Tremenda saudade

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

utrema.jpg

Minha crônica de hoje no Guia do Estadão.

Ando intranqüilo, desmilingüido. Não sei se agüento. Desculpe a rima, mas talvez precise de um ungüento. Com freqüência tenho sonhado com pingüins bilíngües e eqüinos grandiloqüentes. Achava que não teria maiores conseqüências, mas agora tenho medo de seqüelas. Você já viu os sagüis da Anhangüera? Os seqüestradores foram alcagüetados por delinqüentes que gostavam de lingüiça.

Desculpe. Eu sei que nada disso faz sentido. Mas é que não tenho muito tempo. Preciso gastar meu estoque de tremas até o fim do ano. Em 2008, dizem, uma reforma ortográfica abater-se-á (mesóclise proposital: deixa o assunto mais pesado) sobre nossos teclados, exterminando o trema do lado de cá do Atlântico. (Em Portugal já não existe há muitos, ahn, qüinqüênios.)

Originalmente, essa reforma serviria para unificar a grafia do português em todos os países. Balela. Mesmo que Portugal venha a adotar a nova regra – o que não parece muito provável – muitos acentos continuarão a embarcar agudos em Lisboa e a desembarcar circunflexos em Cumbica. Questão de gênero – ou de género, entende?

Muitos portugueses, de fa(c)to, não querem abrir mão de suas consoantes mudas. E se todas caíssem, seriam criadas novas palavras com grafias diferentes aqui e lá. Por exemplo: enquanto no Brasil continuaríamos a fazer nosso check-in na recepção, em Portugal precisaríamos nos dirigir à receção.

Prepare-se para mais caos aéreo: se não bastassem todos os problemas, a partir do ano que vem vôo não vai mais ter acento. O que é um perigo – desde o primário eu sei que é aquele chapeuzinho que faz o avião planar.

Ah, sim: vai mudar também a regra do hífen. O que não deve fazer diferença nenhuma, porque ninguém sabia a regra antiga, mesmo. Mas fico feliz em saber que a primeira proposta do Houaiss (sim, tudo começou com ele; por isso continuo fiel ao Aurélio), que recomendava que escrevêssemos "sulafricano" e "malumorado", acabou não vingando. Ufa.

Cheguei a pensar em fundar uma resistência a essa reforma inútil, mas sei que sou voto vencido. A abolição do trema encontrará tanta aprovação popular quanto a abolição da escravatura. Pouca gente percebe que, se escrever vai ficar mais fácil, ler vai ficar mais difícil.

Aos fetichistas dos dois pontinhos pairando sobre a vogal, resta-nos o consolo de que o Houaiss não conseguiu abolir o trema em outras línguas. Vou ler Anaïs Nin. Ver fotos da nova Übermodel. E descer na estação Argüelles em Madri.

54 comentários

SandraM
SandraMPermalinkResponder

Mas não é simpático poder acolher o k, o w e o y??
Qdo criança sempre me incomodou o fato da primeira letra do nome da minha linda cachorrinha não estar no alfabeto.
Sempre achei discriminação!
Bjs a todos,
Bom dia!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Resta-nos um consolo :
O nome do nosso bb belga continuará sendo Gabriël com trema lol

Risa
RisaPermalinkResponder

Eu sou a favor. Tremas, acento agudo, acento circunflexo, hífen, podem varrer tudo. Pra que complicar, se pode simplificar? E a tal da crase? Pelo amor de Deus...

marcio
marcioPermalinkResponder

Coitada da trema, eu não sabia disso!!!

Como nós vamos agüentar tal mudança? Assim não dá para ficar tranqüilo. Rsrsrsrsrsrs!!!

Mais um belo texto!!!

Abs!

Hugo
HugoPermalinkResponder

Já faz uns bons anos que não uso trema. O restante da acentuação vai necessitar de um período de adaptação, mas a trema, para mim, não fará diferença alguma.

Caroline®
Caroline®PermalinkResponder

Deus nos defenda do fim dos acentos! Como bem disse o Riq, a leitura vai ser um caos (esta palavra tá na moda...) Como vamos diferenciar - automaticamente - o "para" (do verbo parar) do "para" (a preposição), por exemplo????? Deixem os acentos onde eles estão!

Alessandro
AlessandroPermalinkResponder

Pois é...sempre defendi o trema e sempre continuava usando... Pelo menos aqui, tenho eles no teclado, automáticos wink

Fotografia Sobre Rodas

Era só o que faltava...

GiraMundo com Jorge Bernardes

Estou com a massa que não sentirá falta da trema.
Eu gosto do hifen ainda que eu não saiba usar direito. Do hífen, sim, sentirei falta.

Mas acho que o que vai mais me confundir é a regra nova de acentuação de paroxítonas com ditongo não sei o que mais... Eu li, não captei a regra e deixei pra lá.

E olha só, vôo, enjôo, etc sem acento circunflexo... chega a doer nos olhos.

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Riq, o texto tá liiiindo! O primeiro parágrafo tá um desbunde, e me apaixonei também pelos trechos sobre os acentos embarcando agudos e sobre o chapeuzinho que faz o avião planar... só você! Acho que essa também devia entrar pro próximo livro sobre as melhores crônicas wink
Nunca fui muito fã do trema, confesso; não me importaria com sua abolição. Mas tirarem os acentos... no way! Como disse o Jorge-Gira, vai doer nos olhos!
P.S.: E a conVnVenção de ontem??? Cadê as pictures?

Ricardo Freire

Nosso problema é que, ao contrário dos portugueses, NÃO SABEMOS quando se pronuncia o "u" ou não em diversas palavras.

Liquidação ou liqüidação? Antigüidade ou antiguidade? Birigui ou Birigüi? Acentuação existe para dirimir essas dúvidas. É chato para quem escreve (e os corretores automáticos estão aí para isso) mas uma bênção para quem lê.

Claro que vamos nos acostumar, como já nos acostumamos quando caíram os diferenciais em 71 (eu estava aprendendo a ler). Mas até hoje nos embananamos em alguns casos, como sede (antes também havia "sêde") e forma (antes também havia "fôrma").

Quando vocês começarem a tropeçar em frases que contenham, muito próximas entre si, palavras como Correia e Coreia, afoito e estoico, meia e ideia, estilingue e bilingue, lembrem de mim...

Mas como o futuro aponta para o poder ilimitado da expressão individual, sem a opressão dos revisores, acredito que cada um será dono de suas próprias regras no seu pedaço de ciberespaço.

Já decidi que, em nome da clareza, vou manter as regras antigas, até que pareça o vovô caduco do trema e do vôo...

marcio
marcioPermalinkResponder

Isso mesmo Mari, cadê (com chapeuzinho) os vídeos (com acento tbm) e as fotos e os casos, curiosidades, novidades. Cadê todo mundo que foi?

marcio
marcioPermalinkResponder

Aqui a sexta-feira está no fim (15h20) e ninguém contou nada!!!

Risa
RisaPermalinkResponder

Gente e os porques? Junto sem acento, junto com acento, separado sem acento, separado com acento. Nunca sei qual usar, coloco qualquer porque, por que o que importa é que o interlocutor entenda a mensagem, como a gente le as primeiras palavras e o restante vai fluindo, não vejo diferença, chega de regras. Com o tempo todos vão se entender. Uma palavra em ingles tem enes significados e todo mundo entende. A internet veio detonar com as regras gramaticais, deve ser ate um dos motivos para essas mudanças.

Dani Velloso
Dani VellosoPermalinkResponder

Tô morrendo de rir, acabei de mandar pro meu chefe: fã incondicional do trema!

Ricardo Freire

Mari e Marcio, o post da ConVnVenção só mais tarde... (ou amanhã...)

E aos que foram ontem: preciso de uma foto em que apareça a Karinissima! (Foi a única que eu não registrei.) Vocês me mandam? xongas arroba gmail ponto com .

Preciso também do nome do simpaticíssimo leitor carioca que não comenta e que apareceu lá!

GiraMundo com Jorge Bernardes

Leitor carioca de passagem por São Paulo: Edson.

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

por que separado sem acento = vc usa nas perguntas.

por quê separado com acento = nas perguntas, quando o "por que" está ao lado do ponto de interrogação

Porque = junto sem acento - nas respostas.

porquê - quando vc usa " o porquê" (porque = motivo).

Eu não tirei foto de ninguém, esqueci a máquina em casa...

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Flávia, não entendo o porquê d'eu nunca ter conseguido utilizar os porques de forma correta. E já devo ter errado kkkkkkk.

Quem tiver foto minha, por favor mande uma onde eu esteja BONITA. Kkkkkkk. Nada de mandar uma em que eu saí piscando e pareço mais gorda, táááá? Pelamor, né, cálegas.

Amei conhecê-los ontem!!! Mwáh!

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Nossa, Riq, realmente, como a Mari disse... Seu texto ficou LINDO. Pois eu concordo contigo: é o chapeuzinho do vôo que faz o avião planar. smile

Diego Dotta
Diego DottaPermalinkResponder

Não tema pela Trema Riq, ela será pequena perto das mudanças que você ainda presenciará na nossa escrita, espero que não morra do coração quando as abreviações cibernéticas receberem o visto de entrada.

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Que qüiproqüo !

Sylvia, EU ainda não acosyumei com o trema do Gabriël ! Mas sem trema eles o chamariam de GabrIl (sem o e)...

Ricardo Freire

Diego, é como eu falei -- eu acho que vai ser meio cada um por si. Vai ser uma questão de estilo. Tem gente que vai escrever encriptado e vai ficar bem. Outras vão continuar aproveitando tudo o que o alfabeto nos dá de graça.

Ana
AnaPermalinkResponder

Minha professora terrorista de gramática foi um trauma necessário... do contrário não lembraria dessas regrinhas impossíveis até hoje...

E pessoal, adorei ontem! Foi um imenso prazer conhecer os donos dos nomes por aqui...

bjs e bom final de semana pra todos!!!!

Patsy
PatsyPermalinkResponder

Adorei o texto, riq. Ótimo!!
Eu até gosto de alguns acentos, mas trema não uso, e o computador de casa é dos istates, e nem configurei, não tem acento e eu escrevo tudo errado, mato sem dó a língua com dentadas :mrgreen lol

Beto
BetoPermalinkResponder

Riq, já te mandei duas fotos com a Karina, bem gordona e piscante.

Jurema
JuremaPermalinkResponder

"Depois da criação da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), basta que três países aprovem algo para que o resto da turma seja "obrigada" a adotar o que os três aprovaram. Brasil, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde ratificaram o acordo, mas Portugal não o quer.
Isso significa que, se de fato entrar em vigor (não se sabe bem se em 2008, 2009...), o acordo pode simplesmente não "pegar", ou pode "pegar" só aqui, o que, francamente... (...)
Posto isso -e com o espaço quase no fim-, cumpre-me dizer que, independentemente da opinião/posição sobre o "novo" acordo, não se podem negar as dificuldades e os imensos transtornos que causa a entrada em vigor de um novo sistema ortográfico. Os sacrifícios (necessidade de habituar-se ao novo sistema, reedição de livros e enciclopédias, reformatação dos sistemas gráficos implantados nos computadores etc.) talvez valessem a pena se a reforma não fosse meia-sola (veja-se o que se fez com o hífen ou com os acentos diferenciais, por exemplo). "

É isso. Texto do Pasquale de ontem na Folha (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2308200704.htm , para quem tem Uol)

E viva o trema!!!
Ah, Riq, meu avô, até o fim da vida (há poucos anos), escrevia "êle", entre outras coisas. Seremos assim também!

Emília
EmíliaPermalinkResponder

Eu estava pensando exatamente nisso quando estava escrevendo o meu último post: coloquei o trema em 'lingüiça' e pensei que seria uma das últimas vezes a fazer isso. Eu estou na turma que vai sentir falta dela. Além de ajudar o leitor a entender mais rapidamente o sentido e a pronúncia da palavra, os acentos dão um charme extra à língua. Ou vão dizer que vocês não acham misteriosas aquelas línguas do leste europeu? razz :roll:
PS: Eu também tinha ficado indignada com o voo...

Lena
LenaPermalinkResponder

Adorei o texto e a sua explicação aqui nos comentários também smile

Meu teclado não tem trema. Quando eu configuro em Português para poder usar os acentos, fico sem a "interrogação"!! Aí tenho que ficar mudando a configuração o tempo todo !! É um teclado MALA!! evil

Não sabia que em Portugal não existia mais trema... Meu maior problema com o trema é o número 14. Eu falo "ca", mas não sei se o certo é "qua" (com trema) :roll:

…se escrever vai ficar mais fácil, ler vai ficar mais difícil. « Das utopias…

[...] escrever vai ficar mais fácil, ler vai ficar mais difícil. TREMENDA SAUDADE, por Ricardo [...]

mcb
mcbPermalinkResponder

Ric, você disse tudo:

"se escrever vai ficar mais fácil, ler vai ficar mais dificil.".

revolta.

smacks,

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Lena, "catorze" e "quatorze" são ambas formas corretas para escrever e falar (a maioria das pessoas fala catorze e escreve quatorze). O trema só entra(va) antes de e ou i, quando o "u" pode ser falado ou omitido. No caso do a, é sempre falado. Acho que é isso.

Diogo
DiogoPermalinkResponder

Demais o texto, Riq.

Adoru u teu jeitinhu di iscrever. Axu u maximu i mi identificu um monti. Kda dia ki passa eu goxtu maix di vc.

Imagina quando chegarmos nessa fase, hahahahahahahahahaha!!!

Ah, e uma obs: é um complô contra nosotros? Combinaram de postar todos juntos? Que sacanagem...

Bjos

Lena
LenaPermalinkResponder

Jurema,
thanks! lol Agora entendi!!

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Beto, você está na minha lista negra lol Cuidado ao passar pelo Orquidário. BE AFRAID! kkkkkkkk wink

Karinissima
KarinissimaPermalinkResponder

Em uma aula de trema na faculdade aprendi uma frase para erradicar dúvidas sobre o trema: "Açougueiro, me dá um quilo de lingüiça".

Quero só ver se essa trema cai. Escrever vai ficar mais fácil, ler vai ficar mais difícil e comprar lingüiça será um aperto.

Beto
BetoPermalinkResponder

Karina, tô tranqüilo, sou amigão da Tula e do Ringo, os macacos aranhas mais velhos do pedaço. Sacou, né? Amigo dos macacos velhos. Tô garantido.

Alexandre Giesbrecht

Concordo 100% com a crônica acima. Embora algumas das mudanças façam sentido (alguém ainda fala "péra"?), nunca poderiam acabar com a trema! De "freqüência" para "frequência" (com o "que" falado como "que", em vez de "qüe") vai ser um pulo. E a abolição do "pára/para"? Absurdo! Por favor, já que é inevitável, que pare por aí. Senão daqui a pouco oficializarão o internetês, o miguxês e sei lá mais o quê. Que pensamento assustador: podem vir a oficializar o futuro do gerúndio! MEDO...

rickbandeirante

Lobato deve estar pulando de contente no Sítio -ele que não usava trema. E o Visconde de Sabugosa mais feliz ainda, pois querem abolir o til. Cardíaco, o pobre sabugo quase morria com "esse latido que só existe na língua portuguesa".

Izabel
IzabelPermalinkResponder

Tem vários livros seus dando sopa aqui:

http://www.estantevirtual.com.br

Cássia
CássiaPermalinkResponder

"Já decidi que, em nome da clareza, vou manter as regras antigas, até que pareça o vovô caduco do trema e do vôo…"

Cá tô eu, assinando embaixo. Again.

smile

E pra quê Pasquale quando se tem Riq Freire e Sérgio Rodrigues?

Daniela Siqueira

Hoje em dia a desalfabetização está chegando mesmo a níveis alarmantes - especialmente na internet, com a desculpa dos teclados desconfigurados. É uma chatura mesmo escrever no notebook sem acentos, e com o til láaaaaaaaa longe. Mas escrever naum e saum também já é demais... wink
E a dúvida que se instala: eu sempre chamei trema de O trema. Aí pra cima tem A trema a valer. Eu mantenho O meu trema! smile

Arthur
ArthurPermalinkResponder

Poderiam acabar com a famigerada crase.
Aliás, eu parto do princípio "o que eu não sei, não é importante; logo, não precisa existir".
Falou o dono do mundo grin

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Não vou aderir.

Rosa Maria Martins Lancellotti

Concordo com tudo o que escreveu. Realmente é um reforma inútil. E apoio sua campanha para resistir à tais mudanças.

Ricardo Freire

Rosa Maria, hoje saiu uma crônica ótima do Joaquim Ferreira dos Santos n'O Globo e um editorial da Folha dizendo que é muito transtorno (e muita reimpressão) por nada.

Começo a achar que talvez a coisa não vá adiante smile

Flavia Penido
Flavia PenidoPermalinkResponder

Será que reforma ortográfica tb vai ser uma coisa de "pega ou não pega"?
As últimas pegaram, mas essa tá difícil de engulir...

Fui dar uma olhada nas alterações e elas são horrendas!!!!

Será que vamos ficar como aqueles velhinhos de quando a gente era criança, que escreviam pharmacia e se recusavam a aderir às novas regras? blogs onde só se escreve no vernáculo antigo?

Ah! E vcs vão me matar, mas eu não sou contra essa cyber escrita não. Acho só que não é português, é cyber. E assim como nós falamos inglês, francês, português, etc, há quem fale em cyber...(tem até uma matéria naquela revista Língua Portuguesa sobre isso). Eu não faço essas coisas de escrever com tudo terminando em u, mas no msn confesso que "c tá aí" é uma frase que eu escrevo sempre...

Ricardo Freire

É tudo uma questão de contexto, mesmo, Flavia... A estenografia deve ter nascido junto com a escrita. E mesmo antes da internet a gente anotava coisas com "q" em vez de que, e "p/" em vez de para ou por, e "s/" em vez de sem. "Etc." é uma coisa que só se escreve por extenso de sarro, não é?

Tem a hora do tá e a do está, a do você, a do cê, a do vc e a do c.

Só não precisa nivelar por baixo, né? lol

Eu, por exemplo, odeio "estivera", "fazê-lo" e "os há", jamais vou escrever desse jeito, mas não quero proibir quem goste -- e os há -- de fazê-lo shock

Yara
YaraPermalinkResponder

Riq,
Vc é D+, bela crônica. É KD vez + difícil entender o k o pessoal escreve por aí! Ou melhor LER o que escrevem...Bem que tentei, mas "cyber lingua" naum é a minha praia...
Y

Juliana Scherz

Só mesmo aqui no Brasil... Ao invés de ensinarem as pessoas a escreverem o certo, apagam o certo e deixam o errado... Lamentável... É um círculo vicioso: povo burro (sem educação) vota em político corrupto que quer deixar o povo burro pra sempre pra poder ter votos... Sabe o que eu sinto com isso tudo? INDIGNAÇÃO!!!!!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar