Hiroshima, 62

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Atribulado com as mudanças do menu aí da direita, acabei deixando passar uma data que eu queria registrar aqui: os 62 anos da bomba de Hiroshima, assinalados ontem.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=nxWPIs2CGRk]

Visitar o Memorial da Paz é um passeio que eu não consegui incluir na semana que passei no Japão. Não é uma viagem prática para quem está em Tóquio (são 900 km, cobertos em 3h50min pelo trem-bala), mas dá um bate-e-volta tranqüilo para quem está baseado em Kyoto. Da antiga capital imperial são 380 km, ou 1h35min de trem-bala.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=9YJaaVAQ5lE]

Saindo cedo, dá para fazer um pit-stop, na ida ou na volta, no castelo de Himeji, o mais impressionante dos castelos feudais japoneses. Com o trem-bala, Himeji está a 1h tanto de Kyoto quanto de Hiroshima.

20 comentários

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Oba! Caiu como uma luva o post. smile

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Passei uma boa parte da minha infancia ouvindo historias sb Hiroshima,
a companheira de quarto de minha mãe na escola ( nos EUA) era uma
das poucas milagrosas sobreviventes da bomba.
Era uma criança pequena que brincava entre quatro predios altos e foi
resgatada imediatamente , pelo que sei as sequelas foram minimas .
Estes memoriais são muito chocantes , e assim como os campos de concentração , a gente nunca esqueçe ..
Mas para mim, o que mais me impressiou foi o Yad Washem em Jerusalem http://www.yadvashem.org/ , lindo , e muito muito
envolvente . É um lugar para pensar e chorar de verdade .
Ninguem sai de lá como chegou .

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Cada vez mais me dá vontade de ir para lá, mas para sentir o Japão mais tradicional. Esse castelo de Himeji me pareceu impressionante...aproveitei o site e entrei também no link do Monte Koya. Desde aquele seu post, sinto que é uma daquelas experiências a se ter uma vez na vida.
Para quem não cogitava muito ir ao Japão, estou vendo que estou sendo conquistada aos poucos grin

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Emilia, tô que nem vc... o Japão nem figurava na minha listinha, e nos últimos tempos entrou e vem ganhando posições num ritmo alucinante! lol

Ernesto
ErnestoPermalinkResponder

Mais do que nunca está na hora da paz... Quanto ao Japão, sempre esteve nos meus desejos, mas me parece cada vez mais perto, com a queda de preço das passagens ( o blog do Rodrigo, por exemplo traz hoje um ótima oferta da Lufthanasa), e do Dólar, quem sabe, em breve... Vamos aguardar o blog da Monica....

Patsy
PatsyPermalinkResponder

Olá !! Fico um tempo longe daqui e quantas novidades, mudanças e muita informação em ótimos comentários que terei que ver com tempo, muito tempo.

E Ernesto a hora da paz é agora mesmo, apesar de vermos o contrário.
E Japão sempre esteve na minha lista, mas parece longe, longe...

Um beijo pra cada um.
Patsy

jose rodrigo
jose rodrigoPermalinkResponder

Eu fui a hiroshima, e para mim foi um dos pontos mais bacanas da minha visita ao Japao. De toquio fui a Kyoto por 3 dias, sendo que em um deles fiz um bate e volta a hiroshima. Valeu muito a pena!

Lena
LenaPermalinkResponder

Quem assistiu Os Sete afluentes do rio Otta? Eu sai do teatro completamente alterada...

Lena
LenaPermalinkResponder

Riq,
62 anos, nao?

Rodrigo Purisch

Ernesto

A Dica da Lufthansa estava incorreta. Graças a Mô já corrigi o erro e postei sobre as tarifas para o Japão.

Fiz um day trip po Hiroshima no caminho de Yamaguchi para Tóquio.

Muito interessante o memorial. Nos faz pensar no que o ser humano consegue fazer!

Destruir tantos por tão pouco.

Reconstruir tudo e melhor, mantendo o respeito ao próximo e perdoando o agressor.

Arnaldo (FATOS & FOTOS de Viagens

Detesto polêmicas e acho guerra a coisa mais abominável que o ser humano pode fazer. Mas a bem da verdade e da justiça, e de maneira alguma justificando a atitude dos americanos jogando duas bombas atômicas no Japão, mas....lembrem-se:

Os Estados Unidos NÃO haviam entrado na guerra quando foram bombardeados pelos japoneses em Pearl Harbor, pnde morreram milhares de militares e civis que NÃO estavam em guerra!

A partir DESTE ataque do Japão aos USA é que cinco anos depois eles foram bombardeados pelos americanos, o que ocasionou a capitulação dos japoneses que, lembrem-se, estavam ao lado dos alemães!

Arnaldo (FATOS & FOTOS de Viagens

Em Pearl Harbor os japoneses foram TÃO covardes com os americanos quanto os alemães com os judeus...

GiraMundo com Jorge Bernardes

Acho que foi no aniversário de 60 anos que a revista Terra publicou uma extensa reportagem com sobreviventes de Hiroshima que vivem no Brasil. Eu fiquei emocionado com os relatos.

Sendo um memorial da paz, eu gostaria muito de visitá-lo. Ainda no tema, apesar de gostar de conhecer a História quando viajo, eu não tive a menor vontade de visitar um campo de concentração na Alemanha ou no leste europeu. Ainda que eu concorde que manter um lugar como aquele seja importante para que a Humanidade não repita os mesmos erros, não senti que o próposito principal fosse a exaltação da paz.

Recentemente em Londres, eu vi na beira do Tâmisa naquele navio de guerra mantido como museu ao lado da Tower Bridge, um cartaz divulgando uma exposição de fotos em comemoração à guerra das Falklands. Do jeito que foi colocado, com uma bandeira e um soldado em destaque no cartaz, achei de muito mal gosto.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Arnaldo,
A grande diferença na minha opinião é que eles bombardearam uma base militar.
Os EUA bombardearam civis.
De qualquer maneira, sou pacifista e acho qualquer guerra a maneira mais irracional de se resolver um conflito. Seja lá qual for...
Não existe uma guerra justa e limpa.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Um comentário meio filosofia de botequim, que me ocorreu por causa do navio que o Jorge mencionou: vocês já repararam que os monumentos relativos a guerras que realmante emocionam são aqueles erguidos pelos perdedores? Imagino que seja porque a desumanidade e o absurdo das guerras se revelem muito mais nas derrotas do que nas vitórias... O navio de guerra ancorado no Tâmisa é de mau gosto - já o monumento aos mortos nas Malvinas em Buenos Aires é tocante...

Ricardo Freire

Lena!!!!!
eekops:
eekops:
eekops:
eekops:
eekops:
(Já corrigi. Disfarça...)

Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

Uma base militar que não estava em guerra e com mais civis do que militares!

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Jorge:

Eu morei três anos na Alemanha, e só no finalzinho do período quis conhecer um campo de concentração. Essa decisão demorou para acontecer porque eu realmente não tinha certeza se eu queria mesmo ir e ficar com aquelas imagens marcadas para sempre na retina (ficam, não há dúvida). Ainda precisei do empurrão de uma visita que estava pela segunda vez na Alemanha.

Fomos a Dachau, perto de Munique. Não posso dizer que "foi bom", mas foi importante. É algo que, sim, deve ser conhecido, faz parte da história e é completamente diferente de ler livros, depoimentos, assistir filmes ou documentários. Estar lá é ... arrepiante. E fundamental. Talvez não em uma primeira visita, mas alguma vez na vida.

GiraMundo com Jorge Bernardes

Jurema, eu sei, eu posso entender. Quem sabe alguma vez na vida em que eu estiver lá, mas não de férias.

ALISSON BITENCURTH

ME ENVERGONHA SER AMERICANO PELO FATO DOS U.S.A ESTÁ NA AMÉRICA, ESTE PAÍS Q É UM VERDADEIRO TERRORISTA, JÁ NÃO BASTOU DIZIMAR MILHARES DE SERES HUMANOS NO JAPÃO, CONTINUA A ATERRORIZAR COM SEU PODERIO BÉLICO E SUA HEGEMONIA ECONÔMICA SOBREPONDO E SUBSTIMANDO O RESTO DO MUNDO!! HIROSHIMA E NAGASAKI Q O MUNDO JAMAIS ESQUEÇA QUEM CAUSOU ESTAS ATROCIDADES!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar