parada: Palácio da Vila

Palácio da Vila
Palácio da Vila

Sintra33
Palácio Nacional de Sintra
Palácio Nacional de Sintra
Palácio Nacional de Sintra

Quatro minutos depois da saída da estação e já estávamos no primeiro “ponto”, pertinho da entrada do Palácio Nacional de Sintra (Largo Rainha D. Amélia, tel. 351/ 219-237-300; aberto diariamente das 9h30 às 18h). Também chamada de Palácio da Vila, a construção de inspiração árabe chama a atenção por suas duas chaminés brancas cônicas. O local tornou-se, a partir do século 12, residência da família real portuguesa. Monumento Nacional desde 1910, apresenta em suas várias salas um bonito acervo de azulejos e traços arquitetônicos que misturam as muitas influências de seus ocupantes.

Segunda parada: Castelo dos Mouros

Castelo dos Mouros, Sintra
Castelo dos Mouros, Sintra
Castelo dos Mouros, em Sintra

Castelo dos Mouros

Castelo dos Mouros, em Sintra

Fundado provavelmente (adivinhe?) por mouros, o impressionante Castelo dos Mouros (aberto diariamente das 10h às 18h) data do século 10. Fortificação militar com função de vigilância, a construção se manteve inteira desde então. Foi meu primeiro castelo em Portugal e, devo dizer, foi impressionante. O silêncio, cortado apenas pelo vento quando passa pelas aberturas das paredes; a linda vista de Sintra e arredores a partir de suas muralhas; a pequena igreja construída quando D. Afonso Henriques já era soberano, assim como o “túmulo” que guarda ossadas exumadas durante as obras: tudo é fantástico.
É isso, era a segunda parada do ônibus, pouco mais de 11h da manhã e eu já estava completamente apaixonada por Sintra. smile

Terceira parada: Palácio da Pena

Palácio da Pena, em Sintra
Palácio da Pena, Sintra
Palácio da Pena, Sintra
Palácio da Pena, em Sintra
Palácio da Pena, em Sintra

Palácio da Pena

Foi no Palácio da Pena (tel. 351/219-237-300; aberto diariamente das 10h às 18h) que tive a certeza de que Sintra merecia mais do que um dia de visita. Estava na minha terceira parada, já era mais de meio-dia e como o tempo não estava ajudando, me dei conta de que não ira conseguir fazer a segunda linha de Sintra com o tempo que ela merecia.

Fruto da arquitetura romântica (Sintra se autodenomina “capital do romantismo”) e das ideias do rei artista D. Fernando II, convivem em seu interior traços neo-árabes, neo-góticos e neo-manuelinos. Erguido entre 1839 e 1885, o palácio engloba também um maravilhoso parque de 85 hectares, com jardins, estufa, capelas, lagos e grutas. Espécies de todo o mundo podem ser encontradas nos gramados.

Claustro, sala de jantar, aposentos reais e salões exibem ainda o mobiliário da época. A equipe de apoio da atração consegue sanar as dúvidas dos visitantes sem problemas. Por se tratar de um aclive, ônibus pagos (€ 3,50 por cabeça) fazem o percurso de ida e volta a partir da entrada do parque até o palácio.

Última parada: estação de Sintra

De volta ao ponto inicial, chega a hora de pensar no almoço. Orgulhe-se ao notar que a vila já está bem mais lotada do que quando você chegou, com o diferencial de que você já viu parte das grandes atrações.

Ótimo momento para conhecer a histórica Piriquita (Rua Padarias, 1-7, tel. 351/ 219-230-626), a Antiga Fábrica de Queijadas de Constância Piriquita, que abriu em 1862. Da vitrine que só de olhar já engorda, e que hoje em dia oferece muito mais opções do que apenas o “travesseiro” (uma espécie de bolinho de massa folhada e amêndoas), escolha sua “refeição” ou sobremesa quentinha antes de voltar a encarar os outros pontos turísticos da vila.

Com taxas escorchantes de açúcar no sangue, é hora de seguir para o mesmo ponto da estação, ou para o da entrada do Palácio da Vila para pegar o ônibus 435, que vai passar por três palácios que você ainda não viu.

Linha 435: Villa Express 4 Palácios

Segunda parada: Quinta da Regaleira

Quinta da Regaleira, em Sintra
Quinta da Regaleira, em Sintra
Quinta da Regaleira, em Sintra
Quinta da Regaleira, em Sintra
Quinta da Regaleira, em Sintra

Segunda parada: Quinta da Regaleira (tel. 351/219-106-656 - abre diariamente das 10h às 17h (o horário é mais elástico no verão)

Depois de nova passada pelo Palácio Nacional de Sintra (Palácio da Vila), a parada é na frente da imponente da Quinta da Regaleira, a curiosa construção idealizada pelo proprietário Carvalho Monteiro e o arquiteto Luigi Manini (tel. 351/219-106-656; aberta diariamente das 10h às 17h, até mais tarde no verão). A área da casa de veraneio da família Monteiro serviu de cenário para as criações de seu dono, que misturou referências de mitologia grega e da obra de Dante Alighieri e até a figura de Camões. Assim, uma capela divide espaço com uma alameda de estátuas de divindades gregas, fontes, grutas e passagens subterrâneas, culminando com uma torre invertida, que se afunda 27m abaixo da terra, tudo misturado em um lindo e imenso jardim. Infelizmente, eu e meu guarda-chuva vimos menos da área do que eu gostaria. Dentro do Palácio da Regaleira, plantas do projeto arquitetônico, fotos e murais explicativos se misturam a alguns móveis de época. Mais do que em qualquer outra atração da cidade, aqui o mapinha oferecido na bilheteria é fundamental.

Terceira parada: Palácio de Seteais

Palácio de Seteais, em Sintra

Abrigando hoje um hotel Tivoli, o Palácio de Seteais foi construído no final do século 18 pelo então Cônsul da Holanda em Portugal. A arquitetura, neo-clássica, passou por ampliações em outros anos, mas manteve a sua entrada, com um lindo arco (a partir de onde, em dias limpos, é possível ver o Palácio da Pena perfeitamente posicionado), e os grandes jardins. Uma boa pedida para quem não está hospedado ali e quiser conhecer o interior do palácio é participar do Lanche à Portuguesa, uma espécie de buffet de chá da tarde que acontece diariamente no restaurante do hotel. Custa € 20 por pessoa (Rua Barbosa du Bocage, 8, tel. 351/219-233-200).

Quarta parada: Palácio de Monserrate

Palácio de Monserrate, em Sintra
Palácio de Monserrate, Sintra
Palácio de Monserrate, Sintra

Construído em 1856 para a residência de verão de uma abastada família inglesa, o Palácio de Monserrate (tel. 351/219-237-300; aberto diariamente das 10h às 18h) aproveitou as ruínas de uma mansão neo-gótica que já existia ali. Ruínas, um sarcófago, cascatas e trilhas estreitas levam os visitantes até a casa, que entre outros aposentos possui uma sala de música, uma biblioteca e um átrio principal com pé direito alto e uma trabalhadíssima cúpula. Lord Byron visitou Monserrate e falou da casa em um poema, preciso falar algo mais?

Fazer esse roteiro, que durou o dia inteiro e não me deixou ver Monserrate por dentro (só pude andar pelos jardins da propriedade porque já era quase 17h), ou mesmo tomar o chá em Seteais, apesar de extremamente gratificante, me privou de outros passeios -- daí a certeza de que a vila merece dois dias de visita. Não fiz o itinerário dedicado a São Pedro de Sintra (que passa por capelas e um mirante), ou conheci as demais simpáticas fontes espalhadas pela localidade, ou vi a exposição a céu aberto “Sintra Arte Pública” e nem mesmo encontrei a Fábrica de Queijadas da Sapa, tão famosa quanto a Piriquita. Também não passei pelo Convento dos Capuchos, o Palácio de Queluz (a meio caminho entre Lisboa e Sintra) ou sequer vi o eléctrico da cidade.

Ou seja: para visitar todas as atrações, programe passar uma noite na vila.

Ingressos

Como a empresa Parques de Sintra-Monte da Lua comanda quase todos os atrativos da cidade, é possível combinar os ingressos, pagando um valor menor. Assim, a entrada no Palácio da Pena, por exemplo, custaria, sozinha, €11,50; enquanto a do Castelo dos Mouros sairia por € 6,50. As duas, porém, custam € 14,50 quando compradas juntas. Qualquer uma das bilheterias dos pontos turísticos da empresa vendem as combinações (simule aqui). O ingresso para a Quinta da Regaleira custa € 6.

Dicas

Programe tão bem o final da sua visita quanto o início: o último ônibus passa pelo Palácio da Pena às 18h34 e pelo Palácio de Monserrate às 18h26. Depois disso, sem conversa, você terá de voltar a pé para o centrinho da cidade. Os motoristas sempre esperam um pouquinho no ponto antes de irem embora, mas convém não abusar se você não tem planos de fazer mais uma caminhada no dia. Já os horários do comboio de volta a Lisboa são tranquilos: há opções até as 23h.

Mais do que em qualquer outro ponto de Lisboa, a máxima para Sintra é a mesma de parques temáticos de Orlando: vá com sapatos MUITO confortáveis. Você vai andar bastante e precisará aguentar firme.

Sabe a história da sua mãe de “leve uma blusinha que vai esfriar”? Em Sintra todas as mães do universo podem abrir um sorriso infinito porque estarão certas. É uma serra, afinal. Ao entardecer, a temperatura começa a cair.

Heloísa viajou a convite do Turismo de Lisboa.

Leia mais:


post47-rod2016-03

36 comentários

Cândida Silva

Sintra é uma das minhas paixões em Portugal! Já fiquei hospedada no Tivoli Seteais, é lindíssimo. O Palácio de Montserrat também vale muito a visita. Almoçar ou jantar no centrinho da vila é uma delicia! Este ano vou a Portugal e pela primeira vez não vou à Sintra... Lendo esse post deu muita saudade.

UmOlharViajante

Excelente relato, e dicas ainda mais preciosas!! é mesmo isso!
Especialmente a parte dos sapatos confortáveis!! smile

Malu Esper
Malu EsperPermalinkResponder

Parabéns Heloisa, super legal seu post sobre Sintra. Gostaria de acrescentar que, para os que preferem ir de carro até o Palacio da Pena, devem tomar muito cuidado pois a estrada é muito estreita e várias pessoas sobem à pé. Eu achei um perigo enorme. Não precisa estacionar no acostamento da estrada pois tem um estacionamento na entrada do parque que leva ao palácio. Concordo com você que para fazer todos esses passeios são necessários dois dias. É muito cansativo e andar com tempo pela cidade, sem rumo, é uma delicia.

Heloísa
HeloísaPermalinkResponder

Obrigada, Malu! wink Tá muito na cara que vou voltar pra lá assim que puder/o euro estiver num valor decente?

EUCLIDES CARDOSO

Parabéns Heloísa pela riqueza de informações e as fotos. Fiquei na dúvida: quando vc relata os ônibus que passam pelas localidades mencionadas e vc desembarca, os mesmos ônibus esperam a visitação dos palácios e na hora marcada vc retorna e pega os mesmos ou vc espera a vinda do próximo. Grato

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Euclides! O ônibus não espera; você embarca no próximo que passar.

Heloísa
HeloísaPermalinkResponder

Obrigada, Euclides!

Cris
CrisPermalinkResponder

Ótimos comentários, Heloísa. Estive em Sintra em maio de 2013. Que saudade! Na oportunidade, fui com duas amigas que eram meus olhos. Sim, tenho deficiência visual, enxergo um pouquinho que me permite, com esforço e determinação, fazer ainda muitas coisas. Visitamos o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros. Sabe se existe atendimento especial para pessoas com deficiência? Estou sem cia e pretendo ir sozinha a Portugal para fazer o que der. Obrigada.

Heloisa
HeloisaPermalinkResponder

Oi, Cris! Está em andamento um projeto chamado "Parques de Sintra Acolhem Melhor", que pretende, entre outros projetos, ter plantas táteis e maquetes com informações em braile. Mas ele ainda não está concluído. sad

Janaina Oliveira

Oi Heloísa, tenho vontade de dormir uma noite em Sintra mas fiquei com uma dúvida.
O trem que saí da Estação do Rossio para Sintra tem espaço para malas? Você indicaria ir com as malas nesse trajeto ou tem alguma outra sugestão mais confortável para ir de Lisboa a Sintra com bagagens? Obrigada.

Heloísa
HeloísaPermalinkResponder

Oi, Janaina! Nos vagões em que viajei, tanto na ida quanto na volta, não havia lugar para as malas, mas dependendo do horário em que você pegar o trem, dá tranquilamente pra encaixar a mala junto das pernas no banco e seguir para a cidade.

Ariana
ArianaPermalinkResponder

Os comboios sao urbanos por isso é que nao tem um espaço especifico para as malas. Para quem vem de viagem de Lisboa para Sintra o melhor é sempre o comboio, pois é mais barato e directo. As melhores horas para os apanharem relativamente vazios é ente as 11h e as 17h

Talitiane
TalitianePermalinkResponder

Prezada, esses ônibus paga-se tarifa única ou toda vez que embarca paga uma passagem? obrigada wink

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Talitiane! Ônibus hop on hop off = passagem única, válida por todo o dia, podendo subir (hop on) e descer (hop off) quantas vezes quiser.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Olá Heloisa! Adorei suas valiosas dicas! Estou planejando fazer este passeio em Sintra mês que vem (outubro) e aproveitar suas dicas. Você fez em qual época? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! A Heloísa viajou justamente em novembro do ano passado smile

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Ótimo post! Obrigada pelas dicas! Vamos visitar Sintra daqui menos 1 mês e vou seguir suas informações também! ?

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Oi, Heloisa! Que post excelente! Me diz uma coisa: li em um ebook de roteiro de 7 dias para Lisboa que o Palácio Nacional da Pena NÃO abre às 2as feiras. Procede? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tatiana! Quem responde é A Bóia. O palácio abre diariamente, veja:

http://www.parquesdesintra.pt/planear-a-sua-visita/horarios-e-precos/?t=parque-e-palacio-nacional-da-pena

Daniel Murta
Daniel MurtaPermalinkResponder

Vou fazer o passeio de 1 dia em Sintra em abril deste ano. Pelo que vi, parece ser uma serra bonita. Vale a pena alugar um carro conversível para ir de Lisboa a Sintra para curtir o visual, mesmo sendo estreitas as pistas? Em abril é muito frio?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniel! Provavelmente ainda estará frio para conversível.

André Vianna
André ViannaPermalinkResponder

Boa tarde.
Pretendemos conhecer Sintra e Caiscais em junho.
Vale a pena ir de carro, ou é melhor deixar pra ir de trem depois que devolvermos o carro?
Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, André! Para fazer os dois no mesmo dia, vá de carro. Se puder ir em dias diferentes, tanto faz carro ou trem.

Thais Olluk
Thais OllukPermalinkResponder

Olá, Heloísa, Boia e Ricardo! Eu queria saber o seguinte: se eu perder o ônibus no final da tarde de volta para a estação de trem, a caminhada é muito longa para o centrinho? É possível pegar um táxi? Saberia me dizer quanto aai em média essa corrida?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thais! Dá para ir tanto a pé quanto de táxi. O táxi sairá menos de 10 euros.

Leninha
LeninhaPermalinkResponder

Oi, pessoal! Acompanho sempre as dicas de vcs antes de viajar para qualquer lugar. São preciosas!

Estou indo para Portugal em setembro para passar 7 noites. A ideia inicial era ficar as 4 primeiras em Lisboa, 2 no Porto e a última em Lisboa para pegar o avião de volta para o Brasil no dia seguinte de manhã. Com base nesse post (fantástico!) e em dicas de amigos, tinha pensado em passar uma noite em Sintra, mas seria complicado para voltar a Lisboa no dia seguinte para ir para o Porto direto. Sem contar as malas para lá e para cá. Não gosto de correria.
Estou começando a acreditar que é melhor ficar as 4 noites em Lisboa e fazer apenas um bate e volta até Sintra. Qual a opinião de vcs?
Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leninha! Um bate-volta bem-aproveitado rende bastante. Fique até tarde em Sintra e você se sentirá tendo dormido por lá.

Adriana Vieira

Excelentes dicas. Obrigada,bjs.

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Vale a pena percorrer Sintra de carro ou seria melhor aproveitado com ônibus hop on hop off? As ruas de Sintra são muito estreitas? Pergunto pq irei com 5 pessoas e alugamos um carro grande.
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Claudia! Se já estará de carro, vá de carro e aproveite a mobilidade. Só será difícil estacionar no centro, mas o carro sera útil para os palácios e quintas.

SANDRA MARCHESANO

Andei lendo que o Sintra Canopy está fechado desde 2015 por questões financeiras. Isso procede?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sandra! Sim, procede. Obrigada por avisar, retirei agorinha do texto.

https://www.parquesdesintra.pt/noticias/encerramento-da-atividade-sintra-canopy/

marina
marinaPermalinkResponder

Tuas dicas são as melhores!!!!!!!! PARABÉNS!!!!!!

Vinícius
ViníciusPermalinkResponder

Parabéns!!!
Eu ainda não conheço, mas, com o seu informe e comentários a seguir, vai ser a próxima viagem.

Sidney Tupiniquim

Parabéns. Excelente matéria, fale também do Chatêau da Condessa D`Edla e algumas praias famosas como Praia das Maçãs. Sintra merece no mínimo 2 dias e mesmo assim bastante corridos.

Fernando Pereira

Olá, Heloísa!
Parabéns por essa bonita apresentação de Sintra! Estive por lá em setembro de 2014, infelizmente numa visita relâmpago, o que serviu para "determinar" volta certa. Seu post foi muito feliz, pois mostra muito mais do que se imagina que há para se ver em Sinta. Agora se tornou questão de honra voltar! Obrigado

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar