:-(

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

acidente2.jpg

Antigamente Congonhas só seria usado num vôo de/para Porto Alegre quando houvesse escala em Navegantes ou Caxias do Sul. Quem quisesse usufruir do conforto de embarcar e desembarcar em Congonhas era obrigado a suportar o desconforto de uma escala inconveniente. E ainda pagava mais caro do que quem voava non-stop para Cumbica.

Essa regrinha da escala (da qual só escapavam os vôos ao Rio, Belo Horizonte e Curitiba) mantinha o tráfego do aeroporto num volume aceitável.

Um acidente como o de hoje não poderia ter acontecido naquela época? Poderia.

Mas pelo menos a gente não ficaria pensando na insanidade que foi deixar Congonhas virar o aeroporto mais movimentado do Brasil, e na enormidade de dinheiro que a Infraero põe em prédios monumentais, aeroshoppings, fingers, edifícios-garagem, viadutos e túneis, e na tão pouca atenção que parece dar às.... pistas.

75 comentários

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Estava assistindo o jornal da Globo - fiquei passada. A vida toda ouvi ( e acreditei) que viajar de avião era mais seguro que de carro. Agora, com 2 acidentes horríveis em 10 meses, não dá mais para acreditar que um raio não cai 2 vezes no mesmo lugar, pois a sensação é que caiu.

Para uma leiga como eu, parece mesmo que o problema foi na pista: recém-inaugurada, na primeira chuva, derrapa um avião, no dia seguinte, essa tragédia, também num dia de chuva. Será que de novo vão ficar jogando a batata quente uns p'ros outros e nada será feito para que esses acidentes não se repitam?

Carla2
Carla2PermalinkResponder

O último comentário da noite: sabem qual é a minha sensação? que esse país está desmantelando - sei que não é provável, mas é o que eu sinto - nada funciona, os políticos cada vez mais politiqueiros e interessados só no próprio umbigo, a classe média sendo maltratada e espezinhada por todos os lados (cpmf eterna, 10 horas numa fila para tirar o passaporte e por aí vai...), a violência aumentando.... Tem hora que não tem Pan, nem Copa América, que dê jeito - dá vontade mesmo de pedir asilo na Suiça....

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

No momento, apenas a nossa solideriade e orações as vitimas neste momento dificil. Que cada um encontre forças para superar esta tragédia.

Depois, que com calma, se apuerem os culpados, e que - espera-se - seja feita a Justiça exemplar, inclusive com a reparação financeira rápida e imediata para as vitimas!

xipaia
xipaiaPermalinkResponder

A greve, acho, é eminente. Não, não é greve, desta vez, dos controladores de vôo.

Agora, o terreno está preparado para a greve dos pilotos, co-pilotos e comissariado em geral! Eles estão morrendo e devem se defender.

Sei que s passageiros também estão morrendo, mas, estes, pelo menos, têm o poder de não voar. Aqueles, se não comparecerem, pegam falta, ou perdem o emprego!

A greve vem... anota aí!

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

E, que se responda: porque a reforma na area de passageiros foi feita antes das pistas? Seria correto ter liberado as pistas, especialmente em dias de chuva? Mesmo liberadas, companhias aereas e pilotos deveriam pousar nelas se havia riscos? Se houve algum erro do piloto, ele recebeu treinamento suficiente?

Agora são algo como 200 vidas. Se estas pessoas tem pai e mãe vivos, e outros tem conjuge, filhos e irmãos, são no minimo 1000 vidas completamente destroçadas.

Que todos os responsáveis assumam sua parte, e que a Sociedade cobre uma resposta.

Lena
LenaPermalinkResponder

Coment[ario do professor de aeroportos da Poli: "As reformas em Congonhas começaram primeiro pelos terminais e, depois, na pista. Qual a justificativa para priorizar o conforto à segurança?"

Eu, leiga, fico aqui pensando: mesmo tendo liberado a pista antes da realização do grooving (supondo que consideraram o fato de que os meses de junho/julho/agosto não costumam ser chuvosos), não seria o caso de fechá-la em dia de chuva intensa, como hoje?

Lena
LenaPermalinkResponder

Nossa, Ernesto!! Transmissao de pensamento...

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

CONGONHAS- CRONICA DE UMA TRAGEDIA ANUNCIADA...
Triste muito triste...Pior eh quando vc descobre uma ma noticia do Brasil, jantando em um restaurante americano, mostrando a CNN e todo mundo comentando MAL sobre o acontecido...Triste, muito triste...sad

Felipe V.
Felipe V.PermalinkResponder

Tudo isso em pleno Pan 2007.
Os brasileiros, a TAM, os passageiros não mereciam isso!!!
Tô triste!

Flavia Kaiser
Flavia KaiserPermalinkResponder

Cada notícia dessa aperta meu coração de tal forma como se algum parente querido meu estivesse entre as vítimas sad

Pablo
PabloPermalinkResponder

Horror e descaso. Muito triste, tudo. Me parece que é um jogo de empurra. Aqui, infelizmente, não se atribui responsabilidades, o que é grave mesmo. Se houvesse Justiça nesse país, talvez. Mas, infelizmente, não dá pra confiar. No caso específico, acho, que é uma série de erros acumulada, sobretudo de infra. Não adianta luto, tem que formar controladores. Daqui a uns 10 anos, talvez. Confiança, foi-se.
Triste. Muito triste.

Ronaldo Moraes

Tenho a mesma desconfiança que você Ricardo, não entendo muito, mas acho que o tráfego aéreo em Congonhas foi sobrecarregado demais, tudo em nome da lucratividade das empresas para facilitar os consumidores paulistas. Tudo bem que Congonhas em termos de localização é o melhor aeroporto, mas as empresas aéreas forçaram muito a barra e o governo subserviente e omisso acatou.

O que deve ser feito desagrada as companhias aérea e ao consumidor do Estado de São Paulo, mas este que é o estado mais rico da federação não possui infraestrutura para ser o centro do trafego aéreo no país e este é um problema que não se resolve rapidamente, Congonhas não comporta o nº de conexões que recebe, estas devem ser transferidas para cumbica, e o Galeão pode e deve ser utilizado como porta de entrada e saída de vôos internacionais.

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Que triste!! Assim que liguei o computador, essa notícia saltou no RSS.

Depois da tristesa ao saber do ocorrido, espero que não fique tudo por isso mesmo. Chega de impunidade!!

Não dá para os responsáveis por mais essa tragédia ficarem sem punição.

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Depois da tristeza!! Acho que estou dormindo ainda!

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Soube do acidente através da radio aqui na Bélgica. Fiquei tristissima. Além de ter aumentado meu medo de voar pro Brasil...

No acidente da Gol que vinha de Manaus eu conhecia algumas pessoas, entre elas uma amiga que estava com o marido e o filho de três anos. Foi uma dor horrorosa pra familia.

Dai me pergunto: Quando ser o proximo ? Não confio mais na aviação brasileira sad

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Não dá pra falar muita coisa, né, gente? Tô em Cumbica agora, esperando para embarcar: a TV tá ligada no último volume falando do acidente e tem comissárias e comandantes da TAM que não páram de chorar aqui do lado. Climão total - e um medão gigante de embarcar... sad sad sad sad sad sad

Erika
ErikaPermalinkResponder

sad eu to tão triste que a cada notícia eu só sei chorar e me revoltar.

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Eu hoje não tenho comentários a fazer...lamento muito.

SandraM
SandraMPermalinkResponder

Mari Campos:
minha solidariedade e apoio.
Bjs a todos.
;(

Katy
KatyPermalinkResponder

Ontem o meu sentimento era de indignação perante o descaso com a segurança e a preocupação maior das autoridades com o desenlace político e econômico a que certos fatos podem levar.
Hoje, estou apenas e simplesmente (?) perplexa.
Fico imaginando as vítimas e suas famílias...
Tristeza, tristeza... sad

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Muitos conhecidos na lista de passageiros que acabo de ler.
Tive que ler duas vezes para acreditar.
Ainda penso que alguns podem ser apenas homonimos, já que só
vejo o primeiro e o ultimo nome .
Não consigo deixar de pensar nas familias, filhos, pais , esposas; se eu
que os conhecia superficialmente estou com os olhos cheios dagua .
Um amigo de balada dos bons tempos de faculdade , com a minha idade
mulher, filhos e cheio de gás .O meu abraço Paulo Rogério !

Hugo
HugoPermalinkResponder

Aproximadamente 20 dias atrás peguei este vôo da Tam em Porto Alegre com destino a BH e conexão em Congonhas.

Naquele dia, uma quinta feira, fiquei impressionado em ver que o avião estava completamente lotado e também com o fato de que Congonhas não tinha condições de suportar nem mesmo um movimento de aviões e passageiros típico de um dia de semana normal.

E causa espanto também a total ausência de preparo da maior companhia aérea do Brasil para prestar atendimento e assistência às famílias dos passageiros. Num momento de desespero daqueles, quase 5 horas após o acidente, a televisão só mostrava uma funcionária em POA dizendo para as pessoas ligarem para um 0800.

A dúvida que fica agora é quantas pessoas ainda terão que morrer até que providências concretas sejam tomadas.

Hoje é um dia para rezarmos por essas pessoas e suas famílias.

Ricardo Freire

Eu acabei de ler também, Sylvia. Achava impossível que não conhecesse alguém -- ou alguém que fosse muito querido de alguém que eu conhecesse. Aparentemente, não conheço ninguém. Mas já sei que uma amiga minha ia pegar esse vôo e não pegou.

Meus sentimentos pra ti.

Avassaladora
AvassaladoraPermalinkResponder

É lamentável tudo isso, mas eu digo, temos é que boicotar... dois dias sem passageiros e o financeiro vai doer no bolso... o governo tem que fazer alguma coisa!!!!!!
VAMOS FAZER GREVE!!!!!!!!!!

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Puxa Sylvia! Também olhei a lista com muita apreensão, fiz muito esse trecho quando ainda trabalhava no banco. Diversas vezes viajei com conhecidos e amigos.

Um abraço e meus sentimentos.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Chorei muito ontem! Pode parecer insano, mas amior que a dor que senti quando vi a notícia do acidente foi a dor de chegar - novamente, diga-se de passagem - a mesma conclusão que a Carla2: o país está desmantelando!!!!

Igor
IgorPermalinkResponder

Realmente é muito triste. Ainda mais para mim que já trabalhei naquele aeroporto. Por incrível que pareça, é muito dolorido ouvir as pessoas falarem mal daquele lugar que tem uma história deslumbrante.

Uma coisa eu afirmo para vocês: todos esses problemas que acontecem são resultados da incompetência e da malandragem que vem lá de cima.

Enquanto muitas pessoas morrem, poucos malandros enchem as cuecas com dinheiro... Apadrinhamento em todos os lugares... todos querendo "mamar"... e quem sofre são os cidadãos de bem.

Votem certo nas próximas eleições, por favor.

A minha vontade é estar lá pra ajudar os ex-colegas no momento de crise.

Patsy
PatsyPermalinkResponder

Pessoal, eu estava aqui em Congonhas ontem.

Trabalhando, a apenas 2 quadras, o barulho e as explosões não saem do meu ouvido, e hoje estou aqui novamente trabalhando, quase desumano, e hoje é o cheiro forte, um cheiro que não vai embora, que triste!

E o aeroporto esta funcionando, a washington luis aberta sentido centro e muito CET, policia ainda nas redondezas.

sad
Pat muito triste ...

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Porra! O Amoretty foi presidente do Inter há coisa de 2 gestões atrás... fora que eu fui colega dos filhos dele...

Tbm tem o presidente da Medabil, o Attilio Bilibio, que é pai de uma amigona minha, a Márcia, e semana passada mesmo tava a mil em volta da festa de aniversário da empresa dele aqui em sampa, e lançando um livro sobre o perrengue que foi a vida dele... taí agora.

Que merda...

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Que coisa mais triste... sad

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Que droga né Diogo ?
O Attlio foi um grande empreendedor; e na ultima vez que encontrei a
Goia ela me falou que um dos meninos estava na europa e que o Paulo
Rogerio iria para lá matar as saudades...
Continuo em panico com os homonimos ( mesmos nomes de filhos de amigos ..) e ainda ex colegas do Colegio de Aplicação .
Eu não estou acreditando nisso ...

E acabo de receber por e mail :

ANDRÉA ROTA SIECZKOWSKI, 39 anos, casada e mãe de 2 filhos, Gerente de Recursos Humanos Gerdau Sul, admitida no Grupo Gerdau em julho de 1999;

ANDREI FRANÇOIS MELLO, 42 anos, casado, Consultor de Marketing em Aços Longos Brasil, admitido no Grupo Gerdau em abril de 1992;

LUIZ BARUFFALDI, 54 anos, casado e pai de 3 filhos, Gerente de Serviços Financeiros do SCG, admitido no Grupo Gerdau em julho de 1975;

PETER MAX FINZSCH, 28 anos, casado. Assessor Técnico de TI, admitido no Grupo Gerdau em janeiro de 2005.
------------------------------------------------------------------------------
Que DEUS abençoe e conforte estas familias !

Miguel
MiguelPermalinkResponder

Acho que não precisamos fazer greve não, Avassaladora. Na minha visão, esse acidente vai ter impacto na aviação brasileira semelhante ao 11 de Setembro. As empresas vão amargar uma séria diminuição no fluxo de passageiros. O Brasil vai ser rebaixado nas classificações de órgãos internacionais como ICAO e IATA e tanto nossas companhias quanto as empresas que voam pra cá vão sofrer restrições.
Chegamos no fundo do poço. Não é coincidência a criação dessa agência-cabide ANAC, cuja cúpula é formada por leigos. Não é coincidência o aparelhamento da Infraero, e seu desvios, como uma doação pro MST há um tempo atrás.
Agora, talvez percebam que aviação não é coisa pra afilhados...
Agora fodeu. De verde-amarelo.

Fabio Nitschke Gomes

A equação já estava escrita: ausência de liderança, total incapacidade de planejamento, execuções equivocadas, prioridades ignoradas...

A mediocridade mata. sad

Carol
CarolPermalinkResponder

Infelizmente, no momento nao posso fazer nada , a não ser rezar pedindo conforto e paz aos familiares das vítimas. Meus sentimentos!!!

André Galvão

O que mais dói é que era uma tragédia que poderia ter sido evitada, além de já ter sido prevista pelos especialistas do setor (engenheiros, pilotos, controladores). No dia anterior ao acidente um avião da Pantanal bem menor que o da TAM derrapou na pista, meio que antecipando a tragédia.
Bastava terem fechado a pista por causa da chuva, como ocorria antes da reforma.

marie
mariePermalinkResponder

eu nao entendo. porque estamos todos revoltados e, ainda assim, os governantes continuam sem fazer nada? até quando vao lidar com irresponsabilidade sobre a vida dos outros? dói, desconforta e não dá pra compreender até onde teremos que ir para que algo finalmente mude.

me inundo de vergonha deste país.

Lena
LenaPermalinkResponder

sad

Riq,
eu não entendo nada do assunto, nem acompanho aviação como o Rodrigo, mas como você bem lembrou nest post , houve uma época que Congonhas só fazia Ponte Aérea e um ou outro voozinho. Isto foi depois da inauguração de GRU em 86.

Sempre tive a sensação que quem trouxe os grandes vôos de volta para Congonhas foi a TAM, no decorrer dos anos 90. Começou com a frota de Fockers, aí as outras companhias correram atrás, e daí para os AIrbus e Boeings foi um pulinho.

Nunca engoli esta história. Como a Mô, também usei muito Congonhas a trabalho. Ficava sempre chocada quando chegava no aeroporto as 5 horas da manhã e me sentia na rodoviária ao meio-dia! Uma loucura o movimento.

Mesmo todos dizendo que não há vôos depois da meia-noite até as 6 horas, escuto diariamente um avião passando as 4 e meia da manhã em cima da minha casa! Não pode ser de GRU!!

Como o Igor, também gosto de Congonhas e não acho que precisava fechar. Bastava que só fossem autorizados aviôes do porte que a pista comporta. Parece óbvio, mas aqui, nem esperar que a pista fique pronta ou fechá-la em dia de chuva não é óbvio!!

Sylvia e Diogo, sinto muito...

Zé Maria
Zé MariaPermalinkResponder

Quem vai indenizar as famílias?
O Marcos Valério?

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Sylvia, sei como é essa sensação de ler tantos nomes conhecidos... no acidente da Gol foi a mesma coisa comigo. Força, viu ?

Vi agora as imagens na TV Alemã, parece coisa de filme.
Tristissimo sad

Majô
MajôPermalinkResponder

Tantas tragédias ligadas à aviação em tão pouco tempo. Neste caso, quanta irresponsabilidade do governo limitar-se à inauguração de aeroportos, ficando em 2o plano o que mais importa que é a segurança, tratada com falta de seriedade.
Por que manter Congonhas, evidentemente saturado há tanto tempo. Por que manter concentração de vôos em São Paulo, com o Galeão, um aeroporto com estrutura internacional subutiliizado.

Salta aos olhos que a estratégia de transporte do país tem que mudar. Abandonaram a malha ferroviária, legado deixado por grandes nomes da engenharia nacional, homens públicos sérios que honraram o Brasil.
A malha ferroviária tem que ser retomada com URGÊNCIA.

TRENS pelo amor de Deus !!!!!!!!!!!!!!!!
Que retomem a malha ferroviária que foi abandonada.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Sylvia e Diogo, que barra hein. Faço idéia de como deve estar sendo dolorido para vocês este momento.

Marie, a situação não muda porque os governantes sabem que mesmo roubando e não fazendo nada em benefício do povo, eles acabam sendo reeleitos nas próximas eleições.

Se este fosse um país sério certamente já teriam sido adotadas medidas, nem que fosse fechar o aeroporto de Congonhas até que a situação fosse apurada. Quando vemos o Lula colocando políticos em cargos técnicos não nos preocupamos, mas quando vemos que estes políticos apenas se preocuparam em roubar aí sentimos a gravidade da situação.

Ricardo Freire

Lena, o que aconteceu foi o seguinte:

Congonhas começou a ir pro saco quando o governo (FHC) instalou a Gol no aeroporto. A intenção podia até ser boa -- abrir a competição, forçar a queda de tarifas, introduzir no Brasil o modelo low-cost -- mas os efeitos de longo prazo foram péssimos.

Naquela época, Congonhas era uma mina de dinheiro para a TAM, a Rio-Sul e a Nordeste, que operavam vôos caros para executivos. Era a TAM dos Fokker e do tapete vermelho. Quando a TAM comprou aviões grandes e passou a operar para outras regiões que não o Sudeste e o Sul, ela foi pra Cumbica, lembra? No começo era esquisito -- TAM, avião grande, Cumbica. Mas as passagens de Cumbica eram bem mais baratas do que as de Congonhas. Valia a pena.

Mas a Gol começou a voar pra todo lugar a partir de Congonhas (uma das primeiras rotas cobria até Macapá!).

Veio a primeira crise da Varig, e a unificação com Rio-Sul e Nordeste.
Veio a segunda crise, e o acordo de compartilhamentos de vôo com a TAM.

Foi quando se deu a uniformização da aviação brasileira: TAM/Varig reivindicaram, e conseguiram, os privilégios que a Gol tinha para voar para qualquer lugar a partir de Congonhas. As tarifas da Gol subiram quase ao nível de Varig/TAM; e o serviço de bordo de Varig e TAM desceram quase ao nível da Gol.

Num quarto momento, pós-Varig, Congonhas se torna não só o aeroporto preferencial do paulistano para viajar a qualquer lugar do Brasil, como se vê alçado à condição de "hub" de conexões. Passageiros de todo o Brasil vêm a Congonhas para trocar de avião!

Aí tem ganância das companhias aéreas, burrice do paulistano (já faz tempo que usar Congonhas é masoquismo) e má gestão da Infraero -- que está claramente mais interessada em obras de ampliação (do Santos Dumont? Para quê???), aeroshoppings, fingers, edifícios-garagem, viadutos de acesso (Porto Alegre, Recife), túneis de acesso (Congonhas), contratos de licitação de publicidade, e menos focada na operação técnica -- pistas e equipamentos.

Não importa se foi ou não foi a falta de ranhuras na pista que causou essa tragédia. Mesmo com todo o caminhão de dinheiro gasto inutilmente, é preciso repensar já o modelo de uso de Congonhas.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Riq,Marcio, Lena, Dani, Hugo e todos:
O meu abraço , ainda não consegui entender isso ...
O que entendo é que a vida tem que ser celebrada , que temos que
ir adiante em nossos projetos e realizá-los .
Estou indo almoçar com a Carla na certeza de voltar com o coração
repleto de aconchego , apesar dos olhos marejados.

Rapha
RaphaPermalinkResponder

Acho que este artigo que li na Folha resume tudo:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/ult681u312827.shtml

Eu não consigo aceitar o funcionamento de um aeroporto como Congonhas nas atuais circunstâncias. É inconcebível que seja o mais movimentado do país. Os admiradores de Congonhas, da praticidade, da localização que me perdoem, mas segurança tem que vir antes de tudo isso. Deveria ser apenas um aeroporto regional e olhe lá. Será que a tragédia teria sido tão grande se um avião não conseguisse frear na pista de Gruarulhos... Talvez não.
Concordo com a teoria do Riq: o dinheiro gasto na ampliação de CGH teria muito mais sentido se utilizado num trem expresso para GRU.
Lamento muito.

Lena
LenaPermalinkResponder

RIQ,
a Gol não começou a operar em 2000? Eu me lembro de utilizar muito Congonhas , antes disso, sempre TAM, para lugares como Goiânia, Recife, BH, etc. Como não entendo de avião, não tenho idéia se voava em um Focker ou um airbus, mas acho que eram aviões grandes, sempre lotados, e os preços realmente altos...

Ricardo Freire

Recife, de Congonhas, antes da Gol? Acho difícil, Lena. O vôo mais longo que havia em Congonhas era pra Salvador -- com escala em Ilhéus ou Porto Seguro.

Eu passei o primeiro semestre de 2001 viajando ao Nordeste nos fins de semana para atualizar o Freire's que sairia no fim do ano, e sempre me via sexta-feira à noite no engarrafamento pra Cumbica.

Belo Horizonte, sem dúvida, sempre foi por Congonhas. Era um dos VDC (Vôos Direto ao Centro), que também contemplavam Rio e Curitiba, sem escalas.

Tem certeza de que esse vôo pra Goiânia não fazia uma escala antes? Os de Brasília precisavam fazer escala em Ribeirão Preto.

Rogério
RogérioPermalinkResponder

ICAO e IATA pra cima deles. Aí eles corrigem.

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Acabei de saber que tinha um conhecido no vôo... o Gabriel, tinha 25 anos e estava voltando de Porto Alegre onde foi fazer treinamento no Habib's (ele era o dono da franquia em Manaus). Ia fazer conexão pra Manaus em Sampa... sad

Nem quero mais ler essas noticias, viu ? Qta tristeza.

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Amigos

fiquei sabendo que um primo de minha esposa estava entre as vítimas. Será que a TAM, espontaneamente vai pagar o salário dele? Ou, por tudo o que não gastou com treinamento de pilotos, e outras medidas, vai ficar protelando o processo, como tem feito a Gol com as vítimas do outro acidente.... Seja lá de quem foi o erro os passageiros não tem a menor culpa do ocorrido... E, a solução seria, para começar que houvese um trem que ligasse o Metro a Guarulhos.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu achei e explicação do comandante perfeita. É isso mesmo...
Sylvia, eu realmente sinto muito. Eu nem tinha conhecidos lá e me sinto desolada...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar