Na carona da Lucia: Amazonas

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

    tefe400.jpg

A Lucia Malla postou um desafio no seu blog que eu não saberia responder. Esse prédio é uma instalação militar em Tefé, no meio da Amazônia -- e acabou servindo de gancho para um post interessantíssimo sobre os costumes de uma cidade à beira do Amazonas.

Tefé é a porta de entrada para a reserva Mamirauá, onde fica a recomendadíssima ecopousada Uacari. A Lúcia promete falar em breve sobre a sua experiência por lá. Oba!

17 comentários

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Riq, ela tem uns textos ótimos.
Este aqui, sobre o gato dela que viajou meio mundo, é demais.
http://www.interney.net/blogs/malla/2006/11/06/um_gato_pelo_mundo
Infelizmente não encontrei onde comentar lá.
Viu, bicho também passeia! smile

Lucia Malla
Lucia MallaPermalinkResponder

Antes de mais nada, Ricardo, obrigadíssima pela honra da lembrança! Mamirauá deve vir na sequência, se a minha bagunça pessoal no momento deixar.

Mô, o blog q está linkado no post do Ricardo era para ser segredo até setembro... Por isso os comentários estão fechados, pq ainda não "inaugurou". Mas de qqer forma, como o Ricardo espertamente já o encontrou (e linkou!!! Ricardo, como vc descobriu??), eu mexi os pauzinhos e abri os comentários - espero q o "chefe" não descubra, ahahhahaha!!!

Se quiser, pode comentar lá agora, está tudo aberto. smile

Beijos!

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Lucia
tenho um amigo estrangeiro querendo conhecer a Amazônia. O que vc recomenda para ele a partir de Manaus? Quantos dias?
Obrigada!

Ricardo Freire

Cristina, também quero ouvir a opinião da Lucia, mas vou entrar de enxerido... o único hotel de selva em que me hospedei foi o Ariaú, e não gostei nem um pouquinho -- tinha plantas de plástico nas passarelas e decoração ultrabrega (muito além do naïf!). Gostei dos passeios (com exceção de um, que levava a uma aldeia "fake") e da comida. As últimas notícias que tenho é que as passarelas foram... concretadas!

Já ouvi falar muito bem dessa pousada Uacari que a Lucia deve ter visitado. Como ecoturismo sério, tem todo o jeito de ser o melhor da região. Mas o acesso é difícil e, fora de grupos, deve ficar caro. http://www.uakarilodge.com.br .

Uma amiga esteve recentemente no Tiwa, que é de holandeses e fica meio que em frente a Manaus, na outra margem do Negro, e gostou bastante. Não é brega, oferece os passeios pela mata e parece a melhor opção para quem tem poucos dias à disposição. http://www.tiwaamazone.nl/portugees/frameport.htm

Outra alternativa que eu tenho muita vontade de testar é o barco Iberostar, que faz cruzeiros de 3 e 4 dias pelo Amazonas e pelo Negro.
http://www.iberostar.com.br/amazon/

Lucia Malla
Lucia MallaPermalinkResponder

Ricardo e Cristina, eu fiquei na pousada Uacari, sim, e gostei bastante. É meio complicado para eu julgar os passeios, pq como bióloga, qualquer matinho me encanta - a Amazônia então, nem se fala... O fato é q eles têm um esquema extremamente ecoconsciente. Tudo é pensado de forma harmônica com o ambiente (lixo, consumo de água, comidas, etc.). E como a pousada é mantida pelo pessoal da comunidade local, há um benefício direto aos ribeirinhos. Um projeto de desenvolvimento sustentável bem bonito.

Quanto à hospedagem, a primeira sensação q eu tive foi de estar na Polinésia Francesa versão jungle, pois os bangalôs lembram isso. Os quartos são ajeitados, a comida é eficiente (com sucos da região), e em geral, os gringos gostam bastante. Há um número limitado de visitantes por vez, então nunca está super-cheio e os passeios podem ser bem-aproveitados. Há inclusive uma trilha feita à noite, que é um barato para ver aranhas. Os guias principais são biólogos que entendem da fauna e da flora local, dão informações ótimas e falam um bom inglês.

O acesso lá é complicado, mas tudo pode ser arranjado diretamente com a pousada via site. Eles fazem pacotes fechados de 3, 4 ou 7 dias, e é tudo muito organizado de acordo com o horário do barco que leva para a pousada - o traslado é de cerca de 1h de Tefé até a pousada. Eu confesso q o preço é salgadíssimo para padrões nacionais (chorei um descontinho e consegui, mas não muito), e eles deveriam pensar em diminuir um pouco, mas acho q vale a pena se vc curte floresta, verde, paz, descanso. Vc vai ver bichos, vai vivenciar o ecoturismo e um exemplo de desenvolvimento sustentável q deu certo. Mas é claro, vc nunca pode esquecer q está no meio da floresta e certos confortos devem ser abdicados. Não há internet nem televisão, por exemplo, mas há água quente, gerada a partir de energia solar. Mas aí você pensa: se até o Bill Gates curtiu quando lá esteve, por que eu não curtiria? wink

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Puxa, outro dia eu estava conversando sobre Amazônia e hotéis de selva com alguém que estava me perguntando sobre o Ariaú. Eu repeti os comentários do Riq e falei que, se um dia fosse para lá, o que gostaria muitíssimo, eu iria para Mamirauá, ficar na Uacari.
Obrigada, Lucia, vou ficar de olho!

Lucia Malla
Lucia MallaPermalinkResponder

Outra coisa: se você não curte insetos... não vá. Eu ouvi falar q em outras pousadas da região eles protegem ao máximo para não ter insetos dentro da pousada, e com isso ganham clientes, mas na Uacari não é bem assim, porque eles querem q vc tenha a real vivência da mata. O máximo q tem de proteção é a tela normal e luz anti-inseto. Mas não tem muito mosquito para irritar, são mais aqueles insetos exóticos mesmo, super-fotogênicos. Eu adorei! smile

Cristina, acho q o pacote de 3 dias para seus amigos é o suficiente. 4 dias pode até ser bom, caso não queira assumir riscos de perder passeio por causa do tempo (já que chove muito por lá). Mas 7 acho meio demais, a não ser q vc tenha um objetivo profissional. Disse nosso guia q o pessoal da BBC esteve lá por 15 dias filmando para um documentário - nesse caso, acho q vale a pena, mas não pra turismo apenas.

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Eu sou de Manaus, e diria tudo exatamente como a Lucia comentou acima ! A Uacari sem duvida é melhor pedida pra um turismo ecologico de VERDADE ! QUem não for assim "tão ecologico" e quiser ficar mais proximo de Manaus eu recomendo o Tiwa.

Qdo trabalhei na Secretaria de Turismo de Manaus eu visitei varios hotéis de selva (não fui em todos pq seria impossivel). O Ariau é o que eu passo LONGE, tenho pavor daquele lugar, além de ser cafonissimo (rs). Pra quem não tem grana pra pagar o Iberostar (que é carissimo!) e quiser ficar num hotel flutuante que parece um navio, pode ir pro Jungle Palace.

Em Manaus eu soube que agora abriu o primeiro Albergue, não sei qual endereço, mas li matéria no jornal local. Eh uma pedida pra quem quer se hospedar gastando pouco e não ficar nos "muquifos" do centro da cidade. Ha também a Hospedaria 10 de Julho, quase em frente ao Teatro Amazonas, que foi reformada recentemente.

Hotel, hotel, daqueles com serviços e tudo o mais, eu diria que o melhor é o Tropical Business (a vista, serviço e a piscina são maravilhosos !!!) e ha também o Manaus, que fica dentro do Millenium Shopping na avenida mais movimentada da cidade.

Sobre mosquitos: eles são sempre presentes na região do Rio Amazonas, então os hotéis de selva dessa area sempre terão mosquitos. Ja no Rio Negro, devido o Ph da agua, ja é mais dificil ter mosquito. Porém em ambos os lados é bom levar um repelente. E na época das chuvas (de novembro a maio) ter cuidado com o mosquitinho da malaria depois das cinco da tarde.

Marci Carvalho

Sou de Manaus e conheço o Tiwa. É uma boa pedida pra quem quiser ficar perto da cidade. No final de semana, você pega o barco, participa de uma festa bem regional e volta no dia seguinte. Show!

Djalma Pinheiro

Oi Lúcia!

Sou tefeense nato. No entanto estou afastado de minha cidade desde 1964. Estive lá, poucas vezes depois de meu afastamento retro aludido. Porém, morro de saudade, principalmente quando vejo fotos de lá. E essa que agora vejo, ou seja, do antigo seminário, me fez voltar ao passado, pois foi naquele estebelecimento que obtive a base de todos os ensinamentos que me me fizeram alcançar o que sou hoje. Além do que, veio a tona, a emoção de rever aquele local que é a cara de minha cidade natal - Tefé.
Parabéns pela iniciativa.

Meus parabéns pela iniciativa

Macuiama
MacuiamaPermalinkResponder

É muito interessante falar de Tefé. Mas, gostaria de informar a quem acessa este blog, que a foto acima, não é uma instalação militar e sim o Prédio do Seminário São José.

Dennes
DennesPermalinkResponder

Estou em Tefé no momento, justamente prestando serviço para a Mamirauá, farei algumas palestras sobre tecnologia por aqui e claro irei visitar a reserva - mais uma vez, já fui ano passado.

Ninguém comentou o belo bichinho de estimação que eles tem na pousada Uacari, nem a abundância de peixes e botos, mas estes muito rápidos e são necessárias câmeras para filmar...

O peixe-boi, que quando eu vim ano passado era filhote e estava sendo alimentado de mamadeira em um dos flutuantes (peixe-boi adora que cocem sua barriga, ele até vira de barriga para cima para facilitar) agora foi transferido para a um grande tanque na reserva de Amanã, mais distante que Uacari.

Semana que vem tem uma festa da castanha em Tefé, a cidade está agitada porque vem ai o grupo Calcinha Preta.

Uma correção importante no texto, que só descobri quando vim aqui para a região : A cidade não fica a beira do Rio Amazonas, isso porque o rio Amazonas não existe aqui. Existe uma bacia amazônica formada por inúmeros rios, entre eles o Solimões (perto do qual está Tefé) e o Rio Negro. O rio Amazonas apenas começa em Manaus, no encontro das aguas entre o Solimões e o Rio negro, sendo este encontro das águas famoso pelo fato de águas de colorações totalmente diferentes não se misturarem.

Por fim o rio Amazonas desemboca no mar em Belém do Pará, onde temos mais um encontro das águas, entre o rio e o mar, desta vez um encontro agitadissimo que forma a famosa pororoca e atrai muitos surfistas.

[]'s

Dennes

Dayana E KikoO

Oiee!
Eu sou caboquinha do Am e moro em Tefé
pra quem quizer conhecer... aqui é muitoO legal
ñ é como todos de fora falam ñ
aqui ñ tem so bichos, mata e indios ñ.
aqui é sim é cidade boa de se viver
eu tenho uma irmã q casou com um Mineiro
e quando ela foi conhecer a cit dele
os amigos dele ficaram bagunçando com ela
perguntando dela se ela tem uma canoinha
e se ela anda no meio dos bichos aqui
fala serioO!!!
aqui é uma cit como qualquer mais so q menos desenvolvida
aqui é todo mundo pode até ser indioO mais é aqui q esses
granfinihos de cidade grande vem ganhar dinheiroO
e os q ainda ñ conhece Tefé
aqui tudo é maravilhoso ñ sairia daqui por nada
aqui é a cidade maravilhosa...
BjuÛ

Delson Mota
Delson MotaPermalinkResponder

Olá,

Sou Tefeense, adoro esta cidade maravilhosa. Para quem quizer conhecer um pouco mais dela, acesse o site www.eganet.com.br.

Abraços

Raul Reis
Raul ReisPermalinkResponder

Olá Lúcia!!!
O meu irmão é da Marinha. Foi designado para servir em Tefé.
Apartir dai fiquei curioso. Vc tem fotos da Cidade,ou me indica algum Site???
Valew,Abraço!!

lucilene
lucilenePermalinkResponder

10.03.2011
.oi.jente.boa.de.tefe.meu.nome.e.lucilene.moreira.moro.em.manaus.am.a15.anos.mas.naci.e.micriei.em.tefe..amo.esa.cidade.porke.a.mihna.familha.kerida.mora.nesa.cidade.maravilhoza.ke.e.tefe.e.telho.muitas.lenbransas.maravilhozas.de.tefe.o.mel.espozo.e.daki.de.manaus.pouco.vol.em.tefe.mas.mato.a.saude.vendo.as.foto.dessa.linda.cidade.de.tefe.telho.muita.vontade.de.mora.em.tefe.poren.meu.esposo.nao.tem.porke.a.cidade.e.pekena.e.porke.polcos.sao.os.recusos.amo.a.natureza.os.che.aciros.das.plantas.amigos.de.tefe..leia.essa.mensagen.e.men.dega.ok.voce.achou..valeu.abrassos.tefe.emssed.assenaso.lucelene.moreira

Jorge
JorgePermalinkResponder

A foto que aparece não é de nenhuma instalação militar, como dito em um comentário. Trata-se da seda da prelazia de Tefé,AM. Prelazia é uma circunscrição eclesiástica. Enfim, é a sede da Igreja Católica em Tefé.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar