Curaçao

Onde comer

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

A cena gastronômica em Curaçao é cosmopolita e independente -- você não encontrará aqui as redes de restaurantes presentes em outras ilhas do Caribe.

A grande novidade dos últimos anos é o surgimento de um pólo gastronômico em Pietermai, charmoso bairro colado ao centrinho de Punda.

Janta-se cedo em Curaçao. Os moradores são adeptos das happy hours (logo depois da saída do trabalho, às 17h30, 18h) e muitas vezes já emendam no jantar. Se você chegar depois das 22h num restaurante, provavelmente a cozinha já não aceitará mais pedidos. Nos bons restaurantes, vale a pena reservar.

Almoço

Se você foi pegar praia em Kenepa Grandi, pode almoçar no bar de praia do hotel Kurá Hulanda Beach Longe, na praia Kalki (tel 5999/839-3600).

As praias de Cas Abou e Portomari têm restaurantes sem pretensões. Já nas praias do Seaquarium (Mambo Beach, Cabana) e de Jean Thiel (Zest, Zanzibar) o ambiente e o cardápio são mais transadinhos.

Estando no centro, recomendo a aventura gastro-antropológica de almoçar no velho mercado, o Marsche Bieuw, uma praça de alimentação com seis restaurantes rústicos, que servem comida baratíssima ao gosto dos curacenhos (se eu fosse você, procurava o indonésio). Você pode dar uma olhada nas panelas e travessas antes de pedir; as mesas são coletivas. Funciona de 2ª a 6ª na hora do almoço. Se não tiver coragem, basta andar pelas ruelas de Punda que você acha pizzarias e cantinas.

Jantar

A grande pedida é dar uma chegadinha em Pietermai, o bairro que está acontecendo em Punda. O restaurante que começou a dar a cara nova à área é o Mundo Bizarro, de decoração kitsch e menu viajado (Niewstraat 12, tel. 5999/461-6767; abre todos os dias). Ainda no pedaço, fazem sucesso o Kome (Johan van Walbeeckplein 6, tel. 5999/465-0413; abre de 3ª a sábado das 18h às 22h), o Ginger (Schoonesteeg 1, tel. 5999/512-5777; abre diariamente a partir das 17h) e o pequenino bar Miles Jazz Café (Nieuwestraat 42, tel. 5999/520-1358). Um pouco mais adiante, já perto do hotel Avila, o Fishalicious serve bons peixes e frutos do mar (Lootstrat 1, tel. 5999/461-8844; abre de 2ª a sábado das 18h às 22h). Mais para dentro, instalado num deck sobre o canal Waigaat, fica um restaurante interessante, freqüentado pelos nativos: o Pampus, de cozinha franco-caribenha, com música ao vivo às sextas e sábados à noite (Waaigat, tel. 5999/465-5071; abre de segunda a sábado das 16h à meia-noite).

Se você está hospedado no centro de Willemstad, pode sair para jantar a pé. O Forte Rif, ao lado do hotel Renaissance, é o foco da muvuca em Otrabanda. (Se você vier de carro, tem estacionamento gratuito no prédio-garagem do hotel.) O mais refinado (e caro) da turma é o Bistro Le Clochard (tel. 5999/462-5667; aberto diariamente para almoço e jantar); mas há vários restaurantes mais informais, incluindo um sports bar movimentado, o Sopranos.

Ainda em Otrobranda, instalado no segundo andar de um casarão histórico, o De Gouverneur é dono do cenário mais encantador de Willemstad -- sobretudo se você conseguir uma mesa na varanda, com vista para o canal e o skyline colonial de Punda (De Rouvilleweg 9, tel. 5999/462-5999; abre todos os dias até as 22h30). Atrás dele, no hotel Kurá Hulanda, o Jaipur funciona à beira da piscina de pedras, e costuma servir buffets pan-asiáticos (tel. 5999/434-7001, abre de 3ª a domingo das 18h às 23h).

Do outro lado do canal, Punda também tem o seu equivalente ao Forte Rif, o Waterfort, com vários restaurantes à beira do mar aberto. A vibe é mais turística do que gastronômica.

Na região de Piscadera, pertinho dos hotéis Marriott, Hilton, >Floris e Clarion, o Tempo Doeloe serve comida indonésia num ambiente superproduzido; é o lugar para experimentar o rijstaffel, o banquete indonésio (La Vista, Piscadera, tel. 5999/461-2881; abre de 3ª a domingo das 18h às 23h.

Fora do centro histórico e das praias, num bairro onde a classe média alta da ilha mora, trabalha e se diverte, está oshopping Zuikertuin, construído em torno de um casarão histórico. O shopping tem um restaurante cool, O Mundo, (tel. 5999/738-8477; fecha domingo). O shopping oferece duas opções mais informais: o Sambal, uma deli indonésia (abre todos os dias até 21h) e o Grand Café de Heeren, que funciona num casarão histórico e tem happy hours concorridos (tel. 5999/736-0491; fecha domingo).

E se pintar aquela saudade de uma boa carne, vá até Jan Thiel, onde funciona a boa churrascaria o Tinto (tel. 5999/747-0633; abre de 3ª a sábado à noite).

Balada

A noite da ilha é animada às sextas e sábados, quando os moradores caem na night -- mas eventualmente há festas no meio da semana também.

Um dos focos de balada é a praia do Seaquarium, onde os clubes de praia se revezam em festas pé na areia. Consulte a agenda do Mambo Beach e do Cabana.

Em Punda, a disco favorita dos curacenhos é a Bermuda.

E na região do shopping Zuickertuin, o TuTu Tango costuma ter festas animadas no fim de semana.

Um bom lugar para se informar de festas é o site K-Pasa Curaçao (você encontrará também filipetas semanais nos hotéis e restaurantes).

1 comentário

Regina Sedeh
Regina SedehPermalinkResponder

Adorei os comentários sobre Curaçao

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar