Segredos de Frida e Diego

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Li no caderno Viagem do Estadão de terça passada que o Museu Frida Kahlo, na Cidade do México, está inaugurando uma exposição interessantíssima, chamada Os Tesouros da Casa Azul.

    frida400.jpg

A Casa Azul vem a ser a casa onde nasceu e morreu Frida, no lindo bairro de Coyoacán -- um vilarejo que foi engolido pela expansão da metrópole mas não se descaracterizou. E os tesouros são documentos e objetos deixados por Diego Rivera aos cuidados de sua mecenas, Dolores Olmedo, com a recomendação de que só fossem abertos 15 anos depois de sua morte.

Armazenados em 30 caixas enormes e guardados em aposentos vedados ao público, os 22 mil itens só começaram a ser catalogados em 2002. Esta é a primeira vez que serão expostos -- e só até o dia 30 de setembro.

O jeito mais bacana de visitar a Casa Azul é fazendo a peregrinação completa. Primeiro, uma parada no Museu-Estúdio Diego Rivera, no bairro (mais ou menos vizinho) de San Ángel, numa casa modernista onde o pintor viveu e trabalhou.  Eu digo que é como visitar a casa de Sartre antes de ir à de Simone...

    diego400.jpg

Depois do museu de Frida (eles não deixam fotografar dentro, então só tenho fotos da fachada, desculpaê), se for fim de semana, vá caminhando até o centrinho de Coyoacán, onde, na praça em frente à igreja San Juan Bautista, acontece uma feirinha animadíssima.

    coyoacan401.jpg

    coyoacan400.jpg

 coyoacan142.jpg coyoacan1401.jpg coyoacan141.jpg

(Para quem perdeu o especial do México que eu fiz ano passado para a Viagem & Turismo: a matéria da minha viagem de ônibus sai na edição de agosto da revista.)

17 comentários

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Riq, que fotos lindas! Vou ficar esperando a edição da VT de agosto pra ter mais detalhes!!!

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Puxa, Riq, essa é uma daquelas matérias que merecem muitas e muitas páginas de matéria. Eu adoro matérias com roteiros, mais que somente sobre um destino.
Aliás, vou fazer um comentário... as últimas VT têm tido matérias muito interessantes sobre roteiros rodoviários, como aquela sobre a Turquia ou a última, sobre o Marrocos.
Só que...falta mais conteúdo! Tanta coisa para falar e eles acabam colocando só umas duas páginas de texto (fora serviço) e mais umas 3 de fotos. Eu sei que deve isso deve obedecer à linha editorial da revista, mas dá uma sensação de quero mais e acabamos chupando o dedo sad
Quando você lê revistas como a Volta ao Mundo e vê matérias de 20 páginas, aí é que se sente mais a diferença...

Paula Brito
Paula BritoPermalinkResponder

Concordo com vc, Emília. Algumas matérias merecem mais espaço na revista, principalmente se houver roteiro detalhado.

Dani
DaniPermalinkResponder

Riq, quero muita essa edição!! Quando vi seu post dizendo da viagem de ônibus para o México, já corri para a banca e vi que ainda vou ter que esperar mais um pouquinho...
México é o top da minha lista para as férias em 2008!!

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

Riq,
Moro nos EUA, mas nunca fui ao Mexico e Canada...To com planos pra 2008 pra tirar esta "culpa" de nao fazer uma visita pela vizinhanca...MAS tenho uma pergunta que nao quer calar...Aqui, estao comentando que o Mexico estah ficando perigoso pra turistas, com muitas guerrilhas e guerra de traficantes pelo pais...Vc sentiu algo parecido????

Geraldo
GeraldoPermalinkResponder

Claudio,
Vou meter minha colher.... moro no México a mais de dois anos e lhe garanto que é mais seguro que São Paulo e Rio por exemplo. Minha cidade tem 1 milhão de habitantes mas me sinto como em uma cidadezinha do interior tamanha a tranqüilidade. Existem problemas localizados em cidades como Monterrey e Acapuco ligados a “los narcos “, e na Cidade do México o problema é muito parecido com o que enfrentamos em SP!
Ou seja, na minha opinião o que acontece aqui não deve assustar um brasileiro! E seguramente a paisagem compensa!
Saludos,
Geraldo

Isabel O., Portugal

Tudo o que é colega minha que foi ao México adorou.
Há anos houve no Centro Cultural de Belém (lisboa) uma exposição importante de Frida. Foi a mais vista de sempre nesse espaço. Acho que ia amar a Casa Azul. Imagino que todos tenham visto o filme biográfico que passou nos cinemas. Na citada exposição do CCB passavam um filme/documentário sobre a pintora muito interessante. Porventura passam-no na casa- museu.

Isabel O., Portugal

Desculpem a insistência mas como estamos numa onda cultural não resisti a copiar de um blogue de um intelectual da nossa praça (tem um livro lindo chamado "Longe de Manaus"), amante do Brasil, chamado Francisco José Viegas, o seguinte:
"Hoje, quinta-feira, 21, às 18h30, Otávio Frias Filho, o director do jornal Folha de São Paulo, estará na Casa Fernando Pessoa para falar do seu livro Queda Livre (edição A Palavra), com apresentação de João Pereira Coutinho. Falar-se-á, certamente, do Brasil, de política e da América Latina."

Lea
LeaPermalinkResponder

Riq, fiz um mega comentário sobre esse post mas meu explorer deu pau e perdi tudo! Vou então resumir o que eu estava escrevendo aqui.
Fui ao México há uns dois anos especialmente por causa da Frida - sou apaixonada por ela e por seu trabalho há muitos anos.
Minha experiência de visitar a Casa Azul rendeu inclusive uma matéria na mesma VT Especial Mexico!
Aqui vão alguns outros lugares relacionados ao casal que vale a pena visitar:

- Para ir de Coyoacán a San Angel (ou fazer o caminho contrário, como você propõe) vale percorrer a Calle Francisco Sosa, que é super charmosa e supostamente a mais antiga do México.

- Em Coyoacán há também o museu Leon TrotskY (não consegui ir pois estava fechado) - foi lá que Trotsky viveu seus últimos anos na clandestinidade e também onde foi finalmente assassinado.

- No centro da cidade, no Palácio Nacional do Zócalo, há murais lindos do Diego Rivera (inclusive com a Frida retratada em um deles). Imperdível.

- No sul, há a casa-museu da mecenas que você citou, Dolores Olmedo Patiño. É na verdade a hacienda onde ela morava, um espaço enorme e cheio de pavões e outros bichos que ficam passeando pelo local. Além do lugar, que é lindo, tem cerca de 20 pinturas de Frida (a maior coleção reunida de obras dela) e outras 100 obras de Diego.

- Ali ao lado ficam os canais de Xochimilco, onde rola uma espécie de feira livre. É um programa bem turístico mas super colorido e divertido também.

Besos con chili!

Lea
LeaPermalinkResponder

Dani, essa viagem vale muito a pena! A edição especial da VT sobre o Mexico ainda está à venda, acho que na Fnac ou outra grande livraria vc encontra.

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Riq,

Caprichou mesmo nas imagens hein?? Estão lindas!!

O texto não precisa nem comentar!

Abs!!

Marcio

Ricardo Freire

Leinha, não tive tempo pra ir a Xochimilco -- foi bem no dia que eu ia dormir no Condesa DF, e precisava voltar para aproveitar o hotel :roll:

Lea
LeaPermalinkResponder

Putz Riq, taí o pretexto que vc precisava pra voltar lá!! wink
Acho q vc ia adorar.

Majô
MajôPermalinkResponder

Eu sou completamente impactada pela Frida Khala, desde o filme dela.
É uma figura apaixonante, a sua determinação. O filme foi dos que mais me marcou. Quem não viu o filme vale a pena.

Essas fotos como sempre, lindas Sr. Freire. wink
Não conheço o México. Ai, preciso ganhar na MEGA eekops:

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Olá. Passei quatro dias na Cidade do México, com meu marido, em janeiro de 2006. No último dia na cidade, um domingo, decidimos (meio de última hora) fazer o passeio pelos canais de Xochimilco e a visita ao Museu Frida Kahlo. Não nos arrependemos. O passeio à Xochimilco é interessante (dá pra fazer um piquenique à bordo do barco, ao som de mariachis), mas o ponto alto é, sem dúvida, a visita à Casa Azul. Foi emocionante ver de perto o universo de Frida Kahlo, seus objetos pessoais, os quadros. Tiramos várias fotos na área externa da casa. Nesses quatro dias na cidade, pudemos visitar o Museu Nacional de Antropologia, o Palácio Nacional (e os maravilhosos murais de Diogo Rivera) e as Pirâmides do Sol e da Lua em Teotihuacán. Infelizmente não pudemos conhecer Taxco, mas por tudo que vi, posso afirmar, sem medo, que essa é mesmo uma viagem maravilhosa.

jayro almeida
jayro almeidaPermalinkResponder

Frida é sem sombra de dúvida, sinônimo de coragem, talento, determinção, e carinho pela sua cultura. Sou apaixonado por esta artista/mulher ( ou será mulher/mais que/mulher?).
Parabéns pelas fotos e artigo, que bom que nesse mundo ainda existem pessoas que cosnseguem dividir seus prazeres com outros.
Jayro

kelly públio
kelly públioPermalinkResponder

OLá,um dia irei ao México,mas enquanto não acontece deixo uma pergunta.
Quando haverá uma exposição da obra de Kahlo aqui no Brasil,dado como óbvio a imensa paixão que os brasileiros possuem ao México ainda mais pela cultura.
obrigada

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar