Mais uma lista: Travel & Leisure

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

E já que a gente anda nessa de listas, saiu essa semana  -- e quem viu primeiro foi a Mô Gribel -- a lista 2007 dos melhores do mundo na opinião dos assinantes da revista americana Travel & Leisure. A votação foi feita pela internet, mas só os assinantes tiveram direito a voto -- e a apenas um voto por cabeça.

A lista das 10 melhores cidades tem duas surpresas. Uma, Udaipur, na Índia, que ficou em 7º. lugar. E a outra, Buenos Aires, que emplacou um 2º. lugar espetacular.

palermoviejo450.jpg

Mas aí eu vejo dois fenômenos diferentes: Udaipur deve ter se beneficiado de uma campanha agressiva de email marketing da rede de hotéis Oberoi, que conseguiu fazer do Oberoi Udaivillas o surpreendente campeão da categoria hotéis.

Já a segunda colocação de Buenos Aires reflete o altíssimo prestígio da cidade no momento. Buenos Aires está na moda, e se você for fora de feriadão talvez encontre mais turista americano do que brasileiro.

A lista completa das 10 cidades é encabeçada por Florença, que se sagra bicampeã, seguida por Buenos Aires, Bangkok, Roma, Sydney, Nova York, Udaipur, Istambul, San Francisco e Cidade do Cabo.

Ah, sim. Tem uma surpresa negativa também: o Brasil não está presente em nenhuma das categorias votadas pelo público. Não que o Brasil seja muito assíduo nesse prêmio; em termos relativos, o americano viaja pouco para cá. Mas normalmente a gente consegue emplacar o Rio de Janeiro entre as top na América Latina, e o Copacabana Palace entre os 100 hotéis. Esse ano, no entanto, nada.

Na lista das 5 cidades mais bem votadas da América Latina entram Buenos Aires, Oaxaca no México, San Miguel de Allende no México também, Cuzco no Peru e Mendoza na Argentina -- mais um exemplo de que o americano está indo mesmo pra Argentina.

E no finzinho tem um consolo pra gente. O Brasil pode não ter aparecido na votação dos leitores, mas tem uma categoria dos editores em que a gente marca presença. É na lista de 15 hotels to watch, hotéis pra ficar de olho.

Ali, junto ao renovado Gramercy Park de Nova York e ao W Maldivas está o Fasano Vieira Souto.

Você vai achar que eu estou exagerando, mas em termos de divulgação do Rio para um nicho de formadores de opinião, a inauguração do Fasano Vieira Souto é tão importante quanto a escolha do Cristo e o sucesso de imprensa do Pan.

14 comentários

Rodrigo Purisch

Eu tinha visto uma notinha sobre esse hotel em Udaipur ontem e cheguei a ir ao site para conferir. Minha experiência com a Índia tem mais de 15 anos. Parece um oasis no meio de..... Udaipur.

Bonito, piscina privativa ou semi privativa, quartos amplos, mas será que dá para ser eleito o melhor hotel do mundo? Tudo bem que o serviço indiano quando bem treinado pode fazer você se sentir um Marajá.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Bããã, será que vou ter que ir lá conferir?! 8-)

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Possivelmente o resultado tem ligação direta com a obrigatoriedade de visto para os americanos conhecerem o Brasil. Eles vão para outros lugares mesmo!!

Ah, passei no site do Fasano, que bom gosto hein!!

Ronaldo Moraes

Para quem passa por fora, o Fasano Vieira Souto não têm nada demais, tudo bem que em termos de visual o hotel está bem localizado, quase no arpoador com toda a visão da Praia de Ipanema e do Morro dois Irmãos, mas eu não gostei daquele visual em negro da fachada, me pareceu escuro demais para um um hotel a beira mar, é esperar a inauguração e ver se tão propagada estrutura interna vai ser tão maravilhosa assim.

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Tengo mis dudas de que se pudiese elegir desde una publicación de esas características a alguna ciudad de Chile (quizá por la herida del recuerdo de Allende), o alguna de Cuba, o de China, o de Canadá, o alguna de las ciudades de cuento de hadas de la República Checa, Búlgaría, Hungría....

jussara
jussaraPermalinkResponder

Essas classificações de "dez melhores" têm sua importância (divulgação), mas geralmente me surpreendem no sentido negativo da palavra. No exemplo nacional, por exemplo, o concurso da revista VT sempre traz entre os finalistas cidades, hotéis, etc. que, na minha opinião não deveriam figurar naquela posição.
Sem querer rasgar seda, descobri que muito mais interessante é ouvir a opinião de pessoas que compartilham de opiniões semelhantes sobre o que é realmente imperdível, sem interesses comerciais nos bastidores.
Sempre sigo as dicas do Riq e, agora, da turminha que opina aqui. Até agora, nunca me decepcionei.
Ah! Agora concordando, ADORO Buenos Aires e Mendoza está em primeiro lugar nos meus planos.

Ricardo Freire

Rodrigo, pra mim esse resultado do Oberoi Udaivillas (levando Udaipur junto) é resultado de uma supercampanha de email marketing do hotel com os hóspedes que sejam assinantes da revista. É a maneira da rede dizer -- olha, agora somos tão charmosos quanto os Amans... mas duvido que sejam. O Oberoi é muito grandão pra ser butiquezinho. (Ok, ok, é preconceito da minha parte...)

Ricardo Freire

Ronaldo, por fora também não gosto do Fasano; visitei um quarto decorado no meio da obra e achei pequeniníssimo. Mas vai fazer um barulho danado na imprensa internacional quando abrir. E certamente vai ser um lugar com uma energia muito especial -- coisa que o Copa, anestesiado pela sem-gracice do Orient-Express, não consegue mais oferecer.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Estou no poço sad

Ricardo Freire

Ih, Sylvia, ainda não apareceu, não...

Katy
KatyPermalinkResponder

Ontem foi aniversário da Tam (vi no Rodrigo!). Lembrei que no ano passado - exatamente neste dia! - estava voltando de Buenos Aires (ai, que saudade...) num vôo da própria Tam. Para comemorar, todos os passageiros ganharam uma garrafinha de Coca (infelizmente não era light, Riq) de 237 ml edição limitada com a logo dos 30 anos da Tam. Lindinha. Qual terá sido o brinde deste ano, alguém aí sabe?

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Katy, do jeito que essas companhias aéreas estão miseráveis, este ano deve ter sido capaz da TAM exigir uma lata de coca-cola de cada passageiro...

Lea
LeaPermalinkResponder

Pra compensar: a última Condé Nast Traveler (edição americana) fala (bem) do Brasil em duas materias diferentes. Uma é um editorial de moda clicado em Parati, a matéria é uma ode à cidade...
A outra é a tradicional Hot List da revista, que lista os restaurantes, spas, baladas e hotéis mais novos e quentes do mundo. Entramos nas "hot Tables" com dois restaurantes: o ótimo e original Brasil a Gosto, em Sampa, e o Nakombi no Rio. Segue o link:
http://www.concierge.com/bestof/hotlist/2007/

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Fui para Buenos Aires no meio da crise argentina com panelaço diário na Casa Rosada e passei muito bem, tinha muitos pedintes na rua mas não eram intimidadores e violentos como os Rio, me senti muito seguro, não surpreende que hoje a cidade esteja fazendo tanto sucesso, porque as coisas melhoraram desde que estive lá. Buenos Aires consegue manter o turista longe das mazelas que tem (mazelas comuns a qualquer cidade do terceiro mundo, em maior ou menor grau), e isto é fundamental para o turismo. Claro que minimizar as mazelas deve sempre estar nos planos prioritários, o maior erro que a administração de uma cidade pode cometer é deixar a população de lado em nome do turismo ou de um evento passageiro (como Pan 2007), desleixo com a população custa caro (sinceramente não sei como está a situação de BA neste assunto). Desculpem voltar a este assunto, mas não me conformo com falta de heranças deixadas pelo PAN para o carioca (principalmente na área de infra-estrutura de transportes, pois construir ou reformar complexos esportivos é o MÍNIMO que se TEM que fazer para sediar jogos de qualquer envergadura), também me entristece a pouca importância que o carioca deu a esta falta gravíssima com ele mesmo, que paga impostos escorchantes, levando tudo na festa como se tudo estivesse as mil maravilhas, por essas e outras continuamos a ser o país do futuro...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar