Só no Brasil: picolé quente de queijo

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

queijinho450.jpg

Sempre considerei o espetinho de queijo de coalho uma das maneiras mais deliciosas de fazer o organismo adquirir anticorpos de boa cepa.

Mas daí vi um domingo desses no Fantástico que, caso o queijo seja bem assadinho, trata-se de um lanche de praia absolutamente inofensivo.

Queijinho! Ô, QUEIJINHÔÔÔÔ! Aqui! Ó só: tem troco pa 10?

queijinho451.jpg

Fotos: Segunda Praia, Morro de São Paulo, 2005

23 comentários

Carla
CarlaPermalinkResponder

Humm... Que delícia!!! Ah, um queijinho de coalho bem quentinho com mel, como é bom...

Ricardo, me dá uma ajuda, please... Queria reler aquele início da Expedição Pé-na-areia, a parte de São Luís até Fortaleza - você sabe as datas pra eu buscar lá no outro blog?

Marco Antonio
Marco AntonioPermalinkResponder

Ricardo, que tal um "post" sobre "gastronomia praiana", das delícias às bizarrices?

Ricardo Freire

Carla, a expedição começou em setembro de 2005. O arquivo deste mês tá no endereço
http://viajenaviagem2.zip.net/arch2005-09-01_2005-09-30.html

Marco Antonio, boa idéia -- tá anotado!

Sabrina - PR
Sabrina - PRPermalinkResponder

Hein Riq, acabei de voltar de Nova York. Vc me disse pra eu me praparar para o frio! Mas foi o inverno mais quente dos últimos 100 anos!!!! Fez 20 graus em um sábado!!! Nem vi a cor de neve!!!!! Mas foi fantástico. Ano que vem quero ir para a Espanha!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Valeu pelo link, Riq! Eu estava procurando, mas estava perdida, perdida... Estou querendo me inspirar! Ainda nem viajei em fevereiro, mas já estou pensando nas férias de julho... Estou considerando ir ao Ceará, talvez esticando até o Maranhão, dependendo de quanto tempo vou ter pra viajar. Não conheço nada por aquelas bandas...

Ricardo Freire

É a melhor época, Carla. Vai pra Jeri, entra num 4x4 até os Lençóis (não deixa de ir a Santo Amaro), então faz um gran finale com bumba-meu-boi em São Luís

Carla
CarlaPermalinkResponder

E você acha que uns 12 a 15 dias são suficientes ou fica espremido?

Ricardo Freire

Quinze dias, na boooooa.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Só passei pra dizer novamente que este novo blog está muito bom, com maior interação e links interessantes (gostei muito do blog de gastronomia e logo lembrei do acidente fatal com um táxi arremessado nas pedras no Santos Dumont ao ver o vídeo dos aviões em St Martin). Já que estou aqui lembro que sempre defendi a reciprocidade, mas você me convenceu desta vez, do jeito que fazem (sem "tortura" nos consulados e outras coisas que eles fazem consco) é muita burrice mesmo, é melhor voltar a ser como antes que pelomenos entra mais dinheiro. No mais vou viajar para NY esta semana, que bom que o inverno chegou lá mesmo sem muita neve, pois adoro o frio, é muito melhor do que isto que temos aqui no Rio de Janeiro este ano que ninguém teve a coragem de chamar de verão até agora mas inverno não é... Aliás, um bom tópico seria: porque o sudeste tem VERÃO só em alguns anos, sei que é cedo e ainda pode mudar mas este ano acho que será mesmo "sem verão" pros lados de cá.

Dayanna
DayannaPermalinkResponder

Eu adoooooooooooooooro esse queijinho!!
E sabe o que mais Riq? o que não mata engorda! rsrsrs
Até hj esse queijinho não me matou não... Quer saber o que me matou lá em Morro de São Paulo quando fui?? Um prato caríssimo com uma lagosta enorme! No outro dia da-lhe farmácia atrás de um estomazil! rsrss
Agora o queijinho nunca me deu nada...

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Sabrina algo sobre Espanha...
Espanha es del tamaño de Bahia y está llena de contrastes, a veces, extremos. Depende de donde se vaya puedes encontrar playas desiertas o muy pobladas; zonas áridas, como en Almería(muy bonito Cabo de Gata), o zonas muy verdes y montañosas, donde los bosques llegan hasta el mar, como en Asturias.
Las ciudades son muy diferentes entre sí: las hay antiguas con zonas medievales, como Toledo, Barcelona, Ávila etc. Otras están tamizadas con imprenta árabe, por ejemplo, Granada, Sevilla, Córdoba. Algunas se presentan regias como Salamanca, Valladolid, Madrid... y algunas pocas todavía muestran construcciones romanas muy bien conservadas como en Tarragona, Mérida y Segovia.
Hay playas abiertas al mar en Càdiz y Huelva, y calas -playas muy pequeñas y cerradas- en la Costa Brava y en todo el Catábrico.
Es mejor no venir a Espanha en Julio o Agosto. Entonces, es imposible disfrutar de las ciudades o de las playas bien sea por el calor, bien por la extrema afluencia de turistas...

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Donde pone Catábrico, quise poner Cantábrico. Es una errata...y un mar.

Dayanna
DayannaPermalinkResponder

Riq, falando em MOrro de São Paulo.. por acaso vc viu por lá o JEGUESKY?? o famoso taxi que nos leva da 2ª praia p/ a outras?
Achei ilário!!!!!!
Bom, se vc não chegou a ver tenho uma foto muito boa desse meio de transporte inventando por lá...
se quiser que te mando é so dar um toque! wink

Carlos A.Vida
Carlos A.VidaPermalinkResponder

At. Freire

Seguindo o roteiro indicado por você no outro blog, estivemos na Paraiba por 15 dias, incluindo Natal e Ano Novo, ficamos hospedados no Hardmann em João Pessoa, um Hotel simples mas muito legal e com um carro alugado visitamos o litoral norte até a divisa com R.G.Norte e ao sul até a divisa com Pernambuco, adoramos todas as praias, inclusive as urbanas e o modo de vida muito civilizado de João Pessoa (as sopas e a educação no trânsito). O hilário desta viagem foi o roubo da balsa em que foi preparado o show pirotécnico da passagem de ano, que deixou todo mundo na praia de Cabo Branco de boca aberta esperando os fogos que acabaram não acontecendo (parece que foi um atentado político). Foi publicado na Folha de S.Paulo. Mas, realmente, uma viagem à Paraiba é altamente recomendável para quem quer escapar da muvuca do Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.
Um grande Abraço...
Carlos

Flavia
FlaviaPermalinkResponder

Nossa, roubo da balsa foi uma das coisas mais engraçadas que eu vi...
Eu tenho uma história ótima para contar sobre o queijo coalho: há uns 5, 6 anos atrás, fui passar um reveillon em Trancoso, e depois da meia noite fui para uma dessas festas que rolam a noite inteira na beira da praia. Eram umas 5 da manhã mais ou menos e fui até a praia dar uma descansada, e vi o que para mim (àquela hora da manhã, durante uma festa de reveillon) eram pessoas fazendo malabarismo com fogo. E eu pensei: uau, que máximo essa festa, os caras estão caprichando...aí os malabaristas foram chegando, foram chegando...e era o tiozinho do queijo colaho...me senti a maior pastel da história...Mas eu nunca passei mal comendo um desses (nem meu filho, que tb adora e come desde pequenininho)...

Lena
LenaPermalinkResponder

Bom DEMAIS!! E o melhor é que chegaram às praias do Sudeste!! Agora só faltam os burrinhos com cestões de abacaxi!!

amilton
amiltonPermalinkResponder

aqui em brasília tem um "casadinho" de queijo de coalho com kafta, envolvidos num pão sírio fininho e crocante. mas só na barraca da dona libanesa, na entrada da 112 sul. imperdível.

Nuno
NunoPermalinkResponder

Que saudades do keijinho quente da praia mole ou na joala em floripa!!! Bons tempos!

Rosa
RosaPermalinkResponder

Amilton, Brasília tem muita barraquinha de quadra com lanches deliciosos, essa que você falou eu não conheço, mas irei conferir em breve. Funciona todos os dias? A partir de que horas?

amilton
amiltonPermalinkResponder

Rosa, eu não sei te dizer o horário de funcionamento, mas sempre fui lá à noite. Vá conferir, vale a pena.

Por favor, passe a dica das outras barraquinhas deliciosas de Brasília q vc conhecer! smile

Rosa Maria
Rosa MariaPermalinkResponder

Amilton,
Na 410 norte tem uma barraca de caldos muito boa. O macarrão na 205 norte é saboroso, mas acho a porção muito pequena, poderia ser mais farta. Espetinhos e cachorro quente na chapa tem praticamente em todas as esquinas, eu gosto muito do cachorro quente da barraca na rua da Igrejinha, 307/308 sul. E as barraquinhas em cada porta de faculdade, tem de um pouco de muita coisa. Acaba sendo uma opção de lanche rápida e mais em conta. Ric, obrigada pelo espaço que estamos ocupando, trocando algumas boas idéias. Muito legal...

Ricardo Freire

Ha ha, barraca de macarrão? Como assim? Aqui em São Paulo só tem de yakisoba!

Rosa Maria
Rosa MariaPermalinkResponder

Tipo spoleto, é bem descontraído, na esquina da quadra residencial, tem até mesas e cadeiras, são de plástico, mas tem.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar