Mooca, domingo, duas da madrugada

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Às quinze para as duas da manhã, a rua Ana Néri está erma. O restaurante Don Carlini, instalado num lindo casarão antigo, acaba de apagar as últimas luzes. Nas casas vizinhas, quase todas comerciais, as portas de ferro estão abaixadas e os letreiros, apagados. Do nada, porém, aparece um carro, e estaciona na calçada oposta ao restaurante. E outro. E mais outros dois, que preferem estacionar na rua da esquina.

    churrosdamooca400.jpg

Às 5 para as duas já há uma pequena aglomeração na porta do número 282. É quando chegam três homens, num carro que não percebi qual era, e abrem a porta. Vai começar mais uma função dos Churros da Mooca, a confeitaria mais original de São Paulo.

    churrosdamooca401.jpg

Os Churros da Mooca só abrem duas vezes por semana: às duas da madrugada do sábado e às duas da madrugada do domingo. As filas começam antes de abrir e vão até a hora de fechar, às 11h30 da manhã.

    churrosdamooca404.jpg

As filas se devem não apenas ao sucesso dos churros, mas também ao modo artesanal com que são feitos. Você chega, faz o seu pedido (uma "roda" grande, média ou pequena) e ganha uma senha. Então o seu Toninho (que eu pensei ter fotografado, mas na verdade gravei um videozinho de 3 segundos que não serve para nada), que opera a fritadeira há 50 anos, vai fazer, uma por uma, as rodas encomendadas. Entre o pedido e a entrega, conte em esperar uns bons 40 minutos.

    churrosdamooca4031.jpg

Vale a espera? Vale. O folclore conta, claro, mas os churros são muito bons. Quer dizer: não tem nada a ver com os churros de carrinho. A massa é diferente e não leva recheio. Também não é como os churros espanhóis fininhos (que acho que chamam de porras). Na verdade é um belo bolinho de chuva modelado como espiral.

Com um copo de chocolate gelado, fica uma djilícia.

P.S.: olha uma foto do (fofíssimo) seu Toninho aqui.

Correção: na verdade porras são churros gordos típicos de Madri. Os fininhos são churros mesmo. Mas nenhum dos dois é servido em formato de roda.

57 comentários

Beto
BetoPermalinkResponder

Riq, mais uma vez, você dá duas informações importantíssimas. A primeira, lógico, é a dos churros do seu Toninho. A segunda, o significado daquelas porras que tem junto com os tapas, na porta dos botecos espanhóis (tapas y porras). Sempre tive vergonha de perguntar o que era e medo de pedir pra ser servido.

mcb
mcbPermalinkResponder

Golpe baixo. Ainda é quarta, 13h44, e já estou indócil querendo o meu.

Ricardo Freire

Beto, fui averiguar por aí e descobri que "porras", na verdade, são churros grandes. Os fininhos são churros. Mas nenhum dos dois é servido no formato de roda.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Bolinho de chuva, churros...Esses são os meus tipos de carboidrato :roll:
A vontade sempre foi muita de ir até lá, mas nesse horário não dá não. Mas, sabendo que ele fica até às 11h, vou aproveitar um sábado desses e comprar uns churros para o café da manhã.
PS: O seu Toninho é uma fofura mesmo...bela foto.

Lena
LenaPermalinkResponder

Nunca tinha ouvido falar!!!! Como pode :roll:

Ricardo Freire

Eu já tinha lido no Poderoso Chefinho, no Ilan Kow, acho que ainda na época do Guia do JT. Eu achava que era a coisa mais "insider" do planeta, mas o cara é ao mesmo tempo superdesconhecido e superfamoso.

São Paulo é uma cidade muito esquisita. Se fosse no Rio, esse Toninho da Mooca seria um dos personagens da cidade...

Na mesma matéria me levaram para comer o sanduíche de bife com queijo ("churrasquinho com queijo", em paulistês) do Peru's, no Belém. O lugar existe há 30 anos, era um botequim e acabou de se mudar para instalações modernas e confortáveis, sem sair do bairro. O sanduíche é um deslumbre, com um vinagrete à base de repolho (não faça essa cara, é uma delícia e não tem gosto de repolho) espetacular, num pão que é feito por uma padaria na esquina há 30 anos, e com provolone no lugar da mussarela. Divino. E desse eu NUNCA tinha ouvido falar. Outro desconhecido e superfamoso.

De novo: no Rio, um botequim com essa tradição e esse sanduíche que resolvesse virar um restaurantão seria motivo de polêmica nos jornais. Aqui, nem tchuns.

Nesse caso eu vou ter que concordar que a culpa é da mídia, mesmo grin (Eu incluído.)

Eduardo Luz
Eduardo LuzPermalinkResponder

Riq, no quesito churros tem também a Casa do Churro. no Tatuapé que comparando com o do seu Toninho é quase que um Fasano ( não na qualidade é óbvio mas na ¨suntuosidade¨das instalações). Até site eles tem ( www.casadochurro.com.br ).

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Churros Del Uruguay no carrinho la na praia da Barra no Rio. O melhor que eu ja comi.

Essa coisa de lugares "insiders" é divertida. Como é o nome daquele bar/boate la em Buzios onde o dono abre a porta e so deixa vc entrar se for com a tua cara ? Eu fui barrada (rs), mas acho que foi pelas minhas companhias (meus primos afoitos). Sempre tive curiosidade de entrar la !

Ricardo Freire

Dani G., acho que esse bar/boate já fechou. Nunca nem tentei entrar. Basta haver "door policy" pra eu estar fora!!! Não tenho auto-estima sobrando para compensar ser barrado...

JULIO CESAR CORREA

It´s very Sampa!
gd ab

Lena
LenaPermalinkResponder

De novo... Nunca ouvi falar de nada disso que você citou aí em cima :roll: E olha que eu tenho amigos que me chamam de guia cultural!! Que falta de noção!!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

hahaha Riq, eu adoooro desafiar "door police" ainda mais se tiver
alguem para eu fazer uma aposta , entro dou uma olhada, faço
cara de não gostei e vou me embora :roll:

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Que coisa mais legal! Tipo de programa que adoro! grin

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Agora chama 'door policy'? Nooossa, isso me fez lembrar da 1a vez no Crepúsculo de Cubatão! Como elas eram mal humoradas e faziam a gente passar nervoso... rs

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Esses segredos de São Paulo são demais!!!

Cada um sabe de um lugar melhor que o outro.

O sensacional é ir descobrindo um por um.

Apesar de todos os problemas......dá uma saudade!!!

noredy
noredyPermalinkResponder

Ricardo,
voce já ouviu falar sobre um lugar na zona norte que prepara uma galinhada muito concorrida ?

e sobre o peixe na telha que fica no centrinho de carapicuiba, indo pela via Raposo Tavares perto de Cotia ?

e sobre o pastel de ubatuba ?

noredy

Geraldo
GeraldoPermalinkResponder

Minha esposa trabalho 4 anos neste predio do Itau em frentre ao Don Carlini ( que é muito bom ), e nunca ouviu falar destes churros!

Realmente Marcio, que saudade de SP!

Ricardo Freire

Acho que deve ser a Galinhada do Bahia, Noredy. Fica no Canindé, perto do estádio da Portuguesa. Comi a minha primeira buchada de bode lá...

O peixe na telha deve ser o do chileno de Carapicuíba, não é? Fui lá num horário que não justificava almoçar; mas experimentei a empanada, é muito boa.

Acho que já tem uma filial deste pastel aqui em São Paulo. Mas se não me engano não é de Ubatuba, mas de Bertioga...

Ricardo Freire

Geraldo, eu fiquei impressionado com a beleza do casarão do Don Carlini. Surpresa total!

Geraldo
GeraldoPermalinkResponder

Quem conhece o Caldo de Mocoto do Zelão em São Bernardo???
No inverno, devidamente acompanhado da pimentinha "Faisca"......
Acho que vou voltar pro Brasil amanhã!

Geraldo
GeraldoPermalinkResponder

Riq por dentro tbm é muito legal! alem da qualidade da comida!

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Falando em Moóca, quem conhece a "esfirraria" Juventus? É sensacional. Assim, eles tem uma certa liberdade artística com alguns sabores de esfihas - coisa que bole o juízo de alguns árabes. Mas como meu pé na terrinha está a duas gerações atrás de moi, eu aprovo tudo.

Sem falar da Di Cunto. Hmmmm. Quando entro na Di Cunto eu faço o roteiro "sou gorda, e daí, problema de quem vai carregar meu caixão". Vou direto ao balcão de salgadinhos comer 2 mini-coxinhas (que light, né... mini-coxinhas = mini-calorias, no meu mundo particular, é lógico), depois vou comer um zeppole no balcão de doces e, de lá, vou pro balcão de pães para pegar pãezinhos e, depois, ao balcão de comidinhas italianas para pegar a maravilhosa beringela a milanesa.

Esfiha Juventus:
Rua Visconde de Laguna, 152
11 6096-7414

Di Cunto:
Rua Borges de Figueiredo, 61
11 6292-7522

besos!

Geraldo
GeraldoPermalinkResponder

O Pastel do Trevo de Bertioga virou franquia!, pelo menos o original é muito bom, o de palmito é inexplicável!

Lena
LenaPermalinkResponder

Noossa!! Da lista toda só conheço o Don Carlini e a Di Cunto. Ok, já ouvi falar da galinhada também, mas nunca fui.
Já que estamos pelos lados leste, a primeira pizza com rúcula e tomate seco que comi, foi na Castelões no Brás. E tem também a Cantina 1020 no Cambuci, super tradicional smile

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Tem um restaurante armênio em Santana, que sempre sai em guias, mas é super escondido: o Casa Garabed. Numa rua residencial, não tem placa nem nada. Mas as esfihas...ai, ai. Deliciosas.
Adoro também a esfiha de ricota do Rosima, na Pamplona, ao lado do Carrefour.
Lena, aquele climinha antigo da 1020 é muito bacana e fazem uma comida gostosa, dentro do esquema cantina.

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Mô, só uma questão básica: o que é o Crepúsculo de Cubatão??? Fiquei curioooosa... razz

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Se não me engano Crepúsculo de Cubatão era uma (boate?casa noturna? inferninho?balada place) que existia (não sei se ainda existe) no Rio de Janeiro, não é isso? Acho que isso acontecia na época em que aqui se ia ao Rose Bonbon, Cais e Nation...faz tempo...

Eduardo Luz
Eduardo LuzPermalinkResponder

Tem pastel de Bertioga na Sena Madureira, não sei o número mas é perto e no lado oposto do Rancho da Empada. Os pastéis mas são enormes.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

São Paulo é a minha grande cidade favorita no Brasil, e não vou lá a quase 15 anos! Sem comentários, nem eu sei dizer o porquê, talvez seja medo de perder o encanto, como se fosse um amor platônico.

O Eduardo falyou em Fasano, me lembrou este Fasano do Rio que não abre de jeito nenhum, já adiaram não sei quantas vezes a inauguração.

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Hahahahahaha, então o Crepúsculo de Cubatão era uma balada, Flávia? Desculpe, mas achei muito gozado...

Não consigo imaginar nada mais estranho do que um crepúsculo em... Cubatão. Pelo menos estou com o Cubatão ali ao lado de Santos na cabeça.

Fazendo muito esforço, digo que as luzes das fábricas que vemos na estraga Guarujá-Sampa podem configurar um cenário meio "Blade Runner".

Kkkkkkkkk, gente, me chamem de boba mas eu tô rindo muito com esse nome... É tão surreal como "Alvorada em Registro"...

Ricardo Freire

Não era uma balada porque era no Rio, Karina, e no Rio eles odeeeeeiiiiiiaaaaaam a palavra balada. (Muito paulista.)

Mas era, digamos assim, um inferninho dark em Copacabana.

(Não, nunca fui.)

Lena
LenaPermalinkResponder

O nome foi inspirado em uma música dos anos 80, não? Tinha uma banda de rock que cantava Crepúsculo de Cubatão.

Emília, faz um tempão que não vou na 1020, mas gostava muito smile

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Atenção comandante, passageiros, tripulantes, curiosos de plantão, seres viventes em geral: esta que vos fala ODEIA com todas as forças a expressão "balada". Processarei toda e qualquer pessoa que diga que me viu usando essa expressão (a não ser nos casos em que a subscritora desta esteja tentando traduzir/expressar situações específicas...)
Hehehe...lembram quando essas coisas chamavam "danceterias"?

Era um inferninho dark mesmo, mas eu tb nunca fui (tenho um amigo que morava lá e outro dia disse que fazia questão de ir para o tal CC com uma camisa AMARELA só pra destoar da moçada dark...
Alvorada em Registro é ótimo...Mas tá mais pra casa de samba do que inferninho dark...embora possam ser dos mesmos donos...fui...

Last but not least: vcs estão fazendo eu ficar com vontade de ir pra Paris...estou começando até a fuçar passagens...

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Bom, deu pra entender que eu estou brincando aí em cima né? bjs

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Hehehehe, deu sim, Flá. smile Ó, vou me vingar: eu odeio o termo "ja é" que vocês usam demais. Má me deixa os "sistema nervoso", bella. Kkkk!

Super obrigada pela paciência de procurar um link para a tal buátch para nós que não conhecemos. Gente, o Ronald Biggs tinha sociedade nisso...

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

aliás, eu também estava brincando sobre o "já é", espero que tenha dado para perceber.

besos

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Vamos fazer uma "pressão em massa no wordpress"
para criarm uma CARINHA : É BRINCADEIRA , eu quero usar ela
vaaarias vezes por dia aqui smile

Juan Antonio
Juan AntonioPermalinkResponder

Na España os churros também podem se comprar em formato de roda, ai voçe pode escolher levar a roda inteira pra casa ou pedir que seja cortada porque é mais facil de transportar

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Sylvia, acho que vou contratar meu bofe pra criar a carinha do "é brincadeira". Ele cria emoticons absurdos e feios e jura que isso >~~xxXXXXXxx~~ ~~~xxXOXOXOXxx~~~< é abraço com beijo...

Pra mim parecia um esqueleto de peixe, mas fazer o que?

E zente, não fiquem brabos com meu comentário bobo: mas esse churro longo non-stop parece uma tripa, não?

Esteva
EstevaPermalinkResponder

Olá!
descobri hoje o teu blogue e estou a gostar bastante! Quanto aos churros enrolados em espital, penso que é o que aqui em Portugal se chama FARTURAS, pulverizadas com açúcar em pó e canela depois de quentes - uma delícia!

Bjs

henrique
henriquePermalinkResponder

Riq

sou das "mooca, belo" e vou ao Toninho desde criança. Posso dizer que ele até modernizou o local - essa coisa de refrigerante é recente -, mas ainda é delicioso acordar cedo (ou ir antes de dormir) comer os churros fresquinhos. Nem pense em levar pra casa (heresia!) porque ficam murchos e quando frios não têm a menor graça.

Ah, dei um pulo rápido no Panamá. Tem fotos lá no blog e no Flickr.

[]s

Henrique

Pilar
PilarPermalinkResponder

Nasci e morei no Bras até minha juventude, no Brás haviam muitas churrarias, na rua carneiro leaõ, na rua caetano pinto, na rua visconde de parnaiba , os chorros sempre foram os mesmos , churros Espanhóis , aquelas rodelas grandes, ou vendiam em pedaços.
Nunca ouvi dizer que churros se come com refrigerantes ou chocolate, o churro é acompanhado com café com leite . Esse é o certo , churros com café com leite. E esse negocio dizer que aquela outra massa recheada com creme é churro , é pura mentira só se for na china. No momento a unica churraria que existe e que é bem antiga tambem é a do Sr Toninho, da Rua Ana Neri , ainda bem que ainda existe a churraria do Sr Toninho. Sr, Toninho Parabens pelos deliciosos churros. um abraço.
Pilar.

Marceloooo &raquo; Blog Archive &raquo; Comitiva Sampa - Churraria do Toninho

[...] depois do Opcao bar, demos um pulo na Churraria do Toninho (churraria da mooca), nossa, como estava bom. como de praxe o proprio toninho fica lah fazendo as [...]

tetel
tetelPermalinkResponder

com relação ao pastel de bertioga a filial fica na senna madureira mas mudou de nome pra pastel croc mas continuam delicioso vale a pena conferir

Joana T
Joana TPermalinkResponder

Hummm... parecem deliciosos!!! mas quanto custa tudo isso??? huahuahua

Saty
SatyPermalinkResponder

Adoro todo tipo de guloseimas e esses churros parece deliciooosos, pena que o lugar seja um pouco distante...

Gosto muito dos doces da Pâtisserie Mara Mello.....hummm e a Doce Mania então!!! Bom preciso mesmo ir conhecer os churros que o Sr. Toninho preprara. Mas bem que ele podia abrir próximo ao Paraiso ou V.Mariana neh!!!!!!

Edson
EdsonPermalinkResponder

Infelizmente fechou. O "seu" toninho está acamado. No local acho que agora teremos um despachante. um apena.

antonio xavier

Tudo que é bom dura pouco, seu Toninho saiu de sena e entrou na historia. Antonio Xaier vendedor de churros na cidade serrana de Mulungu Ce.

carlos roberto rejes

BOM MUITO BOM CHURROS A CARA DA MOOCA

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Cancelar