Enquete da semana: berimbaus

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Atire a primeira mala de mão o turista que nunca comprou um berimbau.

Não, não: não ache que você ficou fora dessa só porque resistiu bravamente a comprar um arco-e-flecha de capoeirista nos mercados-modelo da vida. Esse meu berimbau é metafórico.

Qualquer coisa que você compra no impulso e depois se revela um trambolho para carregar durante toda a viagem é um berimbau.

Por exemplo. Adquiri meu primeiro berimbau na minha primeira viagem sozinho. Foi há mais ou menos uns três séculos. Eu tinha 15 anos e estava numa excursão à Disney. Eu morria de remorso de estar lá, quando minha irmãzinha de 8 anos tinha ficado em Porto Alegre. Então, na primeira lojinha em que entrei na primeira manhã na Disney, comprei meu primeiro berimbau: uma Minnie enorme, praticamente do tamanho da minha irmãzinha. Carreguei a Minnie aquele dia inteiro na Disney, e depois no ônibus pra Miami e finalmente no avião para o Brasil. Põe berimbau nisso.

Meu berimbau mais pesado foi um jogo de 6 pratos de porcelana pintados a mão comprados na fábrica em Vietri, na Costa Amalfitana. Eles viajaram com a gente à Sicília, a Malta, a Paris e Amsterdã. Sempre sentadinhos no colo, como bebês-berimbau.

     pratos401.jpg

Agora é a sua vez. Conta pra gente sobre os seus piores berimbaus. E como eles se comportaram durante o resto da viagem até chegar em casa.

121 comentários

Helenice
HelenicePermalinkResponder

Majô, eu concordo com você. Esta é a enquete mais concorrida do ano. Devemos dar um prêmio também para a idéia do comandante. Sensacional!!!

Ricardo Freire

Helenice, o prêmio é pra todo mundo que entrou com essas historinhas djiliciosas....

Majô
MajôPermalinkResponder

Eu acho que ainda vai aparecer mais algum causo smile aguardem...

Marli
MarliPermalinkResponder

Pessoal, além dos berinbaus, não me recordo de nenhum tão fantástico assim, mas com certeza ja devo ter carregado algum nessas viagens. O mais importante aqui, que meu stress foi-se, ri muito com tudo isso, Tchau! Bom risos a todos também!

Marli
MarliPermalinkResponder

Descumpem-me o erro dos berimbaus com "n", foi a pressa.

O berimbau da viagem « Shanghai Web 2.0

[...] diz o colega e turista profissional Ricardo Freire, sempre compramos um “berimbau” na viagem - aquele trambolho que é um saco para carregar. Shanghai teve o seu devido berimbau, mostrado na [...]

Viagem ao reino do idiomaterno « O meu lugar

[...] utilizada em Santos para estufar armários e guarda-roupas. O edredom está para o santista como o berimbau-souvenir para o turista que visita a Bahia. Enforcamos a sexta, para ir ao Museu da Língua Portuguesa, na [...]

BIANCA
BIANCAPermalinkResponder

Passando por aqui, fui lembrar dos meus "berimbaus" e vi que nao foram poucos!
Citando alguns:
- uma espada de samurai há anos atrás, que aliás não sei como consegui passar com aquilo na bagagem (foi tenso!). Trouxe pro namorado e depois fiquei sabendo que não é bom dar esse tipo de presente. Superstiçao ou nao...terminamos tempos depois.
- cristais e peças em vidro lindas que comprei no Canadá e que exigiram um cuidado enorme pra nao quebrarem antes de voltar.
- a mais recente, uma girafa de pelúcia graaande que me ganhou no primeiro olhar, na Toys de NYC, e nao resisti. COmprei. Sö o pescoço dela já ocupava uma bolsa de nylon vertical praticamente toda!

Haja berimbaus!!! smile

Denise Mustafa

Achei ótimo esse post! Eu sempre tento comprar coisas pequenas, até pq nunca viajo com malas muito grandes. Compro mais pôster em museu, essas coisas. Mas depois de 1 ano morando fora, o violão e a mochila do equipamento fotográfico vão ser nossos berimbaus (berimbais, não sei agora...). Pior é quando é berimbau de amigo... Ontem uma pediu pra levar uma CAIXA de wisky do freeshop! Sem condições.. ainda mais com bagagem de mudança. Não dá!

Amanda
AmandaPermalinkResponder

Gente, levar guias (reparem no "S") de viagem na mala é um berimbau útil e certo pra mim!

Não costumo comprar coisas dificeis de carregar não, mas na viagem a Italia decidi comprar um livro de fotos de cada cidade que eu passei e no final da viagem estava com uns 10kg de livro!

ElaineRego
ElaineRegoPermalinkResponder

BERIMBAUS MEUS E ALHEIOS

Eu, com 15 anos,na Disney, não trouxe um Mickey enorme e sim uma bolsa de Palha, enorrrrme pra minha mãe(super barata no Wallmart) ....pra trazer tive que sentar na mala pra ela fechar....e um casal, na mesma viagem, me pediu pra passar pela alfândega com um Carrinho de Bebe (eu não sou de comprar muito e minhas malas vão sempre muito vazias, pois é a desculpa perfeita pra "ter que comprar" um casaco, uma bolsa...etc..coisas úteis)
Agora vocês imaginem a cara de meus pais, que tinham deixado a filinha deles sair pela primeira vez do Pais, voltando com um carrinho de bebê enorme??? Tadinhos...

Mais um: eu e maridão, em nossa primeira visita a Buenos Aires, amamos a tal cerveja Quilmes...trouxemos mais de 30 latinhas nas malas em sacos ZIPLOC e dentro de sapatos,casacos...uma loucura!!! MAs valeu a pena...tiramos onda com os amigos que iam lá em casa!!!!
E também já trouxe várias caixas de Alfajor HAVANNA de presente pra amigos-familia....Berimbau-obrigatório, mas de acerto quase 100%.

Eu e maridão vamos pros EUA só com a roupa do corpo (e umas peças íntimas extras) não levamos nada, compramos tudo lá....mas minha cunhada tinha pedido pra trazer papel de parede...sim 3 rolos (super pesados)Berimbau dos outros é terrível!!!!

Não sei se conta, mas no lugar dos guias super pesados, eu levo sempre:
- meu netbook (hoje são mais leves, mas na epoca de notebooks não tão finos era pior),
- Flipvideo(mini filmadora)
- máquina fotografica semi profisssional (não tão fácil de carregar e que pra ficar tirando da sua capa protetora é complicado- acabo sempre andando com ela meio na mão...
Digamos que são meus Berimbaus fixos....montes de coisas na mochila...alem de mapas e um guia simplificado (sou do grupo que tira copia e que só anda com o Guia da programação do "dia")

Meus cunhados em visita a vinículas no interior da França compraram vário vinhos premiados carregando por várias cidades da frança, trem e carro até portugal..maior cuidado... e queriam embarcar com eles na mala de mão....e olha que eles são super "viajados"...tiveram que deixar lá....e minha cunhada em outra viagem(depois dessa) queria embarcar de NY com varios cremes VictoriaSecret também na mala de mão super pesada, que ela levou por metro, andando pelo aeroporto, sem carrinho (um peso danado!!!) (como podem ser tão desligados, eu não sei) mas conseguiu colocar na mala e despachar (sorte)

Adorei o relato do pessoal...ri muito!

Bjs

Ricardo Freire

Hahahahaha! Sensacional -- ROLOS DE PAPEL DE PAREDE! E adorei os berimbaus fixos também mrgreen

Fernanda Oliveira

WOW!
O meu berimbau foi bem mais simples, para falar a verdade. Foi na minha viagem a João Pessoa, eu comprei de um senhor que estava na praia, uma moldura grande de paisagem que era basicamente: areia, vidro e água.
Até aí, tudo bem, certo? O problema é que O VIDRO RACHOU! O pior de tudo é que tinha roupa que eu comprei para levar de presente, além de comprar para meu uso, claro. E ELAS SOLTARAM TINTA! O que eu usei para envolver a moldura não foi suficiente, e bem... Foi uma tristeza. Roupas totalmente manchadas, livros meus juntos também, um verdadeiro horror! A sorte de não ter caído em nada eletrônico, foi porque isso eu levei na minha bolsa de mão, senão...
A melhor parte foi ao chegar em casa. Conversando com o povo, eles perguntaram o que eu trouxe. Quase gelei! Sabia que ia virar a nova chacota da mesa aos domingos, então despejei tudo de uma vez, com uma encenação bem cômica do ocorrido. Todo mundo riu, como era esperado, e eu acabei indo no clima também.

Depois que passa a gente ri, porque na hora....

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

o meu problema são os livros - em 2007, em Londres, a segunda mala era apenas de livros - 15kg lindooooos!!! rsrsrs

mas essa era fichinha, frente à viagem de 2008, que era um mochilão por váááários países - e lá ia eu arrastando quilos e quilos de livros. ontem mesmo estava pensando, pq eu fiz isso??? tá certo que eram livros únicos, difíceis de serem encontrados aqui, e bem mais baratos caso fossem. mas pq??? pq???

Priscila (Inquietos)

Meu "berimbau" foi um painel lindo de azulejos portugueses que comprei para meus pais no Algarve. A caixa pesava uns 12kg - e claro que foi o maridão que carregou. Pior que até hoje meu pai não instalou o painel.

Carlos Nascimento

Paty, se você disser aqui em minha terra que os cachorros quase lhe deixaram sem o seu bacalhauzinho, sei não o que vão pensar de você. Como diria o jornalista Ancelmo Góis, que também é aqui de Sergipe D'El Rey, isso na minha terra tem outro nome e já foi cantado em prosa e verso em um porno-forró de Zé Nilton, chamando Bacalhau à Portuguesa, vejam a profunda letra em http://letras.terra.com.br/zenilton/1005574/
Riq você já viu a expressão pensar que berimbau é gaita? significa crer enganadamente que certa coisa é simples, fácil (está no Houaiss).
Minha formação escoteira me acostumou a levar somente que poderia caber em minha mochila (bornal aqui em SE), mas isto não me impediu de transportar berimbaus alheios, os mais diversos nas mais diversas embalagens, sempre tem aquele encomendazinha.
Já ia me esquecendo tem o berimbau presente, aquele que alguém lhe dá sem pensar como você irá levar. Uma vez fui fazer um trabalho em uma cidade colombiana que tinha umas termas, e de um dos poços eles extraem um sal medicinal com o qual fabricam vários produtos, com os quais resolveram me presentear inclusive quilos do próprio sal, uma substância branquinha e fininha, imagine o que seria enfrentar as várias revistas no Aeroporto de El Dorado, com este pó branco na mala. Deixei como presente à mãe de uma amiga.

Cris
CrisPermalinkResponder

Poxa vida, nunca tinha lido este post enquete. Sei que já faz tempo, mas aqui vai meu relato: trouxe um "berimbau", ou melhor , um "berimbauzinho" da minha viagem mais recente. Quando passei em Veneza, obviamente que nao pude deixar essa cidade linda sem uma máscara veneziana original, feita artesanalmente de papel machier. A máscara nem era grande, mas por ser de papel machier, poderia amassar ou mesmo se espatifar se eu colocasse na mala ou mesmo na bolsa. Ainda tinha mais da metade da viagem de 24 dias pela frente. Já nao sabendo mais como fazer para carregar aquele berimbauzinho frágil, minha única idéia foi entrar num mercadinho ali mesmo em Veneza e procurar aqueles potes tipo "tupperware", haha,. Encontrei um de plástico bem rígido e tampa hermética. Testei e a máscara entrou como uma luva ali dentro. Comprei o pote, mas mesmo assim, fiquei com medo de colocar o pote dentro da mala despachada, nos vários vôos que ainda ia fazer, por medo da indelicadeza do pessoal de carregamento e descarregamento das malas... Levei aquele trombolho de pote com a mãscara dentro da bolsa durante todos os deslocamentos, haha,. A bolsa ficou com um volume grande e embora não pesasse quase nada, me atrapalhava bastante ao me movimentar.... Hehehe

RABUGENTO
RABUGENTOPermalinkResponder

Não posso contar exatamente a história porque eu seria identificado com o que aconteceu.

Diversos quadros muito bem embalados e etiquetados como bagagem frágil foram embarcados em VCP com destino ao SDU num E195. De lá foram para MEA no ATR42.
Depois do embarque m VCP a comandante educadamente avisou aos passageiros que demorariam um pouco mais para taxiar porque estavam prendendo melhor uma carga frágil que estava nos porões da aeronave.
O voo atrasou 15 minutos para arrumarem o compartimento de carga.
O transbordo em SDU ocorreu normalmente. Quando descarregaram os quadros em MEA (Macaé) colocaram alguns encostados às rodas do ATR42. Uma lufada de vento derrubou-os todos mas nenhum se danificou. wink Chegaram inteirinhos ao destino. UFA!

Ines Martins
Ines MartinsPermalinkResponder

Como assim eu nunca topei com esse post??? O que mais haverá aqui que ainda não li! o.O

Sempre trago berimbaus! A cada viagem juro que "jamais outra vez" mas é impressionante minha capacidade de esquecer na viagem seguinte... Em minha primeira viagem a Portugal trouxe vááááários galinhos de Barcelos. Imagina acomodar tudo isso? E ainda trouxe muito mel do apiário do meu avô. Yessss, passei pela alfândega sem problema! Mas e o peso? Tem noção?

E numa viagem aos EUA trouxe uma impressora, que sozinha ocupava uma sacola tamanho GG. E como no aeroporto não haviam carrinhos disponíveis eu arrastava a sacola pelo chão como se fosse uma criança puxando um caminhãozinho. Ridículo! kkkk

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Há muitos anos viajo por este blog e hoje encontrei estas "pérolas"!!
Me senti imediatamente compelida a compartilhar meu "berimbau", munida pela sentimento de que "mãe faz cada coisa..."
Pois bem, há muitos anos atrás, viajamos em família (eu, marido, 2 filhos, pai, mãe, sogro e sogra) para Maraú, na Bahia. Só pra ter ideia do cenário, se lá ainda hoje é rústico, de difícil acesso, e sem comércio, imaginem isso há uns 15 anos...
Era dia do aniversário do caçula, que completava 3 aninhos. Ele vinha ansiosamente contando os dias para a data, aguardando o tão esperado momento em que cantaria parabéns ,sopraria a vela e comeria o bolo!
Então, coração mole de mãe que sou, encomendei um lindo bolo que foi minha "bagagem-berimbau-de-mão" durante toda a viagem: avião até lhéus, depois de van até Camamu (+- 2 h de duração), seguido por um trajeto de barco de pescador até o cais em Maraú (+- 1 h) e, por fim, um "safari" na carroceria de um caminhão ( tipo estes do exército que a gente senta de lado, sabe?),até o hotel . E, tudo isso, de olho nos 2 filhos !! Ufffaaa!!
Se valeu a pena? Cada pedaço compartilhado do bolo (que chegou inteirinho!!), regado a um brilho nos olhos do aniversariante, que não tem preço!!! Até hoje ele se lembra desse aniversário!

joaogilberto
joaogilbertoPermalinkResponder

O meu foi uma panela de Barro em Guarapari mas em formato de peixe que eu pensava em fazer moquecas e nunca teve serventia passei adiante e nao me arrependo

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar