Paris pra Dani (Lerê, lerê)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

vosges450.jpg

Outro dia a Dani do Rio me deixou bleu-blanc-rouge de inveja ao pedir um help para destrinchar uma viagem de uma semana em Paris (com o maridão, a trabalho) sem ter mais pontos obrigatórios para ver.

Claro que ela só queria dicas parisienses fora do basicão. Mas, do jeitinho que ela escreveu, acabou inspirando a minha coluna desta semana lá no ViajeAqui.  

Originalmente aqui só tinha um link para o texto completo. Mas como o link caducou (e não há mais permalinks lá no ViajeAqui), aqui vai a transcrição integral.

O que fazer numa cidade onde você já foi a todos os pontos obrigatórios?

Essa foi mais ou menos a pergunta que me fez uma querida leitora minha outro dia. Por causa do trabalho do marido, a pobrezinha vai precisar voltar a Paris (a Paris!!!!) apenas seis meses depois da primeira viagem.

Muito provavelmente ela só queria que eu desse sugestões de programas fora do basicão para essa nova semana na cidade.

Mas se eu resolver enxergar algumas minhocas nessa pergunta, a coluna fica muito mais interessante. Você deixa, Dani? Obrigado.

É o seguinte. Nós, turistas (eu detesto essa distinção pretensiosa que alguns fazem entre "turistas" e "viajantes"), somos escravos do cartão-postal.

Organizamos nossos roteiros de um jeito assim e assado para conseguir bater ponto em todos eles. Lerê, lerê! Ai da gente se não entrar numa igreja obrigatória. Lerê, lerê! Quantos museus obrigatórios você já viu hoje? Lerê, lerê! Será que eu vou conseguir reserva naquele restaurante obrigatório? Lerê, lerê!

Quando a gente consegue ticar todos os pontos obrigatórios de uma cidade, lerê lerê, está na hora de passar para a próxima.

Nada contra os pontos obrigatórios. Tudo contra a obrigação.

A gente se acostuma tanto com as obrigações diárias de escravo dos cartões-postais, que quando não tem nada na agenda do lerê, fica perdido. Pior: fica culpado. Como é que eu ainda estou aqui nesse lugar onde não existe nada mais obrigatório para fazer? Socorro, eu tô livre!

Se você algum dia se vir nessa situação, não tenha medo. Aí é que o lugar fica realmente bom.

O meu sonho de consumo é voltar, à paisana, a lugares onde eu já cumpri todo o circuito lerê-lerê. Melhor: onde haja alguma coisa muito importante que eu ainda não tenha visto de perto – mas que eu todo dia dê um jeito de adiar para o dia seguinte, até não ter mais tempo para cumprir smile

Tudo bem, admito que existem lugares do mundo que só justificam a viagem até lá por causa de seus pontos-lerê. Mas cidades como Paris foram feitas para os com-tempo e sem-obrigação. "Flanar" foi um verbo cunhado em Paris. "Pegar uma mesa na calçada e pedir um café" foi outro.

Da última vez que tive tempo sem lerê em Paris (já faz nove anos!), saí andando sem mapa nem destino, atravessei o Sena por uma ponte onde nunca tinha posto os pés, subi uma ladeira que não conhecia, e, lá pelas tantas dei de cara com uma feira linda e sofisticada, que não ficava numa rua, mas numa praça, dessas com fonte no meio e tudo, e que só agora, pesquisando no Google, vim a saber que é a feira da Place Monge. Se eu tivesse visto num guia, não teria ficado tão surpreso. Não só com a feira, mas também pelo fato de ter descido outra rua e pimba: ter deparado com o Panthéon.

O ideal é que em todo lugar interessante (nem precisa ser tãããão interessante quanto Paris, não) a gente possa reservar pelo menos um dia para vagar a esmo, sem objetivo nem lerê de espécie nenhuma.

E que, mesmo nos dias de lerê brabo, possa fazer recreios longos. Ou chegar ao ponto-lerê pelo caminho menos objetivo. Para que a gente não guarde na memória só o cartão-postal, mas também o making-of do cartão-postal.

(Eu bem que queria poder aplicar isso retroativamente. Meu Deus, como eu gostaria de me lembrar da primeira coisa que eu comi depois de ter descido da Torre Eiffel!)

Mas não, Dani, eu não estou sugerindo que você fique uma semana zanzando por Paris feito uma doida varrida sem lerê nenhum na agenda.

Só para te inspirar, vou dar umas dicas de lerezinhos gostosos e totalmente não-obrigatórios.

Ao chegar no Charles de Gaulle, entre na livraria do setor de desembarque. Compre três livros

1) um Paris par arrondissement – um livrinho mágico de bolso em que você aprende a achar facinho qualquer endereço parisiense e a estação de metrô mais próxima;

2) um Pariscope, que traz toda a programação cultural da cidade para a semana; e, se tiver,

3) um Petit Lebey 2007 des Bistrots Parisiens, um guia sensacional para achar bistrozinhos recomendados (tradicionais, regionais ou modernos).

Pronto. Você está bem equipada para esta semana que está me deixando bleu-blanc-rouge de inveja.

Flane. E use seu Paris par arrondissement quando estiver mais perdida do que o recomendável.

Vá ao cinema. Todos os filmes que você perdeu no cinema e não saíram em DVD parecem estar em cartaz em Paris.

Dê um jeito de pôr uma feira de rua no seu caminho. E/ou uma padaria nota 10. E/ou um mercado de pulgas.

E quando cansar de Paris, dê um pulinho no norte da África ou na Indochina: passeie por bairros com forte presença de imigrantes, como Oberkampf e Belleville.

Se no caminho você topar com o Arco do Triunfo, a Torre Eiffel ou o Louvre, mande lembranças, tá?

143 comentários

Ricardo Freire

Majô, eu uso o Photoshop porque veio uma versão simplificada (Photoshop Elements 2.0) num CD junto com a minha câmera.

Mas eu não gastaria dinheiro com isso não; o Google te dá de graça um sistema de edição de fotos em português. É só baixar o Picasa.

http://picasa.google.com.br/

Eu não sei qual é o sistema que o Beto usa; as fotos no blog dele são .gif, não .jpeg.

Majô
MajôPermalinkResponder

Eu tenho o Picasa. Basta diminuir o tamanho da foto ? Eu entendi que tinha que reduzir a resolução, e isso não encontrei no Picasa.

Beto
BetoPermalinkResponder

Uso o Photoshop e salvo para a web, o que transforma as fotos em gif. Também não me entendi com o picasa, instalei e desinstalei rapidamente. Majô, no Photoshop você vai em Imagem, Tamanho da Foto e, na primeira janelinha, reduz para, no máximo, 450 pixels de largura (verifique se a altura está ajustando automaticamente, quando você faz a alteração). Fotos verticais, costumo usar 225 de largura (se não a foto fica muito comprida, o que eu não gosto ao visualizar no computador). Volta em Arquivo e escolha a opção Salvar para a Web, para o arquivo ficar mais leve. Sei lá se tá dando pra entender. Mas acho o Photoshop o melhor pra esse troço.

Beto
BetoPermalinkResponder

Resumindo, se você encontrou no Picasa o lugar pra reduzir o tamanho, basta alterar a largura em pixels, como eu disse aí em cima.

Ricardo Freire

Eu não tenho o Picasa... só intuí que, se ele compete com o Photoshop, então deveria ter um lugar para "salvar para Web", também. Se não tem, não tá mais aqui quem comentou....
eekops:

Majô
MajôPermalinkResponder

Fui lá olhar agora em Imagem, em exportar imagem para web, só tem possibilidade para alterar para opção 320 pixels(o menor possível). Em editar imagens não tem como alterar o tamanho.
Quando tentei fazer upload de fotos, só tinha opção thumbernail ou página inteira que ficou enooorme. Não consegui como vocês fazem, arrumar fotos lado a lado, com dimensões de pouca largura e mais altura. Com a palavra os sabidões.

Beto
BetoPermalinkResponder

Majô, tenta exportar a imagem com 450 pixels de largura. Também não consigo mais editar fotos lado a lado, mas eu CONSEGUIA. A peste do programa do wordpress não permite mais, ou então eu tô errando em alguma coisa que, depois de 489 milhões de tentativas, não consegui identificar, até que desisti e não tento mais editar fotos lado a lado. Mas vá lá, crave 450 pixels e tente fazer o upload.

Majô
MajôPermalinkResponder

Beto, as minhas fotos estão no computador em casa, só fiz um teste simples para ver se tinha a ferramenta. Diacho, maa a gente tinha que conseguir, né mesmo ? Tudo do google tem que ser simples, ou não temos neurônios suficientes eekops:
Vou tentar com alguma foto boba. E pior é que quando abri o blog, fui registrar meu username, e já tinha Majô, puxa vida, clone haha. Coloquei majots, mas não acho legal, quero tentar enganar o sistema :roll:

Beto
BetoPermalinkResponder

Tenta Majjô. eekops:
Ou Majô do Braca lol

Majô
MajôPermalinkResponder

Beto, entra lá no majots, veja que foto linda eu uploudei. Magina que quando eu entrei já tinha um blog anexado, o do Breno. Veja só, ele tem vontade própria lol
Majô do Braca vão achar que eu sou pinguça wink

Beto
BetoPermalinkResponder

Então, Majô (do Braca), já chega chutando o balde (de cerveja)...

Beto
BetoPermalinkResponder

Ficou ótima, Majô. Mas você embebedou o coitado, foi não?

Ricardo Freire

Ixe... Tchindji nadjim qcêis tão falanaí.

Majô
MajôPermalinkResponder

Beto, consegui enganar veja lá wink

Majô
MajôPermalinkResponder

tá morto de tanto trabalhar mrgreen

Beto
BetoPermalinkResponder

Riq, vai em majots.worpress

Ricardo Freire

Ah, agora eu vi:
http://www.majots.wordpress.com/about e http://majo.wordpress.com

Quantos blogs você tá pensando em abrir, Majô?

lol

Majô
MajôPermalinkResponder

Beto, já mudei pra Majô haha esses sistemas se acham perfeitos

Majô
MajôPermalinkResponder

iche agora é que eu vi que o que mudou não foi o nickname.

Beto
BetoPermalinkResponder

Óia, Majots, agora tô que nem o Riq. Tchindji nadjim da tua enganação...

Beto
BetoPermalinkResponder

Uma zona da gota serena...

Majô
MajôPermalinkResponder

pior é que nem eu tô entendendo..... sem querer abri outro...

Majô
MajôPermalinkResponder

socorro, como eu apago o 2o. ???

Ricardo Freire

Majô, são duas coisas diferentes: o nome de usuário (no seu caso, majots) e o endereço do blog. Com o nome majots, você abriu dois blogs, o majots e o majo. Entra no painel de controle do que você quer apagar e apaga -- ou então deixa lá, assim ninguém abre um blog majo no Wordpress à sua revelia smile

Majô
MajôPermalinkResponder

Obrigada Riq, melhor mesmo smile

Daniel
DanielPermalinkResponder

Pessoal, há muito tempo fico de voyeur sacando o excelente nível do papo. Sou daqueles que acompanha o Freire desde o Viaje na VIAGEM que ele encontrou num sebo dia desses e que até hoje eu leio aqui em casa... Seguinte... Tô indo para Lisboa em Setembro mas não tô encontrando um hotel legal nos sites de busca... Vocês teriam alguma dica ?? Abç...

Ricardo Freire

Daniel, deve ter alguma coisa nesse post aqui:
http://viajenaviagem.wordpress.com/2007/02/05/enquete-da-semana-hoteis-em-conta/

Eu já indiquei o NH Liberdade para uma amiga; ela conseguiu diárias a 80 euros e gostou muitíssimo.
http://www.nh-hotels.com/nh/es/hoteles/portugal/lisboa/nh-liberdade.html

(ops, no site já fala em "desde 123 euros...)

Daniel
DanielPermalinkResponder

Freire, valeu a dica. Já tinha dado uma olhada no hotéis-em-conta vou checar de novo. Vc já ouviu falar dessa rede "AC Lisboa" ?? P... cara, nunca pensei que ia "falar contigo"...

Daniel
DanielPermalinkResponder

Freire, O NH não tem disponibilidade para o período 25/09 a 28/09. Tens outra dica ??

Majô
MajôPermalinkResponder

Daniel,
Dá uma olhada nesse site. http://www.guidesdecharme.com/fr/contenu/speed-search-hotel.html#RESULT
Quem sabe você acha alguma coisa que interesse.

Daniel
DanielPermalinkResponder

Majô, valeu... vou dar uma olhada...

Marcelo Galvão

Ricardo, Beto, Majô, não tenho palavras!!! Agradeço muito pelas dicas. Desculpem-me por não ter dado sinal de vida, antes, mas esta semana está pesada em termos de trabalho!
Ricardo, parafraseando o Daniel, conheci você, por meio do seu primeiro livro "Viaje na Viagem", em 1999, quando fiz minha primeira viagem à Europa, desde então você é um dos meus gurus!! Descobri o seu blog recentemente e, realmente, é muito interessante, à medida que a galera, conversando, troca experiências e informações. Parabéns!!
Tenho que correr ao aeroporto! Não, sem antes, passar uma dica pro Daniel.
Daniel, ano passado estive em Lisboa, e depois de fuçar pela internet (Frommer's, Tripadvisor, etc.), descobri o Residência Alicante www.residenciaalicante.com. Paguei, em setembro, 50 euros, café incluído, sem muita variedade, porém honesto . Quarto bom, limpo, roupa de cama e toalhas, também. Chuveiro legal, armário pequeno. É bem localizado, há uma estação de metrô perto; se não me falha a memória, é a estação Picos: a entrada é muito parecida com a de Abbesses, em Paris, estilo rococó. Acesse o site.
Se você for, saindo do hotel, à direita, atravesse a rua, há um ponto de ônibus, não lembro o número do autocarro, como eles chamam, que te deixa na área em que estão a Torre de Belém, o Monumento aos Imigrantes e o Mosteiro de São Jerônimo, imperdível!! O dono, Sr. Manoel, é gente boníssima!! Ele já passou férias no Rio; é amigo do dono do Adegão Português, ali na Rua da Passagem. Peça dicas para ele. Não tenho certeza, mas acho que a administração do hotel é familiar. Não sei se ele lembrará, diga que indiquei o hotel para você.
O tempo urge! Breve, entrarei em contato com vocês.
Valeu a todos!!!!

Marcelo Galvão

Beto, qual o roteiro que você fez no Vale do Loire? Chego em Paris, pelo CDG, por volta das 15 h. Como já disse, pretendo alugar um carro e seguir para o Monte Saint Michel. Além deste lugar, quero conhecer Saint Maló e o Vale do Loire; retorno para Paris, no dia 27 (quinta-feira), saindo de Tours. Este roteiro abarca quatro noites.
É melhor ficar num hotel em Saint Maló ou em Avranches, por conta do preço e/ou distância do Monte Saint Michel? Onde ficar no Vale do Loire? Qual a faixa de preço da hospedagem na região? Por favor, veja se este roteiro está adequado ou há um melhor.
Em razão do trânsito, é melhor entregar o carro no aeroporto, ou em Paris, por exemplo, na região do Quartier Latin.
Em Paris, o período de permanência será de 27 de setembro a 5 de outubro (oito noites), creio que seja melhor ficar num apartamento de temporada do que num hotel, não é isto? Ricardo, o que você me diz?
Até breve.

Marcelo Galvão

Daniel, uma pequena correção, a minha estada em Lisboa foi em outubro. A foto no site é a do Sr. Manoel e as dos quartos corresponde à realidade. Pelo menos, ao do quarto (double) em que ficamos.

Ricardo Freire

Marcelo, eu nunca fiz, nem estudei a fundo, o vale do Loire ou Mont St.-Michel. Sobre Mont St.-Michel você encontra dicas boas mais para cima nesta caixa de comentários mesmo.

Se você quer desembarcar e já iniciar a viagem de carro, é melhor pegar já no aeroporto, claro. Nesse primeiro dia, faça o percurso mais curto possível; você vai estar maldormido da viagem de avião.

Viajando nos comentários: Mont St.-Michel « Viaje na Viagem

[...] Se você está pesquisando informações sobre Mont St.-Michel, leia a partir deste comentário aqui. [...]

regina
reginaPermalinkResponder

Adorei todas as dicas e tenho uma, hehehehe, dúvida Alguém sabe me dizer como faço para voltar de Vêndome ( vale du loire ) direto para o CDG? Tem como? Tomo o mesmo TGV que volta a Paris e vou para o aeroporto?

Lucia
LuciaPermalinkResponder

Onde a gente pode comprar caro, acha-se em qualquer jornal, prospecto, revista de moda. Mas onde achar roupas de griffe (coleção do ano anterior, geralmente sem etiquetas do fabricante) por precinhos imbatíveis, se comparados com os preços originais?
Preste atenção à lojas que usem a palavra "Dégriffes", elas têm roupas de marca da estação anterior, a mais conhecida de todas é a
http://www.mouton-a-cinq-pattes.info

Na Rue d'Alésia (14e Arrondissement - M° Alésia ou Plaisance) também tem muita roupa de marca e barata: Cacharel, Sinéquanone, Dorotenis, Sonia Rykiel, Régina Rubens, Daniel Hechter e Chevignon

Os famosos mercados das pulgas têm uma grande desvantagem: há tantos batedores de carteiras que no final das contas "o barato sai caro".

Em "feiras de vestimentas" há coisas muito boas por preços super acessíveis:
Mercados Daumesnil/Félix e Belleville
Aberto só às 3as. e 6as. pela manhã. Leve a máquina fotográfica pois vale a pena!

Aqui há roupas de preços baratos a super baratos:
Marché Carreau du Temple, 2 rue Perrée, Métro: Temple ou Arts et Métiers
As butiques abrem de 3a. a sáb. (9 - 19 hs) e dom. (9-12)
Os stands super baratos abrem de 3a. à 6a. ( 9-12) e fim-de-semana até 12.30.

E para terminar o "Marché Aligre" situado na praça do mesmo nome. Aqui há coisas para o estômago e também muitas roupas baratas que só aparecerão nas prateleiras estrangeiras depois de algum tempo.
Abre pela manhã, todos os dias exceto às 2as. Metro: Lédru-Rollin.

Aqui você encontra uma lista de endereços, por bairros, das feiras (mercados) mais importantes de Paris:
http://www.paris.fr/portail/marches_parisiens/Portal.lut?page_id=5675&document_type_id=5&document_id=10926&portlet_id=12148

Caso eu tenha esquecido de alguma coisa importante, basta você colocar o nome da loja ou mercado no google, optar pela língua francesa, e muita coisa interessante vai aparecer.

Depois que vi numa loja de bijuterias baratas (com certeza vindas da China!) um casal de paulistas - pela conversa pareciam donos-de-butique chic em SP - vestido na última moda, mais real que o rei, comprar a metade do estoque (eles não podiam nem mesmo em sonho imaginar que eu fosse brasileira e estava ouvindo a conversa!) jurei que passaria pra frente toda e qualquer informação sobre coisas boas e baratas de que eu tomasse cohecimento. Não acho certo que essa gente enriqueça e passeie pelo mundo às custas de enganar os outros dizendo "um luxo...trazido de Paris". Pode ser... mas Paris também tem muito lixo!

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Oi,
estou ha um tempao tentando descobrir a distancia entre a torre eifel e a disneyland e nao consigo, alguem pode me dizer, devo ir de taxi ou de metro??Só fui uma vez a paris mas nao cheguei a ir a disney, agora com criancas...
obrigada

Marildo Diniz
Marildo DinizPermalinkResponder

Esou indo para Paris em Janeiro. É a minha quarta vez na cidade, porém, como sempre ia com mais gente não foi possível ir a uns bistrôs para apreciar a comida francesa. Desta vez eu e minha esposa estávamos planejando ir e aproveitar tanto no almoço quanto no jantar. Vocês tem alguma sugestão de bistrôs com bom custo/benefício?
Por coincidência irei também para Mont Saint Michel e Saint Malo e repetir o Vale do Loire.

Obrigado,

Marildo - Belo Horizonte

Gabi
GabiPermalinkResponder

Nada melhor do que viajar a esmo, Fui a Paris e nao subi a torre, fui a NY e nao fui na estatua da liberdade, fui a Londres e nao assisti a troca de guarda... preciso voltar para os 3!

Muito bom o seu blog!

Elaine
ElainePermalinkResponder

Estou planejando ir para Paris em meados do próximo ano. Alguém foi recentemente e tem dica de hotel? Obrigada.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar