Curitiba

Primeira da classe

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Organizar o trânsito, encontrar uma fórmula eficiente para o transporte público, multiplicar os espaços verdes não foi o bastante. Ao tornar-se uma metrópole-modelo, Curitiba aproveitou também para se lançar como uma cidade turística.

Junto com os corredores de ônibus e os parques vieram novos cartões postais, como a Ópera de Arame, o Palácio de Vidro do Jardim Botânico – e, recentemente, o Museu Oscar Niemeyer. As tradicionais cantinas de Santa Felicidade hoje são apenas um fecho folclórico para tours repletos de atrações.

A trabalho ou a passeio, é um prazer descobrir que existe uma grande capital brasileira que funciona tão bem.

Quando ir

O inverno é bastante frio e relativamente seco. Uma excelente combinação para curtir a culinária dos imigrantes ucranianos, poloneses, alemães e italianos – e tomar um submarino, o chope com um petardo de steinhäger tradicional do Bar do Alemão, no Largo da Ordem.

Na primavera e no verão a umidade aumenta.

O outono é perfeito para curtir os parques e pegar o tempo mais firme no litoral, a pouco mais de uma hora de viagem.

O maior evento cultural acontece em março: o Festival de Teatro de Curitiba.

Como chegar

O aeroporto fica em São José dos Pinhais, a menos de 20 km. Recebe vôos diretos de São Paulo (Congonhas e Guarulhos), Rio de Janeiro, Campinas, Foz do Iguaçu, Maringá, Londrina, Florianópolis, Porto Alegre, Caxias do Sul, Belo Horizonte, Brasília, Assunção, Buenos Aires e Miami.

Por via rodoviária a cidade está a 400 km de São Paulo (apenas 30 kmnão estão duplicados). Joinville está a 110 km; Balneário Camboriú, a 210 km; e Florianópolis, a 300 km.

O melhor acesso à Ilha do Mel é no Pontal do Sul, a 120 km; desça pela estrada para Paranaguá.

Onde ficar

Há grande concentração de hotéis entre o Centro velho e as imediações da Estação Rodoferroviária. Perto da estação (que tem um shopping anexo) ficam os minimalistas-baratinhos CWB Express e Ibis Budget Curitiba Centro, além do Slaviero Conceptual Rockefeller, que faz a linha hotel-butique.

A zona hoteleira mais nova e agradável, porém, está na região do Batel. Por ali você vai estar junto ao comércio mais sofisticado e à vida noturna mais animada da cidade. Na zona mais bacana estão o Quality Hotel Curitiba, o Slaviero Conceptual Full Jazz, o Transamerica Prime Batel, o Bourbon Batel Express, o Radisson, o Mercure Sete de Setembro e o Ibis Curitiba Batel. Nem tão no miolinho, mas ainda em lugar agradável, encontram-se o Pestana Curitiba, o Slaviero Executive Batel e o Four Points by Sheraton.

Existem também hotéis na região do aeroporto, como o Bourbon Dom Ricardo, o Tulip Inn São José dos Pinhais, o Howard Johnson e o Ibis Curitiba Aeroporto, próprios para quem vai trabalhar na região metropolitana.

Em qualquer uma dessas regiões as diárias baixam no fim de semana.

O que fazer

A Linha Turismo, um ônibus turístico de dois andares, vai do Centro a Santa Felicidade, passando por todos os parques e museus (não perca o Museu Ferroviário, o Museu do Perfume e o Memorial Ucraniano).

À noite tome a direção do Batel, um bairro central com inúmeros bares e restaurantes, muitos deles lado a lado na rua Bispo Dom José (continuação da avenida Batel).

Na primeira oportunidade que tiver, pegue o Serra Verde Express, que vai serpenteando pela Serra do Mar até a cidade histórica de Morretes (onde você pode experimentar o autêntico barreado).

Curitiba no Viaje na Viagem

114 comentários

Madalena D'Orey

Bom dia,
Sou uma colaboradora (serviço 'customer service') da companhia Bigbus Tours Paris (http://eng.bigbustours.com/paris/home.html) e visitarei a Curitiba na ultima semana de Abril 2016 com o meu filho de 10 anos.
Gostaria de saber se a vossa companhia pode oferecer 2 lugares para conhecer o vosso serviço de trajecto turistico e os vossos autocarros que sei serem ecologicos.

Atentamente . Aguardo a vossa resposta

MadalenaD@bigbustours.com

Madalena D'Orey
Customer Service
BIG Bus Tours
17, qui de Grenelle
75015 Paris
França

Atenciosamente,

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Madalena! Não somos a Linha Turismo, somos apenas um blog de viagem smile

Juliana Souza
Juliana SouzaPermalinkResponder

Pessoal:
Boa tarde!

Todas as minhas viagens são acompanhadas do Viaje na Viagem e no feriado de Corpus Christ irei para Curitiba. Já reservei meu hotel seguindo à risca a dica de vocês e o passeio de trem também! Minha única dúvida é quanto a restaurantes no Batel, existe algum específico que vocês recomendem? Todas as dicas aqui dadas para restaurantes são espetaculares e para Curitiba não poderia faltar! Me ajudem, por favor?

Obrigada!

Juliana

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Juliana! O Ricardo Freire vai incrementar esta página aqui em breve.

Na última passada dele ele adorou o Officina, no Batel http://www.officinarestobar.com.br/

Se puder fazer uma big extravagância, ela deve ser feita no Manu http://www.restaurantemanu.com.br/

Não perca o bar de cervejas Hop and Roll http://www.hopnroll.com.br/

Querendo uma experiência diferentona, vá ao Pocotapas, que é tipo cozinha molecular para as massas http://www.pocotapas.com.br/pt/

ana
anaPermalinkResponder

hop and holl é tiro certeiro para quem gosta de cerveja!

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Quem pode me dar dicas do passeio de trem para Morreres e Antonina?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kamila! Reserve com antecedência com a Serra Verde Express, http://www.serraverdeexpress.com.br . No dia do passeio, chegue à estação com meia hora de antecedência para trocar o voucher.

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Obrigada!

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Kamila, sugiro descer de trem e voltar para curitiba de ônibus, a viagem de ida já é suficiente para ver as belas paisagens da serra do mar.

Claudia S. M. Scheiner

A compra antecipada dos bilhetes para o passeio de trem é um calvário. A empresa deveria disponibilizar a compra pelo site, com escolha dos assentos, nós clientes teríamos menos aborrecimentos para enfim empreender o passeio. Seguramente, a experiência seria mais agradável como um todo.

Maria Valéria Bahia

Estive em Curitiba por cinco dias esta semana pela primeira vez. Antes entrei aqui para pegar umas dicas. Foi muito útil. Peguei o ônibus linha Turismo R$40. A entrada no Museu Oscar Niemeyer R$12. O táxi azul e branco do aeroporto até o Hard Rock no batel foi R$80, ontem voltei de UBER e paguei R$32. Utilizei o UBER várias vezes e fiquei muito satisfeita.

Kamila
KamilaPermalinkResponder

Eduardo
Consigo comprar a volta de ônibus com antecedência ou não é necessário?!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kamila! A Serra Verde Express e outras agências vendem o pacote com volta por van. A van sai depois do almoço em Morretes e passa em Antonina antes de subir a Serra.

Se você comprar só a ida de trem, pode voltar de ônibus comprando na Viação Graciosa:

http://www.viacaograciosa.com.br/

Se deixar para comprar na hora, estará sujeita à disponibilidade de assentos.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar