Deu no Economist: RailTeam

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

mapa2.jpg

Semana passada saiu a notícia -- devidamente registrada pelo Rodrigo -- da união de esforços entre seis companhias ferroviárias européias (de França, Alemanha, Áustria, Suíça, Holanda e Bélgica) para formar o RailTeam, unindo a malha ferroviária de alta velocidade do continente (TGVs, ICs, Thalys etc.).

A Economist da semana passada trouxe a história completa: a intenção das seis estatais é pôr no ar um site único, em que dê para fazer reservas de qualquer trecho -- e que incorpore também as ferrovias de outros países.

Ou seja: acabaria esse inferno de reservar cada trecho num site diferente.

E você sabia que em janeiro de 2010 vai haver a abertura dos trilhos europeus à competição? Segundo a Economist, muito provavelmente você vai poder viajar de easyTrain ou de Ryainrail.

Por enquanto o site do RailTeam não tem nenhuma função prática -- mas dá para ver a previsão de todas as linhas de alta velocidade que estarão funcionando até 2020, e ver todas as viagens que podem ser feitas em até 6 horas a partir das cidades principais do sistema.

A propósito, este também é o assunto de minha coluna no portal ViajeAqui -- que, como o link expirou, reproduzo aqui.

O futuro viaja de trem

Ano passado zanzei duas semanas pela Alemanha investigando para a V&T as cidades onde o Brasil poderia jogar durante a Copa. Voltei encantado: com a Alemanha, com os preparativos para aquela que prometia ser (e acabou sendo) uma Copa impecável, e... com o trem.

Fazia muitos anos que eu não viajava de trem. Para falar a verdade, minhas únicas experiências tinham sido em1985 (quando nem eu mesmo era vivo), durante um mochilão de quatro meses, e em 1998, quando sofri nos trilhos lentos do Leste Europeu. Mas esses trens alemães de 2006 não tinham nada a ver com nenhuma das minhas aventuras anteriores: eram modernos e silenciosos. E, quando eu comparava com o martírio que tinha se tornado viajar de avião, mal podia acreditar que era possível chegar à plataforma cinco minutos antes de partir o trem, sem passar por controle de nenhum tipo, e sem precisar me separar da minha mala.

Voltei completamente convertido à causa ferroviária, e hoje não vejo razão para se pegar avião em nenhum percurso que possa ser feito de trem em até 3 horas. (Mesmo se a tarifa aérea for beeeeem low-cost, é preciso fazer as contas direitinho, somando os gastos de traslado ao aeroporto e a eventual sobretaxa de bagagem.)

Pois bem. O único problema da minha cruzada ferroviária é que achar as tarifas descontadas e comprar passagem de trem não é fácil. Se não existe um passe que caiba no seu itinerário (e em mutíssimos casos não há, já que nos trechos mais longos é melhor pegar o avião), a compra da passagem trecho a trecho pode ser infernal. Você fica camelando de site em site, porque as passagens só podem ser compradas junto às ferrovias do país de origem ou do país de chegada do trecho que você deseja.

Mas isso felizmente começou a mudar semana passada. As ferrovias estatais de seis países – França, Alemanha, Holanda, Bélgica, Suíça e Áustria – se uniram para formar o RailTeam, com o objetivo de unificar a comercialização dos trens de alta velocidade na Europa. A idéia é que, até 2008, o RailTeam consiga pôr no ar um megaportal em que se possa verificar ofertas e comprar passagens dos trens rápidos da Europa inteira.

Tudo isso, conta a revista britânica The Economist, é para preparar as estatais ferroviárias para a abertura dos trilhos europeus ao livre mercado, que vai ocorrer em janeiro de 2010. A partir desse momento, companhias ferroviárias particulares vão poder competir com as tradicionais – mais ou menos como acontece hoje na aviação, com as companhias convencionais sofrendo a concorrência das low-cost. Ainda segundo o Economist, não seria de estranhar que em 2010 você possa viajar de easyTrain ou de Ryanrail – prováveis subsidiárias da easyJet e da Ryanair.

Vai ser um barato – em todos os sentidos.

58 comentários

SandraM
SandraMPermalinkResponder

tsc,tsc,
td bem... não gosto muito mesmo do Via Blu...

(rsrs, inveja mata...)

Carla2
Carla2PermalinkResponder

Nem queria, né Sandra?? wink

Gente vou dormir que o dia foi longo, e fiquei passada com as imagens do acidente, que só vi agora no Jornal da Globo.

Lena
LenaPermalinkResponder

Sandra,
já te responderam, né? wink
Tem encontro nesta sexta, sim. Não sabia que você estava de viagem marcada. E que viagem!! Não posso ajudar em nada no quesito preços. Faz anos que não vou a Europa.

Ainda não consegui ir dormir... Triste ver o noticiário...Triste ver a CNN informando sobre a falta garantias de segurança no aeroporto..

Rodrigo Purisch

Riq,

Você viu essa nota sobre a Eurorail e o Railteam:

http://www.mercadoeeventos.com.br/script/FdgDestaqueTemplate.asp?pStrLink=3,43,0,22503&IndSeguro=0

Se entendi bem, os passes serão aceitos em todos os trens de alta velocidade.

Ricardo Freire

Rodrigo, acho que essa é uma no-news. Foi baseada nesse release aqui

http://www.eurailgroup.com/~/media/Press%20Room/2007/English/WORLDWIDE%20Release%20%20%20Eurail%20welcomes%20Railteam%20pdf.ashx

e só quer dizer que o RailTeam, formado agora, aceita os velhos passes Eurail.

Na prática, os passes já eram aceitos nos trens de alta velocidade; às vezes é necessário pagar um suplementozinho e quase sempre é necessário fazer reserva antecipada, mas só :roll:

Rodrigo Purisch

Riq,

Isso é que dá ficar publicando qualquer press release...

Vou voltar para minha especialidade porque lá eu consigo filtrar essas no-news e que não são poucas. eekops:

Ricardo Freire

Rodrigo:
lol
lol
lol

Gabriel
GabrielPermalinkResponder

Esse Mapa me Ajudou Muitoo Serviu PrA Mim passar de Ano na escola Graça a vc Rickk

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar