Madri

Entre tapas e museus

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Madri tem pelo menos três grandes museus de arte obrigatórios – o clássico Prado, o eclético (e recheado de Rodins) Thyssen-Bornemizsa, o moderno Reina Sofía (onde está o Guernica).

Um rosário de lugares incontornáveis – as cidades muradas de Toledo, Segóvia e Ávila; o complexo de El Escorial; o palácio de Aranjuez – também clamam por um tempinho na agenda do visitante.

Não desanime. Basta ter tempo suficiente, e Madri é uma delícia para turistar. Entre um lerê e outro você sempre vai passar por algum lugar divertido.

Os madrilenhos devotam mais tempo a beber e petiscar do que qualquer outro povo que você vá encontrar na Europa. Misture-se a eles e você vai ter uma estada repleta de diversão e arte.

Quando ir

Dizem que Madri tem duas estações: o inverno e o inferno.

É um exagero, claro. Mas indica que as temperaturas invernais (entre 2 e 11 graus) são mais baixas do que em Barcelona ou na Andaluzia (certamente porque a capital está numa altitude bem mais elevada). E no verão faz o calor que você espera da Espanha.

Maio, junho, fim de setembro e outubro são bastante agradáveis. Chove pouco o ano inteiro.

O Réveillon tem uma virada razoavelmente animada na Puerta del Sol; de lá, o pessoal dispersa para a balada.

Como chegar

Você pode voar direto a Madri desde São Paulo (TAM, Iberia, Air China), Rio (Iberia) e Salvador (Air Europa). Todas as outras companhias européias levam à cidade com uma conexão.

O pessoal da imigração já não implica mais como antes. De todo modo, tenha todos os seus documentos em ordem (passagem de volta, reservas de hotel, seguro-saúde, extrato atualizado com saldos e limites dos cartões ou 65 euros em espécie por dia).

De trem só vale a pena vir de Barcelona ou da Andaluzia, que têm trilhos rápidos para a capital. De Portugal e outras regiões da Europa, venha de avião.

Onde ficar

Por mais que isso possa acarretar um pouco de barulho, nada combina tanto com Madri quanto se hospedar perto de algum foco de movida. Se eu fosse você, procuraria hotel nas imediações da Plaza Santa Ana, que é uma zona boêmia bacaninha, ou em Chueca, onde rola a muvuca dos modernos.

Ao reservar um “hostal”, tenha em mente que em espanhol isso é o equivalente (melhorado) da nossa “pensão”. São hoteizinhos que normalmente ocupam um andar inteiro; na Gran Vía um mesmo prédio costuma ter vários hostales. Sem banheiro no quarto, fica tão barato quanto albergue.

Para alugar apartamento, procure em Malasaña e Conde Duque, que oferecem vida de bairro mas ficam próximos ao agito.

Daqui pra onde

Bate-voltas de trem: Toledo (meia hora), Segóvia (meia hora), Aranjuez (45 min.), El Escorial (1h15), Ávila (1h30). Córdoba está a 1h45, mas você pode deixar para fazer um pit stop a caminho de Sevilha (guarde a bagagem no guarda-volumes da rodoviária, atrás da estação de trem). Salamanca está a 2h40 e merece uma noite (a caminho de Portugal).

As continuações naturais de viagem são Barcelona (2h40 no direto ou até 3h30 com paradas — dá para interromper a viagem em Zaragoza) e Andaluzia (Córdoba a 1h45, Sevilha 45 min. adiante).

Madri no Viaje na Viagem

115 comentários

Perla Galdeano

Olá Bóia. Qual é a melhor forma de deslocamento, com malas, da estação de trem Puerta de Atocha até o Aeroporto Barajas? Vi em um post mais antigo que a melhor opção seria um ônibus expresso, mas o link indicado no texto não funciona. Procurei informações no site do aeroporto sobre esse ônibus expresso mas não encontrei.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Perla! Com malas o mais cômodo é sempre táxi, em qualquer aeroporto do mundo. Malas não sobem sozinhas em trem e às vezes precisam ser carregadas para dentro do ônibus.

Dito isso, o trem é uma excelente opção entre o aeroporto e Atocha. É da linha cercanías, faz o percurso em 25 minutos.

http://www.aeropuertomadrid-barajas.com/transportes/como-ir-en-tren.htm

Perla Galdeano

Obrigada Bóia. Só mais uma pergunta. Estou pesquisando passagens no site da Renfe, para o início de junho deste ano, para um bate volta até Segóvia, e o preço está 19 euros o trecho. Esse preço está descontado ou devo esperar um pouco mais para comprar e ver se aparecem preços melhores?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Perla! Se você comprar os dois trechos, a volta terá 50% de desconto.

Maria Alice Susemihl

Seguindo sugestão de Denise Mustafa fomos ao Isabela Gourmet Store mas infelizmente ele fechou.

Vitor
VitorPermalinkResponder

Olá Bóia! Chegando em Madrid, iremos direto para Salamanca. Passaremos duas noites por lá. Na volta, gostaríamos de sair pela manhã e passar por Segovia, porém não achei em nenhum lugar, se tem algum guarda volumes na estação de trem para podermos deixar nossas malas. Você pode nos ajudar? Abs e Parabéns, sempre pegamos muitas idéias boas por aqui!

Thalita Querim

Boa noite Ricardo.
Estou programando as minhas férias para 15/Fev a 15/Mar de 2017 e gostaria de saber sobre o clima em Madri nessa época, muito frio ou dá para suportar?
Abs.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thalita! Quem responde é A Bóia. Se não quer passar frio na Europa, viaje entre finzinho de maio e iniciozinho de outubro. O inverno vai até 20 de março e temperaturas abaixo de 10ºC não seriam inusitadas em Madri.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar