0800 segundos

Minha crônica no Guia do Estadão de hoje.

orelhao

Mandei o notebook para o conserto. Escrevo do reserva, que é meio velhinho, vagamente desmemoriado e um bocado lerdo. Não vejo a hora do outro voltar do estaleiro.

Pois anteontem eu estava no Centro quando o celular tocou. Era da assistência técnica. O computador estava pronto, mas faltava um detalhe para fazer valer a garantia estendida. Eu precisava ligar para a loja. Me deram um número de telefone 0800. Perguntei se não tinha nenhum número normal. Não tem não senhor.

Para os que não eram nascidos: o telefone 0800 foi algo inventado com o nítido propósito de beneficiar o consumidor. Ligando para telefones com esse prefixo sabemos que a chamada será paga por quem atende a ligação.

Muitos anos depois do aparecimento do 0800, porém, inventaram um negócio chamado telefone celular. Basicamente, uma máquina de fazer ligações telefônicas caras. Quando os donos de números 0800 se deram conta disso, sabe o que aconteceu? Ouça a gravação:

– Este telefone não recebe ligações de celular.

Simples assim. Só que eu pagaria de bom grado essa ligação. Não precisava ser de graça. Eu só queria poder falar, entende?

Sem número comum para usar, e longe de um telefone fixo que pudessem me emprestar, não me restava alternativa senão ir ao orelhão mais próximo.

Não lembro a última vez que liguei de um orelhão. Provavelmente eu ainda usava cabelos. E não tinha hipermetropia. Naquele tempo, o orelhão era uma comodidade urbana, feito o metrô.

Hoje, não. Hoje o orelhão é um atestado público de pobreza. Numa época em que a telefonia móvel é de acesso universal, quem usa orelhão não é o sujeito que não tem celular. É o sujeito que não tem grana para recarregar o cartão.

Eu pensava nisso enquanto a moça lá da loja me deixava pendurado. O sistema estava lento, e a minha agonia ali embaixo do orelhão se prolongava indefinidamente. Pelas minhas contas, já tinham se passado muito mais do que 0800 segundos, e nada.

Não havia nada para me distrair da exposição pública forçada. Nem mesmo aqueles anúncios que costumam ser colados por garotas da vizinhança. Saiba o prefeito que o meu orelhão estava totalmente em conformidade com a lei Cidade Limpa.

Foi quando eu me dei conta de um detalhe importante. Eu estava com a boca e o nariz muito próximos de um aparelho que tinha estado muito próximo da boca e do nariz de muitas pessoas naquele dia. Quando a moça finalmente voltou a falar comigo, eu quase perguntei:

– Gripe suína tá na garantia?

23 comentários

Pessoal, Estou embarcando essa semana para a Europa. Uma preocupação que estou tendo é do acesso à internet na Europa. Aqui no Brasil eu uso meu smartphone justamente para ter acesso à internet a hora que eu quiser. Como eu poderia fazer isso da melhor forma na Europa? Comprando um SIM CARD? Com os créditos consigo usar a internet (lembro que nos EUA não dava) ou tenho que contratar um plano só de dados?
Abraços

    Você tem que comprar um simcard num plano que ofereça dados, não só voz.

    Você também vai poder usar o seu smartphone na função web em ambientes wi-fi.

Adorei sua crônica! Comigo, há tempos, aconteceu algo pior, eu acho. Acostumada ao celular, eu não sabia usar o orelhão. Passei vergonha ao ter que pedir a um vendedor ambulante para me ensinar. Ele me olhou com uma cara… como quem dissesse: “Coitada! Só deve ter dois neurônios…”

Riq
Adorei a crônica.
Outro dia passei por uma situação parecida e tive que procurar um orelhão. Eu estava perto da minha casa(praça Buenos Aires). Dos três orelhões que encontrei, fora da praça, dois estavam quebrados. Quando encontrei um funcionando, fiquei morrendo de nojo porque ele estava muito sujo. E olha que isso foi no começo do ano e ainda não se falava em gripe suína.

RIQ, tiveste sorte de achar um orelhão funcionando. Aqui em Porto Alegre já nem se acham orelhões, muito menos funcionando…

Mas essa questão que tu vivenciaste, do 0800 impossível de ser chamado de celular é mais uma entre tantas situações kafkianas irritantes que acontecem nas relações de consumo no Brasil.

Já me aconteceu a mesma coisa, só que numa estrada, tentando falar com o seguro, para que viesse buscar meu carro enguiçado…imagina se eu consegui falar…

Você está sendo injusto com os orelhões.

Apesar de todo mundo ter celular, fazer ligações de longa distância costuma ter um preço surreal nos pré-pagos. Universitários geralmente temos os pais em outros estados. Preferir o orelhão ao celular pode garantir o dinheiro do cineminha. E quem anda de ônibus coloca a mão em coisas muito mais nojenta que um telefone público, acredite.

Mas está sendo completamente justo ao reclamar do 0800 das assistência técnica.

Eu que não tenho telefone fixo em casa, só celular já esquentei a cabeça ao tentar entrar em contato com a assistência do meu notebook. Ligava para o 0800 e ouvia a mensagem…

Se com 0300 pode efetuar ligação via celular (pagando mais, naturalmente) deveriam permitir via 0800.

Meu sobrinho então com 5 anos me perguntou: Por que chamam de Disk Pizza?
Ele nunca viu um telefone de disco… só teclas. …

Coincidentemente hoje passou na TV uma reportagem sobre o péssimo estado dos orelhoes Brasil afora.
50% estão defeituosos!!

Eu ja tinha adorado sua declaracao no twitter sobre a “humilhacao publica de passar 20 minutos num orelhao”. O texto esta perfeito! 😉

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.