'Imposto do turismo' de 25% é reduzido para 6%

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Imposto do turismo

Em vigor desde janeiro, o imposto de renda de 25% sobre remessas bancárias para pagamento de produtos e serviços de turismo no exterior terá sua alíquota diminuída para 6% a partir de 2 de março, quando entra em vigor a medida provisória assinada agorinha pela presidente Dilma. A notícia da diminuição do 'imposto do turismo' foi dada pelo twitter do ministro Henrique Alves.

Pela alíquota anterior, os custos de produtos ou serviços turísticos no exterior pagos via remessa bancária, por operadoras ou agências, poderiam ficar até 33% mais caros. Com a nova alíquota, esses produtos podem encarecer até 6,38%, "igualando" a alíquota de IOF que incide sobre compras internacionais no cartão de crédito.

Tanto antes como agora, porém, o consumidor não precisa declarar nem pagar nenhum imposto de renda sobre viagens. O imposto sobre remessa entra eventualmente na composição do preço das viagens oferecidas por operadoras e agências. Digo 'eventualmente' porque nem todos os componentes de um pacote são pagos pelas operadoras via remessa bancária -- e o mercado deve continuar procurando brechas para evitar remessas tributadas.

A assinatura da MP pela presidente encerra uma novela que se arrastava desde o fim de janeiro. O desfecho era anunciado a cada semana, mas o aprofundamento da crise política deixava o assunto em segundo plano. Houve quem pensasse que o imposto nunca seria diminuído. Finalmente, a presidente assinou a redução de alíquota.

Novo imposto do turismo: o que muda para o viajante?

Nada. Continue comparando preços (e serviços) como você sempre fez.

Ao pesquisar preços online, não esqueça de sempre ir até a última tela antes da conclusão da venda para conferir o preço final; muitos sites deixa para acrescentar taxas e impostos só nesta página.

Você notou alguma diferença nesse mês em que a alíquota dos 25% esteve em vigor? Conta pra gente!

Leia mais?

8 comentários

João Lucena
João LucenaPermalinkResponder

Finalmente uma decisão sensata, apesar de não ser uma vitória total, pelo menos não vai mais pesar tanto no bolso das companhias de viagens e finalmente no bolso do viajantes, num é mesmo?

Ariane
ArianePermalinkResponder

Estava comprando um pacote na Noruega, iria fazer o pagamento por transferência de pf para pj, normal, mas quando vi no diario oficial sobre o imposto, fui ao banco para saber mais. O gerente nao soube me explicar, nem ele estava sabendo do novo imposto. Entao, para evitar dores de cabeça fiz o pagamento pelo cartão de credito...

Karina
KarinaPermalinkResponder

Eu tenho uma dúvida que ninguém soube me esclarecer. Pesquisando passagens para BS As me deparo com as taxas no mesmo valor da passagem. A passagem custava 429,00 reais por pessoa. As taxas estavam em R$ 432,00. Isso TB é devido a esse imposto? Com a redução desse imposto, as taxas voltarão a baixar? Pq achei um absurdo pagarmos o valor da passagem em taxas, dobrando assim o valor final.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karina! Não. Esse imposto não incide sobre passagens vendidas por cias. aéreas com estrutura comercial no Brasil. Essas taxas normalmente são as taxas de embarque obrigatórias (que são bem carinhas quando o vôo é internacional) e a "taxa de administração" do site que está vendendo a passagem.

Ludo Diniz
Ludo DinizPermalinkResponder

Um detalhe importante. O imposto foi reduzido para gastos de até 10 mil reais por passageiro. O equivalente a 2,5 mil dólares. É um alivio para viagens baratas, já as viagens de médio/alto luxo e turismo de negócios - cujos valores passam fácil desse montante - o imposto vai continuar em 25%.

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Eu fechei um hotel em Cancun pelo site hoteis.com e foi cobrado o imposto, se soubesse que iria cair teria esperado :/

Rejane
RejanePermalinkResponder

Infelizmente foi mais um truque do governo, colocou uma taxa altíssima para que, ao reduzí-la, ficássemos satisfeitos com uma taxa injusta.

Jorge Moro
Jorge MoroPermalinkResponder

Eu Moro na China, em 2015 fui ao Brasil duas vezes pagando usd 1.100 Ida e Volta . Agora nao acho Por menos de usd 1.700 acredito que tem o imposto ai, mas as Cia aereas subiram is precos!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar