Viaje nas viagens

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Tripulação,

Vou passar mais um dia fora da base e déscónéquitado, num bate-e-volta ponte-aeriano marcado tão em cima da hora que não dá nem pra combinar aquele convescote com os viajenautas dos dois lados da Baía de Guanabara.

(Mas oportunidades não faltarão, prometo.)

Enquanto isso, fiquem à vontade para colocar qualquer assunto na roda.

Mas se eu fosse vocês, subiria com o Arnaldo aos miradouros de Lisboa; daria uma geral em Punta del Este com a Carla; me esbaldaria na Antuérpia com o Marcio; pegaria carona com o Arthur para rodar a Paraíba todinha; percorreria as vielas de St.-Paul-de-Vence com o Jorge; seguiria a Carmen pelo sul da Bahia; e conheceria a Singapore Girl, devidamente apresentada pelo Rodrigo.

Quem tiver outras viagens para indicar, é só dar o link para o embarque na caixa de comentários.

Até mais!

117 comentários

Hugo
HugoPermalinkResponder

Rodrigo, hoje em dia não sou mais adepto do esquema vapt-vupt, ou seja, fazer aquelas viagens em que ficamos 15 dias de férias e visitamos 23 cidades diferentes, cada uma mais distante da outra.

No entanto, como você mencionou, sempre tento conciliar o máximo de diversão no mínimo tempo e com o menor gasto possível. Por causa disso acho que uma viagem interessante, que talvez eu faça um dia, seria BH-Londres (via EUA), ficar 5 noites lá, depois de trem para Paris e ficar uns 8 dias por lá, com direito a alugar um carro e passear nas cidades próximas, e então Paris-NY, ficando nos EUA uns 4 ou 5 dias, para então voltar para o Brasil.

O que me anima nisso aí é que esses trechos pela AA ficam o mesmo preço de uma simples ida e volta para Paris pela Tam. O problema é que a ida para Londres demora 30 horas (mas acho que vale a pena).

Para falar a verdade, já faz uns bons anos que eu não sei o que é ficar umas 5 noites em um hotel. Na minha lua de mel, por exemplo, foram 14 dias e 4 cidades diferentes, sendo que consegui aproveitar todas elas sem correria, ficando entre 3 e 4 noites em cada uma.

Majô
MajôPermalinkResponder

olha eu aí de novo ... Cláudio, eu mesma custeeeei a achar o post que escrevi para vc sobre Paris, são taaaaantos, achei que o Riq tinha apagado... Escrevi o posto no blog da enquete sobre café da manhã que foi onde vc pediu as dicas para 5 dias em Paris.

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

fala sério!!! o Ricardo deve estar orgulhoso da sua tripulação!
esse blog tá bombando!!!
daqui a pouco vc vai ser padrinho (ou pai) do maoir grupo brasileiro de viagens e turismo. Já pensou???
tenho a impressão de que a mudança de endereço, não sei porquê, deu muita sorte pra esse blog.

Mas agora, com tanta dica boa nos comments, seria ótimo organizá-los para que ficassem acessiveis aos passantes. Hoje, qdo se lê o post, não é possível imaginar qta coisa boa tem aqui dentro! tô certa ou tô errada?

que vc tenha cada vez mais sorte e sucesso!

Ricardo Freire

Tô pensando numa solução pra isso, Carol.

Daniela Siqueira

Patrícia:
Mais uma pra dar palpite. Aí vai: pra uma primeira vez na Europa, e ainda por cima em cima da hora, eu não descartaria a hipótese de uma excursão. Antes que me batam, explico: se você quer conhecer vários lugares de uma só vez, a infra-estrutura da viagem é complicada (ainda mais corrida assim, com pouco mais de um mês pra arrumar). Você não diz se vocês falam alguma língua estrangeira, o que ajuda muito. Ir em vários países, organizando as idas e vindas, em cima da hora e preferencialmente sem quebrar o banco, é bem complicadinho. Opções: ou você reduz os seus objetivos, selecionando restritivamente onde você quer ir (privilegiando uma área determinada, por exemplo, e deixando outras regiões para ir depois); OU você terceiriza o seu deslocamento, deixando uma empresa arrumar para você os trânferes, acomodações e similares. É mais limitante, sim, mas resolve a dor de cabeça que vai ser resolver juntar os pontos da sua viagem. E que ninguém não lhe diga que você não pode ir no lugar que você sempre quis ir (você pode, e deve - só que tem que achar como fazer isso do meio mais indolor possível). Depois, com calma, e depois de já ter feito uma "viagem-buffet" (TM do Riq), você volta em cada região que gostou e aprofunda a experiência. Porque eu acho que a primeira viagem de vocês pra Europa não vai ser a última...
Um jeito de personalizar a sua viagem, resolvendo a parte chata (transporte entre várias cidades e países diferentes), é ir antes para a cidade em que começa a viagem, ou depois da excursão esticar por sua conta em uma região mais limitada (o melhor de dois mundos). De qualquer forma, corre atrás das melhores opções!! Boa viagem!

Oldemar:
A melhor troca de milhas pra América do Norte (tanto que foi a que eu fiz) ainda acho que é um vôo para San Francisco. É caro à beça, e talvez você não fizesse (combinar com o Havaí parece interessante, mas não sei se permitido - na Varig não era). Para os 12 dias, você tem várias opções: é só alugar um carro depois que você ficar alguns dias em San Francisco. Daí, ou você desce pela costa do Pacífico visitando Carmel e Santa Barbara até Los Angeles (que eu odiei: LA, bem entendido); ou você vai para Yosemite (do outro mundo) e arredonda voltando pelas cidadezinhas fantasmas da corrida do ouro, finalizando no Napa Valley para ver umas vinícolas.
Ou quem sabe você troca as milhas direto para Las Vegas, e aproveita a cidade mais fake do mundo, indo ao Grand Canyon e/ou ao Death Valley? Dê mais detalhes que a gente dá mais palpite!!

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Levar agua (ou uma cerveja) pro hotel e sempre uma otima economia, mas na Europa não precisa, a agua da torneira é bem tratada e tomável... Pra que pagar agua mineral em Euros... ???? Em Paris na maioria das praças tem torneira, é só abastecer sua garrafinha! Em Roma, então nem se fala, e as fontes são lindas.

Ah, e quem quiser dar uma de pão durinho, nos navios e hoteis sempre tem agua free na sala de ginástica.

Gente este blog tá meio viciante, é falar nos assuntos que eu mais gosto.

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Oi Oldemar, moro aqui em Sao Francisco e acho que compensa muito vir pra essa regiao trocando milhas. A viagem SF-LA é linda, o tempo anda fantastico por aqui. A costa é cheia de penhascos, totalmente diferente do que estamos acostumados a ver.
Vc tb pode ficar aqui em SF por uma semana e depois pegar um aviao (Southwest, baratinho) pra Las Vegas. Concordo com a Daniela que diz que é a cidade mais fake do mundo. Eu chamo LV de Disneylandia de adultos. E apesar de eu nao jogar, me diverti muitssimo nas 2 vezes que estive la.
Yosemite tb é maravilhoso, mas vc precisa decidir qual é a "sua" viagem. Cada combinaçao dessas, da resultados totalmente diferentes. Se quiser mais dicas, é so pedir.

Oldemar
OldemarPermalinkResponder

Daniela e Maryanne,

Obrigado pelas dicas....Esse Blog tá virando Guia...

Axé!!

Fábio
FábioPermalinkResponder

vc começa a achar q é viciado qdo perde o sono às 3 da manha e fica no site do Riq... Pessoal, não consigo guardar segredo, tirei passagem para Toronto pelo smiles (Air Canada), embarco no final de agosto pra passar meu aniversário...alguem pode dar dicas, por favor, de um roteiro econômico em grana e tempo (10 dias)?????

Arnaldo FATOS & FOTOS de Viagens

Bem, o que eu posso desejar desde já é PARABÉNS pelo aniversário, ÓTIMA viagem e muitas dicas, na volta, FÁBIO!

Carolina
CarolinaPermalinkResponder

Fábio, Toronto........ hum... fiquei por lá 2 meses em 2000 numa casa de família. Na verdade não era uma família, era uma senhorinha italiana que vivia de alugar os quartos para estudantes em intecâmbio. A casa era uma festa!

Toronto é uma metrópole, vc vai encontrar tudo que encontra em outras(não sou muito entusiasmada com este tipo de viagem). Tem as dicas batidas, almoçar ou jantar na CN Tower, o Eaton Centre (shopping), se vc gosta, assistir a um jogo no Skydome...
Mas o que vale a pena de verdade é alugar um carro e ir a Niagara Falls (lindo! super turístico, mas é lindo e fica a menos de 1 hora de Toronto), Ottawa, Quebec, Montreal. O Canadá é um lugar maravilhoso! vc vai amar! se gosta de jazz, Quebec tem um festival enorme, mas acho que é em julho.
Eu faria um roteiro pra ir parando e marcaria a passagem de volta pela última cidade.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Lana, Emília e Guilherme, muito, muito obrigada pelas dicas!!! Estou começando a achar que não vai sobrar tempo para ir ao congresso enquanto eu estiver em BH... wink

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Com certeza conto com todos vocês Arnaldo, Daniela, Riq e cia.. Desde o início do blog estou por aqui diariamente viajando nas viagens de todos. Recentemente experimentei uma indicação da Carla em Miami e foi muito legal.O Brasil que conheci foi seguindo as dicas do Freires Praias e das reportagens na VT(assino desde o primeiro número que trazia N.York, justamente o lugar que eu estava indo naquele dezembro). O problema é como ir. Algumas vezes uso pacotes de operadoras que trabalham com pousadas recomendadas pelo guru Riq (aquelas do meio da lista pra baixo pq a grana é meio curta e sem ninguém pra dividir) e faço meu roteiro. O inconveniente: pago quase por dois.Outras vezes vou por conta para ter maior liberdade e acabo gastando muuuito. O que eu gostaria é do caminho das pedras para viajar de modo econômico e com conforto (espertinha hein?). Mas, isso no Brasil.Como vcs descobrem as barbadas que já vi por aqui? E como descobrem esses lugares maravilhosos da Europa, tão pouco divulgados? Quero ir a todos. Adoraria conhecer a região dos vinhedos da França, as vilas paradas no tempo. Por enqto, planejo para as próximas férias ir até Mendonza, na Argentina. Todas as dicas são bem vindas.
Será que é tarde para deixar o comentário por aqui?

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Jussara ;
A primeira coisa é viajar em dupla.
A segunda é ler tudo o que passar pela frente;vc pode começar
salvando por cidade todos os comentarios aqui da VnV.
Podes ler a vontade nas maiores livrarias .
Vou fazer uma conta simples para vc :deixando de consumir 10 reais
em bobagens por dia vc guarda 3650 reais em um ano , que é
suficiente para fazer uma ótima viagem.
Se vc guardar o mesmo valor por dois anos vai ter quase 3 mil euros.

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Majô, Carmem e Arnaldo,
Valeu pelas dicas sensacionais de Barcelona e Paris...Tenho o maior orgulho de pertencer este blog...

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Hugo, eu tinha me esquecido de falar sobre a locomoção em Noronha.
Se você tiver orçamento tranquilo, então alugue o bugue todos os dias.
Não estava dentro do meu orçamento ficar com um todos os dias, então eu só fiz isso no primeiro dia, para dar uma geral na ilha e planejar voltar nos lugares que eu mais tinha gostado. Depois, utilizei todos os meios disponíveis: taxi, a pé, ônibus, lotação, carona, barco, transfer...
Para ir ao centro ou para as praias do mar de dentro, eu pegava o ônibus (que passa a cada meia hora e é muito prático) e depois seguia a pé para onde queria. À noite, para ir ao Tamar e jantar, eu pegava carona (vc sempre conhece gente por lá) ou lotação, normalmente jipes (saindo do Tamar para a vila). Voltava de taxi para o hotel.
Quando ia mergulhar aproveitava o transfer da Atlantis do hotel para o porto e na volta também. Fiz isso também com o guia da trilha de Caieiras, que me pegou no hotel e me levou até o começo da trilha e me deixou no Forte do Boldró para o pôr-do-sol.
Apesar dos taxis, ainda saiu bem mais barato que alugar todos os dias.
Mas eu só recomendo esse esquema para quem for mais desencanado e também para quem gosta de caminhar (eu adoro, para mim é terapia). Caso contrário...bugue todos os dias.

ktbfg
ktbfgPermalinkResponder

Good site!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar