Enquete da semana: gafes inesquecíveis

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Sexta passada no Fim de Expediente me perguntaram sobre algum mico espetacular que eu tinha passado, e então eu lembrei aquela história, que muitos de vocês já devem conhecer, da minha primeira vez num albergue. Acho que já contei várias vezes: foi em Bruxelas, em 85. Me mostraram o meu beliche, eu vi uma toalha em cima da cama de baixo e fui tomar banho. Só na volta é que descobri que o albergue não fornecia toalhas de graça, e que a toalha em questão tinha sido trazida de casa por um francês que queria me bater (mas que ficou instantaneamente meu amiguinho quando eu falei que era brasileiro).

Eu podia ter contado também do meu check-in num hotel nas Maldivas. Eles sentaram a gente numa mesinha ao lado da recepção, trouxeram os drinks de boas-vindas e uns salgadinhos. Eu quase passei os salgadinhos numa farinha finíssima que parecia estar servida numa cumbuca sobre a mesa -- na verdade, um cinzeiro cheio de areia cor de talco...

E você? Que gafe memorável tem pra dividir com a gente?  Queremos rir!

103 comentários

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

A última gafe que me lembro foi num super-upgrade
para a primeira classe da Tap num voo Lisboa-Recife.
Fomos os ultimos a entrar na aeronave.
Eu nem estava acreditando que era primeira classe de verdade,
respirei fundo e tentei me sentir o mais a vontade e natural possivel.
Sabem como é né?
Eu dizia para mim mesma que eu sempre viajava
de primeira classe lol
Sem bagagem de mão, nos acomodamos nas poltronas cama e
comecei imediatamente a testar todas as alavancas e botões
( me esforçando por ser discreta )
A aeromoça , que já sabe de longe quem é quem, logo sacou que
eramos um upgrade e com um sorriso pediu para abaixarmos a
bandeja pois o serviço de bordo iria iniciar antes da decolagem
( canapés, queijos , blibliblis )
Quando passou com o carrinho-bandeja ( é, na primeira classe tem isso)
olhou para mim com uma cara de pena e falou ( em portugues de Portugal) : " a mesa pur favorr , esta ai é para o laptop "...
E eu que achei que estava disfarçada de local me senti 100% ignorante
e ainda fiquei furiosa por todos terem descoberto meu disfarçe.

Majô
MajôPermalinkResponder

Riq,

Eu escutei você contar na sua entrevista, 6a feira lol
Alás, e o podicasti , vai rolar ?

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Eu estava em Las Vegas, hospedado num daqueles hotéis com corredores enormes em três direções, quando tive que sair do apto. para pegar gelo naquelas máquinas que ficam láááá no fim do corredor. Só que em se tratando de Las Vegas, o "fim do corredor" é muuuiito mais longe e a gente pode se perder, literalmente. Peguei o gelo e retornei para o apto. com o baldinho numa das mãos e fui procurar a chave já em frente à porta, quando percebi que não a havia trazido comigo. Coloquei o baldinho no chão e, considerando que eram seis e meia da manhã (!!) e minha mulher estaria DENTRO do banheiro com a porta fechada, comecei a bater na porta, primeiramente bem discretamente, em seguida aumentando mais e mais a força, colocando a boca bem jundo da fresta da porta, abaixado junto à fechadura, "gritando baixinho" pelo nome de minha mulher e toc toc toc...toc toc toc...quando abrem a porta e...NÃO era minha mulher! Eu batia na porta errada! Um camarada, visivelmente irritado e com a cara amaçada de sono e marcas de travesseiro, cabelos em pé, sem camisa e de cuecas me pegou naquela situação constrangedora (ajoelhado com a boca na fechadura e socando a porta!)...

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Me lembrei de outra! Pode? Então tá...

Em 1987 eu fui a Orlando pela segunda vez e aluguei um carro pela primeira. Ká fui em pra Alamo, preenchi aquilo tudo, etc, o cara me deu as chaves do meu carro e as indicações de onde ele estava (vaga K 32, lááááá no final daquele gigantesco estacionamento). Chegando lá, bom motorista que sou, regulei o banco, altura de volante, espelhos retrovisores laterais, espelho interno, faróis, pisca, etc, etc, etc, liguei a perua, engatei a marcha em "D" (o câmbio era automático, como em todos os carros americanos), destravei o freio de mão (que era de pé!) e comecei a acelerar suavemente, sem que o carro saísse do lugar nenhum centímetro. Respirei fundo, tirei o câmbio da posição "D", recoloquei novamente nessa posição, tirei o pé do freio, acelereium pouco mais forte e NADA! O carro não se movia. Desliguei o carro, fechei a porta, caminhei aquele quilômetro de volta à Recepção e disse pro camarada que o carro estava com problema e que não saia do lugar. Prontamente me mandou um funcionário acompanhar até o veículo, o que foi feito. Lá chegando o camarada fez tudo o que eu tinha feito, só que em vez de engatar "D", engatou "R", ou seja em vez de ir pra frente, saiu por trás, de ré. Distanciou-se um metro apenas. Foi o suficiente pra eu ver que o que me impedia de sair pra frente era um GELO BAHIANO!

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

O REI dos MICOS lembrou de outra. Na verdade, não se tratam de GAFES, mas micos. Pode mais de uma, né, Riq? Duas? Três? Então tá, essa é curta:

Era janeiro de 1995. Estava em Miami, com o carro cheio de malas, me preparando para ir para o aeroporto, quando resolvi dar uma passadinha do Shopping Bay Side. Entrei no estacionamento, saí do carro, bati a porta e fui na porta de trás pegar um casaco, porque estava frio. Quando tentei abrir a porta de trás, estava travada. Voltei imediatamente para a porta da frente e TAMBÉM estava travada. Eu havia trancado o carro com TODAS as portas travadas, com a chave na ignição e....com o motor LIGADO!

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Mas, em compensação, eu NUCA roubei toalha dos outros nem comi areia!

adriana
adrianaPermalinkResponder

teve uma vez que eu e minha familia fomos para um mega hotel no interior de aguas de lindoia, convencao da empresa da minha mae. Depois de fazer o check in e tudo mais, o porteiro vai nos acompanhando até o quarto e meu pai comenta : nossa, mas essa piscina de vcs é linda! E ele responde: nao senhor, esse é apenas nosso chafariz!!!!

hauahaua

E você, Sylvia, com vergonha de ter sido descoberta na primeira classe !!!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Pois é Adriana , descobriram que era minha primeira vez
na primeira ( desejo que não a ultima )

Dani
DaniPermalinkResponder

Eu e meu namorado estávamos hospedados na Praia do Forte e resolvermos tomar um ônibus para Imbassaí (Riq, foi dica sua na Revista Viagem... li, fui e amei!! Sim, apesar de tudo o que vem aí....rsss). Na hora de voltar pro Forte, perguntamos para alguns locais o horário que o ônibus passava, em uns dez ou quinze minutos. Nos sentamos então em um bar para tomar um refrigerante quando meu namorado, aproveitando o calor, sugeriu uma cervejinha. Foi só despejar a bebida no copinho para o ônibus chegar. Nos levantamos apressados e saímos correndo atrás do ônibus (literalmente!!!). O motorista simplesmente nos ignorou correndo atrás do veículo...

Carla
CarlaPermalinkResponder

Não me lembro de nenhuma gafe, não... Sempre fui mais tímida que despachada, então observo tudo, me certifico bem das coisas, sempre procurando evitar os constrangimentos... Eu estou mais no time do Arnaldo, da pagação de mico pura e simples mesmo!!!

Pra começar, na primeira vez em que fui à Europa, desembarquei em Paris, peguei minha bagagem e consegui tropeçar na minha própria mala... Caí por cima dela, quase de cara no chão, em pleno desembarque lotado - parecia o Papa quando beijava o chão dos lugares que visitava... lol

Uma outra vez, na Inglaterra, eu estava meio atrasada pra pegar o trem que me levaria de Stratford de volta a Londres. O horário era meio quebrado, como sempre, tipo 5:32. Pois bem: às 5:29 eu consegui entrar no trem, que partiu imediatamente - para Birmingham... cry

Ah, e tem um mico em Las Vegas também... Lá pelas tantas, mais de uma da manhã, vi que a luzinha de mensagens no telefone do quarto estava piscando, mas não consegui recuperar o recado. Fiquei preocupada e decidi descer pra ligar pra casa de um telefone público no saguão do hotel. Mas deu preguiça de trocar o pijama, e eu botei só um jeans - o pijama era de flanela, parecia uma camisa comum, e eu achei que não ia ver muita gente no meu caminho até o telefone. Pois bem: os telefones ficavam em pleno cassino!!! Foi um mico consciente: me armei da maior cara de pau possível e adentrei o cassino de pijama... grin Telefonei, estava tudo bem, e como ninguém me olhou esquisito, ainda peguei o finzinho de um show de jazz maneiríssimo que estava rolando por lá...

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Só faltava estar de saia curta, Carla!

Beto
BetoPermalinkResponder

Não me faltam micos, o que não tenho é memória... cry

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Carla, essa de Vegas me lembrou ou causo de uma amiga que
levava as crianças na creche todo o dia as 8 da manhã.
Um dia com um frio de lascar resolveu colocar um "chambre"
do marido e lá foi ela bem faceira de pijama pantufas e uma touca
de lã na cabeça ( só faltou a bolsa de agua quente )
O pneu furou e ela ficou lá no meio da rua ( celular ainda não existia)
esperando que uma boa alma trocasse o pneu para ela.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Arnaldo,
Não sei se ri mais do seu gelo baiano ou da tirada de onda que vc deu no Riq sobre comer areia e roubar toalhas!!! grin

Daniel Schneiderman

Fui em Barcelona em um restaurante self service de uma cadeia que tinha por lá, serviam massas, pizzas, saladas e sorvetes. Até o sorvete era self service, vc ia lá com seu copinho, abaixava a manivela e se servia... o problema é que não fechei corretamente a manivela, e pouco depois noto uma certa movimentação dos garçons... para limpar uma montanha de sorvete que se acumulava no chão.

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Na primeira viagem para a Europa, eu fiquei brncando de "faixinha", aquela coisa civilizada do motorista parar apenas pelo fato de voce ser pedestre... Até que eu brinquei com o Bonde que NAO parou,e eu quase fui atropelado e xingado em algo, em alemão pelo condutor... Depois eu me informei, e me disseram que todos, menos o bobo aqui sabia que era evidente que o bonde tinha preferencia...

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Estava no aeroporto de Aracaju, em janeiro passado...05 da manha, pronto pra embarcar pro final de semana em Salvador...Ainda sonambulo(nao tinha dormido, por causa da balada), decidi usar o banheiro...Nao lembro quanto tempo fiquei "cochilando no trono", lembro apenas do som de salto alto ecoando pelo corredor do banheiro...Pensei: Bem, creio que uma maluca entrou no banheiro masculino errado!!!!!!05 segundos depois, ouco outro som de salto alto, depois outro...Gelei...Nao, isto eh um pesadelo, creio que o maluco sou EU...Estou 05 minutos pra embarcar, em um banheiro feminino compartilhando com mais 03 mulheres, trancado no vaso sanitario...Foram os piores e mais engracados muinutos da minha vida, porque quando fico nervoso, comeco a rir descontroladamente...Calculei a minha "fuga" meticulosamente...Abri a porta, corri e estava no aviao em 03 minutos e 47 segundos...Nunca esqueci a cara das 03 mulheres e os gritos de susto pelo banheiro...
Daqui a pouco lembro de mais algumas...Tenho milhares...

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Outra, foi discutir em Portugal com o Garçon, que queria explicar que o restaurante fecha na hora do almoço, porque "os fncionários precsam comeire"... ( Verdadeiro, juro!)

Schnaider
SchnaiderPermalinkResponder

A minha grande gafe foi nas Filipinas em 2001, no primeiro mes que cheguei lá fui a praia e, como na maioria das praias asiaticas há mulheres oferecendo massagem a preços módicos, aproveitei e paguei uma hora de massagem. Eu lá toda relaxada a mulher fazendo massagem e de repente ela diz pra mim: "Pinis m´am", eu achei estranho o que ela tinha falado e fingi que nao tinha escutado, e ela de novo: "Pinis m´am", entao pensei com meus botões, será que ela acha que eu tenho um penis, tipo, ela já fez massagem na frente e viu que eu sou uma menina, estranho... ai ela disse mais uma vez: "Pinis m´am", pensei que, se nao desse uma resposta ela nao ia parar, entao eu falei: "Pinis no, vagina" smile
Ela olhou para mim com uma cara, tipo, eu que nao to entendendo nada agora, apontou para o relogio e disse com uma risada no rosto: Nooo, Pinis!!! Ai que eu fui entender que, por eles nao conseguirem pronunciar o "F" das palavras e por comerem o "ED" dos verbos no passado, o que ela simplesmente queria dizer para mim era: "FINISHED M´AM"!!! Fiquei morta de vergonha, paguei ate a mais do que deveria e queria me enfiar na areia de vergonha!!! Depois contei pros meus amigos que estavam na praia e eles rolaram de rir!!!

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Barcelona, semana passada...No meu hostal espanhol( muito bem localizado), mas com o banheiro mais microscopico que jah estive na vida...O box do chuveiro era tao pequeno, tao minusculo, que tinha que entrar antes de comer, porque depois nao cabia...smile
Estava "tentando" tomar meu banho, quando meu sabonete caiu, tentei pega-lo, mas me enrolei na cortina, escorreguei e cai no chao...Serio, parecia uma "empanada",uma mumia, todo enrolado no plastico e gritando SOCORROOOOOOOOOOOOOOOOO, apenas com as pernas se mexendo...A minha sorte (ou azar)foi que o meu companheiro de viagem chegou a tempo de me ver naquele estado e ter uma sincope de gargalhadas as minhas custas...

Lena
LenaPermalinkResponder

Esta da Schnaider foi demais lol lol

Eu tenho vááárias, mas ao contrário do Beto, também tenho memória e vergonha eekops:

Só umazinha. Uma vez, não sei porquê, acho que estava morrendo de fome, entrei em um restaurante em Bruxelas sem notar que eu estava sem dinheiro local (2 séculos atrás; antes do Euro e last but not least, antes do cartão de crédito internacional!) Depois que comi, vi que não tinha uma notinha se quer de franco belga, porém tinha várias de franco luxemburguês, que valia o mesmo que o belga e ainda era de uma país que ficava logo alí! Do meu ponto de vista brasileiro, não custava nada o garçom fazer uma forcinha e aceitar o meu dinheirinho smile Pena que ele não concordou comigo... Eu cheguei a dar a opção de que ele ficasee com os meus documentos, que eu irira até uma casa câmbio trocar os meus dólares. Ele ficou tããão chocado com o absurdo, que nem chegou a ficar bravo. Olhava para mim com se estivesse vendo um ET!! Acabou ficando com os francos do vizinho smile

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Bom, essa de $ já aconteceu comigo.
Saí de Fpolis e fui em um cliente em Balneário Camboriú.
Na volta, parei em um posto para abastecer, pedi para encher o tanque e na hora de pagar a carteira havia ficado em Fpolis.
Eu havia trocado a bolsa por uma pequena, então coloquei somente os docs do carro nela e uma notinha de 20 reais que gastei no almoço.
Nem me toquei....
Bom, deixei os docs, voltei no cliente e pedi $ emprestado, quase morrendo de vergonha. Mas pegar a 101 sem docs, dirigir 150 km da ida e volta, estava fora da minha programação.
Houve uma época em que eu viajava mais ainda que hoje a trabalho.
Certa vez, eu ia de Manaus para Aracaju e peguei um daqueles vôos pinga-pinga, que parou em: Belém, São Luís, Fortaleza, Recife. Ali fiz uma conexão para João Pessoa e 8 horas depois, cheguei, por volta das 2 da manhã.
No aeroporto tinha um daqueles taxis caindo aos pedaços e claro, minha mala foi a última a sair e só sobrou ele. Eu já cabreira, entrei no carro e pedi para me levar ao hotel.
Achei o motorista esquisito pacas, mas quem não acharia depois dessa epopeia eu não sei.
Enfim, o cara dirigia, dirigia, dirigia e não chegava nunca. Eu comecei a ficar com medo, não tinha viva alma na rua e em meio ao meu delírio paranóico que seria assaltada, resolvi puxar assunto e ser simpática, para o motorista não fazer nenhuma besteira, pois eu era legal.
Eu sei que meia hora depois de papo, ele de repente para o carro no meio de uma rua sem absolutamente ninguém e escura. Virou para trás e disse: um momentinho, eu já volto. Pegou um saco plástico e desceu do carro.
Pensei: tô morta! E comecei a choramingar e dizer: Moço, por favor, me deixa ir embora, eu tô cansada, não sou rica, tô trabalhando.
Ele arregalou os olhos, já fora do carro e começou a rir. E eu pensando em como correr e para onde.
Eu sei que vi ele se esticando todo e voltando pro carro e me entregou o saquinho cheio de frutinhas.
Eu fiquei olhando e tentando entender, até que ele resolveu explicar: quem vem aqui e não comeu ainda essa frutinha (que nem com hipnose eu lembraria o nome), não esteve em João Pessoa.
Eu quase morri de tanta vergonha. Ele ainda se desculpou, dizendo que não tinha muitas, mas na casa dele tinha e que deixaria no hotel depois.
No dia seguinte, quando cheguei no hotel tinha mais de 1 kg da bendita me esperando na geladeirinha do quarto....
Ai, que vergonha...

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Ops...lá em cima, de Manaus para João Pessoa.

Malu
MaluPermalinkResponder

Eu ainda tenho muita vegonha mas.... vá lá: No carnaval de 1977 (uau!!!), eu, meu marido e mais um casal que tínhamos acabado de conhecer estávamos no Restaurante Saint Honoré do Hotel Meridien, em Salvador, quando o garçon, ao final do jantar, perguntou se aceitávamos um digestivo. Ninguém aceitou e eu comentei que achava um absurdo oferecem sal-de-frutas ENO num restaurante tão fino. A gargalhada foi geral e eu quase morri ali mesmo.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Tsc...mais uma:
Certa vez eu quase comi aquela massinha de batatas (não é purê) que colocam embaixo da casquinha de siri pra ela não ficar rodando no prato, sabe?
Minha ex-chefe me cutucou e disse discretamente: isso não se come.
Eu perguntei: onde me enterro?

Juliana Scherz

Minha memória é fraca pra guardar esse tipo de situação... mas vamos lá... Em 1995 eu tinha 18 anos e estava voltando de uma viagem de estudo, de 2 meses e meio, da Inglaterra para o Brasil, com conexão em Lisboa. Como tenho 2 nacionalidades - brasileira e suíça - na Europa eu só usava o passaporte suíço. Então, quando saí da Inglaterra estava CHEIA de coisas - leia-se: 2 malas despachadas e como bagagem de mão 2 sacolas gigantescas e 1 backpack (=adolescente com cartão de crédito do pai), eles me barraram, claro... e me fizeram despachar o backpack... Só que meu passaporte brasileiro estava dentro do backpack... E eu só percebi isso quando desci em Lisboa, pois vi que iria precisar do passaporte brasileiro para entrar aqui. Então, lá vai eu falar com a moça da TAP e explicar a situação... O problema é que eu não entendia NADA do português que ela falava, pois pra mim aquilo soava como francês... então terminei falando em inglês com ela e depois de falar com mais umas 3 pessoas, consegui fazer com que me levassem no local onde as bagagens ficam, até que depois de algum tempo encontrei o meu backpack e consegui pegar o meu passaporte... Ou seja, morri de vergonha em ter movimentado meio mundo de funcionários da TAP... Sem falar que o vôo para o Brasil era sairia somente 1 hora depois que eu desci em Lisboa...

Bruno Vilaça
Bruno VilaçaPermalinkResponder

Complicações intestinais em plena Puerta del Sol, no Santuário de Machu Picchu é uma gafe muito grande? grin

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

grin
Daqui a pouco a gente vai arrumar um troféu.
Por enquanto tá ganhando o Comandante... grin

Diogo
DiogoPermalinkResponder

HAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA, oh Bruno, POR FAVOR, conta com mais detalhes isso!!!!!!

GiraMundo com Jorge Bernardes

Eu vou contar uma história de um casal que se eu não conhecesse, eu não acreditaria que não era piada.

O pior é que eles são portugueses e conseguiram inventar uma piada "própria". Bom, eu posso contar porque meus pais também são, inclusive de aldeia vizinha a desse casal protagonista da história abaixo.

Uma amiga levou os pais lusos a um resort bacana e instalou o casal num quarto e foi para outro com o marido. No dia seguinte, no café, a filha pergunta para a mãe o que ela está achando do hotel e a mãe responde:
"Ah filha, muito bom. Só achei estranho eles deixarem um aviso na maçaneta pedindo o favor de arrumar o quarto".
A mãe dela tinha arrumado a cama e pedido ao marido para deixar tudo em ordem antes de tomarem o café. O pai dela ainda argumentou com a mulher achando estranho o aviso, mas "mandado" que só ele, obedeceu a mulher direitinho!!!!!

Majô
MajôPermalinkResponder

Em St. Malo, em março de muito tempo atrás, um frrrrio horroroso, e úmido. Eu vestia uns 4 sweateres e o sobretudo por cima, verdade smile mais luvas, cachecol etc . Viajava com uma amiga, entramos num restaurante pra almoçar. Depois de sentarmos as pessoas nos olhavam com aquele sorrisinho de lado, sem que nós entendessemos o por que ? Depois de algum tempo e algumas pessoas entrarem, percebemos que tínhamos cometido a gafe de não tirar o sobretudo quando entramos e colocado no cabide. Tivemos que manter a pose e não levantamos morrendo de vergonha. eekops:

Mô,
Vamos ter que arrumar um troféu lol mrgreen
Acho que o Comandante e a Schneider e a Carla também beijando o chão smile

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Hahahahahahahaha...

Mto boa Jorge, hehehe... grin

GiraMundo com Jorge Bernardes

Eu também já fiz jus ao meu sangue!

Viagem à California. Viagem com namorada. Aluguei aquele Toyota bacana e fui "me sentir" nas freeways. Foi só mico!

Dia 1: Aeroporto de LA. Assim como o Arnaldo. Eu não conseguia dar partida no carro. Entrei de volta na loja e falei que o carro estava quebrado, que não ligava. Chamei o cara para ver e ele constatou o óbvio: o câmbio estava engatado e não daria partida nunca!
Dia 2: Vi num mini shoppingzinho de Beverly Hills a placa "PUBLIC PARKING". Pão duro que só, eu pensei "hum, eles oferecem estacionamento ali". Fiquei louco da vida quando me cobraram 15 dólares uma hora depois.
Dia 3: Chegamos cedinho a Disneylândia e "espertíssimos" marcamos a placa do estacionamento onde havíamos largado o carro. Eu "me achando" ainda falei para ela "Presta atenção no prédio que tem aqui do lado para enxergarmos o carro de longe!!!!" Tomamos o trenzinho e seguimos para o parque. À noite, parque fechado, entramos no trenzinho que roda, roda, roda e nada de chegar a nossa letra, nem ver o tal prédio (Caramba, roubaram o nosso carro, ela falou!!!!), o trem volta para a entrada do parque e o cara pergunta: "E aí, não vai descer? Acabou!" Bom, eu me expliquei e compreendi que tinham VÁRIOS trens, identificados com cada personagem Disney e eu deveria saber qual era o meu e não sabia. Aí, fomos tentando um após o outro, rodamos quase duas horas pelos estacionamentos: trem do Pluto, trem do Pateta (devia ser nesse, mas não era). Enfim, o nosso carro estava parado no trem do "Tom Sawyer"... lá no final!!!

Alguns dias depois em São Francisco: de carro, à noite, procurando um lugar bacana pra jantar, perto do "agito". Acabei entrando numa rua de acesso exclusivo aos famosos bondes onde haviam centenas de pessoas e dei de cara com um bonde vindo em minha direção. Ele buzinou e toda aquela multidão começou a gritar "Wrong way, wrong way!!!!". Todo mundo parou para me olhar manobrando o Toyota, o bonde parou! O mundo parou naqueles 15 segundos. Enfim, foi ridículo!

GiraMundo com Jorge Bernardes

Viagem de trabalho à NY. Começo de emprego novo. Eu conheceria várias pessoas novas.

Fui levado a um bar pelos meus colegas que resolveram fazer um "toast" para mim. Fechou-se um círculo ao meu redor, me deram um copinho com tequila e... "one, two, three".... e nada do Jorge virar a tequila e acompanhar o "shot" com a galera. Todo mundo virou a tequila garganta abaixo e eu estendi o braço para fazer o brinde!!!!
100% Luso!

GiraMundo com Jorge Bernardes

Mais experiências lusitanas...
Em Lisboa, circulando pela Baixa, eu me deparei com o Elevador Santa Justa e imediatamente imaginei que aquilo era um meio de transporte assim como o Elevador Lacerda em Salvador. Pensei comigo, vamos entrar nesse negócio e continuar a andar lá por cima no Chiado.

Bom, o manual do turista econômico diz que a gente tem que tentar economizar sempre, então como eu estava de posse de um passe de metrô daqueles que duram o dia inteiro e imaginei que aquilo fosse um meio de transporte, eu perguntei ao bilheteiro, senhor posso usar o meu passe de metrô para subir no elevador. Bom, eu pedi, eu sei que pedi, fui perguntar assim justo para um português que é super literal no entendimento das coisas.... Lógico que ele arrematou, com pouquíssima paciência: "Senhor, o passe de metrô, o senhor usa no metrô, o passe do ônibus, no ônibus e no elevador, o senhor usa o passe do elevador que o senhor compra aqui comigo. São X euros!"
Eu fiquei brabo com a indelicadeza do homem, porque eu achava que minha pergunta não era tão estúpida assim, afinal existem os Pariscard, Londoncard, Nycard em todo lugar e quem sabe existisse algo assim em Lisboa. Meio ofendido, nem perguntei mais nada, comprei o passe e subi.

Incrível, o elevador não levava a lugar nenhum, eu estava na altura da rua do Bairro Alto e não conseguia descer, não havia acesso. Aquilo não era um meio de transporte. Resultado, tomei uma lavada do português, gastei dinheiro e ainda tive que subir um monte de escadas até chegar no Chiado!

Lena
LenaPermalinkResponder

Jorge
lol lol lol

GiraMundo com Jorge Bernardes

Na primeira vez que fui a Portugal, as auto-estradas eram novidade. Aluguei um carro e seguiria à aldeia dos meus pais. Tomamos a auto-estrada e na entrada haviam duas cancelas: "Aderentes" que tinha passagem "livre", cancela aberta e uma cancela fechada com um símbolo numa placa que eu não entendia, mas depois descobri que é o símbolo de entrada de todas as estradas da União Européia para vc pegar o cartão do pedágio... Bom, eu segui no fácil "Aderentes", assumi que eu estava aderindo à estrada rsrsrsrsrs smile Depois que entrei na estrada e não vi pedágios e vi que havia em cada saída uma fila de carros de pessoas pagando o pedágio eu me desesperei. Putz, vou pagar uma nota de pedágio porque não peguei o cartão lá no Porto, caramba....

Bom, Deus teve piedade de mim e na minha saída, lá no final de tudo, a auto estrada ainda não estava pronta e não tinha cancela de saída. Saímos sem pagar, mas a tensão que fiquei por uns 100kms valeu o mico.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

S Y L V I A ? ? ? ? Tá aí?!

Fiz um post em tua homenagem... já que tu reclamou daquilo pra mim. Seu desejo é uma ordem!!!!

Bom, agora entrei nos eixos, hehehe... espero que tu goste e aproveite a dica!

Um beijão 8-)

GiraMundo com Jorge Bernardes

A última e vou dormir:

Em Lucca na Itália. Chegamos e nos instalamos num hotel fora da cidade, no melhor estilo toscano. Bom, fomos dar uma olhada na cidade, mas a gente já estava meio cansado, então o giro na cidade era para escolher um lugar para jantar, aí voltaríamos para o hotel, tomaríamos um banho e retornaríamos direto para o restaurante. Curtiríamos a cidade no dia seguinte.

A cidade, como quase todas, é toda murada e lógico que a parte interessante é a de dentro que tem trânsito controlado. Final de tarde, resolvemos entrar com o carro mesmo, deu uma preguiça de parar fora nos imensos estacionamentos que haviam ao lado do pórtico.

Entramos e ousamos mais uma vez, resolvemos estacionar. Escolhemos um canto onde havia uma placa com vários símbolos onde em alguma condição que nós não entendíamos era possível estacionar. Estávamos em 4 pessoas.

Bom, eu tinha consciência de que se alguém poderia estacionar ali, não seríamos nós, turistas, os permitidos. Aquilo devia ser vaga de alguém, morador, etc. Mas, final de tarde, não vai demorar, arriscamos...

...E nos demos mal. Pudera. Adoramos Lucca. Tava um fim de tarde tão bom, acabamos demorando bem mais do que prevíamos. Paramos num café, depois em outro, mais um, meia dúzia de lojas com a esposa, etc e quando voltamos.... O carro estava "blocatto". Prenderam a roda do carro, imobilizaram a caranga!" E deixaram uma placa com um número de telefone no vidro da frente.

Bom, sabíamos que tínhamos aprontado. Então, caímos na risada e resolvemos registrar o mico. Filmamos a roda presa, batemos foto. Todo mundo olhando e meu amigo tentando ligar no tal telefone e se comunicar em italiano. O guarda apareceu viu a gente rindo e batendo foto e não entendeu nada. Perguntou se o carro era nosso, explicamos, rimos e ele falou. Muito azar o de vcs, vcs conseguiram estacionar o carro em local proibido EM FRENTE à delegacia. Não dava para não multar. A brincadeira custou 160 Euros. Dos quais 60 deviam ser pagos na delegacia e outros 100 para o guincho que soltaria o carro. Não tínhamos dinheiro para tudo. Juntamos as migalhas e deu 60 Euros, pagamos a delegacia e chamamos o guincho. Explicamos que só tínhamos cartão de crédito. Ele soltou o carro e fomos seguindo o guincho até a Central deles, fora da cidade, onde pagamos os "serviços" prestados.
Enfim, fora o prejuízo, não foi de todo mal. Voltamos para o hotel e acabamos achando um restaurante maravilhoso, ali, campestre, ao lado do hotel. Bebemos rindo do próprio mico.

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Não foi exatamente uma gafe, mas uma prova que não somos tão "ixpertos" como achamos que somos.... estava com uma prima e duas amigas indo para Siena, no dia do Palio. Acho que estávamos indo de San Giminiano (já faz um bom tempo, não lembro exatamente de onde vinhamos). O fato é que o percurso tinha que ser feito com várias baldeações de trem. Numa delas, descemos na estação, e o trem para Siena estava previsto para passar num daqueles horários que a Carla comentou, tipo 14:33. As 14:31 chega um trem - para nós brasileiros, era claro, óbvio e ululante que aquele era o trem para Siena. Entramos. E nem percebemos que o trem estava do lado contrário da ferrovia!!! Resultados, voltamos um trecho da viagem, o que nos custou algumas horinhas... Aprendizado:por incrível que pareça na Itália os trens são pontuais!! Pelo menos esse era...

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Claudio, também já entrei em banheiro masculino, no shopping Morumbi - minha sorte foi resolver ir até o fim do banheiro - chegando lá vi os mictórios (é assim que se chama?) e quase desmaiei. Ainda bem que não tinha ninguém, nem ninguém me viu saindo...ufa!!!

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Outra da garota "ixperta": fui de Londres para Amsterdan com uma amiga, de ônibus, ainda no século pré-euro. Na fronteira, já na Holanda, o ônibus pára e avisa que tem um posto de câmbio (isso era de madrugada), para comprar florins. Eu, muito esperta, digo a minha amiga que devemos trocar o dinheiro em amsterdan, pois era óbvio que ali naquele local o cambio seria altamente desfavorável, etc. etc. Conclusão: chegamos em amsterdan super cedo, não tinhamos dinheiro nem para um café ( e fazia um frio...brbrbrr) e tivemos que esperar umas 3 horas a casa de cambio abrir para poder comprar o passe de metrô, pois para piorar, a estação de ônibus ficava super longe da cidade....

Vinícius
ViníciusPermalinkResponder

A de passar o salgadinho no pozinho do cinzeiro foi demais!!!!!!

Não me lembro da última gafe que cometí kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Netto
NettoPermalinkResponder

Não foi bem uma viagema turismo, foi qdo fiz intercâmbio. Minha mãe tinha socado minha mala de camisinhas, sem me avisar é claro. Mas tb não precisava ter em tantos locais diferentes. Enfim, estava eu desarrumando minha mala rodeado por toda nova família americana. A cada peça que tirava da mala caia uma camisinha, se abria algum estojo, tinha camisinha, até dentro de livro tinha camisinha. E pra completar o caçula da família ainda ficava repetindo pra mãe...MOM, WHAT´S IT ????????? O moleque não parava de falar e eu fingindo que não entendia inglês sem me explicar...

Netto
NettoPermalinkResponder

Outra da saga do intercâmbio... chegando no aeroporto em Atlanta no banheiro, me deparo com a pia com 2 toneiras ( quente e frio ). Nunca tinha visto aquilo funcionar no Brasil. Na minha cabeça veio ( Destro e Canhoto ) Quanta ignorância pra uma pessoa só ! Enfim, eu liguei uma das torneiras ( tinha q ser a quente né) e fiquei arrumando o cabelo, e a água esquentando, esquentando, qdo coloquei a mao....... me queimei brutalmente, dei um grito sem noção c/ meia dúzia de palavrões no banheiro lotado

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Nossa antes de escrever meus micos tenho que falar que a disputa está ótima.
Jorge acho que você é o campeão. Mas gostei muito dos micos do comandante e do "digestivo".

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Tem um mico famoso e antigo que vale a pena contar para o post ficar ainda melhor.

Duas brasileiras estão conversando no lobby de um hotel de luxo em que estavam hospedadas nos EUA.
De repente entra um homem com mais de 2 metros muito forte com dois cachorros brancos enormes e chega perto delas.
As duas ficaram com receio e olhando para eles.

O homem se aproxima e fala alto "Seat!!" e as duas mulheres sentam na hora!
Lógico que a ordem era para os cachorros.

Esse homem era o jogador de basket Michael Jordan que quase morreu de rir.

O legal desse mico é que no dia seguinte quando as duas foram fazer o check out o hotel estava pago e com um cartão do
Michael Jordan agradecendo por um dos momentos mais engraçados da vida dele.

Schnaider
SchnaiderPermalinkResponder

Vendo o post do Bruno lembrei de uma complicação intestinal tbem nas filipinas, ai meu Deus! Nao sei se entra como gafe, ou pior sufoco que alguem jah passou! Ia ficar 2 noites num lugar chamado Bohol, famoso pelas Chocolate Hills, uma formação montanhosa bem curiosa que eles tem lá.... pois bem, como uma grande maioria das mulheres pré era Activia, meu intestino era bem complicado, ainda mais em viagens... Chegando na pousada do lugar pensei, bem tenho um dia e meio, da pra tomar um laxante na boa e viajar tranquila depois.... nao contente com um laxante, tomei 2!!! Fui dormir... no outro dia nada de dor de barriga, passa o dia todo, passeios, nada do intestino funcionar... pensei, bâ, 2 laxantes e nada.. tah complicado... deixei quieto mas jah tava imaginando o pior, se o laxante resolvesse fazer efeito no outro dia qndo pegariamos um onibus rumo a outo destino.... BATATA, tava lah eu esperando o onibus com um amigo e foi soh o onibus apontar na estrada que o intestino começou a fazer blorrrblorr, chegou o onibus, tipo pinga-pinga sem banheiro, e minha barriga, blorrrblorrr, era o unico onibus do dia, se perdesse aquele soh no outro dia e atrasaria toda a viagem... entramos, e minha bariga blorrrblorr, meu amigo olhou minha cara e disse, vc esta bem?! E eu, tentando disfarçar disse que tava meio enjoada... imagina, azul, verde, amarela, tentado segurar pra nao fazer coco nas calças!!! Ai que horror!!! Cheguou ate em passar pela minha cabeça fazer tudo nas calças mesmo e passar ainda a maior vergonha da vida, toda moitinha q passava na estrada eu me imaginava lah, pensei em descer no esmo e ficar esperando uma carona, mas aguentei fime 2 horas de viagem!!! Chegando na rodoviaria corri para o banheiro, meu amigo ate me ligou pois fiquei 20 Min no banheiro após essa peripécia! Galera, cuidado com laxantes em viagens!!! grin kkkk

Carla
CarlaPermalinkResponder

Gente, lembrei de uma em que saí num prejuízo danado... Quando eu fui à França, mal sabia falar francês - só o básico para ser simpática e "convencer" as pessoas a falarem inglês comigo. A amiga que viajou comigo, então, só topou ir à França porque me fez jurar que ela não ia passar fome nem dormir na rua por falta de comunicação... Nós duas já tínhamos ido aos EUA e estávamos acostumadas a dar 15% de gorjeta nos restaurantes... Quem disse que eu me toquei que aquele "service compris" que vinha na conta significava que o serviço estava incluído? Pagava e ainda deixava 15%!!! Bom, tenho que dizer que fui muitíssimo bem tratada por lá... grin

Carla
CarlaPermalinkResponder

Nossa, nada como ler uns "causos" pra aguçar a memória... Minha primeira vez de carro nos EUA - eu estava em Westwood, Los Angeles, que é um bairro relativamente calmo. Eu ia dobrar à direita, mas o sinal estava vermelho, e eu, claro, parei. Imediatamente ouvi um milhão de buzinas atrás de mim, mas... nem te ligo, claro, só estou obedecendo ao sinal... Aliás, achei um desaforo aquele povo buzinando querendo que eu avançasse o sinal vermelho!!! Depois eu descobri que o sinal não vale para quem vai dobrar à direita, desde que não venha carro na transversal e que eu dei uma bela contribuição para os engarrafamentos de Los Angeles... lol

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar