Segundo dia

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

12h. Sem saco para carregar a câmera (preciso aprender a fotografar no celular), começamos nossa caminhada pelo calçadão da praia, no final do Leblon. Objetivo: ir até o primeiro quiosque da nova Orla Rio que aparecesse no nosso caminho.

13h. Uma hora de pernada mais tarde, encontramos o primeiro -- em Copacabana, no Posto 4, em frente à rua Bolívar. É a filial pé-na-areia de um dos mais tradicionais restaurantes de frutos do mar (e de linha baiana) do Rio, o Siri Mole & Cia., do Posto 6. Querem saber? No que depender desses dois turistas paulistas, os novos quiosques estão aprovadíssimos. É muuuuuiiiiiitoooo civilizado poder tomar um chopinho num cálice de vidro (R$ 3; o garotinho, no copo baixo, R$ 2,20) numa cadeira de alumínio instalada num deck sob a sombra de um ombrellone bacana. Vale o sobrepreço, e por menos que eu goste das linhas moderninhas demais do projeto, é infinitamente mais decente que a bagaceirice reinante. O banheiro/vestiário/guarda-volumes do subsolo, então, é de primeiríssimo mundo. (O banho custa R$ 3; com sabonete e toalha, R$ 4; o malex custa R$ 4 por 12 horas.) Tomamos um chopinho e uma caipivodka de lima-da-pérsia, e rachamos uma água de coco (servida em copo, alto e fino, R$ 3). Outra coisa interessante desse Siri Mole é a sua localização -- bem no ponto que estão chamando de "Baixo Copa", por causa do Copa Café e das filiais copacabanenses da Capricciosa e do Belmonte.

14h. Voltamos a pé e inventamos um pit stop no Azul Marinho, o bar-restaurante do hoteleco Arpoador Inn, no calçadão do Arpoador. Aproveitei que as ondas estavam cristalinas e fui mergulhar (tem uma escadinha praticamente em frente ao bar). Pena que os pastéis de queijo que pedimos eram insossos (os pastéis não são fritos, são de forno; só que ninguém avisou. E nem monges budistas merecem um recheio tão sem graça num pastel de forno). Para piorar, o lugar é ponto de artistas de rua que fazem apresentações constrangedoras enquanto o garçom não aparece nunca com o seu troco. Passo.

16h. De carro (e de câmera), vamos até Botafogo comprar ingresso para o teatro de domingo -- onde vamos a tempo de chegar pontualmente para a míni-con-VnV-enção no Belmonte do Flamengo deste domingo às 20h45 (apareçam!).

schawarma450.jpg

16h30. Schawarma no prato (lascas de carneiro, arroz marroquino, salada, homus) e arroz-com-lentilhas. Sem sobremesa, mas com vista para os prédios da Praça do Lido.

lido450.jpg

18h. Última tarefa da maratona teatral: garantimos os ingressos para o besteirol de sábado.

20h30. De partida para a peça de hoje. Não desistam -- amanhã o dia reserva uma bela surpresa.

27 comentários

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Gosto bastante do Amir, que tem uma bonita (e mais espaçosa) filial no Rio Design Barra. Sobre o jantar de ontem, considero o Togu um restaurante mais para contemporâneo, não consigo chamar de japonês um lugar que serve muqueca, carne-seca e goiabada com queijo, claro que não existem no Brasil restaurantes 100% fiéis à culinária japonesa (o que é financeiramente inviável), então não dá para ser tão rigoroso, só que, pelomenos para mim, um restaurante japonês é aquele faz o possível para se afastar o mínimo do que se come no Japão, algo quase inexistente aqui no Rio (SP não sei). Espero a opinião de outros viajantes e do Riq a respeito. Estou torcendo pelo tempo bom amanhã para que o dia seja proveitoso para nosso ilustre visitante, as previsões estão totalmente conflitantes, algumas dão chuva e outras sol, nem vale a pena conferir, melhor rezar.

Goitacá
GoitacáPermalinkResponder

Que saudade de comer shawarma...

Nelson Biagio Junior

Ricardo, quando teremos uma míni-con-VnV-enção aqui em Sampa? Poderia ser no Quinta da Canta...o que acha?

Abraços,

Ricardo Freire

Leandro, o Togu é um restaurante contemporâneo, claro, e eu voltei lá por causa das entradas. Se fosse pra comer japa eu iria ao Azumi...

Nelson, eu adoro o Quinta da Canta...

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Ricardo e tripulantes,visitantes,leitores e amigos. ATODOS, uma excelente PÁSCOA, com saúde, paz e felicidades.

E vc., Ricardo, já que está no Rio, continue a explorar nossa cidade e tirar dela o melhor. O Jornal o Globo de Sexta-feira, no Caderno Rio Show, tem dicas MUITO interessantes e curiosas sobre coisas do Rio. Seria legal se vc. conseguisse, como material de trabalho. Se não conseguir, eu mando pra vc. o meu exemplar, bastando dar um endereço qualquer onde possa passar para pegar (portaria deum hotel, portaria dacasa de um amigo, portaria dacasa de um parente,enfim...).

Ah, estou agora com a novidade do RSS no meu blog, em teste.Quem quiser pode agora receber automaticamente as atualizações que eu fizerno blog.

O feeddo RSS/XML é http://interata.squarespace.com/jornal-de-viagem/rss.xml

Quem é profissa e manda muito nisso é o Rodrigo!

Ricardo Freire

Eu comprei ontem O Globo, Arnaldo, e já guardei o caderno, obrigado!

Eu assino o Globo em São Paulo, mas este caderno, junto com alguns outros (Prosa & Verso, Info Etc.), deixou de ser enviado aos assinantes fora do Rio (um absurdo!).

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Legal, que bom, fico feliz. Achei bem legal a relação decidas de lugares da reportagem "Simples Prazeres", na qual são mostrados lugares onde se fazem 24 programas simples mas indispensáveis, como tomar sorvete de frutas da época, dançar ao som de 'flash-back', beber um ótimo chopp de botequim, tirar um cochilo na rede depois do almoço, comerna rua um prato "feito em casa", bater perna numa feira de quinquilharias, andar de bicicleta, dar um mergulho numa praia deserta, apreciar uma bela paisagem, degustar provinhas numa feira livre, jantar a luz de velas, refrescar-se numa cachoeira, garimpar livros em sebos, encontrar cerveja e refrigerante de casco, curtir uma pescaria, ira um barbeiro à moda antiga, beber uma água de coco gelada, assistir a filmes antigos, comprar flores frescas, enfim, ser carioca!

Abraço e curta o Rio!

Zé
PermalinkResponder

Oi Ricardo e Arnaldo,

Vocês já tentaram acessar a versão derivada de árvores do O Globo na Internet http://oglobo.globo.com/oglobo/ . É grátis e dá acesso a todos os suplementos do jornal.

Abraço

Lúcio (de BSB mas em SP)

Oi, Riq! Sou o Lúcio da L,L sim! E, temporariamente, da L,L SP. Mas hoje eu não blogo mais não. Já fui bom nisso, mas agora eu só brinco. Grande abraço, l.

Nelson Biagio Junior

Eu também, Ricardo.

Aí no Rio, quando quero ir a um Japa, ou sempre no Sushi Leblon da Dias Ferreira. Conhece?

Abraços,

Leandro
LeandroPermalinkResponder

As revistas locais é que gostam de chamar qualquer lugar que sirva sushi ou rolinho (mesmo que seja rolinho de feijoada) de restaurante japonês ou "oriental", o Guia 4 Rodas coloca, corretamente, o Togu como contemporâneo. O restaurante Ten Kai também tem suas invencionices, mas compensa com alguns ingredientes japoneses que só encontramos lá, conhece? Riq, a muito tempo teve um post sobre restaurantes de hotel e o fechamento do Saint Honoré, vi que não tem um impressão muito boa destes estabelecimentos, mas talvez você gostasse do Le Pré Catelan (Sofitel): fica de frente para o mar, foi todo reformado e agora tem cara de modernimho, nunca fui lá mas, em geral, falam muito bem.

Ricardo Freire

Leandro, por mais que eu insista eu não consigo achar que a alta gastronomia francesa justifique o investimento. Prefiro os exóticos e os porra-loucas...

Ricardo Freire

Zé, outro dia eu consegui finalmente "folhear" o Globo digital. No começo só dava pau, então eu tinha desistido pra sempre. Mas acho o software horrível, brega, lento, chato, indigno do Globo. Sem falar que só o caderno da semana fica no ar; e o Rio Show é um suplemento a se guardar. É ridículo você assinar em São Paulo um jornal do Rio justamente para ficar por dentro das coisas do Rio e não receber justamente o suplemento que te põe a par sobre o que o Rio tem de mais bacana -- é um desserviço que o Globo presta à cidade.

Pronto, falei.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Sinceramente, eu nunca fui à um restaurante francês, mas até gostaria de conhecer pelomenos esse, que tem como atrativo a vista e o ambiente, só que os preços...

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Ba Riq, é muito engraçado esse contraste, porque enquanto eu to aqui no friozinho gramadense, de uns 12.C, leio o teu relato do RJ...
Um abração, Diogo.

Clau
ClauPermalinkResponder

Ricardo, tudo bem? Li seu post sobre a epidemia de diários de viagem...confesso, eu também caí na epidemia e criei o meu...Foi ótimo descobrir que existe um mundo de pessoas que dividem suas experiências!!

Passarei mais por aqui, com certeza.

Abs
Claudia
http://viajandocomakoma.blogspot.com

Hugo
HugoPermalinkResponder

Riq, colaboradores e demais tripulantes, tenham todos uma ótima Páscoa, repleta de paz e harmonia (além de muitos ovos de chocolate também).

Abs.

Hugo

Nelson Biagio Junior

Para você Hugo - e todos os outros passageiros deste blog - também!

Abraços,

JULIO CESAR CORRÊA

Ricardo, cheguei ontem de Buenos Aires e as suas dicas foram muito valiosas. Obrigado. Moro há algumas quadras do Belmonte Flamengo e se puder apareço para te conhecr.
grande abraço

Ricardo Freire

Julio Cesar, seja bem-vindo -- e todos os que quiserem tomar um chopinho com a tripulação: hoje, 15 pras 9, no Belmonte do Flamengo.

E Feliz Páscoa pra todos!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Riq e tripulação, estou morrendo de pena, mas não vou poder ir ao nosso encontro hoje... sad Cheguei de viagem com dor na coluna - como ainda estou tratando a última crise que tive, fiquei com medo de encarar o trânsito até o Flamengo. Beijos a todos, e aproveitem muito!!!

Majô
MajôPermalinkResponder

Desde 5a. sem internet, sem VNV, imaginem como estou desatualizada ...
rs (razz)
Tô lendo sobre uma convenção do VNV hoje, e o meu crachá e a pastinha que eu não recebi (sad ) Na surdina hem ! No domingo de Páscoa

Majô
MajôPermalinkResponder

Riq,
conserta minhas carinhas, please

Majô
MajôPermalinkResponder

Riq,

O acarajé do Siri Mole é uma deliiiicia !

O taxi cobrou 39 reais porque você tem sotaque carioca wink

Pensei em você quando li na 6a o Rio Show do Globo, com a matéria " Não tem Preço", tem a sua cara.
Você foi até Grumari e as praias selvagens que eles mencionam?

Nelson Biagio Junior

Espero que o encontro de vocês tenha sido legal...uma pena eu estar em Sampa...

Uma ótima semana a todos!

GiraMundo com Jorge Bernardes

Nelson,

Eu que morei tanto tempo no Horto Florestal, não conhecia o Quinta da Canta. Bacana. Quem sabe o Ricardo volta entusiasmado a participar de uma convençãozinha aqui em SP. Também queria ter ido ao Rio.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Quinta da Canta...há bastante tempo na minha lista. É uma vergonha, também sou da região e ainda não fui conferir...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar