Caraíva-Espelho: rali a pé

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Choveu a noite toda de sábado -- pelo menos até a hora de eu pegar no sono, lá pela meia noite. Se continuasse chovendo no domingo (contrariando as previsões!), eu teria que adiar mais uma vez o início da caminhada pela Costa do Descobrimento e pegar um táxi para a Praia do Espelho. (Detalhe: a estrada estava tão ruim que desde a quinta não passava mais ônibus.)

Mas eis que o domingo amanheceu esplendoroso (e num dia de sol depois de três de chuva na praia, você entende o adjetivo em toda a sua dimensão). Levantei às seis e meia, editei fotos até às oito, tomei café, esperei o menino aparecer na recepção até as 8h45 e... saí sem pagar! (Deixei um bilhete; acabei de fazer o pagamento por internet banking.)

travessia4501.jpg

Para quem vai andar pela praia (podem ser os 9 km até o Espelho, ou só os menos de 3 km até a Praia do Satu), a travessia de canoa é num outro ponto do rio, mais próximo à foz.

travessia193h.jpg travessia193v.jpg

Do outro lado do rio tinha uma motinho -- mas que quebrou logo em seguida. (Fiquei com pena e não tirei foto ao passar pelo veículo em pane.)

motinho450.jpg

Não sei se eu contei pra vocês, mas eu já tinha caminhado por essa costa toda, em 87 ou 88, não me lembro bem. Era uma expedição organizada pela seção carioca do Camping Clube do Brasil. Uma Toyota ia pelas estradicas com barracas (!), mochilas e mantimentos, e o grupo ia caminhando pela areia carregando só um farnelzinho. Ao chegar no destino a gente armava as barracas (para duas pessoas) e eles cozinhavam. A aventura começava em Porto Seguro e terminava sete dias e 100 km mais tarde, em Prado. Minha idéia era repetir essa experiência, com um upgrade: fazendo só o filé da costa, do Corumbau ao Arraial, e me hospedando com conforto e, se calhasse, um certo luxo.

Não me passou pela cabeça que, naquela época, eu tinha 20 anos e uns 35 quilos a menos -- a saber, 20 quilos de peso corporal e mais uns 15, por baixo, na mochila. Mas mantive o mesmo esquema da primeira vez: pés descalços, e vamo-que-vamo. A primeira sensação foi a melhor possível: a Deuter distribuía o peso de maneira incrível nas minhas costas, e eu ia levando a mochilinha da câmera a tiracolo, revezando os ombros.

pontacamarao400.jpg

Meia hora depois de começar a caminhada, o primeiro ponto importante do passeio: a Ponta do Camarão (foto acima), a mais escondida das pousadas de luxo da região (não tem nem site; quer ver como é, entra no Freire's).

pontacamarao450.jpg

Outra meia hora, depois de contornar a Ponta do Camarão (foto acima) propriamente dita (o acidente topográfico, não o esconderijo de luxo) aparece a enseada mais bonita do caminho: a Praia do Satu (fotos abaixo), batizada com o nome de seu morador mais antigo, o Saturnino, que pode ser encontrado vendendo coco, cerveja e mais coisas na sua simpática barraca.

satu400.jpg

satu193h.jpg satu193v.jpg

satu401.jpg

A praia do Satu ainda tem outros atrativos -- duas lagoas que começam juntinho à areia.

lagoasatu450.jpg

lagoasatu451.jpg

lagoasatu452.jpg

Ou, se você preferir, com movimento:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=1plExD_4fSI]

A praia acaba numa falésia que deve ser atravessada por cima; a trilha é (mais ou menos) sinalizada e leva uns quarenta e cinco minutos.

juacema210.jpg juacema111.jpg

juacema400.jpg

caminhofalesia140.jpg caminhofalesia141.jpg caminhofalesia142.jpg

placaesp210.jpg placacaraiva210.jpg

Volta-se à areia a meros trinta minutos da ponta sul da praia do Espelho. Eu ainda estava praticamente lépido e quase fagueiro. Sentia um pouquinho -- só um pouquinho -- o peso nas costas, e já podia perceber o nascimento de uma bolha do lado de dentro do calcanhar esquerdo. (Acredite, calcanhar tem lado.)

amaldita450.jpg

A maré estava enchendo le-gal, mas eu já estava quase chegando. O bom dessa caminhada é que não existem rios caudalosos no caminho; dá para fazer mesmo se a maré não estiver baixa. O único probleminha são algumas pedras, que ficam mais difíceis de ultrapassar na maré alta.

Como, por exemplo, essa pedra aí de baixo. A última do caminho. Quase chegando no Espelho.

amaldita204b.jpg amaldita205b.jpg

Dá pra passar, não dá?

Fui. Com cuidado. Vinha a ondinha, eu ficava parado. A onda recedia, eu dava um passo. Até que veio uma onda mais forte. Fiquei parado.

Aí veio outra, mais forte ainda -- que me desequilibrou.

Para falar a verdade, não sei exatamente o que aconteceu. Acho -- acho -- que não caí. Mas me molhei todo. E... perdi meus óculos.

(Claro que, como eu não ia dirigir e estava economizando espaço na mochila, não trouxe um par sobressalente.)

Mas não era nos óculos que eu pensava depois do acidente. Era no equipamento. As duas mochilas tinham molhado. De água salgada. Corrosiva.

Na primeira pedra seca e longe o bastante da rebentação, tirei tudo das mochilas. Liguei a câmera. Estava funcionando, ufa. Tirei da mochilona o compartimento do laptop (que também funciona como uma bolsa com sua própria alça), e o bichinho estava seco. Aproveitei e fiz um vídeo com o celular. Ficou bacana lol (pralguma coisa isso tinha que ter servido).

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=-uduEgWH3WI]

E assim, não com uma, nem com duas, mas com três peças de bagagem, cheguei à praia do Espelho. Fui direto à pousada que eu sabia ser a mais em conta, mas ela mudou de dono e estava um pouquinho menos em conta (depois eu dou uma geral no quesito hospedagem).

espelho-rio451.jpg

espelho-rio450.jpg

Imediatamente transformei o quarto num barraco, pendurando todas as minhas roupas no... mosquiteiro (!).

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=k_JFwz6v_N0]

Pus a câmera para descarregar no laptop (tudo funcionando, valeu, meu São Cristóvão) e fui tomar uma cerveja e me acostumar a contemplar a paisagem sem óculos.

pontacuruipe450.jpg

Quando me levantei para voltar ao quarto, meus pés não me obedeciam como antes. A areia e a grama pareciam forradas de alfinetes e cacos de vidro. Mas isso é assunto pra amanhã...

52 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Última parada: Arraial d'Ajuda « Viaje na Viagem

[...] para quem poderia ter perdido todo o seu equipamento por causa de uma onda, fiquei no lucro, não [...]

Viaje na Viagem
Viaje na ViagemPermalink

Ainda tem dúvidas?

Clique e leia nosso post mais atualizado sobre este destino:

Guia de Praias: Sul da Bahia