Era você que queria um hotel na Patagônia?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

De vez em quando me pedem indicações para a Patagônia. Eu nunca estudei direito o assunto (aliás, entendo muito pouco de todos esses grandes destinos de natureza), mas há coisa de um mês encontrei, no blog Hotel Chatter, uma resenha de hospedagem na Patagônia argentina feita por Matt Chesterton, o homem da Time Out em Buenos Aires.

A série foi publicada em capítulos, cada um correspondendo a uma parte da Patagônia argentina. Esperei terminar a série para piratear os melhores pedaços para vocês.

Uma coisa da qual a gente dificilmente se lembra é que Bariloche e a Região dos Lagos fazem parte da Patagônia. (Parênteses: gaúchos aprendem a usar o "você", a chiar o "s" no Rio e a chamar sinaleira de "farol" em São Paulo. Mas jamais vamos conseguir chamar Barilôtche de Barilóxi...) Pois se você quiser usar, aqui estão os preferidos do sr. Time Out em Bariloche e arredores e também na Região dos Lagos.

A quem quiser ver os pingüins, focas e leões-marinhos da Península Valdez, Matt Chesterton adverte: a infra hoteleira ainda é muito pouco desenvolvida. Na cidadezinha de Puerto Madryn, o hotel de que ele fala melhorzinho é o Bahía Nueva. Fora da cidade, ele gosta da vista e do serviço do Faro Punta Delgada.

Se você lê bem em inglês, não perca o texto venenoso que ele dedica à cidadezinha de El Calafate, parada incontornável para quem quer ver o Glaciar Perito Moreno. Senão, siga somente as dicas: Eolo ou Design Suites, nos arredores da cidade, para dormir bem sem ir à falência, ou o Hostel del Glaciar, para pagar baratinho no centro.

Já em Ushuaia, na Terra do Fogo, ele lembra que as paisagens são lindas, mas os passeios, caros. De todo modo, o único hotel pelo qual ele demonstra grande simpatia não é caro, não: o Tierra de Leyendas. (Estranhei que ele não falasse nada sobre o Design Suites de Ushuaia, mas entrei no site e vi que só fica pronto em 2008).

51 comentários

franciss
francissPermalinkResponder

Prezado Ricardo Freire,
Bom dia. Estive em Puerto Madryn em janeiro de 2014. Não havia baleias, mas a pinguineira de Punta Tombo estava repleta de casais e filhotes. Visitei também o museu paleontológico de Trelew (bom passeio para quem tem criancas, comparavel ao museu em Taubaté). Para ganhar tempo, emendamos a chegada a Trelew como passeio para Punta Tombo e Isla Escondida (sítio de elefantes marinhos - vimos apenas espécimes jovens na praia), num privativo contratado com o All Peninsula Valdes ( o guia Cesar e o pessoal da agência, ligada ao Botazzi, foram muito atenciosos). Minha família hospedou-se no hotel Peninsula Valdes - bem localizado no centro, quarto quadruplo limpo, renovado e espaçoso, com vista para o mar, bom café da manhã (simples mas saboroso).
Muito obrigado por suas dicas sobre a Patagônia.
Francis

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar