Dá licença?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Como vocês perceberam, não deu pra aparecer aqui ontem. E estou vendo que vai ser difícil arranjar uma brecha para produzir alguma coisa para hoje.

Vocês me dão uma licencinha rápida?

Domingo (na coluna lá do Viaje Aqui) eu conto a história dos bastidores do Easycruise; e semana que vem volto a transmitir normalmente.

Enquanto isso, fiquem à vontade para viajar nos arquivos (aqui vai uma dica: o jeito mais fácil é clicar no menu de categorias). E para dar dicas de sites que vocês recomendam para que os tripulantes não percam completamente a viagem...

84 comentários

Daniela Siqueira

Desculpaê, se pareceu um motim. Eu quis foi deixar registrado que os leitores fiéis de V&T (e eu fui assinante até agora) não necessariamente aprovam as mudanças (especialmente a união com a Quatro Rodas). É óbvio que a revista tem que se dirigir a um público amplo. Eu *gosto* de propagandas - é assim que a revista vive e assim que eu acho promoções e destinos que me interessam. E eu AINDA ACHO que a V&T é a melhor revista de turismo brasileira - profissional, conscienciosa, independente. Mas podia ser melhor. Não ache ela que cortando custos (a união com a 4Rodas só pode ter essa idéia) sem compensar com qualidade vai manter os leitores fiéis. É lógico que as revistas repetem os mesmos destinos (todas fazem isso). E vão haver coincidências quando um destino estiver "na moda" (o Mall of America deixa dúvidas, mas vá lá). Mas é sempre possível outras abordagens sobre a mesma coisa. Não estou reclamando do popular: outro dia achei super legal uma reportagem comparativa que fizeram na V&T sobre pacotes para Porto Seguro (o que pode ser mais popular que isso?). Mas mandaram pessoas (e não repórteres genéricos americanos) que voltaram com impressões pessoais a respeito do mais batido dos temas - e ficou ótimo. Só quero deixar registrado que eu me preocupo quando a minha revista preferida passou a me deixar triste...
E acho que estão certos o que apontaram o que o Rodrigo resumiu: maturidade turística (e eu nunca pensei que isso teria um custo: deixar as minhas queridas revistas V&T menos interessantes ;-( )

Carla
CarlaPermalinkResponder

Fabio, pois veja só como realmente é difícil agradar a todos... Eu também me lembro bem dessa matéria que você citou, sobre o Caminho de Santiago, mas pelo motivo inverso... Pode soar como heresia, mas eu, que nunca tive interesse místico no Caminho de Santiago, e a quem nunca tinha ocorrido, nem nos momentos mais delirantes, passar minhas férias percorrendo 800 km a pé, adorei a idéia de conhecer aquela região de carro... wink

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Penso como a Carla. Nenhum interesse místico (ZEro MESMO!), todavia, grande curiosidade geográfica, histórica e turística. Faria, sem qualquer constrangimento, o roteiro de carro ou de moto. Já pensei no assunto, já vi até viagens a cavalo pelo roteiro, alternativas extremamente interessantes para quem não é místico. Assim, a reportagem me agradou, chamou minha atençaõ. Felizmente eu comreendo que o mundo e as pessoas são extremamente heterogêneas e, por certo, muitas coisas não me atrairão ou agradarão na revista, mas sim à maioria. É como dizer aqui que acho Veneza um dos piores destinos (e a Itália idem!) na Europa e ter a certeza de que a esmagadora maioria acha Veneza (aquela decrepta) o top dos destinos turísticos do planeta com a consciência de que serei "massacrado" por discordar da imensa maioria que tem na cabeça o cirtuito Elizabeth Arden (Roma, Paris, Londres e Nova York) com os destinos mais fabulosos. entretanto, eu RESPEITO (por compreender que as pessoas são profundamente heterogêneas nos seus gostos, especialmente os turísticos) e jamais critico uma revista por mostrar uma alternativa ao tão comum "Caminhos de São Tiago a pé no estilo Paulo Coelho". A única coisa que acho que falta na Viagens e Turismo é apresentar MAIS destinos, lugares menos abordados na revista, mantendo o seu foco na MAIORIA, agradando uma minoria.

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

E 3 vivas à V&T que nos possibilita termos o Riq e seu fabuloso VNV à nossa disposição!

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Apesar de tudo o que eu disse, o que mais me incomoda na VT é o especial "melhor do Brasil", por mais que eu entenda o motivo, não me conformo quando vejo "Praias do Francês" e "Blue Trees Natal" entre os 10 mais, é um insulto a tantos hotéis e praias do Brasil que são infinitamente melhores.

Ricardo Freire

Oi pessoal, passei aqui só pra dizer que tô vivo e que o post do NY Times fica pra amanhã (porque tem chamada na home do Viaje Aqui pro post da semana passada).

Aproveito para comentar três coisinhas --

1) Vi a edição deste mês da V&T e, come on, a matéria de Buenos Aires tá sensacional. Serviço completo tanto para o CVC de primeira viagem quanto pra qualquer um de nós. O último mapão completo que tinha saído na revista tinha sido em 2003. Buenos Aires justifica. E o roteiro de carro na Turquia, com passo a passo, quilometragem diária, caramba, eu nunca tinha visto em publicação nenhuma. (E, ao contrário dos roteiros rodoviários que saem em outras revistas, não é merchandising de nenhuma operadora fly-and-drive.) A matéria do cachorrinho da Rachel tá bááááárbara. Eu só aumentaria o espaço pra Mendoza. (Eu acho que Mendoza é "o" destino chique-acessível do momento; tô louco pra ir.)

2) Ainda o saudosismo. Tirando o tamanho (inclusive físico, da revista, que tinha um formato maior) e uma presença mais freqüente de destinos fora-do-circuito, eu, como leitor, não tenho saudade da V&T antiga, não. Nos lugares exóticos era fácil disfarçar, mas a cobertura dos lugares quentes e conhecidos era muito j-e-c-a... (Pronto, falei.)

3) Leandro, eu também detesto o "Melhor do Brasil" -- que não reflete a opinião da revista, e sim a votação do leitor. Mas até onde eu sei, é um dos pilares comerciais da revista. Acho uma perda de tempo perguntar essas coisas para o leitor -- poderia valer como pesquisa de opinião, mas não como prêmio. Enfim, se isso te consola, saiba que o resultado dos prêmios de leitores das revistas americanas é sempre tão decepcionante quanto. (Quando vi o resultado do primeiro prêmio da Traveler americana, na encarnação passada, eu mandei uma carta dizendo "O resultado do prêmio mostra que seus leitores não lêem esta revista", ha ha.)

sylvia
sylviaPermalinkResponder

Arnaldo, vai ai uma sugestão de alguem que tem a mesma idade
que vc, é obsessiva e detalhista como vc,e viajante-aventureira
de longa data como vc.
Por razões diversas , e que não vem ao caso detalhar, apreendi
que devemos voltar a lugares que são "adorados" pela imensa
maioria e que não gostamos ou detestamos ou achamos assim-assim...
Eu já fiz esta experiencia muitas vezes; Paris por exemplo é uma cidade que apreendi a amar só na quinta vez, num espaço de 15 anos!
Eu precisei amadurecer para entender e entender para adorar

Para quem não gosta de bagunça ( só para não exagerar e usar
o termo " chaos") a Italia é uma tragédia.
Mas acredite, se alguem só puder ir a um lugar uma vez na vida
este lugar é uma cidade na Italia - para mim, Florença.

Eu sempre detestei BAs, e estou indo para gostar( amém).

Tentar de novo e aprender a olhar de outra forma é uma conquista pessoal.
Muitas vezes na tua viagem à Asia vais ter que refazer tuas
posições mentais ( logo que saires de Cingapura) , senão
vais perder o melhor da festa.

Veja bem, não estou te massacrando , ao contrario estou te
propondo tentar de novo, usando outros óculos, procurando
outro angulo ( assim como vc faz para podermos defrutar das
fotos ma-ra-vi-lho-sas do "Fatos e Fotos de Viagem".
Saudações viajantes!!

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Silvia,
Eu ainda tenho muito que conhecer, aliás todos temos, mas com 31 anos posso dizer que, graças a um pai viajante, já viajei um pouquinho, preferencialmente pra Europa, que tanto gosto. E você disse um grande verdade: a gente deve sempre voltar pra lugares que não gostamos, pra tentar aprender mais sobre eles e encará-los por uma outra pespectiva. Eu não gostei de Roma na primeira vez (no verão, é a porta do inferno, vcs tem que concordar), gostei menos ainda quando voltei pela segunda vez (excetuando-se a Igreja de San Paolo Fuora Muri que é inesquecível) e pretendo voltar lá quantas vezes puder pra tentar mudar essa impressão. Vale a pena!
Agora, isso não é uma regra e tem determinados lugares que talvez não valha a pena voltar. Não pretendo voltar mais uma vez a praia do francês pra achá-la comum e urbanizada. Claro que esse julgamento, do que vale e o que não vale a pena "repetir" pra tentar gostar depende de cada um, mas ainda assim, adorei a sua colocação.
Um beijo

PS: Tenho certeza que vc vai gostar de BsAs dessa vez, hahaha! Eu adoro aquela cidade. Não deixe de comer num restaurante delicioso do Puerto Madero chamado Puerto Cristal.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Paula: Tudo indica que não vou sair de PMadero e que vou engordar
5 kilos, pois o que não faltam são restaurantes imperdíveis!
Vou então ao Puerto Cristal, Las lilas, e mais outros 3 ...
Tens toda a razão: o clima pode acabar com um lugar , assim como
estar indisposto, muito cansado, de mal com a vida ,ou apenas despreparado para o que vai encontrar.
Choque cultural, dor de barriga, e motorista de taxi faz a gente odiar
um paraiso.A menos que, vc esteja preparado para isto e diga: não
vou me deixar levar por este sentimento/sensação passageira.
Entendo sua posição de não voltar ao Frances, mas acredite, se não for
em grupo e ficar bem á esquerda da praia pode ser ótimo ( mas é certo
que não precisa pois tem vários points melhores)
Eu tb não volto a Cuba, para mim, total perda de tempo !
-----------------------------------------------------------------------------------
Ai vai o meu poema predileto, que resume tudo:
------------------------------------------------------------------------------------
ESTRADA NÃO TRILHADA ( The road not taken)
Robert Frost

Duas estradas se separavam em um bosque amarelo
E triste fiquei por não poder trilhar ambas
E ser uma só viajante

Por muito tempo permaneci a olhar para uma delas
Vislumbrando-a tão longe quanto pude
Até onde ela se desdobrava em pequenos arbustos
Depois, da mesma maneira, examinei a outra
Ela talvez fosse mais sedutora
Pois era gramada e pedia para ser usada
Embora o uso
Tenha desgastado ambas da mesma forma

E naquela manhã as duas repousassem igualmente
Sob folhas que passo algum tivesse enegrecido
Oh, eu deixei a primeira para um outro dia!
Embora ciente de que estradas levam a caminhos
Duvidava que algum dia fosse ali retornar

Estarei contando essa história em meio a suspiros...
Em uma época e local distantes daqui
Duas estradas se separavam em um bosque
E eu tomei a menos percorrida
E isso fez toda diferença.

Jorge Bernardes

Ricardo, a edição deste mês de VT ficou mesmo bacana. Li agora e gostei mesmo. Foi na medida para todos os gostos. Vou dar uma chance porque quero ver vc empregado. Tô vendo a galera falar de Itália, que delícia, nem sei por onde começar a dizer o que gosto mais de lá. Eu normalmente me empolgo e está na lista de lugares que quero sempre voltar....
Ricardo, os comentários de hoje podem te passar uma dica para uma próxima enquete, que tal: "um lugar que vc sempre vai voltar e um que vc não pretende voltar mais". Eu não pretendo voltar a Las Vegas. Eu até li os posts do blog "fatos e fotos" do comentarista Arnaldo, mas não consigo ficar atraído a voltar lá.

Jorge Bernardes

Lindo poema Sylvia. Obrigado. É a cara deste espaço.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Prazer , Jorge!
O Lado B é o seguinte:
Vegas é um parque tematico para adultos;tem um momento na vida
que vem bem se divertir com o "kitch" ; assim como vc pode adquirir
os objetos mais representativos de cada país no Epcot Center, é possivel
admirar o maior numero de tipos humanos , num só lugar, em Vegas
( tá bom, na praia no Rio tb ).
Onde mais vc vai encontrar figuras de
roupa de gala as 10 da manhã tomando café num cassino, a 5 dólares?
E vc ali do lado, super-a-vontade de jeans/tenis/camiseta??

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Sylvia, discordâncias com classe, categoria, argumentos, maturidade e, sobretudo, educação, eu ACATO e sempre aprendo com elas. O que não curto foi o que ocorreu com um "carinha! que outro dia se referiu a meu comentário com algo indelicado como "o coimentarista aí de cima...". Ou seja, quem tem classe, conteúdo, categoria e conteúdo e sempre admirável. Parabéns a vc. por sua postura! Portanto, eu concordo de devemos cada dia mais desembaçar nossas vistas e olhar para tudo e todos de maneira o mais despretenciosa e preconcetuosa possíveis. Nisso concorco contigo. Todavia, eu jamais me forçaria o olhar pra algo pela QUINTA vez (meu "caso" com Veneza) e me sentir obrigado a "gostar e admirar" aquilo que foi meu maior sonho conhecer e tornou-se na maior decepção, desde a primenra vez. Florença é uma cidade em que já estive duas vezes e gostei, mas quase nada me agrada na Itália, desde o profundo desprezo pela manutenção de seu patrimônio e falta de conservação, como pela desorganização geral do país (muito "brasil" demais...) e, finalmente, eu não gostar da arquitetura italiana. Se compararmos o patrimônio da Espanha com o da Itália, por exemplo, é vergonhosa a posição da segunda. Sair de uma cidade como Veneza e ir diretamente a Praga é ainda mais tarumático. Mas, o que é mais importante que encontro em mim mesmo, é o respeito e a compreensão pelo gosto pessoal, pela heterogeneidade da humanidade e, especialmente, pela fabulosa diferença cultural e social que torna justamente o mundo nada homogêneo e, por isso mesmo, fascinante. Eu JAMAIS discordaria da opinião de uma pessoa quando afirma AMAR a Itália e DETESTAR Las Vegas, por exemplo. Sabe por que? Porque justamente compreendo e respeito o gosto pessoal e o fato incontestável que somos seres extremamente diferentes um dos outros. Tampouco imponho minhas idéias, mas me agrada muito opinar sobre o que gosto e o que desgosto, mas jamais tentando influenciar o gosto de cada um. Quanto a "tentar de novo" e com "outros óculos", amiga, já fiz o máximo a que me permito para gostar de um lugar`voltar a ele cinco vezes e cada uma delas com graus diferentes na minha hipermetropia/miopia! GRANDE abraço, obrigado pelos sempre ótimos comentários e, prazer em ter vc visitando meu blog e minhas fotos!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Noosaa Arnaldo , vc tentou de verdade gostar de Veneza!
Puxa, é muito chato mesmo a gente se decepcionar com um sonho.
Eu sei o que é isto, aconteceu comigo com o Taj ( 20/30 anos admirando de longe,e ao chegar lá : zero zero emoção. É perfeito . Só isto.)
Cinco vezes para um lugar que não é hub de nenhuma cia aérea
merece de verdade, uma medalha de honra.
Minhas 3 das 5 em Paris foram de "guia-de-turismo-familar", e na quinta
me tornei shirley valentine, fiquei flanando sem destino certo , não fui
pela enésima vez a nenhum museu e .... até achei os garçons simpáticos
(certamente insanidade mental de minha parte).
Com tantos lugares espetaculares decididamente vc não precisa, e
nem deve colocar os pés na Italia de novo.
Já eu aqui que adoro "aquela desordem" dou sempre um jeito de fazer
uma escala no meu caos predileto.
Ps- Grécia tb deve ser complicado para vc né?
Pra mim dificel meeesmo foi acordar em Praga tendo jantado em Jaipur
( e para ajudar com as 8 horas de diferença de fuso, encarar 6 graus
depois de jantar a 43 graus ( celsius ,é claro)
Quando quiseres envia tuas opções/decisões/duvidas de BKK e SIN.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

É inegável a importância "financeira" do Melhor do Brasil para a VT, e infelizmente não tem jeito para isso, e não duvido nada que pelo mundo os resultados de pesquisas semelhantes sejam tão decepcionantes quanto, até porque tem muita coisa por trás que não sabemos direito...

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Sylvia, Grécia também nunca esteve entre os dez "destinos-sonho", todavia, era o, digamos, décimo primeiro. Eu fui "conferir" e?...uma das maiores decepções da minha vida. Nunca vi uma cidade tão sem graça quanto Atenas (tirando o Parthenon, que é "assim assim" comparado a -Éfesus, na Turquia, por exemplo) e um povo tão mal educado, grosseiro com turistas, trânsito tão absurdamente caótico (talvez o Cairo seja pior...) e profissionais turísticos (recepcionistas de hotel, por exemplo, motoristas de taxis, equipe de navio de cruzeiro, entre outros) tão estúpidos, grosseiros e mal educados. É o fim aquilo. E Mykonos é dez vezes pior que Búzios. Mas pra Grécia darei a tal segunda chance com outros óculos, conformar-me com a falta de categoria dos profissional do turismo e relevar a fata de edcuação do grego. Acerca de Paris, esta sim é uma cidade que me encanta ainda mais a cada nova visita. E acerca dos museus, eu não sou mais um viajante que tem o museu como objetivo. Conheço os principais museus históricos e artísticos norte-americanos e europeus (preferência pelo D´Orsay, em Paris, pelo Prado, em Madri, pelos de Washignton DC e pelo britãnico, em Londres.) e não tenho mais esse compromisso, a menos que seja para ver alguma exposição especial. Sempre adorei Paris, jamais tive impressão ruim (sempre me alertavam que o francês é grosseiro e NUNCA notei isso, ao contrário, talvez porque quem tenha me dado os alertas jamais tenham visitado a Grécia!), adoro voltar lá e acho a melhor hub da Europa para começar e terminar qualquer viagem. Por questões de ter-me fidelizado com a Alitália para viagens à Europa, Ásia, Oriente Médio e Norte da África, começo e termino em Milão, uma das cidades mais sem graça da Europa. Minhas impressões sobre Bangkok e Cingapura serão apenas em outubro próximo mas, com suas dicas e as do Rodrigo eu estou bem preparado para não me aborrecer com tipos que adoram enganar turístas. Aliás, quem já esteve em Istanbul e em Marrakech não deverá se aborrecer com os tailandeses. De todo modo, impressões eu terei sobre as Ilhas Maurício e Cape Town (com dois safaris fotográficos na área do kruger PArk para ver os "big five") bem antes e, em maio, de Dubai, Istambul e Budapest, em maio. Grande abraço!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Beleeza Arnaldo!
Agora temos certeza de nossas semelhanças e diferenças.
Eu AMOOO a Grecia, estive lá tres vezes, sendo que na ultima ficamos
um mes inteiro, e nunca achei ninguem grosseiro nem mal educado.
Ao contrario, eu adorava que falavam grego comigo ( sinal de que estava
disfarçada de "local"), começei até a estudar grego...
Tb não tivemos nenhum problema com taxistas em Istanbul, Marrakech
ou Cairo , mas tb é certo que aprendi a minimizar estes problemas
chamando sempre taxi via concierge e me certificando de que o
motorista saiba exatamente o destino.
Os tailandeses são ótimos, só sorriem como os balineses, alguns taxistas
é que são sacanas ( como aqui)
Me lembrei agora, que meu vizinho que é nascido na Argentina me
disse hoje que BAs seria a cidade perfeita se tirassem todos os argentinos de lá.
Uau, mas vc anda viajando muito hem?
Nem dá tempo de fazer alongamento e trocar o conteudo das malas...
Para onde vais no Kruger ? Skukusa ? Berg-an-dal? Sabie?
Quero dicas de UAE !

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Me metendo um pouco, o tratamento dispensado ao turista varia muito dependendo do caso, muitos conhecidos meus dizem que os argentinos tratam o turista brasileiro bem, mas minha experiência foi diferente, na minha última visita à BA em junho de 2002 cheguei ao aeroporto no meio da madrugada (bem na hora do jogo Brasil x Inglaterra na copa quando vi pela primeira vez argentino torcendo para o Brasil), o motorista de táxi queria nos enganar dizendo que não sabia onde ficava o hotel (que ja havíamos reservado) e tentou nos empurrar um outro, do qual ele provavelmente ganharia uma comissão; na alta madrugada muita gente aceitaria, sorte que eu sabia onde ficava o hotel (ate aí tudo bem, aqui no Rio devem fazer muito pior com gente desavisada), mas quando eu e mais 2 acompanhantes entramos numa loja e colocaram alguem nos seguindo (sem a mínima discrição, grudado na gente mesmo, pensando que entramos lá para furtar) foi demais, saímos da loja sem comprar nada, mas não sem antes falar poucas e boas. Apesar disso gostei de BA, mas dos argentinos não, embora ache que isso pode mudar. Uma única experiência me deixou uma péssima impressão dos argentinos, e até um episódio que eu, como carioca, tinha relevado (o do táxi) passou a contar contra depois.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Gente, como tá movimentado o domingão por aqui... wink

Sylvia, trate de sair dos restaurantes do Puerto Madero, sim, nem que seja para cair nos restaurantes de Las Cañitas e Palermo Viejo... Aliás, enquanto você estiver ali pelo centro não deixe de ir tomar um café no Florida Garden. Acho que é o café (bebida, não o local) mais gostoso de Buenos Aires!

Arnaldo, mesmo quando discordo de você não consigo deixar de concordar!!! Discordo em relação ao sentimento por Veneza - eu sou uma daquelas pessoas que se apaixonaram por Veneza à primeira vista. Tenho certeza que foi o efeito de um dia lindo de sol e da luz perfeita no Canal Grande na hora em que cheguei... Mas concordo com absolutamente todos os seus argumentos para não gostar, o que só me faz reafirmar o quanto a paixão é irracional... wink Aliás, eu estive em Las Vegas uma única vez, há uns 10 anos, e não gostei, não pretendia nunca voltar. Pois sabe que, desde que eu li o seu relato no blog, não vejo a hora de "dar uma (nova) chance a Las Vegas"?

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Well well , hora de sair do ar e tratar de sonhar que vou viajar ( muito bem ) acompanhada de todos vcs.

Carla, tuas dicas são preciosas, fico muito agradecida!
Mais acima nos comentarios deste post tem um Robert Frost para vc.

Tb sou venezia-passion , e o cheiro dos canais, dos pombos, as greves,
a bagunça, o descaso , a irreverencia, fazem minha alma sorrir.
Quando der aquela vontade de comprar,de ver algo kitch,quando precisar
sair da mesmice e não ter compromisso com nada : voe vegas ( V&V)

Ricardo Freire

EduLuz, o Guanahani http://www.leguanahani.com é um dos maiores hotéis de St. Barth; dá quase para chamar de resort de luxo, comparado aos outros. A localização é ótima, num istmo com praia dos dois lados. Vizinho ao Guanhani fica "o" hotel mais-mais do momento, que é o Le Sereno http://www.lesereno.com .

Nico, não conhecia o El Gourmet http://www.elgourmet.com , não. Parece grande e completo. Eu gosto muito da ranzinzice do Vidal Buzzi http://www.vidalbuzzi.com.ar , mas ultimamente tenho usado mais o Guia Óleo, http://www.guiaoleo.com.ar , que tem fotos e incorpora opiniões de freqüentadores.

Ernesto, a Cindy continua firmíssima na revista, assinando a coluna de perguntas e fazendo matérias originais. Duas ótimas e recentes que eu me lembro foram uma viagem à Mongólia e uma temporada em Nova York baseada no Brooklyn (inveja inveja inveja, adoraria ter feito essa).

JuScherz, este mês a Budget Travel Online http://www.budgettravelonline.com traz uma matéria sobre palafitas "em conta". Tem um hotel bacanérrimo em Bocas del Toro, no Caribe panamenho: o Punta Caracol http://www.puntacaracol.com , com bangalô para dois desde US$ 265.

Sylvia, não sei quando foi a última vez que foste a Bs. As., mas não acredito que te internar em Puerto Madero seja a melhor alternativa gastronômica hoje em dia não... Cardápios, ambientes e preços são mais bacanas em Palermo Viejo. Dá uma olhadinha no roteiro do Paulo Vieira na V&T deste mês...

Leandro, a importância comercial do Melhor do Brasil está o fato de ser um evento patrocinado e que atrai publicidade dos vencedores. Não há nenhuma maracutaia no processo. Os votos são enviados pelos leitores e verificados por auditoria independente.

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Sylvia, que ótimo que vc não precise dar uma "segunda chance com novos óculos" para a Grécia, eu sim. Eu até tenho umc rônica escrita acerca dessa viagem, na qual TUDO, da saída do Brasil ao retorno, deu ERRADO, mas errado de pegar maremoto no cruzeiro na Grécia e término do Ramada em Istanbul com direito a uma matença generalizadas de carneiros em qualquer canto (tem até um "matódromo"!) que um dia pretendo publicar no blog.

O Game Lodge que pretendo me hospedar fica no Mala Mala Game Reserve, na divisa com o Kruger Park e relativamente às margens do Sand River, na região Sabi Sabi.

Puxa, Carla, não precisa fazer esforço pra ir a Las Vegas apenas por ter gostado do meu relato com a minha visão...mas se for, use minhas dicas!

Carla, eu não consigo discordar de vc!

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Riq

Obrigado pela resposta!

Eu vi a matéria da Cindy sobre a Mongolia, e gostei muito, mas antigamente ela participava mais da revista, não?

Ernesto

Carla
CarlaPermalinkResponder

Sylvia, obrigada pelo poema do Frost - é um dos meus favoritos! smile E a tradução tá boa, né?

Arnaldo, nós dois, como sempre, concordando... wink Êta dupla dinâmica!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

RIQ E CARLA :
Falha minha.
"Vou então ao Puerto Cristal, Las lilas, e mais outros 3 …"
Leia-se : teremos que escolher entre 5 em PMadero.
Obrigada pelo carinho!

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Desculpe aí Jorge... quando falei da Cindy era para o Ernesto.
Viajei...

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Sylvia, também gosto muito deste poema.
Sobre a Grécia...tenho vontade de ir para lá desde criança, quando era fascinada pela mitologia grega. O tempo foi passando e sempre outras oportunidades sugiram na frente. Pensei em ir no próximo ano, como lua-de-mel, mas estou desanimando...além do relato do Arnaldo, tenho também o Paul Theroux contra: estou lendo 'Pilares de Hercules', um dos seus livros de viagens e ele simplesmente acaba com o país e sua gente. Nem na parte da Albânia houve tanta crítica...mesmo assim, tenho que ver com meus próprios olhos smile

Emília
EmíliaPermalinkResponder

PS: A matéria da Mongólia estava muito bacana...foi um surpresa!
A Cindy escreve muito bem, assim como a Rachel Verano.

Eduardo Luz
Eduardo LuzPermalinkResponder

Riq, obrigado (de novo) pela resposta e estou fechando o fly-drive com o Beach em St Martin e o Le Guanahani em St Barths. Quanto a Mendoza, vá mesmo pois fui há 2 meses e a cidade está uma beleza. As vinícolas estão cada vez mais turísticas ( com grandes passeios e restaurantes além dos grandes vinhos é claro) e todos estão investindo bastante na infraestrutrura. Dica : vá almoçar no Almacen del Sur. Lá eles cultivam um monte de legumes, ervas e ao mesmo tempo em que mostram todo o processo de plantação, processamento ( eles vendem vidros de molhos , temperos, etc) voce faz um almoço degustação que é excelente .

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Emilia , desejo que vc consiga realizar todos os seus sonhos
e não tenha dúvida : a Grecia é belissima !
Espero que tenhas a minha sorte, e te apaixones por ela instantaneamente , não se deixando incomodar pela bagunça,
pelos horarios do comercio ( que enlouquecem até os gregos).
O que posso acrescentar é que o mes que vc for viajar é que vai fazer
TODA a diferença . Julho e agosto é trágico! Setembro é bom, mas
DO MEIO DE MAIO/AO MEIO DE JUNHO é perfeito!
Poucos turistas, dias afradáveis, arvores floridas ...
A receita é : escolher a dedo a hospedagem ( é tudo muito velho)
ficar o minimo em Atenas , dormir em Fira com vista para a cratera...

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Tô me animando, tô me animando... (risos)
Sylvia, a minha idéia é sim, conhecer Atenas, mas ficar muito pouco, e seguir para as ilhas. Até pensei em fazer um cruzeiro (já ouvi falar de um que sai de Veneza que é muito bacana), mas acho que é mais interessante ficar naqueles hotéis maravilhosos das ilhas (o quanto o meu orçamento permitir, é claro!), especialmente em Santorini, Fira...ai, ai...
Na verdade gostaria também de ir a Meteora, é razoavelmente perto de Atenas.
Aliás, falando em lua-de-mel, casamento, viagens...alguém já se casou ou conhece alguém que se casou em Paraty?

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Arnaldo

Realmente voce tem razão, como os gregos são grossos, e quanto aos motoristas de táxi, então nem se fala!

Riq:

Uma sugestão: roubadas e casos de motoristas de taxi honestos, que tal?

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Emilia:
Que tal casar em Kalambaka? Ao pé de um mosteiro de Meteora,
com direito a canto gregoriano ?
Não é tão perto assim de Atenas, e tem uma roubada lá que escapei por pouco:
saimos de Atenas num busão/excursão e chegamos em Kalambaka
no fim da tarde, todos foram para a piscina ..
Eu pensei: agora é a hora de ir ver os mosteiros, amanhã pode chover...
Pegamos um taxi, subimos a montanha por um lado, descemos pelo
outro, vimos o por-de-sol, fotografamos tudo
No outro dia : não, não choveu
Mas sabe o que o onibus fez com a turma?
Encostou num mosteiro, mandou o pessoal descer e voltou pelo
mesmo caminho.
Ninguem viu nada !!!!
O filme do 007 mostra muito muito mais do que todo aquele pessoal viu.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Kalambaka? Seria maravilhoso não só pelo lugar, mas porque adoraria 'to elope' e fazer algo realmente íntimo, mas minha família me deserdaria (risos).
Bom saber...essas armadilhas estão em todo lugar. Mas o lugar é incrível mesmo, não? E até que dá para curtir um pouco no 007...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar