Enquete da semana: malas

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

O corpo humano do turista se divide em: cabeça, tronco e malas.

Não existe objeto mais consciente da sua própria importância do que uma mala. Malas são idiossincráticas. Malas são abusadas. Mas empacam. Malas não fecham. Malas querem ser carregadas. Malas se perdem mais do que criança em praia lotada.

Não há dúvida: malas têm vida autônoma e independente e foram postas neste mundo apenas para atazanar nossas viagens.

Assim eu escrevi, há quase 10 anos, no Viaje na Viagem derivado de árvores, antes de mergulhar num tratado sobre arrumação e organização de malas.

A pergunta da semana é: você já resolveu esse detalhe da sua existência turística, ou você e sua mala estão sempre discutindo a relação?

Conte pra gente os seus macetes para escolher e arrumar as malas. E também suas dificuldades invencíveis nos dois quesitos.

Eu prometo contar causos e dar pitacos no meio do chat.

170 comentários

Angela
AngelaPermalinkResponder

Meus problemas são sempre os sapatos!!! Mulheres sempre querem levar demais né!!!

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Ai, Riq... ODEIO malas... Nao, nao resolvi esse problema ainda, apesar de ter melhorado muito... Já tento fazer o que vc manda (deixar em casa metade do que eu tinha separado para levar...), mas sempre levo muita coisa e fico xingando a bendita, por ter de carregá-la...
Minha pior experiencia foi na minha primeira vez na Europa...Depois de dois meses, voltando para o Brasil, com malas gigantescas e nao querendo pagar táxi...Para resumir: o trajeto de casa até o metrô, que eu normalmente fazia em 10 minutos, precisei de mais de meia hora...E no meio do caminho, comecei a jogar fora, tudo o que fosse fungível: lanche, shampoo, sabonete...

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Nunca llevar maleta grande. Se pierden. Maleta "mala" de mano ligera y pequeña. Ropa ligera, muchos caftanes que pesan poco y lucen mucho y alguna camiseta de manga larga, de diseño, o de MNG, CUSTO etc. Chaqueta o cazadora en la mano.
Champú, jabón, gel, cremas comprarlas al llegar al destino.
Nada de guías pesan mucho. Llevar fotocopias de los lugares (o comentarios de R. Freires) y dejarlos en la basura una vez hayan cumplido su labor.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Riq, eu carrego comigo o style dos backpakers, pois acho extremamente filosofica e romantica essa maneira de viajar.
E eu sempre levo duas calcas jean (uma vou usando), dois tenis (um vou usando tbm), um sapato (pois ja aprendi que, por exemplo, no Buddah Bar em Paris nao se entra de tenis), um casacao (se der, vou usando), dois moletons, camisetas enroladas em forma de canudo pra ocupar menos espaco, e meias e cuecas enroladas.
Se sobrar espaco, eu reservo pras roupas que trago de viagem, e se faltar, dai voto que nem formiga: carregando um peso trinta vezes maior do que o proprio corpo, com sacolas atravessadas, bolsas de mao, etc e tal.
mas confesso que ja me passou vaaaarias vezes pela cabeca de atirar aquele "saco de areia" nos trilhos, e curtir uma de autosuficiente, so com a roupa do corpo e a carteira, hehehe!!! Que autosuficiencia, nao?!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Diogo, yo también las camisetas las guardo en forma de "canudo", ocupan menos espacio y no llegan arrugadas.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Carmen!
Seguro que llegan perfectas e arrugadas. La experiencia es todo, no?!
Y lo espacio que ganamos es muy grande...

Lea
LeaPermalinkResponder

Riq, esse post foi feito pra mim (né, Sylvia? ALiás, não deixe de dar suas valiosas dicas!)

Sempre tive problemas com malas. SEMPRE. Toda a felicidade pré-viagem vinha com um misto de preocupação e angúsita: E A MALA??!? Tenho que começar a pensar ana mala. Tenho que separar as roupas. Tenho que selecionar. Dessa vez, VOU FAZER uma mala pequena. Repetia que nem mantra. Dessa vez...

Bom, nao faz muito tempo que consegui resolver (mais ou menos) essa novela. É claro que algumas das dicas valiorsas foram do próprio Riq...

1) Dica Riq 1: A mala tem que ser dura. Esqueçam malas molengas, que têm que ser ouxadas por tiras de couro que arrebentam. Não precisa ser daquela durona de plástico (ainda que tbem seja uma boa) mas não sendo de couro molo já tá bom.

2) Dica Riq 2: A mala tem que ter uma ou mais divisões. Ajuda a organizar, trecos, nécessaires, bolsas, cintos e sapatos de um lado (né, Ângela...), roupas do outro. Deixe o lado dos "trecos" mais vazio - para poder colocar a roupa suja.

3) Dica Riq 3: no seu primeiro hotel de parada, pegue o saco de roupa suja do hotel. E vá migrando a roupa suja do lado dos trecos e sapatos e acessórios. No espaço que sobrar do outro lado, vc pode ir colocando compritchas. Mas...

4) A melhor dica para quem pretende fazer compras é levar uma mala extra (essa sim, molinha e facilmente encaixável na mala). Essa também é uma boa dica pra quem tem uma "mini viagem" dentro da viagem, tipo dois dias em algum lugar. Deixar a mala fechada (no carro, se for o caso) e levar só a malinha...

5) Antes de fazer a mala, faça uma listinha das coisas que vai lev ar. Anote tudo, de óculos escuro a ipod, de havaianas à camisola, pra não esquecer nada. Pense nas cores, tudo tem que ser mais ou menos combinável, uma blusa que só vai com uma saia é um mico. Aí...
Dica do Riq: Depois de separar tudo, tire metade, ou pelo menos um terço, e ponha o resto na mala. Se a viagem incluir climas diferentes, coloque na ordem cronólogica dos dias que irá visitar (tipo - as coisas de frio por cima ou por baixo).

6) Last, but not least: eu costumo fotografar minhas malas "abertas", as roupas espalhadas na cama, antes de fechar. Achava que eu era uma total freak, mas aí descobri que mais gente faz isso!!! eek)
É bom quando vc "acerta uma mala", nem que vc não veja mais a foto, fica a memoria fotográfica das poucas coisas que vc levou e como elas deram certo.

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Para mim, o problema mala está longe de ser solucionado. Riq, já li suas dicas. Já consultei amigos. Já montei listas do que realmente é essencial. Enfim... essa é sempre uma tarefa dolorosa. O ritual começa bem antes da data da viagem. Às vezes com antecedência de uma semana. Sigo mais ou menos esses passos: praticamente todo o guarda-roupa vai para cima da cama; em seguida, tem início o processo de seleção com a retirada de algumas peças consideradas desnecessárias, não sem muito sofrimento. No final, ficam as finalistas (ainda assim, muita coisa). Os sapatos são um capítulo à parte. São horas tentando solucionar esse intrincado problema.. E, finalmente, a mala está pronta. Ah! Na última hora sempre jogo mais alguma coisinha (para alguma emergência). E olha que sou sozinha para carregá-la.
Mas, o pior é a volta quando tudo parece ter crescido de tamanho e mais uma vez concluo que não precisava nem da metade da bagagem.
E você? Segue seus conselhos ou....

lourdes brito
lourdes britoPermalinkResponder

vou passar o reveillon com um grupo o que deveremos usar no hotel 4 estrelas? estamos confusos

Ricardo Freire

Sua pergunta foi respondida no mesmo lugar onde você perguntou originalmente.

https://www.viajenaviagem.com/2009/09/espanha-e-portugal-no-inverno-pro-renato-e-pra-vanessa/#comment-49672

dandoumpitaco
dandoumpitacoPermalinkResponder

Uma coisa que eu sempre faço é levar uma mala dentro de outra mala. Eu explico: Além das roupas que usarei durante a viagem, costumo carregar uma sacola vazia (no mesmo estilo que as fornecidas pelas operadoras de turismo quando vc compra um pacote, mas um pouquinho maior). Dessa forma, se eu exagerar nas compras, eu tenho mais uma mala para rechear. smile

Isso dá sempre certo. O mais bacana que essa segunda mala pode voltar como bagagem de mão.

Bia
BiaPermalinkResponder

Existem 2 tipos de viagens:
- Aquela que vou viajar para perto, ficar de um fim de semana a uma semana, perto significa qualquer lugar do Brasil. De forma geral, levo tudo o que eu tenho vontade. Na verdade, começo pela escolha da mala. Depois que eu escolhi qual eu vou levar, coloco lá dentro tudo o que eu tenho vontade de que cabe. E pronto, não sofro com isso de jeito nenhum. Afinal, quem carrega a mala é o avião ou o carro, e quando a gente chega no hotel, também sempre tem um gentil senhor para carregá-las. E por isso também, casei com um marido forte, que também leva mala grande e não se importa de carregar.
- A outra viagem são as internacionais tipo 20 dias na Europa, 20 dias nos Estados Unidos. Aí a economia tem que prevalecer. Também levo super pouca coisa e aí sim, penso o que combina com o que para otimizar a mala. A diferença das malas entre EUA e Europa é que quando vou pros Estados Unidos, levo uma mala vazia dentro da outra porque com certeza vou fazer compras.

Avassaladora
AvassaladoraPermalinkResponder

Ric tenho que discutir a relação cada vez que vou viajar, sou do tipo que tem que levar uma roupa pra cada dia e se possível um sapato também...hehehe
Mas assim... antigamente eu sofria com a tal da mala grande, hoje, viajando com as amigas que conseguem levar uma mala maior que a minha eu sou bem mais feliz, parei de murrinhagem, pago o carregador, dou gorgeta no taxi e evito pegar o metrô quando estou com ela... dai tudo fica bem mais lindo!!!! Afinal, a volta é sempre um pouco pior..hehehe

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

Ahahaha! esse tema é ótimo!!

nas últimas férias, voltando da Argentina, tinha sido uma ginástica pra fechar as malas dp do ataque consumista que meu namorado teve e eu que só de botas trouxe 4!
por precaução colocamos os kilos de doce de leite e dúzias de alfajores (não sei pra que o desespero... ahahahaha!! até empanadas ele trouxe - juro!) na bagagem de mão pra não amassar tudo.

Chegando no aeroporto (na semana daquele quase ataque em Londres) descobrimos que na bagagem de mão não podia nada liquido nem pastoso. Claro que o check in tava quase fechando enquanto nós dois, agachados no no meio do salão, com as malas escancaradas, começamos a reconsiderar - tênis sujo na bagagem de mão, doce de leite na mala, alfajor com sutiã, foi uma zona!!! e o medo de estourar?
os alfajores chegaram em forma de pastel e os conitos bidimensionais.

No dia seguinte de manhãzinha fomos pra Bahia. A bagagem? uma mochila pequena cada um. Só. Uma delícia... não tem que despachar nem esperar na esteira. A viagem começa muito melhor sem aquele baixo astral de steira de aeroporto... gente passando com o carrinho no seu pé, o outro batendo a mala de 15 arrobas no seu filhinho de 2 anos, e todos com medo da sua bagagem não sair pela portinha!!

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

Lea, fala sério!!
foto da mala???

Marcio Ito
Marcio ItoPermalinkResponder

Eu aprendi a lição! Quanto menor a mala, melhor e mais fácil!

Faço o seguinte raciocinio: como vou às praias do Nordeste, sei que vou ficar a maior parte do tempo "sem roupas" no corpo, então levo o mínimo necessário.

Não levo nada assim pra uma emergência, tipo uma camisa extra, uma calça, tenis, essas coisas. Com a experiência, vi que emergências pouco acontecem, e se for mesmo necessário, vc compra por lá mesmo...

Ah, e tem que entrar tudo numa mala só, bem como tem que subir à bordo comigo!

Quando chego ao destino, não perco tempo nas esteiras dos aeroportos esperando as malas, e ganho preciosos minutos!

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Só levo o mínimo. A menor mala de rodinhas da samsonite. Como disse o Diogo, já vou com o tênis, o moleton e o jeans usando no corpo. O resto fica na mala.

Marcia Kawabe
Marcia KawabePermalinkResponder

O meu maior problema é fechar ela na volta ...

Lea
LeaPermalinkResponder

Faltou dizer que uma boa forma de dobrar as roupas (além dos canudos!) é fazer um sanduíche com as calças e vestido. Assim: abrir a calça deixando a metade pra fora da mala, fazer o mesmo do outro lado, colocar o que pode ser dobrado dentro e depois fechar as calças por cima. Ótimo para não amassar.

Peço desculpas pelos errinhos do comentário anterior - faltou reler!

Lea
LeaPermalinkResponder

Sério, Carolina!
Dá pra acreditar? Foi uma das minhas tentativas de resolver esse problema MALA de vez... eek)

Malu
MaluPermalinkResponder

Eu ADORO mala. Quando todas as mulheres olham vitrine de jóias, eu olho de malas. Peço malas/ frasqueiras/ sacolas de presente em datas especiais: Natal, aniversário, Dia das Mães... Quando volto de viagem, já penso no modelo que vou comprar. Sempre viajo com uma mala de mão com roupas p/ 1 dia, caso minha mala não chegue, como já aconteceu. Sou super organizada, tudo combina com tudo e levo 2 calças para o dia (uma já vai no corpo), uma calça social p/ a noite com paletó/casaquinho combinando e várias camisetas/blusas/blusões p/ variar. Minha mala fica leve (sempre viajo sozinha) e, meu maior problema: sapatos (levo sempre 4). Todos os acessórios como pashiminas, lenços e cintos enfurnados em sapatos e cantinhos.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Eu nunca nem tentei me entender com as malas, assim no plural... wink Meu truque é levar apenas uma de cada vez, dependendo do destino e da duração da viagem. Para passar até 1 semana fora, levo apenas uma malinha de bordo; para mais tempo (meu máximo foi 5 semanas), uma mala média. Resolvo os problemas tipicamente femininos (excesso de sapatos, bolsas, etc.) optando por uma única cor neutra. Além disso, todas as peças de roupa devem combinar entre si e com os meus acessórios - é impressionante o espaço (e os neurônios!) que consigo economizar assim!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Este assunto merece um livro especifico para minimizar o
problema que é carregar mala e achar coisas na mala.
Mala está na minha lista de " pavor administrável"
----------------------------------------------------------------------------
::::A minha CARTILHA DA MALA :::sad se eu tiver que carregar)
1-Uma mala dentro da outra, sempre em qualquer viagem
se a mala for pequena, levo um saco extra( aqueles bem furrecos de camelô)
--------------------------------------------------------------------------------
2-Peso maximo da mala que está dentro da outra : 6 kg
Como 6 kg? Levo roupa para tres dias independentemente da duração
da viagem,um sapato, um chinelo.Só isto.
( o chato é ter que lavar roupa todos os dias)
--------------------------------------------------------------------------------
Se a viagem for longa , e/ou tiver variações climaticas importantes
levo "kits de roupas prontas" , que são formados a partir de coisas
que quero me desfazer.
Ex: 3 dias para subir o rio nilo de barco : já levo de casa tres sacos
plasticos com tres mudas de roupa, uma para cada dia ( assim não
tenho que pensar) e no fim do dia dou para a camareira.
Meias e roupas de baixo tb são descartadas.
__________________________________________________________
3- Uma muda de roupa e agasalho na mão ( em um cabide/bolsa)
Só tem vantagens , se estiver com frio ou calor posso trocar e se
a mala desaparecer .....
----------------------------------------------------------------------------------
5-Uma sacola de mão que caiba minha bolsa pessoal dentro
ou seja , embarco com um cabide ensacado e uma bolsa grande.
----------------------------------------------------------------------------------
6- No caso da chegada e saida ser no mesmo aeroporto deixo
sempre uma mala no guarda malas .
-----------------------------------------------------------------------------------
7- Se for ficar só tres noites em um hotel não tiro nada da mala
------------------------------------------------------------------------------------
8- Havendo compras, elas ficam "enterradas" numa mala .
Só vou lembrar das compras ao chegar em casa.
------------------------------------------------------------------------------------

AS MALAS SÃO SEMPRE PLASTIFICADAS (eu digo embombonadas)
e com uma cara assim meio meio pra não chamar atenção de
meliantes
Faço uma foto da mala aberta e outra quando for etiquetada
na esteira do embarque
----------------------------------------------------------------------------------
PS- Não nasci doida assim não, mas esta foi a solução que encontrei
para transformar o complexo em simples.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

As dicas da Lea são muito bacanas e sigo muitas delas (menos a foto, nunca tinha imaginado a possibilidade...). Normalmente viagens pequenas resolvo com uma mala bastante prática que tenho, com divisões e que comportam um pouco de tudo. Para praia...é uma facilidade, dá para reduzir muito a dona chata.
O problema são as viagens longas para o exterior, com diferentes climas e lugares. Na minha viagem grande do ano passado, eu tive que levar roupa para: trekking no calor e no frio, praias, cidade, roupas extras para região pantanosa, além de roupa (e acessórios) para casamento...tudo isso em 18 dias! Acabei levando uma grande rígida e dividi uma menor com o meu querido para nossos sapatos e necessaire.
Sempre que eu posso, eu também procuro deixar minhas malas pelo caminho. Por exemplo: nesta viagem eu estava em um hotel que eu sabia que iria voltar. Então migrei tudo o que não íamos usar para a mala menor e deixamos no guarda volumes do hotel.

Lena
LenaPermalinkResponder

Eu fiquei traumatizada uma vez, na minha primeira viagem a Europa, e a partir daí, passei um período hiper prática em matéria de malas. Porém, com o tempo, não sei porque, apesar das malas continuarem práticas, o tamanho da necessaire aumentou consideravelmente (acontece com TOOOODAS as mulheres que eu perguntei!!!). Resultado: a mala que antes dava para um mês, agora é a mesma utilizada para um fim-de-semana!!
Mas há tempos venho questionando o Riq do porquê de sua preferência e recomendação por malas durinhas. Não uso as molengas de couro, mas aquelas firmes, estrutradas de tecido grosso (não sei o nome). Tenho a impressão que as durinhas são muito pesadas e nada flexíveis. Mas se o Riq explicar o motivo, com certeza vou aceitar. Os saquinhos da lavanderia do hotel eu sempre usei. Escolho roupas em um mesmo tom, assim só levo um sapato para o dia e uma para noite, uma bolsa e , conforme for, um tenis.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

A NECESSAIRE:
o capitulo potes, vidros, spray ,farmacinha eu resolvo levando
"doses minimas " de tudo ;estou sempre colecionando mini frascos
onde coloco etiquetas escritas a lapis ( caneta borra).
estes frascos são encontrados com facilidade em farmacias de manipulação e quebram um galho enorme !

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Mi maleta se hace enorme si viajo a un sitio frío. La ropa de "invierno" ocupa mucho espacio, sobre todo los "jerseys" y esas cosas...
Por esa razón adoro los lugares cálidos y en los cuales se necesita poca ropa...

Carol
CarolPermalinkResponder

Mulher e mala nao sao uma combinaçao perfeita ne!!! Olha só.. qdo acordo primeiro vejo como estou me sentindo, depois o tempo.. ai escolho o que usar no dia. Entao mala , fazer mala, escolher o que levar é dificilimo. Meu marido ficava louco comigo por isso. Mas mudei, aprendi ne...E hoje minha mala é super funcional:antes de tudos faço uma lista detalhada , com tudo que acho que vou levar, pq depois metade fica fora. Vale a pena investir numa boa mala, e como o Riq aconselha, durinha , por favor. A minha ainda tem um espaço para os calçados que é otima.
Se for viagem curta, malas pequenas que nao precisam ser despachadas. Economia de tempo,menos estress na esteira.
-

Carol
CarolPermalinkResponder

Silvia, tambem adoto seu sistema... quem quiser pode encontrar tambem essas miniaturas da natura. Tem potinho para shampo cond, etc etc.

Filipe
FilipePermalinkResponder

Taí um problema que eu nunca compreendi. Eu sempre levo pouca coisa, segundo minha esposa é pouquíssima coisa. Sempre dá e muitas vezes sobra. Mas o intrigante mesmo são as mulheres. Gostam de levar tudo, apenas para passear. Porque chegam ao destino e não resistem a absolutamente nada. Então a minha dica para as mulheres é simplíssima. Não levem nada. Comprem tudo novo. Duvido que vocês terão uma viagem mais divertida. Sem problemas com o que levar, sem dor na consciência de estar comprando algo que já possuem e sem problemas para fechar a mala. Só falta combinar com os russos ( no caso os acompanhantes masculinos ). Abraços e boa viagem.

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Eu amo o "jeito europeu de viajar". As vezes nas horas de espera entre os vôos na Europa, fico observando as malas do europeu viajante.(Claro, se não for milionário ou da nobreza. Uma vez vi uma nobre européia de chapéu e óculos gigantes passando com um carrinho de golf, guiado por um "motorista", lotado de malas L&V, atropelando todos os transeuntes numa Roma Termini lotada até desembarcar numa cabine exclusiva da primeira classe de um trem. Achei fantástico)
Os europeus em geral viajam com muito pouca bagagem, mesmo no inverno, acho que, em parte, por causa das exigências de peso e dimensões das bagagem feitas pelas companhias low-fare.
Resolvi tentar seguir o exemplo, e NUNCA mais passar de 20kg.
Uso as seguintes táticas:
- Roupas de tons pastéis e neutros, peças básicas,"combináveis" entre si e abuso dos ascessórios (menores e mais leves), como cintos, faixas e echarpes, além de brincos e colares (pra mulheres fica bem fácil)
- Coloco tudo na cama antes de preparar a mala e tiro metade.
- Roupas íntimas e camisetas enroladas como "rolinhos" para não amassar e ocupar menos espaço, cabendo nos "cantinhos"
- Sempre malas "duras"
- Por fim: levo uma necessarie restrita, com xampus e condicionadores em frascos pequenos (se precisar, compro mais onde estiver), um hidratante pro rosto e outro pro corpo, pouca maquiagem, desodorante, e apenas um perfume, além de pasta de dente, escovas e fio dental, que não ocupam espaço. E só, infelizmente.
- Sapatos: um par de tênis confortável, um sapato fechado baixo, um par de havaianas (sempre) e uma sandália de salto médio (verão) ou bota (no inverno). Nada mais.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Eu também faço uma lista com absolutamente tudo o que tenho que levar, e na lista mesmo já penso nas cores, nas combinações possíveis - se uma peça de roupa não passar nesse "vestibular", não entra na mala. Mas não sigo a regra da metade, porque já sou super econômica - e só lavo roupa em viagem em caso de extrema necessidade!

Quanto à mala em si, a minha é desse tecido bem grosso também, bem estruturada, expansível e tem 8 rodinhas - ou seja, ela desliza na vertical, sem que seja preciso inclinar e puxar. Esse detalhe faz toda a diferença nas filas de check-in (e nas dores da minha coluna, claro!). Normalmente, viajo na ida com a mala ocupada só pela metade, já prevendo as comprinhas inevitáveis. Dependendo do lugar para onde vou, levo dentro da mala uma bolsa de viagem, dessas de nylon, bem leves, para o caso de exagerar nas aquisições... Na mão, levo apenas minha bolsa e uma frasqueira pequena com um livro, uma muda de roupa, e os itens que não quiser despachar.

A minha maior dificuldade é arranjar um jeito de me entender com as roupas dentro da mala quando vou ficar pouco tempo em um lugar e não vale a pena desfazer a mala. Acabo desfazendo e refazendo a mala dia sim, dia não... Com o tempo, peguei a maior prática - já nem reclamo mais... wink

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Riq e demais tripulantes do VNV, vim informar que finalmente criei vergonha e escrevi o primeiro post sobre uma das minhas viagens... Reino Unido e Irlanda. Como foi no verão do ano passado, alguns dos "detalhes" eu ja esqueci. Mas fiz um apanhado geral dos lugares por onde passei... como é o primeiro post, espero que gostem...

Na semana que vem ja faço post sobre outra viagem!

smile

Hugo
HugoPermalinkResponder

Nas minhas viagens tento levar uma quantidade de roupa condizente com o número de dias, e normalmente tenho acertado.

O problema é que há pouco tempo atrás eu e minha esposa compramos duas malas gigantes para podermos fazer viagens mais longas e ainda trazer algumas coisa de volta. Só que minha esposa não se dá por satisfeita enquanto não enche a mala, então é aquele monte de sapato, calças, saias, vestidos, blusas, etc, etc, etc, que não acabam mais. Com isso eu acabo tendo que levar apenas uma sacola para evitar excesso de bagagem.

E como a mala já vai lotada, na volta os presentes e lembranças têm que vir na mão mesmo.

GiraMundo com Jorge Bernardes

Prefiro carregar mais peças de roupas a me preocupar em lavar roupa durante a viagem. Só faço isso se ficar mais de uma semana no mesmo endereço. De maneira geral, não sofro muito com malas. Para mim, o chato das férias é passar protetor solar.
Costumo viajar bastante com carro alugado, nessas situações, vou separando a roupa suja em sacos de supermercado, tiro da mala e jogo no fundo do porta malas. Se alguém roubar o carro, ganha minha roupa suja de presente. É meio nojento, mas super funcional. No último dia, o jeito é socar tudo na mala e fechá-la no caminho do aeroporto
Agradeço por ter sorte, as malas da minha esposa são bem compactas.

Lea
LeaPermalinkResponder

Gente, essa históra da foto rendeu! Hahaha
Mas confesso que quando estou totalmente perdida antes de um novo desafio MALA, abro uma fotinho e lembro - ah é! Isso combinou com isso, isso nem usei...

Sylvia, também sou SUPERFÃ dos frasquinhos para o necessaire - também coleciono miniaturas! Em farmácias gringas às vezes encontro várias mini coisas, mini desodorantes, mini pasta de dentes...

Ah, e esqueci também do tema RODINHAS DE MALAS, muito bem lembrado pela Carla. As novas malas hoje tem rodinhas que giram 360 graus, então são empurradas na vertical mesmo com a maior facilidade, sem precisar inclinar nem por peso na mão. UM SHOW!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Filipe, adorei a sua idéia!!! grin Só que preciso arranjar um marido milionário antes de botar em prática - eu não ia dar conta da despesa, não...

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

GURIAS ( como uma boa gaucha) OLHEM SÓ :
Vcs sabem que NA VIDA REAL não existe nenhuma diferença
( para os maridos, é claro) entre um jeans e outro, nenhuma
diferença entre uma calça preta e outra, nenhuma diferença
entre uma blusinha branca e outra??
É , eu sei que para as mulheres as roupas são muuuito diferentes
devido ao comprimento, materia prima, um detalhezinho...,
mas numa viagem a gente pode esqueçer isto né?

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Paula, eu sempre me surpreendo com a praticidade européia. No ano passado tivemos uma visita de uma senhora francesa. Ela estava fazendo a sua volta ao mundo e a tia do meu marido, sua amiga, recomendou que passasse um final de semana conosco, para ver como vivem uma família brasileira 'de verdade'.
Quando a buscamos no aeroporto, eu fiquei chocada com sua bagagem...era minúscula! E ela estava sempre bem vestida. (Ela também aproveitou a nossa máquina para lavar roupas).
Na verdade ela resistiu em vir para São Paulo, uma metrópole e tal, então nós acabamos fazendo um tour rápido pela cidade (com direito a jantar no Tordesilhas...hmmm) e depois saímos cedo no dia seguinte para Paraty. Ela adorou a cidade, ainda bem smile

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Sylvia, nada mais lúcido! Acho que o uso de acessórios compensa a falta de imaginação num guarda-roupa muito básico, além de ocupar muito pouco espaço.
O meu problema é ainda ter que admitir que aquela calça pode ser usada pela terceira vez...e eu tenho uma preguiça que dói de procurar lavanderia (só uso de hotéis em casos de urgência). Então já viu...a mala só cresce...

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Emilia, eu tb não suporto usar nada mais de uma vez sem lavar.
Eu tenho um kit de fio/prendedor/sabão e lavo na
banheira, estendo onde der e no outro dia está seco.
É claro que jeans é mais complicado, por isto estou
sempre a procura de materias primas levissimas
e o mais proximo possivel do 100% algodão.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Nada como conselhos de uma grande viajante...Sylvia, você tem todos os truques!
Anotando mentalmente: 'mais roupas de algodão', 'kit lavagem'...

Marcio Ito
Marcio ItoPermalinkResponder

Meninas...

Caramba, estou "perplexo" com os relatos de vocês! Impressionante como vocês arrumam as malas.

Mala dentro de mala, foto da mala, roupas de cores neutras, acessórios que combinan com as roupas, mini-frascos p/ shampoo, condicionador, e agora esse kit lavagem de roupa da Sylvia...

E isso é só o básico?!!

Juliana Scherz

Detesto ter que carregar mala pesada pra lá e pra cá... Ultimamente estou até orgulhosa por carregar o básico... Tenho arrumado minha mala como se fosse homem!!! Sim, pq. mulher é terrível pra arrumar mala, aiai... Mas quando vou viajar e chego no aeroporto só com uma malinha e uma mochila, isto é, sem precisar despachar bagagem, fico orgulhosa de mim mesma!!! smile

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Marcio:
Isto é só o basico e apenas um detalhe .
Imagino que delicia deva ser colocar um jeans, camiseta, tenis
e estar pronto para tudo!
( ah! e não entender nada quando a parceira diz:
please, veste uma outra coisa..
e vc se olha com aquela cara pasma e diz:
estou otimo assim ...)
Como diz no "Mundo da criança"( a enciclopédia),
meninos são feitos de pedrinhas e caracois..
meninas são feitas de doces e outras iguarias..

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Viajo muito por poucos dias - fds e feriados no rio de janeiro, geralmente. Depois de umas experiências muito ruins de carregar mala pesada, hoje eu só viajo com uma mochila. Razoavelmente grande, mas não chega a ser de acampamento. E adoto a tática de colocar tudo o que ocupa mais espaço no corpo: casaco, tênis e calça jeans.
Ano passado, quando fui pra Alemanha, caí na besteira de só levar roupas de frio e, pra "economizar espaço", não levei nenhum short, nenhuma saia. Resultado: 1 semana de calor de mais de 30 graus, várias fotos com a calça jeans dobrada até o joelho, uma mala não menos cheia, e metade dela sem usar. Ah, e como sabia que ia fazer compras, levei uma mala dura, com minhas coisas dentro, e essa dentro de uma maior, mole -- que voltou lotada...

(leio o blog há muito, muito tempo, mas é a primeira vez que comento aqui...)

Fabio Nitschke Gomes

Eu sou da teoria de que o espaço da mala acaba definindo o que vai na viagem, e não o contrário. Então a escolha da mala já pré-determina o que vai na viagem. (Por isso que em viagens rodoviárias o carro vai sempre lotado, mas isso é outra história...)

Embora dê pra se virar bem com malas em praticamente qualquer viagem, acho que mochilas são a companhia ideal em viagens longas - ou "européias", como alguém apelidou. Facilitam desde o trem/metrô saindo do aeroporto até hotéis sem elevador. Mas o principal é "obrigar-nos" a racionalizar o que vai na bagagem, pois o espaço é mesmo restrito.

Em duas viagens pela Europa eu e minha esposa nos viramos com mochilonas - "cargueiras", como não à toa são conhecidas, uma de 60 e outra de 75 litros. As viagens duraram pouco mais de 3 semanas cada, então levamos roupa para metade do período e organizamos um "pit stop" em determinado ponto para lavar camisetas, meias e cia.

Para viagens assim, sempre "embrulhamos" as mochilas com aqueles filmes de segurança antes do check-in - se uma alça se rompe no manuseio até o avião você está perdido pra carregar depois! Se não dá, recolhemos, prendemos e amarramos aquela infinidade de tiras pra não deixar nenhuma ponta dando sopa.

Meu esquema de roupas vai pelo básico: calças "neutras", sempre um jeans, camisetas brancas ou pretas, uma e outra peça mais bacana para certas ocasiões, tudo combinando entre si. O importante é que peças mais "espaçosas" (bota, casaco) vão no corpo durante os deslocamentos para não sobrecarregar a bagagem.

Como complemento uma pequena mochila urbana para coisas que vão na mão durante o vôo, e que é usada durante os passeios nas cidades. Carregar as duas mochilas simultâneas não é nenhum fim de mundo em trechos relativamente curtos, o que mata é a bolsa da máquina fotográfica (ainda não consegui uma solução, mania de equipamento grande!)... smile

A contradição: pra nossa surpresa, na viagem de 2006, acabamos comprando muito mais do que imaginávamos (vai resistir aos chocolates suíços!) e não teve jeito. Comprei uma mala média, rígida, somente pros "extras"... (Mochilas + mala? Só rolou sem problemas graças às excelentes calçadas de Genebra e Amsterdam.)

Última dica: viajando em dupla/casal, distribua as roupas entre as malas - se uma extraviar no caminho ninguém fica (totalmente) na mão.

Ricardo Freire

Lena, acho que você já tinha feito essa pergunta antes e eu não tinha respondido. Eu prefiro as malas duras porque é mais fácil de arrumar as coisas e elas não saírem do lugar. E normalmente as duras são dos melhores samso... digo, fabricantes, e elas já vêm incrivelmente geniais e evoluídas por dentro. A desvantagem é que elas são pesadas, mesmo... e já tem companhia aérea que simplesmente se recusa a aceitar bagagens pesando mais do que 20 kg (nem pagando excesso; alegação: risco de saúde para os funcionários que manuseiam as malas!!!!).

Fabio Nitschke Gomes

Colocado de outra forma: viajar com uma mala "pequena" é o melhor estímulo para uma reflexão filosófica sobre o que é essencial em sua vida.

wink

Pablo
PabloPermalinkResponder

Mesmo uns anos depois, tive que parar para comentar. Muito bom o comentário, a síntese.

Ricardo Freire

Minha mala favorita.

http://us.samsonite.com/webapp/us/servlet/SProductDisplay?productId=237637&storeId=10001&langId=-1&pc=C05

Nem grande nem pequena. Do tamanho exato. Com os compartimentos internos certos. E quatro rodinhas que giram sobre seu próprio eixo. Um luxo.

Comprei ano passado, em fevereiro, antes de ir pro México. R$ 1.200 (em três vezes) numa loja do shopping Higienópolis (fui comprar no último dia, quando descobri que a minha mala grande era grande demais para andar de ônibus 25 dias no México).

Mas daí, na volta, na conexão em Dallas, a alfândega americana inventou de abrir a mala, que estava fechada com segredo. Deram uma marretada num canto e arrebentaram a coitada. Perdi a mala. E ainda tive que pagar duas prestações.

Quer dizer: ela continua usável, fecha, tranca, sem problemas. Mas tem ficou com essa aparência de mala danificada. Não dá mais para despachar em avião. (Mas continuo levando a bichinha no carro.)

No fim do ano, antes da viagem ao Caribe, lá fui eu comprar mala nova. Traumatizado, porém, fui na Le Postiche, e comprei uma mala do mesmo tamanho, só que molinha, e sem divisões internas -- mas com quatro rodinhas superindependentes, que eu não saberia viver sem elas. Duzentorreal. Uma pechincha.

E querem saber?

Deeeteeesteeeei.

Saí do Brasil, passei uns dias em Aruba, mas só aprendi a arrumar a maledetta em Curaçao.

Sem divisórias nem compartimentos internos, não havia o que segurasse as roupas no lugar. A gravidade puxava tudo para baixo (no caso, o lado -- onde ficavam as rodinhas) e formava um bolo de roupa amassada.

Descobri que uma mala assim não dá para ser arrumada na horizontal, como uma mala normal. Ela tem que ser pensada na vertical, como um cesto de roupa (limpa). Comecei a arrumar a mala com ela de pé, encostada na cama. Começava colocando livros e revistas no "chão" (o lado das rodinhas) para dar alguma estabilidade. Então colocava os calçados. Daí as roupas sujas, em sacos. E então empilhava as roupas.

Pelo menos uma coisa eu aprendi: que esse truque de fazer sanduíche com a calça serve para todas as peças de roupa e dá certíssimo. Comecei a enrolar as roupas de cinco em cinco para empilhar, formando semi-rocamboles. E nada nunca mais amassou! (Até as camisetas ficam melhores quando enroladas em grupo do que quando enroladas uma a uma). Não sei se funciona com vestidos -- mas acho que sim...

Ricardo Freire

Causo:

Minha primeira vez na Galisteu.

Me chamaram para arrumar uma mala naquele primeiro programa dela, o mais legal de todos, esqueci o nome.

Quando cheguei lá, descobri que tinha uma companhia para debater mala comigo: a Marina de Sabrit, socialite, perua e altíssima.

Então aparece a mala que a produção arranjou para eu arrumar: uma Vuitton. Molinha. Sem alça longa. E sem rodinhas.

A contragosto, tive que arrumar aquela mala totalmente fora dos meus preceitos religiosos. Mas falei no ar que era uma mala perfeita pra Marinas de Sabrit -- ou seja, pra quem não sai de casa sem o seu personal carregador de mala...

Ricardo Freire

Em viagens longas de carro cheia de paradas: levo a maior mala que eu tenho, cheia até as tampas, e outra menor.

Uso a mala grande como baú: ela fica no carro quase o tempo todo. Vou mudando o conteúdo da mala de mão à medida que vai sujando.

(Sim, eu já domino toda uma técnica de trocar as roupas entre as malas sem tirar as duas do porta-malas -- hatch. Não deve ser mais complicado do que trocar fralda de bebê.)

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar