Encontro das Águas, Manaus: o passeio mais rápido sai do Porto da Ceasa

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Encontro das Águas

Ao lado do Teatro Amazonas, o Encontro das Águas forma a dupla de atrações imperdíveis numa escala em Manaus. (Eu acrescentaria uma terceira: o museu Seringal Vila Paraíso.) Se você vai para um hotel de selva, pode prescindir dos passeios que levam de Manaus a pontos próximos da floresta. Mas o teatro e o encontro dos rios precisam ser encaixados durante a sua permanência na capital.

O problema é que os passeios convencionais oferecidos pelas agências locais aos turistas são, digamos, completos demais para quem vai a um hotel de selva (ou para quem não tem um dia inteiro livre na cidade). Tours como este e este incluem uma esticada a um igarapé do parque Janauary, com passeio em igapó (mata inundada), parada para almoço e visita a um lago com vitórias-régias. (Tanto o passeio pelo igapó quanto as vitórias-régias só fazem parte do passeio na época da cheia, março-setembro; na vazante, o passeio pelo igapó é substituído por uma caminhada na mata.) São passeios de dia inteiro (das 9h às 15h30) e, pelo roteiro e por incluírem almoço, não são caros: R$ 150 a R$ 180 por pessoa.

Se você vai fazer passeios pela floresta no seu hotel de selva, ou se não tem esse dia inteirão livre em Manaus, pode optar pelo passeio objetivo, pá-pum, que sai do Porto da Ceasa (a 25 minutos de táxi do centro), sai a qualquer momento do dia e revela o Encontro das Águas em meia horinha de navegação.

O Encontro das Águas a partir do Porto da Ceasa

O Porto da Ceasa fica para os lados da Zona Franca, na ponta leste de Manaus (no extremo oposto do hotel Tropical, que fica na ponta oeste da cidade). Sua função principal é servir às balsas que fazem a ligação entre Manaus e a BR 319, que leva ao sul do Amazonas. Mas como está exatamente em frente ao ponto em que o Solimões desemboca e se perfila por 6 km ao lado do rio Negro, serve como ponto de partida perfeito para passeios rápidos ao Encontro das Águas.

Encontro das águas

Funciona assim: você chega, de carro ou táxi, e procura essa portinha da cooperativa de barqueiros Sol Negro, ao lado do ponto de táxi. A partir de 4 pessoas, o barqueiro da vez cobrará R$ 20 por passageiro. Mas se o grupo for menor, o barqueiro topará sair por R$ 80.

Encontro das Águas

Em menos de 10 minutos, o barco chega ao ponto de encontro dos rios, e então trata de percorrer a linha divisória, como se obedecesse à sinalização de uma pista.

Encontro das Águas

Na verdade o contraste fica mais evidente quando você está um pouquinho de nada afastado do encontro; em cima da linha você percebe que a linha não é assim tão simétrica... haha.

Encontro das Águas

O barqueiro vai recitar a explicação básica dos rios não se misturarem: têm pH, temperaturas e velocidades diferentes. O Rio Negro é ácido, cheio de húmus (por isso a cor negra), quente e lento: sua temperatura chega a 27ºC, e corre entre 2 e 3 km/h. Já o Solimões, que abaixo de Manaus se torna Amazonas, tem bastante cálcio e magnésio em suspensão (por isso a cor amarelada), morno e mais rápido: a temperatura média da água é de 22ºC, e sua velocidade, entre 4 e 6 km/h.

Encontro das Águas

O maior barato do Encontro das Águas, além do visual, é sentir a diferença de temperatura: o barqueiro vai pedir para você pôr a mão na água no momento em que atravessar a linha divisória. Ao cruzar do Negro para o Solimões, é como se abrissem a torneira fria para temperar a água...

Quanto custa o Encontro das Águas a partir da Ceasa

O preço do passeio -- R$ 20 por passageiro (a partir de 4 pessoas) ou R$ 80 por barco (para até 3 passageiros) -- é só um dos componentes do custo deste passeio.

Um táxi do centro da cidade até o Porto da Ceasa vai custar R$ 40 em cada direção (de Adrianópolis, R$ 42; de Vieiralves, R$ 45; do Tropical, R$ 115). Portanto, uma pessoa que saia sozinha do centro para fazer o passeio vai gastar R$ 80 de táxi e R$ 80 para fretar o barco -- no final das contas, os mesmos R$ 160 do passeio completo. Ou seja: para uma pessoa, só vale a pena se ela só dispuser de duas horas livres para ver o encontro.

A partir de duas pessoas, saindo dos bairros centrais, a conta passa a fazer sentido. Num grupo de 4, o preço total rateado fica em R$ 40 por pessoa -- vale a pena.

O passeio a partir da Ceasa também é um motivo para quem considera alugar carro em Manaus. Com o táxi do aeroporto tabelado em R$ 75 (para voltar também!) e várias atrações distantes umas das outras (Centro, Ponta Negra, Praia Dourada, Museu da Amazônia), alugar um carro sai mais em conta do que andar de táxi. O passeio do Encontro das Águas a partir da Ceasa ajuda a rentabilizar o aluguel.

Também é possível negociar com os barqueiros a extensão do passeio do Encontro das Águas ao igarapé do Parque Janauary (com visita às vitórias-régias, na época cheia). Não há tabela fixa, mas o barqueiro pode fazer um preço fechado de R$ 200 para grupos de até 4 pessoas (ou R$ 50 por pessoa para grupos maiores) por um passeio de 3 horas. O almoço não está incluído.

Leia mais:

2 comentários

Cleide Lucia
Cleide LuciaPermalinkResponder

Nossa Riq, que maravilha de publicação! Passou um filme em minha cabeça, um "reviver" do meu passeio por Manaus há anos, ui!. O encontro das águas, igarapé, igapó, almoço em um restaurante flutuante, as vitórias-régias, sensacional. Só não visitei o teatro amazonas que estava em reforma nessa época. Está tudo muito vivo em minha memória, valeu. Abraço

Zabella
ZabellaPermalinkResponder

Muitoooo obrigada por essa matéria. Vou pra Manaus em julho, mas na cidade só passarei um dia e gostaria de ir ao Encontro das Aguas sem precisar contratar um pacote porque não vou ter muito tempo. A matéria é bem explicativa de como posso conseguir ir até lá "rapidinho".

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar