Decadent

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Estou já faz um tempinho à procura de uma tradução exata para o português da palavra "decadent", e que não é "decadente" (que em inglês normalmente se diz "decaying").

A palavra mais próxima que consigo imaginar é "extravagante" -- mas "extravagante", sozinha, não dá conta de passar todo o significado. Pelo que entendo, "decadent" tem um quê de "degenerado" no meio. Algo "decadent" nunca é caído -- é só "over".

Deparei com a palavrinha outra vez um dia desses, ao ver o guia 2007 de restaurantes da revista New York. (A New York é a inspiração da Vejinha; não confunda com a New Yorker, que é a inspiração da Piauí.)

Além de classificar os restaurantes nova-iorquinos por cozinha e por região, o guia 2007 de restaurantes da New York tem algumas seções divertidas. Uma delas lista os 10 pratos mais "decadent" (extravagantes? degenerados? over?) da cidade. É um festival de foie gras e caviar -- com uma trufinha aqui, uma lagosta ali, um porquinho (já virou extravagância!) acolá.

Como contraponto a tanto esnobismo, o guia também traz os 10 melhores pratos de Nova York por menos de 10 dólares -- e aí o predomínio dos sandubas é absoluto.

Mas o melhor capítulo, pra mim, é que fala das "tendências que já deram o que tinham o que dar".

Entre elas:

- o uso indiscriminado da palavra "auto-sustentável" relacionado a comida;

- mesas coletivas;

- bares que exigem reserva (!);

- gastropubs (pubs ingleses com pretensões gastronômicas);

- restaurantes com cardápios em que todos os pratos principais custam acima de 30 dólares.

(Ei: ninguém precisa ir até Nova York para ver pratos que custam 70 reais. De repente já estava na hora de a gente começar a combater essa tendência por aqui também...)

6 comentários

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Nada a ver com o post... Aproveitando que você meio que está de volta, este verão, assim como o "inverno" passado, vem mais uma vez comprovar a Freire's "teoria meteorológica empírica para o melhor aproveitamento de férias no Sudeste brasileiro", é ou no é? Depois não digam que você não avisou...

Ricardo Freire

Ha ha, Jurema, esse é o assunto do post de amanhã wink

Carla
CarlaPermalinkResponder

Que dificuldade essa tradução para "decadent"... Estou pensando nisso desde ontem (!!!) e nada!!! A impressão que eu tenho é que "decadent" é algo que "passou do ponto" de ser elegante, mas não dá pra esquecer que o potencial para a elegância estava lá e se perdeu... Acho que "extravagante" chega perto porque dá conta do exagero envolvido, mas aí "over" seria mais exato - e a gente continuaria sem tradução!!! Enlouquecedor, isso...

Rosa Maria
Rosa MariaPermalinkResponder

Riq, eleito meu Guru, pelo meu querido marido. Aqui encontro tudo de bom, não viajo sem dar uma passadinha aqui, copio todas as dicas, mas meu marido sempre reclama: "lá vem você com as dicas do seu Guru, que só tem coisas caras". Meu marido é fã de self service, ele sempre reclama que quer dicas de coisas 3b - bom, bonito e barato. Eu sou a favor do preço justo, pode até ser caro, mas tem que ser muito especial. Mas, dicas de bons lugares com preços baixos são muito bem vindas...

Amilton
AmiltonPermalinkResponder

fiquei encafifado e fui procurar a definição no merriam-webster online (www.m-w.com). dizia assim:

decadent:
characterized by or appealing to self-indulgence

(self-indulgence: excessive or unrestrained gratification of one's own appetites, desires, or whims)

ah tá!

Ricardo Freire

Ou seja, Amilton -- é "decadent" de "moralmente decadente", não de decaído...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar