Coluna social: Terraço Itália

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Terraço Itália

Recapitulando: a conVnVenção tinha sido marcada para aproveitar a vinda da Carla Portilho, de Niterói,  para um congresso em São Paulo. Tanta gente falou que ia, que animou a Meilin a pegar a ponte aérea também.

terraco455.jpg

Às vésperas do encontro, porém, o lugar ainda não tinha sido definido. Quando vi que iam mais de vinte pessoas, argumentei que dessa vez, em vez de ir a um restaurante onde todos ficassem sentados, talvez fosse melhor a gente escolher um bar onde desse para ficar de pé e circular.

terraco456.jpg

Acabei sugerindo o lugar que vinha me vindo à cabeça desde o início -- o Terraço Itália -- e o pessoal, uêba, aprovou. O Ernesto sugeriu que alguém fizesse uma reserva.

A Emília ligou, e disseram que o Terraço não aceitava reservas para o ambiente do bar (que era o que nos interessava), exceto para eventos fechados.

O que eles não explicaram é que justo naquela noite haveria um evento fechado no bar.

Quando cheguei, um pouco atrasado, depois das nove, levei um choque ao saber que não dava para ir ao bar.

"Mas... mas.... mas.... deve ter um pessoal....", tentei argumentar.

"É o grupo do Viaje na Viagem?", perguntou a hostess. Foi quando me dei conta de que, definitivamente, não somos mais virtuais. "Eles estão no restaurante dançante".

terraco450.jpg

E lá estavam mesmo, em pé, ao redor de umas três mesas, junto à janela, e na beiradinha da pista de dança. Ficaríamos ali até depois da meia-noite, criando um ambiente de coquetel entre os comensais sentadinhos e os casais bailantes.

O som estava meio alto e a luz, meio baixa (prejudicando a devida apreciação do álbum de fotos da viagem do Ernesto e da Cibele à Namíbia!), mas ainda assim o papo rolou animadíssimo, com grupos se fazendo e desfazendo e todo mundo conversando com todo mundo. Como sempre, se falar de viagem rendesse milhagem, cada um teria acumulado umas 200 mil milhas só naquela noite.

Para você definitivamente ligar os nomes e nicks aos comentaristas e blogueiros, aí vão as fotos da conVnVenção devidamente legendadas. Aproveito para já incluir um disclaimer (desreclamador?): não, as pessoas não são vermelhas nem desfocadas na vida real; é a minha câmera, com ASA 1.600, e na minha mão, que transforma todos em colorados honorários.

terraco400.jpg

O Ernesto não levou a Cibele e a Emília foi sem o Marc, mas o Beto subiu a serra com a queridíssima Teté.

terraco404.jpg

De repente apareceu uma luz de serviço, e eu aproveitei para registrar a Lena, o Jorge, a Carla e o Ernesto.

terraco405.jpg

Quatro estreantes em conVnVenções: a Lucia Malla, o Paulo Futami com a Ana, e o Edson, que mora no Rio, estava a trabalho em Sampa e aproveitou para aparecer. Voltem sempre!

terraco451.jpg

Se não estivesse tão escuro, você reconheceria mais rápido: a Emília, a Carla2 e a Mô Gribel.

terraco406.jpg

Salvem simpatias: a Rogéria, a Carla2 e a Liciana.

terraco410.jpg

Liciana de novo, agora com o Nick e a Flavia Penido.

terraco460.jpg

Iluminados pelo flash da câmera do Beto (obrigado!), a Lucia, a Patsy, a Meilin, este que vos posta e a Karinissima.

terraco408.jpg

Momento praia: a Rogéria (que volta para Santos todo fim de semana), a Meilin (que veio do Rio), o Beto e a Teté (santistas full-time).

terraco407.jpg

A Carla, num momento David Letterman.

terraco452.jpg

A Patsy e a Lucia não parecem amigas de infância? Pois são!

terraco4141.jpg

A Emília e a Carla não parecem amigas de infância? Pois estão se tornando!

terraco403.jpg

A Ana também tirou muitas fotos.

terraco401.jpg

Inclusive essa, da Lucia comigo -- dá para ver que é a minha câmera, né? :roll:

terraco454.jpg

Passeio na sacada: a Rogéria, a Carla, a Karina (colega de universidade e de congresso da Carla) e a Flavia.

terraco350.jpg

E no final não é que ainda teve uma mini-sessãozinha de autógrafos? Pessoal, da próxima vez eu prometo fazer dedicatórias mais inspiradas... eekops:

Se mais gente postar relatos da noite, publico aqui.

Como este engenhoso vídeo editado pela Mô Gribel a partir de fotos de celular:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Z_wpBqQveXM]

A Lucia Malla também fez um post repleto de gentilezas (brigadjim, Lucia) e de fotos em que os personagens estão muito mais reconhecíveis grin

Oba! O Beto também postou seu relato da noite. Vão e reparem num recurso incrível da câmera dele: todo mundo emagrece, e só eu engordo. P'sonante!

E olha só -- a Ana e o Paulo também subiram um post no blog novo deles!

A Meilin demorou, mas também postou.

E o Ernesto mandou fotos do elenco quase completo:

terraco421.jpg

A próxima conVnVenção ainda não está marcada. Mas provavelmente vai ser a primeira em que a tripulação vai fazer, junta, o que mais gosta: viajar. Bora pra Santos?

125 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalink

Meninas, onde vcs foram na Vila Madalena sábado? E como foi o estudo sociológico no bar do Léo?
Podem começar a contar...

Emília
EmíliaPermalink

lol
Sylvia...o pessoal já me conhece: eu sou uma mulher 'analógica'. Mas sabe que eu me surpreendi mexendo no Wordpress? Na verdade achei que fosse apanhar muito mais grin
E você, quando nos dará a honra da companhia? wink

Liciana
LicianaPermalink

Meninas, vcs estão todas por aí?
Emília, sabe que eu acho graça nessa história das fotos, todo mundo fotogrando, eu também nem me liguei nisso, mas fotos não faltaram.
Flávia, vc chegou no seu outro compromisso daquela noite? Duvido...
Aliás, esse jeitinho do "podem começar a contar..." é a sua cara mesmo.

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalink

Liciana, o Ricardo é testemunha que já era meia noite passada quando, ao telefone, eu pedia perdão de joelhos pelo atraso...só porque eu cheguei à uma da manhã num treco que começava às 9:00? :roll:

Fui sim. Eu não só "tinha que", como queria muito ir. Eu faço parte de uma ONG que se dedica a uma comunidade quilombola perto de Paraty (aliás uma praia ma-ra-vi-lho-sa, Cambury das Pedras), e 5a era o lançamento de um livro sobre a comunidade...
Dancei atééé...sexta feira é que foi dureza...hehehe

Pros hipongos de plantão (sim, apesar do tamanho da necessaire e do secador de cabelos, eu tenho um lado hipongo...), taí o link: http//www.povosdamata.org.br/

Ri muito com vc e com o Nick !! Tava muuuuito divertido! Ah! Todo mundo fala que quando lê alguma coisa escrita por mim dá pra me ver falando, porque eu escrevo como eu falo e não ponho vírgula nos lugares "teoricamente" corretos...hehehe

Vou sair correndo daqui, senão amanhã tô lenhada, como dizem os baianos...

Rogéria
RogériaPermalink

Gente querida,
Quero dizer que simplesmente AMEI o meu debut nos encontros! Como disse a alguns, foi o máximo ver esses nominhos todos aí em cima ganharem carinhas de verdade.

Depois da tensão da chegada "Mas hoje o bar está fechado... Você não estaria indo para a Festa do Cupido???" (hahaha...), tudo correu às mil maravilhas. Encontros, brindes, conversas, risadas e mais risadas. (Acreditam que passei a sexta toda rouca?) Só faltou mesmo a banda ter ensaiado a trilha do blog. Melhor providenciarmos o CD do Celso Fonseca pra eles.

Agradeço a acolhida tão carinhosa dos "veteranos" e a você Riq, pelo passeio na sacada, pelas fotos lindas, pela renovação do autógrafo e pela inspiração de sempre.

Contem comigo na próxima. Santos, Rio, anywhere.
Beijos (novos) amigos!

Carla
CarlaPermalink

Flavia, o Bar do Léo é mais até do que um estudo antropológico, é uma experiência cultural completa!!! E que chope, hein? grin Chegamos lá por volta das 4 da tarde - sem almoço! - e fomos ficando, ficando, beliscando um canapé aqui, um pastelzinho ali... Valeu demais mesmo! No sábado seguimos a dica do Riq de rumar pra Aspicuelta - lá chegando, demos uma volta básica pra escolher um barzinho que estivesse movimentado o suficiente pra ser bacana, mas não tão cheio a ponto de termos que suportar muita espera. Ficamos no São Bento, e me pareceu uma boa escolha - só fiquei com pena de não ter mais noites para experimentar outros... wink

Hugo
HugoPermalink

O encontro foi um sucesso, hein. E para os que não foram ainda pudemos aproveitar com esse excelente post.

Sylvia
SylviaPermalink

Como ainda não inventaram uma forma do tempo se tornar analógico
Emilia smile é assim : ou aqui ou lá .
Como estou feliz "aqui" , e como o "lá " ( desconhecido) não me seduz
ainda , vou ficando por "aqui " lol
Se e quando me mandarem catar coquinho vou pensar numa alternativa
para o "aqui" , e vou me lembrarcom carinho da tua sugestão smile :roll:

Beto
BetoPermalink

Sylvia, dá pra mandar o manual? :roll:

Sylvia
SylviaPermalink

Como diria o Diogo ( cadê esse menino que tá sumido?) hahahaha
Beto , é pra Emilia que entendeu tudinho viu ? lol

Lena
LenaPermalink

Também adorei e as fotos ficaram lindas! Muito legal a Meilin ter vindo do Rio especialmente para a noite, e o Beto e a Teté que já tinham vindo da outra vez.

Carmen, você foi mencionada na noite. Fazia um tempinho que você não aparecia e queríamos saber se você ainda andava pelo Nordeste!

Carmen
CarmenPermalink

Lena,

Hubiera sido para mí un placer inmenso poder asistir a esa conVnVenção mais eu estaba en un lugar perdido, en la zona del Matarraña (España), llorando al recordar a praia de Ponta de Mangue e otras mais.
En el Nordeste estuve desde el 27 de Julio al 10 de Agosto, el resto de vacaciones sin "computador".

El hotel Miramar Maragogi estuvo muy bien, después de todo. El personal y servicio del hotel hacían olvidar cualquier inconveniente.
Al principio me dieron un "bangaló", pero yo lo cambié rápidamente por un "cuarto" aéreo enfrente del mar sin "vizinhos". El cuarto era tranquilo con unas vistas al mar inmejorables.
La comida, en el Miramar, estaba bien, não como en el siguiente hotel Pontal de Ocaporá en Porto de Galinhas.
Ahora eso sim, en Porto de Galinhas comí muy bien en varios restaurantes, se lo he de decir a os Destemperados, ya que me acordé de ellos muchas veces.

Mari Campos
Mari CamposPermalink

Carmencita, que bom que você está de volta!!! wink

Carmen
CarmenPermalink

Mari Campos,
Obrigada.

Ana
AnaPermalink

Riq e meus novos amigos!

Nossa noite não poderia ter sido melhor!
Depois so susto da chegada (eu até cheguei a pensar "será que desistiram do Terraço e foram pra outro lugar??"), tivemos uma noite inesquecível , com risadas e muita conversa! Emília, Mô e Lucia Malla, vcs são show! Ernesto, realmente é uma pena que nãa vá a California em nov com a gente... mas tudo bem, vc indo na frente é garantia de boas dicas! eek)
E Riq, obrigada pelo recado na agenda... podexá que vamos, literalmente, dar uma esticadinha naquelas cadeironas no gramado lá no Baiano com direito a caipirinha!

Uma abraço a todos!!!

Ana e Paulo Futami (os japinhas, pra quem não lembra... eek))

ADOREI todos que conversei...e pode confirmar a gente na próxima!

Ernesto
ErnestoPermalink

Riq

Voce recebeu as fotos? Quem quiser é so escrever em pvt que eu mando.

Abraços a todos

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Recebi, sim, Ernesto, obrigado! Ainda não deu tempo de editar, mas até à noite eu acrescento uma das fotos do time inteiro ao post lol

Karinissima
KarinissimaPermalink

ARNALDO, adorei o termo "emiresco". Gozado é que para nós a coisa é extremamente cafona. Meu primo é líbio de background palestino e vive em Dubai e acha aquilo muito bonito, de extremo bom gosto. Né? Kkkkkk Então tá então. Segundo ele, aquelas fontes frenéticas são o supra sumo do bom gosto. Então tá então kkkkk.

Já o Madinat Jumeirah... Aquilo é um sonho, mesmo. Porque o complexo recria um ambiente e você entra num mundo de faz de conta arabesco. Esse sim vale a pena. Adoro aqueles barquinhos para circular pra lá e pra cá, pena que seja exclusividade dos hóspedes. sad

E sim, Dubai é extremamente quente. Mas em alto verão eu estava lá de calça social e terninho e ainda passei frio. Calma, gente, não tô louca. O Arnaldo pode confirmar: todos os estabelecimentos tem refrigeração. Táxis e até mesmo as bodeguinhas paquistanesas que eu adorava.

Tão quente que achei sofrido ir pra praia. Acabei optando, como boa paulistana, a passear pelos "xópis" da cidade. Só o Carrefour do Mall of Emirates dava um post: tanto tempero, roupas típicas e barbies com abbaye por preço de banana. Uma de-lí-ci-a.

smile

Lena
LenaPermalink

O que é pvt?

Patsy
PatsyPermalink

Lena... deve ser "private" grin

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

KARINÍSSIMA, os barquinhos não são exclusividade dos hóspedes. Vc. paga uns dirhans e pode fazer o percurso, e vale muito a pena, creia! Bem, o Madinat reconstituiu um souq deles, o Old Souq, de Deira, é é bem diferente de imaginar o que em Las Vegas fizeram com Veneza e Paris. Os árabes reproduziram algo DELES, diferentemente dos amiricanos, que montaram um cenário, bacana, por sinal, mas europeu.

Eu vi o Carrefour do Mall of Emirates de fora, da entrada de dentro do shopping, porque é grande demais, ams muito bacana visitar um hiper-mercado árabe de primeiro mundo. O que mais gostei nesse shopping foi a praça de alimentação, fast food árabe e ocidental, mas com a maioria dos frequentadores de origem árabe, vestidos a caráter. Muito bacana.

TUDO o que é fechado é refrigerado, seja o mais rico hotel, seja o mais pupular boteco em Deira. E é um choque eterno sair desses lugares hiper refrigerados para o ambiente externo: sempre embaçam os óculos e as câmeras. A água se condensa que temos que esperar uns dez minutos até ambos "pegarem" a temperatura ambiente de novo e os podermos usá-los.

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Posso fazer uma pergunta bem burra, Arnaldo?
O que é Deira? No seu blog está assim: DUBAI (Deira) e DUBAI (Burj Dubai). São partes diferentes da cidade?

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

MÔ GRIBEL, nenhuma pergunta é burra se quem escreveu (EU!) não foi suficientemente claro e bem informativo, ou seja não explicou bem. Vamos lá:

DUBAI é o nome do EMIRADO; DEIRA é o de um BAIRRO de DUBAI, assim como BURJ DUBAI, outro bairro de Dubai.

O termo "burj" quer dizer "do lado de". Então, Burj Dubai, "Lado de Dubai". Não seria errado dizermos, então, "Burj Deira", mas isso não é usado.

Por que "lado" (burj) Dubai, se, afinal, TUDO é Dubai? Porque originalmente o território de Dubai (quando era um lugarejo) era à beira-mar). Hoje Dubai se divide em UM lado e OUTRO lado do Dubai Creek. À direita (lado do deserto, fica DEIRA; à esquerda, Burj Dubai).

Há outros bairros, como Jumeirah, Jebel Ali, entre outros, ou mesmo Al Murraqabat, um sub-distrito de Deira, onde fiquei.

Nestes dois mapas por cujos links abaixo você poderá ter acesso, é possível compreender a situação geográfica de Dubai.

DUBAI (Google Map)

http://maps.google.com/maps?f=q&hl=pt-BR&geocode=&q=dubai&sll=37.0625,-95.677068&sspn=40.59616,95.800781&ie=UTF8&ll=25.266121,55.364571&spn=0.18132,0.374222&z=12&om=1

DUBAI (em PDF)

http://www.dubaitourism.ae/MAP/DubaiMap.pdf

Espero ter respondido, abraços,

Arnaldo.

Paulo Futami
Paulo FutamiPermalink

Riq e viajantes,

Adorei conhecer vcs e ficamos aguardando a próximo convnvencào, a Ana esqueceu de falar que tb esticamos, porém foi lá no terraço mesmo, tomamos mais um vinho e comemos por alí até as 2hr.

um abraço a todos

Paulo

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Ahhhhhhhhhh tá!!!!
Obrigada, Arnaldo, eu estva confusa, não sabia se era outra cidade, bairro ou alguma coisa parecida.
Muito gentil vc ter explicado!

Carol
CarolPermalink

Sexta ia pedir as novidades da convençao, mas achei que estavam na recuperaçao!! Vi que nao me enganei!! wink
Viva a todos, belo encontro!! Existe inveja boa ??? Se existir, garanto que fiquei!!!

Karinissima
KarinissimaPermalink

Mô... Deira é a coisa mais tudo de bom de Dubai: lojanças cheias de coisanças bem baratas. Comprei tanto tecido, cacareco indiano, maquiagem e lembrancinhas por 1/10 do preço.

Todo dia quando finalizava o trabalho, meu primo Ashraf me ligava e perguntava:

- Ai Karina, o que vamos fazer?

- DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA! DEIRA!

Mas, lógico, sou uma muambeira em potencial e adoro atacados. Mas garimpando achei muita coisa boa e linda. Existe até um Souk indiano que AI MAMÃE, enchi metade de uma mala com tanto cacareco.

Kkkk alguém quer comprar um sári? Kkkk, sorry Riq, eu sou muito sacoleira!!!

Karinissima
KarinissimaPermalink

ARNALDO... COOOOOOMO ASSIM EU PODERIA PAGAR E ANDAR DE BARQUINHO??? KKKKKKKK Morri. Tô bege, homem. Como vou explicar isso pras minhas lombrigas, agora?

Ok. Vou ter que voltar.

Concordo contigo: o mundo do faz de contas arabesco "orna" porque eles recriam um ambiente árabe. E eles são, oras, árabes. Por mais emiresco que sejam as reconstruções, tudo fica impecável. Sempre almoçava no Toscana, um daqueles restaurantezinhos e lembro até de ter tomado cerveja italiana com um amigo jordaniano - e o os dois são muçulmanos, abafa!

Ai que saudades, ai que saudades. Ler teu blog dá uma sensação tão booooooooooooooa grin

Sylvia
SylviaPermalink

Vou aproveitar a deixa emiresca para dar mais uma opinião..zinha sad
sobre a breguice oriente-medio & sudeste da ásia .
Nós aqui que apreciamos e nos deleitamos com o jeito-Báli - de ser
vamos sempre detestar a over dose de mármores , dourados , vermelhos
e azuis e misturanças que doem na alma .
O país campeão que conheço é o Cambodia , com o povo mais doce do
planeta e com as ambientações mais bregas que já vi na vida.
Ser rústico ( e bronzeado de sol )no Oriente Medio e no Sudeste da Asia é sinonimo de pobreza
( de dinheiro e de espirito ) ;
riqueza, progresso , pujança é sinonimo
de ouro , muito ouro em tudo ( e tudo que combina com ouro )

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Kariníssima, minha mulher ficou absolutamente fascinada com os "ouros" de Dubai, não apenas os do souq do ouro, mas da lojas perto do souk dos tecidos (indianos, fabulosos, vendidos a metro!) e um shopping do ouro perto do souq do ouro.

Sim, perto de um restaurante italiano (não o que vc citou, que estav em reforma) na parte aberta (externa) do Madnat Jumeirah, você paga pra fazer um passeio de abra naquele riozinho do Madnat, dando uma volta lindíssima pelo complexo, vendo os hotéis e jardins que não são vistos de outros ângulos, amenos que se hoespede num dos três emirescos hotéis...

Vais ter que voltar!

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Tou preparando pra publicar uma matériazinha sobre o madnat Jumeirah com direito a passeio de abra!

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Karinissima,
Eu nasci cacarequenta e maleira (sacoleira é pouco), consigo encher as malas nas viagens de ... coisa nenhuma!
Tão esquisito como os lugares que vou ou escolho ir (tem quem me ache absolutamente sem noção por ter ficado 3h dentro do zoo em BsAs), são as coisas que eu trago. A começar por 5 castiçais de uma liqui no Chile, estojos do mickey, lenços, lenços e mais lenços. Enfim...
Adorei! Porque eu achei que fosse a única... grin
Sylvia, eu a-do-ro um mármore! grin
Não conheço absolutamente nada do oriente médio, sudeste da ásia e nem mesmo para europa eu já fui. Porém eu confesso que acho - pelo que vi em fotos, não só do Arnaldo, mas também de um amigo que mora lá - Dubai o must da breguice.
Por outro lado, eu acho que até a breguice é interessante, desde que se entenda os hábitos e cultura dos povos, exatamente como vc explicou de maneira muito bacana.
Agora, pra falar de estilo, mesmo eu sendo 'especialista', acho que é tudo tão tão tão, em muitos momentos, mas tão tão tão...pessoal, subjetivo, temporal... grin... que o que vale é o que gostamos e boa! smile

Sylvia
SylviaPermalink

É isso Mô , cada um na sua smile
Mas olha ai hem , eu não malhei marmore, não malhei ouro , nem
cor vermelha nem cor azul nem nada ... malhei a misturança,
a overdose, o exagero que dói na alma dos ocidentais minimalistas
que desejam simplificar .
Nada contra de quem goste de complicar , de misturar doses cavalares
do que quer que seja , mas.. não conte comigo pra isso tá ?
lol
lol

Mari Campos
Mari CamposPermalink

Mô e Kariníssima: contem comigo quando forem encher as sacolas de quinquilharias!!! Aliás, Mô, adorei sua definição: maleira, porque sacoleira é pouco lol lol lol

Emília
EmíliaPermalink

Sylvia:
lol lol lol

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

AINDA sobre a breguice, gostaria de explicar que NÃO achei Dubai brega, apenas o INTERIOR do Burj Al Arab.

Quando eu usei o termo “kitsch” para definir o que acho do Burj al Arab, me referia EXCLUSIVAMENTE a este. Em NENHUM momento me referi a DUBAI como sendo de mau gosto, porque de fato não tive esta impressão, ao contrário.

O "efeitismo" exageirado - notadamente no uso de cores fortes com o ouro, desenhos exageirados e maneirismos de efeito para despertar sentidos de admiração, ou choque, no expectador.

Isso é que me impressionou mal, ou seja copiar a si mesmo exageirando exageiradamente o exageiro. Não se trata de achar bonito ou feio, que é questão de gosto pessoal, algo que respeito profundamente, mas da vulgarização do gosto, da mediocrização do estilo.

Segundo definição da Wikipédia, Kitsch é um “Princípio de Inadequação: desvio em relação à finalidade, tamanho (abridores de garrafa gigantes), falsificação de materiais (flores de plástico), estilos contextos (anjos barrocos de gesso, para estantes) figurações em objetos utilitários (pêra de cristal, como baleiro). Funções secundárias que acabam suplantando a função principal, funções múltiplas em um único objeto. A inexistência de uma relação do tema com a estrutura geral da obra. “

Sou um admirador do luxo com conteúdo e classe e concordo com uma das máximas do inteligentíssimo Joãozinho Trinta: “Pobre gosta de luxo, intelectual é que gosta de pobreza!”.

Gosto MUITO do luxo, mas com conteúdo, não o luxo brega, gratuito. É preciso ter muito cuidado, muita cultura, muito bom-gosto para colocar dourados, azuiz, vermelhos, colunas dóricas, aquários marinhos, cascatas, fontes, luzes colorias, efeitos sonoros TODAS juntas sem que aparentem ser bregas.

Coisas bregas, cafonas ou kitsch: anjos barrocos de gesso, para estantes, pêra de cristal, como baleiro, cartões de namorados perfumados, pinguins de geladeira, almofadas com desenho de lábios, terços saturados de imagens, canetas com mulheres nuas, paisagens havaianas ou indianas de fundo (se não forem no havaí nem na Índia), anões de jardim, esculturas de cobras cobras, esqueletos de plástico fluorescentes, insígnia de partidos políticos em chaveiros, definições como “ Manhatan do Oriente”, Veneza Brasileira”, Valdick Soriano, Nelson Ned, discurso de Miss, Odair José, Gretchen, pagode romântico, breganejo, bregaxé, a "modernidade" da Era Collor, o "funk carioca", o forró-brega, Rita Cadillac, Wando...

A fachada do Burj Al Arab é um explêndido exemplo de bom gosto, comparável ao Guggenheim de Bilbao, por exemplo, maravilhoso desenho de Frank O. Gehry.

Aquilo que é original, ainda que não esteja em acordo com o MEU gosto pessoal, eu respeito. Exemplo: decoração chinesa. O que não curto é a cafonice explícita e intencional, especialmente a desprovida de conteúdo.

Em tempo: ADOREI Dubai!

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Oh, Arnaldo, eu tinha entendido que era o interior do Burj.
Aliás, o meu comentário não foi por causa do seu não...
Continuo dizendo que a definição de bonito, feio, brega, cafona, seja lá qual for, é pessoal, por isso eu respeito mesmo a opinião de todos, pois o que é legal para mim, pode não ser até para mais ninguém.
E nem estou falando mal de Dubai, deve ser super interessante, ainda que eu ache o estilo 'emiresco' um tanto over e cansativo para mim. E olha que eu nem sou muito chegada a minimalismos...
A propósito, adoro pingüins de geladeira...

Ana Paula Akemi
Ana Paula AkemiPermalink

Riq e pessoal,

Empolgamos na idéia de lançar um blog...
Qdo der um tempinho entra pra ver os 1os posts.
Espero que gostem!

Abraços

Ana e Paulo Futami
http://vivelavie.wordpress.com

Ana Paula Akemi
Ana Paula AkemiPermalink

Karinissima e Mô

Vcs me fizeram um pouco mais feliz hoje... achei que fosse a única que enche a mala (grande e de mão) com tranqueiras que além de frágeis são pesadas...
O Paulo reclama até a morte das minhas manias...
Sou arquiteta, então tudo que vejo de diferente que seja bacana eu pego e compro... e sobrapro Paulo... sempre...
E Mô, concordo contigo que beleza se define no contexto. Um anão de jardim por exemplo, se é feito dele um baquinho com a concepção de Phillip Starck se torna super "in"...

Rogéria
RogériaPermalink

Ah, tô me sentindo entre amigas com essas confissões consumistas! O narguilé gigante e o tapete que acabei de trazer do Marrocos DENTRO DA MALA são apenas pequenos exemplos se comparados com o meu must da muamba: um lustre enorme, todo rococó, que trouxe de Buenos Aires. Detalhe: vim de lá até São Paulo com as pernas para cima, quase gangrenando, já que estava com aquele trambolho nos meus pés. Não cabia no bagageiro e eu não ia despachar de jeito maneira! Era de vidro... pelo menos até chegar na minha casa, quando desembrulhei o mimo e descobri que era de acrílico... hahaha... Mas valeu. Meu quarto ficou lindo com ele!

Mari Campos
Mari CamposPermalink

Rogeria, como diz a Sylvia, malas vazias na ida!!! Sempre!!! mrgreen

Rogéria
RogériaPermalink

Certeza! Nem que tenha que sair com a mesma roupa em todas as fotos! Hahaha...

Mô Gribel
Mô GribelPermalink

Meninas, dêem um pulinho aqui: http://viajenaviagem.wordpress.com/2007/04/16/enquete-da-semana-berimbaus/
Tem um post aqui do Ricardo chamado Berimbau que é impagável.
Vocês vão gostar.

Rogéria
RogériaPermalink

Mô, adorei! Tô até conformada com o meu lustre agora. Suas histórias são hilárias! As canecas, as taças e, hahaha, os donuts.

Karinissima
KarinissimaPermalink

Arnaldo, eu tava falando do interior. wink Por fora é lindo e o Jumeirah Beach completa o cenário com o formato onda.

Agora, quando você fala "falsificação de materiais (flores de plástico), estilos contextos (anjos barrocos de gesso, para estantes) figurações em objetos utilitários (pêra de cristal, como baleiro)" parece que você estava descrevendo as casas dos meus parentes dessas bandas, kkkk. Eu sei, é a cultura deles, não vou implicar com isso. Acho até interessante. Não estou julgando, gente, apenas comentando.

O mais sensacional foi quando entrei em uma Tok & Stok da vida lá em Dubai. Vi as tais frutas de cristal, bonecas de porcelana (Arnaldo, tu viu a fixação das árabes por boneca de porcelana?), abajures com enfeites de querubins etc. Essa ostentação "emiresca" é bem típica.

Vou te contar um causo que acho que a maioria das pessoas que já foram pra Índia vão concordar.

A família do meu namorado (ele é paquistanês) é muito bem posicionada na sociedade. Têm uma casa boa mas os móveis são simplérrimos, quase espartanos. Maaaas... Para mostrar o status... Eles tem um mega ultra über gigante lustre dourado com cristais.

Na maioria das famílias indianas e paquistanesas o tal lustre dourado com cristalzança é um símbolo de status tão forte como o Audi na garagem.

A coisa é tão absurda que, ao folhear um jornal imobiliário em Karachi, vi fotos de apartamentos luxuosos na frente da praia: os apartamentos eram espartanos, feios até. Mas tinham um mega lustre dourado com cristais na sala.

Sabendo disso, comprei um daqueles bichinhos de cristal bem bobinho e levei pra sogra. Parecia que eu havia comprado um diamante raríssimo, ela ficou apaixonada por aquilo. Fiquei emocionada e me odiei pelos pensamentos cafagestes tipo "ai que breguinha". Ali, naquele contexto, era lindo. Acabei achando lindo.

Quando fiquei no Serena, em Gilgit, o hotel era simples. Mas todos nós sabemos que a cadeia Serena é de hotéis confortáveis 5 estrelas. Mas eles tinham um mega lustre de crystal no hall. Super luxo por 80 dólares. Coisas que só o Paquistão faz pra você wink

Karinissima
KarinissimaPermalink

Mô, Sylvia, Mari, Ana Paula, Rogéria: adorei o conceito de não ser sacoleira porque mala é maior. Tal qual a Mô sou cacarequenta de nascimento e "pioração" adquirida.

Meu primeiro cacareco de carregamento imprático foi uma máscara em Veneza cheeeia de penas que carreguei na mão dentro de ferries, ôibus e trens europeus.

Carreguei um hard case Takamine até o Paquistão, também. Meu namorado é músico nas horas vagas e me pediu um case original Takamine (que trabalho) que levei daqui. Coloquei meus sapatos lá dentro e despachei. Mas quando tive que embarcar em Dubai no Terminal 2 do aeroporto (o horror! o horror!), tive que carregar tudo na mão pelas milhares terminais de Raio X. neutral

Minha vingança foi maligna pois minha mãe encomendou um tapete afegão que ele vai trazer enrolado agora, kkkk. É grande, difícil de carregar e pesado. Woohoo!!!

Karinissima
KarinissimaPermalink

Hehehe, Ana Paula... Se você visse meu quarto iria ver na prática como combinei tanta coisa diferente! Tudo que é tranqueira que vou catando nas viagens ficam expostas no meu quarto: relógio em forma de mesquita que ganhei no Paquistão, uma lhama de 20 centímetros que trouxe do Peru, as Barbies com roupas indianas e árabes, chapéus, luminária chinesa, meus bangles indianos, sapatinhos turcos...

Concordo contigo super: "beleza se define no contexto. Um anão de jardim por exemplo, se é feito dele um baquinho com a concepção de Phillip Starck se torna super “in”…"

Agora quero achar aquelas lampadinhas chinesas que vem em fio tipo lampadinhas de árvore de natal... smile Pode ser cafona, mas eu viajo um pouquinho antes de dormir vendo cada detalhe. Se é over? É demais... Kkkkkk!

Ana
AnaPermalink

Kariníssima,

Pelo menos o que vc citou tá tudo ali, Oriente, Ásia... se vc visse meu quarto... nem comento... tem um bonequinho do Store of Knowledge (que vc molda como quiser) segurando uma máscara mini dessas de Veneza... uma beleza... fora as pantufas em forma de sapatinhos holandeses que eu simplesmente AMO! Isso é over... mas me faz mais feliz!

Qto às lamparinas, vc pode encontrar na Liberdade... eu já coloquei uma vez provisoriamente que ficou prasempremente! hahahaha

Gde beijo e please, me chama de Ana... postei errado!

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

KARINÍSSIMA também é cultura! Valeu...

Daniela Siqueira
Daniela SiqueiraPermalink

Arnaldo:
Já que eu não quero voltar de Dubai como a Karissima, querendo voltar de novo, me explica: tem jeito de entrar no Burj Al Arab, pra ver o negócio por dentro? Eu estava assitindo um programa no Travel & Living, e eles disseram que antigamente se pagava 100 USD por uma visita ao hotel - mas que agora SÓ OS HÓSPEDES podiam entrar. Procede?

Eu sou uma sacoleira frustrada - tudo por conta do marido, que me poda nas coisas (e fica perguntando mil vezes: mas o que você vai fazer com isso mesmo?) e eu acabo desisitindo de comprar as coisas (pelo menos as grandes). Mas eu SEMPRE trago coisas de cozinha, e temperos são a minha perdição. Normalmente é leve, fácil de trazer (fora o cheiro), e você revive a viagem toda vez que cozinha. Marrocos, definitivamente, cheira a cominho (o pacote que deixou as minhas roupas com esse cheiro ajudou na impressão). Mas eu lembro até hoje de um pilão de temperos, snif, que não me deixaram trazer - só porque, snif, o negócio era de mármore, snif, e já estávamos com sobrepeso... Eu vou morrer culpando o meu marido por não ter deixado eu trazer meu pilãozinho...