Quase em primeira mão: As Doceiras

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Quem mandou dormir no ponto? O Marcelo Katsuki acabou publicando primeiro o hilário vídeo de divulgação d'As Doceiras, o novo livro de receitas da minha amiga Carla Pernambuco, criado em parceria com a talentosa colega Carolina Brandão, e com textos engraçadíssimos de outra amiga querida, a Tetê Pacheco (que escreveu o roteiro do vídeo).

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=2xVZed9bBYU]

A noite de autógrafos vai ser dia 28, às 18h30, na nova Livraria Cultura do Conjunto Nacional. (Ei, será que a Tetê vai assinar junto?)

28 comentários

Rodrigo Purisch

O Marcelo agora tem até Podcast. Eu bato ponto lá, anonimamente, dia sim e dia não.

Comunidade,

Gostaria de uma informação:

Tenho um a Tia (por volta dos 50 anos) que não sabe se comunicar em outra língua que o português. Ela está ameaçando, junto com uma amiga, fazer um pacote rodoviário em dezembro do tipo 6 cidades mal vistas em 12 dias (passa apenas 1/2 dia em Veneza....). Tudo para ter um guia por perto, já que morre de medo de se perder e morrer de fome....

Alguém conhece empresas que realizam turismo receptivo na Europa em português? Dessa forma ela poderia adquirir uma passagem e visitar 3 cidades apenas (Madri/Barcelona/Paris ou Roma/Florença/Veneza + Paris ou Madri) e contar com um guia (mesmo que dentro de um outro grupo) fazendo os passeios e dando suporte nessas cidades. Financeiramente vale a pena essa estratégia ou ela está fadada a conhecer o ônibus melhor do que as cidades "visitadas" na Europa?

Beto
BetoPermalinkResponder

Isso é praticamente uma reinvenção do pastelão. A Marisa tá fulminante. De-mas... Esse povo é de agência?

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Rodrigo, o melhor a fazer é sair com um grupo de Portugal.
A melhor forma de encontrar esse grupo é pesquisando os
operadores na Rotas & Destinos , a excelente revista portuguesa de
viagens www.rotas.xl.pt .
Podes tambem olhar diretamente nos sites :
http://www.abreu.pt/
http://www.halcon.pt
http://www.soltropico.pt/
http://viagens.elcorteingles.pt
http://www.iberojet.pt
http://www.taptours.com
Existem otimos programas , é só pesquisar smile

Ricardo Freire

A Tetê é redatora de publicidade, sim, Beto, e das ótimas.

Ricardo Freire

Bem pensado (como sempre), Sylvia!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Que é que eu faço Riq ?
Aonde vou achar um bolo assim com muuuito merengue a essa
hora ? Alguem ai me manda um pedaço por Sedex ? :roll:

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Sylvia:
Vou fazer uma confissão: cada vez que vc dá um conselho, ou a sua opinião, eu fico aqui matutando: mas como é que ela consegue ter cada idéia dessas?

Espero que vc ache seu bolo com merengue logo...
Beijos

Beto
BetoPermalinkResponder

Flávia, a Sylvia é a peste...

Diogo
DiogoPermalinkResponder

A-do-ro a Carla Pernanbuco.

O Carlota tá entre faz parte dos meus Top5 no mundo!!! Juro, não é exagero...

Rodrigo Purisch

Sylvia,

Obrigado pela dica!

Já tinha pesquisado na Abreu e na LusaNova, mas as ofertas se resumem até outubro. Os demais programas de inverno (lá) tem guia em espanhol....

Já olhei nesses links, mas na sua maioria tem programas para cidades litorâneas, África ou Ilhas Portuguesas. Nada de roteiros de 3 dias em uma cidade. Quando acho um roteiro envolvendo mais de uma cidade, ele fica no máximo um dia e uma manhã em cada...

Acho que teria a mesma dificuldade se estivesse procurando um pacote para visitar Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro saindo de BH.

Fazendo essa pesquisa para ela, dá para concluir que um turista sem prática de viagem ao exterior e com pouco domínio de línguas vai ficar mesmo condenado aos pacotes tudo em um (tudo visitado e nada conhecido ou vivido).

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Rodrigo:

Se é a primeira viagem delas à Europa, sugiro começarem por Portugal e depois Espanha (ou Lisboa-Madri-Barcelona, para ficar em três cidades). Como turista, dá para encarar espanhol e se divertir. Assim, daqui a algum tempo, elas se aventuram em outras línguas, mesmo sendo monoglotas.

Meus tios não falam nada além de português e parcas noções familiares de italiano; mesmo assim, depois que começaram a viajar pela Europa (eles costumam ir a cada dois anos), aprenderam que sorriso e dedo indicador são linguagens universais; informações seguras quanto a caminhos e transporte público você consegue com um mapinha em mãos, perguntando na recepção do seu hotel; guardas e senhoras de idade também ajudam se você tiver um mapa e indicar onde quer ir; menus turísticos (apesar de não serem a melhor opção) têm fotos que podem ser apontadas, e assim por diante. Basta ter coragem e se aventurar (e ir com tudo planejado, principalmente os hotéis, com endereços anotados para mostrar no taxi).

Outra sugestão, se elas tiverem tempo, é fazer um curso de língua-para-turistas antes de viajar, tem escolas que fazer cursos bem curtos, apenas para dar uma noção do vocabulário básico necessário para sobrevivência.
Boa sorte para elas, e boas viagens!

Rosa
RosaPermalinkResponder

Rodrigo, eu tenho 45 e o meu marido 62, só falamos o português, mas já fomos para Miami e Nova York 02 vezes, Santiago, Buenos Aires, tudo com a cara e a coragem. Sem agência, tudo por nossa conta, andando, pegando ônibus, trem, metrô, van, barco e por ai vai. Estamos programando Europa e vamos começar por Portugal e Espanha, justamente pela facilidade da comunicação, mas não vamos parar por ai não. Nossa lista é enorme, tem Paris, Praga, Londres... Quando o financeiro permitir ... e a saúde estiver ok, ganhamos o mundo. Acaba sendo bem divertido. Diz a sua tia que um guia em espanhol resolve bem a situação.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Sabem o que acontece ? É condição primeira ter como caracteristica
" ser pró ativo " para viajar sem guia , a segunda condição é possuir
uma personalidade que encara desafios sem medo e stress.
Falar outra lingua é um acessório desejável mas não imprescindivel .
Possuindo estas caracteristicas o viajante mais maduro tem chanches
maiores de atingir os objetivos do que viajantes adolescentes com
menos maturidade emocional e experiencia.
Ou seja , turistas com mais idade no calendario e empreendedores
atingem seus objetivos pontuais com mais eficacia do que os jovens,
devido ao somatorio da experiencia e do auto conhecimento.
Os mais jovens possuem a energia e a audácia mas tendem a serem
apenas eficientes .
PS_ Eficiente é fazer certo as coisas ;
Eficaz é fazer certo as coisas certas lol

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Rodrigo :
Dá uma olhada aqui :

http://www.edreams.es/
Podes refinar a pesquisa , tudo o que existe está ai .
http://www.edreams.es/edreams/espanol/cmt/index.jhtml?SOPSNB=50&PAGENAME=CIRCUITOSEUROPA
e
http://espanol.mayorista-viajes.com/destinos/europa/index.asp

e a lista de todos com catalogos ( este tem tuuudo )
http://www.webviajes.com/Mayoristas.htm

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

O vídeo está, como diria o Riq, djilícia!
Mas Sylvia, vc é melhor ainda!!!! lol

Daniela Siqueira

Rodrigo,
Quem sabe um roteiro melhor, saindo com guia do Brasil, não dá à sua tia confiança pra voltar depois com a cara e a coragem? Às vezes, perdendo a "virgindade" de viagens internacionais, as outras ficam mais fáceis. A pessoa tem que experimentar na pele que, de verdade, a mímica é a linguagem universal, e ela não vai ficar perdida no mundo. A globalização é fato, mas tem que ser sentida na pele pra fazer efeito (tranquilizador). Algumas excursões que saem do Brasil não são tão corridas, o problema é achá-las (e elas tendem a ser mais caras). Vão me bater, mas quando fomos à Rússia, fomos de excursão, e não é que gostamos? Fomos de Queensberry, e achamos a distribuição de tempo bem racional (depois de pesquisarmos muito outras operadoras). O site é www.queensberry.com.br e os grupos brasileiros no mundo (nome feio!) são grupos já fechados do Brasil - e o guia acompanha até a parte aérea (eu também tenho um tio, que só animou a viajar depois que eu contei isso pra ele - ele ainda não foi, mas já animou com a idéia de ter uma rede de segurança lá fora). Olha essa: http://www.queensberry.com.br/(S(m4v3oc55fd5jcu45zob24g45))/exibe_roteiro.aspx?idrot=78&titulo=Europa:%20Europa%20Central#null
Cê não falou a época, então não sei se serve (algumas saídas já estão lotadas). Que bom que sua tia está animada!

Daniela Siqueira

Oops, o link pra excursão não funciona aí em cima, mas é só copiar e colar, que eu juro que é link certo wink

Tetê
TetêPermalinkResponder

Ei, que baita honra ser citada no blog do cara que eu mais admiro depois do inventor do decoe de leite. O-brigada. bjs

Tetê
TetêPermalinkResponder

Eu quis dizer doce de leite.

Rodrigo Purisch

Jurema, Rosa, Sylvia e Daniel: Obrigado!

Sylvia você tocou no ponto: turista pró-ativo. Minha mãe fala um inglês sofrível (onde só existe o tempo presente), mas com suas caras, bocas, gestos e sorrisos já viajou por meio mundo. Mas minha tia tme muita vontade de ser pro-ativa, mas um medo maior ainda de errar. A língua não é uma barreira intransponível, mas esse medo comum dos turistas do desconhecido (é esse sentimento que me dá mais vontade de viajar) é.

Vou olhar nos links que você passou. Estava pensando em algo para "mayoristas"poderia ser uma solução.

Daniela,

Eu já tinha pesquisado no site da Queensberry, mas os grupos para brasilerios na Europa não estão disponíveis para dezembro.. Fui lá com essa mesma idéia sua. Paga-se mais pelo apoio e depois começa a andar pelas próprias pernas.

Jurema,

Minha idéia era Madri, Barcelona e Paris, já que elas vâo ficar uns dias com uma amiga que mora em Portugal. Só tenho minhas dúvidas se elas vâo pescar algo em espanhol. O espanhol falado na Espanha é muito rápido comparado ao do México e portunhol não ajuda a comunicar lá.

Vou continuar nas pesquisas

Lena
LenaPermalinkResponder

Rodrigo,

tem algumas tripulantes portuguesas aqui no site que talvez possam te dar dicas de receptivos em portugues na Europa.

Não sei qual é o desejo da sua tia. Se ela já sabe quais são as cidades que quer visitar ou o desejo é dar um giro pela Europa mesmo. Dê uma olhada neste site: www.viabrturismo.com.br/pacotesinternacionais/europa/circuitoseuropa/europa_circ6.shtml
Apesar de ser um pacote, acho que é menos corrido do que o mencionado por você.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Rodrigo smile isso mesmo ! O desejo do desconhecido que nos move é
o mesmo que impede a outros de ir adiante.
Tempos atras um amigo me confessou o medo paralisante que possui
do "desconhecido " , e apesar de viajar muito , raramente ousa lugares
diferentes já que o medo imobiliza .
E olha, não estou falando de lugares exóticos , mas de trocar NY por
Boston ou Chicago , de trocar Londres por Berlin .
Noossa !! Como deve ser dificil sentir medo do que não conhecemos .
E como é maravilhoso ter o desconhecido como motor para ir em frente .

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Sylvia mandando muito bem, como sempre smile Nas palavras e na ajuda ao Rodrigo.
Rodrigo, muito legal o que você está fazendo pela sua tia. Você está criando o comichão viajante em mais uma pessoa grin
O seu comentário sobre sua mãe é muito parecido com o que eu faria sobre o meu pai: ele também só falava português, mas tinha uma super habilidade para se comunicar. Só um exemplo: eu me lembro uma vez em que estávamos em um mercadão na Alemanha e nos perdemos dele. Fomos encontrá-lo numa barraca de frutas (como sempre...), no maior papo com um turco :!: grin

Daniela Siqueira

Sem dúvida que a vontade de explorar é mais importante do que conhecer línguas. Juntando os dois, melhor ainda. Eu adoro aprender uma língua nova, acho que abre todo um novo mundo de cultura e literatura. E quando a gente viaja pelo lugar é mais legal ainda, casar viagem e exploração da língua (com sotaque, lógico, porque a gente não é agente secreto, como diria o Luiz Fernando Veríssimo). Por outro lado, conhecer um país sem saber a sua linguagem só faz a gente animar mais em conhecê-la depois. Mas não é essencial - e eu já cheguei à conclusão que língua universal mesmo é a mímica. wink
Mas o imprescindível é a vontade de conhecer o desconhecido, o que nos impulsiona. Nem que seja pra conhecer a aldeia do lado, sem necessidade de língua diferente, ou passaporte.
E às vezes o que a pessoa precisa é só de um empurrão - ver que pegar avião é tranquilo, que ninguém vai deixar ela entrar no avião errado, que hoje se liga pra qualquer lugar na hora, e cartão de crédito funciona pra quase tudo. Daqui a pouco, a tia do Rodrigo perde o medo inicial, e estará rodando pra todo canto!
(e lá vou eu pra Tailândia sem saber uma palavra - estou me preparando pra me sentir uma analfabeta) smile

Rodrigo Purisch

Daniela,

Com inglês na Tailândia consegue-se tudo. Eles são muito prestativos. O problema é que alguns poucos fingem querer te ajudar a fim de te levar a alguma loja. Mas isso é outro assunto.

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Bom, quanto a me sentir analfabeta, a pior experiência foi em São Petersburgo, com aquelas letras esquisitas nas placas da rua (até ia, tínhamos o nome nos guias - apesar de que haviam dois nomes possíveis, antes e depois do fim de "Leningrado"), nas placas dos ônibus (isso sim era difícil, pois você tinha que ler correndo porque a decisão sobre tomar aquele ônibus ou não tinha que ser tomada rapidamente), só jovens falavam inglês, atrações turísticas sem "tecla sap", menus em inglês dizendo coisas explicativas como "prato com carne", acompanhado de fotos praticamente iguais de todos os pratos... Foi uma das nossas viagens mais inesquecíveis! E aproveitamos muito! E rimos mais, nos divertimos mais com cada bola fora, e nos alegrávamos mais com cada bola dentro.
Nada como se jogar no desconhecido e buscar "novos mundos"!

Paula
PaulaPermalinkResponder

Essa Tetê é a mulher do Sérgio Dávila?
Se for, tenho uma invejinha dela.... Só que essa não é da inveja boa, viu, Sylvia?

Ricardo Freire

Ha ha, Jurema! O começo do seu comentário parecia a descrição do inferno. E daí você emenda "Foi uma das nossas viagens mais inesqueciveis!". Tô contigo! Quando a gente não perde dinheiro nem se machuca, os foras serão eternamente divertidos!

Paula, a mulher do Sérgio Dávila é a querida Teté (Ribeiro). A co-autora do novo livro da Carla e da Carol é a querida Tetê (Pacheco). (Espero que a reforma ortográfica não acabe também com ESSE acento diferencial!)

:mgreen:

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar