Nova York

Times SquareEnquanto isso, no centro do universo… | Ricardo Freire

Outras cidades têm cartões-postais e monumentos. Nova York também: o skyline, a ponte do Brooklyn, a estátua da Liberdade. Mas o Empire State não tem aqui a mesma importância da Torre Eiffel em Paris. A Estátua da Liberdade é uma curiosidade, não um Coliseu.

Porque Nova York não está nos cartões-postais: está na rua.

Bate-se perna em Nova York não em busca de beleza, mas à procura de energia. Nova York está ligada na tomada, e o grande barato é estar exposto à sua vibe.
.
Em Manhattan a maior novidade é que o Soho não é mais o mesmo – as lojas bacanas agora estão no Meatpacking District. A nova fronteira da noite é o Lower East Side — e do outro lado da ponte para chegar a Williamsburg, o pedaço do Brooklyn onde tudo acontece.



Quando ir Como chegar Onde ficar? Daqui pra onde?
nyc-westpeq nyc-limopeq nyc-centralpeq nyc-missLpeq
Tanto o frio quanto o calor costumam ser extremos. Se você quer temperaturas mais amenas, vá em maio, junho, setembro ou outubro.

O inverno e o verão, porém, têm suas compensações.

O Natal em Nova York é mágico (mas não espere nada do Réveillon. A queda da bola é uma bobagem, e a logística, caótica).

Em fevereiro o preço dos hotéis costuma despencar (bom para passar o Carnaval).

Já o verão descortina uma Nova York mais rueira do que nunca, com muitas atividades no Central Park e todo mundo ainda mais descontraído do que o habitual. Leve suas Havaianas.

TAM, American, Delta e United voam direto de São Paulo ao JFK.  A Continental voa a Newark.

Do Rio a TAM e a American voam sem escalas ou conexões. Fazem conexão: Delta (Atlanta) e US Air (Charlotte).

Saindo de Belo Horizonte, Recife ou Salvador você pode voar com a American via Miami, sem passar por São Paulo. De Brasília pode ir via Atlanta, pela Delta.

Cias. latino-americanas (Avianca, Aeroméxico, Copa, Taca, Lan Peru) costumam ter bons preços, com conexões. A Copa sai de Brasília, Manaus, Belo Horizonte, Rio, São Paulo e Porto Alegre. A Taca sai de Porto Alegre.

O grosso da rede hoteleira de Manhattan fica em Midtown  – mais especificamente, entre a Times Square e o Central Park. É a localização mais conveniente para ticar todos os programas da sua lista. Numa primeira viagem, não tem erro.

Eu gosto mais de Downtown, a parte sul da ilha, onde os colegas turistas são mais esparsos e o comércio me parece mais interessante. As palavras-chave para procurar hotel ou apê por ali: Chelsea, Union Square, Village, Meatpacking District, Soho, Lower East Side, Tribeca.

No fim das contas, é uma questão de gosto. O mais importante é você estar próximo a uma estação de uma linha útil do metrô.

Quem pergunta o que há para ver nos arredores de Nova York normalmente nunca foi a Nova York.

A cidade não é uma Grande Maçã, não – é um Grande Novelo, isso sim. Quando você começa a desenrolar, não acaba nunca.

Se você der a cidade por vista, é só comprar a Time Out ou a New York Magazine da semana, que você vai se encher de idéias para o resto da sua estada (no final, acredite, vão faltar dias).

Mas já que você quer saber, lá vai: a Filadélfia está a 1h30 de trem (dá um bate-volta tranqüilo). Washington está 3h e Boston, a 4h; se for, programe pelo menos duas noites em cada.

Leia também:

–> Hotéis, restaurantes, transporte, compras, passeios e outras dicas por Ricardo Freire

–> Posts úteis — e relatos de leitores por Ricardo Freire

–> Tudo para organizar sua viagem a Nova York por Ricardo Freire



2.955 comentários para “Nova York”

  1. Olá Alberto, estou em NY no momento, aluguei um carro com GPS para ir ao Woodbury. Eu nao tinha reservado, aluguei tudo na hora, eles pediram apenas o passaporte. Aluguei na Avis no endereço que Marcie passou, eles funcionam 24h, o carro era um Elantra da Hyundai, pagamos uns 180,00 dolares no total, achei um pouco caro, pode ser que se vc pesquisar encontre mais barato. Mas é um conforto que compensa porque vc deixa as compras no carro e vai embora na hora que quiser. No final do dia vc estará cansado e cheio de sacolas, eu comprei algumas panelas na Le creuset que não teria como comprar se nao estivesse de carro.
    É um passeio que vale a pena fazer uma vez para conhecer o lugar e comprar em algumas lojas, mas sinceramente fiquei um pouco decepcionada com a qualidade dos produtos de várias lojas, mas isso é muito pessoal então pode ser que para vc seja melhor. Boa sorte e boa viagem!

    1. Fabiane, A sua dica da Avis, citada pela Marcie, é muito legal.
      Eu já conheço Woodbury. O fiz em outras viagens. Uma vez fizemos de Van e nas outras de carro com motorista. A primeira vez de Van não foi muito legal, justamente porque não tínhamos a opção de onde colocar as compras durante o dia. Você tem que andar com elas o tempo todo.
      Na outras vezes fizemos de carro com motorista. Foi melhor, mas além de muito caro, cerca de U$ 300,00, o motorista começa a colocar pressa em você a partir das 15h00, porque o acordado é que ele tem que estar de volta à NY às 16h00, esquecendo que geralmente são eles que atrasam para sair de NY. O tour é das 9/15h00 ou 10/16h00.
      E 16h00 ainda é muito cedo para sair de um shopping, ainda mais quando o dia termina por volta da 20h00 (no verão).
      Confesso que ainda não tive a coragem que você teve de alugar um carro, mas vou ter a partir do seu relato…rs. Sempre achei meio complicado dirigir em NY, mas quem dirige em grande cidade, não deveria temer a isso.
      Quanto ao Woodbury é isso mesmo que você falou, a qualidade, algumas vezes, principalmente em confecções, deixa a desejar. O engraçado que parece ser uma coisa de momento, pois algumas marcas de roupas que comprei em 2009 percebi que não eram de boa qualidade, mas as da mesma marca em 2010 eram muito boas, e o contrário também aconteceu. Não sei ao certo, mas parece estar muito relacionado à origem/fabricante do produto.
      Também me decepcionei com as lojas de esportes no quesito variedade de itens. Conheci outros Outlets nos Estados Unidos, onde achei que as lojas de esportes tinham muito mais variedade.
      Contudo, na questão preço é imbatível, pois mesmo alguns itens não sendo de tão boa qualidade, o preço compensa muito, pois ainda são superiores aos itens mais baratos no Brasil.
      Obrigadão pela ajuda.

  2. Olá pessoal! Tenho uma dúvida meio básica, mas que preciso confirmar pra ficar mais tranquilo. Estou vendo passagens de trem pela Amtrak entre Washington e Nova York e em somente algumas opções de horário há a opção do serviço de Checked Baggage. Alguém sabe qual a diferença para os tickets com e sem esse serviço? Eu vi que com o serviço eu tenho a opção de despachar as malas, e para os trechos sem o checked baggage posso carregar minhas malas comigo sem problemas?
    Obrigado!

  3. Olá, Junior! Todos os vagões têm áreas para deixar as bagagens. Não se preocupe!

  4. Junior,

    Além das dicas d’A Boia, vc pode acessar a página (em espanhol) do site da Amtrak que define as políticas relativas às bagagens: http://espanol.amtrak.com/amtrak/enes/24/_www_amtrak_com/servlet/ContentServer?c=AM_Content_C&pagename=am%2FLayout&cid=1241267293829

    Outra dica: se vc não reservou hotel, dê uma olhada nos sites dos hotéis. Em abril do ano passado, eu fiz o mesmo deslocamento que vc realizará e, apesar de normalmente utilizar os sites do tipo hoteis.com, quando eu localizo o hotel que me interessa, eu vou ao site do hotel para conhecer o que me espera. Bom, o fato é que eu encontrei um hotel, o Madera, bacana, moderninho e bem confortável, e nele uma promoção que oferecia um desconto de 20% ou 30% (não me lembro) para quem apresentasse o ticket do trem. Não sei se isso se restringia ao fim-de-semana, mas valeu, como sempre, a pesquisa.
    De qualquer forma, aproveite a viagem. Washington é demais.

    1. Júnior, fiz NY/Washington em 2008.
      Apesar de mais charmoso o passeio de trem, fiz o trajeto de avião mesmo. Ponte Aérea deles. Não sei se você está preocupado com preço, mas de avião era mais barato.
      Você desce no Aeroporto Reagan e pode ir de Metro para o Hotel que você escolher.
      Fiquei na Holiday Inn, um hotel relativamente barato, honesto e bem localizado. Fica perto do Capitólio e da Union Station, que é a principal estação que junta metrô e trem (se vc vier de trem, vai descer nela).
      O Metro de Washington é muito bom para se locomover e relativamente seguro.

      1. Valeu boínha, valeu Esmeraldo!
        No site da Amtrak dá pra pesquisar hotéis e lá tem algumas opções com descontos de até 35% pelo que eu vi. É uma boa dica e vai entrar aqui na hora da pesquisa também!

        Alberto, a viagem é só pra Setembro, então com essa antecedência estou achando preços bons pro trajeto de trem ($49 o trecho). Acho que a economia em tempo (aeroporto sempre é mais chato) e de descolamento em NY (de trem eu chegaria na Penn Station mais em mão pra ir pro hotel) estão pesando na decisão. Lógico que o charme também conta.. :)

        1. Ok, Junior, pelo que eu entendi vc vai de Washington para NY. No meu caso foi ao contrário. Sai de NY, via La Guardia e desci no Reagan.
          Mas nada como comprar antecipado. Como não fiz isso, a passagem de trem ia me custar cerca de U$ 150,00. De avião consegui, na época, cerca de U$ 100/110,00. Somando o Shuttle, não gastei mais do que U$ 120,00.
          Fora o tempo que ganhei de viagem, das 3h30 de trem para 1h00 de avião, pois tinha naquela época só um final de semana para visitar Washington.
          Sem dúvida que de trem, tanto em Washington quanto em NYC, você estará em pontos centrais da cidades.

  5. Ricardo , tudo bem ? Voce poderia me ajudar qual a melhor forma para eu chegar na 228 West 47th Street (Manhattan, Midtown West Side)
    New York 10036
    NY

    Chegarei no aerporto de newark e ja estou super perdido, nao sei se vou de taxi,onibus,trem , gostaria de uma forma facil e barata e rapida.

    Muito obrigado pela ajuda

    jeferson

  6. Olá pessoal, estou indo paa Miami e NY e teho uma dúvida: é necessário ir ao Sawgrass em Miami e também em Woodbury em NY ou tudo que tem num tambem tem no outro? devo perder um dia em cada um deles?
    obrigado pela ajuda.

    José Luís

    1. Já lhe respondi no outro tópico.

    2. Vou tentar te ajudar um pouco: na teoria não, mas na prática sim.
      Você vai encontrar ofertas num que não vai encontrar no outro, assim como existem lojas específicas num que não existe no outro, mas tudo depende do que você quer, pois as principais lojas existem nos dois.
      Agora, o problema verdadeiro é que não compensa você fazer compras no primeiro destino, pois você viajará internamente com bastante peso, sempre lembrando que em alguns voos locais o peso de bagagem é menor (e as vezes só pode um único volume) e você poderá acabar tendo que pagar pelo excesso de bagagem, assim como se você estiver de carro levará peso desnecessário.
      Eu deixaria para comprar tudo no último destino. Compraria, se necessário, no primeiro somente em lojas que eu sei que não existe no segundo Outlet.

  7. Olá, Ricardo, sempre leio o seu blog/site e o considero uma referência para os viajantes brasileiros. Como o site é pesquisado por brasileiros que possuem o passaporte italiano (hoje creio já serem milhares), ou mesmo de outros países dispensados do visto americano, fica a dica que agora é preciso se cadastrar no ESTA – Eletronic System for Travel Authorization, exclusivamente através do site https://esta.cbp.dhs.gov/esta/. O processo é rápido, e há uma taxa de US$ 14,00, paga através do site, via cartão de crédito. Sem essa providência, o passageiro brasileiro com dupla nacionalidade, dispensado do visto, não viaja.
    Desculpe se esta informação já estiver por aí em algum lugar do seu site, confesso não ter visto.
    Carlos – Brasília/DF

  8. Carlos,
    tivemos esse problema da dupla nacionalidade. Não sabiamos que era preciso preencher o tal formulario na internet para o passaporte europeu. Felizmente tinhamos visto válido no passaporte brasileiro. Só ficamos sabendo da necessidade de preenchimento desse formulário no momento da imigração lá nos Estados Unidos!

  9. Karina, a informação que me deram no aeroporto é que se não houve o cadastramento no ESTA, o sistema nem aceita o check-in; vocês provavelmente conseguiram viajar devido ao visto normal no passaporte brasileiro.

  10. Ricardo,
    Será que vc poderia me tirar uma dúvida? estou indo para NY dia 31.08.11 e ficarei até 08.09.11 para comemorar o niver de meu marido, mas fiquei super triste pois li que não é uma semana legal por causa do brasilian day. O que vc acha? tem como eu fugir da multidão da festa que será no domingo dia 04.set? ou seria melhor remarcar as passagens?

    1. Olá, Luciana! O Brazilian Day é um evento localizado, que fecha algumas quadras em torno da rua 46 numa tarde de domingo. Não é a Copa do Mundo nem as Olimpíadas :D Nova York funciona normalmente e 99,9% da população nem sabe que este evento está acontecendo.

      1. O evento do Brazilian Day é um evento pequeno perto da gradiosidade de NYC. Fecha apenas um quarteirão na 6ª avenida, próximo a 46th num domingo. Mas em NY existem outros eventos que fecham as ruas e são muito mais maiores que o Brazilian Day e que quase poucos percebem. A única parte chata do Brazilian Day é que você vai encontrar com muitos brasileiros por lá…rs, do resto é super tranquilo.

  11. Estou com uma dúvida: vou com meu marido e dois filhos para NY em julho. Compensa comprar o New York City Pass, já que não tenho a mínima ideia de quanto custa as entradas para os museus, vocês podem me ajudar?

    1. Olá, Andréa! Veja as dicas do Augusto e da Alessandra: http://www.viajenaviagem.com/2010/06/ny-pass-x-ny-city-pass-o-augusto-e-a-alessandra-explicam/ e leia também os comentários :) Há muitas dicas de tripulantes sobre esse assunto!

  12. Carlos, tb acho que embarcamos porque na saída a gente mostra sempre o passaporte brasileiro. Na chegada em outros países é que a gente usa o passaporte da comunidade europeia. Agora tomaremos o cuidado de preencher o tal formulario. Com o passaporte de chip é uma beleza! Alguns aeroportos atendem em totens, nem precisa dar um sorrisinho pro funcionario da imigração!

    1. Ola Karina,

      Recebi meu passaporte europeu recentemente e tenho uma duvida muito basica. E possivel sair do Brasil com o passaporte brasileiro , apresentar o europeu chegando nos EUA e retornar ao Brasil, apresentando o passaporte brasileiro? Ah, ja estou ciente da necessidade de preenchimento do formulario pela internet para quem viajar com o passaporte europeu.

      1. Regina, e assim mesmo que se faz (tambem tenho dupla cidadania).

  13. Estou planejando minha primeira viagem a Nova York com a minha esposa para Outubro deste ano, estou pensando em ficar 15 dias por lá, alguém tem alguma boa sugestão de hospedagem? Vale a pena alugar um apartamento para este período?

    1. Para alguém dar uma sugestão boa você precisa dizer quanto, em média, quer gastar na diária por dia.

      1. Pelo que vi em alguns sites, devo gastar entre $200 e $300 Dolares po diária. Vi alguns depoimentos sobre o Hotel Pennsylvania, que a localização é ótima mas a qualidade péssima. Você sugere algum hotel na mesma faixa de preço com boa qualidade e boa localização?

        1. Olá, Marcos! Verifique diárias e ofertas na época em que você vai viajar em sites de reservas como http://www.hoteis.com .

          Leia depoimentos sobre 60 hotéis em Nova York deixados por leitores do site neste post:
          http://www.viajenaviagem.com/2011/01/hoteis-em-nova-york-o-depoimento-dos-leitores/

          1. Valeu pela dica, encontrei bons hotéis no site

  14. Olá pessoal! Parabéns pelo site e por todas as contribuições maravilhosas de todos! Estou tentando ler tudo q posso mas o tempo é curto! Embarco dia 30/04 com meu marido e minha filha q acabou de fazer 3 anos para 5 dis em NY e 12 dias em Orlando. O objetivo é levá-la à Disney, ela anda numa fase princesa total e acho q vai curtir mto, com as limitações da idade, claro, mas vamos aproveitar para conhecer ao menos um pouquinho NY, será nossa primera vez. Conseguimos ida e volta conjugando milhas AA e Smiles e fizemos uma reserva pelo Booking para o Element by Westin Times Square, na 39 com 8a. Achei mto poucas referências desse hotel, alguém sabe dele? Pagamos diária de U$220 para um quarto com minicozinha e café da manhã continental. Fico no aguardo.

  15. Não achei nenhuma referência sobre o Element by Westin entre os hotéis recomendados pelos leitores :-( Já tinha visto no TripAdvisor (depois q fechei no Booking) e as opiniões são meio divididas…

    1. Tem sempre que checar ANTES de reservar. Senão depois não há muito o que ser feito.

    2. Se as opiniões são divididas não se preocupe. Provavelmente se vc procurar um hotel que vc já se hospedou, verá que as opiniões no tripadvisor são mistas. A não ser em um hotel excepcionalmente bom e caro vc não terá queixas ( o que tbm pd ocorrer).
      Abcs

      1. O Hotel que costumo usar em NYC, no Trip Advisor, tem opiniões das mais diversificadas possíveis. De notas 1 a 5. Mas a média sempre fica no 4.
        Mas sempre faço a minha avaliação pessoal dos comentários que estão postados lá.
        Procuro sempre considerar as últimas opiniões e ver a média dessas notas. Desconsidero as antigas (hotel é sempre o momento) e tiro as notas mais extremas e vejo a qual o resultado que eu chego.
        Considero também se o avaliador tem mais de uma contribuição, pois se ele tem uma só, fica claro que ele se cadastrou no Trip para desconsiderar o hotel por conta de algum problema que ele teve em sua hospedagem. Assim como, também, desconfio de quem avalia muito bem uma única vez.
        De qualquer modo, o que tenho percebido pelas opiniões do Trip Advisor é que as pessoas que mais reclamam são as que mais costumam postar comentários. Em parte é bom, porque acabamos sabendo todos os defeitos dos hotéis, mas as vezes beira o exagero, pois tem gente que só porque o porteiro do hotel não lhe diz bom dia ou não lhe ajuda com as malas, o staff (todo e não só o doorman) não é friendly para ele.

  16. Olá Riq, Bóia e Trips… sou iniciante em matéria de EUA e estou planejando uma viagem para NYC, Boston e Filadélfia em Agosto. A dúvida é: alguém sabe qual desses lugares é melhor pra compras (melhores preços e menores taxas)? Desde já agradeço!

    1. Oi Mari.
      Taxa em Boston – 6.25% em items acima de $175.00
      Taxa em NYC – 8.875%
      Taxa em Philadelphia – 7%.
      Qt aos precos eh relativo, pq vc tem opcao de outlets, liquidacoes em lojas de rua e liquidacoes sazonais. Eh melhor fazer compras na ultima cidade pra nao ter que ficar carregando mala cheia.

      1. Beleza, Tania! Muito obrigada pela dica! Bjos

    2. Vai viajar naquela promoção da AA?

      1. Quando meu agente de viagens me passou o preço de 750 reais com taxas ( Guarulhos – Filadélfia New York- Guarulhos ) não acreditei. Vou em agosto. Excelente preço.
        Abcs

        1. E eu em junho!

      2. Gabriel

        Que promoção é essa AA que voce falou? Não achei nada..

        Giovana

        1. Durou menos de dois dias. R$750,00 para ir para Philadelphia.

  17. Oi Ricardo, parabéns pelo blog! É ótimo, muita informação importante! Vou para NY agora em abril, dia 03 e tenho algumas dúvidas, se você ou alguém puder me ajudar, agradeço imensamente.
    Pensei em ficar no hotel On the Ave, achei super bacana mas vi que fica longe da muvuca. Mas é muito longe? Atrapalharia a locomoção? Alguma sugestão de hotel, mas não queria desses hoteis de agência.
    E não sei qual seguro de viagem fazer, qual tem melhor cobertura?

    1. Natália,
      Provavelmente seu cartão de crédito oferece o seguro gratuitamente (na compra da passagem com ele). Ligue e informe-se. Assim você poderá economizar.

      1. Você crê que só para Europa?

        1. Normalmente para qualquer lugar do mundo. Para Europa é EXIGIDO. Em outros países não. Mas eu aconselho que SEMPRE viaje com um seguro.

          1. Sim, sim. Estou procurando uma seguradora bacana. Liguei para o cartão, mas eles só fazem seguro para Europa…tsc tsc… para os EUA o seguro é só com cobertura de acidentes em veiculos de transportes oficiais, tipo metro, onibus ou taxi, mas só! Vai entender né? Farei em outro lugar. =D

            1. É algo do seu cartão. Todos os meus oferecem para os Estados Unidos. Sendo assim, não tenho como indicar um seguro, pois faz anos que só viajo com dos cartões de crédito.

              1. É, meu banco é ruim mesmo…rsrsrsrs

                1. Uma boa opção é o Diners Club. Exige uma renda baixa e oferece diversos serviços bons para os viajantes. Maiores informações você pode ler na resenha que escrevi aqui: http://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=4&t=670

                2. Em viagens para os EUA, faço sempre do Unibanco AIG. A empresa pela qual eu trabalhava sempre fazia por essa empresa. Depois que passei a trabalhar por conta própria continuei fazendo com eles. O preço é na média, tem boa cobertura e a empresa é confiável.

    2. Há um outro post específico para seguros no VnV. Indicado pela Dri Setti e por outros trips já comprei online o World Nomads. A gde vantagem é a cobertura ilimitada e o bom preço http://www.worldnomads.com .
      Abcs

      1. O Obama veio e nada do Brasil ser incluído no Visa Waiver Program.
        O máximo que ele falou sobre o assunto foi dizer que eles estão estudando o aumento do prazo de validade do visto, que hoje já é de 10 anos.
        Só sendo muito alienado da realidade brasileira para acreditar que isso poderia ocorrer já, pois nosso país até meados de 2008 exportava imigrantes ilegais para os Estados Unidos e a situação só se modificou por conta da crise mundial e da melhora da economia brasileira, mas ainda não temos de 3 anos de estabilidade econômica para provar que podemos entrar no Visa Waiver Program.
        Por outro lado, apesar dessa ser uma boa medida para turismo internacional, entendo que sem o aumento correspondente da infra-estrutura aeroportuária brasileira e a ampliação da oferta de voos para os Estados Unidos, que ainda é muito pequena em épocas de feriados e férias, isso só encarecia os preços da viagens, por conta do aumento da procura, e tornaria a vida dos viajantes um inferno maior do que já é hoje.
        Alguém aqui já teve o desprazer de desembarcar de um voo internacional em Guarulhos logo cedo pela manhã, quando chega a maioria dos voos internacionais? São filas enormes para tudo: entrar no banheiro, entrar no free-shop e passar no posto de fiscalização da Receita, entre outros.
        Que condições teremos se o número de passageiros aumentar?
        Não se trata de uma opinião mesquinha da minha parte ou não querer deixar que mais pessoas viagem, mas sim de mostrar o quanto irresponsável são as pessoas que cuidam do turismo internacional no Brasil ao reivindicarem (ou ao menos apoiarem) um pedido desses.
        Tenho por mim que essas pessoas querem apenas vender e lucrar, deixando o problema maior para os passageiros.

  18. Gabriel, Augusto e Alberto, obrigada pela atenção. Realmente, agora está feito, já foi debitado o valor integral no cartão (menos as taxas) e não tem mais volta. Mas de qq forma reli as opiniões do TriAdvisor, usando o critério do Alberto, e vou usá-las pra tomar alguns cuidados: tentar um qt mais alto por conta de possível barulho, tentar descer pro café bem cedo pra evitar filas, etc.
    Outra dúvida: será q mesmo fazendo a reserva pelo Bookig devo mandar um mail pro hotel, só pra saber se está tudo certo, ou isso realmente não é necessário? Lembrando q vou bater lá com uma pequena de 3 aninhos… rsrsrs

    1. Patrícia, sou um pouco chato por natureza e procuro sempre fazer um contato por email com o Hotel antes da minha hospedagem, até para confirmar a reserva que eu fiz, ainda mais se ela foi feita por um site de reservas.
      Não custa nada e você só tem a ganhar (desde que você leve uma cópia do email com você na viagem).
      Você pode ser direta no contato, ou então fazer como eu faço, que é usar o pretexto de um contato com hotel justamente para pedir para confirmarem a reserva feita para tal data, tal hora…
      Procuro sempre fazer algumas perguntas básicas a respeito do clima que poderei encontrar (como se o Weather Channel não me desse essa informação…rs), informações se eles possuem ‘late check-out’ (essa é interessante para o caso de quem viaja em voos noturnos, quando a maioria dos check-outs é às 12h00, e precisa saber onde deixará as malas até sair do hotel), entre outras (no seu caso pode incluir uma pergunta sobre o berço, se a sua filha ainda utiliza).
      Quanto ao café da manhã, uma dica: em NYC eu não faço mínima questão de tomá-lo no hotel mesmo que esteja incluído na diária, só mesmo no caso de chuva e mesmo assim com ressalvas, uma vez que existem vários cafés e delis na cidade muito bons e que não são tão caros. Não compensa entrar no estresse de ter que levantar cedo para não pegar fila (pelo menos, não todo dia).
      Lembre-se: você vai estar passeando…rs

  19. Ola. Como vou para o Sawgrass em Miami.Tem onibus que vai para la. E para o Woodbury em NY.
    Qual Hotel em NY entre a Time Square e o começo do Central Park com preço bom e banheiro privativo que vc me indica
    Voce sabe se tem como guardar malas no aeroporto de Miami.
    Obrigada

    1. Olá, Silvana!

      Você vai precisar alugar um carro para ir a Sawgrass.
      É possível ir de ônibus a Woodbury.
      http://www.viajenaviagem.com/2010/07/compras-em-ny-century-21-x-woodbury-x-jersey-gardens/

      Há guarda-volumes no aeroporto de Miami, mas fecha às 21h.
      http://www.miami-airport.com/baggage_storage.asp

      Leia opinões de leitores sobre 60 hotéis em Nova York:
      http://www.viajenaviagem.com/2011/01/hoteis-em-nova-york-o-depoimento-dos-leitores/

  20. Olá pessoal,

    estou montando fechando meu roteiro para os EUA em maio e queria tirar uma dúvida.
    Não sei se este é o fórum mais adequado, mas queria saber se alguém me dá alguma referência da companhia aérea Southwest. Ela é a única que oferece um voo direto em um trecho que quero fazer, mas ela não está disponível na maioria dos buscadores e fiquei um pouco ressabiado.

    Obrigado,

    Moisés

    1. A Southwest é a decana das low-cost no mundo. É superconfiável.

    2. Nunca voei, mas voaria sem medo!

    3. Ja voei. É uma boa cia, com aviões relativamente novos e tripulação prestativa.

    4. Moisés, eu já voei bastante de Southwest (entre Seattle e Austin, e Austin e Las Vegas), eles tem muitos vôos aqui no Texas, pode reservar tranquilamente. A Southwest é uma low cost como a Jet Blue e não colocam suas passagens na maioria dos buscadores pra economizar quando as pessoas reservam direto no site deles, assim eles não tem que pagar nada pro Orbitz, Expedia, Tavelocity, etc.

      Como o Danilo falou os aviões são novos e não tenho nada a reclamar da tripulação. A única ressalva é que eles tem (ou tinham) uma política diferente pra lugares marcados no avião. Não sei como está hoje, mas teve uma época que os lugares não eram marcados e tinha uma fila A (pra quem tinha benefícios do programa de fidelidade e tinha pago o Early Bird Check-in) e uma fila B (pra quem fez o checkin na hora e não tinha lugar marcado). Mas se não me engano hoje em dia você já pode fazer o checkin online 24h antes sem pagar, só não sei se eles marcam o lugar ou não.

      Boa viagem,
      Luciana

    5. Moisés, a Southwest não é definitivamente a melhor cia aérea do mundo mas pela sua relação custo benefício e indisponibilidade de opções de vôo até da para considerar..
      Voei com eles no meu primeiro vôo doméstico com aqui nos EUA, além do atraso de 50 minutos (depois descobri que atraso é algo corriqueiro por aqui mesmo nas cias aereas normais). O que mais estranhou foi o fato de não haver assentos marcados na aeronave.. Quem compra a passagem na “classe businness select” embarca primeiro e tem direito e recebe um drink.. Os outros passageiros embarcam e vão sentando de acordo com os espaços vazios.. Uma espécie de lotação voadora.. As aeronaves tem seus 5-10 anos e a tripulação satisfatória.. Mas no quesito preço eles costumam ser ótimos.. Mas low cost boa mesmo é a Air Asia..
      http://mauoscar.com/2009/11/22/157-voo-domestico-eua/

      Boa Viagem

  21. Obrigado pessoal!
    Valeu pela força!

    Grande abraço,

    Moisés

  22. É por isso que é importante jogar coom o maior número possível de buscadores: não aparecia no expedia, kayak e edreams. Só o skyscanner ofereceu essa opção!
    Obrigado pelas referências!!!

    Moisés

  23. Ola, Ricardo, a Boia e trips!
    Em agosto viajo para Aruba e NY durante 2 semanas. Meu trajeto sera RIO-Aruba Aruba-NY NY-Aruba Aruba-Rio.
    A primeira semana passarei em Aruba e a segunda em NY. Ja tenho as passagens do primeiro(RJ-Aruba) e do ultimo trecho (Aruba-RJ) – vou de Gol. Gotaria de uma indicacao de vcs para os trechos entre Aruba e NY.
    Tenho milhas Smiles, mas acredito que elas nao me servem para estes trechos.
    Obrigada,
    Ana Paula

    1. Olá, Ana Paula! Delta, Continental, US Airways, entre outras, fazem este trecho. Dê uma pesquisada em algum site como o Expedia.com para visualizar vôos e comparar tarifas. A Delta é parceira Smiles.

    2. Ana Paula,
      Na verdade sua estratégia não é muito boa. Seria mais vantagem comprar GIG-JFK, onde o trecho de Nova York até Aruba sairá de graça voando pela American Airlines.
      A Gol não voa para os Estados Unidos.

  24. Muito obrigada. Vou dar uma olhada agora.

  25. Olá pessoal!
    Estou pensando em fazer uma reserva para jantar em algum restaurante em NYC. Será que o “New York Cruise Dinner” vale a pena?

    1. Olá, Carolina! Colocamos sua pergunta no Perguntódromo. Vejamos se tripulantes aparecem para dar uma mãozinha ;)

    2. L. Carolina, acho que é uma questão de gosto pessoal. E eu não gosto! Não pelo cruise, que acho maravilhoso, mas pela comida. Nunca é boa o suficiente para valer você sacrificar um jantar em NY. :wink:

    3. Faça o “cruise” de dia, se possível a volta completa na ilha, e jante em outro lugar. Cozinha em barco nunca costuma dar certo, e se vc der o azar de ficar com uma mesa no meio do salão, adeus vista.

  26. Olá amigos,

    estou programando minha ida a NY em maio e estou um pouco angustiado com a questão da compra dos ingressos para a Broadway.
    Explico: é muito fácil comprar os ingressos com antecedência, coisa que sempre prefiro fazer, de modo a ter certeza de que irei assistir aos espetáculos que desejo. O problema é que estou achando os preços escorchantes!!!! Ano passado vi o fantasma da opera em Londres e paguei umas 75 libras pela primeira fila do balcão nobre. Os preços da Broadway para compra com antecedência para maio estão em torno de 200 dólares para os principais musicais!
    Vários amigos têm me falado do TKTS, para a compra no dia das peças. Ai entra minha angústia! Qual é a experiência de vocês quanto ao TKTS? No geral, é possível conseguir os lugares para as peças desejadas? As filas demoram mesmo umas 2 horas, como têm me falado?

    Obrigado!

    1. No posto da Times Square a fila é grande. Na Tkts da South Street Sea port a fila é muito, muito menor. Na Times Square se vc quer comprar um ticket para a noite só pode comprar a partir das 15 horas do mesmo dia. Na South Street a partir das 11. Se vc quer ir assistir uma matine, na South Street vc compra no dia anterior; na Times Square das 10 as 14 (nas quartas e sábados) e das 11 as 15 nos domingos. Um detalhe importante, nos horários de venda de ingresso para a matinê, só são vendidos ingressos para a tarde. Não há venda de ingressos para a noite nestes horários.
      Eu prefiro comprar na South Street Sea Port. Aproveite para comprar quando for cruzar a ponte do Brooklyn. É muito próximo do lado de Manhattan.
      Outro aspecto a considerar é o espetáculo que vc quer assistir. Se for um espetáculo concorrido como Wicked ou Rei leão a chance de encontrar na Tickets é baixa. Sugiro que vc baixe o aplicativo para Iphone, Ipod ou Ipad da Tkts. Com ele vc consegue ver os espetáculos que estão com tickets disponíveis no dia e qual o desconto.
      Outra possibilidade é usar sites como Broadwaybox ou Playbill para conseguir um código de desconto. Com este código vc consegue comprar com antecedência pela Internet ou na própria bilheteria do teatro.
      Abcs.

      1. Observação: Na Tkts da Times Square só são vendidos ingressos para o mesmo dia. Tanto para as matinês como para os espetáculos noturnos.

      2. Show essa dica do aplicativo pra iphone. Já baixei. Não sabia que havia venda também no South Street Sea Port. Ótimas dicas! Quero ver O Fantasma.

  27. Moisés, a fila da TKTS na Times Square é sempre enorme. Vai depender do que v prioriza. Tem um guichê da TKTS no South Street Seaport, próximo ao Pier 17, que geralmente é vazio, fila pequena. É bom porque v pode aproveitar p/ passear e almoçar no Pier 17. O problema é que v só compra p/ o dia e às vezes as mais procuradas não estão disponíveis. Tem que ter um plano B. Na Times Square v pode pegar, na rua mesmo, folder de peças c/ desconto. Ano passado assisti a Chicago desta maneira, não tinha restrição de data e o assento e o desconto foram ótimos, e comprei na TKTS do pier ingresso p/ Família Addams. Existia uma loteria de ingressos, 2 horas antes das apresentações no próprio teatro. Não sei se ainda acontece.

    1. Obrigado a todos pelos esclarecimentos!!!

  28. Pessoal, com relação a ingressos para a NBA, alguém sabe quando começam a ser vendidos os ingressos pros playoffs? Sei que a temporada regular termina agora no comecinho de Abril.
    Obrigado.

    1. Olá, Gustavo! Por enquanto não há informações sobre os playoffs no site da NBA, mas começam em 16 de abril. Fique de olho: http://www.nba.com/

      1. OK, obrigado.

  29. É minha segunda viagem a N.York e estou indo com minha esposa. Gostaria de escolher um museu para conhecer. Na 1a. vez fui ao de História natural. Qual vc. sugere? Grato

    1. Olá, Eduardo! Aqui quem responde é a Bóia. Há diversos museus interessantíssimos em Nova York; no caso de apontar apenas um, seria o Met – The Metropolitan Museum of Art. http://www.metmuseum.org/

  30. [...] mas eu só fui conhcer depois que o Ricardo Freire (meu novo ídolo) fez uma websérie que chamava Desempacotando NY, mostrando as vantagens de se viajar sem pacote de viagens (e NY, e como sou apaixonada pela [...]

  31. Olá,
    Vou a NY em maio e ficarei 15. Destes, pretendo passar 3 ouo 4 em Washington. Pensei em fazer um trecho (ida ou volta) de carro, fazendo pit stop na Filadélfia, e o outro trecho de trem (indo direto, sem parar). Vc recomenda isso, Ricardo? Aguém aqui já fez isso (só vi posts de viagem de trem ou avião). A viagem de carro é fácil e tem uma vista legal???
    MUITO obrigada!

    1. Farei algo parecido…. de carro! Só farei um voo de avião, de Washington para Boston.

    2. Olá, Michelle! Aqui quem responde é A Bóia. O problema de fazer Filadélfia como pit stop de trem é que você não tem onde guardar as malas enquanto passeia!

      1. Obrigada pelas respostas.
        E de carro? Vale a pena fazer o pit stop? A viagem é tranquila (digo fácil) ou é melhor desistir do trecho de carro e ir direto pra Washington de trem, sem parar em nenhum lugar??
        Obrigada

        1. Michelle: de carro dá para entrar e conhecer Filadélfia. Vá direto para o centro histórico. Ir ou nao de carro depende muito do seu gosto pessoal e de outras variáveis. Ja fiz de carro. Ja fiz de trem. De trem, prefira o mais expresso. O que vc ganha? Tempo. Na estrada é sempre mais demorado. Carro: o que voce ganha? Pode parar onde quiser e se gosta de viajar, planejar, e curtir a viagem, otima opçao. Fora dizer que, em Was, ao contrario de NY, um carro é uma boa opçao para circular pelos arredores.

    3. Michelli, vá de carro. Em Washington, ajuda BASTANTE para tudo o que não ficar na área central.

  32. Olá pessoal, estou de volta como todo ano, rs. Bóia, vc não me conhece ainda, mas eu costumo participar muito no período em que estou planejando a viagem anual… Ano passado fiz uma deliciosa viagem para Catalunha, com a ajuda de Riq e Dri Setti. Ano retrasado a Ligúria…
    Bom, em maio nó vamos para Las Vegas e NY. Chego em Las Vegas dia 10 de maio e volto de Nova York dia 23. Ainda não comprei o trecho LAS-NY (as passagens eu tirei nas milhas pela AA e não tinha esse trecho disponível). Minhas dúvidas são: quantos dias eu deixo para Las Vegas? Compro o trecho em qual cia aérea? (acho que estaremos com apenas uma mala cada um, já que as compras serão em NY). Mais: uma grande amiga mora na Filadélfia e quero visitá-la; vale a pena alugar um carro para ir? Fazemos um bate-volta de um dia com tranquilidade? Sobro o roteiro de uma primeira vez em NY, vou ler os links daí de cima… Muito obrigada

    1. Kitty, para o seu voo LAS-NY, tente a Jet Blue ou a Virgin America.

    2. Las Vegas, para quem não conhece, sugiro pelo menos 5 dias. Para voar até NYC não faltam opções. AA, United, Continental, Delta, JetBlue. Comprando pelo site brasileiro da AA você pode parcelar.
      Vale a pena alugar um carro para ir até a Philadelfia. É muito perto! Bate e volta pode ser cansativo. O ideal seria dormir um dia por lá, mas dá para fazer.

    3. Kitty, fui em novembro pra Las Vegas e passei 04 noites… achei o ideal para andar pela Strip e entrar em todos os hotéis interessantes. Só não fui até o Grand Canyon por achar que ficaria apertado.
      Saí de lá para NY pela Continental em bilhete comprado aqui no Brasil em uma agÊncia de confiança, já que peguei o trecho completo YYZ/EWR/MCO pra evitar contratempo com as bagagens.

  33. Uns 4 dias em Vegas da p/ vc fazer o basicão. Compre a passagem no Priceline
    http://www.priceline.com

  34. Bóia e Trips,
    Estou planejando uma viagem com meu marido para NY em Setembro ou Outubro deste ano (de 15 a 20 dias); estava pensando em ficar de 5 a 7 dias em Manhattan e depois alugar um carro para dar uma volta pelo Estado, talvez ir até Adirondacks ( http://visitadirondacks.com/ ); Pensar em algo além da metrópole, talvez fazer caminhadas, ir em vinícolas. Alguém já foi? Tem dicas?

    1. Eu cruzei o Adirondacks quando estava a caminho de Vermont para ver as folhas de Outono (duas primeiras semanas de outubro – melhor época). Eu achei muito bacana, mas gostei mais de Vermont). Eu faria essa viagem tipo um road tour passando também por New Hampshire e até Maine (se não for muito puxado)… sempre quis dar essa voltona nessa época do ano para ver as folhas. Ou ainda você pode aproveitar para dar uma passadinha no Canada, incluindo Montreal, Quebec City e voltando por Sherbrooke de volta aos EUA no seu roteiro…
      MInha curtíssima viagem a Vermont foi descrita aqui: http://mikix.com/?p=1079
      Aqui um pouco do Canadá: http://mikix.com/?p=915
      Abs

      1. Oi Mirella, obrigado pela dica de Vermont também!
        Já vi alguma coisa de Vermont na internet, vou pesquisar um pouco mais. Com seu comentário voltou a minha ideia (inicial) de ir até o Canada, mas achei que talvez fosse muito para essa viagem (considerando que ficaremos de 15 a 20 dias).
        Ainda não consegui pesquisar mas você sabe me dizer se é possível atravessar a fronteira com carro alugado? E alugar carro nos EUA e devolver no Canada?
        Gostei dos seus posts, certamente vão ajudar a continuar a pesquisa!

        Abs

  35. Dani
    Já fiz esta viagem. Foi em julho/2007. Subimos de Nova York pelo vale do rio Hudson até Lake Placid. Eu gostei muito. Esta região dos Adirondacks é cheio de montanhas e lagos. Como fomos no verão, fizemos várias caminhadas e dava para nadar nos lagos. Em setembro ou outubro já vai estar bem mais frio mas em compensação voce já pode começar a pegar a mudança de cor das folhas das arvores, o que é fantástico no outono. Outra região bem legal são os Catskills, montanhas mais perto de Nova York. O vale do rio Hudson é conhecido como região de hospedarias transadas e restaurantes gourmet.

    1. OI Jeff, obrigado pela dica!!! Estou animada com poder pegar a mudança de cor das folhas e o foliage peak. Vou pesquisar um pouco mais sobre os Catskills.
      Abs

  36. Amigos, estou indo para NY em maio e assitirei 3 musicais na Broadway. Vcs saberiam me indicar bons restaurantes para ir depois dos espetáculos?
    Espero que venham boas dicas…
    Obrigado desde já!

    1. Carmine’s… Olive Garden…

      1. Valeu mesmo, Gabriel! Se alguém tiver mais dicas, estou aceitando.

        1. Alô, Daniel! Sua pergunta foi para o Perguntódromo; fique de olho nas respostas! ;)

      2. Tem um restaurante turco indicado pelo destemperados que eu fui e gostei… não é chique, mas gostosinho http://destemperados.blogspot.com/2008/11/as-maravilhas-do-turkish-cuisine.html .
        Para sair a noite, na rua 46th tem a restaurant st. e é bacana. Para badalar tem o Bourbon Street Bar & Grill in New York na Restaurant St (46th Street) e nessa mesma rua para um jantarzinho italiano tem o Becco.

    2. Para escolher na hora, minha região preferida é a da Nona Avenida, entre as ruas 45 e 47.

    3. Daniel, a melhor dica que posso dar é por o end dos teatros no gogle e ver o que tem por perto.
      Depois vc olha no menupages.com o cardapio e reserva no opentable.
      Fique esperto com os horários pq muita coisa fecha.
      Ano passado comi no Seraphina e na John´s pizzeria depois das peças.

    4. Eu não lembro se já dei essa dica aqui, mas de qualquer forma vou dar de novo porque adoro comida mexicana nos USA. É bem perto dos teatros, a comida é muito boa e o preço camarada. Acho que gastava coisa de 40 dolares com bebidas pra duas pessoas

      http://www.vivapanchonyc.com/

    5. Eu também já comi no Carmine’s e gostei muito. Outro que comi e adorei na região foi o “da Marino” na 49th. Já tem 2 anos que fui para lá e não sei como estão agora, mas pelo que me lembro da época, recomendo!

  37. O Carmine’s, que já foi citado acima, é o meu preferido. Não deixe de pedir as lulas de entrada e leve em conta que tudo lá é muiiito bem servido, para até 4 pessoas.

    O Bice, perto do Moma, também é maravilhoso ( http://www.bicenewyork.com/bice/html/index2.htm ).

    Na cobertura do Marriott Marquis há um restaurante giratório que vale a pena pela vista da cidade. A comida é boa, mas nada memorável.

    Passe longe do Friday’s. Diferentemente do brasileiro, lá é sujo, comida ruim e não muito bem frequentado.

    1. Ricardo e os demais viajantes, muitíssimo obrigado pelas dicas!! Gostei dessa brincadeira. Conheci o site há pouco tempo, mas já virei fã de carteirinha.

      1. O meu favorito é o Joe Allen. Bem frequentado, boa comida, não muito caro. Essencial reservar. Você diz o show a que vai e eles reservam para a hora certa
        http://joeallenrestaurant.com/Joe_Allen/NY_Info.html

    2. Só se for o Friday’s de NYC. O de Miami Beach, por exemplo, é excelente. E a comida muito boa.
      Outra opções que gosto não estão disponíveis em Manhattan: Buca di Beppo e The Cheesecake Factory.

      1. Não achei o Friday’s da Times Square ruim.
        Fui tbm no que fiquei atrás da International Drive em Orlando e gostei demais.
        Indico ambos!!

  38. Sei que tem cara de pega turista, mas eu fui e gostei tanto…

    Bubba Gump – ambiente com coisas do filme Forrest Gump. Comi uma massa que adorei de verdade!! Hummmm.
    Hard Rock – sabe como é né? Mas também “gostio”

    1. Verdade… eu adoro o Hard Rock Cafe. Já fui em vários espalhados pelo mundo…

    2. Taí… gosto demais de alguns pega-turistas, ex.: Bubba Gump, TGI Friday´s, Olive Garden, Red Lobster… não são caros e dá para alimentar bem.

      Não sou adepto de escolher restaurantes caros qdo estou viajando. Na verdade, mal paro para comer, hehehe.

  39. Eu gosto muito do Carmines já muito citado e tradicionalíssimo. Fica ali pertinho na 44.

  40. Em setembro, fiz de carro o trajeto Philadelphia – Atlantic City – Baltimore – Washington de carro e valeu muito à pena!!!
    Passei 2 dias na Philadelphia e comprei o pass de hip on hip off, que me permitiu ver toda a parte histórica da cidade. Fiquei hospedada na Market St, próximo ao shopping Liberty Place e achei a localização super central.
    Passei 1 dia em Atlantic City, que fica 1 hora da Philadelphia, mas é meio fora de mão para quem quer ir a Washington. Tem cassinos e hotéis bacanas, mas a cidade parece um pouco decadente.
    Baltimore fica cerca de 2 horas da Philadelphia e 1 hora de Washington. Não sei porque as pessoas não costumam ir ou comentar sobre lá. A cidade é uma gracinha e quando o tempo começa a esquentar, todos vão para a rua. É muito comum ver as pessoas correndo ao redor do Inner Habour no fim de tarde, onde tem vários barzinhos e restaurantes. Me lembrou o clima do RJ. Em Fell Points fui a um dos melhores restaurantes de tapas que já conheci _ o Pazo.
    Assim que cheguei em Washington, devolvi o carro. Quando eu fui, a cidade estava um grande canteiro de obras, dificuldado o tráfego… Também optei pelo hip on hip off lá e achei ótimo. Fiquei hospedada em Georgetown, que é um bairro um pouco mais afastado do centro, mas cheio de bares, restaurantes e lojas. É ótimo, principalmente para quem quer sair à noite. Achei 3 dias o suficiente.

  41. Eu de novo aqui. Vou para NY em julho (mais meus filhos e marido). Vocês acham que é preciso reservar o passeio para a Estátua da Liberdade? Na verdade, começa encher um pouco ficar reservando tudo antes, parece que engessa a viagem. O único receio é ter de ficar horas em fila por ser mês de férias…

    1. Olá, Andréa! Só é preciso reservar se você quiser subir à Coroa!

      Leia mais:
      http://www.viajenaviagem.com/2010/06/ny-pass-x-ny-city-pass-o-augusto-e-a-alessandra-explicam/

    2. Planejamento é fundamental em uma viagem.

  42. Tb gosto dos pega-turistas :) Bubba Gump é o meu favorito! Pena que não tem Cheesecake Factory em NY.
    Indico Tony’s di Napoli (43st entre 6-7 Av), Abboccato (55st entre 6-7 Av), The View no Marriot na Times Square, Puttanesca (9 Av c/ 56st) e p/ quem gosta de pastrami o famoso Carnegie Deli (7 Av entre 54 – 55st). Apesar de super bem falado, não gostei do Carmine’s.

  43. Boia,

    Obrigada pela dica. Vi que o NYCPass também inclui a Estátua da Liberdade…
    Qual a melhor maneira de ir ao Harlem assistir a uma missa gospel? É perigoso ir de metrô?

    1. Olá, Andrea!

      Leia este post sobre gospel:
      http://www.viajenaviagem.com/2010/06/gospel-em-nova-york-as-dicas-dos-trips/

      O metrô de Nova York é mal encarado, mas não é perigoso.

  44. Depois de 1 mês viajando, encontrei o restaurante Via Brasil na 46st prox à 5a av. Para minha família foi o mesmo que encontrar um oasis! Não aguentavamos mais o molhos vermelhos e picantes…

  45. Acompanho o Viaje na Viagem há bastante tempo e fico pasma com a incrível arrogância presente nos comentários de participantes assíduos como Marcie que pelo visto “se acha” e segue o ritmo, infelizmente, cada vez mais impaciente do próprio criador do blog.

    “Cynara, A idéia deste blog não é a de fazer roteiros para ninguém.” (?)
    “Agora, então, você conhece uma pessoa que não gostou de Mamma Mia, no teatro. Aliás, detestei.” (??)
    “…Seu amigo não mencionou isso tudo? #justasking” (???)

    Felizmente existem Sylvia, Adolfo, Bia e PêEsse que são sempre gentis e educados com as Cynaras, Andrés, Pier, Lias e tantos outros que aqui chegam com suas dúvidas, pedidos, curiosidades e que são a razão de ser do blog e tornaram profissão e negócio o VnV e os livros, programas de rádio, viagens e patrocínios subsequentes.

    #justsaying

    Ainda passeio por aqui, só que agora sempre torcendo pra encontrar com essas pessoas cujas participações voluntárias em blogs não lhes subiram à cabeça ; )

    1. Maria/Malu,

      Não sei o que você fazia percorrendo a caixa de comentários da página Nova York à 1h38 da manhã (você não informou se estava em busca de alguma informação), mas saiba que isso que você fez é o que eu adoraria que todo mundo que caísse aqui no site fizesse: ler o que está escrito anteriormente.

      Infelizmente eu já cheguei à conclusão de que isso não é possível. A grande maioria das pessoas não domina as ferramentas, boa parte delas nem nota que existe um texto, algumas não entenderam ainda sequer o conceito de link, e existem ainda as pura e simplesmente preguiçosas. Há também o nicho das pessoas que só se sentem atendidas se houver uma resposta pessoal minha. E sempre vai haver aquelas que acham que o que está escrito no texto só é verdadeiro se a pessoa que escreveu confirmar por escrito que acredita naquilo que escreveu.

      Enfim. O site hoje é visitado por até 8.000 pessoas diferentes por dia. Se cada uma fizer uma pergunta, e eu tivesse que responder todas, eu teria 11 segundos para responder a cada uma, trabalhando 24 horas por dia. Mas as perguntas não são tantas, claro. Ficam entre 100 e 200 todos os dias. Vamos trabalhar com o número mais baixo. 100 perguntas. Se eu dedicar 3 minutos a responder cada uma (isso é uma média; uma pergunta complicada pode demandar 45 minutos de pesquisa; ou mais, se eu estiver num lugar com conexão ruim), são 300 minutos por dia dedicados a responder perguntas. Um expediente de 5 horas só no atendimento individual ao público.

      No fim do ano passado cheguei à conclusão de que não podia mais continuar fazendo esse trabalho. Primeiro porque não tinha mais tempo mesmo, e depois porque, no tiroteio das perguntas, estava mesmo confundindo falta de noção com preguiça. A repetição ad nauseum das perguntas não estava apenas me irritando, estava me ofendendo. Pelos seus comentários — três, em dois anos — vejo que você não é tão assídua assim. Quem acompanha o varejinho do dia a dia, porém, sabe o que é estar do lado de cá da trincheira. (Eu sei que não deveria tratar os visitantes eventuais com vocabulário militar, mas no ping pong da vida real a sensação é essa.)

      Então, da mesma maneira que eu tive que aceitar como fato da vida que muitos leitores não vão ler tudo o que está escrito antes de perguntar, você vai precisar aceitar como fato da vida que eu não tenho mais condições (físicas e emocionais) de responder todas as perguntas pessoalmente.

      Mas voltando ao fim do ano passado: demos início à fase 3.0 do site, começando a formar uma equipe para me ajudar a manter esse Boeing voando. No começo são frilas, porque ainda não podemos ter gente full-time. Mas vamos chegar lá rapidinho.

      Uma das pessoas da equipe é A Bóia. Sua função é passar em revista todas as perguntas deixadas nos comentários. A Bóia responde o que sabe e sobretudo encaminha o perguntante ao post adequado (70% das perguntas já estão respondidas em outros posts). O que não souber, A Bóia encaminha para mim, que passo a cola pra ela na primeira oportunidade. Aquilo que nenhum de nós sabe vai para o Perguntódromo, abrindo a pergunta à participação dos trips que não estavam online no momento em que foi feita.

      Isso tem funcionado de maneira admirável. Leitores habituais e eventuais passaram a ser poupados dos meus pitis (se bem que alguns sentem saudade). Perguntas jogadas para o público vêm ganhando respostas muito melhores do que se fossem pesquisadas por mim. Quando instalarmos o novo template, ficará ainda melhor, porque será possível clicar diretamente na pergunta na home, sem precisar carregar o post do Perguntódromo. Quando a equipe tiver Bóias full-time, elas poderão inclusive fazer pesquisas complicadas.

      Você não disse o que fazia ao patrulhar, digo, percorrer esta caixa de comentários à 1h38 da manhã, mas se ler com atenção os comentários anteriores desta e da página anterior vai ver que estão todos todos todos respondidos com presteza e amabilidade.

      Então eu pergunto: por que pentelhar uma opinião sincera de uma comentarista freqüente?

      Os comentaristas freqüentes são os personagens mais importantes do site. Eles têm grande participação no dia a dia. Não só no quesito “resposta a perguntas”. Os comentaristas freqüentes de qualquer site ou blog de muita audiência (tirando os de política e futebol) acabam formando uma espécie de elenco fixo. Muita gente adora acompanhar os comentários de um ou outro personagem. Não é só aqui não. Também acontece nos blogs que sigo.

      É evidente que comentaristas habituais têm privilégios. Eles são estrelas do site. Formam uma panela? Sem dúvida. Mas é uma panela totalmente aberta a todo mundo que quiser entrar. Para ser da panela dos comentaristas freqüentes, basta comentar freqüentemente. Inclusive para discordar de um ou outro comentarista freqüente.

      As opiniões pessoais dos comentaristas, por mais que você considere arrogantes, são cada vez mais importantes aqui no site. Eu deliberadamente parei de dar as minhas opiniões pessoais; apenas recomendo/desrecomendo com base em fundamentos técnicos (clima, localização, ritmo de viagem, meio de transporte, temporada, preço). O site cresceu para muito além do seu nicho inicial, e eu não posso impor a minha opinião ou o meu estilo a pessoas que eu não conheço. Não me cabe mais dizer para alguém que deseja ir a um resort que eu acho que ele deveria ir a uma pousadinha na Bahia. O que me cabe hoje é mostrar as diferenças entre os resorts (tô quase acabando) e incorporar todo o conteúdo da Bahia (falta muito, e cada vez que eu paro para escrever um catatau desses, atrasa mais). Já os comentaristas não só podem, como DEVEM expressar suas opiniões pessoais. O mosaico de opiniões contido nas caixas de comentário vai ajudar o leitor a se decidir.

      Tenho notado que a intensidade de participação de cada comentarista no quesito resposta a perguntas varia. A maioria tem um pico de participação num determinado momento, e depois se dilui (até porque muito do “tricô” dos trips se mudou para o Twitter, que é uma ferramenta mais adequada a isso).

      Acontece também com comentaristas eventuais: todo mundo adora compartilhar dicas. Mas ninguém gosta de responder pela quarta vez a mesma pergunta com as mesmas informações. É humano.

      Do lado de cá, tenho me dedicado a criar maneiras de organizar os comentários já registrados. São os posts que estão sendo armazenados na aba Resenhas, e que são pesquisados por outra Bóia free-lance.

      (Não, não haverá posts assim para patrulhas e pentelhações.)

      Aí entra o “não fazemos roteiros”. Roteiros são as respostas mais complicadas para dar. Não há tempo para elaborar roteiros de visita de um, dois ou três dias de cada lugar do planeta a todo mundo que perguntar. E não dá para examinar com pente fino itinerários complicados de viagem. Não dá. É infactível. Podemos ter posts pré-elaborados (estão na lista de tarefas a fazer; mas cada vez que eu paro para escrever um catatau desses, atrasa mais). Podemos também jogar no Perguntódromo. Mas não dá para jogar no Perguntódromo perguntas que precisem ser respondidas com livros inteiros, tipo esse que estou escrevendo agora. E de novo: há limites para o número de vezes que os comentaristas habituais ou eventuais tenham disposição de dar pitacos sobre roteiros apenas ligeiramente diferentes para o mesmo país, região ou cidade. Já tenho idéias para contornar essa limitação. Mas a comentarista estava certíssima ao dizer que não elaboramos roteiros.

      Da mesma maneira como eu tinha total razão de chamar a leitora de impertinente, em janeiro deste ano, quando você pentelhou, digo, comentou pela última vez. A menina tinha 1) repetido pela TERCEIRA vez a mesma pergunta no MESMO post ; 2) ignorado solenemente a resposta da Bóia, que tinha sido rápida e completa.
      http://www.viajenaviagem.com/2007/05/trancoso-revisitando-os-classicos/comment-page-1/#comment-109871

      Finalmente, pensei que criticar a profissionalização do blog fosse algo enterrado em 2007. Vamos lá de novo. Infelizmente, enquanto fui publicitário, investi tanto em viagens que não consegui amealhar todo o patrimônio que a minha renda possibilitava. Não me arrependo: foi graças a esse sobreinvestimento em viagem que eu pude escrever o Viaje na Viagem e acumular uma experiência que não teria se tivesse começado a viajar numa redação de jornal. Nos últimos anos, antes do início da comercialização do blog, me mantive sobretudo graças à venda de um apartamento. Adoraria poder vender um apartamento a cada dois anos para poder manter o delicioso hobby de responder perguntas de viagem. Infelizmente, não tenho mais apartamentos para vender.

      Ao contrário do que você imagina, cada anunciante novo que entrar no blog não vai servir para manter uma vida nababesca. Nunca trabalhei tanto na minha vida (veja bem: hoje é um sábado, meio dia, e estou há uma hora escrevendo esse comentário; ainda preciso publicar três ou quatro posts hoje, porque ontem estivemos fora do ar) e mesmo com todo esse aparente sucesso só agora estou empatando minhas contas. Todo incremento de receita no site será usado para refazer o template, contratar uma equipe full time, terminar de subir o conteúdo que falta.

      Enquanto você fica patrulhando a caixa de comentários, não nota que a minha atenção pessoal aos novos leitores se dá num nível muitíssimo mais importante do que o varejo das perguntas. Desde fevereiro do ano passado TODAS as minhas viagens são pautadas pelo interesse do leitor. Eu não viajo mais para os lugares que quero. Eu viajo para os lugares que o leitor me manda viajar. Ou seja: mesmo não respondendo individualmente a cada pergunta, eu vou atrás do conteúdo que está sendo demandado.

      Além disso, toda semana solto posts que vão servir de respostas a perguntas freqüentes. Essa é a minha função.

      Deixo meu convite: patrulhe menos. Pentelhe menos. Envenene menos. Comente mais. Boas viagens.

      1. mario curtiu este comentário :D

      2. Belo desabafo.
        Achei interessante a parte final do texto, pois as vezes as pessoas têm uma idéia distorcida da sua profissão. Quantas pessoas aqui ja não sonharam em “viver de viajar”, sem imaginar que a realidade não é assim tão “nababesca” como muitos imaginam.

      3. Mesmo um pouco atrasado, não poderia me furtar em apoiar, I N T E G R A L M E N T E (gritado mesmo), a brilhante resposta do nosso timoneiro-mor Ricardo Freire.

  46. “posts que vão servir de respostas a perguntas freqüentes” é uma super verdade! Fazer roteiro p/ outra pessoa realmente não faz sentido. Será que é tão difícil p/ as pessoas entenderem como funciona o blog? Boa resposta, Ricardo.

    1. Roteiro é muito pessoal…muito!

      1. É normal, em todo o lugar, encontrar pessoas que sofrem do que eu gosto de chamar de “mal de fórum”. Também nunca sei quando deixa de ser falta de preparo e conhecimento pra se tornar folga e preguiça. É uma linha muito tênue.
        O fato é que basta as pessoas verem que está rolando um bate-papo, pessoas respondendo perguntas e dúvidas umas das outras que pensam que: PRONTO! ACHEI A SOLUÇÃO PARA MEUS PROBLEMAS! E dá-lhe perguntar tudo o que se quer saber, porque alguém vai responder e poupa todo o trabalho de ter que procurar.
        Aí até explicar com jeitinho que não somos agentes de turismo gratuitos tem muito chão. Somos pessoas trocando experiências.
        Esse é meu primeiro comentário aqui, não resisti pois me identifiquei com o assunto demais!
        Gosto de viajar, quem gooosta de viajar gosta de pesquisar, planejar, estudar mesmo. Quem sempre pegou pacote pronto vai sempre esperar tudo pronto. Um roteiro é algo tão pessoal. Imagine! Você tem toda a responsabilidade sobre a viagem de alguém q vc nunca viu ou conversou e a viagem dela pode ser ótima ou horrível por sua culpa. Alias, culpa não, pq é uma loteria! Torcer pra ela ter o mesmo gosto que você, né?

        Sou super a favor do post do Ricardo e eu mesma já penso em confeccionar respostas padrão para os fóruns que frequento.

  47. Nossa, abalou esse comentário do Ricardo…entendendo perfeitamente a sua indignação. Muitas vezes as pessoas acabam vendo as viagens que fazemos apenas como diversão e não como trabalho..No meu caso que trabalho com moda, acham que so estou passeando,não imaginam a correria e a “peregrinação” que eu faço por todas os lugares ,as ruas, as lojas que tenho visitar a procura de tendências e peças chaves que irei trabalhar a na minha próxima coleção.
    Aimeudeus….chego tão cansada que , sempre que posso, tento chegar num sabado, para descansar no domingo(dormir no minimo umas 12 horas seguidas e ficar mais umas 6 só com as pernas pra cima , pra diminuir o inchaço……)
    E aproveitando o assunto queria perguntar se tem alguem da minha área(moda) que poderia me dar alguma dica de pesquisa de Tendências em Nova York. Estou indo pra lá amanhã (segunda vez) e vou fazer o Soho , a Time Squere e a Quinta Avenida. Tem mais alguma rua ou região que não pode deixar de ser visitada?
    Obrigada

    1. Giovana,

      Va ao Brooklyn – Williamsburg e Bedford Avenue.Em Manhattan a area do West Village, Lower East Side e Meatpacking Disctrict.

      Abcs. Tania

      1. Obrigada Tania.Ja coloquei essas regioes na minha listinha de lugares para visitar…valeu

  48. Admiro aqueles que possuem o dom da objetividade, da clareza e do excelente uso das palavras. Seus escritos são sempre inspirados e inspiradores Riq.
    Só me permita comentar o trecho “eu não posso impor a minha opinião ou o meu estilo a pessoas que eu não conheço”, porque às vezes sinto muitas saudades dos seus pitacos mais incisivos. Esses pitacos sempre acabaram influenciando minhas escolhas. À medida que me “dava bem”, fui me tornando uma seguidora fiel. Sei lá, talvez coincidência de interesses. No entanto, entendo perfeitamente suas razões.
    Quanto à tripulação, só vieram enriquecer o site com seus comentários. Aliás, provavelmente inspirados por este site, muitos criaram seus próprios blogs, os quais tornaram-se também ponto de encontro para aqueles (me incluo) que adoram viajar em todas as viagens.

    1. Hehe, Jussara: é bem facinho saber do que eu gosto; quem me acompanha sempre vai me ver mais entusiasmado com algumas viagens/destinos/aventuras :-)

  49. Oi, Ricardo.. gostei muito do teu desabafo e acho que entendo tudo perfeitamente.. só gostaria de dizer que também sinto saudade de tuas opiniões bem pessoais, como disse a Jussara. Algo tipo, “o astral é ótimo, o local é charmoso.. ” Dito por ti, pra mim é certificado de garantia! E sobre o comentário da outra moça, talvez seja um pouco de pena das pessoas que nao fazem perguntas bobas por mal, mas recebem um tratamento mais brusco. Eu mesma às vezes fico com medo de estar fazendo perguntas bobas, apesar de ler um monte do site, praticamente todo dia, mas por isso mesmo poder acabar fazendo umas salada das informações! Obs: Mamma mia é joia! Bjs, obrigada pela site e por ti!

    1. Insisto, Fabi: as minhas opiniões pessoais estão nos posts.

      Um exemplo, aqui mesmo em Nova York: o post em que eu dou a dica de não ficar em Midtown.
      http://www.viajenaviagem.com/2009/10/nova-york-hoteis-fora-do-fervo/

      Mas não posso a cada pergunta mandar as pessoas se hospedarem fora de Times Square. Eu não vejo graça nenhuma em me hospedar em Times Square. Mas não há nada errado em se hospedar em Times Square. Pelo contrário; há uma série de vantagens, e a imensa maioria das pessoas prefere ficar por lá. Eu não posso a cada pergunta dizer a alguém que não conheço, e que não me conhece, que se eu fosse ela eu ficaria no Village, em Chelsea ou no Meatpacking District.

      Já em Buenos Aires é outra história. Eu consigo achar razões técnicas para desrecomendar a hospedagem no centro:
      http://www.viajenaviagem.com/2011/03/buenos-aires-10-razoes-para-nao-se-hospedar-no-centro/

      Mas ao mesmo tempo não posso mandar todo mundo pra Palermo, que é onde eu ficaria, se pudesse, em todas as viagens. Lendo o meu post sobre hotéis de Palermo, porém, você vai ver que eu adoro a região.

      Para fazer uma boa pesquisa é preciso ler tudo o que está escrito no site sobre o assunto, incluindo os comentários. É o que tentamos fazer a cada pergunta.

  50. Ricardo,

    Também curti seu desabafo, seu trabalho é muito maior que tudo isso. É muito legal saber que alguém trabalha com tanta dedicação estimulando as nossas alegrias de viajantes e inspirando tantos outros blogs ( como o meu ). Meu blog é novinho e já teve a honra de receber um comentário seu, foi uma alegria.

    Queria aproveitar e dividir com todos que ontem fui na Week Travel, uma feira de viagens de luxo que está acontecendo no Ibirapuera. O evento está super bem organizado e demonstra o potencial do mercado de turismo no brasil. As opções apresentadas lá são incriveis , lugares acessiveis para pouco mortais ( ou imortais quem sabe ) de tão caros que são. Mas sempre vale a pena conhecer , quem sabe um dia …

    Contei um pouco no meu blog .

    Abs

    Carla
    http://longeeperto.wordpress.com/2011/04/10/longe-e-perto-na-travel-week-sao-paulo-feira-que-apresenta-o-melhor-dos-quatro-cantos-do-mundo-exposicao-cria-galeria-de-viagens-e-mostra-os-mais-exclusivos-fornecedores-de-viagens-de-alto-padrao/

    1. O problema é o custo. Com os valores caríssimos cobrados aqui no Brasil os turistas acabam optando por outros lugares. Os americanos, por exemplo, ainda precisam tirar visto. Dólar caindo, necessidade de visto e hospedagem caríssima são alguns dos motivos que fazem os americanos invadir o México e outros locais.
      Estou pesquisando hospedagem em São Paulo, em final de semana, e os preços estão altíssimos. Aqui no Rio de Janeiro os hotéis em Ipanema/Leblon/Copacabana cobram diárias altíssimas também. E, muitas vezes, você paga por um 5 estrelas e quando chega lá vê que não é realmente um 5 estrelas. E não restam muitas opções.