Enquete da semana: perrengues

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

terr5001.jpg

Tripulação,

Adorei e anotei as sugestões que vocês deram para futuras enquetes da semana. Mas queria variar um pouquinho do assunto "destinos".

O que eu queria saber essa semana de vocês:

Qual foi o maior aperto que você passou na imigração ou na alfândega?

Eu já passei vários, mas o pior foi em 88, quando eu e meu amigo Nick desembarcamos à meia-noite em Malta, vindos da Sicília, sem visto -- que, não sabíamos, era necessário, naquela época. (Meu agente ainda não era o Rubens; até hoje quero matar aquela mulher.)

Para complicar as coisas, parece que na semana anterior tinham preso um traficante brasileiro por lá. (E se você olhar bem para a minha foto naquele passaporte, vai ver que eu não era de todo insuspeito.) Resultado: tivemos nossas malas revistadas item por item até alta madrugada. Precisei explicar as anotações do meu diário de viagem (!) e tive o solado do meu par de sapatos favorito destruído pelo fiscal.

Hoje eu sei que eles até que foram bem legais, porque deixaram a gente entrar no país -- apenas confiscaram temporariamente os passaportes e exigiram nossa presença numa repartição no dia seguinte para emitir os vistos.  Mas na hora eu fiquei prostituído da fisionomia, achando um absurdo que um paiseco como Malta exigisse visto de um paisão como o Brasil. (Viu só? E eu nem sou americano....) Tivemos sorte -- pelo certo, era o caso de passar a noite na polícia e pegar o primeiro vôo disponível para o nosso destino seguinte (no caso, Paris, já a caminho de volta para o Brasil).

E você? Em que lugar do mundo foi destratado (ou bem-tratado demais)? Conta pra gente, vai...

63 comentários

Ricardo Freire

É comprida... tô terminando uma matéria. Mais adiante eu conto, tá anotado. (Se eu esquecer, me cobra...)

Jorge Bernardes

Fui ao Japão para ver a final da Copa de 2002. Cheguei um dia antes da final. Morava em NY na época. O oficial da alfândega (o da imigração não falou nada comigo, nada!) encasquetou com meu passaporte português, ele não parava de virar todas as páginas (precisei usá-lo pois eu não conseguiria um visto japonês no meu passaporte brasileiro a 2 dias do final da Copa). Ele insisita "USA, USA" e eu não entendia o que ele queria dizer com isso, eu só dizia que não era americano. No final de uns 5 minutos de tentativa de comunicação, eu entendi: eu havia colocado no formulário da alfândega que meu país de embarque tinha sido os EUA, então ele queria saber o motivo de meu passaporte não ter nenhum carimbo americano. Ele queria ver um green card! Ele poderia trabalhar na imigração dos EUA! Olha a reciprocidade dos caras.... Eles se protegem. Na realidade eu tinha um visto de residência nos EUA no meu passaporte brasileiro e quando eu mostrei e ele e ele viu que eu era brasileiro e que desta forma eu era um feliz torcedor da final da COPA e ainda um "imigrante documentado", ele ficou eufórico!!!! Apertou minha mão, curvou-se em reverência umas 5 vezes (que vergonha, mas é da cultura deles) e me desejou boa sorte no jogo mais umas 5 vezes. Adorei a minha chegada ao Japão, os japoneses, o super jogo da final. Foram 48 horas muito intensas. Valeu cada instante.

Marília Marconi

No início de janeiro de 2006 (precisamente dia 1º), eu e meu pai, um jovem senhor já entrando na terceira idade, fomos passar uma semana entre Montevidéu e Buenos Aires. O vôo era Rio-PoA-Montevidéu, e no aeroporto de Porto Alegre a funcionária da alfândega olhou para a identidade do meu pai e só fez um comentário (sarcástico): o Sr. vai sair do Brasil para voltar no mesmo dia? É que o documento dele foi tirado quando ele tinha uns 20 anos, e muuuuito cabelo!!!! (deu para imaginar o estado da pobre carteira de identidade??)
Pois bem, pânico total, "como vamos fazer se me barrarem? Não posso deixar minha filha sozinha", etc, etc. Entramos no Uruguai (pelo aeroporto de Punta)sem nenhum problema, e de Montevidéu para Buenos Aires também ninguém implicou.
Eis que resolvemos pegar o Buquebus para passar o dia do meu aniversário em Colônia. Tanto na ida quanto na volta são dois agentes, um da Argentina, outro do Uruguai. Na ida, o da Argentina nem tchum, mas o do Uruguai... cismou que a identidade era muito velha (e era - ou melhor, ainda é!!!), ficou perguntando por que meu pai não tinha passaporte, por que eu estava com ele (atenção: na minha identidade tem o nome dele!! E, ei, eu tava fazendo 26 anos!!!). Só sei que foi um rolo danado, o cara só liberou a gente faltando 5 minutos para o embarque, e mesmo assim muito a contragosto!!! Olhou para a minha identidade e falou: é seu aniversário?? Eu só balancei a cabeça, e ele respondeu: então Feliz Aniversário, podem ir!!!
Na volta, o cara do Uruguai foi bastante mais simpático, apenas comentou com meu pai, em tom irônico, que a foto parecia do filho dele...
Ou seja, de aeroporto, ninguém repara. Naquele barquinho resolvem nos barrar?? Vê se pode??

P.S.: Já que é minha primeira manifestação por aqui - embora seja a duocentésima-milésima visita - me dou ao direito de uma bajulada: Riq, seu blog é demais!!!!

David
DavidPermalinkResponder

Em 1984 eu ia da Grécia para Brindisi na Itália de ferry-boat quando fui abordado por um funcionário e afastado da fila que embarcava.
Mandaram que eu preenchesse um formulário onde eu deveria por quanto levava de dinheiro e em que moedas, o que fiz corretamente (minha sorte).
Depois disto o tal funcionário, me levou para uma salinha onde mandou que eu mostrasse o dinheiro pra ele. Expliquei que o dinheiro estava por debaixo da roupa, naquelas bolsinhas que a gente leva. O carinha não se fez de rogado e mandou que eu tirasse a roupa. Tirei. Ele pegou o dinheiro e começou a contar nota por nota, e isso tudo sem estabelecer qualquer diálogo. Depois de contar tudo abriu minha carteira e remexeu tudo. Um detalhe é que eu estava sozinho com ele na sala e ele poderia fazer o que bem entendesse como plantar droga, sumir com parte do dinheiro. Terminada a conferência ele finalmente dignou-se a falar algo comigo num inglês muito ruim. Foi uma cena digna de "midnight express", mas apesar de tudo voltei à Grécia algumas vezes, pois o país vale a pena.

Arnaldo FATOS & FOTOS de Viagens

Coisa típica de grego, talvez o povo mais mal educado e despreparado para receber turistas que já conheci. O que já passei de grosseria e presenciei de grosserias com turistas na Grécia é de esatrrecer, se eu contar.

Veronica Doetzer

Minha experiencia e meio tragicomica. Meu pai e alemao e gracas a meu passaporte alemao nunca tive problema em lugar nenhum da Europa... bem... exceto na ALEMANHA. Quando estava fazendo o check out de Berlim de volta para Belfast (onde moro) a moca da companhia aerea desconfiou que meu passaporte era falso, pois pedi que ela falasse ingles comigo. Ela disse: "e muito SUSPEITO que voce nao fale alemao". Achei que eu nao tinha entendido direito e pedi para ela repetir. Quando eu vi que era aquilo mesmo mandei ela chamar o oficial para checar a legitimidade dos meus documentos. Ela entao baixou a cabeca, fez o check out e nao falou mais nada.

joao paulo
joao pauloPermalinkResponder

e ai blz eu to aqui ra te pedir umas dicas,e q no meio do ano eu to pensando em ir pra londres a viajem e pra descansar a cabeca mas eu tenho 18 anos e to com medo de me barrarem meu pai me deu as passagems estou pretendendo ficar por la umas 3 semanas o q eu devo faser pra nao me barrarem??
ha e eu ainda to no segundo ano do ensino medio..
abracos
to aguardando sua resposta

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Joao, complicado isso...
Não tem uma receita mas algumas coisas ajudam:
1- Passagem de ida e volta na mão -confirmada
2- Hospedagem reservada , de preferencia paga e docs que confirmem
3-Dinheiro , euro ou dolar ou libras suficientes para vc se sustentar
4- Cartão de credito, de debito, travel money
5- E , o mais importante em qualquer imigração: aparencia
Aparencia significa : malas ,roupas, cabelo, sapatos ( esqueça o tenis??)
unhas... tudo! Vc tem que " ter cara" de estar de bem com a vida,e
super a vontade com esta aparencia.
Coloque a sua melhor roupa e embarque.

Raphinadas
RaphinadasPermalinkResponder

Concordo com a Sylvia, e se você falar inglês vai ajudar também.
Mas não fique muito preocupado, cumpra o protocolo e pronto. Suas férias é que importam. smile
abraços.

Istambul é um bom lugar pra passar vergonha « O meu lugar

[...] no final da tarde em Atenas e levado uma noite e um dia pra chegar na fronteira. Já contei esta passagem em uma caixa de comentários no Viaje na Viagem, com alguns erros já corrigidos [...]

fabio oliveira

ESTOU INDO P DUBLIN NA IRLANDA EM UM MÊS SOMENTE A PASSAEIO MESMO !! GOSTARIA DE SABER COMO E A IMIGRAÇÃO IRLANDESA DE DUBLIN, POIS NA INGLATERRA, ESPANHA E EUA SAO TERRIVEIS SE POSSIVEL ME RESPONDA ESSA INFORMAÇÃO UM ABRAÇO

SANDRA REIZ
SANDRA REIZPermalinkResponder

BOM DIA PESSOAL!!! VCS PODEM ME DAR UMAS DICAS ? ESTOU INDO A MIAMI E GOSTARIA DE SABER EXATAMENTE O QUE ELES PERGUNTAM NA ALFANDEGA ! PRECISO TREINAR MEU INGLES, SEM PASSAR CARÃO! BJS

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Oi amigos!
Gostaria de saber dicas e relatos sobre a fronteira do canada.
Mais especificamente de niagara falls para buffalo NY.

Qual o meio de transporte mais aconselhado para a travessia?
Detalhe estarei indo só.

aguardo respostas

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar