"É normal"

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

chuvaruba 

Se você mora no Sudeste e nos últimos dias (a) encontrou algum vizinho no elevador, (b) pegou um táxi ou (c) freqüentou o canto do cafezinho na firma, você certamente ouviu, ou quem sabe até proferiu, a frase mais usada da temporada: "Mas que tempo louco, hein?".

Não, o tempo não está louco. O chove-chuva-chove-sem-parar desse ano está dando nos nervos, mas não é descabido. O agravante da vez é que este ano São Pedro não está dando nenhuma treguazinha entre uma frente fria e outra pra gente fingir que se bronzeou.

Eu sei que eu já falei disso quinhentas mil vezes. Mas é que desta vez finalmente encontro respaldo num parecer técnico oficial. Entrevistado pelo Uol News, um metereologista do Inmet inicia sua declaração com o título deste post:

- É normal.

Eita, finalmente. Em seguida, perguntado sobre as temperaturas baixas para a época, o metereologista diz o que eu estou cansado de dizer:

- No Sudeste só faz calor quando tem sol.

(Parece, e é, uma obviedade; mas é superdifícil de entrar na cabeça das pessoas -- sobretudo no inverno, quando sempre faz sol, e conseqüentemente sempre faz calor, e mesmo assim todo mundo começa as conversas no elevador, no táxi e no cantinho do café com a frase "Mas que tempo louco, não?".)

Segundo o mesmo meteorologista, o pior das Monções (não, ele não usou essa palavra) ainda vai durar mais 15 dias.

A boa notícia trazida pela autoridade é que, pelo exagero da chuva de dezembro para cá, é bem possível que fevereiro e março sejam secos e ensolarados.

(No meu livrinho, isso significa que quando chove demais no início de verão, o outono começa mais cedo. Ano passado começou dia 10 de janeiro...)

Foto: Eagle Beach, Aruba, dezembro de 2006.

11 comentários

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Ricardo, acerca do assunto " Decadent", é palavra que não encontra tradução adequada ao nosso idioma, ao menos sem que se corra o risco de não traduzí-la eficazmente. Se me permite, aí vão alguns sinônimos que, ainda que possam não conferirem com o que você escreveu sobre o assunto, podem alongar a percepção do que significa o termo:

dec·a·dent

adj.
1. Being in a state of decline or decay.
2. Marked by or providing unrestrained gratification; self-indulgent.
3. often Decadent Of or relating to literary Decadence

n.
1. A person in a condition or process of mental or moral decay.
2. often Decadent A member of the Decadence movement.

[a] marked by excessive self-indulgence and moral decay; "a decadent life of excessive money and no sense of responsibility"; "a group of effete self-professed intellectuals

[n] a person who has fallen into a decadent state (morally or artistically).

Synonyms:

effete

a] marked by excessive self-indulgence and moral decay; "a decadent life of excessive money and no sense of responsibility"; "a group of effete self-professed intellectuals".

Related terms

Similar to indulgent

[a] showing or characterized by or given to indulgence; "indulgent grandparents".

Synonyms
(none)

Related terms
Opposite nonindulgent
Similar to epicurean decadent dissipated hedonic intemperate pampering

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Acho que o melhor termo que encontro para a palavra inglesa "decadent" está numa OUTRA expressão da lingua, que ainda que não traduzida, exprime, no meu entendimento, exatamente o que significa e permite sua compreensão: " old-fashioned "!

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Desculpe, mas não resisto ao " É normal " mandando um " Faz parte "!

Ricardo Freire

Arnaldo, acho que o sentido desse "decadent" que eu ando encontrando por aí é esse segundo da definição aí de cima: "marked by or providing unrestrained gratification". Acho que o parentesco dessa acepção com a etimologia da palavra se dê pela "decadência moral" de alguém que procura prazeres exagerados e sem limites...

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Exatamente a mesma coisa disse, dois dias atrás, a Josélia Pegorin, na Eldorado: 'Gente, não dá para se surpreender com essa chuva...'. Eu, particularmente, evito pegar praia no litoral paulista nesta época (sem falar na superlotação das praias...)

Carla
CarlaPermalinkResponder

Humm... Dessa vez eu concordo discordando... É verdade que o verão aqui é super chuvoso mesmo, e que o povo sofre de amnésia coletiva, porque todo verão é a mesma ladainha de reclamar da chuva... Mas a "loucura" deste verão agora é que está chovendo tanto que a temperatura efetivamente baixou aqui no Rio!!!! Normalmente a chuva aumenta a velha sensação de "bafo", mas dessa vez conseguimos até passar o réveillon sem suar em bicas...wink

Ricardo Freire

OK... corrigindo: em São Paulo, capital, só faz calor quando tem sol (temos bafão, também, mas só quando as nuvens carregadas escondem o sol que está só esperando cair o temporal para voltar)

Bia
BiaPermalinkResponder

Nem me fale nisso....Tive que tirar 10 dias de férias e não fez sol UM DIA!!!!!!! Não aguento mais acordar e todo dia aquele tempo nublado e depois chuva, chuva e chuva....Ainda bem que não gastei dinheiro pra viajar por aqui...

Ubatuba « Viaje na Viagem

[...] muito nessa época — e não só em “Ubachuva”, mas na Rio-Santos inteira. Mas, a se acreditar no técnico do Inmet que eu citei aqui outro dia, o excesso de chuvas em janeiro pode levar a um fevereiro mais seco e [...]

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Oi Ricardo,
O que você acha de Arraial D'Ajuda e Espelho início de maio? É furada? Li em algum lugar que lá não tem época certa de chuvas...
Obrigda !

Ricardo Freire

Não tem mesmo não, Marcia. Finzinho de outubro/começo de novembro costuma ser chuvoso na certa, mas fora isso, reze pra São Pedro...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar