SP: 120 minutos no Sambódromo

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

sampasamba452.jpg

Consegui credenciais de imprensa (em nome do blog, vejam vocês) para cobrir o Carnaval em São Paulo. Infelizmente, estou com o trabalho muito atrasado (crise brabíssima de produtividade), e não pude fazer a cobertura que eu tinha planejado, completa e ao vivo, aqui no blog.

Mas dei um jeito de dar uma passadinha no Anhembi. Escolhi a escola popular que passaria no horário mais cedo: a Vai-Vai, que estava prevista para desfilar lá pelas 11 e meia no sábado.

sampasamba451.jpg

A Vai-Vai estava linda, com carros impressionantes, fantasias criativas e bem-feitas. O uso ostensivo de material reciclado deixava tudo ainda mais bacana. A escola passou animadona e empolgando o público. Ficou em terceiro.

sampasamba455.jpg

Já a escola seguinte, a Unidos do Peruche, estava muito fraquinha, com carros cafonas e fantasias complicadas. O júri também deve ter achado -- a escola acabou rebaixada.

Pois bem. Eu pensava que só quem se divertia no desfile de São Paulo eram os componentes das escolas, que vivem o dia-a-dia das quadras e têm motivos para não abandonar a cidade no Carnaval.

sampasamba454.jpg

Mas no final sabe o que eu achei? Que o desfile é um programaço para quem resolve ficar em São Paulo no feriado. A comparação correta a se fazer não é "Rio versus São Paulo". É "ao vivo versus TV". Ver o desfile paulistano ao vivo é mais emocionante do que qualquer transmissão na telinha.

           sampasamba351.jpg

(E pelo amor de Baco, quando vão desistir de fazer essas materinhas tolas sobre a falta de celebridades de primeiro time nos camarotes? Fazer matérias sobre a falta de celebridades nos camarotes é ainda mais fútil do que fazer matérias sobre celebridades nos camarotes...)

sampsamba459.jpg

De todo modo, acho que São Paulo erra ao tentar reproduzir ipsis-literis tudo o que o Rio inventou. São Paulo precisava fazer com o desfile de escolas de samba o que fez com o botequim carioca -- que foi reinventado em Sampa e, pasmem, acabou reexportado para o Rio.

Já que o desfile em São Paulo nunca será tão autêntico nem tão grandioso quanto o do Rio, por que não tentar aperfeiçoar os pontos fracos do desfile carioca?

Um deles já foi atacado com competência esse ano, com a venda de ingressos pela Internet.

sampasamba460.jpg

Eu consigo pensar em dois  outros pontos em que São Paulo podia inovar e começar a criar sua própria cara.

Um é a maldita iluminação. A luz em São Paulo consegue ser mais fluorescente ainda do que no Rio. Por que não estudar uma iluminação de mega-show para o desfile paulistano? (Além dos mega-shows, dá para se inspirar também em Parintins.)

O outro ponto é a originalidade. Depois desses anos todos de Paulo Barros, deu para ver que, à luz do regulamento carioca, a inovação nunca mais será premiada. E não sendo premiada, não será incentivada. Pois São Paulo podia criar um quesito extra: originalidade. Ainda há muito o que se fazer em termos de coreografia e movimentação de carros alegóricos (de novo, basta dar uma chegadinha em Parintins para ver o que eles fazem há anos). Quem sabe o próximo Paulo Barros não aparece em São Paulo?

sampasamba457.jpg

No mais, se qualquer hora dessas você quiser passar o carnaval numa cidade tranqüila, sem trânsito, com hotéis em conta, restaurantes ótimos e onde dá até para ter um gostinho de Carnaval, venha pular ou assistir em São Paulo smile

12 comentários

cleciok
cleciokPermalinkResponder

Eu sempre achei que Carnaval deveria ser em formato de arena, como são as apresentações das Olimpíadas, por exemplo. Acho que seria menos entediante e incentivaria a criatividade nas evoluções... Carnaval bem que podia ter ombudsman para a gente sugerir inovações ou reclamar... taí mais uma inovação! Abraços!

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Ahhh Parintins, Riq ! Que coisa linda hein ? Tb acho que os carros de Parintins que se movimentam, tem iluminaçao especial, sao liiiindissimos, e dao de mil a zero em qualquer carnaval carioca. Mas vou te dizer, o problema que ja ocorre em Parintins é que virou moda, e ja tao com essa de camorote de celebridades e afins. Os preços estao la em cima, e o povo mesmo tem que ralar mais pra conseguir ingressos mais acessiveis. Além de todos os pacotes Parintins cobrarem preços absurdos. Preço da fama.

Cássia
CássiaPermalinkResponder

Ah, Riq, tu devia era vir pro carnaval de Porto Alegre... wink

Leandro
LeandroPermalinkResponder

São Paulo deve ser um ótimo lugar mesmo para passar o carnaval, sobre o carnaval carioca deste ano só tenho a dizer que Grande Rio não merecia o segundo lugar, como sempre a escola surpreendeu pela boa colocação enquanto outras que foram melhores amargaram resultados ruins, até quando irão se calar sobre os "presentinhos" que as agremiações dão aos jurados antes do desfile... A Beija Flor tem abocanhado título atrás de título mas aí fica difícil contestar, ela faz por merecer.

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Talvez esse desfile seja até mais espontâneo que o do Rio, sem os famosetes de sempre.

Paula Brito
Paula BritoPermalinkResponder

Riq, quais são as sugestões de hotéis com bons preços em Sampa? Quero programar uns dias na cidade ou antes ou após BsAs... Obrigada.

Marcio Ito
Marcio ItoPermalinkResponder

Ah, então é isso?! É a iluminação que parece deixar as escolas de samba de SP, um tanto "apagadas"?

Eu não sei, mas na minha opinião, o desfile de SP me parece meio disperso. Não dá uma impressão de que existem buracos entre as alas? Sei lá, até parece que o sambodromo é grande demais.

Ao menos na TV, me parece que o sambodromo do RJ, contribui muito mais p/ o desfile, fazendo-o parecer como um show que acontece num grande palco ao ar livre.

Ricardo Freire

Marcio Ito, como eu disse, as comparações transmissão x transmissão e ao vivo x ao vivo são ingratas para São Paulo. O que me surpreendeu é que ver ao vivo em São Paulo é uma experiência mais bacana do que ver a transmissão pela TV do Rio.

Paula Brito, cheque os preços do Tryp Paulista, do Mercure da Augusta, do NH e do Pergamon. Se nenhum desses estiver na faixa de R$ 120, o Ibis da Paulista certamente vai estar. Para ficar numa região em que você vai gostar de passear a pé, vale a pena pagar um pouquinho a mais no Tryp Higienópolis.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Paula, estive em Sampa no ano passado e fiquei no Pestana. O preço é um pouco acima do que você pretende mas a localização é ótima, pois fica perto do metrô, do Masp, do Teatro Abril (caso queira assistir o Fantasma da Ópera), e com uma corrida rápica de carro você está na Oscar Freire e no Iguatemi.

Além disso o café da manhã é bem razoável, o quarto amplo e moderno e os funcionários bem atenciosos.

Caio
CaioPermalinkResponder

PAULA, além das indicações do Riq considere também o Blue Tree Paulista (atrás do MASP), eles tem uma tal de tarifa solidária, há um bom desconto doando um livro usado ou 1Kg de alimento não perecível.
O antigão Maksoud também está com uma tarifa chamada Simplex Baixo custo por 145 reais, sem café.
Nos Mercure Apartments (antigos Pathernon) há a chamada tarifa cultural, apresentando qq ingresso de cinema ou teatro vc paga 99 ou 109, dependendo do hotel. Na região da Paulista há 3, veja no www.accorhotels.com.br

Paula Brito
Paula BritoPermalinkResponder

Obrigada pelas indicações, gente! Vou checar todas. Parabéns Riq pelo blog. Abraços.

henrique
henriquePermalinkResponder

linda a roupa amarela

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar