Enquete da semana: achados & perdidos

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Tripulação,

Não foram só os óculos que eu perdi nessa expedição, não. No penúltimo dia dei pela falta de uma camisa (branca, de manga comprida, gola padre e uns relevos, da Richard's, que eu amava) e de uma camiseta (bege, com bolsinho, da Gap, também de estimação, que eu me recusava a aposentar), que devo ter deixado pelas pousadas no caminho.

Mas o pior vem agora.

Ontem, aos 48 do segundo tempo, no aeroporto de Porto Seguro, consegui perder... meu celular novo (que nem era meu, era emprestado pela Nokia). Devo ter esquecido na banca de jornais ou no balcão da lanchonete. Já liguei pra lá, ninguém sabe, ninguém viu.

E o pior é que... tinha dois videozinhos inéditos lá dentro! cry

Mas deixa estar -- nesse fim de semana vou participar de um workshop na Nokia e vou descobrir um modelo ainda mais bacana pra comprar. Eu, que nunca na vida empunhei uma filmadora, agora não posso mais viver sem fazer videozinhos no celular. Pode?

Bom, mas deix'aproveitar o assunto palpitante pra perguntar: o que você andou esquecendo por aí nas suas viagens?

Qual a perda que doeu mais?

Conta pa nóis, vai...

91 comentários

Ricardo Freire

Caramba, Sylvia... o MEU bolso tá doendo só de saber... eu colocaria esse contratempo ao nível dos maremotos e furacões do Arnaldo...

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Nem fala Riq ...só fiquei calma quando começei a pensar que
a pessoa que encontrou usou para algo muito muito importante.
Tive que refazer as posições mentais e ver como uma doação
involuntaria ( já que voluntaria não seria nunquinha smile )

Zé Maria
Zé MariaPermalinkResponder

Eu tbém, desde 74.

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Hugo, deve ter um anjinho-protetor-dos-óculos-amados. Eu também perdi só a caixinha, saindo de um taxi em Belo Horizonte.Mas até hj o óculos-amado fica jogado na bolsa, de um lado p/ outro.....
Eu também detesto perder coisas, então faço o tal "pente fino" do Arnaldo de 1 a 4 vezes ao deixar um hotel. E não me lembro de ter perdido nada, além da caixinha dos óculos.

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Nossa Sylvia, não gosto nem de pensar... também fiquei com uma dorzinha aqui na lateral....

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Nos fazemos o pente fino... justmente para não esquecer o famoso cinto do dinheiro.... Mas, tambem ja perdi camisetas brancas que se camuflaram com o lençol...

Lena
LenaPermalinkResponder

Perder, acho que só perdi um par de óculos escuros na Filadélfia. Foi uma noite em que etive em dois bares e um restaurante. Voltei no dia seguinte nos 3, mas não achei nada.

Mas o que me deu muita tristeza mesmo foi um assalto que sofri na minha primeira ida a Arraial d'Ajuda, há 12 anos. Resolvi fazer a caminhada até Trancoso a pé, como recomendado. No meio do caminho, logo após passar pelo rio Taípe, exatamente onde hoje está o Med, surgiu um cara com um pano preto no rosto e um punhal. Levou minha bolsa, com a minha câmera dentro. Na hora não lembrei da câmera; só pensava nos filtros solares e pdeia pra ele me devolver a bolsa por causa dos cremes e ficar com o dinheiro. Depois lembrei da máquina e aí fiquei mais chateada ainda. Além das fotos da viagem, tinha as fotos da formatura de prézinho do meu sobrinho sad Que ódio!!!

O tripulante que perdeu a mulher é hors concours lol

Majô
MajôPermalinkResponder

E o troféu ORIGINALIDADE tá com o Paulo Otávio mrgreen

e o 2o é da Mô o INÉDITO lol
Não conheço alguém que tenha esquecido o próprio aniversário 2 VÊZES , demais Mô lol lol

Gabi
GabiPermalinkResponder

eu esqueci um pé do meu mocassim mais confortavel do mundo sabe deus onde...
e o pior eh ter q olhar com odio pro pé que me restou...

Ricardo Freire

Puxa, Lena, que chato... eu confesso que estava com receio também, mas era mais no trecho Espelho-Trancoso, onde já me disseram que na alta temporada tem gente de tocaia. Mas hoje em dia entre Arraial e Trancoso acho que tá tranqüilo. Toda a praia do Taípe é meio que policiada por leões-de-chácara estrategicamente distribuídos (deve ser coisa do Med ou do TErravista, o condomínio de que o resort faz parte).

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Riq: xongas com as fotos da Con VnV lá para ustéd!!!

Mô e Sylvia: idem, no hotmail e terra, respectivamente...

Bjos, e espero que tenham bastante espaço na inbox pq são 6mb.

Renata
RenataPermalinkResponder

Sou nova por aqui - nos posts, claro. Confesso que fiquei aliviada ao descobrir que não sou a única desmiolada que esquece coisas por onde passa.. mas nunca esqueci namorado, aniversário e afins..rs. Celulares? Uns 5 ou 6.. Câmeras.. affe. E olha que vivia de fotografar. Roupas, óculos, relógios, documentos.. Nâo consigo me lembrar de uma única viagem sem perdas (sâo muitas, sempre). Mas quando esqueci a carteira, e tive que fazer um doc para um dono de posto de gasolina para chegar em sampa, e viajar uns 1.200 quilômetros com 2 pacotes de salgadinhos e uma coca-cola - decidi prestar mais atenção. Não funcionou, claro. Mas a carteira foi devolvida, com toda a grana, menos 10R$ para o Sedex. Não é incrível?
Oops, desculpe a tietagem, mas Freire, muito obrigada! Você já me salvou de muitas roubadas.

Renata
RenataPermalinkResponder

oops, falha! acabei de descobrir que os posts são do autor, esses são os comentários.
tudo bem, sou uma semi-analfabeta virtual, mas gente, afinal de contas, o que significa esse tal de rss que tanto falam? obrigada enorme da iniciante!

Eneida
EneidaPermalinkResponder

No primeiro dia da nossa lua de mel no Caribe meu marido perdeu A ALIANÇA! Primeiro mergulho no mar, e lá se foi a linda aliança! Tentamos achar com snorkel, mas é claro que estava enterrada na areia, ou já a caminho de algum outro lugar... Muito triste, mas assim que voltamos a primeira coisa que fizemos foi comprar uma nova aliança, e o casamento continua até hoje graçaszadeus!!

Ricardo Freire

Renata, rss (really simple syndication) é uma ferramenta pela qual você "assina" blogs. Pelo que eu entendi (eu nunca fiz isso), todos os posts novos dos blogs que você assina aparecem numa mesma página, para você não precisar ficar pulando de blog em blog.

Mas não confunda "rss" com "rs" ou "rsrsrs", que significa apenas "risos" (em inglês, lol -- laughing out loud)
lol

Rosa
RosaPermalinkResponder

Renata,
Também me considero semi-analfabeta virtual, acho que rss é = risos...
Aos poucos a gente vai aprendendo...

Rosa
RosaPermalinkResponder

Tô falando que eu sou semi-analfabeta, nem imagino o que é esse rss que o Riq tentou explicar...

Rosa
RosaPermalinkResponder

Tô falando que eu sou semi-analfabeta, nem imagino o que seja esse rss que o Riq tentou explicar...

Karina
KarinaPermalinkResponder

Riq,

Preciso pedir para minha mãe dar uma lida neste post! Daí, ela vai se conformar comigo...rs. Sempre esqueço uma coisinha aqui, outra ali (mas nunca doeu muito no bolso).
A última besteirinha foi um remédio que sempre levo na minha caixinha de primeiros socorros. Estava na Republica Dominicana a trabalho e, nos 03 últimos dias antes do término da minha viagem, 'peguei' um piriri internacional (só aí fui me dar conta que tinha perdido meu remédio que tinha certeza que estava na mala)!!rs
Bem...tentei controlar a situação, mas nada funcionou muito bem!

O bom da história é que voltei 03 kilos mais magra! hahahaha

Beijo!

Lena
LenaPermalinkResponder

Riq, quando fui pra Trancoso no ano passado estava morrendo de medo de andar na praia. Fui até o rio da Barra de taxi e fiquei andando que nem bebê que não perde um ponto de vista, sabe? Aí percebi os seguranças espalhados de km em km. Depois me informaram que foi o Terravista que colocou um segurança com rádio a cada km para que os hóspedes pudessem caminhar. E a mudança naquele trecho é impressionante. Há 12 anos, depois daquela gruta perto da Pitinga não se via absolutamente ninguém. Eu caminhava, mas não tinha noção de quanto tempo faltava para chegar. Hoje em dia o percurso é lotado de gente. E como é possível ver os barquinhos do Med de longe, a sensação de distância infinita não existe mais.
Já em Trancoso, não tive coragem de me aventurar para além da Bahia Bonita. Gato escaldado...
Que bom você não teve problemas. Quando vi o seu filminho, depois do caldo em que perdeu os óculos, eu ia comentar para não ficar filmando laptop naquelas bandas. Os gatunos costumam ficar de tocaia em cima das falésias, vendo os turistas que passam com câmeras, etc. Acho que nem passaria pela cabeça deles que havia alguém caminhando com computador!!
Eu tinha passado horas no rio Taípe fotografando; o cara devia estar me sacando bem antes.

Hilda
HildaPermalinkResponder

Fiz uma caminhada de Arraial ( Pitinga) até a falésia branca de Taípe (depois da Lagoa Azul)...quase morrri...rs...se soubesse que estava tão pertinho do Med teria continuado e ligado pra alguém me resgatar depois...rs...
Perder algo, não lembro( tb sou neurótica e dou 2 revistas nos quartos de htl, conto volumes de mão, essas coisas)...mas devo ter perdido...e logo assumo o prejuízo e apago da memória...mas achados, não. Lembro sempre deles: já achei uma carteira recheada de dinheiro( dólares e cruzeiros) no fundo de uma gaveta em Foz do Iguaçú, uma bolsa LV ( original) tb recheada no táxi do aeroporto em SP ( a dona era de Manaus...maior trabalho pra devolver...rs), celular ( tb devolvido), e coisas menores, óculos, livros.

Ricardo Freire

Hilda, quer casar comigo? Acho que formamos o par perfeito. Você lava, eu enxugo. Eu perco, você acha!
lol
lol
lol

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Riq :!:
lol lol

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Gente,eu também naosabiao que era RSS até bem poucos dias atrás. Até que saiu uma matéria (acho que um link do Uol). Não achei a matéria que li, mas segue uma do globo abaixo. P/ quem é tão analfabeto como eu pode ajudar...

http://g1.globo.com/Noticias/RSS/0,,5676,00.html

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Gente, esse também ébom:

http://www.infowester.com/rss.php

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Riq, desculpa ficar usando seu espaço e desvirtuando o assunto, mas fiquei tão feliz quando descobri o que era o tal RSS, que resolvi compartilhar...

Fabio Nitschke Gomes

Esqueci um guarda-chuva (emprestado pelo hotel) dentro de um ônibus urbano, em Genebra - mas me liguei logo depois, corri feito um maluco e consegui alcançar o dito num semáforo adiante...

Mas, do jeito que as coisas são por lá, era bem capaz de alguém devolver no hotel! smile

GiraMundo com Jorge Bernardes

Eu esqueci um presente que havia comprado para a minha esposa no Japão. Larguei na sala de embarque e recuperei depois de 10 dias!!!
Mas foi quase uma epopéia!!!!

Quando lembrei da pequena sacolinha, o avião estava taxiando e não dava mais para voltar. Depois de umas 15 horas, em NY, eu procurei o site do aeroporto Narita e liguei procurando o achados e perdidos.

Fui mega bem atendido, o japonês me perguntou se eu havia esquecido o meu pacote antes ou depois da imigração, etc e tal. Eu sabia exatamente onde havia largado o pacote. Foi depois da imigração, na sala de espera do portão X ao lado de uma poltrona, etc,etc. A sacolinha é branca assim, assado, etc.

O cara havia achado o meu pacote e estava perguntando para verificar. Ele ainda perguntou o que havia no pacote e eu descrevi. Então ele falou que colocaria no próximo vôo da United para NY e assim fez. Ou seja, no Japão, foi fácil. A novela começou depois...

Qdo o pacote chegou no achados e perdidos da United em NY, uma funcionária guardou para mim, não deixou junto com as outras bagagens porque não era um pacote despachado, não tinha códigos, nada. Era handluggage, então para que não sumisse, ela guardou, mas não avisou ninguém e quase todos os dias ela me ligava e eu não conseguia falar com ela, pois ela ligava num horário que eu não estava em casa e não deixava nome, ela simplesmente se anunciava "United Baggage Claim" e pedia para que eu fosse ao aeroporto.
Fui duas vezes até o aeroporto Kennedy e quando eu chegava lá, a mulher que trabalhava no turno da noite dizia que não estava lá, que não tinha nada para mim, etc e eu insistia, respondia que recebia uma ligação dali todos os dias!!! Mas sabe como é americano, tudo travado, tudo tem que ser número 1 ou número 2 seguindo o procedimento. Nada de bom senso.

Bom, na terceira tentativa, eu apareci no Baggage Claim em um dia que eu embarcaria para o Brasil e encontraria minha mulher. Não havia mais tempo e nada a perder, eu sabia que estava lá em algum lugar. Não havia ninguém e eu comecei a procurar sozinho. Atravessei o balcão e me embrenhei nas bagagens. A mulher que sempre falava que não tinha nada apareceu e se convenceu de que deveria ter algo ali para mim e FINALMENTE começou a ajudar.

Ela encontrou o presente dentro de uma gaveta com o meu nome e telefone do jeitinho que o japonês amigão tinha feito para mim!!!! Inacreditável!!! Ela pediu mil desculpas, ainda assim eu só pensava em dar na cara dela.

O importante é que embora eu tivesse gasto uns 20 dólares no presente (um negócio de cristal para "segurar ou guardar" bijuterias), ele era tudo o que eu havia conseguido trazer do Japão para a minha mulher e eu iria consegui entregar para ela!!!! Acho que ela gostou mais de saber o esforço que fiz para achar o presente dela do que do presente em si.

4 anos depois, a faxineira quebrou o tal artefato de cristal e enfim, o presente foi-se embora smile

Estou aqui imaginando que para o Paulo Octavio ficar 20 horas no hotel sem ser visto, ele só poderia estar muito bem acompanhado em algum outro quarto do estabelecimento!!!!

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Bem, eu perdi o sutiã com o qual eu havia me casado no quarto de hotel em Paris. E nem era a lua-de-mel...
As mulheres vão entender minha tristieza, mas pelo menos ou não perdi o marido.. lol

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Em viagem, até hoje não esqueci nem perdi nada (toc toc toc), mas sou o maior obsessivo, confiro tudo, gaveta, banheiro, varanda, atrás da porta, debaixo da cama do hotel, etc.
Mas algo que doeu e lembro até hoje foi aqui mesmo no RJ, perdi dois talões de ticket-refeição (da época que ainda era papel) cheinhos, um no shopping e outro no ônibus. Tristeza...

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Em viagens, sou meio obsessiva que nem o Arthur, checo tudo 500 mil vezes, em tudo quanto é canto. E também sou do tipo que na ida vai fazendo uma checagem mental pra ver se pegou tudo... Acho que nunca perdi nada muito significativo em viagem, não. Perco mais no quartinho da bagunça na minha própria casa...

Hilda
HildaPermalinkResponder

Ah, Riq...vou ter que declinar dessa oferta...rs...mas vá viajar com filhos, mãe, etc que vc rapidamente desenvolve a técnica de checar, recontar e das listinhas...rs...tem suas compensações, qndo vc viaja sozinho, parece que está "pairando" com tão poucas responsabilidades...

Ana Paula Akemi

Oi, Riq!
Eu tb tenho problemas de distração... mas o que me consola mesmo é meu namorado... em 5 anos que nos conhcemos ele já teve 15 celulares! Estávamos fazendo as contas um dia destes... esquecidos na facu, no hotel, no carro, na balada, no boteco; ou qdo cai sem querer de um bolso na hora de distração e vc só de dá conta qdo é mto tarde...
Enfim, hoje em dia ele usa um Nokia ancestral, e tá feliz da vida sem preocupação....

Karla
KarlaPermalinkResponder

AIAIAI!!!!!!Que saudade do meu amado Chapéu Australiano(MODELO), da COMPANY, que voou num daqueles passeios de BUGE.......e eu com vergonha do transtorno de parar e procurar.....sem querer importunar os companheiros de passeio.....deixei pra lá!!!!!!e qd cheguei numa loja da COMPANY (qua agora nem existe mais)....descobri que não conseguiria outro!!!!!!!AMADO CHAPéu ficou no MATO em Porto de galinhas!!!heheh
Karla

Rita Carvalho
Rita CarvalhoPermalinkResponder

Uma vez esta indo para Muriqui no Rio de Janeiro, perto de Itacuruca, com praias tranquilas. Tomei um taxi para a Rodoviaria Novo Rio pois estava atrasada para o embarque do onibus. Estava tao estressada de nao perder o onibus que deixei no taxi minha maleta com um biquini novo lindissimo que estava planejando estrear naquele fim de semana. Ate hoje da uma tristeza lembrar disso......

Rita Carvalho
Rita CarvalhoPermalinkResponder

Estou indo para Nova Orleans proxima semana, alguma dica???

Karla
KarlaPermalinkResponder

Sylvia, muito obrigada. Comecei a ler e é bem legal mesmo. Arnaldo, obrigada por se dispor a me ajudar. Então, a viagem seria no comecinho de julho e duraria uns 6 dias. Faixa etária? Por volta de 30. Show da Broadway, acho que gostaríamos de algo mais animado, bem produzido... Restaurante mais descolado, coisas que não encontraríamos por aqui. Mas um mais romântico seria legal...Museus, eu curto mas o marido não... Hotel, tinha visto um pacote num site e pensamos no Sheraton Manhattan. A nossa intenção é ver como é a vida lá por isso não queremos exatamente todos os pontos turísticos tradicionais, sabe? Talvez um jogo de beisebol, basquete, coisas assim, menos usuais... Bom, mas qualquer ajuda vai ser excelente! Muito obrigada!!! Abs.

Bruno
BrunoPermalinkResponder

Em uma certa viagem para a Disney, em plena puberdade, perdi minha virgindade! Sabem como é né?! A gente com recem 14 anos completos, aquela atmosfera "Magic Kingdom" no ar e pais à 8 mil quilômetros de distância... essas coisas acontecem! ;]

Kivia Ramos
Kivia RamosPermalinkResponder

Olha gente, perder apetrechos em viagens acho que ainda não perdi, talvez por pura sorte, heee! Dando uma lida nos posts, concordo que o pessoal de Manaus (e me incluo nessa lista também) é meio esquecido por tamanha euforia em visitar os lugares. A única contrariedade que me aconteceu é que em Margarita fui enganada pelos cambistas e perdi R$600,00 reais..... Na hora da troca do câmbio os cambistas colocaram muitos bolivares de pouco valor na frente, e fizeram uma contágem rápida das notas maiores e eu nem percebi a troca das notas maiores pelas menores.........mas vá lá, isso não fez perder o brilho da ilha, que, aliás, é magnífica!! Aliás, quem pretende fazer essa viagem de carro quando chegar a Santa Helena (primeira cidade Venezuelana) tomem cuidado ao trocar reais por bolivares!!! Está havendo muita troca por notas falsas e muitos conterrâneos nossos estão sendo presos por isso! Na dúvida, o melhor é comprar dólar e trocar numa casa de câmbio de Margarita ( 1 dolar está 1500 bolivares, cotação de junho desse ano ).

Sergio Santos
Sergio SantosPermalinkResponder

Fui passar férias em Jericoacoara. No ano novo, eu e minha namorada nos sentamos no restaurante Leonardo da Vinci, situado na Rua Principal. Nós jantamos dois pratos e pedimos duas garrafas de champanhe Chandom. No momento de pagar a conta, imaginando que nos serviram a bebida mais barata, cobraram R$ 300,00 a garrafa, alegando ser Moet Chandom. Paguei com cartão para evitar um transtorno. Não tinha a quem recorrer. O restaurante não exibiu o rótulo, nem perguntou se era aquela a bebida pedida. Venho por meio deste, para evitar que outros se prejudiquem.

michelly
michellyPermalinkResponder

deixei no raio x uma camera digital novinha rosa segunda passada vou ligar la e ver se ta no achado e perdidos minha ou minha mae vai fazer eu comprar outra

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar