"Quem fizer turismo sexual tem que ser preso"

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Transcrita ontem pelo Panrotas, esta declaração está se tornando uma espécie de bordão da ministra Marta Suplicy (se não me engano, ela já tinha dito isso na sua posse).

Deve ter sido o jeito que Marta arranjou de se defender da pegação-de-pé da imprensa e das gracinhas de quem acha divertido que uma sexóloga seja Ministra do Turismo num país onde o turismo sexual segue firme e forte.

Como cri-cri de plantão, porém, devo lembrar que pedofilia e tráfico de mulheres são uma coisa (cadeia neles!), mas que "turismo sexual", assim, genérico, é outra.

Por exemplo: existe um grande mercado de turismo sexual que nem sequer envolve prostituição. Grande parte do turismo jovem pode ser caracterizado como turismo sexual. O que define o turismo GLS é, basicamente, o turismo sexual (descomplicado e gratuito) que vai embutido.

Há também um importante segmento de turismo sexual pago que não envolve necessariamente gringos no Rio ou no Nordeste. O vasto mercado de boates de moças e clínicas de massagem deve boa parte de seu negócio aos viajantes a trabalho. Conheço um monte de gente que não sabe que em Porto Alegre existe uma Casa de Cultura Mário Quintana, mas morre de curiosidade de conhecer o Gruta Azul. Outro dia mesmo eu contei a história do taxista que achava que o Bush ia fechar o Bahamas só pra ele smile

Não quero dar corda ao bordão da ministra, até porque sei que a prefeitura do Rio não vai fechar a Help, nem a de Fortaleza vai lacrar todos os flats especializados em hospedar italianos, espanhóis e portugueses interessados em saber o que é que a brasileira (maior de idade, espero) tem.

Mas só queria dizer uma coisa.

Com o dólar a 2,05, a única coisa que continua com preço competitivo no Brasil é o sexo.

Atualização:

No Último Segundo, do iG, há uma transcrição diferente da declaração da ministra:

"Quanto ao trabalho infantil, à prostituição infantil, isso será combatido com grande força. A gente espera que esse tipo de turista vá preso".

Se foi isso, peço desculpas. A declaração é perfeita e irretocável. (Tem um preambulozinho em que Marta nega que o Brasil seja um destino de turismo sexual -- não é verdade; mas faz parte da sua função dizer isso.)

66 comentários

Eduardo D.
Eduardo D.PermalinkResponder

O homi tá inspirado.

Essa da Marta foi ótima - justo a sexóloga-ministra do turismo...

Só uma pergunta: colorado vai nesse gruta azul (sei lá o que é isso, mas imagino)? smile

Ricardo Freire

Boa pergunta, EduD. Acho que devem ir, sim. Só que, aproveitando que em Porto Alegre tudo se abrevia, devem chamar o lugar de "Gruta", só.
smile

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Vasto mercado é apelido, Ricardo. É só dar uma googlada sobre o tema e vão aparecer 400 bilhões de sites (45% em SP, 45% no RJ e os 10% restantes distribuídos pelo BR)
E quanto aos colorados na Gruta Azul, nada melhor do que uma confraternização pós-jogo smile

Eduardo D.
Eduardo D.PermalinkResponder

Hahaha, smile

É uma figura!

Ricardo Freire

Antes que o assunte descambe, gostaria de informar aos tripulantes que este blog só volta a falar de futebol no ano que vem. Replays e comentários sobre o ano passado são bem vindos, porém.

Avassaladora
AvassaladoraPermalinkResponder

Hehehehe... é, com dólar a 2,05 é melhor a gente procurar outras praias e deixar que os gringos venham pra cá mesmo... Porque amigo, se não houver repressão e campanha séria, nada disso vai mudar!!!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Ricardo, vocé e un agitador, un revoltador...
¡Menudo problema! El asunto no es "políticamente correcto".
En Europa no se habla con desconocidos de: religión, sexo y fútbol...
Los tres "opios".

Majô
MajôPermalinkResponder

Sylvia,

Deixei um recado para vc lá no Varig:low-cost com milhas

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Majô:
Noossa , quanta gentileza !
Obrigada, acabei de falar com eles, estão em Sampa e
ainda não sabem quando ( e se ) vão ao Rio, mas vou enviar
teu email para eles fazerem contato.
A minha proposta é que experimentem "deixar rolar", se estiver
bom ficam, se não estiver bom seguem adiante.
Para quem viajou a vida inteira com tudo super programado,
é um desafio chegar aos 80 anos e deixar rolar.
Estão super empolgados com esta idéia, vamos ver...
Mais uma vez, obrigada por tua super atenção e disponibilidade.

Majô
MajôPermalinkResponder

Sylvia,

Adoro gente "sacudida" aos 80 anos, deixando rolar !! Vai ser um prazer poder ajudá-los em nossa terrinha, espero que cheguem até aqui, daí posso mostrar aos gauchos algumas carioquices, incluindo o choop do Jobi ou o bolinho de aipim com camarão do Bracarense.
Me mande um e-mail que eu passe para você meu celular, anyway.
Devo sair na Semana Santa para Petrópolis, mas estou de volta no domingo.

Majô
MajôPermalinkResponder

Áinda mais pais de companheira do VNV rs

Majô
MajôPermalinkResponder

Na verdade estou pra comentar aqui há um tempão quando falam do bolinho de bacalhau do Braca. O hit deles é o bolinho de aipim com camarão, cuja receita a cozinheira guarda a sete chaves. Mas, claro que os dois são maravilhosos. smile

Ricardo Freire

Gente, tá muito engraçado vocês discutirem a viagem dos pais da Sylvia justamente NESTE post
smile
smile
smile

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Riq, você é impagável! smile))

Majô
MajôPermalinkResponder

hahaha a gente muda de assunto sem pedir licença, né ?

Majô
MajôPermalinkResponder

não tamos nem aí pro post smile

Guilherme Lopes

Riq,

O turismo sexual em Buenos Aires acontece em Liniers?

; )

Ricardo Freire

Guilherme, eu não entendo de nada dessas coisas com nome meio inglês em Buenos Aires smile

Ricardo Freire

Esclarecimento para as moças e demais tripulantes não-gremistas: Liniers é o nome do arrabalde ocupado pelo Vélez Sarsfield (não imagino com se pronuncia; deve ser algo como "Belesársfilll").

Ricardo Freire

Caso você não tenha notado, acabei de fazer essa atualização no corpo do post:

No Último Segundo, do iG, há uma transcrição diferente da declaração da ministra:

“Quanto ao trabalho infantil, à prostituição infantil, isso será combatido com grande força. A gente espera que esse tipo de turista vá preso”.

Se foi isso, peço desculpas. A declaração é perfeita e irretocável.

(Tem um preambulozinho em que Marta nega que o Brasil seja um destino de turismo sexual — não é verdade; mas faz parte da sua função dizer isso.)

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2007/03/29/marta_ignora_tim243teo_e_recha231a_turismo_sexual_734223.html

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Riq, eu tenho que concordar com você que realmente o fator sexual é um grande atrativo do nosso país (também não estou considerando aqui todas as questões de escravidão e sexo com menores, que nem merecem comentários). É difícil admitir que muitos estrangeiros venham para cá somente com este objetivo, considerando que nosso país tem tantos lugares maravilhosos para se visitar e que, principalmente, esse tipo de turismo 'coisifica' as pessoas. Parece discurso feminista (e é mesmo!), mas acho que esse caráter 'objeto' deve incomodar muitas mulheres brasileiras.
Sendo realista: somos considerados um povo sensual/sexy e temos que conviver com isso, pontos positivos ou negativos à parte.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Ricardo, destino de turismo sexual es ya todo el mundo.

Globalización absoluta de "trata de blancas" a nosotros nos llegan mujeres del Este, bellísimas. Muy explotadas. En las zonas más pobres de la ciudad, africanas y rumanas, aunque también en las carreteras.

En Barcelona hay a lo largo del año muchas ferias internacionales y tiene fama de destino de turismo sexual (para papás burgueses y ejecutivos que quieren diversión).

Majô
MajôPermalinkResponder

Emília, assino embaixo.

Guilherme Lopes

Riq,

Eu não sou gremista, torço para o carrasco do Inter em 1977. Sem começar a discussão de futebol, mas já começando: Quem de vocês já viajaram para assistir uma competição esportiva? Ou quem quando estava viajando, aproveitou para ir a uma competição?

; )

Eduardo D.
Eduardo D.PermalinkResponder

Majô, como paulista te pergunto: o que é aipim? Parente da macaxeira talvez?

smile

Ou tem a ver com issos? -> wink -> http://pt.wikipedia.org/wiki/Mandioca

Miguel
MiguelPermalinkResponder

Muito bom o texto, Riq.

Concordo que muitas viagens tem um componente sexual considerável, mesmo que a intenção do viajante não seja ficar pulando de bordel em bordel. Há algum tempo alguém lançou um pergunta no trip advisor sobre a "cena de escorts" em Riga. Fiquei surpreso quando vi as resposta, algumas constrangidas, outras revoltadas. Finalmente alguém defendeu a liberdade individual e lembrou que não havia nenhuma conotação pejorativa no post inicial, já que prostituição existe em todo lugar. Ideal se fosse legalizada e regulamentada como na Holanda, onde as profissionais são independentes, pagam impostos e têm acesso a serviços de saúde de primeira.

Ricardo Freire

Emília, não acho que seja uma característica nacional, mas uma questão econômica. Junto com o Leste Europeu e o Sudeste Asiático, somos grandes fornecedores de mão de obra desse mercado. Da mesma forma como exportamos lavadores de prato, exportamos "sex workers" -- e temos aqui um exército à disposição de quem queira nos visitar. Se algum dia dermos educação, oportunidade e emprego para todos, essas moças tentarão profissões mais convencionais.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Com certeza a questão econômica é fortíssima nesse caso (se bem que ainda acho que tem um componente de fetiche no imaginário gringo).
Acho também que o Miguel tocou num ponto importante, principalmente no que diz respeito à saúde. É só que o esse meu ponto de vista revela o meu lado feminino, mais emotivo e talvez nem tanto racional (tanto que a Majô concordou comigo wink)

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Miguel, en Holanda también existe el tráfico de mujeres y no todo es de color de "rosa". El SIDA crece entre el colectivo, en parte por la negación de muchos hombres a colocarse el "condón".
Ah!. En Suecia el cliente va a la cárcel si compra los servicios de una prostituta.
La prostituição existe em todo lugar, mais no en todos los países está contemplada de la misma forma.
Ahora, eso sí, es internacional lo de la doble "moral".

GiraMundo com Jorge Bernardes

Comentando os comentários de todos....

Carmen, vc tocou num ponto interessante... Aqui no Brasil é assim, as pessoas conversam sobre assuntos bem polêmicos mesmo, não há muito constrangimento, mas algumas vezes as pessoas se alteram demais e isso é ruim. Por outro lado, achei que num país latino como a Espanha fosse assim também.
Achei muito legal ter sido colocado um assunto em pauta aqui tão polêmico e a conversa tem fluído como sempre em ótimo nível. Concordo com vc, uns lugares mais outros menos, o turismo sexual é explorado sempre. Só o que muda é o preço. Uns lugares têm mais oferta, outros têm mais demanda.

Concordo também com a Emília quando diz que esse tipo de turismo incomoda muitas mulheres.
Por isso, a promoção de lugares como Bahamas, Gruta Azul (Ricardo, sou um inocente, eu conhecia a Casa de Cultura de POA e nunca tinha ouvido falar dessa Gruta), etc tem que ser direta no público alvo, discretamente. Sou contra os outdoors espalhados por SP na semana da Fórmula 1 por esse motivo. Mas não sou contra a atividade não, desde que cliente e profissional estejam de acordo. Assim como diz o Miguel, essa atividade deveria ser mesmo regulamentada.

Até porque não será mesmo extinta nem aqui nem em nenhum outro lugar, então o que deve ser feito é atacar a atividade que é exercida à força, criminosamente como é consenso entre todos aqui: prostituição infantil, tráfico e escravidão de mulheres, etc. Neste ponto, a Marta não tinha mesmo outro discurso a dar, só podia ser esse.

Majô
MajôPermalinkResponder

Edu D

Tô rindo sozinha, o aipim no Rio, é a mandioca em Sampa, a batata baroa no Rio, é mandioquinha aí, o farol de trânsito aí, é o sinal aqui. E por aí vai ... :p

Riq

Há o fator econômico por trás, sem dúvida. Por outro lado há também empresários que se aproveitam dessa mão de obra barata, iludem essas mulheres prometendo que vão mudar de padrão de vida, e coisa e tal. Muitas inclusive são de fato levadas por italianos ou alemães ou suecos etc que ficam enlouquecidos pela mulher brasileira.
O fato é que a mulher brasileira, vão aí charme, cor da pele, atributos físicos, encanta os europeus. Mas nos incomoda sim, é a coisificação, como a Emília disse, a mulher nestas últimas décadas deu um salto em seu papel na sociedade. A associação e propaganda do Brasil de sexo e mulheres, acho de mau gosto, e atrasada.

Miguel
MiguelPermalinkResponder

Carmem,

Concordo contigo que naõ existe cenário ideal. Que mesmo lá, deve haver o underground da prostituição. Mas continuo achando que encarar a situação de frente e trazê-la sempre que possível para dentro da legalidade é a melhor opção. Seria interessante ver qual o perfil de contaminação da AIDS no país e ver se as prostitutas credenciadas estão entre os grupos de risco.
E também não sei até que ponto é uma questão de eduação. Apesar do tráfico e exploração de mulheres exisistir e ser um problema grave, ainda há as garotas que são prostitutas por livre e espontânea vontade. Como dizem, é a profissão mais antiga do mundo e ainda acho que é bem anterior à cafetinagem.

Janaina
JanainaPermalinkResponder

Ricardo,
Sou leitora assídua do seu bloq e raramente discordo de você mas hoje sou obridada a discordar quando você afirma que (especificamente) o turismo GLS é definido "BASICAMENTE" pelo sexo.
Penso que tanto o turista gay quanto o hétero podem sim viajar a procura de sexo mas em nenhum dos casos o sexo DEFINE o turismo.
Sua afirmação de hoje me soou um tanto homofóbica.
Obrigada por ler.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Ih, acho que cheguei atrasada. O povo já debandou?

Goitacá
GoitacáPermalinkResponder

É, não há nada de mal fazer turismo sexual legal. Com maiores de idade e proteção. Amsterdã não tem o Red Light District?

Hugo
HugoPermalinkResponder

Turismo sexual, num sentido amplo, é muito comum, principalmente em alguns grupos.

Os jovens solteiros, por exemplo, certamente definem uma viagem considerando a possibilidade que terão em encontrar um parceiro no local de destino, mas isso, por si só, não os tornar criminosos.

Como destacado por várias pessoas, o grande problema é a exploração indiscriminada do sexo, principalmente por pessoas que obrigam outras a praticar atos não desejados, como ocorre no tráfico de mulheres.

Vamos ver se a Marta vai fazer alguma coisa ou se, a exemplo do Lula, vai dedicar o seu tempo de Ministério para realizar discursos nos quatro cantos do país.

Ricardo Freire

Janaína, desculpe se eu dei motivos para você achar que a minha afirmação era homofóbica.

Em primeiro lugar, não havia ali nenhum juízo de valor: a primeira parte do enunciado era justamente para limpar a barra do turismo "sexual" -- mostrar que o sexo como motivo de viagem é comum e em muitíssimos casos não envolve prostituição. É o sexo que move, por exemplo, os destinos mais movimentados do verão europeu. É a possibilidade de conhecer (biblicamente...) pessoas bacanas que põe um sem-número de destinos na moda entre jovens.

Da mesma maneira, quando se fala em um "destino gay" (acho que isso vale mais para o "g" do que para o "l"), o que se faz é identificar um lugar onde há toda uma estrutura para a paquera gay.

Gays fazem as viagens que todo mundo faz, para todos os lugares. Mas quando escolhem um "destino gay", ao menos os solteiros, a motivação é festeira -- e não há nada de mal nisso. A Parada Gay de São Paulo, que está, com toda a justiça, no calendário turístico da cidade, não atrai gays do Brasil inteiro para uma celebração cívica apenas -- é para a festa, e os contatos em terceiro grau que ela proporciona.

Quem, estando disponível, não viaja sonhando em viver um grande amor? "Shirley Valentine" é, para mim, o exemplo mais bacana.

A diferença é que os homens -- héteros ou gays -- não são tão românticos...

Ricardo Freire

Janaína,

Só agora entrei no seu site e vi que você tem uma agência de viagem GLS em Santa Catarina.

No seu próprio site eu consigo confirmar a minha teoria.

Você tem um roteiro "Buenos Aires" e um roteiro "Buenos Aires gay". A diferença entre os dois roteiros é que o roteiro "Buenos Aires gay" tem um by night num bar e numa boate gays e dá direito a um guia completo da vida gay em Buenos Aires smile

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Continuo de castigo bloqueada ou já posso comentar? eekS

Janaina
JanainaPermalinkResponder

Rsss! Got your point!
Esclareço apenas o seguinte: a OUTING TURISMO é ESPECIALIZADA em turismo GLS, e não EXCLUSIVA. Por este motivo e buscando a satisfação de todos os nossos clientes, optamos por indicar os Programas que são exclusivos GLS. Dai a razão de termos Bue e Bue Gay.
Respeitamos como você (e fico felicissima que você compartilhe de nossa forma de pensamento) a divesidade em todas as suas manifestações.
Abraços

Majô
MajôPermalinkResponder

tá feia a coisa...... acabo de ouvir no Jornal da Globo que no caos aéreo de hoje, há avião na pista de Congonhas com passageiros embarcados desde 5 e meia da tarde.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Agora eles estão fazendo greve de fome...vc viu?

Deise
DeisePermalinkResponder

Majô....é isso mesmo, o aeroporto esta um caos, ai meu Deus, oq vai ser de mim lá amanha....espero que tdos os passageiros entenda q a culpa n é nossa e nao nos bata, xingue ou tente invadir o ck-in, como em 02/11/06. Q Deus esteja com tdos os aeroviários e aeronautas nesse momento.

Riq, a coisa ta ficando feia, lança ai um topico sobre o caos q comentamos mais, Bj

Majô
MajôPermalinkResponder

Deise,

Pelo que percebo de sua aflição, você é batalhadora em alguma companhia. Realmente as pessoas não podem transferir a indignação e revolta aos funcionários que estão ali batalhando pelo pão de cada dia.
Cadê as otoridades das empresas e da Infraero ?

Riq,
Isso dá um tópico bem interessante, vc não acha ? Ver o lado de lá dos funcionários das companhias aéreas que ralam como nós, e ficam na linha de frente.

O que o Sr. Ministro da Aeronáutica tem feito, além de ameaçar com voz de prisão os funcionários?
Em que condições trabalham os controladores de vôo com centenas de vidas humanas sob sua responsabilidade ? Têm descanso suficiente ? Salários compatíveis com a responsabilidade que têm ? Pelo que li ano passado eles estavam trabalhando com carga horária excessiva. Os salários eram 1/3 ou 1/4 dos que exercem a mesma função lá fora.

Aliás, por que será que não houve transferência do controle aéreo para a iniciativa privada ?

Majô
MajôPermalinkResponder

Riq,

A Mô pede um help, os comentários dela não estão entrando. Será que houve congestionamento de posts da ala feminina ? rs

Majô
MajôPermalinkResponder

Deise,

Fique calma, a comunidade VNV vai se unir e rezar pra que isso se acalme. Por enquanto vamos cantando um mantra pra nos acalmarmos todos. Paz, muita paz

Sylvia Lemos
Sylvia LemosPermalinkResponder

Geeente ! O QUE É ISTO^??
OS CONTROLADORES DE VOO TOMARAM CONTA DO PAÍS ???

Majô
MajôPermalinkResponder

Sylvia,

Por que chegaram a este ponto ? Por que será que eles querem falar só na presença da Dilma Roussef ?

Majô
MajôPermalinkResponder

Detalhe: o que escrevi acima foi antes de abrir a Folha e O Globo.

Sylvia Lemos
Sylvia LemosPermalinkResponder

Ah ! A Dilma, a Dilma foi minha colega de faculdade.
Sempre envolvida com politica e ralando no
centro estudantil .
Todos sabemos as causas desta situação,o que
eu pergunto é :O comandante existe ou é uma miragem???

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar