Enquete da semana: pousadinhas em Noronha

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

noronha-americanocacimba450.jpg

Pessoal, vou atacar em breve aquele prometido dossiê de Noronha.

E adoraria saber mais sobre as pousadinhas fora do circuito vip.

Você já se hospedou numa pousada domiciliar em Noronha? Gostou ou não?

Lembra do nome? E da localização? (Era na Vila dos Remédios, na Floresta Velha ou na Vila do Trinta?)

Reservou direto ou foi com pacote?

Se foi com pacote, já sabia em que pousada ia ficar ou só foi informado ao chegar? Perdeu muito tempo ao chegar e ao sair (nos procedimentos de distribuição dos passageiros entre as pousadas) ou foi tranqüilo?

Suas experiências valem ouro...

noronha-pordosol450.jpg

144 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Emília
EmíliaPermalink

Riq, nessa enquete tudo o que posso falar é: segui à risca o que o Freire's dizia na época...e fiquei na Solar dos Ventos, que não pode ser considerada uma pousadinha, pelo menos para os padrões noronhenses.
PS: Mais uma vez, a dica foi perfeita wink

Ligia
LigiaPermalink

Riq, eu fui pra Noronha há um tempinho já, acho que em 1999 (meu deus...). Fiquei em uma pousada domiciliar, contratada junto com o pacote. Quando chegamos lá fomos levados pra pousada. Lembro que era tudo muito simples, mas confortável. Tinha chuveiro elétrico (que não usamos - a eletricidade, digo. tava calorzinho) e ar condicionado pré-histórico (que também não usamos).

Foi tudo tranquilo, como ficávamos muito pouco tempo na pousada, só dormíamos por lá mesmo, valeu o custo-benefício. Mas é aquilo, nada de luxos...

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

NORONHA é um daqueles destinos NÃO visitados (e, portanto, tampouco não "entendidos") e que permancem (reconheço, por mais tempo do que eu mesmo considero aceitável) na estante dos destinos futuros, ainda na prateleira lá de cima...

Assim, estou mais para expectador ansioso pelas dicas e sugestões do que para colaborador....

Abraços a TODOS.

Lisandro
LisandroPermalink

Riq, estive em NORONHA em setembro de 2005, e fiquei na Pousada Tio João, que na epoca estava sendo reformada. O quarto era pequeno mas limpo e confortável (ar condicionado, frigobar e banheiro no quarto) e um café da manhã satisfatório. Indiquei ela para alguns amigos que também gostaram e agora fiz reserva para meus pais que estão indo no final de agosto. A diária está R$ 160,00 o casal com café da manhã. Quando eles voltarem posso dar mais informações.
Abraços.

Guilherme
GuilhermePermalink

Estive em Noronha em março/2007. Cheguei até a perguntar aos "parceiros" deste blog se não haveria problema com as chuvas...
Não houve, não. Choveu, sim, mas como me adiantou Ricardo, ela era bastante passageira. Coisa de dez minutos.
Fui por conta própria e me hospedei na Pousada Mar Atlântico (na Floresta Nova). Quem não pode bancar as melhores (Maravilha, Zé Maria, Solar dos Ventos, Solar de Loronha, Morena), encontra uma boa pousada, para o nível geral Noronha. Não tem nenhum charme - que é raro ali -, mas é confortável... Também falaram bem da Paraíso do Atlântico (domiciliar) que fica na Vila do Trinta, bem naquela rotatória, e foi toda reformada.
A Pousada da Tia Zete, onde se hospeda Luana Piovani, também é bem considerada na ilha.
Mas aguardo suas dicas sobre Noronha porque fiquei com total gostinho de quero mais. Aquele lugar é simplesmente divino!

Fabio Nitschke Gomes
Fabio Nitschke GomesPermalink

Riq (e tripulação), estive em Noronha de 21 a 30 de setembro de 2005, voando com milhas Varig.

Apesar de começar tentando contratar as pousadas fora de um "pacote", acabei utilizando os serviços de uma agência especializada, o que agilizou algumas informações e deu os benefícios de um pacote: traslados, seguro/assistência médica e transporte com acompanhamento de guias para algumas caminhadas (tudo muito bem provido, aliás, pela competente agência de receptivo Atalaia).

Mesmo não di$$$pondo para encarar uma pousada mais luxuosa, também não queria ficar refém da loteria "pousada familiar" pra só lá descobrir onde ia me hospedar.

Então investi em pesquisa (sites das pousadas, comentários de viajantes) pra já ir pra lá com pousada definida. Nenhuma destas fontes é 100% confiável, uma vez que alguns sites de pousadas mostram mais fotos da ilha do que de suas instalações, enquanto uma parte significativa dos visitantes é, digamos, bastante "generosa" em suas avaliações. smile

Optei por ficar na região da Vila do Trinta, de onde com alguma caminhada dá pra alcançar a vizinha Vila dos Remédios - e com menos risco de você perder o sono com os ruídos de algum bar próximo...

Fiz uma listinha com preferências de pousadas, mas foi realmente difícil conseguir disponibilidade, mesmo com quase dois meses de antecedência! De fato, tive que abrir mão das minhas primeiras opções por pura falta de vagas.

Acabei elegendo a pousada Mabuya ( http://www.mabuya.com.br ), mas como não tinha vagas pros primeiros dias, chegamos e fomos pra Pousada da Jô ( http://www.pousadadajo.com.br ).

Talvez porque os relatos sobre Noronha são em geral superlativos e inflam as expectativas da primeira viagem, ambas pousadas desapontaram. E não falo de "luxo", evidentemente, mas exatamente daquilo que supostamente as distingue: a personalidade, o charme, o atendimento...

Destas, a pousada Mabuya sem dúvida é superior, e se aproximou mais do que consideramos um serviço razoável (mesmo devendo um banho decente e com a janela do quarto voltada pro muro). A Jô foi mais decepcionante, entregou uma experiência entre o simplório e o improviso. Numa próxima viagem eu procuraria outras opções - se possível algo com o mínimo de vista pra qualquer lugar que não seja a "rua" em frente.

Estas pousadas estão próximas, e ambas carecem de qualquer charme nas redondezas. Na verdade, em vários lugares na ilha é possível abstrair totalmente das belezas do mar e das praias próximas, tal o grau de precariedade e falta de charme de boa parte da área "urbana".

Com uma e outra exceção, em Noronha impera a precariedade e o improviso. Um apagão de energia foi notícia recente ( http://viajenaviagem.wordpress.com/2007/06/14/noronha-reaberto/ ). A falta de água é ameaça permanente. A ilha é atravessada por uma equivocada rodovia, e o transporte público é escasso e sem vocação turística.

Nota-se um excesso de veículos na frota noronhense, onde obsoletos bugues ainda são o principal meio de transporte para os turistas. A maioria das pousadas tem estrutura simplória e sem charme, e encontrar um restaurante que una boa cozinha, ambiente e atendimento é tarefa árdua.

Parecem crer que tudo o que é amador e precário é “autêntico” e “ecológico” – e que qualquer desenvolvimento é destrutivo. Sua “reserva de mercado” impõe severas restrições a novos projetos, e preocupados em sabotar o concorrente vizinho, perdem a chance de inserir Noronha na competição com outros destinos mundiais.

Feitas as ressalvas, é claro que há outro lado: o de fora. wink

Quem puder relevar (ou sobreviver a) isso tudo, poderá desfrutar o que Noronha tem de realmente bom: seu mar de águas cristalinas, com seus recortes e molduras característicos e rica vida marinha, destino de referência no mapa do mergulho brasileiro.

E quanto mais intimidade com o mar, mais prazerosa a experiência. Na água, snorkelling, caiaque, mergulhos livre e autônomo. Costeando a ilha, longas caminhadas em memoráveis praias e trilhas.

Em resumo: pode acreditar em todas as fotos ou nas descrições das paisagens, pois Fernando de Noronha é mesmo um lugar lindo! A idéia geral de “paraíso” que envolve o arquipélago tem na natureza a sua melhor tradução, mesmo que em parte ofuscada por seus problemas urbanos.

Michele
MichelePermalink

Oi Riq,
Eu fui em Janeiro de 2003 e fiquei hospedada na pousada Tia Zete. A pousada começou com aluguel dos quartos da própria casa e depois ela fez uns quartos reservados no fundo. Hoje em dia sinceramente não sei como está.
Fui com indicação de um mergulhador amigo meu. Ela tem costume de hospedar mergulhadores. Na época, Gabriel Pensador e o campeão mundial de surf também estavam hospedados lá.
A pousada atende bem demais. Ela fica bem no centro da ilha, perto do Flamboiant... ficou fácil de irmos pra qualquer lugar!
Os quartos tem ar condicionado, frigobar e banheiro. Atendeu super bem! Sinceramente, acho que não vale a pena pagar fortunas nas pousadas. Eu saia as 8 da manhã, voltava só depois do por do sol e a noite saia denovo pra jantar. Ou seja, pagar caro pra não usufruir não rola.
Ficamos 10 dias, mergulhamos muito, conhecemos a ilha toda e ainda deu tempo de retornar aos lugares que mais gostamos. E olha que nós perdemos um dia por causa da chuva!

Bruno Vilaça
Bruno VilaçaPermalink

Ahhhhhhhhhh Noronha!

Minha dica de Noronha tá até publicada no Freires com agradecimento e tudo... (Hehehe - Desculpe pelo momento Caras) razz

Fui a Noronha em 2004 e fiquei na Pousada Colina dos Ventos ( http://www.pousadacolinadosventos.com.br/ ), uma domiciliar tipo A. Comprei através de pacote e fui totalmente no escuro, mas tive uma grata surpresa chegando lá. Ela fica entre a Vila dos Remédios e o Trinta, num morro que oferece uma das melhores vistas da ilha.

Mas pagando pouca coisa a mais poderia ter ficado na Pousada Estrela do Mar ( http://www.pousadaestreladomarfn.com.br ), que eu conheci lá e fiquei apaixonado e depois o Riq conheceu.

Mas hoje em dia você já pode sair com a pousada (mesmo sendo domiciliar básica) com nome definido já no momento da compra do pacote...

O transfer de chegada e saída foi tranquilo e rápido. Mas uma dica: tente sentar nas primeiras filas do avião pra descer na frente e passar antes na "imigração"... Ou melhor, pague sua taxa ambiental pela internet antes da viagem!

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Conta mais, Bruno: dá pra escolher a pousada antes até no pacote mais básico da CVC?

Fabio Nitschke Gomes
Fabio Nitschke GomesPermalink

Bruno, quando estava lá passei na frente da Colina dos Ventos - e ela entrou imediatamente na minha lista pra uma próxima visita por causa da localização privilegiada e visual incrível... Não sei se a vizinhança com a estrada (a caminho do porto), chega a deixá-la "barulhenta", mas sem dúvida é uma boa dica!

Riq, sobre ir com a pousada já escolhida: em 2005 isso não era regra, mas já possível em várias agências... (Não sei a CVC.) wink

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Fabio, quando você acertou com a Atalaia (é a filial de Noronha da Luck do Recife, não é?) te levaram direto pra pousada ou você precisou passar por uma palestra de introdução à ilha, seguida de pinga-pinga entre as pousadas distribuindo o povo?

Mara
MaraPermalink

Ah, eu já fui duas vezes à Noronha e fiquei em pousadas simples, mas superhonestas, com um café da manhã do qual sinto saudades todo dia! Em outubro do ano passado, por exemplo, fiquei na Brisamar. É no ínício daquela rua que, descendo, vai dar lá no porto. Muito limpa e com o basicão: ar, água quente, caminha macia, tudo de bom... Acho que paguei R$ 90 por dia (single). Baratinho... Eles fazem o translado aeroporto-pousada-aeroporto de graça. Essa eu escolhi por minha conta, pois viajei by myself. Da outra vez (2001) fiquei na Pousada da Mana. Fui pela CVC e caí lá. O café era uma delícia. O quarto era pequeno, mas, também, quase não ficava lá... Passei lá na frente nesta última vez qeu fui, a fachada estava meio caidinha... Mas quem vê cara não vê coração, né?

Lena
LenaPermalink

Riq,
fui para Noronha em Setembro de 2004, bem na época da regata Recife-Noronha, ou seja, a ilha estava muito cheia.

Fiz as reservas por minha conta. Minha primeira tentativa foi a Solar dos Ventos. As informãções que tinha sobre as pousadas domiciliares eram as piores, por isso fui tentando achar vaga nas que tinham alguma recomendação. Morena, Zé Maria, tia Zete, todas lotadas. Foi quando liguei para a tia Zete que a filha dela, Joana, me disse que tinha acabado de abrir sua própria pousada e que eu poderia ficar lá.

Minha maior preocupação era que as paredes não fossem de madeira natural (seguindo recomendações , também, pois na madeira escura não é possível ver as baratas!).

Paguei 180 reais pelo quarto duplo na Joana, com banheiro, ar condicionado e frigobar. O visual desta como da maioria das pousadas da ilha era aquele mesmo descrito pelo Fábio aí em cima, mas eu não estava esperando nada melhor, acho...

A Joana e seu marido foram muito atenciosos em diversas ocasiões que precisei. Um dia ele percebeu que eu havia comprado um iogurte para mim, que não constava no café-da-manhã e que eu costumo comer todos os dias, já que não posso beber leite. No mesmo dia ele saiu e comprou vários iogurtes para o resto da estadia.

Não sei como está a Joana hoje. Procurei o site , mas não achei. Na época eram apenas 3 quartos. Sei que várias das pousadas domiciliares foram reformadas e ficaram muito bonitinhas. Cheguei a visitar as indicadas pelo Bruno. Mas de fato, são todas muito mais caras do que em qualquer outro lugar do Brasil. Por isso, concordo com a Michele. A menos que esteja acompanhada da sua cara-metade e faça questão de um cantinho mais romântico e confortável, acho que não vale a pena pagar tão caro por uma hospedagem lá.

Ah, a propósito. A Joana foi nos buscar no aeroporto. Como já havíamos pago a taxa pela internet, saímos de lá rapidinho smile

André
AndréPermalink

Eu fui em 2001 para Noronha. Fiquei na Mabuya, se não me engano. Mas foi por acaso. Eu fechei um pacote e fui sorteado para essa pousada. E passei por essa palestra e o pinga-pinga. Lembro que várias pessoas ficaram revoltadas na época, pq só souberam disso na Ilha. E teve gente que caiu em furada, digamos.
Eu gostei. Fui com a minha mulher grávida de 5 meses, então tudo era festa. Mas em resumo: lugares maravilhosos, praias perfeitas, comida muito mais ou menos e o serviço muito a desejar. A impressão que me deu foi: já que você tá numa ilha e não tem pra onde correr é isso que temos. Dizem que melhorou demais. Eu adorei o lugar, a pousada foi bem correta, mas ainda havia muito pra crescer. Dica dos locais: fechar a pousada direto com eles pq a tarifa fica muito mais em conta. Os pacotes aumentavam em quase 100% os preços na época. Mas isso tem tempo. Espero que tenha mudado e pra melhor.

Fabio Nitschke Gomes
Fabio Nitschke GomesPermalink

Riq, a Atalaia nos levou diretamente às pousadas, com o guia falando o básico dentro do ônibus. Deram uma paradinha no caminho pra resolver alguma burocracia, mas aguardamos no conforto do ar-condicionado. Se teve alguma coisa de palestra (no aeroporto, talvez???), acho que apaguei da memória... grin Só lembro das noturnas, do Ibama, programa "obrigatório" por lá.

Do/pro aeroporto é um certo pinga-pinga sim, mas os ônibus são pequenos, tinham pouca gente naqueles dias, e eles meio que separam por região. Além disso, as distâncias não são assim tão grandes, então acaba sendo bem diferente do esquema (infernal) de traslado nas cidades grandes, com as loooongas esperas.

Em resumo: esta parte foi BEM tranquila. Aliás, considero o serviço da Atalaia uma referência em qualidade no atendimento lá, uma certa ilha de profissionalismo - com o perdão do trocadilho. smile

Os pequenos ônibus são modernos e confortáveis, com ar-condicionado, janelas amplas, e estavam sempre impecavelmente limpos (e agradavelmente perfumados). Motoristas uniformizados, educados e pontuais. No transporte ao aeroporto usam práticos reboques pra bagagem. Sem improviso!

Os guias são formados entre o pessoal da ilha, parecem receber treinamento sobre diversos assuntos e se mostraram adequadamente preparados para o serviço.

Quando o nosso guia azaradamente estava sem seu (obrigatório) kit de primeiros socorros para resolver um corte profundo no pé da minha esposa (saindo de uma das piscinas naturais), o de outro grupo resolveu.

Ok, claro que ajudou o fato dela ser médica: fez um caprichado curativo que permitiu continuar a longa caminhada até o final. Mas assim que possível a "base" foi avisada por rádio, e daí a Atalaia providenciou transporte ao hospital, deixou-nos lá acompanhados, nos levou à farmácia a nosso pedido, fora do caminho da pousada - e ainda nos reembolsou das (poucas) despesas com o ocorrido, com medicamentos e material para os curativos vindouros.

Nota 10 pra eles! Junto com o profissionalismo da Atlantis, referência em mergulho sob todos os aspectos (do atendimento ao barco), torço muito que sirvam de "inspiração" ao restante do pessoal do turismo de lá. (E quem, em Noronha, não está de alguma forma envolvido?) wink

Ed
EdPermalink

Dois topicos que talvez queira explorar. A experiencia do mergulho de garrafa foi decepcionante. A operadora local nao foi profissional (o instrutor nao tinha a menor paciencia e o mergulho durou menos que o programado) e mal subimos a tona os intrutores foram dormir e os navegadores usaram o barco para pescar, conosco a bordo, sem nos perguntar nada. E no mergulho eu vi muito menos vida marinha do que num mergulho simples de snorkel em Abrolhos. Entao acho que voce podia dar dicas e etc. sobre isso.
E ao alugar um buggy tbem h preciso cuidado. O meu quebrou duas vezes, foi um saco.
Mas a ilha eh um paraiso, nao restam duvidas...

Rogério
RogérioPermalink

Pousada Sueste, ótimo custo-benefício, em frente à Solar dos Ventos, na beira da descida para a praia.

Em novembro de 2005, um quarto duplo com ar e TV custou-nos R$ 180,00 por noite. E eles têm uma piscina bem digna, com vista pro Sueste.

Fomos com milhas Smiles e voltamos com milhas TAM (codeshare Trip). Bons tempos...

Lena
LenaPermalink

Nossa, Ed, que chato!! :roll:

Eu havia acabado de fazer um curso de mergulho aqui em SP quando fui para Noronha e deixei para fazer a "prova"/check out lá. Por recomendação do meu instrutor aqui, escolhi a Atlantis, que é demais!! Em tudo! Estava com uma prima, também fazendo check out; as duas mortas de medo... O dive master acabou mergulhando primeiro com cada uma de nós, individualmente, para atenção integral. Depois, finalizou com as duas. Os barcos da Atlantis são os melhores que já vi!! Por ter sido a minha primeira experiência, tão "premium", nunca mais tive coragem de mergulhar em outro lugar... Só de olhar os barquinhos das operadoras da Ilhabela, Parati, Santos, etc. não dá vontade sad

Fabio Nitschke Gomes
Fabio Nitschke GomesPermalink

É, Lena, depois de "debutar" com mergulho em Noronha fica mais difícil se entusiasmar com outros destinos... Conheço muito pouco de mergulho, mas pelo que já ouvi a Atlantis tem uma das melhores infras (se não for a melhor) de operação do país. wink

Lucia Malla
Lucia MallaPermalink

Fui a Noronha em 2003, e acertei a pousada via uma agência. Não fui de pacote, entretanto - e bobviamente não lembro o nome da pousada, só sei q ficava na Vila do Trinta.

Sobre mergulho: eu concordo com a Lena q os barcos da Atlantis são melhores mesmo, mas particularmente detestei o serviço deles. Muita gente por barco (padrão americano da operação), uma correria danada embaixo d'água, um esnobismo irritante com os mais experientes (típico "laundry list" de onde já mergulhou no mundo, postura q eu abomino), um divemaster quase detonou a máquina subaquática do meu marido... um caos. Nós mergulhamos com eles 2 dias porque havíamos já pago, e como tínhamos muitos dias ainda na ilha, resolvemos mudar para a operadora Águas Claras, q foi excelente, tratamento VIP o tempo todo. Depois de um tempo descobri que a galera q mora em Noronha (q trabalham no IBAMA, etc.) mergulha quase sempre com a Águas Claras, pq dizem q é o melhor custo/benefício. Os barcos são menores, mas a seleção de divemasters talvez compense.

JULIO CESAR CORREA
JULIO CESAR CORREAPermalink

Riq, estive em Noronha por duas vezes. Não me lembro o nome das pousadas em que fiquei. Nas duas vezes, fui por pacote. A primeira, em setembro de 2002, fiquei numa pousada muito simples. Me apaixonei por Noronha e falar das suas belezas é chover no molhado.
Mas o atendimento foi péssimo. Foi um festival de cara feia, grosseria e desprezo pelos turistas. Fiquei com a impressão de que aquele povo não gosta dos visitantes.
Voltei em março de 2004 e peguei uma pousada melhor. Não tive os problemas da primeira vez, mas a má impressão continuou. Nas duas vezes só fui saber lá onde eu ficaria e não consegui escapar das palestras na chegada.
Me parece que há um hotel na ilha. Estou pretendendo voltar agora em setembro e gostaria de saber se vale a pena me hospedar no dito cujo. Alguém conhece?
gd ab

Thiago Parente
Thiago ParentePermalink

Comentário completamente Off Topic (peço mil desculpas):
Sylvia, você já usou o Venere? Em 100% confiável. No post de hoteis em NY o Rodrigo sugeriu um Confort Inn no Queens e eu estou muito propenso a ficar nele. Só que a discrepância de preço entre o Venere e o Site do Hotel tá me deixando cabreiro. Se puder, responde lá pra não tumultuar esse tópico, ok?

http://viajenaviagem.wordpress.com/2007/07/19/da-new-york-7-hoteis-ate-us-200/

Serve também para outros tripulantes que tenham já tenham usado esses sites de reservas.

André
AndréPermalink

Minha visita a Noronha não vai ajudar a sua pesquisa. Foi antes de existirem pousadas chiques.

E, salvo engano, acho que a Esmeraldo era a única que havia.

Mas também não posso comentar, pois não fiquei lá. Eu fiquei acampado! Embaixo de um enorme cajueiro (eu acho que era um cajueiro), em frente a uma escola, em cujo muro, roedores pequenos e saltadores se jogavam para fugir de qualquer ameaça.

Ou seja... não posso ajudar em nada. Mas não pude deixar de comentar um post sobre "Fernando de Noronha", ou, mais intimamente, Fernonha, como passamos a chamar, eu e meus companheiros de acampamento.

A lua estava maravilhosa, enorme e amarela. O mar, uma maravilha.

Diógenes
DiógenesPermalink

Estive em Noronha em abril desse ano e em janeiro do ano passado.
Nas duas vezes fiquei em pousada domiciliar. Esse ano fiquei na pousada coina dos ventos e apesar dos elogios de muita gente não fiquei muito satisfeito com o atendimento de la não. Achei totalmente impessoal. Alem do que a vista da pousada nao é tao bonita quanto parece ser pelas fotos da net. Ano passado fiquei na pousada gaucha, mais simples que a colina dos ventos mas muito confortavel. Quartos limpos, frigobar, ar condicionado e chuveiro eletrico.
As duas estao na mesma faixa de preço ( mais ou menos R$250 o quarto duplo).

Quanto as operadoras de mergulho experimentei o serviço da aguas claras e da atlantis, gostei mais da atlantis, mas essa é uma posição totalmente pessoal e passivel de muita discussao. Ha muita gente que prefere a aguas claras...Os [reços sao similares também.
Nas duas vezes fui por conta própria, reservando a pousada por contato telefonico e pela internet.

Espero voltar em breve e aproveitar os comentarios desse tópico pra escolher a proxima pousada.
Abs
Diógenes

henrique
henriquePermalink

oi riq
o anderson, meu produtor aqui no Olhar Digital (www.olhardigital.com.br), vai te procurar pra fazermos uma matéria sobre vc. e o blog, ok?

[]s!

H

Bruno Vilaça
Bruno VilaçaPermalink

Oi Riq, na CVC não dá pra escolher não, mas pedindo com jeitinho dá pra sugerir alguma de sua preferência... Já utilizando algumas outras operadoras dá pra escolher sim.

A Estrela do Mar não é considerada domiciliar, então ela é sempre vendida separadamente. E a diferença é relativamente tão pequena que eu sempre a indico como referência: em média são R$40 por dia/por pessoa a mais (na CVC).

Abcs, Bruno wink

Anny
AnnyPermalink

Oi Riq,
nas 2 vezes que fui para Noronha fiquei na Mabuya, fechando antes de ir direto com a pousada. A relação custo-benefício é das melhores. Nào sei quantos aos quartos comuns, mas nos 2 chalés (que têm a mesma diária dos quartos) o conforto é garantido. Realmente não tem charme,mas tem cama tipo box e box no banheiro, um grande diferencial em Noronha, fora ar-condicionado, tv e água quente.
O pessoal da pousada é suuper solícito e fazem um café da manhã simples, mas muito fazendo várias coisas especiais pelos hóspedes, inclusive preparar café da manhà antecipado nos dias das saídas de mergulho.
Mergulhei com a Águas Claras na primeira vez e Atlantis na segunda, a estrutura da Atlantis é bem melhor, mas em termos de equipe a da Águas Claras é mais acessível e simpática.
Outra recomendação é realmente alugar um bugue (melhor ainda antes de ir e já pegá-lo no aeroporto), e aproveitar Noronha por si só.
Para terminar, para quem estréia na Ilha recomendo o Ilha Tour, incluido na maioria dos pacotes ou vendido separadamente, onde vc tem a chance de se situar na Ilha, conhecer os principais pontos e depois voltar para curtir o que mais gostou.
Quanto aos restaurantes, na primeira vez comi mal, mas segunda comi super bem, apesar de caro. Lagostas no Ekologikus (reservar com 1 dia de antecedência), buffet do Zé Maria (imperdível), massa na Morena e quando cansar dos peixes, uma picanha maravilhosa no Tartarugão.
Mas o mais especial é uma barraca de praia super pouco conhecida nos apresentada por um guia, na praia do Boldró, que é quase deserta mesmo em alta temporada. Além de caranguejos eles fazem um peixe com crosta de castanha de caju que povoa meus sonhos até hoje....

Rodrigo Purisch
Rodrigo PurischPermalink

Henrique,

Esse Olhar Digital é um programa legal, pena que o horário não ajuda.

Rodrigo Purisch
Rodrigo PurischPermalink

Não era o Hugo que estava doido atrás dessas dicas? Se bem que ele deve viajar em agosto.

Acho que dessa vez o especial mais que aguardado sobre Noronha sai!

Ceci
CeciPermalink

Estive em Noronha em agosto/2001 e junho/2002. Na primeira vez fui com um pacote a partir de Natal (voando Trip). A pousada era domiciliar e meio precária, mas era mais ou menos o padrão Noronha. Não me lembro o nome da tal pousada, mas ficava na Vila do Trinta perto do mercado. O pouco conforto não fez a menor diferença, pois como disse a Michele você vai para lá para ficar em todo lugar, menos na pousada. Tive um problema com a Trip na volta para Natal; tomei um tombo descendo a escada do avião, devido a chuva forte que estava caindo, e bati a perna com muita força. A tripulação me deixou na mão e nem se preocupou se havia acontecido algo sério ou não. Ganhei um hematoma enorme que me acompanhou por uns 2 meses... Ainda bem que não quebrei nada !
Na 2ª vez fui com um pacote da FreeWay, com diversos passeios (caminhadas ecológicas) já inclusos, e escolhi ficar na Pousada da Jô, que na 1ª vez tinha me parecido "simpática". Em 2002 grandes evoluções: várias pousadas já contavam com aquecimento solar, ar condicionado/ventilador.
A hospedagem na Jô foi normal: não faltou luz, nem água, está perto da Vila dos Remédios e não foi muito cara.
Também tinha começado a funcionar o serviço de transporte com microônibus com ar condicionado, muito novo e muito limpo, cobrindo praticamente toda a ilha com intervalos de aproximadamente 30 minutos.
O receptivo foi a Luck que, ao contrário do que aconteceu com o Fábio, me deixou na mão, ou melhor no pronto-socorro, quando precisei tomar 3 pontos no joelho, depois de me cortar numa pedra descendo a escada do Sancho. O tal guia queria que eu continuasse andando até a Cacimba do Padre, com um sangramento que não parava. A sorte é que no meu grupo tinha um médico veterinário que fez um curativo de emergência e disse para o guia que precisaria tomar uns pontos. Mais uma vez dei sorte, pois um médico (paulista da UNICAMP) havia chegado na ilha há apenas uma semana e antes disso o dentista atendia as emergências do pronto-socorro...
Nem o guia da Luck, ou qualquer outra pessoa do receptivo, ficou comigo e tive que retornar de táxi para a pousada. Ninguém da empresa ligou, ou passou na pousada para saber como eu estava, se precisava de algo. Ainda tive que brigar para trocarem uma caminhada de dia todo (que já estava paga) por outro passeio de barco, que era a única coisa que poderia fazer com o joelho daquele jeito.
Mesmo assim, Noronha continua sendo meu destino preferido no Brasil. O custo/benefício das pousadas nunca será o mesmo de outros destinos, todas são bastante caras pelo que oferecem, tanto que nem colocam preço nos sites. Mas as belezas naturais são a recompensa.

Anelise
AnelisePermalink

Olássssssss

Eu fui pra Noronha em 2002 e não sei se vai ajudar pois minha escolha foi o Dolphin hotel. Sei que é mais caro que as pousadas, mas naquela época não era muito mais caro não. Eu gostei muito dos quartos( com ar, cama box, banheiro bom), do café da manhã e do papo da Dona Gal, a proprietária que é figura conhecida por lá. Noronha é o lugar mais lindo e "no stress", por isso qualquer lugar que tenha uma boa cama e um banheiro legal vale a pena.

Ernesto
ErnestoPermalink

Interessante, se cobram tantas taxas e infra estrutura é tão ruim, sem ao menos um médico... Acho que é por isto que nunca quis ir para Noronha, apesar de ter certeza de que a natureza é bonita.

Anelise
AnelisePermalink

Ricardo e tripulação, preciso de um help!
Vou para os EUA no final de agosto e roteiro inclui Chicago. Alguém tem dicas legais de lá???? E de algum outro lugar bacana ali no arredores do lago Michigan? Já estou dando aquela pesquisada mas eu como leitora diária aqui não posso deixar de perguntar, né?

Sylvia
SylviaPermalink

Vou guardar tudinho para usar quando este caos aéreo terminar ( ou amenizar).
Por falar nisso, só sei de gente desistindo de andar de avião ( ou por medo e/ou falta de paciencia ) , o povo daqui do sul está cancelando
as reservas para o Natal e Ano Novo sad

Fabio Nitschke Gomes
Fabio Nitschke GomesPermalink

Ernesto, uma curiosidade sobre o atendimento médico em Noronha: no cadastro para entrar na ilha perguntam a profissão, e se é médico perguntam também a especialidade.

Esta lista vai pro hospital, que sabe naquele dia quais são os médicos, digamos, "disponíveis" na ilha, e onde estão hospedados.

Em caso de emergência não há dúvidas: ligam mesmo, pedindo "uma força" pra reduzida equipe do hospital... grin

(Não sei o que os médicos que empataram uma pequena fortuna pra curtir uns diazinhos de férias numa ilha longe de tudo acham desta idéia...)

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Julio César,

O único hotel que havia na ilha, o Esmeralda do Atlântico, fechou (virou alojamento do Ibama). Tem o Dolphin, que se intitula hotel, mas tem a mesma estrutura das outras pousadas não-domiciliares, sem ser vipona. Dessas eu entendo, e vou detalhar tudo no post, quando publicar.

Top Posts « WordPress.com

[...] Enquete da semana: pousadinhas em Noronha [image] Pessoal, vou atacar em breve aquele prometido dossiê de Noronha. [...]

Nati
NatiPermalink

Olá! Quando fui com minha família, há uns 5 anos, ficamos na Pousada do Marcílio, que fica no Boldró, bem na estrada. Banho quente, frigobar, tv e ar condicionado. Aprovamos. Nada demais, mas atendeu muito bem nossas necessidades. Fizemos o contato diretamente com a pousada, e também na pousada alugamos um buggy pra podermos ir e vir livremente. Outro ponto interessante é que ela fica próxima do local das palestras do IBAMA. Na época que estive lá a piscina, que hoje já está pronta, estava em construção, com direito a vista pro Morro do Pico.

Divaldo
DivaldoPermalink

Minha dica é a pousada Sueste. Eu fui em julho de 2003, no esquema totalmente independente, sem nenhum contato com operadoras de turismo. Escolhi a pousada meio no escuro... mas acertei! Como ela fica mais afastada da parte mais povoada da ilha, não tem barulho. Para quem se dispõe, a linha de ônibus pública parava na porta.
O quarto tinha o essencial: tv, chuveiro elétrico e ar condicionado. Mas tudo bem limpo, com toalhas trocadas todos os dias. Não usei a piscina, mas estava lá... O atendimento dos funcionários era muito bom. Não sei como está a pousada agora, mas espero que não tenha aumentado de preço. Na época paguei 80 R$ por pessoa com café da manhã incluso.
Outra vantagem é que dá para ir apé para as praias de Sueste e (com certa boa vontade) para a praia do Leão. Mas no fim das contas, aconselho a alugar um carro para não perder tempo nos deslocamento (aquela questão do taxímetro rodando nas férias...).
Bem, estou planejando voltar lá este ano e aguardo outras dicas. Mas tenho uma pergunta: Será que atualmente é melhor ir no esquema independente ou se render as agências de turismo??

Rodrigo Purisch
Rodrigo PurischPermalink

Fabio,

Na Lufhtansa tem um programa "Doctor On Board" onde os médicos se cadastram junto com sua especialidade. Ganham umas milhas Bônus e outras benesses. Se for preciso, eles te procuram no avião. Tem inclusive seguro cobrindo o médico durante o vôo.

Esse lado de Noronha eu não conhecia...Cada médico tem uma cabeça e um bolso. Tem uns que não se preocupariam em reforçar a equipe da ilha nas suas férias, outros nem pensar (já que conseguir conciliar férias em vários empregos pode não ser tão fácil).

Gilberto
GilbertoPermalink

Já faz muito tempo, acho que a informação deve estar com a validade totalmente vencida, mas...
Fui em 99. Não consegui reservar pousada direto - todas alegavam não ter vagas. Acabei ficando na loteria da "pousada familiar". Fiquei em um "Pousada da Pituca" ( ou qualquer coisa assim), que ficava em uma casa colada ( mesmo) à igreja dos Remédios. A localização era legal, o esforço da dona da pousada em atender bem também, mas, além dos outros parentes ajudarem muito pouco, as instalações eram as piores possíveis: o quarto não tinha janela; o banheiro era ventilado por uns "elementos vazados"; as infiltrações ocupavam metade do teto; tudo era tão úmido que tivemos que pedir p/ colocarem a roupa de cama no sol p/ dar uma secada.
Mas tudo vale a pena em Noronha. Achei a ilha o máximo, fiz o "batismo" e me entusiasmei a ponto de posteriormente fazer um curso de mergulho, tudo é muito bonito. Compensa a precariedade e improvisação, a falta de transporte público, etc.

Ernesto
ErnestoPermalink

Quando fui para Abrolhos, havia um trecho perigoso com pedras, no qual ninguem nunca fez uma pequena escada, obra simples e que não custaria muito, mas todos pagavam a tal da taxa de proteção ambiental...E, várias pessoas haviam se machucado num lugar sem nenhum atendimento médico....

Bem, já que os medicos estão em plantão involuntário, em Noronha pelo menos deveriam ser dispensados de pagar a tal taxa de proteção, isto para não dizer que deveriam receber pelo plantão a distânica....

Pobres médicos... Acho que minha esposa que e medica agora é que não vai querer ir MESMO para Noronha, afinal temos férias para descansar, não é mesmo?

Rodrigo, coloque a dica no CRM, eu não sabia, pena que não viaje de Luthsansa....

Lena
LenaPermalink

Ernesto,
é só colocar outra profissão na hora de preencher a ficha!! lol

Lena
LenaPermalink

O que esqueci de falar aqui é que a Pousada da Joana fica na Floresta Velha. Fácil caminhada para Vila dos Remédios e dali para as prais do Cachorro e da Conceição. Acho isso bom. Uma noite precisei de um remédio e foi só correr até a farmácia.
Quem ficar para os lados do Sueste, acho que precisa alugar um bugue mesmo.

Ernesto
ErnestoPermalink

Pode-se ate mentir, mas e a consciencia?? O correto seria que houvessem médicos... ou, pelo menos, como ja falei que os médicos fossem dispensados de pagar a tal taxa.... Mas, eu por mim prefiro Antigua, Marrqinique, Curacao e outros pontos do Caribe, que tem melhor infra, e não são mais caros do que Noronha, e com um turismo mais profissional.

Los Roques se assemelha um pouco aquilo que eu acho que deve ser Noronha, mas para quem foi de milhagem como eu fui com a Varig, e bem mais em conta, e ainda se leva a Venezuela como brinde.

karinissima
karinissimaPermalink

Chicago. Hmmmm! Estive em Chicago numa situação meio atípica: na casa de parentes do pretê paquistanês, com a familhança e fazendo circuito não-turístico. Mas vamos lá:

Costumo brincar que Chicago é a "Toronto" do lado americano. Está na beira de um lago, venta horrores, é fria demais no inverno e é linda, linda, linda. Também é multicultural - pero nem tanto como Toronto e NY - mas é bem menos caótica que NY.

Sinto não conhecer tão bem a cidade - mas conheço quase todos os restaurantes Paki / Desi. Kkkkk. Lembro que um dos meus passatempos favoritos era me perder pelas ruas e flanar: as mulheres elegantérrimas em seus terninhos e tênis (carregando o saltinho na sacolinha), alguns exemplares de variadas partes do planeta, os americanos loiríssimos, as adolescentes de cabelos vermelhos e modinha grunge - Avril Lavigne look-alikes.

Turismo? Sears Towers: é imperdível. O delicioso Lincoln Park, acho que um dos parques mais sensacionais que conheço, o SENSACIONAL AQUÁRIO e... A China Town.

Confesso que sou uma viciada em China Town. E em aquários. Mas o de Chicago (e o de Vancouver) estão entre os aquários mais sensacionais do mundo - e olha que conheço muitos, assim como o tosco aquário de Karachi (aaah tadinhos dos bichinhos).

Falam, também, muito do Millenium Park. Mas não conheci. sad

Restaurantes... Hm, hm, hn, hm... Deixe-me puxar na memória os não-paquistaneses e não-indianos que fui...

Gata: arrasa no Kabul House http://www.kabulhouse.com/ - mas só se você curte carne. Os kebabs de carneiro são deliciosos e a porção de arroz com cenoura, canela e passas é de outro mundo. Comida afegã, como o nome sugere.

No mais: http://www.chicagorestaurants.com/
Uma boa coletânea de restaurantes reunidos por nacionalidades. smile Aproveite o multiculturalismo por lá, já que a comida americana é extensivamente conhecida por nós com os deliciosos ribs, barbies e toda a sorte de comida gorda... ou os terríveis bolos de carne, blergh.

Boa viagem grin

karinissima
karinissimaPermalink

Aliás, achei esse link aqui: http://www.citysearch.com/
Bár-ba-ro.

:*

Guilherme
GuilhermePermalink

Ah, o Duda Rei continua lá, Ricardo, com suas cadeiras de plástico branco (pena, mesmo!), mas servindo aquele peixe assado na brasa, enrolado na folha de bananeira e levado à mesa naquela cestinha de palha, com um hibisco vermelho ao lado.
Ainda é possível, também, tomar aquele banho "de" banheira. Um luxo só!
Uma boa novidade é a lanchonete aberta recentemente ao lado do Parque Flamboiant. Simples, mas simpática e uma delícia!
A Trattoria da Morena serve a melhor massa com camarões, ou lagostas, a um preço bem em conta...
E a Praia do Sancho, novidade, continua linda!!!rsrsrs

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Pra Anelise em Chicago: não deixe de visitar a casa de Frank Lloyd Wright, nos arredores da cidade.

http://www.wrightplus.org/tours/tours.php

Anelise
AnelisePermalink

Karinissima
Adorei as dicas gastronômicas! Sou fã de comida afegã, vai ser uma ótima pedida. Já tinha achado este site citysearch.com e achei muito bom.
Obrigada!!!!

Riq!
Muito interessante este lugar, meu amigos arquitetos vão morrer de inveja!!!!