Que Emirates que nada

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Eu deveria estar fazendo outra coisa, mas não dá pra não falar da nova rota conjunta da companhia venezuelana Conviasa com a iraniana Iran Air. A partir dessa semana as duas fazem um vôo semanal de Teerã a Caracas com escala em Damasco, na Síria.

Segundo o jornal El Universal, umas 10 milhões de pessoas, entre venezuelanos e outros sul-americanos, se beneficiarão da rota Caracas-Teerã, que surge como um marco das relações de irmandade e solidariedade entre Irã e Venezuela.

O Ministro do Poder Popular para a Infra-Estrutura, José Cabello, declarou à Agência Bolivariana de Notícias que "Irã e Venezuela estão lutando contra o imperialismo norte-americano e o capitalismo no mundo, pelo qual este vôo não tem precedentes".

Já a Ministra do Poder Popular para o Turismo, Titina Azuaje, destacou que este novo vôo "não é só uma transferência de capital, senão também uma aproximação entre povos irmãos, e por meio da operadora venezuela Venetur poderemos transportar turistas para a República Islâmica do Irã e vice-versa".

O presidente da Conviasa, Franklin Martínez, explicou que esta rota terá tarifas de ida-e-volta de 2.400 dólares a Damasco e 3.400 dólares a Teerã, o que é um preço solidário e competitivo no mercado internacional.

Então tá, né?

76 comentários

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Ricardo

Tanto faz de onde voce parte. Eu creio, que com o cambio de hoje, a viagem é um pouco mais barata da Argentina, mas de qualquer maneira não é uma viagem muito cara, deve ficar em torno de uns 50 dólares por pessoa. Quanto a lotação, para tirar fotos, ao ir nas agências voce pode fretar um carro grande que é dividido em 5 pessoas, o que é mais conveniete tanto pelo fato de poder pedir ao motorista para tirar umas fotos, quanto pelo tempo menor que se gasta na alfandega, além de que a paisagem no carro costuma ser melhor do que no onibus. A lotação se pega no terminal de onibus, sendo que algumas das várias empresas oferecem este serviço. Se voce estiver indo sozinho, e der sorte dá até para dar uma pechinchada, se eles estiverem precisando de uma pessoa para fechar a lotação. O unico inconveniente, é que embora sejam carros grandes, como nossos antigos galaxies, em 6 pessoas não é tão confortável quanto o onibus.... E, va a Menedoza, e um passeio agradável, e se Buenos é barato, Mendoiza é regalado...Ok?

Abs. e aguardamos seu blog direito de Mendoza....

Ricardo Freire

Cecilia, até onde eu sei, São Paulo não tem peruano não. (Vasculhei agora o blog do Katsuki, que sabe até onde comer comida persa na cidade, e não achei nada -- só um post do festival que todo ano tem no hotel InterContinental, no segundo semestre.)

Mas no Rio tem: é o Intihuasi http://www.intihuasi.art.br/ Alguém já foi?

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Riq:

Como chegar. Ah, sim a não ser que voce goste de andar de onibus, e picar a viagem em pequenos trechos para conhecer por exemplo Rosário, Santa Fé (onde há os Alfajores), e Cordoba - como as vezes eu gosto, voce pode ir direito de avião até Mendoza, via Buenos, ou se quiser economizar, vale a dica que se segue: Até Cordoba, a Gol tem ótimos preços, e de lá são uns 500 km. até Mendoza. A própria Cidade de córdoba tem alguns pontos interessantes, que são patrimonio da humnaidade, e arredores bonitos, como as Sierras de Cordoba, e Alta Gracia onde nasceu Che Guevara, Belgramo, que é uma espécie de Campos do Jordão Argentina, entre outras atrações. Os onibus na Argentina são bons e baratos, na maioria das vêzes são daqueles de 2 andares, com aquela exepcional vista da janela da frente, e há até algo que deveriam seguir no Brasil que é um onibus leito 180 graus no qual dá para dormir com bastante conforto. Se não me engano, chama-se Super cama. Muitos até incluem um jantar e vinho, bem melhores do que as gorobas aeronáuticas dos útlimos tempos, mas ainda assim bem inferiores ao que se come em qualquer restaurante Argentino. E, é claro sempre há o melhor luxo da Argentina. Sair da rodoviária de taxi, e por um preço ridiculo...

Ricardo Freire

Obrigado, Ernesto!

Só uma coisinha: dá para fazer Santiago-Mendoza de carro próprio, ou é maluquice?

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Comida Peruana: Dei um google e achei um na Fradique Coutinho http://www.guiadasemana.com.br/detail.asp?ID=2&cd_place=21910
Acho que ninguém conhece né? chama Sabor Peruano...

Santiago - Mendoza: Ricardo, eu tenho uns amigos que fizeram São Paulo - Bariloche um montão de vezes de carro e deu tudo certo...acho que não deve ser complicado não...mas eu sou daquelas que acha que sempre dá para viajar de carro, e acho que 600 km é ali na esquina...

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Seria um vexame São Paulo não ter um restaurante peruano, já este do Rio eu achava que tinha fechado, mesmo assim o Wanchako parece ser disparado o melhor do Brasil na especialidade (pelo que leio e ouço, pois nunca comi num peruano).

Carla
CarlaPermalinkResponder

Ricardo, pelo que me lembro das dicas que já recolhi, dá para fazer Santiago-Mendoza de carro próprio, sim, mas você precisa ficar atento à época do ano. É complicado - e perigoso - arriscar no inverno, porque a neve costuma fechar a passagem. Bom, mas isso atrapalha quem vai de ônibus também, né? Daí vem aqueles engarrafamentos imensos, o povo todo esperando abrir a estrada de novo, Deus me livre... wink

Bom, mas isso é dica de segunda mão... Quem já fez confirma?

Ricardo Freire

Obrigado pela googlada, Flavia! Vou lá e, se gostar, vou propor a pauta pro "Planeta"!

Eu não faria isso no inverno mesmo não, Carla... diz-que o caminho já é frio o suficiente no verão...

Carla
CarlaPermalinkResponder

Ui, deve ser uma geladeira danada mesmo... Mas se for no mínimo parecido com o trecho terrestre em que se cruza a cordilheira lá nos Lagos Andinos, vale cada grau a menos na temperatura corporal, pode apostar... smile

sylvia
sylviaPermalinkResponder

Gente, eu fiz isso de trem quando tinha dez anos.
Foi o máximo! Mas, me lembro que demorou uma eternidade
para chegar, e em alguns trechos daria para andar a pé e
chegar antes do trem.A maior loucura foi ver um condor
de verdade, no seu habitat.
Sempre que ouço " el condor passa" me lembro da emoção
e surpresa em ver um condor ( é enooorme) nos Andes.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Aliás, por falar no Chile...

Salete, estou preparando uma página só com dicas do Chile lá no Idas e Vindas ( http://idasevindas.wordpress.com ). Não vai ter muito de vinícolas, como eu te disse, mas vai ter do Atacama aos Lagos Andinos. Se não der tempo de subir ainda hoje, amanhã pode deixar que boto no ar, Ok?

Mais uma vez, estão todos convidados a aparecer!

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Ricardo

(carro própro até Santiago)

Em tese dá, desde que voce compre um seguro verde do Mercosul, o que é simples de fazer em qualquer corretor de seguro, e se o carrro estiver em seu nome, e não estiver alienado (Se estiver voce deve se informar no Consulado e na finaceira, para ver os tramites). Os problemas que existem, além de voce ter que se adaptar a várias leis argentinas (dentre outros dois trinagulos, caixa de primeiros socorros, e mais alguns detalhes que voce deve ver no consulado) é que pelo que eu ouvi, a policia rodoviária argentina (uma a cada cidade), sempre para os carros brasileiros e tenta descobrir algum problema para ser resolvido com uma "mordida". Chegando no Chile é bem tranquilo, os carabineros são extremanete honestos, e corretos. Voce pode alugar um carro, na Argentina, e com alguma antecedência pedir, e pagar para que ele possa ter autorização para entrar no Chile, o que talvez na prática seja a melhor ideia.... Ah, sim como a Carla falou, no inverno é roubada total, a neve escorrega muito e provoca acidentes, salvo se voce tiver um 4X4, as vezes o tunel fecha, se voce for fazer isto, é por agora, no máximo até Abril, ou depois de setembro. Mas,num lugar com tantos vinhos bons vale a pena ir de carro? Acho que não. Carro na Argentina é muito bom na região dos lagos, um passeio sensacional, para ser feito devagar e com calma, de San Martin de los Andes a Bariloche. Vamos aguardar as dicas da Carla, também...

Carla
CarlaPermalinkResponder

Pessoal, postei um "testamento" lá no Idas e Vindas com algumas idéias sobre o Chile. Está no menu da direita, laaaaá embaixo... wink Espero que seja de alguma ajuda!

http://idasevindas.wordpress.com/dicas-do-chile-do-atacama-aos-lagos-andinos/

Adriane
AdrianePermalinkResponder

SALETE,

e tem mais sobre Mendoza...

A maioria das visitas às bodegas é gratuita, com raríssimas exceções...

e, se você curtir natureza, tem excelentes opções de esportes outdoor, do trekking mais básico ao montanhismo.

a cidade é linda... e tem excelentes opções gastronômicas (já viu o último post da Adriana Setti?!? hehehe)

ah! E acho que a Vendimia, a festa do vinho, está acontecendo agora, início de Março!

hehe, acho que me empolguei. Mas Mendoza vale muito a pena! Que bom que minhas informações valeram.

Boa sorte!

Salete
SaletePermalinkResponder

Vocês são formidáveis! Agradeço de todo coração as indicações de todos vocês.
Obrigada pela força!
Salete

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Cheguei atrasado no post. Ricardo, o Intihuasi é muito bom, vou lá sempre que posso. Foi até o meu primeiro post no meu blog.

Marília Maconi

Corroborando a opinião do Arthur, o Intihuasi é uma delícia. O ambiente é aconchegante e a comida super saborosa. Dá um certo medo na hora em que a gente pega o cardápio, um monte de comida diferente... Mas depois que se escolhe, é uma pujança!!
Só não sei como fica em dias/horários de pico, pois é bem pequenininho!

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Marília, de fato, é bom chegar cedo. Trabalho no Flamengo e almoço lá de vez em quando, de 12:30 (abertura) a 13:30 ainda tem vaga. Também já fui jantar lá uma vez, às 21:00 mais ou menos, e encontrei vaga para mim e para minha noiva, mas quem chegou depois teve que esperar um pouco.
Aliás, toda a Barão do Flamengo bomba de noite - além do Intihuasi, tem o Samurai, que é japonês, o Mofo, que faz o estilo botequim moderninho, o Tacacá do Norte, que é uma excelente lanchonete paraense, e agora abriu um alemão.

Ricardo Freire

Ou seja: se o camarada vai pegar a última Ponte Aérea mas quer fazer uma boquinha antes do vôo, é só aparecer na Barão do Flamengo lá pelas 7 da noite e escolher entre peruano, japa, paraense e comida de botequim?

Carla
CarlaPermalinkResponder

Riq, você esqueceu do alemão... wink Estou achando esse aí um bom programa pra niteroiense que quiser evitar a ponte no fim da tarde de 6a.f. também...

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Carla e Ricardo, é isso aí. Averiguei no Google e o alemão se chama Herr Breuer
http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/nelson/default.asp?a=15&periodo=200703

Ricardo Freire

Herr Breuer?

O Alessandro chamaria de Réâ Bróia.

Lá em Porto Alegre a gente diria Rér Bróier.

E no Flamengo, qual é a pronúncia oficial? (Caso eu precise pedir indicação na rua....)

sandra
sandraPermalinkResponder

Emilia
Li no seu post que amigos seus conheceram o Vale do Colchagua.. Sabe dizer quais das vinícolas de lá eles conheceram e se pegaram pacotes do tota do vinho ou escolheream aleatoriamente e foram de carro próprio?
Grata
Sandra

A Língua!
A Língua!PermalinkResponder

Eu li esta matéria por aí, fiquei de boca aberta, vão ligar nada a lugar nenhum no sentido de demanda. Isto é apenas a aproximação de dois corpos iguais na ideologia satânika do kúmmunismo.

Assim são os vermelhos, começam a mentir para eles próprios. Passagem competitiva? Competição com quem? E porque o trecho após Damasco custa 1,000 Dollares a mais? Santo Deus! Quanta kanalhice desses tak (tais em russo). Esses tak e suas takaia são uns suicidas com mentalidade de chá santo daime, como se entorpecer fosse alguma santificação hehehe!!!

Eu estou denunciando esse Mulla filho da PuTa para todos verem no meu blog. Se o dono desse blog permitir eu divulgar este blog no meu, eu ficarei muito contente.

Eu, editor de A Língua!, não quero ficar famoso com o meu blog, mas quero que todos que ajudam-o a servir como um meio claríssimo de revelação de "TODA" a podridão do podrer kúmmunista para que as pessoas possam ler e ver em fotos e vídeos tudo aquilo que a mérdjia kúmmunista do Brasil eskonde.

Um forte abraço e MILHÕES DE PARABÉNS PELO BLOG!

A Língua!
www.alingua.blogspot.com
a.lingua1@gmail.com

Viajando nos comentários: Chile e Argentina « Viaje na Viagem

[...] Se você está pesquisando informações sobre Vale do Colchagua, travessia dos Andes entre Mendoza e Santiago e “cruce de lagos” (travessia dos lagos entre Bariloche e o sul do Chile), leia a partir deste comentário aqui. [...]

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar