Enquete da semana: é sopa

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Talvez por causa do frio, que veio cedo e forte este ano, tenho andado bem sopeiro.

Dia desses, no bistrô mais querido de São Paulo, o cinqüentenário La Casserole, jantei uma sopa de cebola. Tenho saudades daquelas de Paris, como a do restaurante mais charmosamente kitsch do mundo, o Pied de Cochon, que vem com uma fatia de pão mergulhada e é tapada com queijo (se quiser parecer um habitué, chegue de madrugada -- o Pied de Cochon não fecha nunca -- e peça pelo apelido, "Une gratinée, s'il vous plaît"; custa meros 7 euros). 

Daí, antes de embarcar para Alagoas, fechando uma matéria para a VT sobre a minha expedição de bumba pelo México, me lembrei de duas sopas sensacionais que tomei por lá, dentro da minha belicosa série de desafios a Montezuma. A primeira foi uma apimentada sopa de caranguejo (com o caranguejo inteiro dentro) num restaurante do zócalo de Veracruz.

   

A segunda, na Cidade do México, foi ainda mais corajosa: um pozole, picantíssimo cozido de porco com muuuuito caldo, tomado tarde da noite num dos botecos do Mercado San Camilito, na folclórica Praça Garibaldi, onde os grupos de mariachis se concentram à espera de oportunidades de trabalho.

   

Daí, já na Pousada do Toque, não é que o Nilo faz a mamma dele, italiana do Espírito Santo, preparar seu famoso cappelletti in brodo caseiro? Djilícia.

E o assunto vinha mesmo quando não-solicitado -- outro dia, conversando com a Adriana da Aldeia Beijupirá, ela do nada lembrou da sopa de feijão com banana que eu tinha blogado lá de Santa Catarina (lembra? era a do restaurante Pirão d'Água, de Penha), para dizer que na família dela faziam uma igualzinha.

Então eu volto a São Paulo e, na primeira noite que vou jantar fora, no Mestiço, descubro uma novidade no cardápio: um pho (diga: ), o caldo que é o café da manhã, o almoço e o jantar dos vietnamitas.

   

Hmmm.... o caldo estava uma delícia, mas senti falta de mais coisinhas dentro (uma carninha, alguma surpresinha qualquer al dente...). Na verdade aquele pho me abriu o apetite para procurar restaurantes na Liberdade que façam udon, a sopa japonesa com macarrão grosso e um monte de coisas dentro (que nem essa aí que eu tomei em Hakone, logo depois de avistar o Monte Fuji).

   

Conta pra gente: que sopa você já tomou que vale a viagem? (Pode ser uma viagem curta, viu? Quanto mais perto aqui de casa, melhor...)

84 comentários

Meilin
MeilinPermalinkResponder

A minha mãe fazia uma sopa de beterraba que além de deliciosa ficava linda, porque ela enfeitava com pipoca...ficava muito fashion!!!

Isabel O., Portugal

Olá
Gabriela,
o restaurante em Oeiras é por cima da Marina, colado à piscina oceânica. Todo design, carote... a vista, a decoração, o serviço e a comida são bons (pelo menos o que nós comemos).

Eu sou franca a "meloa" do cortador de melão não me parece nada meloa...

Carmen e outros apreciadores de gaspacho, já provaram o português, do Alentejo? Não "Se tritura fino", os bocados de pimento, tomate, presunto... ficam dentro do caldo a boiar.
Esqueci há pouco da minha melhor sopa. Fui passar uns dias a uma casa rural, numa serra portuguesa chamada Gerês (no Norte). Ao almoço grelhei entrecosto e à noite fiz uma sopinha com produtos da região (que bela couve!!!) e com os ossos do entrecosto (era só eu e o meu marido - não pús na sopa ossinhos roídos por terceiros). Acompanhámos com broa (pão de milho do Norte), que também acompanha bem o tal caldinho verde de que alguns já falaram.

Beto
BetoPermalinkResponder

Sem provar, sem ver, sem conhecer, o meu voto vai pra esta sopa de ossos roídos da Isabel, porque de sopa quem entende é tuga. E ponto final. Bacci a tutti.

Isabel O., Portugal

Oh, Beto, que grande elogio! As sopas da Maria (á assim que ela se chama?) devem ser do melhor.

Caio
CaioPermalinkResponder

Sopas do DELIRIO TROPICAL no RIo.......eu frequento o de Ipanema. Todas são maravilhosas.
Aliás o restaurante todo é um dos preferidos do Rio no almoço.

Diego
DiegoPermalinkResponder

Eu tô na mesma batida das sopas esse ano. Adoro frio e adorei que ele chegou cedo aqui no sul esse ano. Espero que fique. E também esse ano, comecei a experimentar mais sopas.

Hoje mesmo comi uma de moranga com erva doce num bistrôzinho aqui no Moinhos de Vento. Bom demais.

Mas as minhas top 3 ainda são as simples e clássicas: canja, agnolini e sopa de legumes batida.

Riq, esse post me encorajou a provar mais tipos. Obrigado pro abrir a minha cabeça mais uma vez.

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Majô, para você a receita de borsch da minha anfitriã russa Elena (se diz "ielena"), é super simples:
Borsch (sopa russa de beterraba)
uma beterraba grande ou duas pequenas em cubos
uma cenoura grande em palitos pequenos
uma cebola em fatias finas
duas batatas em cubos
meio repolho picado
Cozinhar tudo em um litro de caldo de frango, temperar com salsinha e louro. Pode servir pedaçudo mesmo, ou bater tudo no liquidificador e em cada prato acrescentar uma boa colherada de creme azedo (eu acho que para ficar parecido com creme azedo é só misturar uma lata de creme de leite sem soro com meio pote de iogurte)

Majô
MajôPermalinkResponder

Jurema,

Obrigada pela receita da borsch !!!!! lol lol lol
Adorei, essa é a legítima !!

Fernando
FernandoPermalinkResponder

Gosto de sopa, lá vão as minhas preferidas. A vantagem é que podem ser pedidas em qualquer pé-sujo de suas cidades de origem

Caldinho de Sururu, em Salvador.
Caldo Verde ou caldinho de feijão, no Rio (de preferência no Baixo Gávea)
Sopa de Cebola, em Paris

PS: Não sei se pode ser considerado uma sopa, é mais um ensopado, mas vale também a sugestão (desde que acompanhado de uma pint de Guinness)

Irish Stew, em um Pub Irlandês, facilmente encontrado em toda Inglaterra (também em Nova York e, imagino, em Boston).

Sensacional!!!!

Rodrigo Purisch

Riq,

Você e o Marcelo Katsuki estão afinados :

http://marcelokatsuki.folha.blog.uol.com.br/arch2007-06-03_2007-06-09.html#2007_06-03_12_54_55-10901658-0

Da-lhe Pho ! Realmente, no Vietnã o Pho (Gà, Bó Cà) está em todo lugar. Mas o tempero, como na maioria das comidas no Vietnã, é bastante suave. Cocordo com você, um Udon (que presença frequente aqui em casa) é mais saboroso. O o sabor também é suave, mas as texturas dos ingredientes fazem a diferença.

Ellen
EllenPermalinkResponder

Canja no Gigetto...

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Patsy, tem fotos do Legal Sea Foods lá no http://destemperados.blogspot.com/2007/05/lagosta-do-legal-sea-foods.html

Syl, gracias querida!!! Já tem coisa nova lá... corre!!!

Besos, Diogo

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Isabel O, haré el gaspacho de Alentejo. Obrigada por la receta!!!.

Arnaldo (FATOS & FOTOS de Viagens)

A Juliana Scherz me fez lembrar que eu ADORO o "Creme de cebolinha - Delírio Tropical (restaurante self-service no Centro do Rio)" no qual eu como com freqüência....(acho que irei lá hoje!)

Meilin
MeilinPermalinkResponder

Arnaldo, a sopa de hoje no Delírio Tropical também é imperdível: creme de palmito. Às vezes tb tem creme de aspargos na 5ª feira. A de cebolinha na 4ª é um clássico até no verão

Arnaldo (FATOS & FOTOS de Viagens)

Meilin, eu gosto muito de quase todas as sopinhas do Delírio Tropical, especialmente as de cebolinha, o caldo verde, a de feijão e a de palmito.

Daniela Siqueira

Eu também sempre fui que nem a Mafalda - odeio sopas!
Mas abri duas exceções, especialíssimas: sopa de cebola no Rosa dos Ventos, em Teresópolis (ela precede o fondue de queijo: eu esnobei e nem quis e depois fiquei pedindo migalhas ao meu marido) e o Clam Chowder da Nova Inglaterra, nos EUA, com creme de leite (e a Patsy tem razão, a do Legal Sea Food é excepcional). A de cebola vem com uma cobertura de queijo ralado gratinado que é do outro mundo, e pãozinho pra acompanhar (o único jeito de eu tomar sopa é molhando pão nela). O Clam Chowder é um creme, mais que uma sopa. Para essas duas, eu abro exceção!
Agora, a mais horrível de todas, longe: um negócio que o marido pediu (eca, óbvio que não fui eu) em Boston, típico da cozinha local: Baked Beans. É uma sopa (eca!) de feijão (eca!) cozida longamente em panelas de barro com... MELADO! Foi a coisa mais escalafobética que o marido já comeu (e ele come até chumbo derretido). Eu devo confessar que quase saí da mesa (mas aí chegou um clam chowder...)

Rosa
RosaPermalinkResponder

Daniela, gostei da definição do marido que come até chumbo derretido.
O meu é assim mesmo. O lado bom é que tudo se resolve fácil, qualquer pé sujo ele traça, sem reclamar e ainda elogia. O lado não tão bom é que nem sempre ele está disposto a pagar mais caro por algo mais requintado...

JB
JBPermalinkResponder

Arnaldo et al,

Gostei da sua sugestao de sopa para hj. Tb gosto muito do Delírio (o da Santa Luzia é mais vazio).

Alguém toparia uma mini ConVnVenção hj no Delírio, hein, hein?

Hugo
HugoPermalinkResponder

Estou no mesmo time da Daniela pois não gosto de sopas, caldos ou afins.

O máximo que faço é abrir exceção para um caldo de feijão, e mesmo assim é muito raro. Mas sopa mesmo, nem lembro quando foi que comi da última vez.

Meilin
MeilinPermalinkResponder

PÔ, JB, hoje não dá nem pra sair e comer, tem que ser delivery...quem sabe 5ª feira?

Eduardo Luz
Eduardo LuzPermalinkResponder

Riq, a minha esposa me ensinou a gostar de sopa pois ela adora e experimenta na maioria dos restaurantes que nós conhecemos. Seguindo o ranking dela as melhores são as que eu faço em casa pois já tenho receitas de várias tais como tailandesasem geral ( e apimentadas como tal), uma canja de galinha com canela que é espetacular, a sopa de cebola do Bourdain que também é excelente, uma receita italiana que nada mais é do que água quente temperada e as várias versões de gaspacho acompanhadas por um belo ¨pan com tomate¨.
Ou seja , quando quizer experimentar é só avisar !

Beto
BetoPermalinkResponder

Olhaí, gente, o site do Ricardo é nota 10...

Libanesa
LibanesaPermalinkResponder

Ricardo, você deveria experimentar a sopa "Chapsae Doudo" que é feita no norte do Paquistão (Hunza, Karakoram): é super simples, feita com carne de carneiro e uma das mais saborosas que já experimentei.

Além de tudo, dizem que a culinária local era um dos segredos da longevidade do pessoal que vivia por lá (lenda de Shangri-lá):

http://www.saudiaramcoworld.com/issue/200603/cooking.in.hunza.htm

Recomendo a Chapsae Doudo e a sopa de apricots. Todos os maus bocados que passei com a culinária indo-paquistanesa foram recompensados com essas delícias.

Beijos

Erika
ErikaPermalinkResponder

Eu sou do time da Daniela e do Hugo, não sou muito chegada em sopas (deve ser algum trauma de infância...). Mas a que lembro até hoje é uma canja do restaurante do hotel que caiu como uma luva depois de passar quase 1 dia sem comer, devido a problemas estomacais no Nordeste. E olha que eu sempre odiei canja, mas aquela estava dos deuses...
Outra sopa que eu gosto é a famosa sopa de beterraba (borsch, não sei se está certa a palavra), que é receita de família que foi passando de geração...Com aquele toque do creme de leite fresco, ela fica com aquele tom rosado...fica linda e deliciosa! Bom para aqueles dias bem frios...
Quanto às sopas mais básicas, fico com a clássica de feijão, e a de ervilha, desde que tenha um pãozinho ou uma torrada pra acompanhar...
De resto, sopa eu passo!

Débora
DéboraPermalinkResponder

Olá Ricardo!
Cheguei até aqui por meio do blog do Jorge (Gira Mundo) e dos Destemperados (Diego e Diogo). Achei incrível seus relatos e estou apaixonada pelas fotos. Lendo seus posts eu consegui viajar e me snetir em todos esses lugares. Parabéns!
Tenho um blog de gastronomia onde escrevo junto com meu namorado sobre os lugares que conhecemos. Quando der, dá uma passadinha por lá: http://www.brincandodechef.blogspot.com/
Inclusive, gostei tanto desse blog que gostaria de colocar o link no nosso, pode ser?
Grande abraço!

Hilda
HildaPermalinkResponder

Como toda boa gaúcha, da serra, tb sou sopeira! E a melhor é sempre a última, como a que estou tomando agorinha: quentinha, de ervilha, que a mãe fez, bem temperadinha, com pedacinhos de algo indecifrável dentro! Mas pode ser capeletti, de abobóbora com gorgonzola, de funghi, mas tudo fresco, sem "latinhas" nem "pózinhos".

Schnaider
SchnaiderPermalinkResponder

Sinigang soup, nas Filipinas, sopa tradicional com base de tamarindo, uma carne (porco, galinha ou peixe), eu prefiro a de peixe, alho poro cebola, espinafre, tomate..hum, uma delicia!!! grin

Ricardo Freire

Schnaider, qualquer dia desses você tem que nos contar mais coisas sobre as Filipinas mrgreen

Lea
LeaPermalinkResponder

Sopa, na minha opinião, se aprende a comer na infância. Na casa dos meus pais sempre foi assim na hora do jantar: pra abrir a refeição, salada no verão e sopa no inverno. As de que eu mais me lembro eram a vermelha com arroz (minha família é árabe, não sei se essa receita é oriental também) e a de ervilha (com coentro em pedacinhos, será que era isso que tinha na sua, Hilda?). Tinha também a de legumes bem pedaçuda. Além dessas, queria citar duas dignas de nota...

SOPA DE CEBOLA GRATINADA
Simplesmente AMOOO sopa de cebola francesa com cebolas em rodelas, pão tipo italiano e gruyère gratinado por cima. NHAM! Me falaram dessa do Ceasa, e descobri que aquele restaurante 24 horas nos Jardins, o Pasta e Vino, serve essa e já decidi que assim que esfriar de novo vou pra lá! Também nos Jardins, o Paris 6 faz a sopa coberta com emmental, mas eu ainda não provei. Pra quem não for de Sampa e estiver com o mesmo desejo que eu estou agora, segue o link pra uma receitinha do Basílico (a foto é bem apetitosa):
http://basilico.uol.com.br/servlets/ConsultaReceitas?estrelas=668

TOM KHA GAI
Na minha viagem à Asia, ADOREI essa sopa com leite de côco, frango, galanga e lima. Uma das mais deliciosas comi num lugar igualmente gostoso, o museu-casa do Jim Thompson, o cara que desenvolveu a industria moderna da seda na Tailândia.
Sobre a sopa: http://en.wikipedia.org/wiki/Tom_kha_gai
Sobre o museu: http://www.jimthompsonhouse.com/

Ah, Riq: eu li sobre os sobás e udons japoneses no Paladar do Estadao e guardei o link nos meus favoritos porque nunca experimentei. Tem até uma história cuiriosa de uma sobaria que é filial de outra em Campo Grande (!) - o sobá foi trazido pro MS por imigrantes japoneses de Okinawa que se fixaram lá e ficou popular na região.
http://txt.estado.com.br/suplementos/paladar/2007/04/19/paladar-1.93.18.20070419.41.1.xml

Lea
LeaPermalinkResponder

Riq, acho que meu post ficou preso!

Karine
KarinePermalinkResponder

hmmm
Sopa de camarão no Pão no Fishersman Wharf em são Francisco, US.

Shell
ShellPermalinkResponder

HUMMMMMMMMMMM

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar