Enquete | Serra da Canastra: queremos suas dicas

  • 0
Natalie Soares
por Natalie Soares

Serra da Canastra Minas Gerais Dicas e Roteiros

Santo de casa não faz milagre, certo? Santo de casa viajeiro faz menos ainda. Eu sabia que novembro não era a melhor época para visitar a Serra da Canastra, mas mesmo assim encasquetei com o destino e resolvi encarar a estrada cheia de barro. O que aconteceu? É claro que choveu todos os dias.

Serra da Canastra Minas Gerais Dicas e Roteiros

Café da manhã na Pousada Fazendinha da Canastra

Se você planeja em cair na estrada e conhecer esse trecho na transição da mata atlântica para o cerrado e não quer cometer os mesmos erros que eu, aí vão aos pitacos viajantes sobre como chegar, melhor época para viajar e o que fazer.

O Parque Nacional da Serra da Canastra fica a 400 km de Belo Horizonte, pela BR-262, e a 600 km de São Paulo, pela BR-381. Quando visitei a região em 2013, muitos GPS ainda não tinham os mapas completos da região -- alguns apenas indicavam as rotas até Vargem Bonita, Delfinópolis ou São Roque de Minas, por isso, se a ideia é se embrenhar mais para o interior da Serra, confirme o trajeto com a pousada onde você vai se hospedar.

Você que foi na época certa: é possível encarar as rotas dentro do parque a bordo de um carro convencional? Se for na época da seca, acredito que sim, apesar dos caminhos maltratarem a suspensão e as rodas do seu possante.

Só fique atento a um detalhe: todos os trechos dentro do parque são feitos por estradas de terra, seja no caminho para as trilhas e cachoeiras, seja durante a busca pelo melhor queijo Canastra. O ideal, ou mais confortável, é viajar com um carro off-road ou 4x4, assim você não precisa se preocupar com o excesso de buracos, barro ou a lama nas estradas.

Serra da Canastra Minas Gerais Dicas e Roteiros

Serra da Canastra, Minas Gerais

Se a ideia não é acampar ao ar livre, algumas das cidades mais próximas para montar base são: Vargem Bonita e São Roque de Minas, na parte norte da Serra e próximas à nascente do Rio São Francisco e à Cachoeira Casca D’Anta, e Delfinópolis, localizada ao sul do parque.

Evite os meses entre novembro e março que coincide com o período de chuvas, é nesse momento que as condições das rotas ficam mais complicadas. A época ideal - oficialmente - para conhecer a Serra da Canastra é entre abril e outubro, durante a seca.

Serra da Canastra Minas Gerais Dicas e Roteiros

Cascata d’Anta

Os principais atrativos da Serra são divididos em dois temas: o turismo de aventura e o turismo gastronômico. No primeiro quesito, os programas obviamente são relacionados à exuberância do destino: trilhas, canoagem, passeios de 4x4, moto, rapel e principalmente a visita à nascente do Rio São Francisco e às dez cachoeiras do parque, sendo a Cascata d’Anta a de mais fácil acesso.

Dizem que as piscinas naturais da Fazenda do Tio Zezico, no km 15 do caminho para o Morro do Carvão, também são imperdíveis, mas como você bem pode imaginar, ela mesma, a danada da chuva, atrapalhou meus planos de fotografá-las.

Serra da Canastra Minas Gerais Dicas e Roteiros

Queijos da Fazenda Agro Serra

Já no tópico “queijo”, é praticamente impossível terminar um texto sobre a Serra da Canastra sem falar da sua natural aptidão para produção de um dos queijos mais saborosos – e ultimamente – mais premiados do Brasil. Muitas fazendas e sítios produtores de queijo abrem suas portas aos turistas que buscam peças curadas, meia-curas ou bem fresquinhas. Acho difícil resistir. Algumas das mais conhecidas são o Sítio do Zé Mario e a Fazenda Agro Serra.

Agora é sua vez:

    Já foi para a Serra da Canastra? Carro convencional ou 4x4? Qual é a melhor região para se hospedar? Tem dicas de passeios imperdíveis, agências locais e pousadas?

À caixa de comentários! Obrigada!

Mais enquetes:

17 comentários

Liliane Inglez

Opa!!! Fomos 2 anos seguidos, mas na época "molhada" mesmo (final de dezembro)! Como estamos a umas 5 hs de viagem, ficamos de olho na previsão do tempo e reservamos a pousada de última hora. Da primeira vez, só pegamos dias ensolarados, o que rendeu ótimos banhos no São Francisco (eba!!). Da segunda vez, fez chuva, ficou nublado e fez sol também. Mas como vamos de 4X4 não nos preocupamos muito!
Pra quem vai de veículo 4x4, uma boa pedida é ir pela Serra da Babilônia - um passeio lindo - ou pela estrada de Canteiros, a partir de São João Batista do Glória! Um roteiro bom, em pouco tempo, é fazer a parte baixa do parque em um dia, e a parte alta em outro. A parte baixa dá pra ir de veículo convencional, especialmente se não chover! Ficam aqui meus 5 cents: http://www.trilhasecantos.com.br/2015/02/atravessando-serra-da-babilonia-rumo.html http://www.trilhasecantos.com.br/2015/02/as-atracoes-da-serra-da-canastra.html E a melhor dica: não deixem de conhecer este lugar fantástico!!!

Ludmila
LudmilaPermalinkResponder

Visitamos a Serra da Canastra em julho/2015. Estávamos em dois carros, um 4X4 e um normal.
Na parte baixa do parque anda qualquer carro, já na parte alta depende das condições da estrada. Na parte alta fomo todos no 4X4 mas tinha muitos carros "normais" circulando por lá.
O bom é que ninguém precisa ficar de fora pois o pessoal da Fazendinha da Canastra faz passeios em 4X4 para a parte alta do parque e você pode deixar seu carro na pousada.
Tenho posts mais detalhados publicados no meu blog.

http://www.farrabadares.com/category/brasil/minas-gerais/serra-da-canastra-minas-gerais/

Willian
WillianPermalinkResponder

Moro em Araxá - MG. E o acesso mais fácil pra nós é por tapira andamos 50km de asfalto e 40km de terra, é a melhor estrada de terra de toda serra da canastra pois por lá existem várias fazendas com poder de conseguir que sempre as estradas fiquem Boas. Tempo 2 carros um Fiat Uno e uma Ford Ranger 4x4 tanto faz ir com qlq uma que sempre chego tranquilo. Já a Ranger utilizo pra fazer passeios 4x4 por toda Serra da Canastra. Tenho uma area de camping, chalés e uma casa para aluguel no Arraial de São João Batista ele fica localizado na portaria 2 do parque nacional da serra da canastra. Destino anteriormente citado a 90km de Araxá. Tem muitas cachoeiras bem próximo ao Arraial e ele sem dúvidas é o lugar mais tranquilo e mais rústico da Canastra. Visitem nossa página na Internet e faça contato para maiores informações. www.vilacanastra.com.br

Mirella Matthiesen

Oi Nat,
Como você sabe já fizemos esse passeio e gastamos 2 dias inteirinhos por lá, sem contar o trajeto de ida e volta. Fomos por conta e fizemos o passeio da parte baixa com nosso carro e da parte alta contratamos o pessoal da Fazendinha da Canastra, pousada que escolhemos.
A dica para ir com carro (no nosso caso um Soul) é ir na época da seca, do contrário, só 4x4 para encarar a época das chuvas.
Nossos 3 posts completinhos desse lugar lindão, estão aqui: https://www.viajoteca.com/category/destinos/americas/america-do-sul/brasil/minas-gerais/serra-da-canastra/
Já posso voltar? smile

Debora Segnini

Já visitamos a Serra da Canastra 2 vezes e ainda estou devendo escrever um pouco sobre a segunda viagem.
Ficamos hospedados na Fazendinha também!!! Sensacional!!! wink
Além de ser um lugar super acolhedor, achei boa a localização para a saída dos passeios.
Fizemos vários passeios na parte alta e baixa da Canastra, na Babilônia, demos uma voltinha ali por Vargem Bonita e sabe.... Ainda quero voltar e fazer algo ainda mais radical.
Não temos veículo 4 x 4 e combinamos o passeio com o proprietário da pousada nas duas oportunidades. Ele tem dois 4 x 4 que saem diariamente para passeio. Foi ótimo. Com nosso carro fomos apenas na cachoeira da Chinela.
Sobre a Canastra, tenho a dizer que o lugar me faz bem. Nunca fui fã de passeios assim, mas desde que fui me apaixonei.
Escrevi sobre o destino aqui:http://www.gostoepronto.com/category/destinos-de-viagem/brasil/minas-gerais/serra-da-canastra/
Obrigada pelo espaço. smile

Kamila
KamilaPermalinkResponder

O acesso para a pousada Fazendinha é bom?

Fernanda Scafi

Já fui várias vezes pq tenho parentes que moram ali perto - em Piumhi. Por causa disso, não tenho dicas de hospedagem - sempre fico na casa deles mesmo, apesar de ficar um pouquinho mais longe do que São Roque de Minas (que eu acho a cidade ideal para dormir na região). Na base da serra, entrando por São Roque, tem até quadriciclo para alugar!
Já fui na época seca - muuuito melhor - e subimos a serra com diversos carros com motores bons e médios, mas sem ser 4x4. Fui uma vez no Carnaval - época de chuva e muuuito ruim - e só conseguimos subir em uma super caminhonete 4x4 de um primo - não recomendo de jeito nenhum subir até a nascente do São Francisco em época de chuva, nem mesmo com 4x4 - muito perigoso!
Ali pertinho tem tb a represa de Furnas que é outro passeio ótimo e somando a Serra da Canastra com a Represa de Furnas dá um belo de um passeio de um feriado ou melhor ainda, uma semana. Mais aí se hospedar em São Roque fica fora de mão, o ideal é Capitólio - ali que fica o famoso condomínio que está bombando "Escarpas do Lago".
Escrevi sobre a região no meu blog: http://www.taindopraonde.com.br/search/label/Serra%20da%20Canastra, mas preciso voltar urgentemente!
O passeio do lago é imperdível e a principal dica gastronômica na região é o Restaurante do Turvo, chegando na represa (para quem vai de Campinas/interior paulista, e aliás as estradas de Minas entrando ali por Mococa são muuuito melhores - vale a pena o pessoal de SP fazer o desvio e ir por Campinas (tenho muitos parentes de SP que sempre vão pra Piumhi tb e eles que dizem isso).

Thelma Alves
Thelma AlvesPermalinkResponder

Oi Nat, tudo bem? A gente já falou tanto sobre o queijo Canastra no blog, que eu fui praticamente obrigada incluir nos meus posts a seguinte ressalva: "O De Casa Para O Mundo é exclusivamente um blog de viagens. Para obter informações relacionadas a comercialização dos queijos produzidos na Serra da Canastra, sugerimos que você entre em contato com a cooperativa responsável". Hahahahahaha! Opa, porque nós recebíamos MUITAS mensagens de gente querendo revender os "nossos" queijos, como se fossemos nós que os produzíssemos! Bom, vou listar abaixo os três posts que temos especificamente sobre os eles, afinal fomos para a Canastra somente para degustá-los:

http://www.decasaparaomundo.com.br/vale-ir-ate-sao-roque-de-minas-para-comprar-queijo-canastra-e-como-vale/

http://www.decasaparaomundo.com.br/descobrindo-o-queijo-canastra/

http://www.decasaparaomundo.com.br/delivery-de-canastra-premiado-opa-pergunte-me-como/

Beijo e super obrigada pela oportunidade,

Thelma

Liliane Inglez

Telma, adorei a história do pessoal querendo comprar queijo de vcs! Detalhe é que eu comprei queijo somente da segunda vez que estive lá...rsrs Vou olhar seus posts! Bjs

Tatiana Wolff
Tatiana WolffPermalinkResponder

Fomos à Canastra no final de abril de 2014, com um March 1.0. No primeiro dia encaramos as estradas do parque, loucura total, demoramos muito e ainda ficamos no caminho uma vez (contamos com a ajuda de um pessoal para conseguir sair). Na época disseram que houve problema com a empresa responsável pela manutenção da estrada e que o exército assumiria o serviço quando acabassem as chuvas. Sim, pegamos chuva alguns dias, em geral rápida e no final do dia. Não sei se já resolveram os problemas de lá pra cá, mas definitivamente não recomendo ir de carro comum para dentro do parque.
No outro dia fizemos o passeio com o Zé Maria, guia show, e excelente motorista. Qualquer um em São Roque conhece, é só perguntar.
Amei todas as cachoeiras, difícil escolher um lugar pra recomendar, porque recomendo todos! Um dos lugares mais bonitos que já visitei, quero muito voltar!

Rafael Lindoso

Fomos nesta mesma época de carro 4x4 e ouvimos a mesma história. fizemos um passeio de 2 dias aproveitando uma viagem de Brasília a Ribeirão Preto. No primeiro dia, entramos pela portaria 3 e fomos à Cachoeira do Fundão (que tínhamos lido que era um caminho difícil). De lá fomos até a portaria 1 e a estrada estava pior! No segundo dia fomos a cachoeira Casca Danta parte baixa e andamos na Serra Branca e vale do Babilônia por estradas ainda piores na Serra Branca

Maia Oliveira
Maia OliveiraPermalinkResponder

Olá Amigos, quem quiser saber mais sobre a Serra Da canastra convido a conhecer essa Página muito informativa e feitas pelos próprios turista que visitam a Canastra ROTTA\\MG.
https://www.facebook.com/ROTTAMG-103306266688191/

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Perfeito para mim! Planejando a Páscoa com filhos na Canastra!!!

Paulo Sérgio Gabriel

Fui em época muito pouco propícia (fevereiro-2016) a São Roque de Minas para conhecer, principalmente, as nascentes do Rio São Francisco. Como hospedagem, indico a Pousada Caminho da Serra (Av. Vicente Picardi, 80 - Bela Vista, São Roque de Minas - tel: (37) 3433-1406). Os donos - um casal muito simpático e solícito - atende os hóspedes com muita gentileza e cortesia, além do custo/benefício excelente. A pousada é composta de chalés duplos e muito bem arrumada. O proprietário da pousada, com um Land Rover 4x4 faz o passeio às nascentes do São Francisco. Não aconselho você, se for para São Roque num 4x4 "encarar" a subida da serra. Ela é bastante perigosa e seria temerária a aventura - sim, aventura. As nascentes - não só do São Francisco, mas também do Rio Paraná, ficam num chapadão a 1.300 metros de altitude, de onde se descortina todo o vale plantado com café, milho e grandes extensões de pastagens. Realmente, vale muito a pena este passeio.

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Voltando da Canastra e passando para deixar minhas impressões e tentar ajudar quem está planejando!
Fui partindo de BH em julho2016 com família com filhos pré e adolescentes. Estrada bem boa em todo trecho pavimentado.

Primeiramente: estudar os mapas das entradas do Parque Nacional e decidir sua pousada baseado no que você quer acessar e conhecer.
De cara já aviso que tem programa na região para mais de uma semana, por isso: tenha foco! ou tenha tempo!!!

A principal base é a cidade de São Roque, mas atenção pois o distrito de Vargem Bonita pertence a São Roque e quando você busca em sites de pesquisa isso pode causar certa confusão.

Decidí ficar na Ecopousada Beira de Mato e foi excelente. Os donos tocam pessoalmente o local. A Silvia comanda a cozinha e o Silvio administra a logística de passeios. Ambos conhecem bem a região e gostam do que estão fazendo. Aliás o forte do Silvio é organizar tours personalizados. Optamos por contratá-lo como guia e usar o carro 4x4 dele nas estradas de terra. Meus dias eram poucos e achei que em companhia de um local poderíamos otimizar os deslocamentos. Valeu muito a pena!!!

Fomos na seca e as estradas de terra estão boas, mas ainda são estradas de terra...no período chuvoso deve ser difícil para carros comuns.

Achei o Parque Nacional bem cuidado e organizado. As belezas naturais, eu me abstenho de comentar pois não há como descrevê-las em palavras.

Visitamos queijeiros locais, inclusive a famosa Estancia Capim Canastra com seu queijo medalha de prata na França!!!

Dica de almoço em São Roque: restaurante da Dona Inês, no caminho do Parque: Dona Selcione.

Aproveite também para conhecer Capitólio e Furnas como fizemos!

Para quem está planejando ainda a viagem sugiro procurar saber também sobre a Serra da Babilônia que por falta de tempo não pude incluir no passeio mas deve ser igualmente bela como a Canastra!

Ana Lima
Ana LimaPermalinkResponder

Pousada dois irmãos é a melhor dica. Preço bom, acolhimento mineiro, fartura.

Tudo de bom!

Ana Chalub
Ana ChalubPermalinkResponder

Acabo de voltar da Serra da Canastra. Meu marido e eu saímos de Brasília dia 24 de julho à tarde. Pegamos a BR-040 até Cristalina e, lá, a BR-050. Dormimos em Uberlândia. Tem vários pedágios, porém a estrada tá muito boa!

Na terça, dia 25, chegamos ao Vale do Céu, uma propriedade particular com pousada, trilhas e cachoeiras. Foi bom ter quebrado a viagem para a Serra da Canastra já em meio à natureza, na "cara" do chapadão da Serra da Babilônia. A estrada de terra até lá (o local fica em São João Batista do Glória, a 1h45 de distância do centro de Delfinópolis) não é das melhores – muitos buracos e muita subida. Viajamos num Suzuki SX4, que tem 4x4 porém é um carro baixo, e chegamos numa boa, mas em época de chuva eu não arriscaria. No Vale do Céu, pegamos um chalé pra casal com lareira. Fizemos trilha dentro da propriedade, onde há cachoeiras bem bonitas (e geladas nessa época). Vimos muitos pássaros por lá e até um tamanduá bandeira na estrada, logo na chegada. A comida do lugar é gostosa (a diária tem pensão completa).

Dois dias depois, seguimos viagem até Guapé, às margens da represa de Furnas. Nos hospedamos na BellaMinas Pousada, também com pensão completa. Comida mineira muuuito gostosa e farta. Pegamos um quarto de casal com banheira. A pousada tem um píer e fizemos passeio de lancha pelo lago, que tem cachoeiras e belos cânions! Como estávamos mais longe, o valor é mais alto do que se saíssemos de Capitólio, mas vale a pena porque a lancha sai da própria pousada. Há outras atrações além das que vimos nesse passeio (mais cachoeiras, mais formações rochosas interessantes). Há também fazendas de café - vimos muitas pelas estradas.

Três dias depois, seguimos rumo a São Roque de Minas, a principal porta de entrada do Parque Nacional da Serra da Canastra. Fomos de Guapé a Capitólio por balsa e estrada de terra, daí seguimos pra Piumhí, onde compramos nosso primeiro queijo Canastra, o Queijo Dinho. Compramos um mais fresco e outro bem maturado. Delícia os dois! Seguimos viagem e chegamos a São Roque, onde almoçamos surubim frito e uns pasteizinhos de angu recheados com queijo Canastra, acompanhados da cerveja artesanal Canastra Puro Malte, tudo no Recanto do Surubim. De lá, seguimos para nossa próxima pousada, Irmão Sol (café da manhã + jantar), em São José do Barreiro. O local escolhido fica mais próximo da parte baixa do Parque Nacional, onde é possível ir com carro comum. Fizemos o passeio já no dia seguinte, indo primeiro ao mirante do Morro do Carvão. Tudo por estradas de terra, tudo no nosso carro. Do mirante, fomos pro Parque. Entramos pela Portaria 4, a que dá acesso à parte baixa da Cachoeira Casca d’Anta (primeira grande queda d’água do Rio São Francisco, com 186 metros de altura). O carro fica estacionado fora do parque. Trilha fácil, quase toda sob as sombras das árvores. É possível descer até o poço e tomar banho. A vista é belíssima! Na época da chuva, deve ser maravilhosa! Há banheiros 200m após a entrada do parque. O ingresso custa R$ 10/pessoa. No caminho de volta, paramos na Fazenda e Pousada Velho Chico (estrada para Vargem Bonita) para comprar um queijo. No dia seguinte, contratamos um guia par nos levar à parte alta do parque. Li em muitos lugares que a estrada era precária e tive medo de acontecer algo ao carro. O guia estava num Up, carro de passeio um pouquinho mais alto que o nosso. A estrada é realmente péssima! Muitas pedras e buracos! A entrada é pela portaria principal, em São Roque. Esse passeio pela parte de cima é feito muito mais de carro do que a pé. Uma das primeiras paradas é na nascente do Rio São Francisco. Também paramos num antigo curral todo feito de pedras. Para ir à “cabeça” da Casca d’Anta fizemos uma caminhada por pedras, mas não achei a trilha difícil. A vista lá de cima é maravilhosa. Também é possível nadar no poço que se forma pouco antes da grande queda d’água. Na volta, paramos na Fazenda Agro Serra pra comprar... queijo! O mais fresco (meia-cura, na verdade) estava bem gostoso, mas o maturado por um ano nos conquistou! Lembra um parmesão! Queijo comprado, voltamos pra pousada. Fomos embora no dia seguinte depois do delicioso café da manhã. Ainda fomos até São Roque para comprar o maravilhoso Queijo do Ivair.
Aproveitamos o caminho da volta para parar na fazenda do seu João na cidade de Serra do Salitre. Pra comprar o quê? Queijo! Essa é outra microrregião produtora de queijo certificada, fora da Canastra já (perto de Patrocínio).
*Algumas coisas que percebi pesquisando sobre a viagem: a primeira é que, se você não olhar bem o mapa, pode ficar hospedado longe de onde se pretende ir. É que os sites informam muitas vezes o nome da cidade maior que está próxima à pousada, quando na verdade ela fica num distrito a bons km de distância (por estrada de terra). Por isso, recomendo conferir a localização no Google Maps e também fazer as rotas pra entender distância X tempo de viagem. Outra observação: não ficamos em nenhuma pousada simplezinha mas, ainda assim, nenhuma delas tinha aquecedor, calefação ou algo parecido. Portanto, se for no inverno, vá preparado para dormir com todos os casacos que levar - e pode levar casacos pesados. No verão deve ser quente, mas todas tinham ventilador ou ar condicionado.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar