Enquete | San Andrés, Colômbia: queremos as suas dicas!

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

ATUALIZAÇÃO:

    As dicas deixadas pelos leitores estão organizadas e compiladas aqui:

San Andrés (diga: Sánándrês) é uma pequena ilha caribenha, parte do arquipélago de San Andrés, Providencia e Santa Catalina. Tem apenas 27 quilômetros quadrados de área -- o que faz de Aruba quase uma gigante, com seis vezes o tamanho. Apesar de pertencer à Colômbia, San Andrés fica bem mais pra lá, pras bandas da América Central, do que pra cá, perto da nossa América do Sul, mas mesmo assim tem despertado a curiosidade de brasileiros que desejam esticar seus roteiros no país e aproveitar mais do Caribe além das ilhotas vizinhas a Cartagena.

Se vale a pena? Não podemos afirmar com propriedade, porque não estivemos ainda na ilha. Mas a gente palpita: de Bogotá você pode ir não apenas para San Andrés em vôos diretos, mas também para Cartagena, Aruba e Curaçao.

É preciso saber que San Andrés não oferece aquela experiência tão nababesca de Caribe; é um Caribe mais rústico, sem luxos. A principal atividade na ilha é o mergulho, seja de snorkel ou de cilindro. Para aproveitar mesmo a viagem, você vai precisar contratar passeios de barco por fora.

Por outro lado, com o dólar nas alturas, o arquipélago colombiano ficou mais interessante, porque é um Caribe que dá pra encarar. Assim como o real, o peso colombiano desvalorizou horrores frente ao dólar nos últimos dois anos, e seus dólares valerão bastante por lá.

De todo modo, é importante lembrar que, assim como o Brasil, a Colômbia também está enfrentando epidemia de doenças transmitidas pelo aedes aegypti, incluindo zika -- e por isso é um destino que deve ser evitado por grávidas ou mulheres pensando em engravidar.

O Ricardo Freire está programando uma viagem para a Colômbia, mas vai ser no fim do ano. Enquanto isso, que tal compartilhar suas dicas com os colegas leitores da Bóia?

Você já foi a San Andrés? Deixe suas dicas!

Você esteve recentemente em San Andrés? Conte pra gente sobre os passeios, hospedagem, restaurantes, deslocamentos. Qual foi o seu roteiro pela Colômbia? Vamos fazer uma compilação de dicas a partir dos depoimentos, para que os leitores do Viaje na Viagem possam usar como fonte de consulta.

Muchas gracias!

Leia mais:

22 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Renata
RenataPermalink

Estive em San Andrés durante o carnaval.
Voei Lan/Tam via Bogotá e me hospedei no The Rock House Hostel, que acredito ser a opção mais econômica da ilha. Adorei o hostel, a família proprietária é agradabilíssima e nos ajudou o tempo todo com dicas, passeios, aluguel de carrinho de golfe, etc.
A ilha é bastante simples quando comparada com outros destinos do Caribe, mas com aquele mar, quem se importa?
Estive em Johnny Cay, ilha bem próxima, e Aquário, fiz a volta a ilha com carrinho de golfe e fiquei na praia do centro (Spratt Bight). Percebi que em SA os nativos também usufruem da belíssima natureza e não só os turistas. Domingo estavam todos nas praias.
A parte norte da ilha (onde fica o centrinho) tem praias boas para nadar; a oeste é apenas para mergulho (West View e Piscinita); sul tem o Ojo Soplador e leste tem a praia San Luis (com muitas pedras) e Rocky Cay, onde existe uma ilhota que dá pra ir a pé.
San Andrés me encantou pela simplicidade e amabilidade do seu povo.
Em setembro irei a Cartagena e pretendo retornar a ilha.

Camila santana
Camila santanaPermalink

Se você for a San Andrés, alugue um carrinho tipo aqueles de golfe e vá rodar a ilha, que é possível andar em um dia. Recomendo o lado norte da ilha, que tem praias incríveis, o Ojo Soplador ~ sensacional! ~ e muitos pontos de mergulho. E não deixe de aproveitar o free shop da cidade, que é muito em conta e também não deixe de comer ceviche de manga.. Maravilhoso!!!!

Lívia
LíviaPermalink

VnV, te amoooooooooooooooooooo!!!! To querendo ir agora em maio! Esse post será de mta ajuda! E olha que ja tem um material bacana sobre san andres aqui no blog! Semana que vem estarei em Los Roques, prometo dar dicas qdo voltar! E vou postando da viagem la no meu insta @liviajando Sigam la! =)

Monique Fernanda
Monique FernandaPermalink

Estive em San Andrés em outubro/2015. Adoramos o lugar. Fomos com outro casal de amigos. Alugamos carrinhos de golf todos os dias. Assim éramos donos do nosso tempo. Fazendo a volta pela ilha escolhiamos os pontos onde queriamos parar. Proximo a Rocky Cay, tem um restaurante chamado Stars kitchen, adoramos tanto, que voltamos lá duas vezes. No centrinho encontramos um restaurante custo x beneficio bom, chamado Miss Celia ( pratos grandes, baratos e deliciosos). Todos os passeios para outras ilhas valem a pena, quase todos são paradisíacos.

Cynara Vianna
Cynara ViannaPermalink

Estivemom em San Andrés em agosto de 2015. Voltamos encantados com a ilha. Como já foi dito aqui, nada de luxo, mas o que a natureza oferece não deixa nada a desejar. Ficamos 1 semana inteira e não paramos um minuto. Alugamos mula, carrinho de golf e moto, fizemos todos os passeios oferecidos: Johnny Cay, Acuario, Cayo Bolívar. Fomos a La Piscinita, fizemos um day use no Decameron em Rocky Cay, comemos muito bem, cada noite num lugar diferente e todos maravilhosos. E o ponto alto de nossa viagem foi o voo de parasail, foi maravilhoso. Optamos por uma conexão de 1 dia em Bogotá na volta, nos hospedamos no Centro Histórico e passamos o dia conhecendo um pouco da cidade que também foi uma grata surpresa. Tenho posts bem detalhados dessa viagem lá no blog e muitas fotos no IG @cantinhodena

Clara Azeredo
Clara AzeredoPermalink

Oi Cynara, td bom?? Me tira uma dúvida, se possível..
estou indo em agosto desse ano para SA e gostaria de saber como estava o tempo ano passado quando você foi.. Infelizmente não tive muita opção de mês pra tirar minhas férias e tô meio preocupada em pegar tempo ruim.. Você chegou a pegar chuvas nos dias que esteve lá? E mesmo que tenha chovido, demora muito pra passar ou é tipo chuva de verão, passageira? rs

Paulo
PauloPermalink

Estivemos em San Andrés ano passado, em março.
Ficamos no hotel Noblehouse, a uma quadra do calçadão. Hotel acolhedor e com bons preços, mas sem grandes luxos, mas com boas camas, ar e chuveiro (é para dormir e tomar banho apenas). A recepcionista Lola é muito simpática e atenciosa, nos deu muitas dicas sobre passeios, restaurantes e as atividades da ilha.
Adoramos as praias, os passeios na Peatonal (calçadão do centro) e nas ilhas.
No primeiro dia, o city tour com carrinho de golfe é obrigatório, parando em West View e Piscinita para snorkear (o tal Olho Soplador é pega-turista no último grau, recomendo passar reto), bem como em outros pontos da ilha para fotografar. Nesse dia, paramos à tarde na praia Sound Bay (excelente) e almoçamos no bom El Paraíso (frutos do mar; recomendo pedir mesas no fundo do estabelecimento, para almoçar com vista para o Caribe).
A praia do centro, embora também seja bonita e com aquele mar caribenho, é bem mal conservada: o snorkel no local revelou muita sujeita no fundo do mar (latas, garrafas etc) e poucos peixes, infelizmente.
Passeios em que fomos: Johnny Cay (ilha mais próxima e, por isso, mais povoada – recomendo ir durante a semana para evitar multidões; a parte de trás da ilha é a melhor para andar e explorar, mas não para nadar), Rocky Cay (praia com estrutura e cuja ilhazinha deve ser acessada caminhando por dentro do mar, o que torna o passeio único; aqui, usamos a estrutura do Decameron, que inclui almoço, bebidas e café da tarde); Acuário + Haynes Cay (trata-se de uma ilhazinha com apenas um barzinho, mas cuja interação com peixes é sensacional) e Cayo Bolivar (após uma hora de barco, chega-se nesse paraíso excelente para snorkel, incluindo um almoço feito na hora pelos barqueiros; porém, a ida e volta no barco é aventureira, principalmente para quem se sentar mais à frente na embarcação).
Restaurantes: Miss Célia (lugar bucólico e simples, com comida farta, barata e deliciosa; aqui, bebemos a melhor limonada de coco da ilha); La Regata (lugar intimista e bom para um jantar romântico, tem uma carta de vinhos ótima e preços justos face a qualidade dos pratos); Gourmet Shop Assho (especializado em carnes e com música ao vivo, bom para fugir momentaneamente de peixes e frutos do mar; bons preços, mas a carta de vinhos tem preços surreais); e Margherita e Carbonara (italiano com preços razoáveis, mas nada especial).
Não achei o lugar tããão bom para compras, mas consegui algumas pechinchas de bebidas (vinhos e uísque) no La Riviera; os produtos chineses abundam na ilha, por isso, é bom ficar esperto quanto aquele perfume baratinho que você encontrar em pequenas lojas. Encontra-se também joias com esmeraldas a preços competitivos, inclusive com certificado de origem.
Fizemos o câmbio no Bancolombia, lugar bem seguro e com boa cotação. Ao lado, há um mercadinho com produtos locais e preços bem mais baratos que no freeshop (principalmente o café Juan Valdes que, seguro descobri com moradores, é mais caro e apenas para turista; os colombianos preferem o café Selo Rojo).
Enfim, é um destino recomendado para todos (não-mergulhadores como nós aproveitarão muito), seguro, com povo acolhedor (como todo bom colombiano) e que fala inglês e espanhol fluentes. Infelizmente, não fomos para Providência, ficou para a próxima.
P.S.: paga-se uma taxa para entrada em San Andrés já no aeroporto de Bogotá (46.800 COP); eles exigem o recibo na entrada e saída do país.

Taissa Rosado
Taissa RosadoPermalink

Fui a San Andrés no fim de fevereiro e começo de março. A experiência foi única e não tem como não se apaixonar por aquele mar caribenho.
Antes de ir a San Andres fui a Cartagena, destino que não deve ser descartado por quem quer visitar a Colômbia. É maravilhoso demais.
Viajei de Copa em todos os trajetos, exceto San Andres - Providência , que só tem uma empresa que faz o voo , a Satena.
Em relação a San Andrés, a cidade em si é um duty free ao céu aberto, juro! Mas na hora das compras deve-se ter muito cuidado com a falsificação, tem demais e você pode comprar sem querer.
Queria muito ter ido a Cayo Bolivar, mas estava fechado para limpeza da ilha e do mar, porque infelizmente as pessoas poluem demais por lá e isso pode ser visto pela ilha. Então fiz o passeio a Johny Cay, Acuário e Mantarrayas. Vale a pena ir em cada um deles. Eu não quis segurar nas Mantarrayas porque eu senti que existe um mal trato , claro, elas não querem ficar sendo seguradas o tempo todo, mas respeito quem queira.
Aluguei uma Scooter e fui dar a volta na ilha , a dica aqui é parar em cada lugar que te dê vontade. Tire um dia para isso, pelo menos. Não tem como se arrepender. Dê um pulo no Hoyo Soplador , no West View, na Piscinita e na praia de San Luís.
Paramos para almoçar em um restaurante que parecia de gente local , chamado restaurante Cydia. Era uma delicia! Comida caseira e muito farta. Comemos um prato de peixe frito com arroz de coco e fruta pan frita! Sensacional! Custou 26.000 COP!
Não deixem de ir a Providencia! Providencia possui a terceira maior barreira de coral do mundo!!! Chegando lá, não deixe de fazer o tour na ilha e se puder, combine com o marinheiro para ficar um dia todo em Cayo Cangrejo , não tem como não amar aquele lugar divino e de águas cristalinas! Mas leve almoço, lá não tem restaurante, a ilha é minúscula e possui só um barzinho. Ah! Tem que pagar 16000 COP para entrar na ilha!
Almoce no Divino il Nino! Os pratos são muito baratos e fartos! Além de serem deliciosos!
Não esqueça de pagar pela tarjeta de turismo quando for entrar em San Andres, sem ela você não entra. Você pode solicita-la no embarque e, custa algo por volta de 50000 COP ! VOce vai precisar dela para entrar em Providencia também!
Um Beijo

Jeanne
JeannePermalink

Taissa, concordo com vc! Se San Andres é linda, Providencia é um pedaço de paraíso. Fui em março do ano passado,fiquei um dia e uma noite e não me arrependo do bate-e-volta. Apesar de ser pequena, dá pra aproveitar bastante alugando um carrinho de golf e passeando de barco até Cayo Cangrejo. Indico o hotel Cabanas agua dulce, com um café da manhã delicioso e um pôr do sol regado a piña colada de tirar o fôlego!

Jeannie Klein
Jeannie KleinPermalink

Estou com viagem para SA no sábado, 12/03, na volta conto minha experiência e impressoões sobre a Ilha!!

Guilherme Diniz
Guilherme DinizPermalink

Estivemos em San Andrés do dia 25/02 a 02/03, ficamos hospedados no GHL Sunrise. Fizemos o voo BHZ - Panamá - ADZ - Panamá _ BHZ pela Copa, desde a compra das passagens que foram attravez de promoções que saíram por US$150 , a estadia tb promocional (meia pensão) pelo Hoteis.com., foi uma viagem com excelente relação custo beneficio. O voo, com 737-800 novos já com entreterimento individual e vazios, excelente serviço de bordo e varias poltronas para esticar tanto na ida como na volta do Panamá. O voo Panamá - ADZ, foi mais cheio, deu overbooking e fomos realocados na executiva - almoço e cerveja livre nos 50 minutos de voo. O hote, conseguimos um apartamento no térreo com varanda de frente para o mar, atendimento muito bom, funcionários tem imensa paciente e vontade de entender e se fazer entendido. Alugamos um utv para dar o passeio na ilha, mais rápido e aguente 3 adultos sem problema (45 dólares). La piscinita e West view(1 dólar de entrada) muito bom e bastante divertido o mergulho e o snorkel. fizemos 2 saídas para mergulhar, sendo um total de 4 mergulhos através da Blue Life (170.000/dia) incluído o cilindro, lastro reguladores e coletes, todo o material de excelente qualidade e novos, excelente os locais de mergulho (definidos pelas condições meteorológicas e dos ventos) . Pena que Cayo Bolívar estava fechado, alegaram problemas de conservação ambiental, Johnny cay e aquarium são passeios interessantes para snorkel com direito a almoço (15 dólares) - vale a pena. Conclusão valeu a pena, voltarei, só que incluirei Providencia no retorno e mais mergulhos!!

Thaissa
ThaissaPermalink

Voltei semana passada da Colômbia (fev/mar 2016). Fiquei encantada com a Colômbia e, mais ainda, com San Andres!

Fizemos as três cidades clássicas: Cartagena, San Andres e Bogotá. Voamos entre elas com a low cost Viva Colombia. Foi o preço mais em conta disparado entre Cartagena e San Andres. Apesar de ser aquele esquema que precisa pagar pela mala despachada, a mala de mão só pode ter 6 kg e ser bem pequena e não ter lugar marcado, achei que valeu a pena.

Nos hospedamos no GHL Sunset View. Achei um bom hotel, com preço bom, localização perfeita, uma pequena praia particular e um piscinão em cima do mar. Além disso, tem sua própria agência de turismo.

Ficamos três dias e meio e não mergulhamos nenhum dia sequer. Bom ressaltar isso pois conheci amigas aqui no Brasil que não queriam ir para lá pois achavam que era mais para quem mergulhava. Tenho um probleminha no ouvido e não quis arriscar. O que não faltaram foi programas!

No primeiro dia alugamos o carrinho de golf e demos a volta na ilha, parando para tirar muitas fotos. No final, estacionamos na praia de Rock Cay, na região de San Luiz, no beach club Aqua. Infraestrutura muito boa de praia, se comparando à simplicidade da ilha. Preço bom, água esverdeada na frente e deliciosas espreguiçadeiras. Pela noite, fomos no Noche Blanca, uma saída de uma barco, com dança, open bar e jantar. Sinceramente, foi o único programa furada de lá (filas enormes, comida bem fraca, dança bem fraquinha).

No segundo dia fizemos o passeio só para Johhny Cay. Foi ótimo pois chegamos antes da leva de turistas. Vale ressaltar que o barco é rápido (não chega a 10 minutos), mas bate muito. A desorganização é enorme e na hora de voltar foi bem tenso. A maré subiu, chegavam barquinhos micros e barcos maiores, ninguém sabia qual era o seu. As pessoas se jogavam nos barcos. Por conta da força da água, muitas pessoas caiam. Foi bem tenso! No final, fomos me um barquinho maior, que não tinha escadinha e, para entrar, éramos levantados por dois homens e um terceiro nos puxava lá de dentro. Mas a ilha é linda!!! Apesar de que, perto do meio dia, fica abarrotada de gente. Por isso gostei de chegar mais cedo, alugamos barraca e cadeiras e demos uma volta a pé pela ilha. O almoço é básico, prato a cara de lá: peixe frito, arroz de coco e bananas fritas.

No terceiro dia, fomos em um barco bem pequeno saindo do hotel até o Aquário. No caminho, passamos por dentro de um mangue, paramos em alto mar para fazer snorkel, paramos para ver arraias e chegamos no Aquário. Aqui vi tantas tonalidades de azuis e verdes que fiquei apaixonada por essa cidade! Foi o melhor passeio, sem dúvida! Como fomos pela tarde, estava bem vazio. No aquário ficamos vendo muitos peixes, andamos até a ilhota que tem na frente, tomamos drinks. Delicioso!

No último dia, demos uma volta pela praia central (que também tem uma cor maravilhosa!) e pela inúmeras lojas da região.

Para comer pela noite, não faltam opções. Mas faça reserva e vá um dia ao La Regatta. Vista, comida e ambiente magníficos! Achei os preços bons, principalmente se comparando ao Rio de Janeiro em termos de alimentação e ao restante do Caribe em termos de passeios.

Encontrei muitos brasileiros! Principalmente em lua de mel!

Fiquei triste que a linda Cayo Bolivar está fechada! Mas espero que em breve reabra e que eu retorne a este paraíso.

Gustavo
GustavoPermalink

Fui a San Andres em nov/dez de 2015. Uma pena que muitos aqui não conseguiram ir para Cayo Bolivar. É disparado o melhor passeio de San Andres. É o passeio mais caro, pagamos 150 mil COPs pechinchando, mas vale cada centavo. O valor conta com o transporte ida e volta, café da manhã a vontade, almoço a vontade e open bar de refrigerante, cerveja e água (com tanto brasileiro nesse dia, acho que fizemos eles repensarem sobre isso, kkkk).

Fomos também para Bogotá e Cartagena, com todos os trechos comprados pela LAN/TAM, que deu uns 1700 reais. Esse preço aparecia somente no site da LAN, e comprando por lá pagamos IOF tb. Um amigo não conseguiu comprar por lá, ligou para a TAM e conseguiu comprar por telefone, parcelando e sem IOF.

Se puder ir a Providência também, vá, muito TOP, muito mais rústico que San Andrés. Compre antecipado pelo chat no site da Satena, pois pode esgotar, ida e volta fica em torno de 500 reais. Fiz um mergulho de batismo em Providência mas não achei a visibilidade muito boa. O que ouvi falar é que Providência tem maior vida marinha, mas San Andrés tem maior visibilidade. Na sexta fomos ao Roland's bar, um bar roots na beira da praia muuuuito massa, com uma energia muito legal!!

Quanto à hospedagem, em San Andrés ficamos no El Viajero e em Proviência no El Pirata Morgan, ambos muito recomendados!!

Patricia
PatriciaPermalink

Estivemos em San Andrés em setembro de 2014 eu,meu marido e um casal de amigos. Primeiro fomos a Bogotá ficamos 3 dias visitamos o museu do ouro,museu Botero e fizemos um Tur (recorrido como eles chamam) oferecido pela prefeitura de lá gratuitamente basta se inscrever no site é um passeio a pé com guia em espanhol de duas horas de duração no centro de Bogotá foi bem proveitoso e as guias eram uns amores, estavam meu grupo e mais um Argentino (5 pessoas)(http://www.bogotaturismo.gov.co/puntos-de-informacion-turistica-pit) depois fomos no Serro de Monsserat ,contatamos um passeio para Zipaquira onde tem a catedral de sal que fica a 40 km de Bogotá( muito lindo) e por ultimo fomos no famoso Andrés Carnes de Rés o restaurante mais famoso de lá (reservas pelo site) Bogotá é uma cidade encantadora não faz calor o clima é ameno e a noite da para colocar uma manguinha .Saímos de Bogotá para Cartagena a cidade amuralhada . Linda de mais 11km amuralhada casa coloridas e lindas .Cidade muito quente fizemos os passeios pela manha, fomos no centro Histórico,castelo Felipe Barajas , oferecem muitos passeios para ilhas próximas (bate volta) não fizemos nenhum pois íamos para San Andrés ficar uma semana. Em ambas ocorre muito assedio de vendedores ambulantes mas muito mesmo e em Bogotá notei muito mendigos , mas muitos policiais também. Depois de 2 dias em Cartagena fomos para ilha de San Andrés com o mar de 7 cores de azul lindo,meu marido não gostou muito pois é uma ilha vulcânica com poucos pedaços de arreia ele esperava uma Aruba rssrsr ,eu gostei ,compramos um sapatinho para entrar no Mar ,alugamos um carrinho de Golf e demos a volta na ilha ,nosso hotel foi o Decamerom perto do centro , centro com muitas lojas , vários passeios oferecidos para outras ilhas bem perto de San Andrés , nestas ilhas sim tinha bastante areia srsrrs uma delas foi a Johhny Cay depois fizemos um passeio ao Aquário para nadar com as Mantas Arraias assim eles chamam . Gostei muito da viagem .os Colombianos são muito receptivos a comida é excelente, só a cerveja que não é bem gelada como meu grupo gostava rsrs, mas logo eles resolveram este problema . Recomendo visitar a Colômbia muito linda e receptiva.

Maria do Horto Jacques
Maria do Horto JacquesPermalink

Estive em fevereiro em San Andres e gostei muito. Me hospedei no Hotel Decameron Isleno.
Excelente hotel.
Realmente para quem conhece Cancun e Punta Cana , a ilha se torna quase um eco turismo. Mas o mar é espetacular . A ilha é bem modesta mas vale o passeio.

Renata Abido Alves
Renata Abido AlvesPermalink

Estive em San Andres em abril de 2014, numa viagem que também incluiu Cartagena e Providencia/Santa Catalina, como primeira e ultima parada, respectivamente.
Em nossas viagens sempre optamos pelas hospedagens mais economicas, sendo assim, em San Andres, nos hospedamos no Mary May Inn, um hostel que atendeu bem às necessidades, localizado proximo à Peatonal e bastante disputado pelos viajantes de baixo orçamento (ou nao, rs).
Uma das criticas que mais li sobre San Andres é que a cidade é feia, suja e caótica. Nao deixa de ser verdade, mas os passeios - de barco ou de carrinho de golfe - a lugares como Johnny Cay, Aquario e San Luis compensam e muito as eventuais impressoes negativas. De resto, muitos bons restaurantes com comida maravihosa e a preço justo, otimos pontos de mergulho, o exotismo de lugares ainda pouco explorados - sobretudo nas pequenas ilhas de Providencia e Santa Catalina, às quais chegamos via Satena, a aérea que explora a linha partindo de San Andres, em um voo que por si só é um show à parte - , aliados à riquissima cultura creole, tornaram a viagem inesquecível. Recomendo fortemente a quem nao é apegado a luxos.

Maria Carmen
Maria CarmenPermalink

Lamento discordar de todos. Estive em San Andres no ano passado. Do hotel, passando pelos restaurantes, incluindo os passeios, tudo é muito ruim e feio nesta ilha. Apenas a cor do mar é de uma beleza indescritível e nenhuma foto faz juz a sua gama de cores.

Maria Carmen
Maria CarmenPermalink

Continuando, devo ressaltar um passeio que se faz a um "aquario" mar adentro. É tão sem estrutura que o banheiro é uma fossa e ainda se paga par usa-lo. O restaurante, ou lanchonete causa horror só de olhar. Foi uma roubada gigante tem ido. E como o barco demoraria a buscar-nos, no desespero de ficar naquele lugar no meio do nada e com nojo de tudo, pagamos outro barco para nos tirar dali. Um horror
Reafirmo que a cor do mar é estonteante, mas todo o resto é decepcionante.
Escuto falar desta ilha há muito tempo e no meu grupo eu é que fiz questão de visita-la. Tornei-me chacota de todos.
Mas a Colombia não é San Andres. Bogotá,em contrapartida, é uma cidade super legal. Com um museu - Botero - maravilhoso, que coloco entre os melhores que ja visitei, restaurantes barbaros, artesanato lindo.
E o grande destaque fica para Cartagena. Um mimo de cidade, florida, com uma historia comovente, comida deliciosa, arquitetura primorosa. E com o espectro de Garcia Marquez a nos rondar. Uma beleza. Valeu a viagem

Haroldo Barros
Haroldo BarrosPermalink

Estivemos 10 dias em San Andrés no final de fevereiro. Excelente. Ficamos hospedado em um apto via AirBNB com toda a infraestrutura e uma vista belíssima da ponta norte (valeu muito a pena). Além do preço ( x hotel) a localizava foi ótima. Próximo a tudo, centrinho (comércio), restaurantes, praia central, calçadão e píer de saída dos passeios.
Johnny Cay, pegue um barco e vá conhecer. Na ida você já vê as sete cores do mar e chega em uma ilha maravilhosa.
Rose Cay (El acuario), é um banco de areia, um aquário natural é um visual espetacular. Fui duas vezes e tive a sorte de na primeira vez estar com pouquíssimas pessoas. Lá vc pode tirar foto com arraia (pacote Mantarraia) ou dar a sorte de cruzar com elas. Deu para explorar bem no snorkeling tanto Rose Cay quanto Reinz Cay, ilha ao lado que vc vai caminhando pela água.
Volta a ilha, realizamos duas vezes também, a primeira para reconhecer e curtir um pouco todos locais e a segunda para aproveitar mais tempo onde avaliamos que tínhamos que voltar. Abaixo vai alguns pontos da volta a ilha.
Rock Cay, ilha a 200 metros da praia e chega a pé pela água (até o peito mas tranquilo). Atrás da ilha tem um barco encalhado, a dica para fazer snorkeling é ir do lado direito entre a ilha e o barco onde tem várias peças do barco tomados pelos corais e com muitos peixes. O água é clara, mas as algas tiram um pouco do brilho (muito pouco). Acesso pela praia de San Luís onde tem diversos restaurantes com infraestrutura de primeira (tenda com espreguiçadeira, restaurante, atendimento de primeira) basta consumir para aproveitar.
Na sequência, tem algumas praias que vale conhecer mas a dica é parar em Sound Beach. O estilo das barracas de praia e o povo muito hospitaleiro vale a parada e o mergulho. Luxo zero mas com muito estilo.
Punta Sur, um restaurante rústico e temático, parte em forma de barco. Tem uma piscina com água do mar, liberado para quem consome. Fica próximo ao Hoio Soprador, vale até deixar o carro de golf (ou mula) e ir a pé.
Lá Piscinita, piscina natural com muitos peixes e uma visibilidade da água absurda. Vale a parada.
West View, também como La Piscinita mas com algumas atrações.
Entre a Punta Sur até depois de West View tem diversos pontos (acesso) para mergulho e snorkeling.
A volta toda é curtir muito o visual de um mar estonteante.
Para que gosta de snorkeling, a dica de passeio é fazer um mergulho na barreira de coral na Hansa Bay, próximo ao centrinho. Ou se quiser investir um pouco mais, com cilindro.
Restaurantes: tem para todos os gostos. Se comparado com o BR, são mais em conta, mas todos fomos muito bem atendidos.
Espero ter contribuído.

Nivia
NiviaPermalink

Estive em San Andrés em novembro de 2013 e a ilha, embora rústica, é uma delícia também para o banho de mar, comer bem e passear com independência, sem precisar de agência ou alugar barcos. Só compramos um passeio de barco, o resto conhecemos com o carrinho de golfe alugado. Adorei e tenho vários posts sobre S.A., Bogotá e Cartagena aqui http://www.viagensinvisiveis.com.br/category/paises-visitados/colombia

VAL
VALPermalink

Fui à Colômbia em janeiro deste ano e fiquei positivamente surpreendida com o país. Viajei pela Copa, com escala no Panamá, e fiquei 15 dias. Meu roteiro foi San Andrés - Cartagena - Santa Marta e Taganga.
Em San Andrés fiquei hospedada no Cli´s Place (indicação do Lonely Planet), de uma família nativa que aluga quartos em uma casa separada de onde vivem. Família super atenciosa, quarto OK, com banheiro, frigobar e ar condicionado (obrigatório), a uma quadra de Spratt Bight, a principal praia, mas sem a muvuca da orla. Cayo Bolívar é um passeio imperdível (os barcos não saem dependendo do vento - em dezembro não ficou parado por 20 dias por causa disso) - uma ilha deserta espetacular. Os demais passeios 'obrigatórios' são El Acuario, Mantarraya, La Piscinita e Rock Cay. San Andrés é um grande free shop, com lojas por todos os lados. Como fui com o dólar bem alto,nem dei muita atenção para essa parte. San Andrés tem uma infinidade de bares e restaurantes que são bem bacanas. Eu indicaria o Beer Station para um happy hour de frente para aquele mar azul turquesa e o Miss Celia para comidas típicas. Todos os passeios saem do Muelle Casa de Cultura e todos os passeios podem ser reservados lá mesmo, não precisa comprar nas agências do centro. Os passeios são feitos em barcos de pesca e você certamente vai chegar molhado ao destino.
Se você vai na alta temporada e pretende ir à ilha de Providência, marque os voos com antecedência porque são só 15 lugares no avião. Eu não consegui lugar e o barco não tinha disponibilidade para as datas que eu precisava.
Boa viagem!