Roteiro Budapeste, dia 2: Parlamento, Ópera e Basílica de Santo Estêvão

  • 0
Elisa Araujo
por Elisa Araujo

Roteiro Budapeste: Parlamento

Parlamento Húngaro

Segundo dia em Budapeste: sol e calor intenso na agenda. Depois de explorar Buda num roteiro a pé, nossa programação era começar a esquadrinhar Pest. E o itinerário previa três grandes pontos turísticos da cidade -- o Parlamento, a Ópera e a Basílica de Santo Estevão. O plano original era pegar o bonde 2, na pista que beira o Danúbio, e ir até o nosso primeiro compromisso admirando a vista do rio. Mas… acordamos atrasadas (5 horas de fuso horário não é bolinho) e tivemos que acelerar.

O roteiro da manhã começava hora marcada -- uma visita guiada ao Parlamento. Então trocamos nosso plano de pegar o lindo bonde. Seguimos de metrô, linha vermelha, partindo da praça Deák Ferenc e avançando apenas uma estação até a praça Kossuth Lajos.

  • O Parlamento

Caminhamos da estação Kossuth Lajos até o Parlamento. Perambulamos procurando a entrada do Centro de Visitantes – uma escadaria moderna que leva ao subsolo da praça. Os ingressos tinham sido comprados com antecedência nesse site aqui. Se tiver dificuldade na compra, acompanhe o passo a passo publicado pela Nati e pelo Fred do Sundaycooks. As visitas têm hora marcada e são oferecidas em vários idiomas. Optamos por espanhol. Para quem viaja em alta estação, aconselho fortemente a comprar o ingresso antes. O Budapest Card não dá desconto, e no verão os tickets esgotam rapidamente.

Roteiro Budapeste: Parlamento (chegada)

Conseguimos chegar com 15 minutos de antecedência e rapidamente localizamos o painel que chama os visitantes de acordo com o horário e o idioma agendados. Deu até tempo de tomar um expresso na ampla cafeteria. Formamos fila para passar pela vistoria de segurança e nos reunimos em um saguão para ouvir as primeiras instruções da guia. Há um guarda-volumes para quem quer deixar bolsas e mochilas. É lá também onde se retira o aparelho tipo audioguide que permite acompanhar as explicações da guia mesmo estando mais afastado dela. Câmeras não são barradas, mesmo as profissionais. Os guias avisam quando não se pode fotografar.

A visita

Roteiro Budapeste: Parlamento

A visita ao Parlamento é um passeio por imponentes escadarias, galerias, corredores, salões – tudo com muitos dourados e tetos com afrescos ou trabalhados em madeira. Há muito para admirar, mas foram os pequenos detalhes que me encantaram. Num grande salão com lustres majestosos, adorei ver as figuras que representam os trabalhadores do país – especialmente artesãos e camponeses. O prédio, construído num mix de estilos típico do final do século 19, combina arquitetura neo-gótica, renascentista e barroca.

Roteiro Budapeste: Parlamento

Durante a visita nossa guia destacou a simetria do projeto, exibiu com orgulho um hall e suas escadarias, nos explicou como funcionava a antiga Câmara Alta e chamou nossa atenção para um curioso porta-charutos. Instalado no parapeito de um janelão, servia de apoio aos parlamentares fumantes durante os intervalos das sessões. Imagine só as articulações políticas nos corredores enfumaçados…

O ponto alto do percurso é o hall central hexagonal onde se encontra a vitrine que exibe a coroa húngara (Coroa de Santo Estevão) e as outras jóias de coroação. A coroa, que, dizem as páginas de História, data do ano 1070, é protegida por dois guardas. Fomos orientados a não fotografar e a passar a uma distância segura dos guardas (acho que ela falou em passar a 2 metros de distância!). A visita dura cerca de 45 minutos. Na saída, dedicamos alguns minutos à lojinha de lembranças, que recomendo aos que gostam de fazer compras do gênero. Vi itens ali que não encontrei novamente em nenhuma outra loja de museu.

Parlamento Húngaro

  • Kossuth Lajos tér 1-3 | Abril a outubro das 8h às 18h; novembro a março das 8h às 16h | Fechado em dias de plenárias | Visitas apenas guiadas | Ingressos na bilheteria, no dia: HUF 5.400 adultos não-europeus; HUF 2.800 estudantes não-europeus (6 a 24 anos); veja todos os preços aqui | Ingressos antecipados: HUF 5.800 adultos não-europeus; HUF 2.900 estudantes não-europeus (6 a 24 anos); compre aqui
  • Calor, emoção e almoço

Roteiro Budapeste: chafariz do Parlamento

De volta à praça fomos recebidas por um calor digno dos trópicos. Felizmente encontramos um chafariz feito de esguichos que saem do chão, porque a praça diante do Parlamento é bem econômica em árvores.

Memorial ao Massacre da Praça Kossuth

Roteiro Budapeste: Memorial do Massacre da Praça Kossuth

Depois do refresco, descemos uma escada preta para conhecer o muito bem montado memorial ao Massacre da Praça Kossuth, em 1956. Este foi um dos momentos mais sangrentos da Revolução de 1956, um movimento de origem popular, nacionalista, contra o governo e contra o forte controle de Moscou. Durou pouco e foi esmagado por uma invasão soviética que levou tanques às ruas de Budapeste. (Se quiser saber mais, veja fotos da agência Magnum aqui).

Sapatos à Beira do Danúbio

Roteiro Budapeste: Shoes on the Danube Bank - Sapatos à Beira do Danúbio

Na sequência, seguimos para a margem do Danúbio para visitar outro memorial, o comovente Cipők a Duna-parton ('Sapatos à beira do Danúbio', ou, nos mapas em inglês, 'Shoes on the Danube bank'). 60 pares de sapatos moldados em ferro lembram as 3.500 vítimas do nazismo que foram fuziladas descalças na beira do rio entre 1944 e 1945. É um 'monumento' simples, mas poderoso. Não foi surpresa ver gente ali realmente emocionada.

Goulash! (ou quase)

Roteiro Budapeste: Hungarikum Bistrot

Cruzamos de volta a pista de carros e os trilhos do bonde agora em direção a um dos pontos altos de toda a viagem -- o almoço no Hungarikum Bisztró (Steindl Imre utca 13). Descobri esse restaurante por acaso, enquanto montava meus roteiros no Google Maps. A proposta é oferecer comida húngara tradicional de verdade, pratos caseiros. Alerta aos fracos para pimenta, como eu -- a pastinha de páprica que vem no couvert é tudo aquilo que você imagina quando pensa em 'picante'.

Foi uma refeição excelente, mesmo sem eu ter tido coragem de pedir o goulash 'de verdade' – uma sopa forte e quente como aquela não combinava com o calor lá fora. Pedi um delicioso 'Marhapörkölt vajas nokedlivel', ou seja, ensopadinho de carne com uma massinha de trigo que parece um mini-nhoque e é típica da Europa Central. O prato aparecia no cardápio em inglês como 'Beef Stew with Dumplings' e ao longo da viagem encontrei em outros países como 'Beef Goulash With Spätzle'. Almoço para duas pessoas, sem bebida alcóolica e sem sobremesa – HUF 6.985 (cerca de 11,50 euros por pessoa). Em nosso último dia em Budapeste, tentamos almoçar lá novamente, mas o restaurante estava bloqueado para um evento. Uma pena!

  • Ópera

Roteiro Budapeste: Praça da Liberdade

Praça da Liberdade (Szabadság tér)

Nosso próximo destino era a Ópera, mais uma visita guiada no programa. Seguimos pela Szabadság tér ou Praça da Liberdade, onde encontramos outro chafariz e mais gente se divertindo com os esguichos. Pausa para brincar um pouco com a água smile

Com pernas e tênis molhados, avançamos pela Bank utca, cruzamos a larga avenida Bajcsy-Zsilinszky, entramos na Ó utca (é isso mesmo, o nome é rua Ó) e andamos até a Hajós utca. O prédio da Ópera ocupa um quareirão inteiro e a entrada principal fica na avenida Andrássy. Há uma estação de metrô (Ópera, linha amarela) bem na frente.

As visitas guiadas em inglês e espanhol são oferecidas diariamente na parte da tarde, nas horas cheias. Deixei para comprar os ingressos na hora porque o Budapest Card oferece 20% de desconto. Quem vai fotografar deve avisar no momento da compra, para ganhar uma pulseirinha de identificação.

Adquirir os ingressos foi fácil, difícil foi a visita começar. Havia muita gente e o nosso grupo acabou sendo dividido em dois e ficamos um bom tempo nas escadarias internas esperando pelo segundo guia. No calor, sem ar condicionado, mas com nossas garrafinhas de água, ainda bem.

Roteiro Budapeste: Ópera

A visita é generosa, passeia por vários ambientes do teatro, inclusive os mais esperados -- o balcão imperial (podemos entrar nele e fotografar de lá, só é proibido sentar nas cadeiras), a platéia e o balcão externo. Além de falar sobre a arquitetura e a decoração, a guia contou “bastidores” sobre os períodos da construção do prédio e da época em que a Imperatriz Elisabeth, a Sissi, frequentava os espetáculos. Quem não curte fofocas e curiosidades históricas?

Ópera Húngara

  • Andrássy út. 22 | Visitas guiadas diariamente às 14h, 15h, 16h e 17h | Ingressos: HUF 2.990 (adulto), HUF 1.990 (estudante), HUF 500 (câmera); 20% de desconto com Budapest Card)
  • Santo Estêvão

Roteiro Budapeste: Cat Café

Cat Café

De volta à rua, seguimos para a última grande atração do dia, a Basílica de São Estevão. Mas, no caminho, fomos 'obrigadas' a parar no Cat Café (Révay u. 3), lar de 13 felinos. Tomar um suco gelado era apenas desculpa para desfrutar da companhia dos gatos. O café tem regras de convivência para que os humanos não perturbem os bichanos. Por exemplo: nada de acordar os dorminhocos nem tirar foto com flash na cara dos coitados. Os gatos não nos deram muita atenção, mas valeu pela limonada de framboesa e para matar as saudades dos nossos gatinhos.

A Basílica

Roteiro Budapeste: Basílica de Santo Estêvão

Do café até a Basílica de Santo Estevão bastou atravessar a avenida Bajcsy-Zsilinszky e ir contornando a igreja para acessar a entrada principal, que fica de frente para a praça. É uma área altamente turística, com muitos restaurantes e lojas de souvenirs. A visita ao interior da Basílica é gratuita, mas é preciso pagar HUF 500 para subir de escada (364 degraus) ou elevador até o ponto de observação da cúpula, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade (o Budapest Card oferece 15% de desconto). No dia em que visitamos a igreja havia um casamento sendo realizado e talvez por isso a nave central estivesse fechada aos visitantes -- só circulamos pelas laterais.

Basílica de Santo Estêvão

  • Szent István tér 1 | 2ª a 6ª das 9h às 17h | Sábado das 9h às 13h | Domingo das 13h às 17h

Gelarto Rosa

Quase fim de tarde, saímos da Basílica e caminhamos até a sorveteria Gelarto Rosa (Szent István tér 3), que fica na esquina da praça com a rua Sas. Os sabores servidos ali são ótimos, mas principalmente lindos. Ainda não tínhamos visto sorvete sendo servido assim (encontramos novamente em Praga). Encerramos a agenda do dia numa das mesas externas da sorveteria – saboreando o sorvete colorido, observando os turistas e descansando os pés.

Leia mais:

1 comentário

Vera Duarte
Vera DuartePermalinkResponder

Adorei o relato sobre Budapeste. Estive lá há alguns anos atrás e foi muito bom recordar as minhas experiências. Lembro que assisti a um concerto na Ópera que foi lindo e muito barato. As fotos estão ótimas e sugestivas. Parabéns Elisa ! Ab. Vera Duarte

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar